IFE.H2 77

Informativo Eletrônico – Geração de Energia com Hidrogênio nº 77 – publicado em 25 de abril de 2022.

IFE: Informativo Eletrônico de Hidrogênio – GESEL-UFRJ <!–

l

IFE: nº 77 – 25 de abril de 2022
http://gesel.ie.ufrj.br/
gesel@gesel.ie.ufrj.br

Editor: Prof. Nivalde J. de Castro

Índice

Políticas Públicas e Financiamentos
1
África: Continente prioriza a demanda local sobre as exportações de hidrogênio verde
2 Arábia Saudita: Estratégia de hidrogênio visa US$ 36 bilhões em investimentos até 2030
3 Canadá: Canada Renewable Hydrogen Alliance se expande para apoiar o desenvolvimento internacional de hidrogênio
4 Reino Unido: Governo apoia tecnologias de hidrogênio com £ 400 milhões concedidos a Johnson Matthey
5 Reino Unido: Governo reserva £ 240 milhões para ajudar na expansão da indústria doméstica de hidrogênio e oportunidades de investimento
6 Reino Unido: Governo revela nova estratégia de segurança energética
7 Reino Unido: País amplia sua segurança energética

Produção
1 Austrália: Aqua Aerem e Osaka Gas se unem para desenvolver projeto de hidrogênio verde de 10 GW
2 Austrália: IBE e Boya Energy firmam acordo para desenvolver projeto de hidrogênio verde
3 Canadá: Atura Power visa desenvolver um projeto de hidrogênio verde de 20 MW
4 Suécia: Lhyfe e Wpd firmam parceria para promover projeto de hidrogênio verde de 600 MW
5 Suíça: H-Tec e Groupe E se unem para desenvolver planta de H2V

Armazenamento e Transporte
1 Alemanha: Empresa testará caverna de sal para armazenamento de hidrogênio
2 Austrália: A primeira instalação de fabricação de tanques de armazenamento de hidrogênio do país
3 Europa: Primeiro cargueiro de hidrogênio do mundo

4 Governo do Reino Unido alerta para riscos de aquecimento global relacionados a vazamentos de hidrogênio

5 Países Baixos: Terminal de importação de vetores energéticos de hidrogênio em desenvolvimento no porto de Roterdã

Uso Final
1 Austrália: H2X/KTM Technologies trabalham para reduzir o custo de carros elétricos, caminhões e ônibus movidos a célula a combustível de hidrogênio
2 Europa: Airbus/ Kawasaki estudam a aplicação de hidrogênio na aviação
3 Reino Unido: Quatro locais-chave para reabastecimento de hidrogênio
4 Scania/Cummins: Desenvolvimento de 20 caminhões com célula a combustível a hidrogênio

5 California Fuel Cell Partnership: Vendas de FCEV e estações de hidrogênio em abril 2022
6 Alemanha: Everfuel construirá uma estação de hidrogênio em Wuppertal

Tecnologia e Inovação
1 EUA: Tecnologia inovadora de resíduos em hidrogênio para converter CO2 atmosférico em uma forma de pedra
2 EUA: Tecnologia nuclear inovadora para produção de hidrogênio limpo recebe investimento

Eventos
1 Hydrogen Blending in Power Generation
2 Living on Hydrogen – II
3 Measuring Alternative Fuels and Hydrogen
4 Webinar: “Inovações em Hidrogênio Verde”

5 Webinar: “Programa de Inovação em Hidrogênio Verde – iH2 Brasil”

Artigos e Estudos
1 Avaliação do potencial de armazenamento subterrâneo de hidrogênio em cúpulas de sal
2 China: Análise do ciclo de vida dos gases de efeito estufa de caminhões médios e pesados com célula a combustível
3 Eletrificação x Hidrogênio: Conclusões de uma análise de sistemas de transições de energia no transporte
4 Estudo analisa oportunidades para descarbonizar setor energético indiano e inclui hidrogênio

5 Revisão da Lei e da Política sobre o Setor de Energia Renovável e o Setor de Hidrogênio Verde nos Países da CEDEAO



 

 

Políticas Públicas e Financiamentos

1 África: Continente prioriza a demanda local sobre as exportações de hidrogênio verde

A prioridade imediata da África é desenvolver projetos de hidrogênio verde comercialmente viáveis que atendam à demanda local e não ao mercado de exportação, o que poderia ser explorado mais tarde, disse o presidente da Africa Hydrogen Partnership (AHP). O presidente da AHP, Dr. Innocent Uwuijaren, disse que o hidrogênio verde poderia substituir grandes quantidades de fertilizantes à base de combustíveis fósseis e energia importada para a África. Produzir amônia, ureia e fertilizantes, localmente, usando os recursos solares, eólicos e geotérmicos do continente pode oferecer imensos benefícios econômicos, disse ele ao falar em um evento virtual organizado pela Africa Solar Industry Association (AFSIA). Ele disse que os países africanos estariam interessados em projetos de hidrogênio verde economicamente, e comercialmente, viáveis, sem subsídio. Os projetos em execução no continente africano incluem o vale de hidrogênio da África do Sul, o Projeto Naur da Mauritânia, o projeto de hidrogênio verde SCDI da Namíbia, o projeto de amônia HEVO do Marrocos e uma fábrica de fertilizante verde no Quênia, que está em fase de viabilidade. (Zawya – 11.04.2022)

<topo>

2 Arábia Saudita: Estratégia de hidrogênio visa US$ 36 bilhões em investimentos até 2030

A Arábia Saudita espera atrair mais de US$ 36 bilhões em investimentos até 2030, previstos em sua Estratégia Nacional de Hidrogênio, disse um alto funcionário do Ministério da Energia do país. Ahmed Al-Dowsary, diretor do Ministério da Energia, disse que a estratégia se concentra em elementos-chave da cadeia de valor, incluindo produção, exportações e uso doméstico de hidrogênio limpo, e do ponto de vista da indústria, no setor de infraestrutura e transporte. Falando durante um evento virtual, realizado pela Agência Internacional de Energia Renovável (IRENA) no dia 05 de abril, ele disse que o Reino Saudita se concentrará em cinco áreas prioritárias na fase de implementação. Ele disse que a Arábia Saudita está aberta a se envolver com todos os países membros da IRENA para sinergias de hidrogênio, com compromissos já em andamento com alguns países da União Europeia. Dowsary afirmou que o Reino Saudita desfruta de enormes vantagens na produção de hidrogênio devido ao baixo custo nivelado da eletricidade renovável e pode se tornar um grande exportador no futuro, observando que os principais desafios incluem a redução dos custos de produção e de transporte de hidrogênio. (Zawya – 06.04.2022)

<topo>

3 Canadá: Canada Renewable Hydrogen Alliance se expande para apoiar o desenvolvimento internacional de hidrogênio

A Aliança de Hidrogênio Renovável do Canadá (CRENHA) expandiu-se para a Aliança Internacional de Hidrogênio Renovável (IRENHA). De acordo com a iniciativa, muitos países anunciaram programas nacionais e regionais, mas a tecnologia de hidrogênio renovável ainda está longe de ser comercializada em larga escala. Há mais de uma dúzia de parcerias bilaterais e pelo menos 10 plataformas multi-países ou multi-empresas focadas no hidrogênio. O CRENHA disse que estas parcerias envolvem países em desenvolvimento, que não estão orientados para o desenvolvimento tecnológico conjunto e que não se concentram na implantação de tecnologias em países que terão a maior demanda por combustíveis mais limpos para o desenvolvimento industrial. A aliança visa servir como um facilitador para os países alcançarem soluções acessíveis de hidrogênio verde. A visão é aumentar a segurança energética, a resiliência e a igualdade, ampliando as tecnologias e a implantação de hidrogênio com zero carbono. (H2 View – 11.04.2022)

<topo>

4 Reino Unido: Governo apoia tecnologias de hidrogênio com £ 400 milhões concedidos a Johnson Matthey

O Reino Unido está um passo mais perto de atingir emissões líquidas zero até 2050 após o governo subscrever um empréstimo de £ 400 milhões para impulsionar a pesquisa e o desenvolvimento em tecnologias sustentáveis no dia 6 de abril. O empréstimo será concedido à Johnson Matthey (JM), que é uma empresa multinacional líder mundial com sede em Londres, especializada em tecnologias sustentáveis que vão da reciclagem de metais ao hidrogênio verde. O financiamento está sendo intermediado pelo banco HSBC, pela Sumitomo Mitsui Banking Corporation e pelo Bank of America, com o apoio do governo por meio do UK Export Finance. A JM investirá nos mais recentes projetos de pesquisa e desenvolvimento em tecnologias sustentáveis em todo o mundo. Isso busca apoiar a geração de empregos altamente qualificados no país, com a empresa empregando milhares de pessoas em empregos verdes em todo o Reino Unido em Hertfordshire, Swindon, Lancashire e Londres. (Governo do Reino Unido – 06.04.2022)

<topo>

5 Reino Unido: Governo reserva £ 240 milhões para ajudar na expansão da indústria doméstica de hidrogênio e oportunidades de investimento

O governo anunciou no dia 8 de abril de 2022 um amplo pacote de apoio de £ 375 milhões para tecnologias de energia inovadoras que alimentarão residências e empresas britânicas nas próximas décadas e fortalecerão ainda mais a segurança energética do país. Isso inclui £ 240 milhões para apoiar a produção de hidrogênio como uma tecnologia de energia limpa e de baixo custo, £ 2,5 milhões de financiamento para desenvolver tecnologia nuclear de próxima geração e mais £ 5 milhões para pesquisas sobre captura de carbono. Ao fazê-lo, o Fundo Net Zero Hydrogen terá como objetivo a capacidade de produção de 2 GW de hidrogênio de baixo carbono estabelecida até 2025. Além disso, o governo do Reino Unido estabelecerá adicionalmente um modelo de negócios de hidrogênio, que espera apoiar novos investimentos com £ 100 milhões (US$ 130 milhões) disponíveis para projetos de eletrólise para cobrir o custo de produção e preço de venda. Espera-se que este amplo pacote seja lançado no verão de 2022, como um acelerador crucial para a indústria de hidrogênio e com a expectativa de criar um efeito dominó com mais oportunidades de investimento em energia limpa no Reino Unido. Esses investimentos apoiarão a pesquisa, o desenvolvimento e a implantação dessas tecnologias de ponta e darão ao país certa independência energética, reduzindo a dependência de combustíveis fósseis caros. (H2 View – 08.04.2022)

<topo>

6 Reino Unido: Governo revela nova estratégia de segurança energética

O governo do Reino Unido divulgou novos planos para aumentar a produção doméstica de hidrogênio de baixo carbono de 5 GW para 10 GW até 2030, com metade deste montante totalmente verde. Revelado como parte de novos planos para obter independência energética à luz do conflito russo-ucraniano, atingir 10 GW de produção de hidrogênio com baixo teor de carbono pode ser crucial para a escalabilidade da indústria de hidrogênio do Reino Unido. Essas novas metas tem sido bem recebidas pela indústria de hidrogênio do Reino Unido, com o governo reconhecido por apoiar ativamente a ampliação deste vetor energético limpo, bem como a sua integração na sociedade. Outro desenvolvimento importante nesta estratégia de independência energética é aumentar a capacidade de produção de energia renovável para apoiar iniciativas verdes. O governo do Reino Unido também disse que aumentar a meta de produção de hidrogênio poderia não apenas fornecer energia mais limpa para as indústrias britânicas se afastarem dos caros combustíveis fósseis, mas também poderia ser usada para energia, transporte e potencialmente processos de geração de calor mais limpos. (Governo do Reino Unido – 07.04.2022)

<topo>

7 Reino Unido: País amplia sua segurança energética

O governo do Reino Unido pretende alcançar a meta de 25% da demanda de eletricidade em 2050 seja atendida por 24 GW de capacidade de geração nuclear, frente aos 9 GW atuais, de acordo com o anúncio da Estratégia de Segurança Energética no dia 6 de abril. A meta ambiciosa contaria com o desenvolvimento de até oito grandes reatores até o final desta década, inclusive em Wylfa, no norte do País de Gales, com pequenos reatores modulares também desempenhando um papel fundamental no pipeline do projeto. Para a energia eólica offshore o governo adicionou 10 GW à sua meta de 40 GW até 2030, aumentando o componente de eólica flutuante da meta de 1 GW para 5 GW. A nova meta de 50 GW seria sustentada “por novas reformas de planejamento para reduzir o tempo de aprovação de novos parques eólicos offshore de quatro anos para um ano e uma racionalização geral que reduzirá radicalmente o tempo necessário para que novos projetos atinjam o estágio de construção”, disse o governo. Além disso, a estratégia buscaria aumentar a capacidade solar de 14 GW do Reino Unido, “que pode crescer até cinco vezes até 2035, com a revisão das regras para projetos solares, principalmente em telhados domésticos e comerciais”. O objetivo seria dobrar a meta existente de 5 GW para a produção de hidrogênio de baixo carbono para 10 GW até 2030, “com pelo menos metade vindo de hidrogênio verde e utilizando o excedente de energia eólica offshore para reduzir os custos”. (SP Global – 06.04.2022)

<topo>

 

 

Produção

1 Austrália: Aqua Aerem e Osaka Gas se unem para desenvolver projeto de hidrogênio verde de 10 GW

A Aqua Aerem, uma empresa desenvolvedora de tecnologia inovadora, e a Osaka Gas uma empresa de gás com sede no Japão, se uniram para desenvolver o que acreditam ser o primeiro projeto do mundo que produzirá hidrogênio renovável para os mercados doméstico e de exportação usando apenas energia renovável desconectada da rede elétrica, com sua própria fonte de água atmosférica. O projeto, que vai ser desenvolvido na Austrália e é apelidado de Desert Bloom Hydrogen, contará com eletrolisadores com cerca de 10 GW de capacidade de produção. Ademais, assim que estiver operacional, a planta produzirá cerca de 410.000 toneladas de hidrogênio verde anualmente. O desenvolvimento desse projeto deve impulsionar principalmente as ambições de hidrogênio da Austrália, bem como a economia do país. (Aqua Aerem – 12.04.2022)

<topo>

2 Austrália: IBE e Boya Energy firmam acordo para desenvolver projeto de hidrogênio verde

A Infinite Blue Energy (IBE) e a Boya Energy, duas empresas de energia renovável, firmaram um acordo para desenvolver um projeto que tem como intuito construir e operar uma planta de hidrogênio na Austrália. A planta contará com eletrolisadores que serão alimentados por energia renovável para produzir o hidrogênio verde (H2V). Ademais, espera-se que a planta seja capaz de produzir até quatro toneladas de H2V por dia, sendo possível atender o crescimento esperado da demanda por hidrogênio. No que tange ao uso final, o gás será utilizado como combustível para abastecer os veículos de médio e grande porte, contribuindo significativamente para a meta de transporte de emissão zero do país. (H2 View – 12.04.2022)

<topo>

3 Canadá: Atura Power visa desenvolver um projeto de hidrogênio verde de 20 MW

A Atura Power, uma empresa de energia, sobretudo de hidrogênio verde (H2V), está pretendendo desenvolver um projeto cujo objetivo é construir e operar um centro de hidrogênio nas Cataratas do Niágara, Canadá. O centro contará com uma planta de hidrogênio que será composta por um eletrolisador de capacidade de 20 MW. Ademais, no que concerne ao uso final, o gás será utilizado para a indústria, transporte e até mesmo para a rede elétrica, tendo um papel fundamental em regular a oferta de energia, suprindo os picos de consumo e assim fornecendo segurança a rede elétrica. Todavia, o projeto ainda está em fase de avaliação, tendo uma decisão final de investimento prevista até o verão de 2022. (Atura Power – 07.04.2022)

<topo>

4 Suécia: Lhyfe e Wpd firmam parceria para promover projeto de hidrogênio verde de 600 MW

A Lhyfe, uma empresa dedicada à produção do hidrogênio verde (H2V), e a Wpd, firmaram uma parceria para promover um projeto que visa a desenvolver uma planta de H2V na Suécia. A planta contará com eletrolisadores que terão uma capacidade de 600 MW de produção e serão diretamente conectados e alimentados por 1 GW de energia eólica offshore. Dessa forma, estima-se que cerca de 240 toneladas do gás será produzida por dia. O uso final do H2V ainda não está definido, portanto, há diversos potenciais usos locais. Este é um projeto importantíssimo para a Suécia, pois, o projeto está desenvolvendo o mercado de hidrogênio, ao mesmo tempo em que está apoiando as ambiciosas metas climáticas do país. (Lhyfe – 08.04.2022)

<topo>

5 Suíça: H-Tec e Groupe E se unem para desenvolver planta de H2V

A H-Tec Systems, uma empresa dedicada a tecnologias de hidrogênio verde (H2V), e o Groupe E, uma empresa de produtos e serviços, se uniram para desenvolver um projeto que tem como intuito construir uma planta de H2V na Suíça. A planta contará com dois eletrolisadores da H-Tec, de tecnologia PEM, que serão alimentados por energia hidrelétrica. Quando a planta entrar em operação, ela será capaz de produzir cerca de 300 toneladas de hidrogênio verde anualmente. Por fim, em termos de uso final, o combustível será utilizado para abastecer o transporte de carga, um setor de difícil descarbonização, em que o hidrogênio é considerado como uma “peça” fundamental. (H-Tec Systems – 12.04.2022)

<topo>

 

 

Armazenamento e Transporte

1 Alemanha: Empresa testará caverna de sal para armazenamento de hidrogênio

A Uniper testará uma instalação de armazenamento de gás existente (projetada para gás natural e que precisa ser convertida para hidrogênio). A empresa fará o teste em larga escala e em um ambiente real na antiga instalação de armazenamento de caverna de sal em Krummhörn, no norte da Alemanha, que não é usada comercialmente desde 2017. Para isso, uma nova caverna será escavada usando um poço existente. A instalação de armazenamento será uma das primeiras desse tipo e deverá estar operacional até 2024. A Uniper investirá cerca de 10 milhões de euros no projeto do futuro verde com até 250.000 m3 de volume de armazenamento de hidrogênio planejado até 2024. (Uniper – 12.04.2022)

<topo>

2 Austrália: A primeira instalação de fabricação de tanques de armazenamento de hidrogênio do país

A CST Composites está se posicionando como um “player líder” na cadeia global de fornecimento de hidrogênio verde, anunciou, no início de abril, uma joint venture com a Optimum Composite Technologies, fornecedora de tanques de armazenamento de hidrogênio com sede em Utah. A empresa quer estabelecer a primeira instalação de fabricação de navios de hidrogênio da Austrália, juntamente com as duas instalações especializadas de fabricação de compósitos que já operam perto de Sydney. A joint venture com a Optimum Composite Technologies permitirá o acesso a conhecimentos técnicos para tanques de pressão feito com compósitos, que armazenam hidrogênio e gás natural. O diretor administrativo da CST Composites, Clive Watts, complementou que “Os tanques de armazenamento de gás de alta pressão representam um dos maiores e mais rápidos mercados globais para compósitos avançados, particularmente para compósitos de fibra de carbono enrolados em filamentos”. (CST Composites – 08.04.2022)

<topo>

3 Europa: Primeiro cargueiro de hidrogênio do mundo

Dois cargueiros de hidrogênio de referência estão atualmente sendo desenvolvidos pela Gen2 Energy e Sirius Design & Integration como parte de um contrato recém-assinado. Os dois porta-contêineres da Gen2 Energy são navios de grande porte que terão cerca de 190 metros de comprimento e capacidade de carga de 500 contêineres de 40 pés. As embarcações serão projetadas com o objetivo de deixar a menor pegada climática possível. O uso de hidrogênio nos sistemas de propulsão das embarcações também fará parte do projeto. O trabalho de design do navio está bem encaminhado. (Gen2 Energy – 11.04.2022)

<topo>

4 Governo do Reino Unido alerta para riscos de aquecimento global relacionados a vazamentos de hidrogênio

O Departamento de Negócios, Energia e Estratégia Industrial do Reino Unido (BEIS) publicou um relatório descrevendo os possíveis impactos de uma economia internacional emergente de hidrogênio no clima global. Mostrando que os vazamentos de hidrogênio podem ter um impacto indireto no aquecimento climático, compensando parcialmente os esforços para reduzir as emissões de dióxido de carbono. Cientistas da Universidade de Cambridge e da Universidade de Reading exploraram os impactos atmosféricos e calcularam a perturbação radiativa resultante das emissões de hidrogênio e o potencial de aquecimento global do hidrogênio. “Qualquer vazamento de hidrogênio afetará a composição atmosférica (com implicações na qualidade do ar) e terá um efeito indireto de aquecimento no clima, compensando parcialmente alguns dos benefícios climáticos da redução do dióxido de carbono”, alertaram os cientistas, observando que o vazamento de hidrogênio também reduz a concentração troposférica de radicais hidroxila. Os cientistas britânicos desenvolveram uma nova maneira de calcular os Potenciais de Aquecimento Global (GWPs) para gases cujas emissões resultam em perturbações radiativas indiretas e com meia-vida intermediárias e longas, como o hidrogênio. Vários cenários descrevendo a resposta atmosférica às mudanças nas emissões de hidrogênio foram modelados e os resultados demonstram que o vazamento de hidrogênio afetaria a concentração de metano, ozônio e vapor de água na atmosfera. Para ler a pesquisa na íntegra clique aqui. (PV Magazine – 12.04.2022)

<topo>

5 Países Baixos: Terminal de importação de vetores energéticos de hidrogênio em desenvolvimento no porto de Roterdã

Uma cadeia logística confiável é essencial para desenvolver o mercado de hidrogênio verde e para alcançar as metas climáticas para 2030 e 2050. Nessa visão, a Gasunie, a HES International (HES) e a Vopak trabalharão juntas para desenvolver um terminal de importação de amônia verde como vetor energético de hidrogênio. As empresas assinaram um Head of Terms para esse efeito. A cooperação é uma resposta à crescente demanda global pela importação e armazenamento de energia verde. Neste trimestre, serão iniciados os trabalhos de projeto básico do terminal de importação, que operará no Maasvlakte sob o nome de Terminal ACE. A previsão é que esteja operacional a partir de 2026. Além da produção de hidrogênio verde na Holanda, também haverá demanda no noroeste da Europa para a importação em larga escala de hidrogênio verde, a fim de atender à demanda futura. (Gasuine – 11.04.2022)

<topo>

 

 

Uso Final

1 Austrália: H2X/KTM Technologies trabalham para reduzir o custo de carros elétricos, caminhões e ônibus movidos a célula a combustível de hidrogênio

O H2X, fabricante australiano de veículos com célula a combustível a hidrogênio, firmou uma parceria com a KTM Technologies para criar um chassi de veículo revolucionário, inovador, leve e barato. A KTM Technologies trabalhará com a equipe H2X para projetar e desenvolver seus chassis de veículos e programas de construção. A H2X anunciou recentemente que construirá seus veículos de célula a combustível a hidrogênio em Gippsland, Victoria, e este último acordo marca um passo importante na jornada da H2X para se tornar líder mundial na fabricação de veículos a hidrogênio. O acordo fará com que a KTM Technologies se concentre no desenvolvimento de tecnologias compostas e avançadas em torno da mobilidade elétrica. Dessa maneira, é esperado que a H2X desenvolva e produza seus veículos de uma forma radicalmente nova em termos de custos e recursos. (FuelsCellsWorks – 14.04.2022)

<topo>

2 Europa: Airbus/ Kawasaki estudam a aplicação de hidrogênio na aviação

A Airbus e a Kawasaki Heavy Industries pretendem compreender de forma mais ampla o fornecimento de hidrogênio, infraestrutura e abastecimento, a fim de apoiar a futura implantação de aeronaves comerciais movidas a hidrogênio. As empresas prepararão um roteiro com ações para enfrentar os desafios desta transição. Além disso, ambas as partes também embarcarão em projetos pioneiros na implantação de uma infraestrutura de hidrogênio para a aviação, com foco no desenvolvimento de hubs aeroportuários. A Airbus fornecerá características de aeronaves, uso de energia da frota e informações sobre aeronaves movidas a hidrogênio para operações terrestres. A Kawasaki fornecerá perspectivas de custo e direcionadores de tecnologia nos vários elementos da cadeia de suprimentos, ao mesmo tempo em que cria cenários de implantação da infraestrutura. (H2 View – 13.04.2022)

<topo>

3 Reino Unido: Quatro locais-chave para reabastecimento de hidrogênio

A First Hydrogen selecionou quatro locais no Reino Unido para abastecimento de hidrogênio, destinado a veículos comerciais leves, médios e pesados. As estações de reabastecimento visam a atender as áreas urbanas da Grande Liverpool, Grande Manchester, Londres e o estuário do Tâmisa. Juntos, os quatro locais devem oferecer produção de hidrogênio entre 80MW e 160MW. A estratégia da First Hydrogen é garantir o fornecimento doméstico de hidrogênio verde, com preço fixo e acordos de distribuição. Dessa forma, a empresa espera que os locais se qualifiquem para o apoio financeiro do governo do Reino Unido para as fases de desenvolvimento e construção, a fim de atingir a meta de produção doméstica de 10 GW do país. (H2 View – 11.04.2022)

<topo>

4 Scania/Cummins: Desenvolvimento de 20 caminhões com célula a combustível a hidrogênio

Como parte do projeto HyTruck, a Scania trabalhará com a Cummins para desenvolver 20 caminhões com célula a combustível a hidrogênio. Os caminhões serão entregues até 2024 e aceleraram a transição para práticas sustentáveis no setor de transporte. Este novo desenvolvimento apoiará a iniciativa HyTrucks com a esperança de ver um total de 1.000 caminhões movidos a hidrogênio nas estradas e na infraestrutura entre a Bélgica, a Holanda e a Alemanha até 2025. Fredrik Allard, chefe de mobilidade elétrica da Scania, disse: “É também uma ótima maneira de fortalecer a colaboração da Scania com a Cummins Inc. Em algumas aplicações onde os veículos elétricos a bateria não são ideais, vemos que o veículo elétrico a célula a combustível pode ser usado. Mantemos um diálogo próximo com nossos clientes sobre o que é melhor tanto para sua economia operacional total quanto para nosso planeta.” (H2 View – 11.04.2022)

<topo>

5 California Fuel Cell Partnership: Vendas de FCEV e estações de hidrogênio em abril 2022

A California Fuel Cell Partnership publicou as estatísticas referentes aos números de carros movidos a células a combustível (FCEV) que foram vendidos e alugados, ônibus a células a combustível (FCEB) que estão na estrada e postos de abastecimento de hidrogênio abertos na Califórnia. De acordo com os dados, em abril 2022: 13.305 FCEV foram vendidos e alugados nos EUA, 76 FCEB estão em operação e 76 em desenvolvimento e existem 52 estações de hidrogênio disponíveis na Califórnia. (FuellCellsWork – 13 de Abril de 2022)

<topo>

6 Alemanha: Everfuel construirá uma estação de hidrogênio em Wuppertal

A WSW Mobil GmbH concedeu à Everfuel o contrato para construir e comissionar uma estação de reabastecimento de hidrogênio para serviços pesados em Wuppertal, Alemanha. O contrato de um posto de abastecimento de hidrogênio atenderá uma frota de ônibus de célula a combustível para transporte público. A estação de abastecimento de hidrogênio planejada tem capacidade diária para reabastecer pelo menos 20 ônibus de célula a combustível. Em conexão com o projeto “H2-W – Mobilidade de Hidrogênio para Wuppertal”, a WSW Mobil GmbH já opera 20 ônibus de célula a combustível em serviço regular e planeja fazer a transição de uma parte maior da frota para soluções de emissão zero. Esta planeja aumentar para cerca de 150 ônibus de célula a combustível até 2030. Para atender a esses ambiciosos planos de expansão, a Everfuel está construindo o segundo posto de abastecimento de hidrogênio da WSW no depósito da WSW Hölker Feld. (H2 Bulletin – 08 de Abril de 2022)

<topo>

 

 

Tecnologia e Inovação

1 EUA: Tecnologia inovadora de resíduos em hidrogênio para converter CO2 atmosférico em uma forma de pedra

A Clean Energy Enterprises (CEE) e a CAPTICO2 revelaram um novo acordo para combinar um método de conversão de resíduos em hidrogênio com uma solução exclusiva de captura e mineralização de carbono para criar uma pedra. O acordo estratégico pode provar ser um novo método inovador para comercializar a tecnologia de conversão de resíduos em hidrogênio da Ways2H e aumentar as capacidades da empresa. Ao combinar as duas tecnologias, o carbono atmosférico renovável será convertido em uma forma de pedra, proporcionando um novo caminho para utilizar o hidrogênio e descarbonizar um novo processo inovador. De acordo com as empresas, para cada quilo de hidrogênio produzido pelo processo Ways2H, serão sequestrados 32kg de CO2, o que equivale a mais de 3.000 veículos de passageiros baseados em combustíveis fósseis retirados das estradas para cada sistema Ways2H em operação. As empresas já iniciaram um projeto de demonstração na Europa e a CEE estará em breve integrando a solução da CAPTICO2 aos sistemas comerciais Ways2H. Para ler mais sobre o Ways2H clique aqui. (H2 View – 12.04.2022)

<topo>

2 EUA: Tecnologia nuclear inovadora para produção de hidrogênio limpo recebe investimento

A NuScale Power e a Spring Valley receberam um investimento de US$ 15 milhões da Nucor para apoiar o desenvolvimento de um reator nuclear inovador capaz de produzir hidrogênio limpo. O NucScale Power Module (NPM) servirá como uma fonte de energia confiável e livre de carbono que complementa as fontes renováveis, como a geração de energia eólica, solar e hidrelétrica. O NPM pode garantir o fornecimento de energia de base, com acompanhamento do aumento de carga, independentemente da hora do dia, clima ou estação. Além disso, seu design exclusivo e recursos de segurança permitem que ele seja facilmente integrado a redes elétricas ou usado em uma variedade de aplicações industriais, como dessalinização de água, produção de hidrogênio em escala comercial e tecnologia de captura de carbono. O investimento total na tecnologia e na empresa já superou US$ 232 milhões, que agora serão usados para reforçar e acelerar a comercialização da tecnologia. (NUSCALE – 04.04.2022)

<topo>

 

 

Eventos

1 Hydrogen Blending in Power Generation

No dia 19 de abril, a Darcy Partners organizou um evento online para melhor entender a mistura de hidrogênio na geração. Além de abrir novos mercados de hidrogênio, a modernização de turbinas a gás pode reduzir as emissões e aumentar a eficiência na infraestrutura existente. Entenda mais sobre o novo processo da PSM sobre adaptação de turbinas a gás e a experiência da SRP utilizando sua tecnologia. O evento se concentrou nos desafios técnicos do uso de hidrogênio e gás natural como combustível para a capacidade instalada de turbinas a gás geradoras de energia, mantendo as emissões de NOx ultrabaixas sem o uso de diluentes como água. Destacam-se as plataformas de retrofit do sistema de combustão HyFlex™ com capacidade para alto hidrogênio da PSM operando em turbinas a gás e capazes de até 60% de H2 em volume atualmente. (Darcy Partners – Abril de 2022)

<topo>

2 Living on Hydrogen – II

No dia 04 de maio, ocorrerá um evento organizado pela NORCE e Bam. Neste evento, o objetivo é reunir interessados no tema de armazenamento subterrâneo de hidrogênio e os potenciais impactos desencadeados por microrganismos. Todo mundo está falando sobre o potencial transformador do hidrogênio à medida que fazemos a transição gradual para uma sociedade sustentável. Como é o caso de todos os recursos energéticos, encontrar a melhor solução para armazenamento em larga escala continua sendo um desafio indiscutível. O armazenamento subterrâneo de hidrogênio em cavernas de sal, reservatórios ou aquíferos tem um grande potencial para fornecer armazenamento de longo prazo, mas esses ambientes estão sempre expostos a microrganismos subsuperficiais. para se inscrever, clique aqui. (NORCE – Abril de 2022)

<topo>

3 Measuring Alternative Fuels and Hydrogen

A HORIBA Europe organizou um evento online, para o dia 26 e 27 de abril. O evento abordará a medição de combustíveis alternativos e hidrogênio. As legislações atuais e futuras estão levando a indústria automotiva a desenvolver novos conceitos de powertrain para a mobilidade do futuro. Isto resulta não apenas em maiores esforços de pesquisa em relação a veículos com bateria mais eficientes, mas também em termos de novos combustíveis, com foco em sustentabilidade e conceitos de emissão zero. Como parceiro confiável em soluções de medição e teste, a HORIBA fornece a tecnologia líder na área de medição de fluxo de combustível, incluindo soluções em relação aos próximos desafios, seja hidrogênio ou medição de combustíveis sintéticos. (Horiba Europe – Abril de 2022)

<topo>

4 Webinar: “Inovações em Hidrogênio Verde”

Para o dia 26 de abril, a AHK Brasil organizou um webinar para entender melhor as inovações do hidrogênio verde. Este evento tem como objetivo a demonstração das principais perspectivas e tecnologias desse combustível, projetos alemães em desenvolvimento e como empresas, institutos de pesquisa e órgãos governamentais brasileiros podem trabalhar em cooperação com instituições alemãs para o protagonismo dos dois países em soluções de H2. Considerando o grande potencial do Brasil em Energias Renováveis, a instituição acredita que o país tem inúmeras possibilidades para consolidar-se como referência em Hidrogênio Verde e desenvolver diversas parcerias e projetos que propulsionem o seu uso de forma global. Para se inscrever, clique aqui. (AHK – Abril de 2022)

<topo>

5 Webinar: “Programa de Inovação em Hidrogênio Verde – iH2 Brasil”

No dia 13 de abril de 2022, a AHK Brasil organizou um webinar para conhecer o Programa de Inovação em Hidrogênio Verde – iH2 Brasil. O Programa de Inovação em Hidrogênio Verde o iH2Brasil, consiste na realização de chamadas para a concretização de ideias de entusiastas, projetos de instituições sem fins lucrativos e soluções de startups voltadas a produção, logística e aplicação de Hidrogênio Verde. Os objetivos do iH2Brasil são fortalecer o ecossistema brasileiro de PD&I, apoiando o desenvolvimento de soluções para toda cadeia produtiva de Hidrogênio Verde. O programa é realizado pela Aliança Brasil-Alemanha para o Hidrogênio Verde, formada pelas Câmaras de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha de São Paulo e do Rio de Janeiro, com apoio da Cooperação Brasil-Alemanha por meio da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH e do Ministério de Minas e Energia (MME). (AHK – Abril de 2022)

<topo>

 

 

Artigos e Estudos

1 Avaliação do potencial de armazenamento subterrâneo de hidrogênio em cúpulas de sal

O artigo tem como objetivo avaliar o potencial de armazenamento de hidrogênio subterrâneo em cúpulas de sal. O método considera o tamanho das cavernas de armazenamento, sua profundidade, a influência da convergência e a estrutura geológica das cúpulas de sal selecionadas. A análise estatística dos dados da instalação de armazenamento de caverna subterrânea na cúpula de sal de Mogilno permite determinar a probabilidade de construir uma caverna de sal de um volume e profundidade específicos nas cúpulas de sal selecionadas. Estimativas baseadas na metodologia desenvolvida indicam que o potencial médio de armazenamento de hidrogênio para as cúpulas de sal analisadas varia de 125,7 TWht após o primeiro enchimento a 83,8 TWht após 30 anos de operação. O potencial máximo de armazenamento varia de 178 a 155 TWht, respectivamente. (Renewable and Sustainable Energy Reviews – 2022)

<topo>

2 China: Análise do ciclo de vida dos gases de efeito estufa de caminhões médios e pesados com célula a combustível

Neste documento, um modelo de análise de ciclo de vida é realizado em caminhões leves e pesados (MHDT) na China. Os resultados mostram que as fontes de hidrogênio impactam substancialmente no potencial de redução de emissões dos MHDTs. A eletrólise renovável e o hidrogênio verde podem reduzir as emissões de GEE em 29,0–52,4%. Outras rotas de hidrogênio, que dependem de tecnologias de transporte e armazenamento de hidrogênio, apresentarão a oportunidade de redução de emissões somente depois que a rede se tornar de baixo carbono. Em termos de modelos de veículos, os MHDT elétricos com baterias representam mais de 15% de seu peso total, enfraquecendo seu benefício de redução de emissões. Por outro lado, os caminhões Classe 8 com célula a combustível podem maximizar as reduções de emissões devido à menor massa de seus equipamentos. Em diferentes cenários, espera-se que a frota de MHDT reduza as emissões em 12,1–69,9% até 2050. (Energy – 2022)

<topo>

3 Eletrificação x Hidrogênio: Conclusões de uma análise de sistemas de transições de energia no transporte

Este estudo reúne e avalia os obstáculos potenciais da eletrificação e do hidrogênio no transporte do Reino Unido. O documento destaca que, para o sucesso e a resiliência de todo o sistema, um sistema de hidrogênio deve superar as barreiras de produção e distribuição de hidrogênio, enquanto um sistema elétrico precisa otimizar soluções de armazenamento e instalações de carregamento. Sem redes de energia coesas e coevolutivas, o planejamento e a modelagem operacional da descarbonização do transporte podem ficar aquém dos resultados significativos do mundo real. Uma melhor compreensão da dependência entre os sistemas de energia e de transporte é um passo necessário no desenvolvimento de modelos operacionais de transporte que poderiam reduzir o risco de investimento nos sistemas de energia e transporte. (Energy for Sustainable Development – 2022)

<topo>

4 Estudo analisa oportunidades para descarbonizar setor energético indiano e inclui hidrogênio

Este estudo analisou se existem oportunidades adequadas para a descarbonização total do setor energético indiano e destaca onde não existem opções suficientes para a descarbonização total até 2050. O estudo sugere níveis de eletrificação, melhorias na eficiência energética e uma mudança para combustíveis limpos (principalmente hidrogênio verde, eletricidade renovável e bioenergia) como os três pilares da estratégia de descarbonização da Índia que poderia mudar o setor energético para emissões líquidas zero no futuro. O estudo também indica que os setores de transporte pesado e industrial enfrentam desafios para alcançar a descarbonização total devido à falta de soluções tecnológicas adequadas, sendo o hidrogênio verde uma das únicas soluções possíveis. (Journal of Cleaner Production – 2022)

<topo>

5 Revisão da Lei e da Política sobre o Setor de Energia Renovável e o Setor de Hidrogênio Verde nos Países da CEDEAO

Este artigo tem como objetivo revisar os documentos jurídicos, políticos e estratégicos existentes no setor de energia e no setor do hidrogênio na região da Comunidade Econômica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO). Para atingir esse objetivo, foram analisadas as atuais leis relacionadas às energias renováveis, atos do parlamento, ordens executivas, decretos presidenciais, ordens administrativas e memorandos. O estudo mostra que os países da CEDEAO têm se esforçado para criar instrumentos legais consistentes sobre energia renovável no desenvolvimento de legislação e regulamentos abrangentes para consolidá-la e incentivar investimentos em energia renovável. Apesar de todos esses países terem uma base legislativa para regular as energias renováveis, ainda há fragilidades que giram em torno da lei e da política quanto à sua possível aplicação na produção e uso do hidrogênio verde. A conclusão central deste documento de revisão é que os estados membros da CEDEAO atualmente não têm políticas oficiais de hidrogênio nem estatutos em vigor. (Energy – 2022)

<topo>


Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Luiza Masseno e Sayonara Andrade Elizário
Pesquisadores: Allyson Thomas,
José Vinícius S. Freitas, Kalyne Silva Brito e Luana Oliveira 
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

As notícias divulgadas no IFE não refletem necessariamente os pontos da UFRJ. As informações que apresentam como fonte UFRJ são de responsabilidade da equipe de pesquisa sobre o Setor Elétrico do Instituto de Economia da UFRJ.

POLÍTICA DE PRIVACIDADE E SIGILO
Respeitamos sua privacidade. Caso você não deseje mais receber nossos e-mails,  Clique aqui e envie-nos uma mensagem solicitando o descadastrado do seu e-mail de nosso mailing.


Copyright UFRJ

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: