IFE.H2 79

Informativo Eletrônico – Geração de Energia com Hidrogênio nº 79 – publicado em 23 de maio de 2022.

IFE: Informativo Eletrônico de Hidrogênio – GESEL-UFRJ <!–

l

IFE: nº 79 – 23 de maio de 2022
http://gesel.ie.ufrj.br/
gesel@gesel.ie.ufrj.br

Editor: Prof. Nivalde J. de Castro

Índice

Políticas Públicas e Financiamentos
1
Austrália: Primeiro-ministro promete US$ 300 milhões para a indústria de energia
2 Austrália: Governo confirma US$ 218 milhões para novos projetos de energia e cimento em Whyalla
3 Austrália: Queensland financia US$ 2,7 milhões para atualização da frota de ônibus a hidrogênio
4 Espanha: Líder catalão acredita que gasoduto até a França será construído nesta década
5 Grécia: Governo assina acordo PSO de 500 milhões de euros com empresa
6 Reino Unido: novo Zero Emission Flight Delivery Group reforçará o hidrogênio na aviação

Produção
1 Argentina: MMEX Resources está prestes a desenvolver planta de hidrogênio verde
2 Canadá: Empresas estudam possibilidade de desenvolver projeto de hidrogênio com carbono negativo
3 Canadá: TC Energy e Nikola se unem para desenvolver planta de hidrogênio de baixo carbono
4 Egito: Projeto de produção de hidrogênio verde de 4 GW
5 Escócia: Getech começa a desenvolver hub de hidrogênio verde
6 EUA: Plug Power e Olin estabelecem Joint Venture para desenvolver planta de H2V
7 Hungria: Novo acordo para desenvolver projeto de hidrogênio verde com maior capacidade
8 Suécia: Permacand desenvolverá uma instalação de produção de hidrogênio verde em larga escala

Armazenamento e Transporte
1 Canadá/EUA: Armazenamento em caverna de sal de hidrogênio em grande escala a ser explorado
2 Reino Unido: Escócia pode ser a primeira a armazenar hidrogênio verde em poços subterrâneos

Uso Final
1 Austrália: Amônia líquida é o novo combustível da H2 Aviation
2 Canadá: MOU é assinado para entregar a primeira frota aérea de hidrogênio-diesel
3 França : HYPE encomenda duas estações HRS
4 Reino Unido: Vertiport para integrar tecnologias de hidrogênio à aeronaves de emissão zero

5 Vietnã: Novo projeto como oportunidade para exportação da amônia verde

Tecnologia e Inovação
1 Equipe internacional mostra hidrogênio produzido através de membranas cerâmicas condutora de prótons
2 EUA: Tecnologia inovadora pode substituir metais preciosos em eletrolisadores

Eventos
1 F-cell Canadá
2 Congresso Mundial de Eletrólise
3 Certificações Internacionais e Nacionais de Hidrogênio – Teor de Carbono
4 Simpósio SAE BRASIL: “Challenge H2 Truck elétrico-etanol”

Artigos e Estudos
1 Análise térmica e otimização de microrredes autônomas com armazenamento de hidrogênio à base de hidreto metálico
2 EPE publica Nota Técnica sobre a Produção e Consumo de Hidrogênio em Refinarias no Brasil
3 Estudo de caso na Suécia: Custo nivelado de hidrogênio para estações de reabastecimento
4 MCKinsey’s divulga o Global Energy Perspective 2022

5 Proteção Climática e Mobilidade Sustentável através do Hidrogênio Verde



 

 

Políticas Públicas e Financiamentos

1 Austrália: Primeiro-ministro promete US$ 300 milhões para a indústria de energia

O Primeiro-ministro da Austrália e líder do Partido Liberal, Scott Morrison disse que entregará disse que gastará US$ 300 milhões em energia, no Território do Norte. Esse valor faz parte de um compromisso do governo, de US$ 2,6 bilhões para aumentar as capacidades de exportação do território. Do pacote de US$ 300 milhões até US$ 130 milhões será destinado aos gigantes do gás Inpex, Santos e Darwin LNG para construir um novo centro de captura e armazenamento de carbono e avaliar outras opções para armazenamento de carbono. Enquanto isso, a quantia de até US$ 70 milhões será destinada a um novo centro industrial de hidrogênio fora de Darwin para apoiar a produção de hidrogênio para exportação e uso doméstico. O financiamento, que está condicionado à demonstração do custo-benefício, também inclui US$ 96 milhões para futuros projetos de energia limpa no Território do Norte. (ABC – 24.04.2022)

<topo>

2 Austrália: Governo confirma US$ 218 milhões para novos projetos de energia e cimento em Whyalla

O governo federal alocou US$ 70 milhões de seu orçamento recentemente anunciado para o projeto de Ativação do Hub de Hidrogênio de Port Bonython, que visa colocar produtores, usuários e exportadores de hidrogênio no mesmo lugar. Ele também alocou US$ 110 milhões em financiamento para uma usina de energia solar térmica de 20 megawatts em Port Augusta que foi proposta pela Vast Solar, US$ 20 milhões para uma empresa que planeja construir um negócio integrado de cimento verde em Whyalla, Port Augusta e Port Adelaide, e US$ 15 milhões para um projeto de demonstração de captura e armazenamento de carbono em Moomba. O primeiro-ministro Scott Morrison disse que projetos no valor total de US$ 500 milhões – incluindo investimento privado – criariam milhares de empregos. Ele disse que o governo contribuiria com um total de US$ 218 milhões, inclusive por meio de programas de subsídios existentes. (ABC – 28.04.2022)

<topo>

3 Austrália: Queensland financia US$ 2,7 milhões para atualização da frota de ônibus a hidrogênio

O governo de Queensland fez um investimento de US$ 2,7 milhões para apoiar uma empresa local de ônibus que está substituindo sua frota de diesel por uma movida a hidrogênio. A Emerald Coaches deve adicionar dois ônibus elétricos de célula a combustível até meados de 2023 com o apoio do governo. Os ônibus a hidrogênio têm um alcance de cerca de 240 km com um único tanque. O projeto respalda a missão da empresa de abandonar seus 120 ônibus a diesel em favor de atingir emissões zero até 2040. No geral, a transição deve custar à Emerald Coaches cerca de US$ 100 milhões. O apoio do governo estadual virá através da segunda rodada do Fundo de Desenvolvimento da Indústria de Hidrogênio (HIDF) de US$ 35 milhões. A segunda rodada alocará US$ 20 milhões para projetos de hidrogênio renovável como apoio adicional à Estratégia da Indústria de Hidrogênio de Queensland. (Innovation Aus – 21.04.2022)

<topo>

4 Espanha: Líder catalão acredita que gasoduto até a França será construído nesta década

O chefe do governo regional da Catalunha está confiante de que um gasoduto para transportar gás e potencialmente hidrogênio verde da região nordeste da Espanha até a França será construído nesta década, enquanto a Europa busca reduzir sua dependência energética da Rússia. A construção ocorrerá principalmente devido ao aumento do apoio político no país ao projeto do gasoduto Midi-Catalonia (Midcat), que foi rejeitado por reguladores franceses e espanhóis em 2019 pois não respondia às necessidades do mercado, mesmo com o apoio da União Europeia. O primeiro-ministro da Espanha, Pedro Sánchez, disse que esse é o momento certo para promover as interconexões energéticas entre a Espanha, que possui a maior frota de terminais de importação de gás natural liquefeito (GNL), e o resto da Europa para substituir o gás russo. Sánchez sugeriu que o Midcat poderia ser financiado com fundos da União Europeia, alegando que a nova infraestrutura também deve incluir gases verdes, como o hidrogênio, embora ainda haja dúvida se a França apoiará o projeto. (Reuters – 21.04.2022)

<topo>

5 Grécia: Governo assina acordo PSO de 500 milhões de euros com empresa

Um novo contrato de Obrigação de Serviço Público (PSO) foi assinado em 14 de abril pelo ministro de infraestrutura e transporte da Grécia, Costas Karamanlis, e o ministro das finanças, Christos Staikouras, com Maurizio Capotorto, CEO da operadora nacional de trens Trainose. O acordo fornecerá € 50 milhões por ano pelos próximos 10 anos para financiar serviços deficitários, com uma extensão automática de cinco anos. Staikouras diz que a Trainose se comprometeu com “investimentos substanciais no transporte ferroviário de passageiros” em três áreas. 163,5 milhões de euros serão investidos em pelo menos 10 trens de emissão zero de hidrogênio, 10 novos trens para serviços suburbanos e uma reconstrução completa e atualização de 15 EMUs. (Rail Journal – 22.04.2022)

<topo>

6 Reino Unido: novo Zero Emission Flight Delivery Group reforçará o hidrogênio na aviação

O secretário de Transportes Grant Shapps e o secretário de Negócios Kwasi Kwarteng estabeleceram, no dia 20 de abril, um novo grupo de especialistas em aviação formado pela indústria e integrantes do governo que trabalharão juntos para tornar realidade o voo com emissão zero. Com líderes mundiais em descarbonização da aviação, o novo Zero Emission Flight (ZEF) Delivery Group, reforçará o papel da Grã-Bretanha no esforço global para acabar com as emissões em voos. Lançado na quinta reunião do Jet Zero Council, o novo grupo ajudará a posicionar o Reino Unido na vanguarda da transição para a aviação verde, apoiando o desenvolvimento de aeronaves de emissão zero e infraestrutura aeroportuária. Aspectos legais para adaptar a aviação atual à nova realidade também serão discutidos. O grupo fará parte do Jet Zero Council – um fórum consultivo com especialistas de todo o setor – e se concentrará especificamente na tecnologia, infraestrutura e regulamentação necessárias para viabilizar voos de emissão zero. (Governo do Reino Unido – 20.04.2022)

<topo>

 

 

Produção

1 Argentina: MMEX Resources está prestes a desenvolver planta de hidrogênio verde

A MMEX Resources, empresa que atua no desenvolvimento de soluções de energias limpas, está prestes a desenvolver um projeto de construção de uma planta de produção de hidrogênio na área de Río Grande, Argentina. A planta contará com eletrolisadores que serão alimentados por 160 MW de energia eólica, para assim produzir hidrogênio verde (H2V). Dessa forma, assim que operacional, a unidade será capaz de produzir uma quantia de 55 toneladas de H2V por dia. Em termos de uso final, o gás poderá ser utilizado para produzir amônia ou metanol e ser transportado para mercados exteriores, como a Europa. Estima-se que o investimento deste projeto seja da ordem de US$ 500 milhões, gerando até 1.500 empregos na fase de construção e 300 empregos qualificados e permanentes na fase de operação. (MMEX Resources – 28.04.2022)

<topo>

2 Canadá: Empresas estudam possibilidade de desenvolver projeto de hidrogênio com carbono negativo

A Fort Nelson First Nation e a Hydrogen Naturally, assinaram um acordo para estudar a possibilidade de um projeto de uma planta de hidrogênio no Canadá. O projeto utilizará como produtos primários os resíduos de colheita e fibra residual, ou seja, biomassa, visando a produção do hidrogênio que é classificado como musgo. Além da produção do gás, o projeto também vai implantar a tecnologia de CCUS, para capturar as emissões de CO2 e, assim, produzir o hidrogênio com carbono negativo. Para desenvolver esta instalação, será necessário um investimento da ordem de US $1,2 bilhão. Por fim, as empresas esperam contribuir com a economia do hidrogênio ao mesmo tempo que atuam na transição energética. (H2 View – 27.04.2022)

<topo>

3 Canadá: TC Energy e Nikola se unem para desenvolver planta de hidrogênio de baixo carbono

A TC Energy, uma empresa norte-americana de energia, e a fabricante de veículos elétricos Nikola se uniram para firmar um projeto de desenvolvimento de uma unidade de produção de hidrogênio de baixo carbono em Alberta, Canadá. O projeto ainda está sendo estudado e terá uma decisão final sobre o valor do investimento até o final de 2023. Entretanto, caso seja bem sucedido, a unidade será capaz de produzir, inicialmente, cerca de 60 toneladas de hidrogênio limpo por dia. No futuro, o projeto será escalonado para aumentar a capacidade de produção para 150 toneladas de hidrogênio por dia. Por fim, em termos de uso final, o gás será utilizado na indústria, a fim de descarbonizar este segmento de difícil eletrificação.(TC Energy – 26.04.2022)

<topo>

4 Egito: Projeto de produção de hidrogênio verde de 4 GW

Em um novo acordo revelado no dia 25 de abril, a Masdar apoiará o desenvolvimento da produção de hidrogênio verde no Egito, através da assinatura de um memorando de entendimento (MoU). Assinada entre a Masdar e a Hassan Allam Utilities, as duas empresas pretendem instalar um eletrolisador de 4GW até 2030, que também terá uma produção anual de até 480.000 toneladas de hidrogênio verde. As novas usinas localizadas na Zona Econômica do Canal de Suez fortalecerão a produção de hidrogênio no Egito e também oferecerão oportunidades de exportação na costa do Mediterrâneo. Com o potencial de energia renovável do Egito, o país pode se tornar uma potência para a produção global de hidrogênio verde e, assim, apoiar o mundo na expansão da indústria de hidrogênio. (H2 View – 25.04.2022)

<topo>

5 Escócia: Getech começa a desenvolver hub de hidrogênio verde

A Getech começou a desenvolver um projeto que visa a construção de um hub de hidrogênio verde (H2V) em Inverness, Escócia. Em relação a unidade de produção do H2V, a mesma contará com eletrolisadores que, em sua fase final, vão somar uma capacidade instalada de 20 MW e serão alimentados por energias renováveis. A partir de então, haverá uma produção de 8 toneladas de H2V por dia. No que concerne ao uso final, o gás será utilizado como combustível para atender à demanda ferroviária da estação de Iverness, além de atender veículos pesados de mercadorias e frotas de ônibus da região. A unidade ainda não está sendo construída, e espera-se que comece a funcionar após 3 meses da sua data de revelação (27 de abril). (H2 View – 27.04.2022)

<topo>

6 EUA: Plug Power e Olin estabelecem Joint Venture para desenvolver planta de H2V

A Plug Power, que atua no desenvolvimento de células a combustível, e a Olin, empresa fabricante de produtos químicos, estabeleceram uma Joint Venture para desenvolver um projeto de construção de uma planta de hidrogênio verde em Louisiana, nos Estados Unidos (EUA). A planta contará com a tecnologia de eletrólise que será alimentada por energia renovável. A unidade será capaz de produzir cerca de 15 toneladas de H2V por dia que serão utilizadas em células a combustível para produzir eletricidade e assim alimentar o sistema elétrico local. O projeto tem por objetivo desenvolver o mercado de hidrogênio ao mesmo tempo que atua no desenvolvimento sustentável. (Plug Power – 28.04.2022)

<topo>

7 Hungria: Novo acordo para desenvolver projeto de hidrogênio verde com maior capacidade

O Grupo MOL revelou um novo acordo com a Plug Power com o objetivo de desenvolver uma das instalações de produção de hidrogênio verde de “maior capacidade” da Europa na Hungria. O projeto irá incorporar uma unidade eletrolisadora Plug Power de 10 MW com um custo total esperado de cerca de € 22 milhões. Ao fazê-lo, a instalação será capaz de produzir cerca de 1.600 toneladas de hidrogênio verde anualmente. Uma vez operacional em 2023, espera-se que a MOL use o hidrogênio verde em sua Refinaria do Danúbio durante a produção de combustível de seu próprio sistema de hidrogênio. Ele será incorporado às moléculas dos combustíveis MOL, reduzindo as emissões de carbono da tecnologia de produção e do produto final. (H2 View – 29.04.2022)

<topo>

8 Suécia: Permacand desenvolverá uma instalação de produção de hidrogênio verde em larga escala

A Permacand assinou uma carta de intenção (LOI) com a RES para desenvolver uma usina de hidrogênio verde em Alby, Município de Ånge, Suécia. A planta de produção aumentará a capacidade da Suécia no setor de hidrogênio e, além disso, apresentará oportunidades para descarbonização das empresas locais. Com o início do desenvolvimento da planta, espera-se que ela esteja operacional até 2024, com a possibilidade de expandir a instalação para uma escala maior em 2026 e 2027. Peter Lundström, CEO da Permascand, disse que é um começo muito positivo e interessante para contribuir para um projeto de desenvolvimento desse tipo. (H2 View – 25.04.2022)

<topo>

 

 

Armazenamento e Transporte

1 Canadá/EUA: Armazenamento em caverna de sal de hidrogênio em grande escala a ser explorado

À medida que as indústrias de hidrogênio e energia renovável crescem, há uma necessidade vital de aumentar a capacidade de armazenamento de energia para apoiar o setor. Com isso, a Atura Power e a Plains All American assinaram um memorando de entendimento (MoU) e pretendem atender a essa crescente necessidade desenvolvendo um projeto de armazenamento subterrâneo de hidrogênio utilizando cavernas de sal. As duas empresas realizarão um estudo de viabilidade e um estudo de projeto de engenharia de front-end (FEED) relacionado aos ativos e operações existentes em Windsor, Ontário, Canadá. Esses estudos terão como objetivo avaliar a adequação do desenvolvimento e operação de um eletrolisador de 20 MW situado ao lado da Estação Geradora Bright Beach (BBGS) da Atura. O aspecto de armazenamento subterrâneo do projeto incorporará cavernas de sal para armazenar grandes quantidades de hidrogênio para quando houver demanda. (Atura Power – 21.04.2022)

<topo>

2 Reino Unido: Escócia pode ser a primeira a armazenar hidrogênio verde em poços subterrâneos

Projeto escocês entre a Gravitricity e a Arup prevê estudo de viabilidade e armazenamento de hidrogênio em poços subterrâneos, depois de receber um fundo de £ 300.000 do Departamento de Energia Empresarial e Estratégia Industrial. A empresa de armazenamento de energia e a consultoria ambiental também trabalharão para encontrar um local em potencial que possa acomodar o armazenamento subterrâneo de hidrogênio. Além disso, o projeto também envolverá armazenamento de energia por gravidade e calor intersazonal, já que a Gravitricity desenvolve um sistema que aproveita a força da gravidade – usando o excesso de eletricidade para levantar grandes pesos em um eixo que pode ser liberado, convertendo os dispositivos de elevação em geradores. Armazenar hidrogênio em poços subterrâneos é intrinsecamente mais seguro e menos intrusivo do que as opções acima do solo e é uma solução que não requer geologia exclusiva, como cavernas de sal, disse Molyneux, líder de armazenamento térmico e de hidrogênio da Gravitricity. (Energy Live news – 19.05.2022)

<topo>

 

 

Uso Final

1 Austrália: Amônia líquida é o novo combustível da H2 Aviation

A Aviation H2 selecionou o uso de amônia líquida para combustão de turbofan como a melhor rota para um voo livre de carbono. Em breve, a empresa começará a modificar os motores turbofan para testar e provar o conceito. Após um estudo de viabilidade de três meses, sua pesquisa mostra que a conversão de um Falcon 50 para Combustão Turbofan de Amônia Líquida é o caminho mais eficiente e comercialmente viável para a construção de um avião movido a hidrogênio. A empresa diz que agora tem um caminho claro para ter a primeira aeronave movida a hidrogênio da Austrália nos céus até 2023. Ela acredita que o uso das tecnologias e infraestrutura atuais serão importantes para os futuros clientes, pois permite que eles modifiquem as aeronaves nas quais já investiram, em vez de comprar uma frota totalmente nova. Assim que o voo de teste for bem-sucedido em meados de 2023, a Aviation H2 terá um método patenteado para modificar aeronaves que operem com combustível livre de carbono. (H2 View – 28.04.2022)

<topo>

2 Canadá: MOU é assinado para entregar a primeira frota aérea de hidrogênio-diesel

Na Convenção Canadense de Hidrogênio desta semana, o Edmonton International Airport (EIA) e a Hydra Energy anunciaram a assinatura de um memorando de entendimento para entregar a primeira frota de hidrogênio-diesel na América do Norte. O EIA continua a centrar esforços na sustentabilidade de aeroportos em todo o mundo com planos para produzir hidrogênio de baixo carbono para sua frota convertida pela Hydra. Esse é o segundo anúncio da Hydra em Alberta, que na semana passada assinou acordo com seu cliente Veteran Express Secure Logistics (VEXSL), através da oferta do Hydrogen-as-a-Service™ (HaaS). Sob os termos do MOU, a Hydra converterá os veículos leves, médios e pesados do EIA e outros equipamentos do aeroporto usando seu sistema proprietário de co-combustão hidrogênio-diesel. Isso reduzirá as emissões em até 40% por veículo sem afetar negativamente o desempenho sem nenhum custo para o aeroporto. (FuelCellsWorks – 28.04.2022)

<topo>

3 França : HYPE encomenda duas estações HRS

A Hydrogen-Refueling-Solutions (HRS) anunciou seus dois primeiros postos, destinados a integrar a rede de postos Hype, aberta a todos. Conforme anunciado em 14 de dezembro de 2021, a HRS realizou um acordo com a Hype no valor de 6 milhões de euros, com uma taxa de juro capitalizada de 4,5% e maturidade de nove anos. O acordo contém um compromisso com a Hype de receber equipamentos fornecidos exclusivamente pela HRS nas suas próximas oito estações, 6 com capacidade de 1.000 kg/dia e 2 com capacidade de 200 kg/dia. Neste momento, a HRS irá fornecer as 2 primeiras estações: uma para 200 kg/dia e outra para 1.000 kg/dia. As outras 5 estações com capacidade de 1.000 kg/dia serão entregues gradualmente até junho de 2023. Um novo compromisso deve ser negociado antes do final de 2022, de co-exclusividade para a implantação conjunta de um mínimo de 50 estações HRS. As estações serão instaladas principalmente na Île-de-France para apoiar a meta da Hype: a implantação de 10.000 veículos para táxis. (H2 Bulletin – 26.04.2022)

<topo>

4 Reino Unido: Vertiport para integrar tecnologias de hidrogênio à aeronaves de emissão zero

À medida que o transporte aéreo de emissão zero continua a ver novas soluções inovadoras, o Reino Unido ganhará um novo Vertiport com capacidade para suportar aeronaves movidas a hidrogênio. Sendo desenvolvido pela Supernal e Urban-Air Port, o hub de operações Air-One permitirá o reabastecimento de diversas variações de transporte aéreo de emissão zero. Isso pode apoiar o dimensionamento do setor de aeronaves a hidrogênio, com vertiports sendo implementados em cidades do mundo todo. O Air-One radial de 17.000 pés quadrados foi construído em 11 semanas na cidade de Coventry, Reino Unido. As células a combustível movidas a hidrogênio alimentarão os carregadores do vertiport, fornecendo energia estável, confiável e verde para aeronaves elétricas de emissão zero. Mike Whitaker, diretor comercial da Supernal, afirmou: “A ativação do Air-One é um passo importante para o setor de mobilidade aérea avançada e demonstra como os eVTOLs podem se integrar facilmente às redes de transporte existentes para atender às necessidades locais.” (H2 View – 25.04.2022)

<topo>

5 Vietnã: Novo projeto como oportunidade para exportação da amônia verde

Um projeto de exportação de amônia verde no Vietnã foi anunciado no dia 28 de abril. O projeto está sendo desenvolvido pela ECONNECT Energy e The Green Solutions. Como primeiro passo, espera-se que a ECONNECT Energy realize um estudo pré-FEED seguido de um contrato EPC para a fabricação e instalação de um iQuay sem cais para entregar amônia verde da planta onshore para navios de armazenamento de amônia para exportação. A ECONNECT Energy foi pioneira na transferência de GNL “sem cais” do mundo para um terminal terrestre em 2017 e continua a fornecer tecnologia baseada em cais sem cais para uma variedade de aplicações de transferência de energia e abastecimento. Morten Christophersen, CEO da ECONNECT Energy, afirmou: “O projeto de baixo impacto do IQuay é a solução perfeita para superar os desafios das águas rasas da região, permitindo a exportação marinha de amônia verde.” (H2 View – 28.04.2022)

<topo>

 

 

Tecnologia e Inovação

1 Equipe internacional mostra hidrogênio produzido através de membranas cerâmicas condutora de prótons

Uma pesquisa realizada por uma equipe internacional mostra a produção de hidrogênio por meio de um novo sistema baseado em membranas cerâmicas condutoras de prótons. A equipe que inclui o Instituto de Tecnologia Química (ITQ), o Conselho Nacional de Investigação Espanhol (CSIC) e a Universidade Politécnica de Valencia (UPV), desenvolveu um novo reator eletrificado para produzir hidrogênio de forma mais sustentável e de maneira energeticamente eficiente. A equipe combinou com sucesso 36 membranas cerâmicas individuais em um gerador modular escalável que produz hidrogênio a partir de eletricidade e vários combustíveis com perda de energia quase zero. O projeto permitiu dimensionar um reator eletrificado para atingir uma produção de cerca de meio quilo de hidrogênio pressurizado por dia por eletrocompressão, com pureza muito alta e eficiência energética máxima, acima de 90%. (CSIC – 22.04.2022)

<topo>

2 EUA: Tecnologia inovadora pode substituir metais preciosos em eletrolisadores

A NewHydrogen, desenvolvedora de um sistema gerador de hidrogênio, revelou um catalisador de átomo único inovador que mostra melhor desempenho do que a platina em estudos de laboratório. De acordo com a empresa, a descoberta pode ser uma tecnologia e inovação vital para desbloquear a geração de hidrogênio verde com custo competitivo e apoiar a revolução verde. Os resultados mais recentes da pesquisa patrocinada pela NewHydrogen na UCLA mostram um progresso significativo em direção ao objetivo de produzir hidrogênio verde de baixo custo substituindo ou reduzindo drasticamente o uso de metais preciosos em eletrolisadores. (NewHydrogen – 20.04.2022)

<topo>

 

 

Eventos

1 F-cell Canadá

Nos dias 25 e 26 de maio acontecerá no Edmonton Convention Center, em Edmonton, o 4º Evento Anual Internacional de Hidrogênio e Células a Combustível. Esta conferência de 2 dias terá também formato de feira internacional que reúne renomados especialistas internacionais para discutir soluções para energia limpa com hidrogênio e células a combustível. (F-cell Canada – 25 a 26 de maio de 2022)

<topo>

2 Congresso Mundial de Eletrólise

A Alemanha irá promover nos dias 31 de maio a 1 de junho em Düsseldorf, um dos maiores congressos de eletrólise, do mundo. A principal conferência de eletrólise do mundo retorna para enfrentar os gargalos restantes para a implantação de eletrolisadores em escala e ritmo. Durante dois dias, você irá descobrir as mais recentes inovações no campo, ouvir os principais desenvolvedores de projetos de hidrogênio, fabricantes de eletrolisadores, empresas de compressão e armazenamento, empresas de engenharia, infraestrutura e transporte, entre outros assuntos. (WEC – Maio de 2022)

<topo>

3 Certificações Internacionais e Nacionais de Hidrogênio – Teor de Carbono

No dia 3 de maio, foi organizado um workshop pela Câmara de Comércio e Indústria Brasil – AHK Rio. O objetivo do evento foi trocar informações sobre o status quo das atuais abordagens nacionais e internacionais de certificação de hidrogênio de baixo carbono e debater com os membros das Forças-Tarefas sobre a perspectiva do setor privado brasileiro e a viabilidade dos critérios de certificação em questão. Com base na experiência internacional, serão discutidos os atuais requisitos dos (potenciais) países importadores e do mercado local para sistemas de certificação de hidrogênio. Os temas estão alinhados com as diretrizes propostas para o Programa Nacional do Hidrogênio (PNH2). Para o desenvolvimento de uma economia de hidrogênio com baixo teor de carbono no Brasil, a certificação desempenha um papel fundamental, pois possibilita fornecer provas para a produção de hidrogênio sustentavelmente favorável. (AHK Rio – Abril de 2022)

<topo>

4 Simpósio SAE BRASIL: “Challenge H2 Truck elétrico-etanol”

No dia 28 de abril, a SAE BRASIL organizou um evento online para debater as tecnologias de propulsão a hidrogênio: célula PEM, célula SOFC e motores a combustão. No evento, foi organizada uma mesa redonda com os membros da mentoria da Mobilidade a Hidrogênio da SAE BRASIL e demais especialistas dos setores automotivo, biocombustível, elétrico e gases industriais, os quais atuam em instituições públicas e privadas, incluindo indústria, agências regulatórias e a academia, a fim de debater os estudos de caso apresentados para o uso do H2 na mobilidade no Brasil. Alguns dos temas abordados foram: o desenvolvimento de veículos elétricos a hidrogênio e elétricos a etanol no Brasil, a nacionalização dos componentes no Brasil, como realizar um veículo a célula a combustível movido a etanol e o desafio de engenharia automotiva com a apresentação de 3 estudos de casos para um caminhão a hidrogênio, elétrico etanol. (SAE Brasil – Abril de 2022)

<topo>

 

 

Artigos e Estudos

1 Análise térmica e otimização de microrredes autônomas com armazenamento de hidrogênio à base de hidreto metálico

Microrredes autônomas, também conhecidas como sistemas de fornecimento de energia de área remota, são cruciais para fornecer acesso à eletricidade para locais/edifícios fora da rede e para comunidades que tentam se tornar 100% dependentes de energias renováveis. O projeto e o desenvolvimento de um sistema de armazenamento de energia eficiente continuam sendo um desafio fundamental para a tecnologia de microrrede autônoma. O sistema de armazenamento à base de hidreto metálico, oferece armazenamento de energia de longo prazo em condições próximas ao ambiente. Neste trabalho, um sistema de armazenamento de hidrogênio baseado em LaNi5 (Lanthanum Penta-nickel) para aplicação autônoma em microrredes, foi avaliado em diferentes cenários. Um estudo de otimização é realizado para encontrar os tamanhos ideais de componentes híbridos (solar + eólico) para uma típica aldeia indiana/comunidade do Reino Unido de 50 residências localizadas em várias regiões geográficas, com disponibilidade diversificada de recursos solares e eólicos. (Sustainable Energy Technologies and Assessments – 2022)

<topo>

2 EPE publica Nota Técnica sobre a Produção e Consumo de Hidrogênio em Refinarias no Brasil

Atualmente, o gás natural e o carvão são as maiores fontes de hidrogênio produzido no mundo. No Brasil, a maior parte da produção de hidrogênio é proveniente da reforma a vapor do gás natural, sendo consumido principalmente em refinarias e fábricas de fertilizantes, com produção e uso locais. Essa nota técnica objetiva explicar, de forma simplificada, o funcionamento das unidades de processo em refinarias que produzem e que consomem hidrogênio, detalhando sua capacidade de produção nas refinarias domésticas. Adicionalmente, apresenta, a partir da análise dos volumes de hidrogênio estimados para uso nas refinarias, no horizonte decenal, um possível excedente de capacidade de produção que poderia ser ofertado ao mercado nacional. (EPE – 2022)

<topo>

3 Estudo de caso na Suécia: Custo nivelado de hidrogênio para estações de reabastecimento

Os veículos elétricos movidos a célula a combustível apresentam atualmente um caminho de desenvolvimento fundamental para a eletrificação renovável, o que requer investimentos em infraestruturas de postos de abastecimento de hidrogênio. Por outro lado, a viabilidade econômica dos postos depende das localizações geográficas. Este estudo apresenta um modelo para identificar os principais componentes de custo do hidrogênio verde para postos de abastecimento e simula o desempenho usando dados de radiação solar, velocidade do vento e preço da eletricidade em uma seleção de cidades suecas. O estudo demonstra a importância da integração da rede elétrica na produção de hidrogênio verde. A combinação de energia solar e eólica traz melhor desempenho em um cenário fora da rede. A descoberta mais encorajadora é o custo de 35–72 SEK/kg (3,5–7,2 €/kg), que é competitivo com os custos relatados em outros países da UE, especialmente porque esse custo exclui qualquer apoio governamental. O estudo fornece uma referência para investidores e formuladores de políticas que podem moldar o cenário industrial para o desenvolvimento de energia de hidrogênio. (Energy – 2022)

<topo>

4 MCKinsey’s divulga o Global Energy Perspective 2022

A McKinsey divulgou um novo relatório denominado como “Global Energy Perspective 2022” onde conclui que a demanda por hidrogênio deve crescer quatro ou seis vezes até 2050. O relatório afirma que o fornecimento de hidrogênio, que atualmente é composto principalmente de hidrogênio cinza, mudará para 60% de hidrogênio limpo até 2035. Isso mostra claramente o esforço feito em toda a indústria para gerar as tecnologias mais limpas. O relatório também mostra como o hidrogênio cinza pode ser bem-sucedido na criação de um mercado inicial para o hidrogênio verde. Todavia, o relatório também traz consigo a seguinte frase: “Mesmo que todos os países com compromissos líquidos zero cumpram suas aspirações, o aquecimento global ainda deve atingir 1,7°C. Para manter o caminho de 1,5°C à vista, é necessária uma aceleração ainda mais ambiciosa.” (McKinsey’s – 2022)

<topo>

5 Proteção Climática e Mobilidade Sustentável através do Hidrogênio Verde

O hidrogênio como transportador de energia ou matéria-prima industrial é de particular importância ao longo do caminho para a transição energética. Nenhum outro vetor é igualmente adequado para desenvolver o caminho para a sustentabilidade na mobilidade, fornecer calor e ser matéria-prima para produção industrial, simultaneamente. O artigo ressalta que o hidrogênio verde como um vetor energético é indispensável para todas as aplicações em que o uso direto da eletricidade não é tecnicamente ou economicamente possível e adequado. No setor dos transportes, a competitividade do hidrogênio nos automóveis de passageiros depende do custo das células a combustível e da expansão da rede de estações de abastecimento de hidrogênio. Para caminhões e ônibus, o custo do hidrogênio pode ser o critério decisivo para a introdução. Para a navegação e aviação, onde a propulsão por bateria não pode desempenhar um papel importante, os combustíveis sintéticos à base de hidrogênio são considerados como tendo um grande potencial. (Energy – 2022)

<topo>


Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Luiza Masseno e Sayonara Andrade Elizário
Pesquisadores: Allyson Thomas,
José Vinícius S. Freitas, Kalyne Silva Brito e Luana Oliveira 
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

As notícias divulgadas no IFE não refletem necessariamente os pontos da UFRJ. As informações que apresentam como fonte UFRJ são de responsabilidade da equipe de pesquisa sobre o Setor Elétrico do Instituto de Economia da UFRJ.

POLÍTICA DE PRIVACIDADE E SIGILO
Respeitamos sua privacidade. Caso você não deseje mais receber nossos e-mails,  Clique aqui e envie-nos uma mensagem solicitando o descadastrado do seu e-mail de nosso mailing.


Copyright UFRJ

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: