IFE.ME 114

Informativo Eletrônico – Mobilidade Elétrica nº 114 – publicado em 12 de junho de 2022.

IFE: Informativo Eletrônico de Mobilidade Elétrica – GESEL-UFRJ <!–

l

IFE: nº 114 – 12 de julho de 2022
http://gesel.ie.ufrj.br/
gesel@gesel.ie.ufrj.br

Editor: Prof. Nivalde J. de Castro

Índice

Políticas Públicas e Regulatórias
1
Brasil: Senadores apresentam propostas de incentivos a eletromobilidade
2 Brasil: Projeto de Lei visa incentivos fiscais para redução dos preços dos VEs
3 Brasil: Senadores propõem prazo para banimento dos veículos a combustão
4 Brasil: Programa de Modernização Veicular e Mobilidade Elétrica
5 Brasil: Projeto visa incentivar a pesquisa no âmbito da eletromobilidade
6 Brasil: MME acaba com restrições para exportação de lítio
7 China: Governo planeja reforçar os incentivos aos VEs
8 EUA: Novo programa visa a transição de frotas de caminhões, na Califórnia
9 EUA: Programa de descontos para VEs, em Illinois
10 Rússia: Distrito em Moscou terá frota de ônibus totalmente elétricos
11 Áustria: Programa de financiamento para ônibus elétricos

Inovação e Tecnologia
1 Brasil: Laboratório para testes de segurança de VEs
2 Renault: Aplicativo para recarga de VEs no Brasil
3 China: Novo protótipo de veículo movido a energia solar
4 VinFast e ProLogium: Parceria visa o investimento em baterias de estado sólido
5 Traton, Daimler Truck e Volvo: JV focada em infraestrutura de carregamento na Europa
6 NIO: Desenvolvimento de novo carregador ultrarrápido
7 MG: Nova plataforma modular e adaptável para VEs
8 Volkswagen: Novas fábricas de baterias serão geridas por subsidiária
9 Volvo: Planos para a expansão dos segmentos de VEs e autônomos

10 IDTechEX: ‘Battery swapping’ se consolida no mercado asiático de VEs de 2 e 3 rodas
11 Northvolt: Aumento de capital dará suporta a produção de baterias

12 Flow: Soluções para sistemas de carregamento integrado na Europa

Indústria Automobilística
1 GESEL: Panorama de emplacamento de VEs no Brasil em junho
2 Santiago Chamorro/General Motors: Brasil está pronto para produzir VEs
3 Higer: Construção de fábrica voltada para VEs no Ceará
4 Audi: Investimento em pontos de recarga ultrarrápidos no Brasil
5 Caoa Chery: Novo iCar já apresenta pré-reservas no Brasil
6 BYD: Expansão da atuação pelo Brasil está progredindo

7 Audi: Nova fábrica voltada para VEs na China
8 BMW: Panorama de vendas globais no primeiro semestre de 2022
9 Alfa Romeo: Metas e estratégias para a eletrificação
10 Tesla: Superchargers serão abertos para VEs de outras marcas nos EUA

Meio Ambiente
1 Audi e VWCO: Parceria visa entrega 100% sustentável de veículos
2 ESG: 3M implementa uso de VEs em frota comercial no Brasil
3 ESG: Nestlé Portugal inicia segunda fase do projeto para incorporação de VEs

Eventos e Estudos
1 Brasil: Senado lança estudo sobre a eletromobilidade
2 George Washington University: Percepção dos consumidores acerca dos incentivos para aquisição de VEs
3 Nikkei Asia: Estudo avalia pedidos de patentes das baterias de estado sólido
4 Lítio deve superar cobalto e níquel na produção de baterias para VEs


 

 

Políticas Públicas e Regulatórias

1 Brasil: Senadores apresentam propostas de incentivos a eletromobilidade

No Brasil, a participação dos motores elétricos ainda é tímida no total da frota. Projetos no Senado buscam acelerar a expansão desse mercado. Para tirar o país da retaguarda da eletromobilidade, os senadores propõem medidas como redução de impostos para os eletrificados, de um lado, e restrições graduais à produção e comercialização de automóveis movidos por combustíveis fósseis, de outro. Também sugerem fomento à implantação de pontos de recarga elétrica e garantia de recursos para pesquisas na área como estratégias para incentivar o desenvolvimento do setor. A mobilidade com energia limpa é um tema que tem sido foco de atenção dos senadores. Em março, o Senado aprovou a criação da Frente Parlamentar Mista da Eletromobilidade (PRS 64/2021). O grupo foi sugerido por Rodrigo Cunha e será formado por deputados e senadores dispostos a unir forças em busca de medidas de estímulo aos veículos elétricos. No dia do lançamento da frente, o senador Izalci Lucas (PSDB-DF) afirmou que o Brasil já está atrasado em relação à Europa na substituição dos motores a combustão pelos elétricos. Izalci destacou que diversos países europeus já estabeleceram limites temporais para a circulação de motores a combustão em suas vias. Para o senador, porém, não basta tratar de cronograma; é preciso pensar em toda a cadeia. (Agência do Senado – 08.07.2022)

<topo>

2 Brasil: Projeto de Lei visa incentivos fiscais para redução dos preços dos VEs

O VE mais barato à venda hoje no Brasil não sai por menos de R$ 140 mil. Para tentar reduzir esse custo, alguns projetos em tramitação no Senado propõem a redução de impostos. É o caso de uma proposta do senador Telmário Mota (Pros-RR) que isenta do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), por até 5 anos, os automóveis elétricos de fabricação nacional (PLS 340/2016). Outra proposição, do senador Irajá (PSD-TO), favorece os importados, que ficariam livres do Imposto sobre Importação (PL 403/2022). Para justificar o benefício fiscal, Telmário argumenta que novas tecnologias devem ser incentivadas para diminuir impactos ambientais causados pela emissão de poluentes. Irajá, por sua vez, sustenta que o Brasil não pode ficar desconectado do movimento positivo de substituir o combustível fóssil pelo renovável. Os dois projetos tramitam na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE). (Agência do Senado – 08.07.2022)

<topo>

3 Brasil: Senadores propõem prazo para banimento dos veículos a combustão

O senador Telmário Mota (Pros-RR) aposta na restrição aos automóveis movidos a combustíveis fósseis como forma de incentivar a expansão do novo modelo. O PLS 454/2017 proíbe de forma gradual a comercialização de veículos a combustão no país, até a interdição total a partir de 2060. Uma proposta com o mesmo objetivo, do senador licenciado Ciro Nogueira (PP-PI), determina prazo mais curto para a transição. O texto (PLS 304/2017) veda de forma gradual a venda desses automóveis a partir de 2030, com proibição total a partir de 2040. Ciro argumenta que, para o Brasil, que possui uma produção de eletricidade relativamente limpa, a troca dos veículos a gasolina por veículos elétricos será muito vantajosa do ponto de vista ambiental. (Agência do Senado – 08.07.2022)

<topo>

4 Brasil: Programa de Modernização Veicular e Mobilidade Elétrica

Uma das propostas em tramitação no Senado, de autoria do senador Jaques Wagner (PT-BA), cria o Programa de Modernização Veicular e Mobilidade Elétrica (MoVE Brasil). O projeto estabelece medidas de incentivo à substituição dos automóveis movidos a combustíveis fósseis por veículos com baixa emissão de poluentes. O PL 2.461/2021 também trata das regras para a instalação da infraestrutura de recarga dos elétricos, além de outras medidas. o MoVE, com medidas para apoiar a transição do Brasil para um transporte de baixíssima emissão de poluentes. O programa cita objetivos de alcance amplo, como a troca das frotas de transporte público em todo o país. Critérios para evitar monopólio e regras sobre a estrutura do fornecimento da energia elétrica para os carros também estão no texto, assim como a meta de que, a partir de 2040, somente serão fabricados veículos com baixíssima emissão de poluentes que não façam uso, nem parcialmente, de combustíveis fósseis. O MoVE ainda trata da comercialização e pontos de recargas em lugares públicos e privados. Conforme o projeto, nas garagens e estacionamentos de uso privativo das edificações de uso coletivo construídas a partir de 1º de janeiro de 2023, será obrigatória a instalação de pontos de recarga de VEs. Tais pontos deverão permitir a cobrança individualizada da eletricidade, para garantir que cada condômino responda pela energia consumida. (Agência do Senado – 08.07.2022)

<topo>

5 Brasil: Projeto visa incentivar a pesquisa no âmbito da eletromobilidade

A senadora Leila Barros (PDT-DF) é autora de um projeto que busca apoiar a pesquisa sobre eletromobilidade por meio de políticas de incentivo tributário. O PL 6.020/2019 determina que as empresas beneficiadas por isenções fiscais no programa do governo federal Rota 2030 Mobilidade e Logística deverão aplicar 1,5% do benefício tributário em pesquisas sobre o desenvolvimento da tecnologia para veículos elétricos. Leila afirma que o objetivo é garantir os recursos necessários para estudos que envolvam a transição do carro convencional para o eletrificado. Segundo a autora, o projeto tem o potencial de aplicar na área de ciência e tecnologia o valor de R$ 1,3 bilhão, em 10 anos. A matéria está em análise na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), onde conta com o apoio do relator, o senador licenciado Rodrigo Cunha (União-AL). Em seu relatório, o senador diz que o projeto é meritório e defende mais recursos para que o país possa progredir na eletromobilidade. Ele ainda aponta que o Brasil, dotado de riquezas minerais, “deveria estar buscando novas formulações químicas de baterias que usem os recursos de que dispomos em abundância”. Com o projeto, acredita, os recursos para pesquisas na área poderão ficar garantidos. (Agência do Senado – 08.07.2022)

<topo>

6 Brasil: MME acaba com restrições para exportação de lítio

O Brasil vai permitir a exportação de lítio sem restrições, conforme o Decreto 11.120 do MME publicado nesta semana no Diário Oficial. A medida autoriza empresas multinacionais a comercializar o lítio, principal componente da bateria de carros elétricos, e seus derivados sem mais depender de validações, como a aprovação de órgão competente. A publicação de apenas oito linhas libera o comércio exterior de minerais e minérios de lítio, de produtos à base de lítio e seus derivados sem “critérios, restrições, limites ou condicionantes de qualquer natureza, exceto aqueles previstos em lei ou em atos editados pela Câmara de Comércio Exterior – Camex.” Em nota à imprensa, o MME afirma que o principal objetivo da flexibilização das regras é posicionar o Brasil de forma competitiva na cadeia global e atrair investimentos para pesquisa e produção mineral, também de componentes e baterias – as peças à base de lítio são usadas em larga escala nos carros elétricos. Para saber mais, clique aqui. (Automotive Business – 08.07.2022)

<topo>

7 China: Governo planeja reforçar os incentivos aos VEs

O governo chinês acaba de anunciar uma série de novas iniciativas de apoio à venda de carros elétricos. Conforme relatado pela Reuters, o Ministério do Comércio em Pequim, de acordo com outros 16 ministérios, falou em uma avaliação em curso para ampliar os benefícios fiscais que já estão em vigor e reforçar a rede de carregamento. Os porta-vozes do Ministério reiteraram que também querem estimular a renovação da frota e a substituição dos veículos mais antigos, apoiando o crédito para a compra de automóveis e facilitando também a venda de automóveis semi-novos em várias províncias. Em parte, já iniciados, os incentivos ao mercado automotivo, na forma de medidas de alívio fiscal, são uma resposta aos efeitos do bloqueio projetado para evitar a propagação da Covid-19 em Xangai e em outras áreas do país, que tem testado fortemente a economia e o comércio. Desde o mês passado, o imposto para a compra de carros novos com motores dentro do limite de 2.0 litros e um preço não superior a 300.000 yuan (R$ 240.000), foi reduzido de 10% para 5%, enquanto que para os carros elétricos isso havia sido eliminado em 2014 e sua reintrodução, ventilada para 2023, agora parece muito improvável. E, de fato, agora estamos pensando em mais incentivos para os veículos elétricos a bateria. (Inside EVs – 09.07.2022)

<topo>

8 EUA: Novo programa visa a transição de frotas de caminhões, na Califórnia

O California Air Resources Board, agência ambiental do estado da Califórnia, anunciou recentemente que irá lançar um programa piloto que visa ajudar pequenas frotas de caminhões a fazer a transição para tecnologias de emissão zero. O programa Innovative Small e-Fleet se concentrará em frotas de caminhões de propriedade privada e sem fins lucrativos com 20 ou menos caminhões e empresas com menos de US$ 15 milhões em receita anual. O programa fornecerá US$ 25 milhões para implementar uma série de soluções inovadoras para ajudar pequenas frotas a fazer a transição para emissões zero. Isso inclui financiamentos flexíveis, aluguéis de curto prazo e arrendamentos de serviço completo. O novo programa faz parte do Projeto de Incentivo a Caminhões e Ônibus Híbridos e Zero Emissão (HVIP, na sigla em inglês). Lançado pela CARB em 2009, o HVIP fornece vouchers para a compra de caminhões e ônibus com emissão zero e desempenha um papel crucial na implantação de tecnologias de emissão zero no estado da Califórnia. (Green Car Congress – 09.07.2022)


<topo>

9 EUA: Programa de descontos para VEs, em Illinois

Nos EUA, um novo programa de descontos para veículos elétricos foi lançado no estado de Illinois. Qualquer pessoa que compre um veículo elétrico (carro, caminhão ou van) pode solicitar um desconto de US $ 4.000 do estado pela compra. Para motocicletas elétricas, há também um desconto de US$ 1.500. Estão excluídos dos descontos os veículos híbridos puros ou plug-in (HEV e PHEV, na sigla em inglês). Os descontos foram criados sob o Climate and Equitable Jobs Act (CEJA), legislação que foi aprovada pela Assembleia Geral e assinada pelo governador JB Pritzker no outono de 2021. “Com nosso programa de descontos líder no país, nunca foi tão acessível para os residentes de Illinois comprar e dirigir um veículo elétrico”, disse o governador JB Pritzker. (Electrive – 04.07.2022)

<topo>

10 Rússia: Distrito em Moscou terá frota de ônibus totalmente elétricos

A capital russa Moscou, que em geral possui a maior frota de ônibus elétricos da Europa, tem 8 frotas de ônibus separadas – todas elas compostas por uma mistura de ônibus elétricos e ônibus a diesel. Agora, Moscou está implantando sua primeira frota de ônibus totalmente elétricos no distrito de Nova Moscou. A frota é a primeira na Rússia composta apenas por ônibus elétricos, sem veículos a diesel. A nova frota de ônibus elétricos será composta por 300 unidades. Devido ao uso de ônibus elétricos no distrito de Nova Moscou, as emissões de CO2 serão reduzidas em 18,2 mil toneladas/ano. A transição será desenvolvida em várias etapas. Em julho de 2022, haverá 34 ônibus elétricos operando em 6 rotas. Na segunda etapa, em dezembro de 2022, cerca de 100 ônibus elétricos estarão operando em 10 rotas. No final de 2023, a frota será composta por 300 ônibus elétricos operando em 26 rotas de Nova Moscou. (Green Car Congress – 07.07.2022)

<topo>

11 Áustria: Programa de financiamento para ônibus elétricos

Com o programa de financiamento chamado Emission-free Buses and Infrastructure (EBIN, na sigla em inglês), o Ministério austríaco de Proteção Climática está agora apoiando empresas austríacas a converter suas frotas em ônibus sem emissões, juntamente com a infraestrutura necessária de recarga e reabastecimento. O ministério austríaco diz que 184 ônibus puramente elétricos estão atualmente registrados na Áustria. Este número deve ser quase quadruplicado para 682 até 2026 com o apoio do programa EBIN. De acordo com o ministério, o financiamento foi alocado para a primeira rodada do programa EBIN. Foram selecionados dez projetos em sete estados da federação. No âmbito desses projetos, um total de 289 ônibus com emissão zero devem ser adquiridos. Em todos os dez projetos, incluindo 70 ônibus de emissão zero para Viena, o financiamento total chega a 122 milhões de euros. Estes fundos provêm do Mecanismo de Recuperação e Resiliência (RRF) da União Europeia. Além disso, o governo austríaco diz que uma segunda rodada começará, para a qual novas submissões são possíveis. Estes serão avaliados por um júri de especialistas. (Electrive – 04.07.2022)

<topo>

 

Inovação e Tecnologia

1 Brasil: Laboratório para testes de segurança de VEs

Impulsionado pela demanda por alternativas de mobilidade sustentável, o mercado de veículos elétricos vive um crescimento expressivo, mesmo após o impacto econômico da pandemia provocada pela Covid-19. Apesar da expansão, o setor ainda enfrenta desafios como a importação de matérias-primas, o desenvolvimento tecnológico e o fortalecimento de toda a indústria no Brasil. Entre os aspectos fundamentais para potencializar esses avanços, está a garantia de segurança e desempenho dos veículos para a sociedade. E com o objetivo de ajudar a impulsionar a mobilidade elétrica, o primeiro laboratório de terceira parte para ensaios em componentes ligados a VEs do Brasil deve ser inaugurado no Campus da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) até o final de 2022. O espaço, nomeado E-mobility, contará com equipamentos rastreados e calibrados, que garantam mais segurança e melhor desempenho às baterias e estações de carga dos veículos. O laboratório atende à crescente demanda mundial por carros elétricos mais econômicos e menos poluentes e deve ter investimento inicial estimado de R$ 20 milhões. A iniciativa, pioneira no Brasil, é fruto de uma cooperação entre o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), a PUCRS – por meio de seu complexo de Laboratórios Especializados em Eletroeletrônica, Calibração e Ensaios (Labelo) – e o grupo global de certificação de produtos PCN, da Coreia do Sul, e está fundamentada no Marco Legal de Ciência, Tecnologia e Inovação. (Inside EVs – 08.07.2022)

<topo>

2 Renault: Aplicativo para recarga de VEs no Brasil

Entre as iniciativas para promover o avanço da mobilidade elétrica, a Renault, por meio da sua divisão Mobilize, focada em mobilidade e tecnologia, lança no Brasil o aplicativo Mobilize Charge Pass, uma solução que incorpora um sistema de busca e reserva de pontos de recarga de veículos elétricos. Pelo Mobilize Charge Pass, os clientes de veículos elétricos podem buscar os carregadores em sua região, definir a rota mais rápida até ele e reservar a vaga para a recarga da bateria. A solução também incorpora o processo de pagamento da recarga, quando necessário, permitindo acesso também aos eletropostos que cobram pelo abastecimento. A tecnologia foi desenvolvida em parceria com a startup de eletromobilidade Tupinambá e permite que qualquer empresa que queira disponibilizar seus carregadores smart no Mobilize Charge Pass possam cadastrar o seu ponto de recarga para que os usuários de possam recarregar a bateria do veículo ao longo de sua rota. Pelo sistema, o cliente pode acessar mais de 1.000 pontos de recarga conectados em 22 estados e no Distrito Federal. (Inside EVs – 05.07.2022)

<topo>

3 China: Novo protótipo de veículo movido a energia solar

Um grupo de especialistas na China desenvolveu o primeiro veículo do país que funciona 100% alimentado por energia solar. Denominado “Tianjin”, o veículo foi apresentado oficialmente na sexta edição da World Intelligence Conference. Segundo a mídia chinesa, o modelo foi desenvolvido em conjunto por 42 empresas e três universidades em cinco meses e conta com uma série de tecnologias avançadas. Com espaço para acomodar três passageiros e o motorista, o Tianjin está equipado com direção autônoma de ponta. A área do seu módulo de energia solar também é ampla, com 8,1 metros quadrados. Os criadores dizem que o alcance máximo nos testes foi de 74,8 km e a velocidade máxima é de 79,2 km/h. Na Alemanha, a Sono Motors está trabalhando na mesma direção e se aproxima da fase de validação do seu primeiro protótipo de carro-solar, o Sion EV, que utiliza a energia do sol para carregar as baterias. O modelo deve ser produzido em 2023. (Olhar Digital – 08.07.2022)

<topo>

4 VinFast e ProLogium: Parceria visa o investimento em baterias de estado sólido

A VinFast, através de uma empresa do Vingroup, anunciou um investimento de dezenas de milhões de dólares americanos na ProLogium, fabricante de baterias de estado sólido. A VinFast também celebrou um Memorando de Entendimento com a ProLogium estabelecendo acordos de cooperação estratégica para garantir o fornecimento de baterias de estado sólido de próxima geração e apoiar o objetivo de expandir suas soluções de mobilidade inteligente globalmente. Junto com o investimento, VinFast e ProLogium se tornarão parceiros estratégicos de longo prazo no futuro. As duas empresas entrarão em acordos comerciais para desenvolver projetos de baterias usando a tecnologia de bateria de estado sólido proprietária da Prologium, aderindo a especificações rígidas sobre os parâmetros, qualidade e segurança do VinFast. (Green Car Congress – 08.07.2022)

<topo>

5 Traton, Daimler Truck e Volvo: JV focada em infraestrutura de carregamento na Europa

O Grupo Traton, a Daimler Truck e o Grupo Volvo concluíram a etapa final na formação da joint venture (JV) anunciada anteriormente para infraestrutura de carregamento na Europa. Espera-se que a nova joint venture, com Anja van Niersen como CEO nomeada, tenha um papel significativo no apoio ao Green Deal da União Europeia para transporte de carga neutro em carbono até 2050. Conforme anunciado no ano passado, a JV planeja instalar e operar pelo menos 1.700 pontos de carregamento de energia verde de alto desempenho em e perto de rodovias, bem como em centros de logística em toda a Europa. As partes comprometem-se a investir 500 milhões de euros no total, o que se presume ser, de longe, o maior investimento em infraestruturas de carregamento na indústria europeia de camiões pesados até à data. (Green Car Congress – 10.07.2022)

<topo>

6 NIO: Desenvolvimento de novo carregador ultrarrápido

A startup de carros elétricos NIO já tem mais de 1.000 estações de troca de bateria na China, mas agora também quer lançar sua própria rede de carregadores ultrarrápidos. De acordo com uma nova apuração, eles serão capazes de fornecer até 500 kW, superando rivais como a GAC Aion com seu carregador de 480 kW. O novo carregador ultrarrápido da Nio terá que ser capaz de produzir uma corrente máxima de 650 amperes. A empresa chinesa ainda não disse o quão rápido isso seria capaz de carregar seus VEs, especialmente porque nenhum deles parece ser capaz de trabalhar atualmente com mais de 90 kW. A empresa planeia lançar um pacote de baterias de estado sólido de 150 kWh para os seus modelos, pelo que talvez possa carregar a 500 kW. (Inside EVs – 07.07.2022)

<topo>

7 MG: Nova plataforma modular e adaptável para VEs

A britânica MG, atualmente de propriedade da montadora chinesa SAIC, é mais uma empresa que começou a adicionar veículos elétricos à sua linha. Esta semana, a marca revelou uma novidade para o nicho de VEs. Trata-se do Modular Scalable Platform, ou MSP, uma nova plataforma modular, que, segundo a MG, foi projetada para ser adaptada em diversos segmentos de carros, desde hatchbacks mais compactos, SUVs e até esportivos. O MSP foi apresentado justamente em um hatchback elétrico da marca, o novo MG 4, que estará disponível nos mercados onde a MG atua a partir de setembro deste ano. Como é adaptável, a plataforma pode suportar diferentes distâncias entre eixos, bem como configurações de suspensão mais alta ou baixa, uma característica importante especialmente para os esportivos. A bateria, como de costume, fica no piso do veículo e o motor elétrico, por padrão, é instalado na parte traseira. No entanto, a MG informa que é possível adaptar um motor para cada eixo, o que possibilita oferecer um sistema de tração nas quatro rodas. Outros recursos do MSP incluem: atualizações de software sem fios e suporte para a troca da bateria. A marca declarou que mais detalhes tanto sobre o MG 4 como da sua plataforma para carros elétricos serão anunciados no fim de 2022. (Olhar Digital – 07.07.2022)

<topo>

8 Volkswagen: Novas fábricas de baterias serão geridas por subsidiária

Para acelerar sua estratégia de eletrificação, a Volkswagen iniciou a construção de sua primeira fábrica de células de bateria em Salzgitter, na Alemanha, com operação prevista para começar em 2025. Todo o negócio global de baterias, incluindo a nova instalação, agora será comandado pela empresa recém-criada PowerCo, que, juntamente com parceiros, vai investir mais de € 20 bilhões na área de negócios, com projeção de vendas anuais que ultrapassam esse valor. A PowerCo vai gerenciar as operações internacionais de fabricação, o futuro desenvolvimento da tecnologia das células, a integração vertical da cadeia de valor e o fornecimento de maquinário às fábricas da Volkswagen. A próxima fábrica a ser inaugurada será localizada em Valência, na Espanha, e estão previstas mais três unidades para produção de células na Europa. Cada usina produzirá 40 GWh de baterias por ano. A meta estabelecida pela Volkswagen é reduzir os custos de produção das baterias em cerca de 50%, para abaixo dos US$ 100/kWh. Para o futuro, estão planejados novos produtos, como grandes sistemas de armazenamento para a rede de energia. (Electrek – 07.07.2022)

<topo>

9 Volvo: Planos para a expansão dos segmentos de VEs e autônomos

O Grupo Volvo está procurando expandir seus programas de caminhões elétricos e autônomos para aumentar a participação de mercado nos EUA. Ao mesmo tempo, a empresa planeja fortalecer sua cadeia de suprimentos, revelou o CEO do Grupo Volvo, Martin Lundstedt. Em maio, a Volvo Autonomous Solutions, uma empresa do Grupo Volvo, anunciou que oferecerá uma nova solução de transporte autônomo hub-to-hub, projetada para atender a quatro segmentos principais de clientes: carregadores, transportadores, prestadores de serviços de logística e corretores de frete. A empresa firmou uma parceria com a provedora de logística DHL Supply Chain como seu primeiro cliente a testar a nova solução. A Volvo espera obter cinco vezes a receita em soluções autônomas (por meio de recursos de transporte como serviço) em comparação com as receitas auferidas na venda de caminhões convencionais. (Transport Topics – 05.07.2022)

<topo>

10 IDTechEX: ‘Battery swapping’ se consolida no mercado asiático de VEs de 2 e 3 rodas

Em um novo relatório denominado “Battery Swapping for Electric Vehicles 2022-2032: Technology, Players and Forecasts”, a empresa de pesquisa de mercado IDTechEx concluiu que a tecnologia de battery swapping (troca de baterias) atualmente parece ter se consolidado como o padrão de carregamento vencedor nos mercados de duas e três rodas na região asiática do Pacífico. Veículos de passageiros e frotas de táxi na China, por exemplo, agora estão adotando essa tecnologia. As empresas também tem anunciado metas ambiciosas para lançar suas próprias redes de estações de troca. A Nio, com sede na China, por exemplo, anunciou recentemente que o número total de suas estações Power Swap chegou a mil. Os usuários do NIO completaram mais de 10 milhões de trocas de bateria, com a média diária superior a 30.000 trocas. Embora a IDTechEx acredite que a modalidade de battery swapping não prosperará nos EUA, diversos fabricantes chineses de VEs estão entrando no mercado europeu. (Green Car Congress – 08.07.2022)

<topo>

11 Northvolt: Aumento de capital dará suporta a produção de baterias

A desenvolvedora sueca de baterias Northvolt anunciou um aumento de capital para apoiar suas operações na Europa da ordem de US$ 1,1 bilhão. Graças à nova injeção de liquidez, a Northvolt pode contar com quase 8 bilhões de dólares levantados desde 2017, o que a ajudará a completar sua missão de se transformar em uma das maiores empresas europeias de produção de baterias para carros elétricos. Nessa linha, mais recentemente a empresa abriu a maior usina de reciclagem da Europa, localizada em Fredrikstad, no sul da Noruega. O outro objetivo importante é garantir que pelo menos 50% dos suprimentos de matérias-primas sejam compostos por baterias recicladas até 2030. Até o momento, a Northvolt já recebeu pedidos da ordem de US$ 55 bilhões de clientes como BMW, Fluence, Scania, Volvo e Volkswagen. (Inside EVs – 09.07.2022)

<topo>

12 Flow: Soluções para sistemas de carregamento integrado na Europa

O Flow, um projeto que visa a penetração em massa de VEs apoiado pela União Europeia (UE), iniciou os trabalhos na cidade de Barcelona. Entre outras coisas, a iniciativa visa testar, validar e melhorar a tecnologia vehicle-to-everything visando a troca de energia entre veículos, edifícios e a rede elétrica e a ampliação do sistema de carregamento europeu. Cinco locais de testes serão instalados na República Tcheca, Irlanda, Itália, Dinamarca e Espanha. O consórcio do projeto Flow inclui 24 parceiros externos e seis universidades europeias e é liderado pelo Instituto Catalão de Pesquisa Energética (IREC). Cristina Corchero, coordenadora do consórcio, disse: “O projeto FLOW representa uma oportunidade única para entender melhor o potencial de flexibilidade energética quando alcançarmos uma penetração massiva de veículos elétricos”. O Flow está programado para durar quatro anos, até março de 2026, e é financiado pela União Europeia no âmbito do programa de pesquisa e inovação Horizon Europe. (Electrive – 06.07.2022)

<topo>

 

Indústria Automobilística

1 GESEL: Panorama de emplacamento de VEs no Brasil em junho

Em crescimento constante, as vendas de carros eletrificados (elétricos + híbridos + híbridos plug-in) no Brasil bateram um novo recorde no primeiro semestre de 2022. O destaque foi o aumento expressivo na participação dos carros elétricos a bateria, que neste 1º semestre de 2022 já superaram os emplacamentos de todo o ano passado. Segundo os dados levantados pela ABVE, foram vendidos 4.073 veículos leves eletrificados em junho (o segundo melhor mês da série histórica), totalizando nada menos do que 20.427 unidades no primeiro semestre de 2022. Os números do semestre representam um crescimento de 47% sobre o mesmo período do ano passado. Destaque entre os eletrificados, os carros 100% elétricos tiveram 3.395 emplacamentos no semestre, ou seja, 19% a mais do que a soma das vendas de todo o ano passado o crescimento foi puxado em grande parte pelos veículos comerciais leves, como vans, picapes e furgões. (Inside EVs – 07.07.2022)

<topo>

2 Santiago Chamorro/General Motors: Brasil está pronto para produzir VEs

De acordo com o presidente da GM América do Sul, Santiago Chamorro, o Brasil não precisa de fase intermediária e pode, quando a tecnologia for mais acessível, ter a sua indústria de carros elétricos. Chamorro diz estar convencido, pelo que mostram estudos globais, de que o carro 100% elétrico é superior ao híbrido no que diz respeito ao ganho ambiental. O executivo aponta a categoria premium, com modelos mais caros e onde se concentram as vendas dos 100% elétricos hoje, como a porta de entrada da transformação. Os consumidores dessa faixa, os “early adopters”, como são chamados nos Estados Unidos, diz o executivo, estão dispostos a pagar pela tecnologia que permite dirigir de forma “mais divertida” e silenciosa, entre outras coisas. “Mas, no futuro, os carros serão elétricos em todos os segmentos onde temos presença”, afirma. A GM também não revela qual seria seu cronograma de eletrificação por região para atingir a meta global de ser neutra em carbono até 2040. Só no Brasil, a companhia tem três fábricas de veículos e uma de motores. A GM planeja investir US $35 bilhões para lançar 30 novos veículos elétricos até 2025. Três deles virão para o mercado brasileiro. Para acessar a entrevista na íntegra, clique aqui. (Valor Econômico – 04.07.2022)

<topo>

3 Higer: Construção de fábrica voltada para VEs no Ceará

O Governo do Estado do Ceará e a empresa chinesa Higer, por meio de sua representante no país, a Tevx Higer, vão assinar em breve um acordo de cooperação que irá viabilizar a construção de uma fábrica de veículos elétricos, além de permitir que frotas de ônibus do transporte público possam ser renovadas por veículos não poluentes. A informação foi apurada pelo Diário do Transporte. A princípio, a assinatura de um protocolo de intenções abre as portas para o investimento se tornar mais real, apesar de não garantir que seja de fato concretizado. Isto porque, existem variáveis na questão que serão analisadas nesse acordo entre o Governo do Estado e algumas secretarias como as de Infraestrutura e da Ciência, Tecnologia e Educação Superior e do Meio Ambiente e a fabricante estrangeira. Entre as necessidades de estudo, estão a viabilidade de todo o projeto. O local, caso venha a sair do papel, vai abrigar não só a produção de ônibus elétricos, como também de caminhões e outros veículos que venham a ser produzidos pelo fabricante. A Higer, ao sinalizar interesses no Ceará, está de olho em mercados importantes como a capital Fortaleza que deve passar por um processo de renovação de ao menos parte da frota do transporte urbano por ônibus, mas também outras cidades de grande concentração de pessoas que precisam do transporte público. (Diário do Transporte – 06.07.2022)

<topo>

4 Audi: Investimento em pontos de recarga ultrarrápidos no Brasil

A Audi anunciou recentemente um investimento de R$ 20 milhões na construção de carregadores ultrarrápidos em toda a rede de concessionárias. Serão instalados pontos de 150 kW em todas as 42 revendas da marca no país. O anúncio foi feito durante o Festival Interlagos, evento de experiências que é realizado no Autódromo de Interlagos pelas revistas Duas Rodas e Fullpower. Além disso, a marca alemã anunciou uma parceria com a Volkswagen Caminhões e Ônibus para usar o caminhão elétrico e-Delivery na entrega dos veículos elétricos da Audi. Inicialmente, as empresas realizarão um projeto piloto que prevê a entrega de 10 veículos da gama e-tron. (Automotive Business – 07.07.2022)

<topo>

5 Caoa Chery: Novo iCar já apresenta pré-reservas no Brasil

Lançado há pouco mais de 15 dias no Brasil, o novo Caoa Chery iCar já tem mais de 500 pré-reservas. O carro elétrico mais barato do país foi lançado junto com a nova linha de veículos eletrificados da Caoa Chery, que soma mais de 2.000 encomendas e começa a chegar às concessionárias neste mês. Segundo o comunicado da Caoa Chery, o modelo com mais reservas é o Tiggo 8 Plug-in Hybrid, que recebeu 1.000 pedidos de pré-venda. Logo em seguida vem o subcompacto elétrico iCar, com 500 pedidos, enquanto os demais modelos, totalizaram mais 500 reservas. (Inside EVs – 06.07.2022)

<topo>

6 BYD: Expansão da atuação pelo Brasil está progredindo

A BYD Brasil encerrou o primeiro semestre de 2022 com 25 concessionárias nomeadas nas principais cidades brasileiras. O objetivo é finalizar o ano com 45 unidades inauguradas em território nacional. As localidades estão presentes nas seguintes cidades: Manaus (AM), Salvador (BA), Fortaleza (CE), Brasília (DF), Vila Velha e Vitória (ES), Goiânia (GO), Belo Horizonte, Juiz de Fora e Uberlândia (MG), Cuiába e Sinop (MT), Rio de Janeiro (RJ), Curitiba, Londrina e Maringá (PR), Caixas do Sul, Passo Fundo e Porto Alegre (RS), e Campinas, Jundiaí, Ribeirão Preto e São Paulo, com duas unidades (SP). Até o momento, a BYD abriu as portas de uma concessionária. Trata-se da Eurobike, localizada na capital paulista e que começou a funcionar em abril. A segunda unidade será lançada, no início do segundo semestre, em Curitiba (PR), por meio de parceria com o grupo Sevopa. “Além disso, temos mais um objetivo para fortalecimento da nossa rede. A BYD pretende atingir a marca de 100 concessionárias inauguradas até o encerramento de 2023”, destaca Henrique Antunes, diretor de vendas da BYD Brasil, em nota divulgada. (Motor Show – 09.07.2022)

<topo>

7 Audi: Nova fábrica voltada para VEs na China

A Audi iniciou nesta semana a construção de uma fábrica dedicada à produção de veículos elétricos em Changchun, China, em parceria com a montadora estatal FAW Group. Com o negócio, estabeleceu-se uma nova joint-ventura formada pelas empresas, a Audi FAW NEV Company, com a Audi detendo participação majoritária após uma mudança na legislação chinesa sobre propriedade estrangeira. A cidade de Changchun abriga a sede do Grupo FAW e também é a localização das joint-ventures de veículos existentes da Audi e dos principais fornecedores locais de componentes. Segundo a montadora, a fábrica terá capacidade de produção de 150 mil unidades por ano quando concluída no final de 2024. Produzirá veículos baseados na plataforma PPE (Premium Platform Electric) desenvolvida pela empresa em parceria com a Porsche. (Automotive Business – 05.07.2022)

<topo>

8 BMW: Panorama de vendas globais no primeiro semestre de 2022

O BMW Group vendeu um total de 75.891 veículos totalmente elétricos das marcas BMW e Mini em todo o mundo no primeiro semestre de 2022. Isso significa que o Grupo mais que dobrou as vendas de BEV em comparação com o mesmo período do ano passado (+110,3%). A marca Mini vendeu um total de 18.430 Cooper SEs totalmente elétricos (+37,0%) de janeiro a junho de 2022. O grupo não fornece números de vendas para os modelos de veículos elétricos individuais da BMW, mas aponta para uma carteira de pedidos para o i4 de mais de 34.000 unidades na Europa. A empresa também quer mais que dobrar as vendas de veículos totalmente elétricos até o final do ano em relação ao ano anterior. Os modelos atuais não devem ser os únicos na estrada. O alcance será expandido ainda mais em um ritmo acelerado. Por exemplo, o novo BMW X1 estará disponível com acionamento puramente elétrico pela primeira vez a partir de outubro. Os modelos BMW i3 (na China) e BMW i7 também serão adicionados aos modelos existentes este ano. No próximo ano, seguirão o BMW i5, o Mini Countryman totalmente elétrico e o Rolls-Royce Spectre totalmente elétrico a bateria, entre outros. (Electrive – 08.07.2022)

<topo>

9 Alfa Romeo: Metas e estratégias para a eletrificação

Os planos da Alfa Romeo para se tornar uma marca totalmente elétrica até 2027 está sendo finalizado e o primeiro carro a ser transformado em elétrico seria a próxima geração do sedã Giulia. A atual geração do Giulia foi lançada em 2016 e passou por leve atualização em 2020. Pelo atual cenário, é muito difícil que um novo Alfa Romeo Giulia com motor a gasolina seja lançado. Sua próxima geração, inclusive, receberia a plataforma dos próximos carros elétricos da marca, a Stellantis STLA Large. Segundo o CEO da Alfa Romeo, Jean-Philippe Imparato, a empresa não irá eletrificar apenas o Giulia, mas sim os SUVs também. A mudança dos carros principais é uma obrigação e para todos os modelos serem elétricos até 2027. O Giulia será parte da ofensiva de produtos totalmente elétricos da marca, que tende a começar em 2024, provavelmente com um SUV. (Quadro Rodas – 08.07.2022)

<topo>

10 Tesla: Superchargers serão abertos para VEs de outras marcas nos EUA

A Tesla está se preparando para abrir sua rede Supercharger para veículos elétricos não Tesla nos EUA ainda este ano, de acordo com um memorando da Casa Branca. A empresa já anunciou planos para abrir sua rede Supercharger para veículos totalmente elétricos globalmente, mas a implementação da iniciativa tem sido lenta e atualmente está limitada à Europa. A medida faz sentido, considerando que a Tesla adotou os padrões CCS na Europa como todas as outras montadoras e suas estações Supercharger já estão equipadas com conectores CCS. Na América do Norte, a Tesla usa seu próprio conector proprietário em seus veículos e em suas estações Supercharger. Essa abordagem impede que os proprietários de VEs que não sejam da Tesla usem a rede Supercharger e limita os proprietários da Tesla à rede Supercharger para carregamento rápido. Não ficou claro como a Tesla planeja implementar seu plano de abrir a rede Supercharger nos Estados Unidos, mas o CEO Elon Musk falou anteriormente sobre ter um adaptador nas estações para os proprietários de VEs não Tesla usarem. (Electrek – 07.07.2022)

<topo>

 

 

Meio Ambiente

1 Audi e VWCO: Parceria visa entrega 100% sustentável de veículos

A Volkswagen Caminhões e Ônibus (VWCO) e a Audi serão parceiras nas primeiras entregas 100% sustentáveis de veículos no Brasil. Isso porque o e-Delivery, primeiro caminhão elétrico da VWCO, será o responsável pelo transporte dos modelos Audi RS e-tron GT até os novos proprietários, em São Paulo. O projeto-piloto foi anunciado durante o Festival Interlagos. O modelo Volkswagen e-Delivery 11 toneladas 4×2 foi cedido pela montadora dotado de plataforma guincho fechada. A configuração foi desenvolvida especialmente para o transporte do primeiro superesportivo elétrico da Audi até as concessionárias e residências dos clientes. No ano passado, as marcas também trabalharam juntas em um projeto parecido. Os SUVs Audi e-tron foram o transporte oficial dos clientes VWCO durante o test drive dos caminhões elétricos, em outubro, em São Paulo. (Automotive Business – 08.07.2022)

<topo>

2 ESG: 3M implementa uso de VEs em frota comercial no Brasil

Em linha com a adesão ao compromisso para Energia Sustentável e buscando ações que diminuam a emissão de gases do efeito estufa, a 3M do Brasil acaba de implementar o uso de carros elétricos no Brasil. Os dois veículos estão disponíveis para uso dos colaboradores da unidade da 3M localizada em Sumaré, para as viagens às plantas de Itapetininga e Ribeirão Preto, além de visitas a campo. Além dos automóveis, a novidade inclui quatro postos de recargas, sendo dois em Sumaré, um posto em Itapetininga e outro em Ribeirão Preto para atender estes automóveis da frota da empresa. O veículo tem autonomia de 270km com a carga completa, suficiente para a realização do trajeto entre as três fábricas da 3M no estado. “O lema da 3M é Ciência Aplicada à Vida e com o clima não seria diferente. Por isso, estamos frequentemente incentivando o desenvolvimento de iniciativas voltadas à sustentabilidade na companhia que tragam soluções às pessoas hoje, sem renunciar à preservação do meio ambiente para as gerações futuras”, comenta Bianca Grivol, Especialista de Engenharia de Aplicação para América Latina e líder do projeto. (Segs – 11.07.2022)

<topo>

3 ESG: Nestlé Portugal inicia segunda fase do projeto para incorporação de VEs

A Nestlé Portugal deu início à segunda fase do seu projeto Green Fleet, de transformação total da frota de veículos – comerciais e não comerciais – para VEs, com a entrega de mais 66 veículos aos colaboradores. O objetivo é que, quando este plano estiver concluído em 2025, a empresa conte com um total de 500 veículos de propulsão elétrica. Iniciado em março de 2021, o Nestlé ‘Green Fleet’ é pioneiro no país pela sua dimensão e está inserido no compromisso assumido globalmente pela Nestlé, de atingir a neutralidade carbónica até 2050. É no quadro desta estratégia de Green Vision da empresa, que este projeto pode provocar uma redução estimada de 1800 toneladas de CO2 por ano, desde a sua total implementação em 2025. Esta transformação, que se iniciou apenas com os veículos leves, incluiu já este ano os veículos comerciais da frota de auto-venda da Nestlé Professional, que diariamente entregam os cafés Nestlé produzidos na fábrica do Porto. (Notícias ao Minuto – 04.07.2022)

<topo>

 

 

Eventos e Estudos

1 Brasil: Senado lança estudo sobre a eletromobilidade

A Consultoria Legislativa do Senado lançou, recentemente, o estudo Eletrificação Veicular. O estudo é assinado pelo consultor Túlio Castelo Branco Leal e pela pesquisadora Flávia Consoni, professora da Unicamp. Os pesquisadores apontaram algumas vantagens do carro elétrico: melhor aproveitamento de energia e do torque do motor, manutenção mais barata e ausência de ruídos significativos e de emissões gasosas na operação. Há, também, um grande ganho ambiental, pois a ausência de emissões de escapamento dos motores elétricos favorece o uso desses veículos nas zonas centrais das cidades, especialmente naquelas em que a poluição do ar é um problema a ser combatido. Em outras palavras, o motor elétrico tem menos custo, é mais ágil e menos poluente que os motores convencionais. O estudo ressalta que, apesar das inúmeras vantagens técnicas, os elétricos ainda são comercialmente limitados, principalmente pelos obstáculos relativos ao armazenamento da energia elétrica e pela infraestrutura pública de recarga. Para ler o estudo na íntegra, clique aqui. (Agência do Senado – 08.07.2022)

<topo>

2 George Washington University: Percepção dos consumidores acerca dos incentivos para aquisição de VEs

Um estudo realizado por uma equipe da George Washington University descobriu que, nos EUA, nem todos os incentivos financeiros são avaliados da mesma forma pelos potenciais compradores de VEs, e o atual incentivo federal – um crédito fiscal – é, de fato, o menos valorizado pelos compradores. O estudo também descobriu que, enquanto incentivos atrasados, como créditos fiscais federais, favorecem compradores mais ricos, incentivos imediatos, como descontos diretos, eram fortemente preferidos por compradores de carros usados e compradores com renda mais baixa. Atualmente, os consumidores podem receber até US$ 7.500 em créditos fiscais do governo federal para a compra de um veículo elétrico, embora exija que os compradores paguem o preço total do veículo e esperem para receber o crédito ao declarar seus impostos. Os pesquisadores descobriram que mudar a forma como o incentivo é dado a um comprador em potencial altera o quanto eles o valorizam. Para acessar o estudo na íntegra, clique aqui. (Green Car Congress – 09.07.2022)

<topo>

3 Nikkei Asia: Estudo avalia pedidos de patentes das baterias de estado sólido

As baterias de estado sólido eliminam os eletrólitos líquidos usados nas baterias convencionais de íons de lítio. Espera-se que as baterias de estado sólido dobrem a distância percorrida e levem um terço do tempo para recarregar. Um grande obstáculo enfrentado pelas baterias de estado sólido é o custo. Uma bateria de estado sólido é mais de quatro vezes mais cara do que uma bateria de íons de lítio típica, de acordo com estimativas. O “Nikkei Asia” fez uma parceria com a empresa de pesquisa Patent Result, de Tóquio, para analisar os pedidos de patentes de baterias de estado sólido submetidos à Organização Mundial de Propriedade Intelectual e outro grupo. O estudo analisou os pedidos entregues entre 2000 e o fim de março deste ano em dez países e territórios. A Toyota é a líder com 1.331 patentes conhecidas, enquanto a Panasonic Holdings é uma distante segunda colocada, com 445 patentes. A Idemitsu Kosan detém 272 patentes, o que significa que as empresas japonesas ocuparam os três primeiros lugares. A Samsung Electronics, em quarto lugar, foi a única empresa não japonesa a entrar no top cinco. No geral, as empresas japonesas ocuparam seis dos dez primeiros lugares do ranking. A Toyota pesquisa baterias de estado sólido desde a década de 1990. A empresa detém patentes em uma ampla gama de aplicações, incluindo estrutura de bateria, materiais e processos de fabricação. Em 2020, a Toyota foi a primeira a colocar em uso um veículo protótipo em execução alimentado por uma bateria de estado sólido. Nesse mesmo ano, a Toyota e a Panasonic estabeleceram uma joint venture para baterias EV, e ambas as empresas estão trabalhando em conjunto para pesquisar e desenvolver tecnologia de estado sólido. Para maiores detalhes sobre o estudo, acesse este link. (Valor Econômico – 07.07.2022)

<topo>

4 Lítio deve superar cobalto e níquel na produção de baterias para VEs

O lítio se mantém nas alturas, puxado por forte demanda e baixa oferta, enquanto o níquel e o cobalto começam a cair em desuso no crucial mercado chinês. Todos esses materiais são usados em cátodos. Esses componentes representam cerca de 40% do custo de uma célula de bateria, que por si só representa uma parte considerável das despesas de produção de veículos elétricos. O pilar atual na maior parte da indústria automobilística é a bateria de níquel-manganês-cobalto (NMC), que permite longas distâncias de condução e tem sido usada pela Tesla e outros. Mas as baterias de fosfato de ferro e lítio (LFP) ganharam terreno recentemente, com a produção crescendo rapidamente na China – um mercado que responde por metade das vendas globais de veículos elétricos. O fosfato de ferro é mais barato do que o níquel e o cobalto, um fator que atraiu as montadoras chinesas para as células LFP, à medida que os carros elétricos do mercado de massa de materiais de bateria NMC disparam. As baterias LFP custam cerca de 20% menos do que suas contrapartes NMC e também são consideradas mais seguras. Elas agora são usadas em quase 60% dos veículos elétricos na China, de acordo com um especialista em metais para baterias em uma trading. A Tesla está mudando para células LFP para seu modelo 3. A Goldman Sachs projeta que as baterias LFP representarão quase 40% do mercado até 2030, em comparação com menos de 30% agora. (Valor Econômico – 06.07.2022)

<topo>


Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe e Luiza Masseno
Pesquisadores: João Pedro Gomes, Leonardo Gonçalves e Vinicius José da Costa
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

As notícias divulgadas no IFE não refletem necessariamente os pontos da UFRJ. As informações que apresentam como fonte UFRJ são de responsabilidade da equipe de pesquisa sobre o Setor Elétrico do Instituto de Economia da UFRJ.

POLÍTICA DE PRIVACIDADE E SIGILO
Respeitamos sua privacidade. Caso você não deseje mais receber nossos e-mails,  Clique aqui e envie-nos uma mensagem solicitando o descadastrado do seu e-mail de nosso mailing.


Copyright UFRJ

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: