IFE.H2 83

Informativo Eletrônico – Geração de Energia com Hidrogênio nº 83 – publicado em 29 de junho de 2022.

IFE: Informativo Eletrônico de Hidrogênio – GESEL-UFRJ <!–

l

IFE: nº 83 – 29 de junho de 2022
http://gesel.ie.ufrj.br/
gesel@gesel.ie.ufrj.br

Editor: Prof. Nivalde J. de Castro

Índice

Políticas Públicas e Financiamentos
1
Estados Unidos: DOE aloca quase US $ 25 milhões para explorar hidrogênio limpo para geração de eletricidade
2 Europa: 200 milhões de euros para pesquisa de hidrogênio no Plano REPowerEU
3 Reino Unido: Governo concede £ 60 milhões a 28 projetos de hidrogênio
4 Reino Unido: Governo financia projeto de hidrogênio verde
5 Reino Unido: Governo financia empresa para desenvolver projeto de hidrogênio na Escócia
6 Reino Unido: Projeto de “giga pilha’ de hidrogênio recebe financiamento do governo
7 Reino Unido: Projetos de amônia verde financiados pelo governo

Produção
1 Dinamarca: CIP propõe desenvolver planta de hidrogênio verde de 10 GW
2 Estados Unidos: Mote está desenvolvendo uma planta de hidrogênio musgo
3 Reino Unido: Projeto de hidrogênio verde “HyNet” está mais próxima de ser concluída
4 Estados Unidos anuncia trabalho em projeto de hidrogênio verde no Texas
5 Malásia-Camboja: Hydrogen recebe um pontapé inicial hidrelétrico nos países em nova parceria
6 Noruega: Grande marco alcançado em hub de hidrogênio

Armazenamento e Transporte
1 Bélgica-Holanda: Fluxys, Gasunie estão desenvolvendo redes de hidrogênio no porto do Mar do Norte
2 Coreia do Sul irá explorar armazenamento de hidrogênio em larga escala
3 Reino Unido: Logan Energy apresenta nova unidade móvel de hidrogênio

4 Reino Unido: Projeto SHyLO recebe apoio para armazenamento de hidrogênio na EMEC

Uso Final
1 Alemanha: Novas estações de abastecimento de hidrogênio abertas pela Shell e H2 Mobility Deutschland
2 Polônia: Alstom e PKN ORLEN assinam acordo para introduzir trens e infraestrutura de hidrogênio no país
3 Portugal: A adição de 10% de hidrogênio ao gás natural será empregada no país
4 Reino Unido: Element 2 assina acordo para aumentar o reabastecimento de hidrogênio

5 Reino Unido: Sucesso do teste de célula a combustível marítima oferece esperança para o lugar do hidrogênio no transporte

Tecnologia e Inovação
1 Alemanha: Produção de hidrogênio modular e escalável a partir de H-TEC
2 Coreia do Sul: Catalisadores monoatômicos à base de cobalto com desempenho de 40%
3 EUA: Novo método poderia produzir hidrogênio a partir de biogás por US$ 2/kg
4 Reino Unido: Novo centro de inovação para otimizar a tecnologia de produção de hidrogênio da Powerhouse

5 Rússia: Inovação que gera 1650 moléculas de hidrogênio por hora

Eventos
1 Hidrogênio na Califórnia
2 Amônia verde – O outro hidrogênio

Artigos e Estudos
1 Acoplamento de fontes de energia para evitar intermitência na produção de hidrogênio verde
2 Estudo de caso do Egito: Cadeia de valor de hidrogênio e análise das tendências atuais
3 Estudo mostra o perigo de investir em hidrogênio azul mediante ao preço do gás natural
4 O potencial da produção de amônia verde para incentivar a transição energética na China

5 Relatório demonstra como o Texas se tornaria uma potência global de hidrogênio


 

 

Políticas Públicas e Financiamentos

1 Estados Unidos: DOE aloca quase US $ 25 milhões para explorar hidrogênio limpo para geração de eletricidade

Para realizar plenamente o potencial do hidrogênio na descarbonização da sociedade, o Departamento de Energia dos EUA (DOE) anunciou um financiamento de quase US$ 25 milhões para estudar o papel do hidrogênio na geração de eletricidade, através de seis projetos de P&D. Isso poderá fornecer um novo caminho para aumentar a demanda do hidrogênio e garantir a descarbonização do setor elétrico do país. Os seis projetos patrocinados pela indústria irão acelerar o desenvolvimento de tecnologias que irão melhorar o desempenho, confiabilidade e flexibilidade das tecnologias de hidrogênio existentes e novas. (DOE – 19.05.2022)

<topo>

2 Europa: 200 milhões de euros para pesquisa de hidrogênio no Plano REPowerEU

O Plano REPowerEU, apresentado pela Comissão Europeia (CE), estabeleceu uma meta de 10 milhões de toneladas de hidrogênio renovável doméstico até 2030. A Comissão também publicará dois atos delegados sobre a definição e produção de hidrogénio renovável para garantir que a produção conduza à neutralização das emissões. Para acelerar os projetos de hidrogênio, um financiamento adicional de € 200 milhões (US$ 210 milhões) será reservado para pesquisa. A redução do consumo de combustíveis fósseis na indústria e nos transportes também desempenhou um papel importante no REPowerEU. A Comissão declarou que lançará contratos de carbono por diferença para apoiar a absorção de hidrogênio verde pela indústria e financiamento específico para REPowerEU no âmbito do Fundo de Inovação. Além disso, estima que será necessário um investimento total de € 34-49 bilhões em infraestrutura de hidrogênio. (Comissão Europeia – 18.05.2022)

<topo>

3 Reino Unido: Governo concede £ 60 milhões a 28 projetos de hidrogênio

O governo do Reino Unido garantiu um investimento no setor de hidrogênio de £ 60 milhões (US$ 74 milhões) concedidos aos vencedores do concurso HySupply 2. Um total de 28 projetos receberam financiamento, com o objetivo de impulsionar a indústria de hidrogênio e garantir que o Reino Unido assuma um papel de liderança em um futuro de baixo carbono. Entre os projetos, inclui-se um da ITM Power, com sede em Yorkshire, que recebeu mais de £ 9,2 milhões (US $ 11,40 milhões) para construir uma pilha de eletrolisadores de 5 MW de próxima geração. Com base em suas descobertas do primeiro programa de fornecimento de hidrogênio, a ITM busca trazer a solução de hidrogênio verde de menor custo para o mercado. (H2 View – 19.05.2022)

<topo>

4 Reino Unido: Governo financia projeto de hidrogênio verde

O governo do Reino Unido realizou um financiamento de £ 4,3 milhões (US $ 5,3 milhões) para implantar um sistema de gerenciamento de energia com armazenamento de hidrogênio verde e inteligência artificial (IA) nas Ilhas Orkney, na Escócia. O projeto financiado visa demonstrar a eficácia do uso de hidrogênio verde para armazenamento de energia em grande escala nas ilhas e o seu uso comercial em estações de reabastecimento, aquecimento industrial e energia. A H2GO Power, empresa responsável pelo ativo, afirmou que, durante a vida útil do sistema, poderia reduzir em até de 7,5 mil galões o uso de diesel moradores e, consequentemente, reduzir 90 toneladas de emissões de dióxido de carbono (CO2). (Forbes – 19.05.2022)

<topo>

5 Reino Unido: Governo financia empresa para desenvolver projeto de hidrogênio na Escócia

A empresa com sede na Suécia, Vattenfall, que recebeu £ 9,3 milhões (US $ 11,6 milhões) de financiamento do governo do Reino Unido para desenvolver o projeto Hydrogen Turbine 1 (HT1). O projeto piloto, que pode estar operacional até 2025, planeja produzir hidrogênio usando turbinas eólicas offshore, localizadas no Parque Eólico Offshore de Vattenfall, em Aberdeen Bay, Escócia. A empresa afirmou que o projeto terá uma produção de 8 MW de eletricidade, que pode produzir hidrogênio diariamente em quantidade suficiente para alimentar um ônibus de hidrogênio para viajar 24 mil km. O hidrogênio do HT1 será levado para o porto de Aberdeen por meio de gasodutos. Espera-se que o projeto ajude a descarbonizar a indústria pesada, como siderurgia, a indústria química, bem como o transporte pesado. (Vattenfall – 19.05.2022)

<topo>

6 Reino Unido: Projeto de “giga pilha’ de hidrogênio recebe financiamento do governo

O governo do Reino Unido realizou um financiamento de £ 9,3 milhões (US $ 11,6 milhões) para a “giga pilha” de eletolisadores PEM de 5 MW da ITM Power, como parte do mais recente esforço da região em direção ao hidrogênio de baixo carbono. O financiamento do Departamento de Negócios, Energia e Estratégia Industrial (BEIS), Competição de Fornecimento de Hidrogênio de Baixo Carbono, será utilizado pata realizar teste e validação da tecnologia da ITM. Uma segunda fase do projeto, financiada pelo BEIS, foi concluída em 2021, que viu um estudo de design de engenharia de front-end (FEED) para uma implantação de 100 MW com Philips66 e Orsetd, usando energia do parque eólico de grande escala, Hornsea Two, ao longo da costa de Yorkshire. (ITM Power – 19.05.2022)

<topo>

7 Reino Unido: Projetos de amônia verde financiados pelo governo

A Supercritical Solutions anunciou, no dia 19 de maio, que liderará um projeto de amônia verde, financiado pelo governo do Reino Unido, que espera melhorar o armazenamento e a distribuição de hidrogênio verde. O projeto GreenNH3 em parceria com ScottishPower e ProtonVentures garantiu aproximadamente £ 146.000 (US$ 181.000), do Departamento de Energia Empresarial e Estratégia Industrial (BEIS), para a Fase Um do projeto. Alimentado por energia renovável, o eletrolisador de alta pressão da Supercritical fornece hidrogênio sem a necessidade de compressores de gás. A unidade NFuel da Proton Ventures usará o hidrogênio verde para combiná-lo com nitrogênio para produzir amônia. (Supercritical Solutions – 19.05.2022)

<topo>

 

 

Produção

1 Dinamarca: CIP propõe desenvolver planta de hidrogênio verde de 10 GW

A Copenhagen Infrastructure Partners (CIP), uma empresa de investimentos em energia eólica, está propondo desenvolver uma “ilha de hidrogênio” denominada por “BrintØ” na parte dinamarquesa do Dogger Bank, Mar do Norte. A “ilha de hidrogênio” será composta por um parque eólico offshore que servirá como fonte primária de energia, além de uma planta de hidrogênio verde (H2V), que contará com a tecnologia de eletrólise. A CIP, em sua proposta, informou que BrintØ poderia ser capaz de produzir até 1 milhão de toneladas de H2V por ano, a partir de uma capacidade de produção de 10 GW. Em termos de logística e uso final, o gás será transportado pelo mar e distribuído nacionalmente ou exportado para Alemanha, Holanda e Bélgica. (CIP – 20.05.2022)

<topo>

2 Estados Unidos: Mote está desenvolvendo uma planta de hidrogênio musgo

A Mote, uma empresa que fabrica produtos químicos, está desenvolvendo um projeto que irá construir uma unidade de produção de hidrogênio na Califórnia, Estados Unidos. A unidade de produção contará com um gaseificador que utilizará como matéria prima os resíduos de madeira, que serão aquecidos a uma temperatura de 1500°F para produzir o hidrogênio, classificado como hidrogênio musgo. Ademais, a Mote informou que este projeto vai possuir uma pegada negativa em carbono, uma vez que o projeto incluirá a captura de carbono na produção do hidrogênio, além da reposição do plantio. (Mote – 24.05.2022)

<topo>

3 Reino Unido: Projeto de hidrogênio verde “HyNet” está mais próxima de ser concluída

A Kent, uma empresa global de engenharia, foi contratada para atuar fortemente na planta de hidrogênio verde (H2V) do projeto HyNet, que está sendo desenvolvido no noroeste da Inglaterra (Reino Unido) e está próximo de ser concluído. A planta deve contar com uma capacidade de produção de hidrogênio por meio de um eletrolisador com 350 MW de capacidade, que será alimentado por energias renováveis. A Kent irá otimizar o projeto da planta para a fase de engenharia e projeto de front-end, atualizar a estimativa de custo e aconselhar sobre o planejamento. Por fim, no que concerne ao uso final, o hidrogênio será utilizado para o segmento industrial, além do segmento de transporte e residencial em busca da neutralização das emissões. (H2 View – 23.05.2022)

<topo>

4 Estados Unidos anuncia trabalho em projeto de hidrogênio verde no Texas

A ING Americas foi contratada pela Clean Energy Holdings, LLC (CEH) como consultora financeira em relação ao financiamento de projetos pela Renewable Energy and Technology Alliance. A Aliança está trabalhando com um grupo de commodities experiente para comercializar e liderar negociações de compra de seus projetos. A ING assumirá a liderança na obtenção de financiamento para o projeto de liquefação e hidrogênio verde de 250 MW da CEH Clear Fork, Texas. Como um dos maiores e principais desenvolvimentos de hidrogênio verde na América do Norte, o projeto está previsto para entrar em operação comercial no terceiro trimestre de 2024. Espera-se que o projeto produza uma média nivelada de 30.000 kg/dia de hidrogênio verde liquefeito. (H2 View – 23.05.2022)

<topo>

5 Malásia-Camboja: Hydrogen recebe um pontapé inicial hidrelétrico nos países em nova parceria

A PESTECH International Berhad e a Hydorgéne de France SA (HDF Energy) firmaram uma parceria para colaborar na produção de hidrogênio verde a partir de usinas hidrelétricas no Camboja e na Malásia. O Memorando de Entendimento (MoU) espera abordar a descarbonização de vários setores, como serviços de rede e projetos de aplicação industrial na região. A empresa de tecnologia elétrica da Malásia, PESTECH, deve aumentar seu compromisso com o desenvolvimento sustentável. Essas usinas fornecerão eletricidade contínua ou sob demanda a partir de fontes de energia renováveis (eólica ou solar), combinadas com células a combustível de alta potência fornecidas pela HDF Energy. O MoU entrará em vigor na data da assinatura do MoU e permanecerá em vigor por três anos a partir da data de vigência. (H2 View – 23.05.2022)

<topo>

6 Noruega: Grande marco alcançado em hub de hidrogênio

Um marco importante foi alcançado para o Hellesylt Hydrogen Hub, na Noruega, com o projeto definido para incorporar uma capacidade de produção de hidrogênio verde de 1.300 kg por dia. Originalmente iniciado em 2019, o hub tem como objetivo desenvolver e demonstrar uma cadeia de fornecimento de hidrogênio verde, com um ponto focal na área do fiorde de Geiranger, patrimônio mundial da UNESCO. Além de fornecer hidrogênio verde, o projeto visa desenvolver soluções sustentáveis para utilizar os subprodutos oxigênio e calor, para atingir todo o potencial da produção de hidrogênio verde. (H2 View – 23.05.2022)

<topo>

 

 

Armazenamento e Transporte

1 Bélgica-Holanda: Fluxys, Gasunie estão desenvolvendo redes de hidrogênio no porto do Mar do Norte

Gasunie, Fluxys e o Porto do Mar Norte estão trabalhando para desenvolver uma rede nacional de hidrogênio na Holanda e na Bélgica. As duas redes se conectarão na zona portuária na fronteira holandesa-belga. A conexão fornecerá hidrogênio para as empresas na zona portuária de 60 quilômetros que se estende de Vlissingen e Terneuzen, na Holanda, a Ghent, na Bélgica. Todas as empresas podem se conectar à infraestrutura. O objetivo é ter as redes operacionais até 2026 e juntá-las na fronteira. As tubulações da rede de hidrogênio serão instaladas principalmente ao longo das rotas de dutos existentes, minimizando o impacto no meio ambiente. O cluster industrial transfronteiriço no Porto do Mar do Norte é o maior centro de hidrogênio no Benelux. A rede transfronteiriça deverá ligar a oferta e a procura em larga escala em toda a zona portuária e impulsionará o desenvolvimento do mercado do hidrogénio. (Gasunie – 17.05.2022)

<topo>

2 Coreia do Sul irá explorar armazenamento de hidrogênio em larga escala

No dia 25 de maio, as unidades de armazenamento de McDermott CB&I e Korea Gas Corporation (KOGAS) assinaram um memorando de entendimento para explorar o desenvolvimento de armazenamento de hidrogênio líquido em larga escala para apoiar o roteiro de economia de hidrogênio da Coréia. A KOGAS agora opera quatro terminais de regaseificação de GNL e 4.945 quilômetros de gasodutos de gás natural na Coreia do Sul. A CB&I é especializada em projetar e construir esferas de pressão montadas em campo capazes de armazenar hidrogênio líquido a temperaturas de menos 423ºF. Seung Lee, vice-presidente executivo da KOGAS disse “O hidrogênio emergiu como um facilitador fundamental para atingir essas metas de descarbonização e a KOGAS desempenhará um papel de liderança na construção da infraestrutura para transporte, armazenamento e distribuição de hidrogênio para tornar essas ambições uma realidade”. (Offshore Energy – 25.05.2022)

<topo>

3 Reino Unido: Logan Energy apresenta nova unidade móvel de hidrogênio

A líder em tecnologias de hidrogênio, Logan Energy, apresentou um trailer de compressão móvel, que visa acelerar a adoção de hidrogênio como combustível veicular de baixo carbono no Reino Unido. A unidade de reboque pode ser facilmente anexada a um veículo e levada para qualquer lugar onde o hidrogênio precise ser movido de um cilindro para outro. Seu compressor automatizado garante que um veículo, ou cilindro, possa ser abastecido de uma só vez sem necessidade de atendimento. A unidade de compressão foi projetada com segurança e proteção em mente. O objetivo era construir algo que superasse as barreiras que muitas empresas têm para acessar equipamentos de hidrogênio onde e quando precisam. Um suprimento de hidrogênio é conectado à entrada da unidade, que pode ser um eletrolisador, hidrogênio comprimido em cilindros ou carretas, ou outras fontes. A unidade foi projetada para encher automaticamente três sistemas de pressão diferentes. (Logan Energy – 13.05.2022)

<topo>

4 Reino Unido: Projeto SHyLO recebe apoio para armazenamento de hidrogênio na EMEC

Liderado pela H2Go Power, o projeto SHyLO visa demonstrar a eficácia do armazenamento de hidrogênio verde em estado sólido em grande escala. O SHyLO foi selecionado para financiamento de £ 4,3 milhões concedido pelo Departamento de Negócios, Energia e Estratégia Industrial (BEIS), que apoia a pesquisa e a inovação na produção e transporte de hidrogênio. O financiamento será utilizado para projetar e construir uma solução modular de armazenamento de hidrogênio de baixa pressão a ser demonstrada na plataforma de pesquisa e desenvolvimento (P&D) de hidrogênio da EMEC, chamada Eday. A tecnologia de armazenamento inteligente da H2Go Power armazena e dispensa hidrogênio em materiais de estado sólido, alcançando densidades volumétricas de armazenamento mais altas do que o hidrogênio líquido e gasoso, exigindo menos espaço. A tecnologia armazena hidrogênio em temperaturas e pressões ambientes, tornando-o adequado para o armazenamento sazonal de longo prazo, além de aumentar a segurança e reduzir custos. No geral, a iniciativa tem o objetivo de desenvolver uma alternativa mais eficiente às soluções de armazenamento de alta pressão. (Offshore Energy – 24.05.2022)

<topo>

 

 

Uso Final

1 Alemanha: Novas estações de abastecimento de hidrogênio abertas pela Shell e H2 Mobility Deutschland

A Alemanha continua avançando com sua implantação de infraestrutura de reabastecimento de hidrogênio com uma nova estação agora operacional em Kirchheim. Desenvolvido pelos parceiros Shell e H2 Mobility Deutschland, o posto de abastecimento inaugurado na estação Shell Hauptstraße 1, expandido o número de postos de abastecimento de hidrogênio da Alemanha, que deve continuar a crescer. Isso é importante para a economia de hidrogênio do país. Com a implantação de mais estações de reabastecimento, aumenta a demanda para o mercado de mobilidade de hidrogênio e pode criar um efeito dominó para a indústria. A estação de abastecimento de hidrogênio está agora disponível regularmente, em modo de otimização, para o abastecimento de carros a hidrogénio a 700 bar. (H2 View – 20.05.2022)

<topo>

2 Polônia: Alstom e PKN ORLEN assinam acordo para introduzir trens e infraestrutura de hidrogênio no país

Um acordo estratégico, anunciado no dia 18 de maio, explorará o fornecimento de trens movidos a hidrogênio da Alstom para PKN ORLEN na Polônia. Deste modo, espera-se que os trens alimentados a hidrogênio possam estar operacionais em até dois anos, reduzindo as emissões de carbono da Polônia. A iniciativa pode ser um catalisador para aumentar a adoção de hidrogênio no país. Não apenas os trens a hidrogênio serão fornecidos por meio dessa parceria, mas também haverá fornecimento constante de combustível de hidrogênio para abastecer os trens. (H2 View – 20.05.2022)

<topo>

3 Portugal: A adição de 10% de hidrogênio ao gás natural será empregada no país

Portugal deve ganhar um novo projeto de mistura de hidrogênio com a Wärtsilä em parceria com a Capwatt para atingir essa meta em 2023. Revelado no dia 23 de maio, o projeto tem sede em Maia e testará até 10% do volume de hidrogênio verde em combustível de mistura de gás natural. A central combinada de calor e energia, na qual este projeto se assentará fornece energia para o Campus da Sonae, bem como para a rede de gás natural. Esta será uma das primeiras instâncias de uso do hidrogênio verde para reduzir a usina de energia da empresa. (H2 View – 23.05.2022)

<topo>

4 Reino Unido: Element 2 assina acordo para aumentar o reabastecimento de hidrogênio

O Reino Unido deve receber um impulso em sua economia de hidrogênio com a Element 2 e a Electra assinando um novo acordo para fornecer gás hidrogênio e a infraestrutura de reabastecimento associada. Isso faz parte de um acordo exclusivo divulgado no dia 23 de maio. Além de oferecer uma solução completa para fornecimento de hidrogênio, a Element 2 também fornecerá suporte técnico e logístico para a Electra e seus clientes atuais e potenciais, à medida que planejam e/ou definem soluções de reabastecimento de hidrogênio. (H2 View – 23.05.2022)

<topo>

5 Reino Unido: Sucesso do teste de célula a combustível marítima oferece esperança para o lugar do hidrogênio no transporte

As células a combustível da Ceres provaram ser eficazes na redução das emissões de dióxido de carbono no setor marítimo, oferecendo esperança de que o hidrogênio em breve abastecerá os navios. Como parte de um consórcio envolvendo a GE Power Conversion, MSC Cruise Management UK e Lloyd’s Register, a Ceres conseguiu confirmar a viabilidade de usar uma célula a combustível de gás natural de 10 MW instalada em uma grande embarcação, substituindo geradores movidos a diesel. Caroline Hargrove, Diretora Técnica da Ceres, comentou: “Aguardamos a segunda fase da competição para demonstrar ainda mais um caminho de transição seguro e viável para o setor de transporte marítimo neutralizar as suas emissões de maneira alinhada com o Plano Marítimo Limpo do Reino Unido e as metas de mudança climática global nacional e internacional juridicamente vinculativas”. (H2 View – 24.05.2022)

<topo>

 

 

Tecnologia e Inovação

1 Alemanha: Produção de hidrogênio modular e escalável a partir de H-TEC

A H-TEC SYSTEMS revelou no dia 23 de maio seu conceito modular de eletrólise PEM Hydrogen Cube System (HCS), que pode ser dimensionado para aplicações industriais. A empresa afirmou que um HCS de 10 MW pode produzir até 4.500 kg de hidrogênio por dia, o equivalente a reabastecer 40 a 50 caminhões ou ônibus movidos a hidrogênio, o que reduziria as emissões de dióxido de carbono em 117 toneladas por dia. Além disso, cubos de 2 MW do sistema podem ser combinados a sistemas multi-megawatt. Os cubos atingem uma eficiência de sistema de 74% e são equipados com tratamento de água de processo integrado e fornecimento de energia. Como as estratégias nacionais de hidrogênio se concentram em indústrias de difícil eletrificação, além do reabastecimento da frota, a H-TEC diz que seu sistema é adequado para a produção industrial, como plantas químicas ou produção de aço. (H-TEC SYSTEMS – 23.05.2022)

<topo>

2 Coreia do Sul: Catalisadores monoatômicos à base de cobalto com desempenho de 40%

Pesquisadores sul-coreanos do instituto de Ciência e Tecnologia da Coréia (KIST) desenvolveram uma tecnologia de catalisador à base de cobalto atômico que é adequada para o desenvolvimento de catalisadores em uma variedade de campos, incluindo células a combustível, eletrólise da água, células solares e petroquímica. Com desempenho e estabilidade aproximadamente 40% aprimorados em comparação com os catalisadores de nanopartículas de cobalto contemporâneos. (PV Magazine – 20.05.2022)

<topo>

3 EUA: Novo método poderia produzir hidrogênio a partir de biogás por US$ 2/kg

A Kore, uma startup de energia na Califórnia, desenvolveu uma nova maneira de produzir hidrogênio a partir do biogás e agora está pronta para construir uma instalação de demonstração em escala comercial em Los Angeles. A startup afirma que o novo método poderia fornecer hidrogênio por menos de US$ 2 por kg. Afirma ainda que metade do carbono na matéria-prima pode ser convertida em gás, enquanto a outra metade pode ser convertida em carvão elementar sólido. “Produzimos biogás e biochar a partir de matérias-primas biogênicas e o biogás resultante contém hidrogênio, monóxido de carbono, metano e dióxido de carbono”, disse o vice-presidente executivo de desenvolvimento de negócios da Kore, Steve Wirtel. “O monóxido de carbono também pode ser convertido em mais hidrogênio, e podemos usá-lo para aplicações de hidrogênio.” Segundo Wirtel o estado pode oferecer mais de 40 milhões de toneladas de biomassa por ano. Para ler mais sobre o projeto, clique aqui. (dot.LA – 12.04.2022)

<topo>

4 Reino Unido: Novo centro de inovação para otimizar a tecnologia de produção de hidrogênio da Powerhouse

O Powerhouse Energy Group PLC (PHE), revelou seus planos de criar um Centro Global de Tecnologia e Inovação (GTIC) com sede no Reino Unido, que pretende abrir no início de 2023. O GTIC foi projetado para agregar força à construção do nível de prontidão tecnológica (TRL) das tecnologias e sistemas que a PHE possui em sua oferta, reforçando assim a estratégia de crescimento da empresa. A Powerhouse construirá o GTIC no Reino Unido depois de assinar recentemente acordos com fornecedores para fornecer uma solução pronta para o centro. Está em andamento uma pesquisa de site específico para o GTIC, e o objetivo é situá-lo próximo às redes de fabricação, tecnologia e pesquisa e, ao mesmo tempo, torná-lo acessível aos clientes. Isso ajudará o desenvolvimento contínuo da tecnologia para uso comercial. (Powerhouse Energy Group – 24.05.2022)

<topo>

5 Rússia: Inovação que gera 1650 moléculas de hidrogênio por hora

Os cientistas de Novosibirsk propuseram um novo método eficiente para a síntese de um fotocatalisador altamente ativo para a produção de hidrogênio sob a ação da luz solar. Os materiais desenvolvidos são “esponjas” porosas feitas de nitreto de carbono tipo grafite com nanopartículas de platina. O sistema apresentou um dos maiores valores de atividade fotocatalítica, entre todos os análogos conhecidos, com baixo teor de metais nobres, diz a Russian Science Foundation. Essa abordagem possibilitou a obtenção de um sistema com a maior “taxa de rotatividade” de produção de hidrogênio entre todos os fotocatalisadores atualmente conhecidos – 1650 moléculas de gás geradas por um único átomo de platina por hora. Além disso, o catalisador mostrou-se bastante estável, e sua estrutura cristalina e composição química praticamente não mudaram após a reação. (Global Energy – 21.05.2022)

<topo>

 

 

Eventos

1 Hidrogênio na Califórnia

A California Fuel Cell Partnership (CaFCP) é uma das maiores colaborações da indústria/governo em todo o mundo. O estado dos EUA é pioneiro na mobilidade do hidrogênio, com 13.806 carros movidos a célula de combustível foram vendidos e alugados nos EUA, 66 ônibus movidos a célula a combustível estão em operação na Califórnia, 76 FCEBs estão em desenvolvimento e 56 estações de hidrogênio estão disponíveis. Neste contexto, o webinar apresentará os projetos atuais e dará uma visão sobre os desenvolvimentos futuros na Califórnia. O evento acontece no dia 6 de julho. Inscreva-se aqui. (Mission Hydrogen – junho de 2022)

<topo>

2 Amônia verde – O outro hidrogênio

A produção de amônia para a indústria de fertilizantes é o maior mercado de hidrogênio hoje. Com mais de 50 milhões de toneladas de hidrogênio por ano, a amônia já é um mercado multibilionário. Ao mesmo tempo, com mais de 500 milhões de toneladas de emissões de CO2, sendo também um importante fator de mudança climática. A amônia também é considerada um transportador de energia promissor e transportável, por ser relativamente fácil de manusear e transportar, ao contrário do hidrogênio puro. Deste modo, o webinar busca debater como a amônia e o hidrogênio podem trabalhar em conjunto, qual o papel da amônia dentro da economia de hidrogênio, bem como outros aspectos envolvendo o tema, o evento acontece no dia 13 de julho. Inscreva-se aqui. (Mission Hydrogen – junho de 2022)

<topo>

 

 

Artigos e Estudos

1 Acoplamento de fontes de energia para evitar intermitência na produção de hidrogênio verde

As fontes renováveis modernas como a eólica ou solar são de natureza intermitente, fato que representa um desafio para o funcionamento dos eletrolisadores. Neste documento é apresentado uma estrutura de otimização baseada em superestrutura para projetar processos de produção de hidrogênio. O projeto envolve a seleção das fontes de energia (geradores eólicos/solar, rede), a seleção do tipo e tamanho do eletrolisador e a seleção dos dispositivos de armazenamento de energia (bateria, embarcações. Os resultados sustentam a ideia de que se deve buscar complementar o padrão das fontes de energia, mas não a ideia de produzir hidrogênio para aproveitar o excedente de energia e evitar o contingenciamento. (Chemical Engineering Research and Design – 2022)

<topo>

2 Estudo de caso do Egito: Cadeia de valor de hidrogênio e análise das tendências atuais

A crescente preocupação com o meio ambiente impacta diretamente no setor de energia, direcionando este segmento a uma transição para a energia limpa. Nesse contexto, vários governos ao redor do mundo estão atuando no desenvolvimento do hidrogênio, um vetor energético potencial para descarbonizar os setores de difícil eletrificação. Como resultado, este artigo fornecerá uma visão geral de alto nível da cadeia de valor do hidrogênio, bem como uma análise das tendências atuais e emergentes no mercado global de hidrogênio, particularmente no Oriente Médio e Norte da África (MENA), que são considerados como a chave do atual sistema de combustível fóssil tradicional. O Egito, como estudo de caso, poderia instruir outros países emergentes em geral, e fornecedores de gás natural em particular, sobre como maximizar os ganhos trocando as importações atuais por hidrogênio azul feito de gás natural. (ScienceDirect – 2022)

<topo>

3 Estudo mostra o perigo de investir em hidrogênio azul mediante ao preço do gás natural

O Reino Unido anunciou a Estratégia Britânica de Segurança Energética em abril deste ano, que exige até 10 GW de hidrogênio de baixo carbono até 2030, dos quais 5 GW poderiam ser hidrogênio azul. Entretanto, recentemente, o Instituto de Economia da Energia e Análise Financeira (IEEFA) divulgou um estudo onde critica o investimento do hidrogênio azul nessa onda onde o preço do gás natural está elevado. Para reforçar a crítica, o artigo traz dois pontos principais: (1) Preços elevados do gás e um mercado futuro apertado significam que o hidrogênio azul não é mais uma solução de baixo custo; O IEEFA estima que os custos do hidrogênio azul publicados pelo governo do Reino Unido no ano passado são agora 36% maiores, chamando em questão o apoio político continuado para o desenvolvimento da tecnologia. (2) O hidrogênio azul é uma extensão da cadeia de valor do gás e não faz sentido como um investimento durante uma crise do preço do gás. (IEEFA – 2022)

<topo>

4 O potencial da produção de amônia verde para incentivar a transição energética na China

Este artigo avalia o caso da produção local de amônia verde para reduzir a importação de energia renovável inter-regional pela China. Diante disto, o artigo aborda principalmente a produção local de amônia verde para reduzir a redução de energia renovável, os impactos dos incentivos institucionais na produção de amônia verde, além de que realiza uma aplicação de um modelo híbrido para simular o ciclo de vida da produção verde. Por fim, o artigo também aborda que o investimento em amônia verde apresenta vantagens econômicas e ambientais. (ScienceDirect – 2022)

<topo>

5 Relatório demonstra como o Texas se tornaria uma potência global de hidrogênio

A McKinsey divulgou um relatório denominado por “Houston as the epicenter of a global clean hydrogen hub” que demonstra como o Texas poderia aproveitar o financiamento do governo e se tornar uma potência global de hidrogênio. Dentre os diversos fatores positivos que o Texas possui para conseguir tal objetivo, o relatório aborda principalmente os seguintes: (1) Muitos fatores dão ao Texas vantagens significativas sobre o custo e a capacidade de produção de hidrogênio, como geração de energia renovável abundante e gás natural de baixo custo. (2) O Texas tem vantagens naturais no desenvolvimento de transporte e armazenamento de hidrogênio com boa relação custo-benefício , devido aos seus extensos oleodutos de petróleo e gás e hidrogênio, experiência em armazenamento de hidrogênio, cavernas de sal e infraestrutura portuária desenvolvida. (McKinsey – 2022)

<topo>


Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Luiza Masseno e Sayonara Andrade Elizário
Pesquisadores: Allyson Thomas,
José Vinícius S. Freitas, Kalyne Silva Brito e Luana Oliveira 
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

As notícias divulgadas no IFE não refletem necessariamente os pontos da UFRJ. As informações que apresentam como fonte UFRJ são de responsabilidade da equipe de pesquisa sobre o Setor Elétrico do Instituto de Economia da UFRJ.

POLÍTICA DE PRIVACIDADE E SIGILO
Respeitamos sua privacidade. Caso você não deseje mais receber nossos e-mails,  Clique aqui e envie-nos uma mensagem solicitando o descadastrado do seu e-mail de nosso mailing.


Copyright UFRJ

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: