IFE.TEX 85

Informativo Eletrônico – Tecnologias Exponenciais nº 85 – publicado em 20 de maio de 2022.

IFE: Informativo Eletrônico de Tecnologias Exponenciais – GESEL-UFRJ <!–

l

IFE: nº 85 – 20 de maio de 2022
http://gesel.ie.ufrj.br/
gesel@gesel.ie.ufrj.br

Editor: Prof. Nivalde J. de Castro

Índice

Transição Energética e ESG
1
Brasil: 4° país do mundo em crescimento da energia solar
2 EUA: A luta por um sistema nacional de transmissão de energia limpa
3 E.ON alimenta distrito de inovação com energia verde
4 Setor de O&G do Reino Unido incitado a investir lucros em energia limpa
5 We Energies busca plano de tarifas para financiar investimentos em energia limpa
6 Enel: Brasil pode ser exportador de energias renováveis
7 EUA avança com três projetos de transmissão para conectar mais energia limpa à rede
8 Califórnia/EUA: Obtenção de 100% de fornecimento de energia renovável
9 Setor de energia espera maior investimento em energias renováveis

Geração Distribuída
1 Inel: Documento detalha dificuldades para conectar sistemas de GD
2 BDMG fornece financiamento de R$ 405 mi para energia solar
3 Energisa fornece energia renovável ao Acre
4 França aumenta tarifas feed-in do segundo trimestre para sistemas fotovoltaicos residenciais de até 500 kW
5 Katek revela inversor fotovoltaico para aplicações residenciais
6 Espanha: Câmaras Municipais já têm um guia para promover o autoconsumo

Armazenamento de Energia
1 Renac Power lança bateria residencial de alta tensão
2 Reino Unido: Projeto de armazenamento de bateria
3 Ingeteam fornecerá sistema de bateria para a Itália

4 Westinghouse expande a tecnologia global de armazenamento de energia

Veículos Elétricos
1 PG&E testará como os VEs podem fornecer energia à rede
2 Há lítio e níquel suficientes para fabricar 14 milhões de carros elétricos em 2023
3 EUA se lançam na corrida por baterias para veículos elétricos
4 Oportunidade de investimento em VEs do Reino Unido se fechará rapidamente

5 Volkswagen e bp vão lançar pontos de carregamento de VE em toda a Europa até 2024
6 EUA: Investimento superior a US$ 3 bi em baterias de VEs
7 Porsche investe em startup para ajudar a desenvolver nova bateria
8 CATL: Planos para a produção de baterias nos EUA

9 A ABB e a Enviny instalam posto de recarga mais rápido do mundo na Noruega

Gestão e Resposta da Demanda
1 CPower expande programa de resposta à demanda em todo Illinois
2 Indústria quer programa para estimular o uso de energia elétrica em horários alternativos

Eficiência Energética
1 Parceria entre a Portage e a NORESCO visa reduzir o consumo de energia
2 Espanha: Governo trabalha num plano de poupança e eficiência energética no âmbito da Administração Geral do Estado

Microrredes e VPP
1 Parceria entre Copel, UFPR e Curitiba coordenará projeto P&D de implantação de microrredes no Parque Barigui
2 Yotta Energy garante investimento de US$ 1,97 milhão para implantar microrrede
3 Confiabilidade e flexibilidade de energia impulsionam o crescimento do mercado de microrredes

Tecnologias e Soluções Digitais
1 EUA: DOE anuncia investimento em projeto de computação de alto desempenho para setor de manufatura
2 Startup Sinan Energy lança blockchain de tokenização de carbono

Segurança Cibernética
1 Ameaças cibernéticas contra infraestruturas críticas e governos estão aumentando com a invasão da Ucrânia

Artigos e Estudos
1 Artigo de Juliano Oliveira: “Como a evolução digital pode contribuir para a eficiência energética?”


 

 

Transição Energética e ESG

1 Brasil: 4° país do mundo em crescimento da energia solar

O Brasil se tornou o quarto país do mundo em que a capacidade instalada de energia solar fotovoltaica mais cresceu no ano passado. De acordo com dados oficiais atualizados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) e coletados pela Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), em 2021 a energia solar teve adição de 5,7 GW, o maior crescimento histórico dessa tecnologia no país. Nesse contexto, em 2021, o Brasil ultrapassou 13,6 GW de capacidade solar fotovoltaica total instalada em operação, o que coloca o país na 13ª posição no ranking mundial. Em suma, esse número inclui tanto grandes usinas quanto sistemas instalados em telhados e fachadas. (Energías Renovables – 04.05.2022)

<topo>

2 EUA: A luta por um sistema nacional de transmissão de energia limpa

Após anos de estudos mostrando que um sistema nacional de transmissão é a maneira mais econômica de atender aos crescentes mandatos de energia limpa e redução de carbono, no entanto, o EUA ainda não tem uma solução nacional. Dentro desse cenário, novas iniciativas do DOE e da Comissão Federal Reguladora de Energia (FERC) estão reorientando esse objetivo. Segundo analistas do sistema de energia, em um webinar do DOE, uma “macrorrede” moderna poderia acessar a energia limpa do país de costa a costa para proteger de forma acessível contra os eventos climáticos extremos, ataques cibernéticos e ameaças de confiabilidade de pico de demanda. (Utility Dive – 03.05.2022)

<topo>

3 E.ON alimenta distrito de inovação com energia verde

A E.ON e a Lendlease assinaram uma joint venture (JV) de 25 anos para fornecer 565 mil metros quadrados do Milan Innovation District (MIND), um antigo local de exposições em Milão impulsionado por fontes 100% renováveis. Toda a energia utilizada no distrito é reciclada de forma inteligente. O conceito de energia usado na MIND é baseado no sistema ectogrid desenvolvido pela E.ON, o qual corresponde a uma rede fechada com baixas temperaturas, onde bombas de calor e máquinas de refrigeração em cada edifício ajustam a temperatura de acordo com a demanda. O objetivo de tal processo é reduzir significativamente o consumo de energia, os custos e o impacto ambiental. (Smart Energy – 04.05.2022)

<topo>

4 Setor de O&G do Reino Unido incitado a investir lucros em energia limpa

O secretário de Estado de Negócios, Energia e Estratégia Industrial do Reino Unido, Kwasi Kwarteng, escreveu para as empresas de petróleo e gás do Mar do Norte pedindo que reinvestissem os seus lucros em tecnologias de energia limpa para o futuro em troca da abertura de uma nova rodada de arrendamento de petróleo e gás. Kwarteng disse que em uma próxima reunião com as empresas, gostaria de ver um plano claro sobre como elas irão reinvestir os lucros, dobrar os investimentos na transição para energia limpa e maximizarão a produção doméstica de petróleo e gás. “Ampliar, acelerar e investir na produção doméstica de energia nos ajudará a continuar a crescer a economia britânica, criar bons empregos em todo o país e reduzir as contas dos consumidores a longo prazo”, disse ele. (Renews Biz – 02.05.2022)

<topo>

5 We Energies busca plano de tarifas para financiar investimentos em energia limpa

A We Energies propôs um novo plano de tarifas para a Comissão de Serviço Público de Wisconsin (PSCW). O objetivo é aumentar as tarifas dos clientes para eletricidade, gás natural e vapor no próximo ano para pagar por uma transição de energia limpa em larga escala e esforços de resiliência da rede. O plano prevê o aterramento de 800 milhas de linhas de energia na próxima década e investimentos de capital em projetos de armazenamento de energia solar, eólica e de bateria. Além disso, o plano prevê um aumento médio de cerca de US$ 5-6 por mês em 2023 e repasse de milhões de dólares em economias com o fechamento de usinas de combustível fóssil antigas e pouco eficientes. A decisão do PSCW provavelmente ocorrerá ainda este ano, com novas taxas a partir de janeiro de 2023. (Daily Energy Insider – 02.05.2022)

<topo>

6 Enel: Brasil pode ser exportador de energias renováveis

O presidente da Enel Brasil, Nicola Cotugno, acredita que o Brasil tem potencial para exportar energia renovável e tecnologias relacionadas ao setor. O executivo lembrou, em conversa com jornalistas na sede da companhia no Rio de Janeiro, que o desenvolvimento do setor de energia eólica no Brasil, por exemplo, se deu com a produção de equipamentos no país. “O Brasil tem um papel regional, é o país com mais capacidade de desenvolver indústrias na região. Baterias, por exemplo, também poderiam ser produzidas no Brasil, por que só ficar na China? É uma grande oportunidade para o desenvolvimento econômico do país e das empresas que estão aqui se colocar no amanhã. Ser ativo na transição energética é importante para desenhar o futuro”, apontou Cotugno. Ele [Cotugno] ainda reconheceu que o país tem forte potencial para exportar energia renovável. (Valor Econônmico – 29.04.2022)

<topo>

7 EUA avança com três projetos de transmissão para conectar mais energia limpa à rede

A administração Biden-Harris através do Departamento do Interior e do Bureau of Land Management (BLM) anunciou marcos significativos em três projetos de transmissão que transportarão energia renovável, ressaltando o compromisso do presidente Biden em acelerar a expansão e modernização necessária da infraestrutura de energia dos Estados Unidos, e assim, criar empregos sindicalizados bem remunerados e fornecer energia limpa a preços acessíveis para os norte-americanos. Se aprovados, os projetos ajudarão a construir uma rede elétrica confiável e resiliente, essencial para suportar os impactos das mudanças climáticas e para atingir meta do presidente Biden de uma rede elétrica 100% limpa até 2035. (EE Online – 03.05.2022)

<topo>

8 Califórnia/EUA: Obtenção de 100% de fornecimento de energia renovável

Na madrugada de 30 de abril, por pouco mais de 15 minutos (entre 2h45 e 3h), o estado da Califórnia gerou energia exclusivamente por fontes renováveis. Isto ocorreu após o Operador de Sistema Independente da Califórnia (CAISO) integrar quantidades crescentes de energia renovável na rede. Esta conquista é um bom sinal de progresso em direção a uma rede elétrica livre de carbono no estado americano. No dia 3 de abril 97,6% da eletricidade da rede veio de energia limpa e renovável. O pico, que ocorreu brevemente às 15h39, também superou o recorde anterior de 96,4%, estabelecido em 27 de março. “Este novo recorde é uma prova do trabalho árduo e da colaboração de muitas pessoas, de formuladores de políticas a operadores de sistemas”, disse o presidente e CEO da CAISO, Elliot Mainzer. (Energías Renovables – 04.05.2022)


<topo>

9 Setor de energia espera maior investimento em energias renováveis

Os líderes globais da indústria disseram que esperam um maior investimento focado em energias renováveis onshore e offshore em resposta às crises de segurança energética e acessibilidade, de acordo com uma pesquisa do Conselho Mundial de Energia. No entanto, embora o investimento na diversificação da matriz energética seja visto como uma medida importante para lidar com questões de segurança e acessibilidade, os entrevistados destacaram a importância de continuar investindo em hidrocarbonetos. O World Energy Pulse de abril do Conselho Mundial de Energia entrevistou cerca de 700 líderes de toda a comunidade global de energia. À medida que o setor de energia continua a gerenciar as réplicas dos impactos das mudanças climáticas, COVID-19 e o conflito na Ucrânia, o World Energy Pulse revelou que quase metade dos entrevistados espera que a convergência dessas crises acelere o ritmo da transição. (Renews Biz – 09.05.2022)</font

<topo>

 

 

Geração Distribuída

1 Inel: Documento detalha dificuldades para conectar sistemas de GD

O Instituto Nacional de Energia Limpa (Inel) levou aos diretores da Aneel um documento que apresenta as dificuldades que os consumidores que possuem sistemas de micro e mini GD têm encontrado em relação à conexão dos empreendimentos. Dentre os pontos destacados estão a falta de padronização nos procedimentos adotados pelas concessionárias e permissionárias de distribuição no atendimento às solicitações de conexão, seja em relação a prazos cumpridos ou respostas e entendimentos repassados aos consumidores. (Broadcast Energia – 03.05.2022)

<topo>

2 BDMG fornece financiamento de R$ 405 mi para energia solar

O Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), com o apoio da Absolar, está disponibilizando cerca de R$ 405 milhões para apoiar o crescimento da energia solar em Minas Gerais. O objetivo do financiamento é viabilizar novos investimentos para o território mineiro, gerar mais empregos e renda para a população e estimular o desenvolvimento de novas oportunidades de negócios para empreendedores, além de ampliar o acesso à energia solar a consumidores residenciais, setores produtivos, agronegócio e setor público do estado. Para a Absolar, a geração própria de energia solar já trouxe à Minas Gerais mais de R$ 8,8 bilhões em novos investimentos, gerando mais de 50,6 mil empregos e proporcionando a arrecadação de mais de R$ 1,8 bilhão aos cofres públicos. (CanalEnergia – 05.05.2022)

<topo>

3 Energisa fornece energia renovável ao Acre

A Energisa, por meio do programa Mais Luz para a Amazônia, do Governo Federal, começou a realizar novas ligações de energia em casas que ficam em pontos remotos do Acre. As instalações são feitas em áreas de difícil acesso e distantes das redes elétricas. Por isso a iniciativa prevê a utilização de geração de energia solar, e a substituição de pequenos geradores de energia elétrica a diesel ou gasolina, que hoje são a única fonte de energia elétrica de muitas famílias que vivem nestas regiões. Com um investimento de R$ 55,2 milhões, as primeiras ligações já começaram no Acre. Segundo a Energisa, até o final do ano, 1.368 famílias devem ser atendidas com energia limpa e 24 horas por dia. A comunidade São Salvador, distante três horas de barco do município de Mâncio Lima, já possui acesso à energia. (CanalEnergia – 05.05.2022)

<topo>

4 França aumenta tarifas feed-in do segundo trimestre para sistemas fotovoltaicos residenciais de até 500 kW

O regulador de energia da França, a Comissão de Regulação de l’Énergie (CRE), divulgou as tarifas feed-in (FITs) para instalações fotovoltaicas de até 500 kW para o segundo trimestre de 2022. Os novos níveis tarifários foram publicados pela associação francesa de energia renovável Enerplan. Normalmente, as FITs são reduzidos trimestre a trimestre, de acordo com a nova capacidade para a qual foram recebidos pedidos de ligação no trimestre anterior. Neste trimestre, no entanto, as tarifas foram aumentadas para todas as categorias de sistemas fotovoltaicos, variando de € 181,40 (US$ 190,90)/MWh para instalações com tamanho não superior a 3 kW a € 96,90/MWh para matrizes com capacidade de 36 kW a 100 kW. (PV Magazine – 13.05.2022)

<topo>

5 Katek revela inversor fotovoltaico para aplicações residenciais

A fabricante alemã de inversores fotovoltaicos Katek Memmingen GmbH apresentou um novo inversor trifásico para aplicações em projetos solares residenciais no evento Smarter E em Munique, Alemanha. O inversor híbrido StecaGrid Hybrid 10023_3 tem uma potência nominal de 10 kW, uma eficiência de 98,1% e uma taxa de eficiência europeia de 97,9%. “Em combinação com o switch StecaGrid opcional, o dispositivo pode desligar uma casa da rede se houver uma falha de energia e converter para o modo de energia de espera”, disse um porta-voz da empresa à revista PV. “Nossa solução garante que o inversor híbrido forneça todas as três fases da rede doméstica, possibilitando continuar usando todos os dispositivos finais sem nenhum problema.” (PV Magazine – 13.05.2022)

<topo>

6 Espanha: Câmaras Municipais já têm um guia para promover o autoconsumo

A Secretária de Estado da Energia, Sara Aagesen, apresentou o Guia para os municípios da Espanha promoverem o autoconsumo, que é um manual com recomendações, conselhos e boas práticas para as autarquias melhorarem os seus procedimentos de processamento das instalações de autoconsumo. O Guia, elaborado pelo Instituto de Diversificação e Poupança Energética (IDAE, na sigla em espanhol) em colaboração com a União Fotovoltaica Espanhola e a Federação Espanhola de Municípios e Províncias, também oferece informações sobre as diferentes leis regionais e fornece exemplos de portarias municipais já em vigor, para ajudar as entidades locais a elaborarem suas próprias portarias, de acordo com as necessidades de autoconsumo. (Energías Renovables – 05.05.2022)

<topo>

 

 

Armazenamento de Energia

1 Renac Power lança bateria residencial de alta tensão

O fornecedor chinês de baterias e inversores Renac Power lançou uma bateria de alta tensão para aplicações residenciais. A bateria combina um sistema interno de gerenciamento de energia (EMS) com uma função de precisão de controle de autoconsumo. Também possui carregamento de tempo, controle remoto, fonte de alimentação de emergência e outros modos de trabalho. “A bateria realiza de forma flexível o despacho de energia, armazenamento e gerenciamento de carga de energia, tem forte adaptabilidade de carga, suporta acesso estável de cargas diversificadas, ajuda os clientes a se tornarem facilmente o mestre da energia e integra a função VPP (Usina virtual de energia)”, disse um porta-voz da empresa à PV. A empresa disse que a bateria recentemente passou nos testes da TÜV Rhine, organização de testes e certificação de terceiros com sede na Alemanha. A empresa afirmou que obteve a certificação padrão de segurança de bateria de armazenamento de energia ICE62619. (PV Magazine – 13.05.2022)

<topo>

2 Reino Unido: Projeto de armazenamento de bateria

A Penso Power e a Luminous Energy, parceiras da joint venture Welbar Energy Storage, garantiram a aprovação de um projeto de armazenamento de energia em bateria com capacidade de conexão de 350 MW em Hams Hall, à leste de Birmingham, Reino Unido. O projeto aprovado permite a implantação de mais de 1750 MWh de armazenamento de bateria e espera-se que forneça uma ampla gama de serviços para apoiar o sistema elétrico do Reino Unido. Richard Thwaites, executivo-chefe da Penso Power, disse: “Estamos satisfeitos que o planejamento tenha sido garantido para Hams Hall, um projeto importante em nosso portifólio multi-gigawatt. Este projeto é globalmente significativo em escala e esperamos que ele desempenhe um papel importante para garantir a resiliência do sistema elétrico do Reino Unido”. (Energy Global – 05.05.2022)

<topo>

3 Ingeteam fornecerá sistema de bateria para a Itália

A Ingeteam foi escolhida como parceira tecnológica para equipar o maior sistema de armazenamento de energia elétrica da Itália, que também será um dos maiores e mais importantes da Europa e do mundo. Uma vez conectado, o sistema de baterias terá 70 MW de potência e 340 MWh de capacidade instalada e atenderá a rede elétrica do país. “Este projeto representa um verdadeiro marco, pois tem uma capacidade de armazenamento de energia que era quase impensável até recentemente”, destaca a Ingeteam. O seu desenvolvimento terá um papel muito relevante no médio/longo prazo em termos de suporte de rede. Além disso, dará uma contribuição crucial para o processo de descarbonização na Itália, conforme assinalado pelo Plano Nacional Integrado de Energia e Clima (PNIEC, na sigla em italiano), recentemente aprovado pelo governo italiano. (Energías Renovables – 05.05.2022)

<topo>

4 Westinghouse expande a tecnologia global de armazenamento de energia

A Westinghouse Electric Company e a Bulgarian Energy Holding (BEH), empresa estatal de energia, assinaram um Memorando de Entendimento para implementar o Armazenamento de Energia de Longa Duração (LDES) na Bulgária. O acordo prevê a instalação de duas unidades de Armazenamento de Energia Térmica Bombeada (PTES) fornecendo 2 GWh de armazenamento de energia sustentável. Essa adição significativa aumentará a resiliência da rede elétrica e fornecerá um meio para apoiar e estabilizar a geração de energia renovável no país, com potencial de compensar até 0,7 milhão de toneladas métricas de emissões de CO2 anualmente. (EE Online – 09.05.2022)

<topo>

 

 

Veículos Elétricos

1 PG&E testará como os VEs podem fornecer energia à rede

A Pacific Gas and Electric Company (PG&E), concessionária de energia americana, recebeu aprovação da Comissão de Serviços Públicos da Califórnia para desenvolver três novos programas piloto com o objetivo de testar como veículos elétricos bidirecionais (VEs) e carregadores podem fornecer energia à rede elétrica. Por meio desses programas piloto de US$ 11,7 milhões, a PG&E testará a tecnologia de carregamento bidirecional em várias configurações, inclusive em residências, empresas e microrredes locais em distritos de alta ameaça de incêndio (HFTDs) selecionados. A tecnologia de carregamento bidirecional permite que os VEs recebam energia da rede ou do sistema solar de um cliente e a enviem de volta à rede. Em suma, os pilotos testarão a capacidade de um VE de enviar energia de volta à rede e fornecer energia durante uma interrupção. (Daily Energy Insider – 09.05.2022)

<topo>

2 Há lítio e níquel suficientes para fabricar 14 milhões de carros elétricos em 2023

A organização não-governamental Transport & Environment (T&E), think tank internacional focado na análise de transporte e logística, publicou um relatório, no qual sustenta que há lítio e níquel suficientes para fabricar até 14 milhões de carros elétricos a bateria em todo o mundo até 2023, o que representa 55% a mais do que as estimativas atuais do mercado, mesmo sem suprimentos russos. O estudo sobre disponibilidade de matérias-primas a curto prazo diz que até 2025, mesmo que os suprimentos de matéria-prima diminuam e permaneçam abaixo da capacidade das fábricas de baterias, 21 milhões de veículos poderão ser produzidos com eletricidade, quase 50% a mais do que as projeções do mercado. Nesse sentido, a Transport & Environment pediu aos governos europeus que “façam mais” para fortalecer o acesso a metais “chave” para garantir a segurança energética ecológica. (Energías Renovables – 04.05.2022)

<topo>

3 EUA se lançam na corrida por baterias para veículos elétricos

O DOE/EUA anunciou até US$ 45 milhões em financiamento para apoiar o desenvolvimento doméstico de baterias avançadas para veículos elétricos no programa EVs4ALL (Electric Vehicles for American Low-Carbon Living). Os recursos vão para tecnologias de carregamento mais rápido, têm maior eficiência e resiliência e dão maior autonomia. No total, a Lei de Infraestrutura Bipartidária direciona quase US$ 7 bilhões para fortalecer a cadeia de fornecimento de baterias dos EUA, produção e reciclagem de minerais críticos sem nova extração ou mineração e fornecimento de materiais para fabricação doméstica. (EPBR – 03.05.2022)

<topo>

4 Oportunidade de investimento em VEs do Reino Unido se fechará rapidamente

Um relatório da Coalizão para a Descarbonização do Transporte Rodoviário (CDRT) do Green Finance Institute ilustra como o Reino Unido pode se tornar um player global em baterias de veículos elétricos (VE), se bilhões de libras forem investidos agora para construir uma cadeia de suprimentos de baterias. O relatório, Powering the Drive to Net Zero, destaca a oportunidade para o Reino Unido investir na demanda global por baterias de veículos elétricos, que devem sustentar o futuro do transporte rodoviário. Além disso, o relatório alerta que há uma “janela” estreita para aproveitar esta oportunidade e barreiras significativas ao investimento devem ser superadas. O estudo adverte que a falta de investimento agora corre o risco de ver outros países aproveitarem essa oportunidade, porque os prazos de investimento e os períodos de construção de instalações de baterias podem se estender por vários anos. (Smart Energy – 10.05.2022)

<topo>

5 Volkswagen e bp vão lançar pontos de carregamento de VE em toda a Europa até 2024

A Volkswagen, fabricante de veículos, e a bp, empresa multinacional que opera no setor de energia, firmaram uma parceria para impulsionar a adoção de veículos elétricos (VEs) em toda a Europa, apresentando o primeiro carregador em Dusseldorf, na Alemanha. O objetivo é entregar até 8 mil pontos de carregamento Flexpole em todos os países europeus até o final de 2024. Seu objetivo é transformar o acesso ao carregamento de veículos elétricos nos principais mercados europeus, construindo rapidamente uma rede de carregamento rápido em toda a Europa até 2024. (Smart Energy – 29.04.2022)

<topo>

6 EUA: Investimento superior a US$ 3 bi em baterias de VEs

O governo Biden alocará mais de US$ 3 bilhões em para a fabricação de baterias de veículos elétricos, disseram autoridades dos Estados Unidos. Os recursos serão usados pelo DOE e fazem parte do projeto de US$ 1 trilhão para infraestrutura assinado por Biden em 2021. Entre as iniciativas estão o processamento de minerais para uso em baterias de grande capacidade e a reciclagem delas. Biden quer que metade dos veículos vendidos no país sejam elétricos até 2030 e espera que a meta impulsione empregos sindicalizados e reduza as emissões de carbono que alteram o clima. O governo também vê nas medidas um passo para garantir a independência energética e cortar as pressões inflacionárias de longo prazo exacerbadas pela invasão russa da Ucrânia. O financiamento ajudará a estabelecer e modernizar fábricas de baterias (CNN Brasil – 02.05.2022)

<topo>

7 Porsche investe em startup para ajudar a desenvolver nova bateria

A Porsche continua investindo no desenvolvimento de baterias mais eficientes para carros elétricos. A montadora alemã liderou uma rodada de financiamento em favor da startup Group14 que conseguiu levantar 400 milhões de dólares. O próprio Group14 disse que, graças à Porsche e às outras empresas que decidiram apoiar o negócio, agora pode contar com um total de mais de um bilhão de dólares, que será usado para a construção de uma segunda fábrica para a produção de componentes básicos de baterias que serão construídas perto da sede em Woodinville, na região de Seattle, Washington. A intervenção da Porsche em termos de apoio financeiro permite que a empresa com sede em Zuffenhausen garanta o fornecimento pelo Group14 de materiais e componentes para a construção de baterias de alto desempenho que serão gerenciadas por sua subsidiária Cellforce. (Inside EVs – 07.05.2022)

<topo>

8 CATL: Planos para a produção de baterias nos EUA

A CATL tem negociado para abrir fábricas que atenderiam BMW e Ford nos Estados Unidos. Os potenciais locais de instalação incluem os Estados da Carolina do Sul e do Kentucky, onde essas montadoras têm unidades de produção, disseram duas fontes à Reuters, sob condição de anonimato. A potencial fábrica da Carolina do Sul tem o objetivo de iniciar a produção de baterias em 2026, disse uma das fontes. A consideração do investimento em baterias pela CATL ocorre enquanto o governo norte-americano lança medidas para incentivar investimentos em veículos elétricos. A CATL abrirá sua primeira fábrica de baterias fora da China neste ano na Alemanha, para atender a BMW e outras montadoras, além disso, vai investir 1,8 bilhão de euros nessa fábrica. (Forbes – 06.05.2022)

<topo>

9 A ABB e a Enviny instalam posto de recarga mais rápido do mundo na Noruega

A ABB, em parceria com a Eviny, empresa norueguesa de mobilidade elétrica, instalou o posto de recarga para veículos elétricos mais rápido do mundo na Noruega. Uma unidade do Terra 360 foi instalada em Bergen e outra em Geilo, uma estância de esqui. O equipamento gera até 100 km de autonomia para um veículo elétrico em 3 minutos. O projeto ainda é piloto e deverá avançar na Noruega e na Suécia. (Forbes – 06.05.2022)

<topo>

 

 

Gestão e Resposta da Demanda

1 CPower expande programa de resposta à demanda em todo Illinois

A CPower Energy Management, fornecedora de soluções de gerenciamento de energia, anunciou que expandirá suas atuais soluções de resposta da demanda em Chicago para clientes comerciais e industriais (C&I) atendidos por Ameren Illinois no centro e sul de Illinois. O CPower, é um programa de resposta da demanda que paga aos cliente C&I por se comprometerem a reduzir o consumo de energia durante períodos críticos, quando a rede elétrica está sob estresse. A expansão do programa será possível após a empresas vencer o leilão de capacidade da Illinois Power Agency. Nesse sentido, ao invés de construir novas usinas, a CPower ganhou a capacidade de atender as necessidades de abastecimento com capacidade comprometida através da resposta da demanda de seus clientes. (Finance Yahoo – 13.05.2022)

<topo>

2 Indústria quer programa para estimular o uso de energia elétrica em horários alternativos

A Abrace, associação ligada aos grandes consumidores industriais de energia e de consumidores livres, enviou uma carta à Aneel solicitando a conclusão da consulta pública e a instituição de um programa estrutural de Resposta da Demanda de Energia Elétrica o quanto antes. A expectativa da Aneel é abrir consulta pública sobre o tema no final deste mês. O programa foi criado com intuito de viabilizar a redução de consumo de energia elétrica em momentos críticos de abastecimento e dar mais flexibilidade à operação do sistema. A ideia é dar um sinal econômico para que os consumidores eletrointensivos desloquem a intensidade do processo fabril para outros horários, ajudando a desestressar o sistema elétrico. (Valor Econômico – 13.05.2022)

<topo>

 

 

Eficiência Energética

1 Parceria entre a Portage e a NORESCO visa reduzir o consumo de energia

A cidade de Portage, no Michigan, Estados Unidos, contratou a NORESCO (empresa de soluções de eficiência energética) para implementar um projeto de eficiência energética de US$ 1,1 milhão. O projeto visa melhorar os principais edifícios e parques da cidade para reduzir o consumo de energia e as emissões de gases de efeito estufa (GEE). Sob a parceria, a NORESCO analisou as instalações da cidade para determinar e projetar medidas de redução de custos operacionais de energia e não pessoal. Além disso, quase toda a iluminação interna da prefeitura será atualizada para a tecnologia LED, assim como grande parte da iluminação do prédio de segurança pública. (Smart Energy – 09.05.2022)

<topo>

2 Espanha: Governo trabalha num plano de poupança e eficiência energética no âmbito da Administração Geral do Estado

A Vice-Presidente do Governo e Ministra da Transição Ecológica e do Desafio Demográfico, Teresa Ribera, anunciou que o governo está trabalhando num plano de poupança e eficiência energética no âmbito da Administração Geral do Estado (AGE), bem como numa série de “recomendações” aos cidadãos, incluindo empresas, para reduzir o consumo de energia e as importações de combustíveis fósseis. Para Ribera, reduzir o consumo é “fundamental” e todos os analistas concordam com isso. A vice-presidente [Teresa Ribera] indicou que regulando o termostato, reduzindo a temperatura no inverno ou aumentando no verão, pode-se obter uma economia de energia entre 20% e 25% e não descartou a possibilidade de que caso o fornecimento de gás e petróleo russos sejam cortados, a Espanha irá ajudar o abastecimento de outros países. (Energías Renovables – 09.05.2022)

<topo>

 

 

Microrredes e VPP

1 Parceria entre Copel, UFPR e Curitiba coordenará projeto P&D de implantação de microrredes no Parque Barigui

Um projeto-piloto implantado no Parque Barigui, em Curitiba, irá testar o funcionamento de pequenas gerações distribuídas de energia elétrica como solução para a gestão eficiente e o abastecimento em momentos de indisponibilidade da rede de distribuição. O sistema de microrrede é resultado de um projeto de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) realizado pela Copel, em parceria com a Universidade Federal do Paraná (UFPR) e a prefeitura de Curitiba. Ao fim do projeto, a Copel espera ter domínio de uma metodologia capaz de simular cenários futuros do sistema de distribuição, antecipando os impactos positivos e negativos na rede. Segundo a companhia, o projeto beneficia a sociedade como um todo, qualificando os profissionais envolvidos e desenvolvendo novos conhecimentos sobre energias renováveis, redes elétricas inteligentes e microrredes. (Governo do Estado do Paraná – 09.05.2022)

<topo>

2 Yotta Energy garante investimento de US$ 1,97 milhão para implantar microrrede

A Yotta Energy, uma empresa de armazenamento de energia renovável com sede no Texas, garantiu um investimento de US$ 1,97 milhão para implantar uma microrrede com geração solar e sistema de armazenamento na Base Aérea de Nellis, em Las Vegas. O investimento foi obtido a partir do Programa de Certificação de Tecnologia de Segurança Ambiental do Departamento de Defesa (ESTCP). Segundo o gerente de Projetos do programa, Timothy Tetreault, a Yotta Energy é uma ótima candidata por causa da solução distribuída e flexível que a tecnologia oferece para diferentes casos de uso em instalações militares. (Power Engineering Int – 27.04.2022)

<topo>

3 Confiabilidade e flexibilidade de energia impulsionam o crescimento do mercado de microrredes

Espera-se que o mercado global de microrredes cresça mais de 16% até 2026 e seja avaliado em US$ 40,3 bilhões, acima dos US$ 19 bilhões de 2021. Esse crescimento é atribuído a uma crescente demanda por eletricidade confiável, preços em declínio para tecnologia de microrredes, redes que estão se tornando instáveis e a falta de conectividade de rede em muitos países em desenvolvimento, de acordo com um relatório da Research and Markets, companhia especializada em relatórios de mercado. À medida que os preços caem e energias mais limpas, como eólica e solar, são integradas, as microrredes não são mais aplicações de nicho usadas para necessidades localizadas e podem ser utilizadas como extensores de uma rede nacional, de acordo com o relatório, e como uma ferramenta de modernização de rede. De acordo com o relatório, alguns dos principais players do mercado de microrredes incluem General Electric, Schneider Electric, Siemens e Honeywell International. (Environmental Leader – 27.04.2022)

<topo>

 

 

Tecnologias e Soluções Digitais

1 EUA: DOE anuncia investimento em projeto de computação de alto desempenho para setor de manufatura

No dia 04/05/2022, o DOE anunciou um incentivo de US$ 3 milhões para projetos que ajudarão fabricantes a melhorar a eficiência de suas operações e reduzir sua pegada de carbono por meio da computação de alto desempenho (HPC). Por meio da iniciativa High Performance Computing for Manufacturing (HPC4Mfg), equipes selecionadas trabalharão com os supercomputadores mais poderosos do mundo, operados pelos especialistas do Laboratório Nacional dos EUA, para resolver desafios industriais do setor fabril. Os recursos avançados de modelagem, simulação e análise de dados desses supercomputadores ajudarão os fabricantes a identificar as maneiras mais eficazes de melhorar o desempenho, aumentar a eficiência energética e reduzir as emissões em todo o setor industrial. (Eletric Energy Online – 06.05.2022)

<topo>

2 Startup Sinan Energy lança blockchain de tokenização de carbono

A startup sul-africana especialista em tecnologia blockchain, Sinan Energy, tem como alvo inicial 100MW de geração distribuída no noroeste da África do Sul. A startup, que pretende explorar a tecnologia blockchain para financiar projetos de energia renovável, está propondo que isso será alcançado principalmente através da venda de créditos de carbono tokenizados, bem como através da venda de energia. A plataforma blockchain da Sinan Energy foi projetada para tokenizar, registrar e verificar créditos de carbono gerados em suas próprias plantas. Ao fazer isso, a empresa espera obter rapidamente a certificação internacional e, em seguida, comercializar créditos de carbono nos mercados globais de carbono. (Smart Energy – 10.05.2022)

<topo>

 

 

Segurança Cibernética

1 Ameaças cibernéticas contra infraestruturas críticas e governos estão aumentando com a invasão da Ucrânia

Um número crescente de criminosos digitais está utilizando a invasão russa da Ucrânia para lançar campanhas de phishing e malware contra infraestruturas críticas, governos e outros alvos na Europa Oriental, de acordo com pesquisa feita pelo Google Threat Analysis, Grupo (TAG). Pesquisadores observaram criminosos cibernéticos apoiados pelo Estado da Rússia, China, Irã e Coreia do Norte usando temas relacionados ao conflito na Ucrânia para atrair usuários de serviços online a clicar em e-mails ou links maliciosos, de acordo com o Google TAG. As atividades cibernéticas maliciosas aumentaram muito nas últimas semanas, visando empresas de petróleo e gás, telecomunicações e manufatura, segundo pesquisadores. Não foram especificadas empresas ou incidentes específicos. (Cyber Security Dive – 04.05.2022)

<topo>

 

 

Artigos e Estudos

1 Artigo de Juliano Oliveira: “Como a evolução digital pode contribuir para a eficiência energética?”

Em artigo publicado pela Agência CanalEnergia, Juliano Oliveira, diretor Industrial Corporativo da Raízen, aborda o papel da demanda de mercado nas estratégias das empresas bioenergéticas em torno de práticas mais sustentáveis. Segundo Juliano, “o setor, que já entendeu a importância de desenvolver políticas de combate a questões como mudanças climáticas, tem no Environmental, Social and Governance (ESG, na sigla em inglês), como são chamadas as práticas ambientais, sociais e de governança de uma organização, a solução para se pensar em métodos que possam trazer ganhos socialmente sustentáveis tanto para o negócio quanto para a sociedade. As vantagens competitivas são inúmeras, indo desde a redução dos custos operacionais e desperdícios até a melhoria de produtividade”. Por fim, o autor destaca que ser sustentável não é mais uma opção, mas sim uma necessidade da nova realidade. Para ler o texto na íntegra, clique aqui.

<topo>


Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Lorrane Câmara e Luiza Masseno
Pesquisadores:
Cristina Rosa, Matheus Balmas e Pedro Barbosa
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

As notícias divulgadas no IFE não refletem necessariamente os pontos da UFRJ. As informações que apresentam como fonte UFRJ são de responsabilidade da equipe de pesquisa sobre o Setor Elétrico, vinculada ao NUCA do Instituto de Economia da UFRJ.

POLÍTICA DE PRIVACIDADE E SIGILO
Respeitamos sua privacidade. Caso você não deseje mais receber nossos e-mails,  Clique aqui e envie-nos uma mensagem solicitando o descadastrado do seu e-mail de nosso mailing.


Copyright UFRJ

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: