IFE.H2 84

Informativo Eletrônico – Geração de Energia com Hidrogênio nº 84 – publicado em 04 de julho de 2022.

IFE: Informativo Eletrônico de Hidrogênio – GESEL-UFRJ <!–

l

IFE: nº 84 – 04 de julho de 2022
http://gesel.ie.ufrj.br/
gesel@gesel.ie.ufrj.br

Editor: Prof. Nivalde J. de Castro

Índice

Políticas Públicas e Financiamentos
1
Alemanha: Terminal de importação de hidrogênio é considerado projeto prioritário do governo
2 Austrália: Queensland investe A$ 2 milhões em projeto local de hidrogênio de águas residuais
3 Canadá: Estratégia de hidrogênio e bioenergia do Quebec pode reduzir vigorosamente o uso de petróleo
4 Estados Unidos: Coalizão de Hidrogênio da Califórnia lança campanha para pedidos de financiamento para hidrogênio
5 Estados Unidos: US$ 12 milhões de financiamento do DOE para projetos de turbinas a gás hidrogênio
6 Europa: Hydrogen Europe se associa em apelo à inclusão do hidrogénio no setor da aviação

Produção
1 Austrália: Empresa e governo pretendem produzir H2V a partir de águas residuais residenciais
2 Espanha-França: EDPR entra em acordo com a Lhyfe para promover o hidrogénio renovável
3 EUA: LSB Industries está desenvolvendo projeto de hidrogênio verde para descarbonizar Amônia
4 Omã: Empresas visam desenvolver unidade de H2V para produzir amônia verde
5 Suécia: Empresas unem forças para produção de hidrogênio verde renovável

Armazenamento e Transporte
1 Itália-Argélia: Gigantes de energia firmam novo acordo de gás
2 Reino Unido: Projeto de armazenamento de hidrogênio em caverna de sal

Uso Final
1 Bélgica: Nova estação de reabastecimento de hidrogênio inaugurada em Antuérpia
2 Canadá: Combustíveis de aviação à base de hidrogênio no país recebem um pontapé inicial sob uma nova parceria
3 Espanha: CAF inicia testes em demonstrador de trem movido a hidrogênio em Saragoça
4 Noruega: Planos de rede de reabastecimento de hidrogênio nórdico no norte do país

5 Polônia: NesoBus fornece atualização sobre ônibus movido a hidrogênio

Tecnologia e Inovação
1 Alemanha: Aplicação de eletrolisadores de plasma na produção de hidrogênio a partir de metano e águas residuais
2 Alemanha: Grandes investimentos para lançar o Centro de Inovação e Tecnologia para o Hidrogênio (ITZ H2)
3 EUA: Nova técnica de extração de hidrogênio mais rápida, barata e eficiente
4 Reino Unido: Airbus desenvolverá novas tecnologias de hidrogênio

5 Reino Unido: Hydrogen Future Industries fornece atualização sobre desenvolvimento de tecnologia

Eventos
1 Os fundamentos da cadeia de abastecimento do hidrogênio líquido
2 A importância da proteção contra explosão em aplicações do hidrogênio
3 Planejamento de cenários para o hidrogênio

Artigos e Estudos
1 Avaliação do custo nivelado do hidrogênio produzido por energia eólica: Cenários de produção na Argentina e Itália
2 Banco Europeu de Investimento divulga relatório sobre soluções de investimento em hidrogênio
3 Hidrogênio – um elemento-chave para a indústria cerâmica
4 Perspectivas e desafios para a produção e utilização de hidrogênio verde nas Filipinas

5 Relatório da GlobalData sugere que a Austrália deve utilizar hidrogênio para descarbonizar



 

 

Políticas Públicas e Financiamentos

1 Alemanha: Terminal de importação de hidrogênio é considerado projeto prioritário do governo

O desenvolvimento de um terminal de importação de hidrogênio no TES Wilhelmshaven foi incluído como projeto prioritário na Lei de Aceleração do Governo Alemão, revelada no dia 25 de maio. O objetivo da nova lei é acelerar a implementação da infraestrutura crítica necessária para garantir o abastecimento energético do país e suas importações de gás de curto prazo. Inicialmente, a iniciativa irá apoiar as importações de gás até 2025 para garantir o fornecimento alemão, e posteriormente as importações serão substituídas por gás verde à base de hidrogênio. O polo de importação servirá de base para integrar o hidrogênio do exterior ao continente. (TES H2 – 25.05.2022)

<topo>

2 Austrália: Queensland investe A$ 2 milhões em projeto local de hidrogênio de águas residuais

O governo estadual de Queensland realizou um financiamento de A $2 milhões (US $1,4 milhão) em uma Estação de Tratamento de Águas Residuais Goondiwindi (WWTP) em Queensland, Austrália, para integrar a produção de hidrogênio com o tratamento das águas residuais. Alimentado por uma usina solar de 2,5 MW, o projeto irá hidrogênio, que será vendido para indústrias agrícolas locais e indústria pesada. O subproduto de oxigênio da produção de hidrogênio será utilizado para aerar os efluentes, melhorando a WWTP. Steven Miles, vice-primeiro-ministro de Queensland e Ministro do Desenvolvimento do Estado, comentou: “O governo de Queensland está apoiando o Conselho Regional de Goondiwindi e os parceiros do projeto para serem pioneiros na integração da produção de hidrogênio com o tratamento de águas residuais. […] Esta abordagem inovadora será apoiada com o financiamento da segunda rodada do Fundo de Desenvolvimento da Indústria de Hidrogênio (HIDF) de A $ 35 milhões (US $24,9). (Governo de Queensland – 26.05.2022)

<topo>

3 Canadá: Estratégia de hidrogênio e bioenergia do Quebec pode reduzir vigorosamente o uso de petróleo

O governo de Quebec, no Canadá, lançou sua Estratégia de Hidrogênio Verde e Bioenergia para acelerar a produção, distribuição e uso de hidrogênio verde e bioenergia. O Governo pretende aumentar o papel do hidrogénio verde e da bioenergia no seu portfólio energético na esperança de descarbonizar e fortalecer a sua economia. Com a estratégia, o governo espera melhorar as tecnologias de eletrolisadores e reduzir os custos da eletricidade renovável para tornar o setor de produção de hidrogênio verde lucrativo e competitivo. Québec estimou que a ampliação do hidrogênio verde e da bioenergia poderia reduzir o consumo de petróleo em um bilhão de litros por ano. A política surge quando o Quebec planeja reduzir as emissões de GEE em 37,5% abaixo do nível de 1990, reduzir o consumo de derivados de petróleo em 40% abaixo do nível de 2013 e alcançar a neutralidade de carbono até 2050. Clique aqui para acessar o documento em francês. (Governo de Quebec – 25.05.2022)

<topo>

4 Estados Unidos: Coalizão de Hidrogênio da Califórnia lança campanha para pedidos de financiamento para hidrogênio

A Coalizão de Hidrogênio da Califórnia lançou uma campanha digital e de televisão, com o objetivo de obter apoio na legislatura da Califórnia para financiamento adicional, que seria utilizado para desenvolver estações de abastecimento de hidrogênio em todo o estado. Na esperança de promover carros a hidrogênio para atender às metas de veículos de emissão zero de 2035 do governador da Califórnia, Gavin Newsom, o anúncio de TV será veiculado em canais na área de Sacramento por aproximadamente um mês. Os anúncios de TV acompanham as promoções digitais da coalizão, que estão sendo divulgadas online, bem como nas mídias sociais, transmitindo a mesma mensagem. A Coalizão se dedica a permitir a transição para veículos de emissão zero na Califórnia, expandindo a disponibilidade de reabastecimento de hidrogênio confiável e acessível. Os membros da coalizão incluem Air Liquide, FirstElement Fuel, Hyundai, Shell e Toyota. (Coalizão de Hidrogênio da Califórnia – 26.05.2022)

<topo>

5 Estados Unidos: US$ 12 milhões de financiamento do DOE para projetos de turbinas a gás hidrogênio

O Escritório de Energia Fóssil e Gerenciamento de Carbono do Departamento de Energia dos EUA (DOE) concedeu a dois projetos mais de US$ 12 milhões para desenvolver e testar os principais componentes necessários para a alta combustão de hidrogênio. Os dois projetos da GE Gas Power vão desenvolver e testar componentes com fluxo de combustível 100% hidrogênio. A pesquisa dos projetos estudará a aplicação de componentes de hidrogênio para criar um aumento substancial na eficiência da usina. O financiamento do DOE permitirá que a GE desenvolva tecnologias para integrar níveis mais altos de hidrogênio em suas plataformas de turbinas a gás. Os projetos se concentrarão especificamente na frota de turbinas a gás classe F da GE, acelerando a transição da empresa para uma redução significativa das emissões de carbono. (GE Power Gas – 25.05.2022)

<topo>

6 Europa: Hydrogen Europe se associa em apelo à inclusão do hidrogénio no setor da aviação

A Hydrogen Europe, a Associação da Europa das Indústrias Aeroespaciais e de Defesa e a Transport & Environment levantaram preocupações sobre a exclusão do hidrogênio renovável do escopo da proposta ReFuelEU Aviation da Comissão Europeia. Numa carta aberta à ministra dos Transportes dos Estados-Membros da UE da Comissão, Amélie de Montchalin, o trio apelou à inclusão do hidrogénio renovável na lista de combustíveis abrangidos pelo âmbito da ReFuelEu Aviation. A carta enfatiza que a inclusão é necessária para acompanhar os desenvolvimentos do mercado, incentivar investimentos iniciais em pesquisa e desenvolvimento (P&D), comprovando a segurança jurídica e a compatibilidade com as metas de descarbonização do Acordo Verde Europeu. A carta também identificou que vários meios devem apoiar a transição para a descarbonização da aviação, como o uso de combustíveis sintéticos, no entanto, diz que o apoio financeiro é o aspecto mais importante. (Hydrogen Europe – 30.05.2022)

<topo>

 

 

Produção

1 Austrália: Empresa e governo pretendem produzir H2V a partir de águas residuais residenciais

O Conselho Regional de Goondiwindi, a Hydrogen Collective (H2C) e a Universidade de Tecnologia de Queensland, estão próximos de desenvolver um projeto que tem por intuito produzir hidrogênio em Goondiwindi, cidade localizada em Queensland, Austrália. O hidrogênio será produzido a partir das águas residuais residenciais que serão introduzidas em eletrolisadores alimentados a partir de energia renovável. Em termos de uso final, o Conselho usaria o oxigênio resultante para melhorar a eficiência de seu tratamento de águas residuais, enquanto o hidrogênio seria vendido para empresas locais como uma alternativa de descarbonização. (Goondiwindi Regional Council – 04.06.2022)

<topo>

2 Espanha-França: EDPR entra em acordo com a Lhyfe para promover o hidrogénio renovável

A EDP Renewables, empresa de energias renováveis, celebrou um acordo industrial com a Lhyfe, produtora de hidrogênio renovável, para identificar, desenvolver, construir e gerir conjuntamente projetos nesta área de negócio. Ao abrigo do referido acordo, a EDPR fornecerá eletricidade renovável aos projetos de geração de hidrogênio da Lhyfe. As empresas também trabalharão juntas em atividades de P&D, desenvolvimento de novos projetos e aquisição de equipamentos. Este acordo visa criar valor, aproveitando as sinergias das competências e capacidades complementares das duas empresas, impulsionando o crescimento do portfólio da EDPR, especialmente na França, e contribuindo para o desenvolvimento dos projetos da Lhyfe em todo o mundo. Também contribui para alcançar maior expertise operacional e comercial em projetos de hidrogênio renovável. (Lhyfe – 24.05.2022)

<topo>

3 EUA: LSB Industries está desenvolvendo projeto de hidrogênio verde para descarbonizar Amônia

A LSB Industries, um dos principais produtores norte-americanos de produtos químicos industriais e agrícolas, está desenvolvendo um projeto que tem como intuito produzir hidrogênio verde (H2V) em Oklahoma, Estados Unidos (EUA). Na primeira fase, a planta contará com a tecnologia de eletrólise PEM de 10 MW que será alimentado por energias renováveis. Posteriormente, haverá um escalonamento e uma unidade eletrolisadora alcalina de 20 MW será adicionada. Por fim, em termos de uso final, o hidrogênio será utilizado para produzir amônia verde pelo processo de Haber-Bosch. A planta será desenvolvida em Pryor Oklahoma, um dos maiores locais de produção de amônia na América do Norte, dessa forma, espera-se descarbonizar parte da produção de amônia nos EUA. (LSB Industries – 25.05.2022)

<topo>

4 Omã: Empresas visam desenvolver unidade de H2V para produzir amônia verde

A Air Products, uma empresa internacional de gases industriais, a empresa OQ, e a ACWA Power, uma operadora de portfólio de usinas de produção de água e dessalinização, firmaram uma parceria para desenvolver um projeto, que irá produzir hidrogênio verde (H2V) na Zona Franca de Salalah, Omã. O projeto visa englobar diversos segmentos, bem como a integração de energia renovável (como energia solar e eólica) e armazenamento; produção de hidrogênio por eletrólise; produção de nitrogênio por separação de ar, para então produzir a amônia verde. A amônia produzida será utilizada para atender a demanda do mercado local e será exportada. (Air Products – 26.05.2022)

<topo>

5 Suécia: Empresas unem forças para produção de hidrogênio verde renovável

A Lhyfe, produtora de hidrogênio renovável e a empresa de energia local sueca Trelleborgs Energi estão colaborando em um pré-estudo que visa construir um sistema local de produção de hidrogênio renovável no extremo sul da Suécia. Como agentes de mudança comprometidos, ambas as empresas estão agindo para minimizar os impactos das mudanças climáticas, focando no hidrogênio verde como uma solução. Os resultados do estudo devem ser apresentados no verão de 2022. O estudo inicial se concentra em 5 MW de capacidade de produção de hidrogênio verde, em Trelleborg e abrange questões relacionadas ao fornecimento de energia, capacidade de produção, seleção de tecnologia e localização, bem como utilização de calor e oxigênio residuais. (Lhyfe – 04.06.2022)

<topo>

 

 

Armazenamento e Transporte

1 Itália-Argélia: Gigantes de energia firmam novo acordo de gás

O grupo italiano de energia Eni e a petrolífera argelina Sonatrach assinaram um Memorando de Entendimento para acelerar o desenvolvimento de campos de gás e hidrogênio verde na Argélia para aumentar as exportações de gás para a Itália. O Memorando também fornece um projeto piloto sobre hidrogênio verde em Bir Rebaa North (BRN), no deserto da Argélia. Sob a parceria, será feita uma avaliação técnica e econômica do projeto de hidrogênio, com o objetivo de apoiar a descarbonização da usina de gás BRN, operada pela joint-venture Sonatrach-Eni GSE. (Eni – 26.05.2022)

<topo>

2 Reino Unido: Projeto de armazenamento de hidrogênio em caverna de sal

UK Energy Storage Ltd (UKEn) assinou um acordo de arrendamento com a Portland Port Limited (PPL) cobrindo dois locais no antigo porto da Marinha Real em Dorset, Reino Unido. O plano é desenvolver um Energy-Hub integrado planejado, centrado no armazenamento de gás hidrogênio e uma futura capacidade de geração de hidrogênio verde. Conforme acordado entre as partes, o conceito de desenvolvimento do Energy-Hub planejado da UKEn busca revigorar e desenvolver ainda mais um projeto anterior não realizado pela Portland Gas Storage Ltd, que buscava situar aproximadamente 1,2 bilhão de m³ de armazenamento subterrâneo em cavernas de sal sob as terras da PPL. O armazenamento em cavernas de sal seria vinculado ao sistema nacional de transmissão por dutos (NTS) por meio de um novo duto planejado pronto para hidrogênio. (Offshore Energy – 30.05.2022)

<topo>

 

 

Uso Final

1 Bélgica: Nova estação de reabastecimento de hidrogênio inaugurada em Antuérpia

A DATS 24, supridora de energia e combustível, abriu uma nova estação pública de hidrogênio ao longo da autoestrada A12 em Wilrijk, que servirá de ponto de partida para a abertura de cinco novas estações H2 na Bélgica. A nova estação de hidrogênio está criando oportunidades adicionais para empresas e famílias na região de Antuérpia. A intenção é que os caminhões de lixo de H2 possam em breve reabastecer nesta estação. Além de Wilrijk, nos próximos meses o DATS 24 abrirá estações de hidrogênio em Haasrode, Erpe-Mere, Ollignies e Herve. Isso significa que, nas proximidades destes locais, o hidrogênio está se tornando uma opção real para o transporte de pessoas e mercadorias. (H2 Bulletin – 31.05.2022)

<topo>

2 Canadá: Combustíveis de aviação à base de hidrogênio no país recebem um pontapé inicial sob uma nova parceria

Hy2gen Canada e SAF+ Consortium anunciaram, no dia 30 de maio, que farão parceria para contribuir com o desenvolvimento do setor de hidrogênio, incluindo combustíveis verdes para aviação, começando em Québec, Canadá. A parceria entre as duas empresas prevê a construção de inúmeras instalações para produzir combustíveis sintéticos à base de hidrogênio verde para ser utilizado no transporte rodoviário, marítimo, transporte aviário e na indústria, usando € 200 milhões (US$ 215 milhões) de capital levantado pela Hy2gen AG no início deste ano (2022). O anúncio ocorre poucos dias após o governo de Quebec lançar sua Estratégia de Hidrogênio Verde e Bioenergia para acelerar a produção, distribuição e uso de hidrogênio verde e bioenergia. (H2 View – 30.05.2022)

<topo>

3 Espanha: CAF inicia testes em demonstrador de trem movido a hidrogênio em Saragoça

A CAF iniciou no final de maio os testes estáticos do trem movido a hidrogênio que está sendo desenvolvido para o projeto FCH2Rail, em sua fábrica em Zaragoza, Espanha. Este sistema, que utiliza uma hibridização de energia de células a combustível de hidrogênio e baterias, foi integrado ao sistema de tração existente do veículo. Até o momento, todos os equipamentos que compõem o novo pacote Fuel Cell Hybrid Power foram testados e a CAF realizou os trabalhos mecânicos, elétricos e hidráulicos para instalá-lo na unidade CIVIA original. A próxima etapa é realizar testes para validar a integração desse novo sistema, convertendo-o em um trem bi-modo de emissão zero. Concluída esta etapa dos testes na CAF Zaragoza, a unidade estará em condições ideais para iniciar os testes dinâmicos em pista externa, que estão previstos para este verão. O projeto tem um orçamento de 14 milhões de euros, dos quais 10 milhões estão sendo financiados pela Clean Hydrogen Partnership. (H2 Bulletin – 31.05.2022)

<topo>

4 Noruega: Planos de rede de reabastecimento de hidrogênio nórdico no norte do país

A Varanger KraftHydrogen AS e a Norwegian Hydrogen AS revelaram planos para estabelecer inicialmente três ou quatro estações na região mais ao norte da Noruega para criar um ‘corredor de hidrogênio’ entre Berlevåg e Kirkenes. As empresas planejam utilizar o hidrogênio produzido localmente pela Finnmark nas instalações da Varanger em Berlevåg, que tem capacidade para produzir uma tonelada de hidrogênio verde por dia, o que, segundo a empresa, poderia encher 200 carros de passageiros movidos a hidrogênio todos os dias. (H2 View – 31.05.2022)

<topo>

5 Polônia: NesoBus fornece atualização sobre ônibus movido a hidrogênio

O NesoBus é um ônibus urbano movido a hidrogênio, zero emissão, da Polônia, criado por designers e engenheiros poloneses, trabalhando em conjunto com parceiros da Europa e de outras partes do mundo. O ônibus tem 12 metros de comprimento e pode transportar até 93 passageiros, incluindo 37 lugares. Além disso, tem um alcance operacional de cerca de 450 km em um tanque, que tem capacidade de 37,3 kg. Durante o teste SORT-2 o consumo médio foi de 5,5 kg de hidrogênio por 100 km. O ônibus movido a hidrogênio foi desenvolvido do zero como um veículo movido a hidrogênio – não é um veículo movido a bateria ou combustão transformado ou modificado. A produção em série está prevista para começar em 2023 na fábrica que está sendo construída em Swidnik, no leste da Polônia. (H2 Bulletin – 01.06.2022)

<topo>

 

 

Tecnologia e Inovação

1 Alemanha: Aplicação de eletrolisadores de plasma na produção de hidrogênio a partir de metano e águas residuais

A Graforce desenvolveu uma tecnologia de eletrólise a plasma, que pode produzir hidrogênio a partir de materiais residuais – com custos de fabricação significativamente mais baixos e maiores rendimentos. O eletrolisador de plasma pode produzir o hidrogênio verde e ser utilizado em uma gama de aplicações energéticas isentas de CO2 ou mesmo CO2-negativos. A produção de hidrogênio usando eletrólise de plasma requer consideravelmente menos energia do que a eletrólise da água e leva a reduções de custos significativas. Enquanto a eletrólise da água precisa de 50 kWh/kg H2, 1 kg de hidrogênio da produção de metano consome apenas 10 kWh ou 20 kWh das águas residuais. Para ler mais sobre a tecnologia clique aqui. (Industry and Energy – 30.05.2022)

<topo>

2 Alemanha: Grandes investimentos para lançar o Centro de Inovação e Tecnologia para o Hidrogênio (ITZ H2)

A Alemanha investirá até € 290 milhões para lançar o Centro de Inovação e Tecnologia para o Hidrogênio (Innovations-und Technologiezentrum für Wasserstoff, ITZ H2), após a conclusão positiva de um estudo de viabilidade. O ITZ H2 destina-se a apoiar as empresas nas suas atividades de desenvolvimento no setor dos transportes. Em particular, isso envolve ofertas na área de testes e certificações, que ainda não estão disponíveis no mercado. Com seus serviços, o centro também apoiará a cooperação internacional para estabelecer padrões e oferecer às pequenas e médias empresas um ambiente de desenvolvimento para se preparar para a concorrência internacional. O ITZ H2 estará em quatro locais: Chemnitz, Duisburg, Pfeffenhausen e em um cluster do norte da Alemanha para aplicações de navios e aviação (Bremen/Bremerhaven, Hamburgo e Stade). Os estados federais que hospedam os quatro elementos fornecerão apoio adicional. (BMDV – 25.05.2022)

<topo>

3 EUA: Nova técnica de extração de hidrogênio mais rápida, barata e eficiente

A North Carolina State University (NCSU), anunciou no dia 23 de maio, que seus pesquisadores desenvolveram uma nova técnica, mais rápida, barata e eficiente de extrair hidrogênio de transportadores líquidos. A técnica recém-desenvolvida aplica um fotocatalisador reutilizável e luz solar para extrair gás hidrogênio de seu transportador líquido rapidamente e usando menos ródio do que as técnicas existentes. Além disso, os únicos subprodutos são o gás hidrogênio e o próprio líquido transportador, que podem ser reutilizados repetidamente no protótipo do reator, os pesquisadores conseguiram um rendimento de 99%, o que significa que 99% das moléculas de hidrogênio foram liberadas do transportador líquido, em três horas, afirma a universidade. O sistema de fluxo pode funcionar continuamente por até 72 horas antes que sua eficiência diminua. Nesse ponto, o catalisador pode ser “regenerado” sem removê-lo do reator – é um processo de limpeza simples que leva cerca de seis horas. O sistema pode então ser reiniciado e funcionar com eficiência total por mais 72 horas. (North Carolina State University – 23.05.2022)

<topo>

4 Reino Unido: Airbus desenvolverá novas tecnologias de hidrogênio

A Airbus está fortalecendo sua presença no Reino Unido com o lançamento de um Zero Emission Development Center (ZEDC) para tecnologias de hidrogênio. Uma das prioridades do ZEDC do Reino Unido será desenvolver um sistema de combustível criogênico com custo competitivo necessário para a entrada em serviço bem-sucedida das aeronaves de passageiros ZEROe da Airbus até 2035 e acelerar as habilidades e o know-how do Reino Unido em tecnologias de propulsão a hidrogênio. O ZEDC do Reino Unido se beneficiará do recente compromisso do governo da região de garantir £ 685 milhões em financiamento ao Instituto de Tecnologia Aeroespacial (ATI) nos próximos três anos para apoiar o desenvolvimento de tecnologias de aeronaves de emissão zero e ultrabaixas. Espera-se que todos os ZEDCs da Airbus estejam totalmente operacionais e prontos para testes em solo, com o primeiro tanque de hidrogênio criogênico totalmente funcional em 2023 e os testes de voo começando em 2026. (Airbus – 26.05.2022)

<topo>

5 Reino Unido: Hydrogen Future Industries fornece atualização sobre desenvolvimento de tecnologia

A Hydrogen Future Industries PLC (HFI) forneceu uma atualização sobre o progresso do desenvolvimento do protótipo do sistema de produção de hidrogênio baseado em energia eólica combinado com um eletrolisador. O visa produzir hidrogênio por menos de US$ 2/kg em linha com a meta global para 2030. Uma subsidiária da HFI pretende incorporar tecnologia de compressão de hidrogênio e armazenamento de energia sob demanda. O sistema que está sendo desenvolvido visa gerar hidrogênio a partir de uma variedade de matérias-primas, incluindo resíduos ou água contaminada, salina ou água doce e processos de remediação, o que significa que pode ser operado em várias configurações, incluindo mineração offshore e industrial. (Proactiv – 26.05.2022)

<topo>

 

 

Eventos

1 Os fundamentos da cadeia de abastecimento do hidrogênio líquido

O webinar, que acontece no dia 7 de julho, tem como objetivo explicar os fundamentos do hidrogênio líquido e sua cadeia de abastecimento. Os participantes apresentarão as vantagens de se usar hidrogênio líquido em algumas aplicações. (Demaco Hydrogen – 02.07.2022)

<topo>

2 A importância da proteção contra explosão em aplicações do hidrogênio

Um dos maiores riscos associados ao uso do hidrogênio são as explosões, deste modo, o webinar trará especialistas apresentarão uma ampla variedade de requisitos e soluções, que devem ser consideradas em plantas de hidrogênio para torná-la mais segura. O webinar acontece de forma online no dia 13 de julho. (Stahl – 02.07.2022)

<topo>

3 Planejamento de cenários para o hidrogênio

O hidrogênio pode desempenhar um papel fundamental no alcance das metas de neutralização das emissões, dada sua abundância e versatilidade. A realização do uso em escala comercial de hidrogênio limpo exigirá avanços tecnológicos em toda a cadeia de valor do hidrogênio e avanços em outras tecnologias de baixo carbono, como CCUS e energia renovável. Esses requisitos apresentam uma enorme incerteza sobre como a economia do hidrogênio evoluirá. Neste contexto, o webinar reúne especialistas e consultores do setor para apresentar como uma abordagem personalizada ao planejamento de cenários pode orientar as organizações à medida que consideram alternativas de criação de valor na economia do hidrogênio. Os participantes demonstrarão que a estrutura dos tomadores de decisão deve direcionar o conjunto de incertezas a ser usado para construir cenários e como cada cenário deve informar e avançar na tomada de decisões em direção a uma estratégia de hidrogênio focada. O evento acontece de forma online no dia 14 de julho às 13h. (Linkedin – 02.07.2022)

<topo>

 

 

Artigos e Estudos

1 Avaliação do custo nivelado do hidrogênio produzido por energia eólica: Cenários de produção na Argentina e Itália

O objetivo deste trabalho é investigar a viabilidade técnico-econômica da produção de hidrogênio verde na Patagônia, Argentina, com posterior transporte marítimo para a Itália. O estudo inclui toda a cadeia de suprimentos, desde a produção de hidrogênio com fontes renováveis de energia até seu uso final como combustível para a mobilidade na Itália. Diferentes cenários foram identificados e comparados, considerando que a produção de hidrogênio pode ocorrer diretamente na Itália ou na Patagônia, seguida de um transporte para a Itália. Assumiu-se que o hidrogênio é produzido através de eletrolisadores PEM alimentados por energia eólica. Mesmo considerando os custos adicionais de transporte da Argentina para a Itália, o cenário com a produção de hidrogênio na Patagônia se mostrou mais conveniente do que a produção na Itália. Isso se deve ao alto potencial eólico na região, onde o fator de capacidade eólica médio é de cerca de 50% em comparação com 25% na Itália. O LCOH mínimo foi obtido considerando o armazenamento e transporte de hidrogênio por meio de transportadores de hidrogênio orgânico líquido, com custo final de 8,60 €/kgH2 e 11,17 €/kgH2 para os cenários de produção argentino e italiano, respectivamente. (Journal of Energy Storage – 2022)

<topo>

2 Banco Europeu de Investimento divulga relatório sobre soluções de investimento em hidrogênio

O Banco Europeu de Investimento (BEI) publicou um relatório, que apresenta a opinião dos investidores sobre como o setor público pode mitigar os riscos e desafios para a implementação de uma economia de hidrogênio. Em primeiro lugar, as condições econômicas e regulatórias dos projetos baseados no hidrogênio requerem melhorias, como a redução dos riscos e dos custos de capital, para mobilizar o financiamento necessário para cumprir os objetivos ambiciosos da UE. Em segundo lugar, o setor de hidrogênio, sendo tão interconectado, requer uma abordagem mais coerente baseada na cadeia de valor. Para enfrentar estes desafios, o relatório destacou como soluções a introdução de novos mecanismos de melhoria de crédito e compartilhamento de risco para facilitar o financiamento bancário; iniciativas focadas no desenvolvimento de ecossistemas e coordenação dos participantes do mercado; e assessoria na preparação de projetos para investimento. (European Commision – 10.05.2022)

<topo>

3 Hidrogênio – um elemento-chave para a indústria cerâmica

Na Alemanha, cada vez mais eletricidade está sendo gerada a partir de fontes de energia renováveis, resultando em uma necessidade cada vez maior de tecnologias confiáveis de armazenamento de energia. O foco está mudando cada vez mais para o hidrogênio verde, que agora é um elemento-chave da política energética. Os processos industriais de uso intensivo de energia estão mudando, e o hidrogênio é um vetor energético disruptivo para descarbonizar a indústria cerâmica. (Interceram – International Ceramic Review – 2022)

<topo>

4 Perspectivas e desafios para a produção e utilização de hidrogênio verde nas Filipinas

Este artigo visa revisar as perspectivas e desafios para o uso potencial de hidrogênio verde em várias vias de produção e utilização nas Filipinas. O estudo identificou rotas de produção de hidrogênio verde a partir de fontes de energia renovável disponíveis no país, incluindo geotérmica, hidrelétrica, eólica, solar, biomassa e oceânica. As oportunidades para várias vias de utilização incluem transporte, indústria, serviços públicos e armazenamento de energia. A partir da análise, este estudo propõe um roteiro para uma economia do hidrogênio verde no país até 2050, dividido em três fases: I – hidrogênio verde como matéria-prima industrial, II – hidrogênio verde como tecnologia de célula a combustível e III – comercialização do hidrogênio verde. Por outro lado, a análise identificou vários desafios, incluindo aspectos técnicos, econômicos e sociais, bem como as implicações políticas correspondentes para a implementação de uma economia de hidrogênio verde nas Filipinas e em outros países em desenvolvimento. (ScienceDirec – 2022)

<topo>

5 Relatório da GlobalData sugere que a Austrália deve utilizar hidrogênio para descarbonizar

A GlobalData disse que a Austrália planeja desenvolver mercados de hidrogênio de baixo carbono em todos os setores e aumentar os projetos de captura e armazenamento de carbono (CCS). O relatório da empresa de dados e análises constatou que o hidrogênio renovável, além de contribuir para a adoção veículos elétricos, também pode contribuir com a descarbonização do país. O desenvolvimento do mercado de hidrogênio renovável vem se acelerando devido ao apoio em políticas e projetos, com o mercado australiano prometendo produzir até oito milhões de toneladas de hidrogênio renovável por ano até 2030, afirma o relatório. A GlobalData identificou que a Austrália tem sido um dos três maiores exportadores de hidrogênio na região da Ásia-Pacífico. Com base nas tendências e políticas regionais em vigor, a Austrália está no caminho certo em relação aos setores de energia e de hidrogênio, mas pode ter dificuldades com outros setores, como veículos elétricos, combustíveis renováveis e projetos CCS/CCU. (H2 View – 2022)

<topo>


Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Luiza Masseno e Sayonara Andrade Elizário
Pesquisadores: Allyson Thomas,
José Vinícius S. Freitas, Kalyne Silva Brito e Luana Oliveira 
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

As notícias divulgadas no IFE não refletem necessariamente os pontos da UFRJ. As informações que apresentam como fonte UFRJ são de responsabilidade da equipe de pesquisa sobre o Setor Elétrico do Instituto de Economia da UFRJ.

POLÍTICA DE PRIVACIDADE E SIGILO
Respeitamos sua privacidade. Caso você não deseje mais receber nossos e-mails,  Clique aqui e envie-nos uma mensagem solicitando o descadastrado do seu e-mail de nosso mailing.


Copyright UFRJ

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: