IFE.TEX 83

Informativo Eletrônico – Tecnologias Exponenciais nº 83 – publicado em 10 de maio de 2022.

font-size: 9px; } –>

l

IFE: nº 83 – 11 de maio de 2022
http://gesel.ie.ufrj.br/
gesel@gesel.ie.ufrj.br

Editor: Prof. Nivalde J. de Castro

Índice

Transição Energética e ESG
1
National Grid lança plano 2050 de energia limpa
2 Relatório: “Financing the Energy Transition: The Role, Opportunities and Challenges of Green Bonds”
3 Os fornecedores da Apple utilizam mais de 10 GW de energia limpa
4 Enel garante financiamento verde para a América Latina
5 EUA: Setor de energia limpa vê janela para aprovação de incentivos fiscais federais
6 Espanha: Navarra tem nova Lei Foral sobre Mudanças Climáticas e Transição Energética
7 Fontes renováveis representam a maior parte das adições globais de energia em 2021
8 Capital Energy e Google Cloud se unem para digitalizar projetos de energia renovável
9 Irlanda: Urgência na expansão das energias renováveis
10 Nova York: Estado aprova contratos para trazer energia renovável

Geração Distribuída
1 Geração de energia solar domiciliar deve alcançar Itaipu em setembro
2 FazSol e Órigo firmam parceria em projeto de GD compartilhada
3 Absolar: Energia solar ultrapassa 15 GW de potência operacional no país
4 Vivo inaugura usina de GD em Roraima
5 Projeto de lei de New Hampshire visa antecipar a publicação do estudo de net-metering do estado

Armazenamento de Energia
1 Energy Dome apresenta tecnologia de armazenamento de energia de longa duração com bateria de CO2
2 Mercedes e Batteryloop fazem parceria em soluções de armazenamento de energia
3 Start-up dos EUA desenvolve baterias à base de polímeros para armazenamento estacionário

4 Projetos de armazenamento são impulsionados em Nova York

Veículos Elétricos
1 A WEG e a Renault firmam parceria para fornecimento de estações de recarga
2 Índia: Incentivo para a padronização das baterias de VEs
3 Weg começa a produzir baterias para VEs
4 Parceria é firmada visando facilitar a transição das concessionárias e consumidores para VEs

5 Califórnia revela caminho proposto para atingir 100% de ZEVs até 2035

Gestão e Resposta da Demanda
1 Piloto de inteligência artificial para aliviar a demanda de eletricidade para VEs
2 Ontário avança em plano de eletricidade “ultra-baixo” de Time of Use noturno
3 Resposta da demanda pode ajudar UE a atingir metas de neutralidade de carbono
4 Distribuidores de eletricidade e água do Reino Unido colaboram em opções de flexibilidade

5 Canadá: Grandes economias neste inverno graças ao Hilo e preços dinâmicos
6 Preços dinâmicos: pequenas mudanças de hábitos que realmente compensam

Eficiência Energética
1 Casas californianas de renda baixa a moderada obtém aumento de equidade climática
2 Espanha: Valencia promove eficiência energética nas indústrias
3 Governo espanhol disponibiliza orçamento até 2026 para reabilitação de edifícios públicos
4 NYSERDA seleciona ICF para atualizações de eficiência energética

Microrredes e VPP
1 Universidade canadense será equipada com uma microrrede com geração em fachada solar
2 EUA: Microrrede na Califórnia irá ajudar bombeiros durante eventos de desligamento de energia

10 Titulo

Tecnologias e Soluções Digitais
1 ReNew Power aproveita realidade virtual e aumentada para impulsionar esforços de energia limpa
2 Southern Company e Volta desenvolverão software capaz de auxiliar na eletrificação de frotas
3 RIDDLE&CODE Energy Solutions participa em projeto de tokenização de energia
4 Energy Web e AEMO irão desenvolver projeto de VPP baseado em blockchain

Segurança Cibernética
1 EUA: Legisladores federais pedem ao DOE que mantenha autoridade sobre segurança cibernética no setor de energia
2 EUA: Setor de energia em alerta máximo após descoberta de novo malware visando sistemas de controle industrial

Eventos
1 Espanha será sede de conferência sobre energias renováveis
2 BloombergNEF: 1° Cúpula de Transição Energética em Bali
3 Webinar GESEL: “Blockchain no Setor Elétrico: aplicações e perspectivas”
4 Webinar: Caminhos para a descarbonização do setor de energia no Brasil no horizonte até 2050

5 Webinar “Electric Utility Innovation at the Speed of Regulation”

Artigos e Estudos
1 Relatório: “IEA Rastreador de Recuperação Sustentável”
2 Relatório: “Grid codes for renewable powered systems”
3 Relatório: “The role innovation in the electric utility sector”
4 Artigo de Julian Kettle: “Uma recessão vai parar ou apenas pausar a grande corrida do ouro da transição energética?”


 

 

Transição Energética e ESG

1 National Grid lança plano 2050 de energia limpa

A National Grid, empresa de energia estadunidense, lançou uma estratégia para atingir um futuro de energia limpa mais acessível e confiável para combater as mudanças climáticas e garantir que os clientes tenham poder de escolha. A empresa anunciou que buscará eliminar o combustível fóssil de suas redes de gás e detalhou as políticas e regulamentações críticas necessárias para ajudar a alcançar a neutralidade das emissões em nome dos clientes, que inclui a adoção de um padrão de portfólio de aquecimento a partir de fontes renováveis. Neste sentido, o objetivo da empresa é expandir a implementação do gás natural renovável (RNG) e do hidrogênio verde, maximizando a eficiência energética e ajudando os clientes a eletrificar o aquecimento em áreas específicas. (Smart Energy – 20.04.2022)

<topo>

2 Relatório: “Financing the Energy Transition: The Role, Opportunities and Challenges of Green Bonds”

O relatório publicado pelo The Oxford Institute for Energy Studies analisa os desenvolvimentos atuais e a adoção de instrumentos financeiros destinados a apoiar os esforços de governos e corporações na descarbonização de suas atividades. O estudo da especial atenção ao papel dos Títulos Verdes, um instrumento financeiro semelhante à dívida cujos recursos são utilizados para financiar projetos/ativos ‘verdes’. Os títulos verdes tiveram um forte crescimento em nível global e passaram a representar, a partir de 2021, um mercado de US$ 1,5 trilhão, com emissores incluindo governos, instituições supranacionais e empresas. Entre os emissores corporativos do setor de energia, as concessionárias se destacam como early adopters, devido aos seus investimentos em infraestrutura renovável como parte de sua estratégia de redução de emissões de gases de efeito estufa (GEE). Para ler o texto na íntegra, clique aqui. (Oxford Energy – 20.04.2022)

<topo>

3 Os fornecedores da Apple utilizam mais de 10 GW de energia limpa

De acordo com a Apple, seus 213 fornecedores se comprometeram a usar apenas energia limpa, levando a mais que o dobro do uso dessa energia no ano passado e evitando 13,9 milhões de toneladas métricas de emissões de CO2 em 2021. O comprometimento dos fornecedores da Apple levou a empresa a implantar mais de 10 GW de energia renovável até o momento e com expectativa de atingir quase 16 GW nos próximos anos. A iniciativa abrangerá 25 países à medida que a Apple impulsiona sua cadeia de suprimentos para alcançar a neutralidade de carbono até 2030. Internamente, a empresa tem sido neutra em carbono em suas operações globais por dois anos, mas também ampliou seus investimentos para incluir projetos renováveis em todo o mundo. (Oxford Energy – 20.04.2022)

<topo>

4 Enel garante financiamento verde para a América Latina

A Enel garantiu uma linha de crédito totalizando € 600 milhões fornecida pela filial de desenvolvimento do Banco Europeu de Investimento (EIB-Global), apoiada por uma garantia da seguradora financeira italiana Sace para investimentos verdes na América Latina. A Enel Green Power Peru recebeu € 119 milhões por meio da instalação para implementar projetos eólicos e solares totalizando quase 300 MW. O restante a instalação apoiará o crescimento dos investimentos sustentáveis do Grupo Enel no Brasil e na Colômbia por meio de projetos de geração de energia renovável e distribuição de energia. Por sua vez, o acordo representa a primeira operação vinculada à sustentabilidade do BEI-Sace e o maior financiamento do banco a uma entidade do setor privado fora da Europa. Em suma, espera-se que os projetos financiados gerem cerca de 2.307 GWh de energia limpa a cada ano. (Renews Biz – 11.04.2022)

<topo>

5 EUA: Setor de energia limpa vê janela para aprovação de incentivos fiscais federais

As partes interessadas em energia limpa veem uma possibilidade para o Congresso dos EUA aprovar amplos incentivos fiscais de energia limpa nos próximos meses em meio aos altos preços da energia e um calendário legislativo cada vez mais restrito. Segundo a Leah Rubin Shen, diretora de política federal da Economia de Energia Avançada, a não aprovação dos incentivos fiscais propostos provavelmente resultará na desaceleração da implementação de projetos, assim como em projetos atrasados e cancelados, esforços mais lentos para descarbonizar a rede e o sistema de transporte. (Utility Dive – 08.04.2022)

<topo>

6 Espanha: Navarra tem nova Lei Foral sobre Mudanças Climáticas e Transição Energética

A Comunidade Autónoma de Navarra dispõe de um novo quadro regulamentar, institucional e instrumental para lidar com as alterações climáticas e articular a transição para um novo modelo energético. O novo marco regulatório, Lei sobre Mudanças Climáticas e Transição Energética, estabelece obrigações para promover a geração de energia renovável, especifica prazos para a elaboração de planos, regulamentos e entrada em vigor, tornando-o mais exigente e estabelece um regime sancionatório mais rigoroso, e visa reduzir os efeitos negativos das alterações climáticas. (Energías Renovables – 08.04.2022)

<topo>

7 Fontes renováveis representam a maior parte das adições globais de energia em 2021

Novos dados divulgados pela Agência Internacional de Energia Renovável (IRENA) mostram que a energia renovável continuou a crescer e ganhar impulso, apesar das incertezas globais. Até o final de 2021, a capacidade global de geração renovável totalizou 3.064 GW, aumentando o estoque de energia renovável em 9,1%. Embora a energia hidrelétrica represente a maior parte da capacidade total global de geração renovável com 1.230 GW, as Estatísticas de Capacidade Renovável da IRENA 2022 mostram que as energias solar e eólica continuam a dominar a nova capacidade de geração. Juntas, ambas as tecnologias contribuíram com 88% para a participação de toda a nova capacidade renovável em 2021. A capacidade solar liderou com um aumento de 19%, seguida pela energia eólica, que aumentou sua capacidade de geração em 13%. (Renews Biz – 11.04.2022) (IRENA – 11.04.2022)

<topo>

8 Capital Energy e Google Cloud se unem para digitalizar projetos de energia renovável

O Google Cloud, empresa de computação em nuvem oferecida pelo Google, e a Capital Energy, fabricante de semicondutores de energias renováveis, realizarão um trabalho conjunto de inovação nos próximos cinco anos com o objetivo de acelerar o alcance dos objetivos estratégicos da Capital Energy no campo da digitalização e sustentabilidade. A colaboração entre as empresas incidirá, entre outras ações, na busca de novas soluções digitais para abordar os problemas do core business da empresa renovável, bem como na implementação de iniciativas que possibilitem seu desenvolvimento sustentável. Os parceiros já estão trabalhando na implementação de soluções de ponta para captura e processamento de dados e na continuidade do desenvolvimento da cultura interna da Capital Energy nessa área. (Energías Renovables – 11.04.2022)


<topo>

9 Irlanda: Urgência na expansão das energias renováveis

A Wind Energy Ireland (WEI), representante da indústria de energia eólica, está pedindo ao governo que acelere o desenvolvimento de eletricidade renovável na Irlanda. O pedido feito ao ministro Darragh O’Brien solicita que projetos de energias renováveis sejam priorizados, assim como a infraestrutura de rede relacionada. A WEI também pediu ao ministro Eamon Ryan que trabalhe com a EirGrid, a ESB Networks e a indústria irlandesa para construir uma rede elétrica forte o suficiente para acomodar a energia eólica onshore, offshore e flutuante necessária para tornar a Irlanda neutra em carbono até 2035. (Renews Biz – 13.04.2022)

<topo>

10 Nova York: Estado aprova contratos para trazer energia renovável

A Comissão de Serviço Público do Estado de Nova York aprovou dois contratos para trazer energia eólica, solar e hidrelétrica do norte do estado de Nova York e do Canadá para a cidade de Nova York. Um contrato foi concedido à Clean Path New York, desenvolvedora de soluções de energia limpa para Nova York, e o outro foi concedido à HQ Energy Services, comercializadora de energia. De acordo com a governadora de Nova York Kathy Hochul, Nova York continua a liderar com iniciativas inovadoras de energia verde e tem sido um exemplo para o resto do mundo de como enfrentar os impactos das mudanças climáticas. Em suma, essa aprovação é um grande passo para alcançar a meta do Estado de Nova York de 70% de energia a partir de recursos renováveis, enquanto abre caminho para milhares de empregos de alta qualidade, estimulando bilhões em atividade econômica e reduzindo a dependência de combustíveis fósseis do país. (Daily Energy Insider – 18.04.2022)

<topo>

 

 

Geração Distribuída

1 Geração de energia solar domiciliar deve alcançar Itaipu em setembro

A geração própria de energia solar no país deve alcançar a capacidade da usina hidrelétrica de Itaipu em setembro, segundo projeção da Absolar. Para atingir a marca, a potência dos sistemas instalados em telhados, fachadas e pequenos terrenos de casas, comércios e indústrias deve chegar a 14 GW. Em abril, a capacidade somou 10 GW. Segundo a entidade, que espera registrar recordes de crescimento do mercado neste ano, o Brasil tem mais de 930 mil sistemas solares fotovoltaicos conectados à rede. Os consumidores residenciais respondem por cerca de 77% das instalações de geração própria. Depois, aparecem as pequenas empresas dos setores de comércio e serviços (12,7%) e consumidores rurais (7,7%). Indústrias vêm em quarto lugar (2%). (Valor Econômico – 08.04.2022)

<topo>

2 FazSol e Órigo firmam parceria em projeto de GD compartilhada

A FazSol, joint venture formada pela japonesa Shizen Energy e a Espaço Y, fechou um contrato com a Órigo Energia para a construção de 17 fazendas solares em diferentes localidades do Brasil. Juntos, os empreendimentos somam 33,4 MWp de capacidade instalada, com produção estimada em 65 GWh anual. Espera-se que os projetos sejam concluídos ainda em 2022 e os parques solares serão construídos no Distrito Federal (4 locais), Minas Gerais (2 em Vazante) e Ceará (4 em Mombaça, 4 em Independência, e 3 em Pedra Branca), localização dos clientes da Órigo Energia e para os quais será fornecida a energia produzida. Em suma, esses clientes receberão a energia por meio de um sistema remoto de geração distribuída compartilhada. (CanalEnergia – 11.04.2022)

<topo>

3 Absolar: Energia solar ultrapassa 15 GW de potência operacional no país

Segundo levantamento da Absolar, o Brasil superou a marca histórica de 15 GW de potência operacional da fonte solar fotovoltaica, considerando as usinas de grande porte e os sistemas de geração própria em telhados, fachadas e pequenos terrenos. De acordo com a Associação, a fonte solar já trouxe ao Brasil mais de R$ 78,5 bilhões em novos investimentos. Somente os projetos de grande porte exigiram desembolsos de mais de R$ 26 bilhões desde 2012. Já a mini e microgeração fotovoltaica consumiu até agora R$ 52,4 bilhões. Dessa forma, o setor propiciou R$ 21,7 bilhões em arrecadação aos cofres públicos e gerou mais de 450 mil empregos acumulados desde 2012. Também evitou a emissão de 20,8 milhões de toneladas de CO2 na geração de eletricidade. (Broadcast Energia – 12.04.2022)

<topo>

4 Vivo inaugura usina de GD em Roraima

A Vivo inaugurou sua primeira usina de geração solar distribuída no estado de Roraima. Localizada em Boa Vista, é a segunda usina a serviço da Vivo na região Norte e a 24ª em operação no Brasil. Construída em parceria com a empresa Voltxs Energia, a planta tem capacidade para produzir 2.278 MWh/ano de energia, o suficiente para atender todo o consumo em baixa tensão das 51 unidades consumidoras da Vivo em Roraima, como lojas, antenas e equipamentos de transmissão. A iniciativa em Roraima integra a estratégia da empresa para ampliar a produção própria de energia de fontes renováveis. São 85 usinas no programa de geração distribuída da Vivo previstas para todo o Brasil. (Portal Solar– 16.04.2022)

<topo>

5 Projeto de lei de New Hampshire visa antecipar a publicação do estudo de net-metering do estado

Um estudo para determinar uma taxa justa a ser paga pelos clientes de serviços públicos de New Hampshire por sua energia solar e de outras fontes não utilizada está quase concluído, mas alguns legisladores estaduais republicanos não querem esperar. Pelo menos dois projetos de lei aprovados pela Câmara dos Deputados, controlada pelos republicanos, pedem o corte das taxas de net-metering agora, mesmo que um relatório de consultores sobre o assunto esteja em vias de divulgação. Grupos da indústria de combustíveis fósseis em todo o país têm lutado contra o net-metering, argumentando que transfere os custos para outros contribuintes. (Power Grid– 16.04.2022)

<topo>

 

 

Armazenamento de Energia

1 Energy Dome apresenta tecnologia de armazenamento de energia de longa duração com bateria de CO2

A empresa de tecnologias de armazenamento Energy Dome é a vencedora do concurso de tecnologia Bloomberg New Energy Finance (BNEF) Pioneers 2022, concurso que identifica as tecnologias mais promissoras e impactantes que podem acelerar a descarbonização global. A empresa venceu o concurso por seu desenvolvimento e comercialização da tecnologia de armazenamento de energia em bateria de CO2 de longa duração, na categoria “fornecendo energia sem emissões 24 horas por dia”. O método de armazenamento de energia da Energy Dome usa dióxido de carbono em um ciclo de carga/descarga de circuito fechado que pode armazenar e enviar energia renovável para a rede por períodos de quatro a 24 horas. A Energy Dome informa que planeja construir projetos de armazenamento de energia pela metade do custo da tecnologia de armazenamento de baterias de íons de lítio globalmente. (PV Magazine– 16.04.2022)

<topo>

2 Mercedes e Batteryloop fazem parceria em soluções de armazenamento de energia

A BatteryLoop assinou um contrato com a Mercedes-Benz Energy para fornecer baterias, que serão aplicadas em soluções de armazenamento de energia. O acordo entre as empresas inclui opções de cancelamento de baterias, sistemas DC e engenharia. O contrato garantirá grandes volumes de módulos de bateria novos e de segundo uso, da Mercedes-Benz Energy ao BatteryLoop. Isso pode permitir que o BatteryLoop implemente 40 MWh nos próximos 18 meses usando os módulos da Mercedes-Benz Energy. A primeira entrega será em 2022 de um sistema de 2MWh com potência de 3MW instalado na Suécia pela BatteryLoop. (Utility Dive – 13.04.2022)

<topo>

3 Start-up dos EUA desenvolve baterias à base de polímeros para armazenamento estacionário

A PolyJoule, startup que pertence ao Massachusetts Institute of Technology (MIT), revelou uma nova tecnologia de bateria baseada em seus polímeros condutores e outros materiais orgânicos não metálicos. De acordo com o MIT Technology Review, as baterias são até cinco vezes maiores que os sistemas de íons de lítio com a mesma capacidade e não requerem controle ativo de temperatura. O produto está sendo oferecido em cadeias de energia que, segundo a empresa, podem descarregar energia rapidamente, até 1 MW, em menos de 10 segundos e ser recarregada em menos de cinco minutos. A bateria não contém lítio, cobalto ou chumbo e, de acordo com a PolyJoule, é constituída por matérias-primas abundantes e sem elementos de terras raras. (PV Magazine– 16.04.2022)

<topo>

4 Projetos de armazenamento são impulsionados em Nova York

O mercado competitivo respondeu à meta de armazenamento de Nova York para 2030 adicionando mais de 12 GW de projetos de armazenamento de energia à fila de interconexão, de acordo com o Departamento de Serviço Público (DPS) do estado. No entanto, a DPS e outro analista esperam que apenas uma parte desses projetos se concretize para a meta de 6 GW. Os projetos estão em desenvolvimento para a meta provisória de 1,5 GW em 2025, e a agência informou que o estado está perto de atingir essa meta. A meta inicial de armazenamento, definida em dezembro de 2018, era de 3 GW, antes de ser dobrada em janeiro pela governadora Kathy Hochul, já que os preços do lítio importado e outros metais importantes para baterias subiram. (Utility Dive – 16.04.2022)

<topo>

 

 

Veículos Elétricos

1 A WEG e a Renault firmam parceria para fornecimento de estações de recarga

A WEG firmou parceria com a Renault para o fornecimento de estações de recarga para o novo Kwid E-TECH Electric, modelo de carro elétrico recém-lançado pela empresa no Brasil. O acordo possibilitará aos clientes que comprarem o novo veículo elétrico (VE) possam também adquirir os equipamentos de recarga diretamente na concessionária, como acessório do carro, ou por assinatura. As estações WEMOB (WEG Electric Mobility) que estarão no escopo de fornecimento aos clientes Mobilize/Renault são os modelos WALL de 7,4 kW e PARKING de 22 kW, com uma ou duas saídas para recarga simultânea. No Brasil, a WEG já é uma das fornecedoras oficiais de estações de recarga para os modelos elétricos Zoe, Kangoo da Renault. (Portal solar – 18.04.2022)

<topo>

2 Índia: Incentivo para a padronização das baterias de VEs

A Índia está planejando novas regras para tornar as baterias usadas em scooters, motocicletas e triciclos intercambiáveis entre diferentes modelos, como parte de um plano para acelerar o uso de transportes elétricos. O centro de estudos Niti Aayog afirmou que a proposta estabelece padrões para as dimensões de baterias e seus conectores, permitindo que usuários dos veículos possam trocá-las quando estão descarregadas. A iniciativa também permitirá um barateamento dos veículos que poderão ser vendidos dissociados dos custos de aquisição de bateria. Atualmente, as baterias substituíveis não são usadas no segmento de scooters elétricas da Índia, apesar do seu rápido crescimento. O projeto não especificou plano de investimento, mas estará aberto a comentários do público até 5 de junho, após o qual uma política final será produzida. Uma vez finalizada, a política vai entrar em vigor até 2025. (Terra – 22.04.2022)

<topo>

3 Weg começa a produzir baterias para VEs

A multinacional brasileira Weg iniciou neste ano a produção de packs de baterias. Os primeiros veículos a receberem o equipamento são dez ônibus elétricos que vão circular pela cidade de Sorocaba (SP). O pack envolve vários módulos de baterias, células de íons de lítio e tubos de refrigeração, entre outros itens. Inicialmente as baterias serão destinadas apenas para caminhões, ônibus e embarcações. Para os automóveis, a empresa pretende atender demandas quando houver produção local de veículos de passageiros. (Terra – 21.04.2022)

<topo>

4 Parceria é firmada visando facilitar a transição das concessionárias e consumidores para VEs

A Qmerit, fornecedora de carregadores de veículos elétricos, e a Uplight, fornecedora de tecnologias de energia limpa, anunciaram uma parceria para permitir que as concessionárias agrupem a instalação do carregador de VE em um amplo conjunto de serviços e recursos ao consumidor. A colaboração visa expandir a capacidade das concessionárias de fornecer suporte de carregamento de ponta a ponta para compradores de veículos elétricos. Os recursos de implementação do serviço de eletrificação da Qmerit, incluindo uma rede nacional de instaladores de carregadores de VE, serão acoplados ao EV Solution Suite da Uplight. (Smart Energy – 15.04.2022)

<topo>

5 Califórnia revela caminho proposto para atingir 100% de ZEVs até 2035

O California Air Resources Board (CARB) divulgou regulamentos propostos que, se aprovados pelo conselho, exigiriam que 35% das vendas de carros do ano modelo 2026 na Califórnia fossem veículos de emissão zero (ZEV). Além disso, também fornecem um caminho para atingir a meta da Califórnia de que as vendas de todos os novos veículos de passageiros no estado sejam de emissão zero até 2035. Os regulamentos propostos representam a próxima fase importante no mercado de veículos elétricos, disse Don Anair, vice-diretor de pesquisa e do programa de transporte limpo da União de Cientistas Preocupados. (Utility Dive – 13.04.2022)

<topo>

 

 

Gestão e Resposta da Demanda

1 Piloto de inteligência artificial para aliviar a demanda de eletricidade para VEs

O IESO, OEB, BluWave-ai e Hydro Ottawa do Canadá colaborarão em um projeto piloto baseado no uso de inteligência artificial (IA) para coordenar o carregamento de veículos elétricos (VE) em Ottawa durante o pico de demanda de eletricidade. A IA será usada para desenvolver serviços online para proprietários de VEs, que aproveitarão a capacidade de armazenamento e carregamento das baterias de VEs para suavizar os picos de demanda e aproveitar a energia de baixo custo fora do pico. Espera-se que o projeto seja capaz de promover redução das faturas de energia para os clientes, assim como aumentar a vida útil da infraestrutura de energia. (Smart Energy – 19.04.2022)

<topo>

2 Ontário avança em plano de eletricidade “ultra-baixo” de Time of Use noturno

O Conselho de Energia de Ontário (OEB) divulgou um relatório destacando que o novo plano de time of use noturno ultrabaixo pode economizar até C$ 90 por ano para as famílias de Ontário. A tarifa “ultrabaixa” seria de 2,5 centavos de dólar canadenses por quilowatt-hora em troca de uma tarifa mais alta no horário de pico. Esta tarifa é 70 % mais baixa do que a atual tarifa fora de pico para clientes em time of use. O relatório observou que o novo plano de eletricidade apoiaria a adoção de VEs e reduziria os custos de carregamento noturno. Além da economia de custos para o cliente, o OEB também observou que o novo plano tem potencial para economizar até US$ 5,7 milhões por ano no sistema elétrico. A intenção é disponibilizar o novo plano de preços aos clientes até abril de 2023, se tudo correr conforme o planejado. (Drive Tesla Canaada – 16.04.2022)

<topo>

3 Resposta da demanda pode ajudar UE a atingir metas de neutralidade de carbono

Ajudar os países da UE a baixar os preços da energia e a se tornarem neutros em carbono até 2050 requer uma resposta de ‘demanda’ mais favorável, escreve Simon Bushell, fundador e CEO da Sympower, empresa de consultoria energética. Para que as tecnologias de resposta à demanda se tornem mais predominantes, a entrada no mercado de agregadores independentes deve ser apoiada e aprimorada. Os agregadores independentes podem fornecer serviços de flexibilidade sem a necessidade de ter ligação com um fornecedor de eletricidade ou a uma parte responsável pelo equilíbrio, deste modo oferecem uma rota essencial para os mercados europeus de eletricidade para os proprietários de ativos flexíveis. Os agregadores independentes não apenas desempenharão um papel vital no aumento da flexibilidade da participação e na garantia de uma transição energética bem-sucedida, mas também ajudarão a Europa a atingir suas metas de descarbonização e ajudarão a reduzir os preços da energia no processo. (Smart Energy – 16.04.2022)

<topo>

4 Distribuidores de eletricidade e água do Reino Unido colaboram em opções de flexibilidade

A Western Power Distribution e a South West Water lançaram o projeto FLOWERS para investigar os benefícios da flexibilidade nos dois negócios. O estudo de viabilidade FLOWERS (Flexible Operation of Water Networks Enabling Response Services), que começou em fevereiro, está procurando maneiras de equilibrar a demanda de eletricidade da South West Water com as necessidades da rede elétrica local. O estudo mostra que a South West Water pode modificar os gatilhos e o tempo de seus processos de bombeamento de águas residuais e água potável para responder às necessidades da rede elétrica. Por exemplo, isso pode envolver a reprogramação desses processos para que sejam executados em horários de menor demanda para ajudar a aliviar as restrições nos horários de pico. As redes de água são uma das maiores demandas de energia elétrica das redes de distribuição, estimada em 1TWh nas quatro áreas de licença da Western Power Distribution, com a South West Water contribuindo com 300 GWh dessa demanda. (Smart Energy – 16.04.2022)

<topo>

5 Canadá: Grandes economias neste inverno graças ao Hilo e preços dinâmicos

Como parte dos 30 desafios realizados neste inverno, os clientes da Hilo (empresa especializada em soluções digitais em energia elétrica e eficiência energética) ajudaram a reduzir a demanda de eletricidade durante os períodos de pico, deixando o equipamento pré-aquecer suas casas e depois baixar a temperatura por algumas horas. Eles ganharam uma média de $ 166 em recompensas em dinheiro somente neste inverno, e aqueles que fizeram mais esforços durante os eventos de pico receberam no total uma média de $ 229 em recompensas em dinheiro. Além disso, estima-se que os dispositivos conectados à Hilo diminuíram as contas anuais de eletricidade dos clientes em cerca de 15%. Os serviços Hilo estão agora disponíveis em mais de 90% das cidades de Quebec e continuam a ser implementados em toda a província. Cada cliente reduziu uma média de 10,5 kWh de eletricidade para cada desafio. Este número deve aumentar à medida que novos equipamentos são adicionados. (Electric Emergy Online – 16.04.2022)

<topo>

6 Preços dinâmicos: pequenas mudanças de hábitos que realmente compensam

Este ano, mais de 160 mil clientes residenciais aderiram da Hilo à tarifa dinâmica, que é oferecida de forma voluntária no Canadá. Espera-se que esse número suba para 250 mil à medida que o lançamento gradual continua nos próximos anos, para que todos que desejam se inscrever tenham a oportunidade de fazê-lo. A precificação dinâmica não requer um investimento para os clientes. Isso gera economia por meio de ações simples para reduzir o consumo de eletricidade durante cerca de 30 eventos de pico de demanda durante o inverno. No inverno passado, os clientes inscritos na opção de crédito de inverno receberam um crédito médio de US$ 46. Os clientes que estiveram ativamente envolvidos e adotaram as boas práticas descritas em nossas dicas economizaram uma média de US$ 114. Para cada evento de pico de demanda, a precificação dinâmica ajudou a reduzir uma média de 157 MW, o que equivale à demanda de 30 mil residências por evento. (Electric Emergy Online – 16.04.2022)

<topo>

 

 

Eficiência Energética

1 Casas californianas de renda baixa a moderada obtém aumento de equidade climática

O East Bay Community Energy (EBCE), agência pública sem fins lucrativos responsável por administrar o Community Choice Energy, firmou uma parceria com a BlocPower (empresa de tecnologia climática com sede no Brooklyn) para eletrificar 60 residências de renda baixa à moderada (LMI) no território de mercado da EBCE. O esforço segue um projeto piloto inicial para atualizar e eletrificar 12 casas em Oakland, Califórnia. A EBCE está fornecendo US$ 1,4 milhão em incentivos de financiamento de projetos para financiar a iniciativa, o que equivale a cerca de US$ 23.000 por residência. Espera-se que os destinatários recebam novos sistemas de aquecimento e resfriamento, aparelhos elétricos, bem como climatização e infraestrutura atualizada, disseram as empresas. (Smart Energy – 13.04.2022)

<topo>

2 Espanha: Valencia promove eficiência energética nas indústrias

O Ministério da Economia Sustentável, Setores Produtivos, Comércio e Trabalho, através do Instituto Valenciano de Competitividade Empresarial (IVACE), destinará um total de 6,6 milhões de euros para facilitar a introdução de medidas de economia e eficiência energética nas indústrias da Comunidade Valenciana. Com este financiamento o IVACE apoiará iniciativas que contemplam investimentos na substituição de equipamentos e instalações, bem como sistemas auxiliares por outros que utilizam tecnologias de alta eficiência energética. O financiamento é destinado a pequenas, médias e grandes empresas do setor industrial da Comunidade Valenciana, que têm até 30 de junho de 2023 para apresentar as suas candidaturas. A percentagem do subsídio varia entre 30% e 50% do custo, com um limite máximo de 1,5 milhões de euros por projeto (Energías Renovables – 18.04.2022)

<topo>

3 Governo espanhol disponibiliza orçamento até 2026 para reabilitação de edifícios públicos

As administrações públicas espanholas têm mais de 2,150 bilhões de euros disponíveis até 2026 para reabilitar edifícios estatais, regionais e locais. Este investimento provém dos fundos europeus do Plano de Recuperação, Transformação e Resiliência para ajudar as administrações a acelerar a transição ecológica do setor da construção. A Andaluzia é a região que mais recebe fundos (17,84%), seguida da Catalunha (16,40%) e da Comunidade de Madrid (14,29%). “Estes subsídios são uma oportunidade única para as administrações públicas demonstrarem, através dos seus edifícios, que a transformação para uma sociedade descarbonizada é possível e benéfica para todos”, afirma Dolores Huerta, diretora geral do Green Building Council Espanha (GBCe). (Energías Renovables – 12.04.2022)

<topo>

4 NYSERDA seleciona ICF para atualizações de eficiência energética

A provedora de serviços digitais ICF foi recentemente selecionada pela Autoridade de Pesquisa e Desenvolvimento Energético do Estado de Nova York (NYSERDA) e pela National Grid para fornecer eficiência energética e atualizações de energia limpa para residências no centro de Nova York. Essa iniciativa faz parte do Programa de Economia de Energia Doméstica do estado, um piloto de pagamento por desempenho projetado para transformar a forma como o estado investe em eficiência energética e apoiar a meta da governadora do estado de Nova York, Kathy Hochul, de ter 2 milhões de casas ecológicas no estado até 2030. Por meio desse programa, a ICF oferecerá um conjunto de soluções de eficiência energética e energia limpa para residências nos condados de Oneida, Onondaga e Oswego, adaptadas a cada cliente. (Daily Energy Insider – 15.04.2022)

<topo>

 

 

Microrredes e VPP

1 Universidade canadense será equipada com uma microrrede com geração em fachada solar

A Mitrex, fabricante de energia fotovoltaica integrada em edifícios (BIPV) com sede em Toronto, está planejando a fachada solar mais alta da América do Norte, um sistema BIPV de aproximadamente 1800 metros quadrados que alimentará um prédio de residência estudantil na Universidade de St. Mary em Halifax, Nova Escócia. A fonte de energia descentralizada fornece energia local e está conectada à rede tradicional para exportar o excesso de produção. É também uma microrrede, capaz de funcionar de forma autônoma em relação à rede elétrica, e apta a operar durante faltas de energia. (PV Magazine – 19.04.2022)

<topo>

2 EUA: Microrrede na Califórnia irá ajudar bombeiros durante eventos de desligamento de energia

A San Diego Gas & Electric (SDG&E), concessionária de gás e energia concluiu a microrrede Ramona, uma das quatro microrredes planejadas no High Fire Threat District, na Califórnia. A instalação fornecerá energia reserva à Base de Ataque Aéreo de Ramona, base do CAL FIRE (bombeiros da Califórnia) e dos ativos de combate a incêndios aéreos do Serviço Florestal dos EUA. A microrrede é alimentada por um sistema de armazenamento de bateria de 500 kW / 2.000 kWh e foi construída para trazer resiliência à base durante desligamentos de energia de segurança pública (PSPS) e outras emergências. As concessionárias da Califórnia são orientadas a usar eventos PSPS para manter as comunidades protegidas contra possíveis danos em caso de incêndios que podem ser causados por equipamentos elétricos. No caso de Ramona, a microrrede garantirá que os bombeiros possam continuar fazendo seu trabalho mesmo quando a energia cair. (Power Grid – 20.04.2022)

<topo>

 

 

Tecnologias e Soluções Digitais

1 ReNew Power aproveita realidade virtual e aumentada para impulsionar esforços de energia limpa

A solução Onsight da Librestream, uma plataforma de realidade virtual (VR)/realidade aumentada (AR), está configurada para apoiar os esforços de sustentabilidade e energia limpa da ReNew Power na Índia. A plataforma de tecnologia remota Librestream anunciou que adicionou a ReNew Power, uma empresa de energia renovável na Índia, à sua base de clientes. A adição visa destacar o papel crítico que a tecnologia remota desempenha para ajudar as empresas a atingir as metas de sustentabilidade corporativa. Sendo assim, a plataforma oferece recursos para colaboração remota holística entre trabalhadores, contratados e especialistas no assunto, permitindo que as organizações reduzam viagens desnecessárias para locais quando um problema pode ser resolvido remotamente. (Smart Energy – 20.04.2022)

<topo>

2 Southern Company e Volta desenvolverão software capaz de auxiliar na eletrificação de frotas

A Southern Company, concessionária de energia norte-americana, e a Volta Inc., companhia ligada a infraestrutura de recarga de veículos elétricos (VEs), anunciaram o PredictEV Fleet, uma assistência tecnológica que pode auxiliar na eletrificação de frotas comerciais. O programa analisa os dados da frota de veículos existentes e trabalha para identificar componentes para planejamento futuro, como os VEs recomendados para substituir veículos com motor de combustão interna com especificações semelhantes, equipamento ideal de infraestrutura de carregamento de VEs, custos e economias estimados, descontos e incentivos aplicáveis e a mitigação de carbono que uma transição para VEs forneceria. (Daily Energy Insider – 13.04.2022)

<topo>

3 RIDDLE&CODE Energy Solutions participa em projeto de tokenização de energia

Espera-se que os tokens se tornem um componente cada vez mais importante da economia digital, com a programabilidade e as opções de negociação que eles oferecem. Neste contexto, a RIDDLE&CODE Energy Solutions, companhia de soluções digitais para o setor elétrico, juntou-se ao consórcio 2Tokens para desenvolver o projeto Energy Token. A empresa fornece uma infraestrutura baseada em blockchain com a plataforma MyPower que permite a tokenização da produção e consumo de energia. Ao tokenizar a energia, o projeto visa aumentar significativamente a liquidez dos ativos distribuídos, tornando-os facilmente acessíveis a amplos segmentos de investidores, enquanto sua produção pode ser negociada e rastreada com transparência e segurança sem precedentes. Com a tokenização de ativos solares fotovoltaicos, por exemplo, os consumidores podem investir e se beneficiar da propriedade parcial. (Smart Energy – 14.04.2022)

<topo>

4 Energy Web e AEMO irão desenvolver projeto de VPP baseado em blockchain

Project Symphony é uma iniciativa de dois anos, que visa operar recursos energéticos distribuídos dos consumidores como uma usina de energia virtual (VPP). O projeto está sendo desenvolvido na Austrália e é uma iniciativa da Energy Web, companhia especializada na descentralização e transição do setor elétrico, em parceria com as concessionárias Western Power e Synergy, o operador do mercado de energia australiano (AEMO) e o governo australiano. O Project Symphony visa combinar, utilizando tecnologia blockchain, aproximadamente 900 recursos distribuídos em 500 residências e empresas em um VPP para gerar e armazenar eletricidade em nível local. O projeto permitirá a agregação de toda a energia gerada, armazenamento otimizado, distribuição e comercialização dessa energia de forma semelhante a uma usina tradicional. (Smart Energy – 11.04.2022)

<topo>

 

 

Segurança Cibernética

1 EUA: Legisladores federais pedem ao DOE que mantenha autoridade sobre segurança cibernética no setor de energia

Um grupo de membros do Congresso estadunidense está pedindo à liderança do DOE para garantir que a agência continue sendo a principal agência de segurança cibernética para o setor de energia. Em uma carta à secretária de Energia, Jennifer Granholm, os legisladores enfatizaram a importância do setor de energia e da coordenação do governo federal na resposta às ameaças cibernéticas à infraestrutura de energia. A investigação segue a aprovação da Lei de Relatórios de Incidentes Cibernéticos para Infraestrutura Crítica de 2022 como parte da Lei de Dotações Consolidadas de 2022. A Lei estabelece requisitos obrigatórios de relatórios de intrusão cibernética para empresas de infraestrutura crítica, incluindo empresas do setor de energia. Além disso, atribui a responsabilidade pela implementação à Agência de Segurança Cibernética e Segurança de Infraestrutura (CISA) do Departamento de Segurança Interna (DHS). (Daily Energy Insider – 12.04.2022)

<topo>

2 EUA: Setor de energia em alerta máximo após descoberta de novo malware visando sistemas de controle industrial

Hackers desenvolveram novas ferramentas que lhes permitem “obter acesso total ao sistema” a vários dispositivos de controle industrial, anunciaram agências federais estadunidenses, incluindo o DOE. Especialistas dizem que existem grandes possibilidades de a ferramenta ter sido desenvolvida na Rússia. Eles alertam que as fraquezas podem permitir que os dispositivos de controle de supervisão e aquisição de dados nas instalações de energia sejam comprometidos. Apelidado de “Pipedream”, a empresa de segurança Dragos diz que é o sétimo malware focado em sistemas de controle industrial (ICS), mas que ainda não teve nenhum caso de aplicação. (Cybersecurity Dive – 14.04.2022)

<topo>

 

 

Eventos

1 Espanha será sede de conferência sobre energias renováveis

O Governo de Espanha associou-se à Agência de Energias Renováveis para o Século XXI (REN21) para organizar a próxima Conferência Internacional de Energias Renováveis (IREC, na sigla em inglês), em Madrid. Espera-se que o evento, organizado pelo Instituto para a Diversificação e Poupança de Energia (IDAE) ocorra entre os dias 21 e 23 de fevereiro de 2023. A IREC é composta por uma série de conferências políticas de alto nível focadas na transição energética sustentável e atua como uma plataforma comum para que líderes de governos, líderes do setor privado e da sociedade civil debaterem a promoção das energias renováveis. A próxima conferência internacional reunirá mais de 60 representantes de alto nível, incluindo chefes de Estado, primeiros-ministros, ministros e outras autoridades. O governo espanhol entende que a IREC se trata de uma oportunidade para demonstrar a liderança espanhola no compromisso com as energias renováveis. (Energías Renovables – 11.04.2022)

<topo>

2 BloombergNEF: 1° Cúpula de Transição Energética em Bali

A BloombergNEF (BNEF) sediará o especial BloombergNEF Summit Bali em 12 de novembro de 2022, que irá explorar as oportunidades de crescimento na transição energética para alcançar uma economia neutra em emissões de carbono. O evento também irá explorar os esforços de descarbonização dos Estados Unidos e mecanismos de financiamento sustentável. O BloombergNEF Summit Bali acontecerá como um evento paralelo oficial do G20 e do B20 e recebe apoio estratégico do Ministério Coordenador de Assuntos Marítimos e de Investimento (CMMIA), da Câmara de Comércio e Indústria da Indonésia (KADIN) e da empresa de consultoria Equatorise. (BNEF – 19.04.2022)

<topo>

3 Webinar GESEL: “Blockchain no Setor Elétrico: aplicações e perspectivas”

Aconteceu no último dia 10/05, às 10h30, o Webinar GESEL “Blockchain no Setor Elétrico: aplicações e perspectivas”. O objetivo do evento é analisar o potencial disruptivo da tecnologia Blockchain, que tem sido um elemento chave do processo de modernização de diversos setores da economia, no setor elétrico. Além da apresentação dos fundamentos e características da tecnologia, serão discutidas as principais aplicações de Blockchain no Setor Elétrico, os projetos em desenvolvimento no Setor Elétrico Brasileiro, perspectivas e os principais desafios a serem superados no sentido de viabilizar o avanço da tecnologia. Os Palestrantes foram: Reynaldo Formigoni (CPqD Foundation), Marcela Ribeiro Gonçalves (Multiledgers) e Igor Ferreira (Fohat). A coordenação do webinar foi de Rubens Rosental e a moderação de Lorrane Câmara. A gravação está disponível aqui. (GESEL-IE-UFRJ – 04.05.2022)

<topo>

4 Webinar: Caminhos para a descarbonização do setor de energia no Brasil no horizonte até 2050

Acontecerá no dia 13 de maio, às 11h o webinar “Caminhos para a descarbonização do setor de energia no Brasil no horizonte até 2050”. O evento será realizado pelo Instituto E+ Transição Energética e contará com a participação dos seguintes palestrantes: Os palestrantes são: Rafael Kelman, Diretor Executivo da PSR; Luana Gaspar, Analista de Descarbonização e ESG da PSR e Tainá Martins, Analista de Energia da PSR. A moderação será realizada por Emílio Matsumura, Diretor Executivo do Instituto E+. Neste evento serão discutidos os caminhos e possíveis tecnologias para esse objetivo. Para se inscrever, acesse o link: https://bit.ly/37V6AVK (E + Transição Energética – 03.05.2022)

<topo>

5 Webinar “Electric Utility Innovation at the Speed of Regulation”

No dia 12 de maio o Lawrence Berkeley National Laboratory realizará um evento para apresentar o relatório “The role of innovation in the electric utility sector”, que aponta a necessidade de reformas para encorajar a adoção de tecnologias que possam apoiar a evolução dos sistemas de energia futuro. Inscreva-se aqui. (Berkeley Lab – 03.05.2022)

<topo>

 

 

Artigos e Estudos

1 Relatório: “IEA Rastreador de Recuperação Sustentável”

Os gastos com energia limpa destinados pelos governos em resposta à crise do Covid-19 aumentaram 50% nos últimos cinco meses e agora estão em mais de US$ 710 bilhões em todo o mundo, embora existam desequilíbrios preocupantes entre as regiões, de acordo com a última atualização do IEA Rastreador de Recuperação Sustentável. Estes gastos são 40% maiores do que os gastos verdes globais contidos nos pacotes de estímulo que os governos aprovaram após a crise financeira global em 2008. As economias avançadas respondem pela maior parte desse esforço, com mais de US$ 370 bilhões destinados a serem gastos antes do final de 2023, o que poderia ajudar a manter a porta aberta para o caminho global da IEA para neutralizar as emissões de gases do efeito estufa até 2050. Para ler o texto na íntegra, clique aqui. (IEA – 12.04.2022)

<topo>

2 Relatório: “Grid codes for renewable powered systems”

O relatório publicado pela IRENA contém os mais recentes desenvolvimentos e boas práticas para desenvolver códigos de rede para sistemas de energia com alta participação de energia renovável variável – solar fotovoltaica e eólica. De acordo com o estudo, há uma necessidade urgente de adotar soluções de energia limpa para lidar com a crescente demanda por energia e substituir as fontes de energia poluentes. A inclusão de energia renovável variável apresenta desafios à operação do sistema. Além disso, o sistema de energia está se tornando mais descentralizado, digitalizado e os setores de uso final mais eletrificados. Sendo assim, os códigos de rede terão um papel fundamental na construção da confiança entre operadores do sistema e stakeholders. Para ler o texto na íntegra, clique aqui. (IRENA – 14.04.2022)

<topo>

3 Relatório: “The role innovation in the electric utility sector”

O relatório publicado pelo Lawrence Berkeley National Laboratory fornece perspectivas dos participantes do setor de energia, incluindo consumidores, sobre as reformas regulatórias para incentivar a adoção de novas tecnologias no setor, a fim de apoiar a evolução dos sistemas de energia dos EUA. Para atingir as metas estaduais de energia limpa e emissões de gases de efeito estufa, algumas comissões regulatórias estaduais estão explorando novas abordagens para estimular a inovação: Para concessionárias, flexibilidade regulatória e de marketing, maior financiamento para projetos de demonstração e tarifação baseada em desempenho, incluindo planos de tarifas plurianuais. Para terceiros, maneiras de fornecer aos clientes de serviços públicos produtos e serviços inovadores diretamente. Para ler o relatório na íntegra, clique aqui. (Berkeley Lab – abril de 2022)

<topo>

4 Artigo de Julian Kettle: “Uma recessão vai parar ou apenas pausar a grande corrida do ouro da transição energética?”

Em artigo publicado pelo Wood Mackenzie, Julian Kettle (vice-presidente sênior de Metais e Mineração na Wood Mackenzie) analisa o panorama macroeconômico atual, com as consequências da guerra russa contra a Ucrânia, e como isso afetará os mercados de metais para a transição energética. Segundo o autor, “para commodities de transição energética, a demanda continuará a aumentar apesar de uma desaceleração econômica. Com preços típicos mais baixos e margens mais apertadas durante uma desaceleração, as decisões de financiamento de projetos se tornarão mais problemáticas. O resultado? A escassez de oferta realmente cresce. Os consumidores terão que se acostumar com mercados voláteis, preços elevados e uma luta para garantir o fornecimento. A única garantia de entrega é a propriedade – algo que consumidores e governos terão que adotar se quisermos acelerar a transição energética.” Para ler o texto na íntegra, clique aqui. (GESEL-IE-UFRJ – 25.04.2022)

<topo>


Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Lorrane Câmara e Luiza Masseno
Pesquisadores:
Cristina Rosa, Matheus Balmas e Pedro Barbosa
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

As notícias divulgadas no IFE não refletem necessariamente os pontos da UFRJ. As informações que apresentam como fonte UFRJ são de responsabilidade da equipe de pesquisa sobre o Setor Elétrico, vinculada ao NUCA do Instituto de Economia da UFRJ.

POLÍTICA DE PRIVACIDADE E SIGILO
Respeitamos sua privacidade. Caso você não deseje mais receber nossos e-mails,  Clique aqui e envie-nos uma mensagem solicitando o descadastrado do seu e-mail de nosso mailing.


Copyright UFRJ

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: