IFE.ME 113

Informativo Eletrônico – Mobilidade Elétrica nº 113 – publicado em 05 de julho de 2022.

IFE: Informativo Eletrônico de Mobilidade Elétrica – GESEL-UFRJ <!–

l

IFE: nº 113 – 05 de julho de 2022
http://gesel.ie.ufrj.br/
gesel@gesel.ie.ufrj.br

Editor: Prof. Nivalde J. de Castro

Índice

Políticas Públicas e Regulatórias
1
Brasil: Novo eletroposto em Belém, no Pará
2 Portugal: Redução das tarifas de acesso às redes de carregamento de VEs
3 Espanha: Proposta da UE para comercialização de veículos ICE será aceita
4 Espanha: Valladolid encomenda ônibus elétricos para frota municipal

Inovação e Tecnologia
1 Stellantis: Investimento em startup de mineração de lítio
2 Ford: Acordo visando o fornecimento de lítio
3 Tesla e Samsung: Produção de baterias cilíndricas de nova geração
4 BMW: Produção de e-drives de última geração
5 GKN Automotive: Lançamento de inversor de última geração
6 USABC e Zenlabs: Colaboração no desenvolvimento de tecnologia de bateria de baixo custo e carga rápida
7 GAC: Lançamento de baterias LFP de última geração
8 Britishvolt e Posco Chemical: Parceria visa desenvolvimento de baterias para VEs
9 Volkswagen e LEAD: Parceria para fabricação de baterias na Europa

10 VW, Siemens e Electrify America: Investimento visa o desenvolvimento de infraestrutura de recarga
11 ABB E-Mobility: Carregadores para VEs serão fabricados na Itália

12 FREYR Battery: Construção de gigafábrica na Noruega
13 Impact Clean Power: Construção de gigafábrica na Polônia

Indústria Automobilística
1 Brasil: Montadoras aumentam a oferta de modelos elétricos
2 Citroën: Expansão de concessionárias voltada a VEs no Brasil
3 Bravo Motor: Projeto para gigafábrica em Minas Gerais
4 Ford: Centro de Desenvolvimento Tecnológico na Bahia
5 Higer: Planos para o mercado brasileiro de ônibus elétricos
6 Autoblog e AlixPartners: Panorama global do mercado de VEs

7 Bank of America: Projeções para o mercado de VEs
8 Portugal: Panorama da venda de VEs aponta alta para modelos usados
9 Tesla: Panorama de vendas para o segundo trimestre
10 Volvo Cars: Nova fábrica de VEs na Eslováquia
11 Mercedes-Benz: Rede de produção de veículos será voltada para novo portfólio elétrico
12 Jaguar: Lançamento de SUVs elétricos em 2025
13 Lamborghini: Novas metas e estratégias para eletrificação
14 MAN: Produção de baterias para caminhões e ônibus elétricos
15 GM e EVgo: Plug and Charge na rede de carregamento da América do Norte

Meio Ambiente
1 ESG: Vibra inaugura eletroposto com estações de recarga ultrarrápida
2 ESG: Volvo inaugura eletroposto de recarga rápida
3 Volkswagen: Serviço de eletrificação para frotas comerciais na Europa
4 ESG: GreenYellow e Mobilize fecham parceria para fornecer carregadores elétricos

5 ESG: Turntide Technologies cria nova plataforma focada na cadeia de produção de VEs comerciais
6 ESG: Yamaha anuncia fundo de investimentos voltado para projetos de carbono neutro
7 ESG: Mobilize apresenta aplicativo com sistema de busca e reserva de pontos de recarga de VEs
8 ESG: Dachser expande frota de VEs comerciais na Europa

9 ESG: FlixBus lança serviço de ônibus elétrico interurbano em Portugal

Eventos e Estudos
1 PMU: Caminhos para viabilizar transporte coletivo elétrico no Brasil
2 O Estado de São Paulo/Celso Ming: “Falta política para os carros elétricos”
3 Alvarez e Marsal: Até 2028, VE vai custar o mesmo que modelos à combustão no Brasil
4 ICCT: Panorama da Transição Global para VEs

5 Faraday Institution: Estudo prevê a demanda por gigafábricas no Reino Unido até 2040


 

 

Políticas Públicas e Regulatórias

1 Brasil: Novo eletroposto em Belém, no Pará

O Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), e a Equatorial Pará entregaram um posto elétrico para carregamento de veículos de forma gratuita à população. Instalado no Porto Futuro, em Belém, o eletroposto é uma proposta sustentável para o transporte, que fomenta a qualidade de vida das pessoas por meio do uso das bicicletas disponibilizadas para o lazer e estimula o avanço tecnológico nacional por meio da mobilidade elétrica, seguindo a tendência mundial. O projeto também disponibiliza 10 bicicletas elétricas para uso gratuito da população. Durante a inauguração do espaço, foi doado à Sedeme um carro elétrico compacto, modelo Renault ZOE, tornando-se a primeira Secretaria do Estado a contar com um carro elétrico e uma estação de carregamento em sua sede para a realização de suas atividades. O veículo leva em torno de três horas para uma carga completa e permite o percurso de até 250 km. (Agência Pará – 30.06.2022)

<topo>

2 Portugal: Redução das tarifas de acesso às redes de carregamento de VEs

De acordo com a Diretiva n.º 11/2022 da ERSE, Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos de Portugal, as tarifas de acesso às redes (TAR) de energia elétrica para a Mobilidade Elétrica vão ser reduzidas. Assim a partir de 1 de julho e até ao final deste ano, há uma redução de 3 cêntimos por kWh, quer em Média Tensão (MT) quer em Baixa Tensão (BT), indica a MOBI.E. Esta medida de cariz excecional pretende compensar diretamente os utilizadores de veículos elétricos com uma descida direta no preço dos carregamentos. A medida resulta do acordo assinado entre Portugal e Espanha com vista à criação de um mecanismo de ajustamento dos custos de produção de eletricidade, com repercussão na formação do preço da eletricidade em referenciais de mercado grossista do Mercado Ibérico da Eletricidade (MIBEL). Para saber mais, clique aqui. (Fleet Magazine – 04.07.2022)

<topo>

3 Espanha: Proposta da UE para comercialização de veículos ICE será aceita

A terceira vice-presidente do Governo e ministra da Transição Ecológica e do Desafio Demográfico, Teresa Ribera, explicou esta terça-feira que Espanha vai apoiar a proposta de 2035 como data para acabar com o registro dos carros de combustão (ICE, na sigla em inglês) na União Europeia, depois de vários países, incluindo Portugal, Itália ou Alemanha, pediram para adiá-lo. Ribera lembrou que as marcas da indústria automobilística “já estão nessa transformação”, para a qual tem feito questão de ter as datas definitivas claras. (Energías Renovables – 28.06.2022)

<topo>

4 Espanha: Valladolid encomenda ônibus elétricos para frota municipal

O operador de transporte público AUVASA (Autobuses Urbanos de Valladolid), na Espanha, assinou um acordo-quadro com a Irizar e-mobility que prevê 30 autocarros Irizar, ou seja, ônibus eléctricos sem emissões e infra-estruturas de carregamento associadas. A entrega dessas unidades será em dois anos, com as primeiras onze unidades a serem entregues no final de 2022. Serão os primeiros ônibus articulados de 18 metros com emissão zero a serem incluídos nas linhas onde esse tipo de veículo está atualmente na estrada. O eléctrico tem 43 lugares, 3 zonas de cadeiras de rodas e 4 lugares PRM e capacidade para transportar até 105 passageiros. Além disso, possui 2 medidores de CO2 no interior e um sistema multimídia e de informação com telas de 29″ e portas de carregamento USB. O ônibus possui 4 portas para fácil acesso e tráfego fluido tanto dentro como fora. (Green Car Congress – 28.06.2022)

<topo>

 

 

Inovação e Tecnologia

1 Stellantis: Investimento em startup de mineração de lítio

A Stellantis quer garantir seu futuro eletrificado. A montadora vai investir € 50 milhões (R$ 277 milhões) para comprar 8% das ações da startup Vulcan Energy Resources, que atua no setor de mineração. Com isso, a Stellantis se tornará a segunda maior acionista da empresa. Também como parte do acordo, a fabricante ganha uma extensão para 10 anos de seu contrato de fornecimento de lítio, um mineral essencial na fabricação de baterias dos carros elétricos. É um passo importante para a Stellantis, que anunciou em março o plano de que 100% de suas vendas serão de elétricos na Europa até 2030. A empresa reúne 14 marcas importantes do setor automotivo, como Fiat, Peugeot, Chrysler, Jeep, Citroën entre outras. (Automotive Business – 27.06.2022)

<topo>

2 Ford: Acordo visando o fornecimento de lítio

A Ford assinou um acordo vinculativo de compra de lítio com a empresa australiana Liontown Resources. O contrato de cinco anos prevê o fornecimento de material concentrado de lítio-espodumênio oriundo do Kathleen Valley, na Austrália Ocidental, a partir de 2024. No total, a Ford pagará à Liontown Resources 300 milhões de dólares australianos (cerca de 197 milhões de euros). O acordo deve cobrir o fornecimento de lítio de 75.000 toneladas no primeiro ano, 125.000 toneladas no segundo ano e 150.000 toneladas nos anos seguintes. O Kathleen Valley é um novo projeto de desenvolvimento de lítio localizado a 680 km a nordeste de Perth, na principal região de mineração da Austrália Ocidental. A Liontown Resources aponta que o projeto Kathleen Valley possui 60% do seu fornecimento de energia a partir de fontes renováveis. O acordo com a Ford representa o mais novo contrato envolvendo o fornecimento de lítio da Liontown com fabricantes de veículos. (Electrive – 29.06.2022)

<topo>

3 Tesla e Samsung: Produção de baterias cilíndricas de nova geração

A Samsung está acelerando a produção das células de bateria 4680 para a Tesla. De acordo com veículos da imprensa coreana, aponta-se a preparação de uma linha de produção piloto na fábrica que fica em Cheonan. De acordo com a matéria, a capacidade de produção nessa fase seria ligeiramente inferior a 1 GWh. A Elec sugere que as células mais curtas possam ser destinadas para a BMW, uma das principais clientes de baterias da Samsung SDI, que supostamente usará a célula cilíndrica de íons de lítio em seus VEs de próxima geração (em vez das células prismáticas). Após a fase piloto, o próximo passo será um aumento para 8-12 GWh anualmente, porém não necessariamente na Coreia do Sul. O artigo diz que uma linha de produção em massa provavelmente será construída em Serban, Malásia, onde a fábrica da Samsung SDI está produzindo baterias cilíndricas desde 2012 (incluindo o modelo 2170 a partir de 2021). (Inside EVs – 02.07.2022)

<topo>

4 BMW: Produção de e-drives de última geração

A partir de 2025, a próxima geração de e-drives da BMW será fabricada em sua fábrica de motores em Steyr, Áustria – com produção e desenvolvimento no local – com capacidade de produção anual de mais de 600.000 unidades. O BMW Group investirá cerca de € 1 bilhão no desenvolvimento de competências nesta área até 2030. O aumento significativo na capacidade, anunciado pela empresa em um evento em junho, garantirá que a fábrica de Steyr, na Alta Áustria, continue sendo a principal localização de trem de força do BMW Group. No futuro, a Steyr produzirá todos os componentes principais para o trem de acionamento eletrônico inovador e altamente integrado: o rotor e o estator, a transmissão, o inversor e a carcaça. Esses componentes serão então instalados em duas novas linhas de montagem. Um terço dos 700 desenvolvedores em Steyr já trabalham em e-mobilidade. Em 2030, esse número aumentará para cerca de 90%. (Green Car Congress – 03.07.2022)

<topo>

5 GKN Automotive: Lançamento de inversor de última geração

A GKN Automotive lançou seu inversor de última geração, compatível com a avançada tecnologia de veículos elétricos de 800V. O produto atualizado apresenta uma série de melhorias de eficiência e leveza para oferecer desempenho líder de mercado e sustentabilidade aprimorada. O inversor de última geração, um dos três elementos modulares da plataforma eDrive da GKN Automotive, oferece um aumento de potência de 20% em relação à versão anterior. Além disso, a densidade de potência aumenta em 50%, a relação potência/peso aumenta em 60% e o teor de cobre é reduzido em 63%. Um desenvolvimento chave é a integração da tecnologia de 800V, o que significará tempos de carregamento mais rápidos, maior tamanho da bateria e melhor desempenho para futuros veículos elétricos. A GKN Automotive prevê que até 2025, a maioria dos veículos elétricos no mercado utilizará a tecnologia. (Green Car Congress – 02.07.2022)

<topo>

6 USABC e Zenlabs: Colaboração no desenvolvimento de tecnologia de bateria de baixo custo e carga rápida

O Consórcio de Baterias Avançadas dos Estados Unidos (USABC, na sigla em inglês) concedeu um contrato de desenvolvimento de tecnologia de US$ 3,5 milhões à Zenlabs Energy Inc. em Fremont, Califórnia, para desenvolvimento de tecnologia de baixo custo/carga rápida (LCFC). A Zenlabs desenvolveu formulações proprietárias baseadas em silício que oferecem maior capacidade específica, maior vida útil e menor custo. Os ânodos da Zenlabs apresentam um alto nível de carga e alto teor de silício ativo. Além disso, a Zenlabs resolveu os problemas comuns com ânodos à base de silício, como ciclagem ruim e inchaço. A adjudicação do contrato, que inclui uma quota de custos de 50%, financia um projeto de 24 meses que começou no início deste ano. O programa se concentrará no desenvolvimento de eletrólitos e materiais ativos para formar uma camada de passivação estável na superfície do ânodo e do cátodo e abordar os desafios restantes associados a células de ânodo dominantes em silício de alta energia, alta potência e baixo custo para aplicações em VEs. (Green Car Congress – 30.06.2022)

<topo>

7 GAC: Lançamento de baterias LFP de última geração

A montadora chinesa GAC revelou que começou a produzir uma bateria de lítio-ferro-fosfato (LFP) de última geração projetada para melhorar a densidade de energia, bem como indicadores de baixa temperatura, carregamento rápido e durabilidade. A expectativa é que ele comece a ser usado já no próximo ano. A nova tecnologia, chamada SmLFP, adiciona um material de cátodo ativo microcristalino de maior capacidade à bateria LFP convencional. De acordo com o GAC, isso aumenta a densidade de energia da célula em 13,5%, a densidade de energia volumétrica em 20% e a capacidade a baixas temperaturas em cerca de 10%. Assim, taxas de carregamento rápido maiores são possíveis. A vida útil é estimada em mais de 1,5 milhão de quilômetros. A nova tecnologia de bateria será usada inicialmente no modelo mais recente da GAC Aion, a ramificação de carros elétricos do grupo chinês GAC. O carro elétrico deve ser lançado já no próximo ano, de acordo com a empresa. (Electrive – 02.07.2022)

<topo>

8 Britishvolt e Posco Chemical: Parceria visa desenvolvimento de baterias para VEs

A Britishvolt e a empresa sul-coreana Posco Chemical concordaram em colaborar no desenvolvimento e fornecimento de materiais anódicos e catódicos para baterias de VEs. Com esta colaboração, as duas empresas concordaram em trabalhar juntas no desenvolvimento de materiais de bateria para serem usados em sistemas de bateria da Britishvolt. Além da produção local de materiais para baterias na Europa, as duas empresas também pretendem estabelecer uma cadeia de suprimentos global sustentável para garantir matérias-primas. A fábrica da Britishvolt em Blyth, no condado de Northumberland, no norte da Inglaterra, terá uma capacidade anual de cerca de 38 GWh em vez de 30 GWh. Também há planos para sua segunda fábrica no Canadá com capacidade superior a 45 GWh. (Electrive – 02.07.2022)

<topo>

9 Volkswagen e LEAD: Parceria para fabricação de baterias na Europa

A Wuxi Lead Intelligent Equipment Co., Ltd. (LEAD) anunciou que foi contratada pela Volkswagen para fornecer equipamentos de fabricação de baterias para a Salzgitter, representando mais de 65% da quantidade total de equipamentos para aquela gigafactory de 20 GWh. A Volkswagen anunciou que investirá 30 bilhões de euros para construir 6 fábricas de baterias na Europa. Para a primeira fábrica de 20 GWh em Salzgitter, a LEAD fornecerá à Volkswagen equipamentos de bateria de lítio, incluindo calandragem, cozimento de rolos, linha de montagem de células, enchimento de eletrólitos, cozimento de células, formação e envelhecimento e toda a logística da linha. A LEAD diz que se tornará o principal fornecedor da rede de gigafábricas de 240 GWh da Volkswagen na Europa até 2030. (Green Car Congress – 29.06.2022)

<topo>

10 VW, Siemens e Electrify America: Investimento visa o desenvolvimento de infraestrutura de recarga

O Grupo Volkswagen e a Siemens estão investindo US$ 450 milhões na Electrify America, com uma avaliação pós-dinheiro de US$ 2,45 bilhões. A Siemens é o primeiro investidor externo na Electrify America. O compromisso está alinhado com os esforços contínuos da Siemens para promover a infraestrutura aberta e acessível de carregamento de VEs dos EUA e seus objetivos mais amplos de descarbonização. O investimento também estabelece as bases para uma futura colaboração entre a Siemens Smart Infrastructure e a Electrify America nas tecnologias e serviços que darão continuidade ao desenvolvimento de soluções de carregamento confiáveis e de alta qualidade. Com a estratégia NEW AUTO, o Grupo Volkswagen fez do carregamento e da energia o seu core business. Até 2025, cerca de 45.000 pontos de High Power Charging (HPC) estão planejados na Europa, China e EUA, juntamente com parceiros. (Green Car Congress – 29.06.2022)

<topo>

11 ABB E-Mobility: Carregadores para VEs serão fabricados na Itália

A ABB E-Mobility iniciou a produção de carregadores para automóveis elétricos em sua fábrica em Valdarno, na Itália. E, segundo a empresa, em comunicado, toda a gama de produtos para carregamento de veículos elétricos será produzida no local. Na planta fabril foram investidos US$ 30 milhões nos últimos dois anos para dobrar sua capacidade de produção, com a abertura dos novos 16.000 m2 na únidade, permitindo a fabricação de mais de 10.000 carregadores DC adicionais por ano. A empresa informou também que já vendeu mais de 680.000 carregadores EV em mais de 85 mercados. (BroadCast Energia – 28.06.2022)

<topo>

12 FREYR Battery: Construção de gigafábrica na Noruega

O Conselho de Administração da FREYR sancionou a construção da Giga Arctic (Gigafactories 1 e 2 combinadas), a primeira instalação de fabricação de baterias da empresa, na Noruega. A FREYR está aumentando a capacidade nominal do Giga Arctic para 29 GWh. O projeto de construção sancionado do Giga Arctic inclui oito linhas de produção, um centro de testes de bateria, instalações administrativas e infraestrutura com um custo total estimado de US$ 1,7 bilhão. A FREYR projetou e posicionou a Giga Arctic para ser a planta de baterias mais eficiente em termos de capital na Europa, com gastos de capital estimados 50% menores por GWh de capacidade instalada em comparação com as plantas atualmente em operação ou em construção. A empresa também espera que a Giga Arctic seja a fábrica de baterias operacionalmente mais eficiente da Europa, gerando uma produção 200% maior por funcionário da fábrica em comparação com as médias estimadas em instalações convencionais de baterias de íon-lítio. O governo norueguês delineou sua Estratégia Nacional de Baterias, que inclui apoio significativo da Export Finance Norway (“Eksfin”) para auxiliar a FREYR com o financiamento do projeto Giga Arctic. (Green Car Congress – 30.06.2022)

<topo>

13 Impact Clean Power: Construção de gigafábrica na Polônia

A Impact Clean Power Technology SA (ICPT), com sede na Polônia, fabricante de sistemas de bateria para transporte, robótica e armazenamento estacionário de energia na Europa, iniciou a construção do GigafactoryX. O investimento aumentará a capacidade de produção da empresa para até 5 GWh por ano, acima dos atuais 1 MWh por dia. Os sistemas de bateria serão baseados em células de íons de lítio usando produtos químicos LTO, LFP e NMC. As novas linhas de produção serão altamente automatizadas. O processo de produção será alimentado por instalação fotovoltaica estabilizada por armazenamento de energia construído a partir de sistemas de baterias recicladas anteriormente utilizadas no transporte público. Em última análise, metade das matérias-primas utilizadas na produção também virá da reciclagem. O início da produção está previsto para 2024. (Green Car Congress – 29.06.2022)

<topo>

 

 

Indústria Automobilística

1 Brasil: Montadoras aumentam a oferta de modelos elétricos

Enquanto o mercado de veículos em geral enfrenta queda nas vendas, o segmento de carros elétricos e híbridos vem ganhando velocidade. De janeiro a maio, as vendas desses modelos cresceram 57,7% no Brasil. No mesmo período, o mercado total de automóveis e comerciais leves caiu 18%, no comparativo com igual intervalo do ano passado. Esse nicho passou a representar 2,3% das vendas totais do setor, ante 0,4% há três anos. De forma lenta, mas constante, os modelos eletrificados (isto é, elétricos e híbridos) vêm conquistando consumidores que querem um carro menos poluente ou que estão curiosos para testar a nova tecnologia. Embora em números absolutos as vendas ainda sejam pequenas, de 16,4 mil veículos em cinco meses, o Brasil tem hoje 70 modelos disponíveis entre os 100% elétricos (conhecidos pela sigla BEV); os híbridos (HEV, que têm motor a combustão e elétrico, com bateria auto recarregável); e os híbridos plug-in (PHEV, que também recarrega na tomada). Esse número deve ficar próximo de 100 até o fim do ano com a chegada de novos produtos já anunciados. (Terra – 27.06.2022)

<topo>

2 Citroën: Expansão de concessionárias voltada a VEs no Brasil

A Citroën anunciou a expansão de sua rede de concessionárias voltada para veículos elétricos. A empresa, que hoje possui pontos de atendimento em São Paulo e Rio de Janeiro, terá mais sete revendas em cinco novas cidades: Porto Alegre (RS), Curitiba (PR), Recife (PE), Campinas (SP) e Brasília (DF). “Esta etapa reforça a seriedade e respeito com que a Citroën trata seus clientes, incluindo aqueles que buscam uma mobilidade sem emissões, sem estresse e sem concessões com o novo Ë-Jumpy”, afirmou André Montalvão, diretor comercial para a Citroën no Brasil. Segundo a fabricante, a meta é ampliar a abrangência do atendimento aos donos de Ë-Jumpy. A versão elétrica da Jumpy chega com três anos ou 100 mil quilômetros de garantia, além de uma garantia exclusiva de oito anos ou 160 mil quilômetros para o conjunto de baterias tracionárias. Além disso, o plano de revisões é até 60% mais barato do que em um modelo térmico equivalente. As lojas são chamadas de e-centers e receberam treinamentos e novos equipamentos para capacitar o atendimento, venda e manutenção de veículos eletrificados. (Automotive Business – 29.06.2022)

<topo>

3 Bravo Motor: Projeto para gigafábrica em Minas Gerais

O projeto para a fábrica de carros elétricos e baterias da Bravo Motor Company (BMC) no Brasil começa a tomar forma. A empresa argentina sediada na Califórnia (EUA) anunciou uma parceria com a gigante industrial Rockwell Automation para a construção do complexo de mobilidade elétrica que ficará em Minas Gerais. Conforme antecipado, trata-se de um projeto que dará origem à primeira ‘gigafábrica’ de veículos elétricos da América Latina. Com um investimento de US$ 4 bilhões, o complexo localizado em Nova Lima, na região metropolitana de Belo Horizonte (MG), irá produzir carros, baterias e demais componentes para a mobilidade elétrica. Segundo relatado, a fábrica mineira tem planos para produzir 22.790 VEs por ano a partir de 2024, com ampliação da capacidade até 2029, quando o projeto estará concluído, o que permitirá criar 14.000 empregos diretos e indiretos. Além disso, no mesmo complexo serão produzidos 43.750 kits de baterias de lítio por ano. Após a assinatura da carta de intenções em 2021, este novo anúncio oficial da Rockwell dá peso ao projeto que pode finalmente colocar o Brasil no mapa da mobilidade elétrica em termos globais. (CanalTech – 01.07.2022)

<topo>

4 Ford: Centro de Desenvolvimento Tecnológico na Bahia

A Ford promoveu um evento online na última sexta-feira (1/07) para divulgar as novidades e os investimentos no Centro de Desenvolvimento e Tecnologia da empresa no Brasil, em Camaçari (BA). Daniel Justo, presidente da Ford para a América do Sul, André Oliveira, Diretor de Engenharia da montadora na região, e outros executivos de peso abordaram o presente e o futuro da tecnologia envolvendo os carros da marca. Os executivos da Ford deixaram claro que o departamento de pesquisa e desenvolvimento (P&D) é um dos braços que a empresa mais confia para se tornar cada vez mais forte no segmento de VEs, conectados e autônomos. Recentemente, o centro conta com uma nova estrutura desse centro, ampliando recentemente com a contratação de 500 profissionais. Segundo a Ford, o Centro de Desenvolvimento já tem mais de 70 patentes globais desenvolvidas. Segundo o executivo, serão 600 mil elétricos fabricados até 2023, e 2 milhões até 2026. Justo lembrou ainda que do total que será investido, US$ 12 bilhões serão destinados a dois megapolos tecnológicos nos Estados Unidos, locais em que serão produzidas e recicladas as baterias elétricas e, também, onde será fabricada a futura picape elétrica do line-up da montadora. (CanalTech – 01.07.2022)

<topo>

5 Higer: Planos para o mercado brasileiro de ônibus elétricos

A Higer, fabricante de veículos que já conta com 50 mil ônibus elétricos rodando pelo mundo, montou um plano de negócios para ganhar as ruas do Brasil e fazer do país a porta de entrada para os vizinhos das Américas do Sul e Central. Pelo plano montado pela empresa, os operadores do sistema de transporte, sejam privados ou públicos, não vão precisar comprar os veículos e nem se preocupar com a infraestrutura de carregamento. Tudo será alugado. O ônibus elétrico é 2,5 vezes mais caro quando comparado ao movido a diesel. Para disputar o fornecimento de ônibus elétricos em São Paulo, o maior mercado e para a chinesa a estreia perfeita no país, ela fechou acordo com a companhia italiana de energia elétrica Enel. A elétrica tem a concessão de distribuição na capital paulista e mais 23 municípios na região metropolitana. É a Enel que vai disputar a licitação ou concorrência para fornecimento dos veículos. Caso vença, a Enel compra os veículos da Higer, monta a estrutura de carregamento e aluga todo o pacote para os operadores. A Higer fica responsável pela manutenção dos ônibus e treinamento dos motoristas. O executivo conta que o plano é ganhar espaço em São Paulo porque é um dos sistemas de transporte urbano mais complexo no mundo. (Valor Econômico – 04.07.2022)

<topo>

6 Autoblog e AlixPartners: Panorama global do mercado de VEs

De acordo com um artigo recente publicado pelo Autoblog, o preço médio de um VE novo nos Estados Unidos subiu para US$ 54.000 (R$ 282.000) em maio de 2022, e os compradores pagaram 22% a mais por um carro elétrico novo em comparação a um ano atrás. Enquanto isso, os preços dos carros movidos a gasolina subiram 14%, a uma média de US$ 44.400 (R$ 232.000). As informações de preços vêm de um levantamento recente da AlixPartners. O artigo compartilhou ainda que a Tesla aumentou os preços de seus veículos em várias ocasiões este ano, e agora, alguns dos carros da Tesla custam quase 10% mais do que no início de 2022. As montadoras de startups de energia elétrica Rivian e Lucid também aumentaram os preços, e essa parece ser a realidade em grande parte do setor, mesmo entre montadoras tradicionais, como Ford e General Motors. As montadoras estão citando um aumento nos custos materiais como uma das principais razões para o aumento dos preços. A matéria também aponta que os custos de pesquisa e desenvolvimento de novos veículos elétricos contribuem significativamente para o aumento dos preços. A AlixPartners estima que as montadoras como um todo investirão US$ 526 bilhões até 2026 devido à transição para os carros elétricos. Para saber mais, clique aqui. (Inside EVs – 03.07.2022)

<topo>

7 Bank of America: Projeções para o mercado de VEs

A participação de mercado de veículos elétricos da Tesla pode cair dos atuais 70% para apenas 11% até 2025, em face do aumento da concorrência da GM e da Ford, de acordo com a última edição do estudo anual “Car Wars” do Bank of America Merrill Lynch. De acordo com o autor da pesquisa, John Murphy, analista sênior de automóveis do Bank of America Merrill Lynch, os dois gigantes de Detroit ultrapassarão a Tesla em meados da década, quando cada um terá cerca de 15% de participação no mercado de VEs. Isso representa um aumento de cerca de 10% de participação de mercado na comparação com a posição atual dessas duas montadoras. Murphy acredita que a Tesla perderá sua posição dominante no mercado de VEs porque não está expandindo sua linha de modelos de forma rápida o suficiente para acompanhar tanto as montadoras tradicionais quanto as novas startups que estão aumentando seus portfólios de VEs. Outras previsões do estudo “Car Wars” deste ano incluem o fato de que cerca de 60% dos novos modelos lançados até o ano modelo 2026 serão elétricos ou híbridos e que as vendas de VEs aumentarão para pelo menos 10% do mercado dos EUA nesse período. Para saber mais, clique aqui. (Inside EVs – 01.07.2022)

<topo>

8 Portugal: Panorama da venda de VEs aponta alta para modelos usados

Em maio de 2022, as vendas na Europa de veículos usados 100% elétricos aumentaram 33% em termos homólogos, enquanto as vendas de híbridos aumentaram apenas 13% no mesmo período. Também no passado mês de maio, as vendas de automóveis usados a gasóleo e a gasolina caíram 13% e 10%, respectivamente. Em Portugal, as vendas de BEV usados online B2C são as únicas a crescer. As vendas online de usados B2C em maio de 2022 foram 15,8% superiores às de abril, mas 24,3% inferiores às de maio de 2021. Nos primeiros cinco meses do ano, o total acumulado é 17,9% inferior ao registado nos primeiros cinco meses de 2021, mas 1,8% superiores às do mesmo período em 2019. Ao nível das motorizações, os BEVs superaram todas as outras motorizações em termos homólogos, com as vendas a aumentarem 56%, enquanto as de automóveis híbridos caíram 7%. No global, a nível europeu, em maio de 2022, as vendas online de automóveis usados B2C contraíram 9,6% face ao mesmo período de 2021. Para saber mais, clique aqui. (Automotive Business – 29.06.2022)

<topo>

9 Tesla: Panorama de vendas para o segundo trimestre

No segundo trimestre de 2022, a Tesla produziu mais de 258.000 veículos elétricos e entregou mais de 254.000, apesar dos desafios contínuos da cadeia de suprimentos e fechamentos de fábricas fora do controle da empresa. Junho de 2022 foi o mês de maior produção de veículos na história da Tesla; as entregas caíram 18% em relação ao primeiro trimestre. A Tesla divulgará seus resultados financeiros para o segundo trimestre de 2022 após o fechamento do mercado em 20 de julho de 2022. Nesse momento, a Tesla emitirá um breve comunicado contendo um link para a atualização do segundo trimestre de 2022. As entregas de veículos da Tesla representam apenas uma medida do desempenho financeiro da empresa e não devem ser consideradas como um indicador de resultados financeiros trimestrais, que dependem de vários fatores, incluindo o custo de vendas, movimentos de câmbio e mix de veículos alugados diretamente. (Green Car Congress – 03.07.2022)

<topo>

10 Volvo Cars: Nova fábrica de VEs na Eslováquia

A Volvo Cars construirá uma terceira fábrica na Europa, posicionando bem a empresa para atender à demanda contínua de seus clientes por carros elétricos e capturar o potencial de crescimento futuro. A nova fábrica será neutra em termos de clima e construirá apenas carros elétricos, sustentando a ambição da empresa de se tornar totalmente elétrica até 2030 e neutra em termos de clima até 2040, e continuar expandindo sua capacidade de produção global para corresponder às suas ambições de crescimento. Ao escolher a Eslováquia como local de sua nova fábrica, a Volvo Cars está criando um triângulo europeu de fabricação cobrindo sua maior região de vendas – complementando a fábrica de Ghent (Bélgica) na Europa Ocidental e a fábrica de Torslanda (Suécia) no norte da Europa. A nova facilidade representa um investimento de cerca de € 1,2 bilhão; A Volvo espera que cerca de 20% sejam financiados por apoio governamental. A fábrica ficará localizada perto de Kosice, na parte leste da Eslováquia, onde se beneficiará de uma cadeia de suprimentos automotiva bem estabelecida, tornando-se a quinta fábrica de automóveis do país. A construção da fábrica de Kosice está prevista para começar em 2023, com equipamentos e linhas de produção instaladas durante 2024. A produção em série de carros Volvo puramente elétricos de próxima geração está programada para começar em 2026. (Green Car Congress – 02.07.2022)

<topo>

11 Mercedes-Benz: Rede de produção de veículos será voltada para novo portfólio elétrico

A Mercedes-Benz está alinhando sua rede de produção global para fabricar seu portfólio de produtos reformulado, focado em veículos elétricos de luxo, enquanto a marca se prepara para se tornar totalmente elétrica até o final da década. O portfólio de produtos futuros se concentrará em três categorias: luxo de ponta, luxo básico e luxo de entrada, conforme descrito no evento Economics of Desire da empresa. Como parte da implementação do Plano de Negócios Mercedes-Benz 2022-2026, a empresa está investindo mais de € 2 bilhões em seus locais de produção na Europa. O portfólio de produção já inclui seis modelos Mercedes-EQ totalmente elétricos. Eles saem da linha de produção em seis locais em três continentes e foram integrados de forma consistente na produção em série em andamento. Devido aos investimentos iniciais em produção flexível e ao uso do sistema de produção digital MO360 de última geração, a Mercedes-Benz já é capaz de produzir VEs a bateria em grandes volumes. A Mercedes, também está planejado cobrir mais de 70% da demanda de energia na produção de fontes de energia renovável até 2030 – 15% devem ser gerados por energia renovável nas próprias instalações da empresa. Isso deve ser alcançado através da expansão da energia solar e eólica em seus próprios locais e da celebração de outros acordos de compra de energia correspondentes. A Mercedes-Benz também está perseguindo a meta de reduzir o consumo de água em 35% até 2030. Na próxima etapa, a Mercedes-Benz também quer tornar a logística neutra em CO2. O transporte ferroviário de veículos e componentes como baterias desempenham aqui um papel importante. (Green Car Congress – 30.06.2022)

<topo>

12 Jaguar: Lançamento de SUVs elétricos em 2025

A Jaguar está planejando fabricar três modelos de SUVs elétricos no caminho de se transformar em uma marca totalmente elétrica até 2025. Os novos modelos utilizarão a própria plataforma de produção de VEs da empresa, a chamada Jaguar Panthera, e são projetados para quebrar a barreira de £ 100.000 no preço final. Acredita-se que o modelo básico seja semelhante em tamanho ao Porsche Taycan Sport Turismo. A expectativa é que o primeiro modelo seja apresentado em um grande salão de automóveis no final de 2024. A Jaguar fabricará os três SUVs elétricos em Solihull, Reino Unido, e tem como meta a produção de 50.000 a 60.000 unidades por ano. A Jaguar anunciou seu caminho para a era elétrica no ano passado como parte da estratégia “Reimagine”. (Electrive – 03.07.2022)

<topo>

13 Lamborghini: Novas metas e estratégias para eletrificação

A marca italiana de carros Lamborghini planeja investir pelo menos 1,8 bilhão de euros para produzir uma linha híbrida até 2024 e um valor adicional para lançar um modelo totalmente elétrico até o final da década, segundo o presidente-executivo da companhia, Stephan Winkelman. A Lamborghini, parte do Grupo Volkswagen, disse no ano passado que iria investir 1,5 bilhão de euros para transformar modelos atuais – os esportivos Huracan e Aventador e o utilitário esportivo Urus – em veículos de motores híbridos até o final de 2024. “Orçamos 1,8 bilhão, mas na realidade será muito mais – o maior investimento na história da Lamborghini Automobili”, disse Winkelmann, acrescentando que o número não inclui o desenvolvimento do modelo totalmente elétrico. (Forbes Brasil – 01.07.2022)

<topo>

14 MAN: Produção de baterias para caminhões e ônibus elétricos

A partir de 2025, a MAN Truck & Bus fabricará baterias de alta tensão para caminhões e ônibus elétricos em produção em larga escala em suas instalações de Nuremberg, na Alemanha. Para isso, a empresa investirá cerca de 100 milhões de euros nos próximos cinco anos em seu local de produção de motores de combustão. As capacidades de produção serão expandidas para mais de 100.000 baterias por ano. Os investimentos no desenvolvimento da produção de baterias garantirão 350 empregos; a decisão de investimento foi tomada em estreita cooperação entre a empresa e os representantes dos funcionários e com o apoio ativo dos políticos da Baviera. Inicialmente, as baterias serão fabricadas manualmente na fábrica da MAN em Nuremberg em uma pequena produção em série por cerca de dois anos e meio. A construção da produção em larga escala está programada para começar em meados de 2023 e ser concluída até o final de 2024. A MAN está, assim, lançando as bases para a industrialização em larga escala de sistemas de acionamento elétrico para caminhões e ônibus. (Green Car Congress – 01.07.2022)

<topo>

15 GM e EVgo: Plug and Charge na rede de carregamento da América do Norte

A GM está expandindo sua colaboração existente com a EVgo para adicionar um novo serviço Plug and Charge ao ecossistema Ultium Charge 360. A GM é o primeiro OEM a introduzir um recurso Plug and Charge nos VEs existentes e futuros da empresa, projetado para funcionar em várias redes públicas na América do Norte. Plug and Charge simplifica o processo de carregamento de VEs para os clientes. Os motoristas com uma conta EVgo, serviços conectados OnStar ativos e o aplicativo da marca GM para seu veículo (myChevrolet, myCadillac, myGMC) devem realizar uma ativação única do Plug and Charge dentro do aplicativo. Uma vez ativados, eles podem simplesmente conectar o cabo de carregamento e a energia começará a fluir para o veículo – sem necessidade de etapas adicionais. Com o lançamento, o Plug and Charge já está disponível em quase todas as estações de carregamento rápido EVgo DC. Com o tempo, a GM planeja ampliar o serviço para incluir todas as estações de carregamento rápido DC compatíveis em toda a rede Ultium Charge 360. Por meio do Ultium Charge 360, os motoristas da GM EV têm acesso a mais de 100.000 pontos de carregamento nos EUA e Canadá. (Green Car Congress – 27.06.2022)

<topo>

 

 

Meio Ambiente

1 ESG: Vibra inaugura eletroposto com estações de recarga ultrarrápida

A escassez e a lentidão dos carregadores para carros elétricos durante viagens longas ainda são grandes empecilhos para os motoristas no Brasil, mesmo na BR-116, a Via Dutra, a rodovia mais importante do país, que liga Rio de Janeiro a São Paulo. De olho nessa “carência”, a Vibra (ex-BR Distribuidora) inaugurou o seu 1º eletroposto ultrarrápido na estrada. O equipamento carrega até 80% da bateria em apenas 20 minutos. O eletroposto é da rede de postos Petrobras e fica dentro do Auto Posto Arco-Íris, no km 82 da Dutra. O carregador ultrarrápido oferece três pontos de recarga, com plugues dos padrões CCS-2, CHAdeMO e conector Tipo 2. A potência máxima de saída é de 150 kW em corrente contínua e de 43 kW, em corrente alternada. O eletroposto é o primeiro de uma rede com 70 pontos que serão instalados pela Vibra até o fim de 2023 em 50 rodovias. Com mais de 9 mil km de extensão, o corredor elétrico vai ligar mais de sete estados brasileiros, conectando toda a região Sul e Sudeste do país e cidades como Brasília. (Automotive Business – 30.06.2022)

<topo>

2 ESG: Volvo inaugura eletroposto de recarga rápida

Em dezembro, a Volvo anunciou a criação de uma rede de estações de recarga para carros elétricos que teria 13 unidades e seria instalada ao longo de dois anos. Em maio, a montadora inaugurou o primeiro desses eletropostos, na rodovia Regis Bittencourt, em Cajati (SP). Agora, começa a operação do segundo ponto, localizado no litoral norte de São Paulo, na Rod. Dr. Manoel Hipólito do Rêgo, município de São Sebastião. O carregamento é gratuito tanto para clientes Volvo como para proprietários de veículos elétricos de outras marcas e modelos. O eletroposto tem monitoramento 24 horas e 7 dias por semana através de câmeras e dados do carregador. Todos os pontos da Volvo estão visíveis no Waze com o nome de Eletroposto Carga Rápida Volvo. Os carregadores rápidos de 150 kWh são capazes de abastecer um veículo como o XC40 Recharge Pure Electric em menos de 40 minutos. Além deles, que são utilizados somente para os carros elétricos, os eletropostos de Cajati e São Sebastião também recebem o Volvo Wallbox, para carregamento de carros híbridos. (Automotive Business – 29.06.2022)

<topo>

3 Volkswagen: Serviço de eletrificação para frotas comerciais na Europa

A Volkswagen Financial Services, responsável pelas operações financeiras do Grupo Volkswagen em todo o mundo, lançou o seu novo serviço de eletrificação de frotas, “Electrification-as-a-Service” (EaaS), na Europa com o objetivo de apoiar a descarbonização de grandes frotas. Os clientes se beneficiam de uma variedade de serviços de consultoria e mecanismos que facilitam o acesso a VEs comerciais. Com isso, a Volkswagen pretende oferecer um sistema modular de serviços coordenados, desde a análise de frota e seleção de veículos até ofertas de financiamento, leasing operacional e infraestrutura de carregamento. “Para muitos de nossos clientes de frota, converter sua frota em veículos elétricos é uma tarefa complexa”, disse Sven Kunath, vice-presidente sênior de frota da Volkswagen Financial Services. “Com o EaaS, não apenas apoiamos os gerentes de frotas para atingir suas metas de sustentabilidade, mas também apoiamos as marcas do Grupo Volkswagen no crescimento do mercado de mobilidade elétrica”. (Electrive – 03.07.2022)

<topo>

4 ESG: GreenYellow e Mobilize fecham parceria para fornecer carregadores elétricos

A GreenYellow, empresa especializada em comercialização de energia e soluções energéticas, fechou acordo com a Mobilize, marca de soluções de mobilidade e energia limpa do Renault Group. O acordo prevê o fornecimento de carregadores elétricos no modelo de locação para frotas de carros elétricos atendidos pela plataforma de mobilidade do conglomerado francês. Com isso, a GreenYellow será um dos parceiros selecionados para o fornecimento de eletropostos ou carregadores elétricos com o “objetivo de eletrificar as frotas das empresas que contratam o serviço de locação de veículo da Mobilize”. O negócio segue o modelo de “as a service”, que consiste na locação do ativo e na oferta dos serviços de operação e manutenção. De acordo com esse conceito de contrato, a GreenYellow faz o investimento inicial para realizar as adequações necessárias de infraestrutura de energia. Com isso, a empresa diz que viabiliza a aceleração da implantação dos eletropostos e a consequente utilização deles por parte dos clientes da Mobilize. (Automotive Business – 27.06.2022)

<topo>

5 ESG: Turntide Technologies cria nova plataforma focada na cadeia de produção de VEs comerciais

A Turntide Technologies está lançando o Turntide Electrification, um conjunto de componentes de bateria e trem de força de classe mundial feitos para descarbonizar segmentos de transporte comercial e industrial, incluindo veículos fora de estrada, veículos autônomos guiados, construção, caminhões e ônibus, marítimo e ferroviário de passageiros. Embora a eletrificação de carros e caminhões de consumo tenha recebido muita atenção na última década, os veículos comerciais e industriais são responsáveis por 55% das emissões globais de carbono no setor de transporte, apresentando uma oportunidade de impactar significativamente as emissões de CO2. A Turntide Electrification é uma plataforma flexível e totalmente escalável composta por componentes de trem de força de alta eficiência, configuráveis para fornecer soluções para uma variedade de indústrias. A visão da Turntide é dimensionar as soluções de powertrain EV com impacto mínimo no meio ambiente. A Turntide fabrica sua plataforma patenteada de motor de relutância comutada (SRM) sem nenhum dos metais de terras raras nos motores de ímã permanente que dominam os VEs hoje. A China controla mais de 90% das reservas mundiais desses minerais críticos e produzi-los gera custos ambientais devastadores. (Green Car Congress – 29.06.2022)

<topo>

6 ESG: Yamaha anuncia fundo de investimentos voltado para projetos de carbono neutro

O caminho da Yamaha para a neutralidade de carbono também passa pelo Vale do Silício. A montadora japonesa com sede em Iwata alocou, através da filial Yamaha Motor Ventures, fundada no Vale do Silício (Califórnia), um fundo de 100 milhões de dólares para essa finalidade a ser gerenciado nos próximos 15 anos. A Yamaha investirá em empresas que atuam na solução de problemas ambientais e colaborando com outros parceiros para melhorar as atividades, como já aconteceu com a criação do promissor consórcio de baterias intercambiáveis fundada em conjunto com a Piaggio, KTM e Honda e o lançamento no mercado das primeiras scooters elétricas da marca dos três diapasões. Na prática, a montadora japonesa de duas rodas ainda não revelou as startups e empresas com as quais iniciará a colaboração e para as quais alocará investimentos, mas o fundo faz parte das atividades do novo plano de gestão de médio prazo, que visa até 2024 acelerar os esforços de compensação de carbono para alcançar a neutralidade de carbono o mais rápido possível. (Inside EVs – 03.07.2022)

<topo>

7 ESG: Mobilize apresenta aplicativo com sistema de busca e reserva de pontos de recarga de VEs

A Mobilize – unidade de negócios do Renault Group – anunciou recentemente o lançamento do aplicativo Mobilize Charge Pass no país. A solução, já utilizada na Europa, incorpora um completo sistema de busca e reserva de pontos de recarga de carros elétricos, trazendo mais comodidade para os usuários. Pelo app Mobilize Charge Pass, o usuário pode buscar os carregadores de veículos elétricos em sua região, definir a rota mais rápida até ele e reservar a vaga para a recarga do seu veículo. A solução também incorpora o processo de pagamento da recarga, quando necessário, permitindo acesso também aos eletropostos que cobram pelo abastecimento. A tecnologia adotada no País foi desenvolvida em parceria com a startup de eletromobilidade Tupinambá e permite que qualquer empresa que queira disponibilizar seus carregadores no Mobilize Charge Pass possam cadastrar o seu ponto de recarga para que os usuários de EVs possam usá-los ao longo de sua rota. Pelo sistema, o cliente pode acessar mais de mil pontos de recarga conectados em 22 Estados mais o Distrito Federal. (Garagem 360 – 02.07.2022)

<topo>

8 ESG: Dachser expande frota de VEs comerciais na Europa

A Dachser vai contar com uma frota de 50 caminhões totalmente elétricos até o final de 2023 em sua operação na Europa. Além dos caminhões, a empresa planeja introduzir até mil carros elétricos no continente. Outro avanço na busca pela redução de emissão de gases poluentes é uma série de projetos-piloto para desenvolver e testar caminhões movidos a hidrogênio equipados com tecnologia de célula de combustível. Até o início do próximo ano, a companhia deseja ter veículos movidos a hidrogênio de vários fabricantes operando em sua rede. “A única maneira de o setor de transporte global cumprir a meta de, no longo prazo, eliminar a emissão de poluentes atmosféricos é usando veículos com emissão zero. Por esse motivo, esses veículos formam um pilar fundamental da nossa estratégia de proteção climática. Vamos expandir significativamente o uso de veículos ecologicamente corretos nos próximos anos, o que nos dará uma experiência prática valiosa”, explica Stefan Hohm, Chief Development Officer da Dachser. (Blog do Caminhoneiro – 28.06.2022)

<topo>

9 ESG: FlixBus lança serviço de ônibus elétrico interurbano em Portugal

A FlixBus lançou o primeiro ônibus expresso elétrico em Portugal em parceria com o operador local Auto Viação Feirense. Em Portugal, a FlixBus optou por um autocarro de emissão zero da Yutong que tem 47 lugares e uma autonomia de cerca de 350 km, com carregamento a cerca de três horas. O serviço funciona entre a cidade do Porto, na costa do país, e a cidade de Bragança, perto da fronteira norte com Espanha. “É apenas um pequeno passo, mas representa muito para a mobilidade sustentável em Portugal. Para a FlixBus, isto representa a continuidade ao projeto que temos de proporcionar a milhões de pessoas uma mobilidade sustentável e acessível.”, disse Pablo Pastega, diretor geral da FlixBus para Portugal e Espanha. (Electrive – 03.07.2022)

<topo>

 

 

Eventos e Estudos

1 PMU: Caminhos para viabilizar transporte coletivo elétrico no Brasil

Ainda pouco difundido no País, o transporte coletivo elétrico pode contribuir com as cidades não apenas para solucionar a demanda crescente por meios alternativos de locomoção, mas também para viabilizar caminhos adequados às atuais necessidades ambientais e econômicas. É o que defendeu o especialista Carlos Eduardo Cardoso, responsável por e-city na Enel X e um dos debatedores do painel “Como viabilizar a eletromobilidade do transporte coletivo no Brasil?”, durante o evento Parque da Mobilidade Urbana (PMU), realizado na cidade de São Paulo. Dentre os desafios encontrados, Cardoso apontou fatores nos níveis governamental, financeiro e cultural. Sobre a viabilidade financeira, Cardoso explica que há um crescente movimento de financiamento para o transporte elétrico no País e que a Enel X tem oferecido para diversas cidades, projetos que oferecem altos retornos no longo prazo, além de redução nas emissões de poluentes, energia 100% renovável, otimização de custos e garantia técnica na engenharia e no produto. O terceiro ponto destacado foi a barreira cultural que inviabiliza as cidades de avançarem nesse sentido. Para assistir o debate na íntegra, clique aqui. (O Estado de São Paulo – 29.06.2022)

<topo>

2 O Estado de São Paulo/Celso Ming: “Falta política para os carros elétricos”

Em coluna publicada no jornal O Estado de São Paulo, intitulada “Falta política para os carros elétricos”, o comentarista de economia, Celso Ming, destacou a importância de políticas de incentivo direcionadas ao mercado de VEs. Inicialmente, Ming aponta que “Apesar do aumento das vendas de modelos elétricos e do crescimento da infraestrutura de recargas, o mercado de carros elétricos no Brasil precisa de mais segurança para se desenvolver”. Em seguida, destaca que “Os países avançados, principalmente da Europa, já decidiram a substituição dos veículos alimentados a energia fóssil por veículos elétricos. Prazos relativamente curtos estão sendo fixados para cumprir as metas”. Na sequência, o colunista indica que “Se um dos objetivos é conquistar mercado externo para esse segmento que se tornará predominante, então será preciso garantir escala de produção e redução de custos (…)”, alertando que “(…) até agora, não há definição de uma política nessa direção. Se tudo continuar assim, o Brasil poderá novamente perder grandes oportunidades”. Por fim, Celso Ming cita o sócio da consultoria PwC Brasil, Geovani Fagunde, que adverte que o Brasil precisa definir que porcentuais da sua frota serão eletrificados ou híbridos e o quanto de energia fóssil será tolerada. A coluna na íntegra, pode ser acessada por este link. (O Estado de São Paulo – 02.07.2022)

<topo>

3 Alvarez e Marsal: Até 2028, VE vai custar o mesmo que modelos à combustão no Brasil

Em algum momento entre 2027 e 2028 os preços dos VEs e dos modelos equipados com motor a combustão serão equivalentes aqui no Brasil. É o que aponta estudo realizado pela consultoria Alvarez & Marsal. O valor dos carros eletrificados hoje é considerado um entrave à massificação da tecnologia no mercado, mas vai cair no futuro. Segundo o levantamento, o motivo para isso é uma estimada redução do custo de produção das baterias. “Até lá, uma série de fatores deverão influenciar na diminuição do preço dos veículos. Um deles está ligado à evolução tecnológica do conjunto. As baterias serão menores e com maior poder de armazenamento, com os conjuntos formados por um menor volume de minerais do que as baterias atuais”, disse o consultor David Wong, que também lembra que o estudo se baseia nas condições econômicas atuais do país. O levantamento projeta ainda um aumento da participação dos veículos equipados com pacotes de baterias – sejam eles híbridos ou 100% elétricos – nos próximos anos. A estimativa é de que eles representarão 3% da frota em 2025 e 9% em 2030. (Automotive Business – 30.06.2022)

<topo>

4 ICCT: Panorama da Transição Global para VEs

Pesquisadores do International Council on Clean Transportation (ICCT) analisaram o progresso anual na transição global para VEs no ano de 2021. O estudo evidencia que as vendas globais de VEs atingiram um recorde de 6,9 milhões em 2021, um aumento de 107% em relação a 2020. No total, aproximadamente 3,5 milhões de VEs foram vendidos na China em 2021, 150% acima do nível de 2020. Na Europa, foram vendidos 2,3 milhões de VEs, um aumento de 66% em relação a 2020. Também é no Velho Continente onde se encontram sete dos dez principais mercados nacionais em termos de vendas anuais de VEs (Alemanha, Reino Unido, França, Noruega, Itália, Suécia e Holanda). Por outro lado, os Estados Unidos atingiram um recorde de vendas de VEs, com um total de quase 670 mil unidades, um aumento de 103% em relação a 2020. A Coreia do Sul, por fim, registrou vendas recordes de mais de 115 mil VEs, 128% acima de 2020. Para acessar o estudo na íntegra, clique aqui. (ICCT – 29.06.2022)

<topo>

5 Faraday Institution: Estudo prevê a demanda por gigafábricas no Reino Unido até 2040

Em uma atualização de um estudo de 2020, a Faraday Institution prevê que haverá demanda por dez gigafactories sediadas no Reino Unido até 2040, cada uma produzindo 20 GWh por ano de baterias. Anúncios recentes no Reino Unido pela Britishvolt e Envision AESC geraram entusiasmo, particularmente no North East, sobre o potencial para criar uma indústria de baterias nova, dinâmica e altamente qualificada no Reino Unido. No entanto, apesar de o Reino Unido estar progredindo nesse pensamento, não está se movendo rápido o suficiente em comparação com seus concorrentes europeus. As fábricas de baterias do Reino Unido podem atingir uma capacidade combinada de 57 GWh até 2030, equivalente a cerca de 5% da capacidade total de GWh na Europa, em comparação com 34% na Alemanha. É importante que o governo do Reino Unido continue a comunicar a atratividade como local de fabricação de baterias aos investidores, disse a Faraday Institution. Além de cultivar novos investidores, o governo também deve ajudar a desenvolver uma cadeia de suprimentos resiliente, sustentável e eficiente, desenvolver habilidades e se comprometer com o financiamento de longo prazo da pesquisa de baterias, principalmente baterias de próxima geração. Para ler o estudo na íntegra, clique aqui. (Automotive Business – 29.06.2022)

<topo>


Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe e Luiza Masseno
Pesquisadores: João Pedro Gomes, Leonardo Gonçalves e Vinicius José da Costa
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

As notícias divulgadas no IFE não refletem necessariamente os pontos da UFRJ. As informações que apresentam como fonte UFRJ são de responsabilidade da equipe de pesquisa sobre o Setor Elétrico do Instituto de Economia da UFRJ.

POLÍTICA DE PRIVACIDADE E SIGILO
Respeitamos sua privacidade. Caso você não deseje mais receber nossos e-mails,  Clique aqui e envie-nos uma mensagem solicitando o descadastrado do seu e-mail de nosso mailing.


Copyright UFRJ

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: