IFE.ME 102

Informativo Eletrônico – Mobilidade Elétrica nº 102 – publicado em 20 de abril de 2022.

IFE: Informativo Eletrônico de Mobilidade Elétrica – GESEL-UFRJ <!–

l

IFE: nº 102 – 20 de abril de 2022
http://gesel.ie.ufrj.br/
gesel@gesel.ie.ufrj.br

Editor: Prof. Nivalde J. de Castro

Índice

Políticas Públicas e Regulatórias
1
Brasil: Projeto de lei visa isentar VEs e híbridos de imposto de importação
2 Brasil/São Paulo: Programa visa atrair investimentos para produção de veículos de baixa emissão
3 Brasil/Paraná: Garagem com energia fotovoltaica abastecerá frota elétrica do governo
4 Brasil/Pará: Parceria entre Belo Monte e UFPA para projeto de mobilidade elétrica
5 Chile: Nova legislação com pautas climáticas inclui foco em eletromobilidade
6 EUA/Califórnia: Novo plano para difusão da eletromobilidade
7 EUA/Los Angeles: Eletrificação de frota municipal e construção de infraestrutura de carregamento
8 Áustria: Viena deixará de comprar veículos a combustão a partir de 2025

Inovação e Tecnologia
1 Brasil/Rio Grande do Sul: Novo laboratório voltado para testes de baterias
2 Enel X Way é a nova divisão voltada à mobilidade elétrica
3 Mercedes-Benz/PsiQuantum: Computação quântica pode acelerar projetos de baterias
4 Mercedes-Benz: Fábrica para integração de softwares na Alemanha
5 Hyundai: Recurso V2G para VEs
6 Volkswagen: Kombi elétrica autônoma faz parte de nova estratégia
7 Suécia: Estrada dotada de carregamento sem fio será expandida
8 Nissan: Nova fábrica irá desenvolver baterias de estado sólido

9 Juice Technology: Carregador portátil para VEs

10 VinFast/Electrify America: Integração de aplicativos móveis para carregamento de VEs

Indústria Automobilística
1 Volkswagen: Vendas mundiais de VEs crescem no primeiro trimestre
2 EUA: Panorama de vendas para o primeiro trimestre e crescimento da Tesla
3 Hyundai: Produção de VEs nos EUA

4 Honda: Metas e estratégias para eletrificação

5 Mercedes-Benz: Metas de redução de emissões para novos veículos

6 Ford Pro: E-Transit reafirma liderança no segmento de VEs comerciais

Meio Ambiente
1 ESG: Itaú realiza captação para financiar VEs
2 ScienceDirect: Baterias de íon de lítio recicladas podem ter um desempenho superior às baterias novas
3 Hexagon: Montadoras priorizam alcance e custo de VEs em detrimento da pegada de carbono
4 Saur Energy International: Empresas líderes do setor de reciclagem de baterias de íon-lítio

5 ESG: T-Systems pretende eletrificar frota de veículos até 2025

Eventos e Estudos
1 Anfavea: Desenvolvimento de novos pontos de carregamento para VEs
2 LeasePlan: Mercado europeu na transição para veículos de emissão zero
3 NACFE: Vans e furgões estão prontos para serem elétricos
4 BloombergNEF: Rede de recarga não acompanha avanço dos VEs

5 SNE Research: Custo das baterias pode subir devido às matérias-primas
6 Rivian: Escassez de matérias primas para baterias
7 VAS: Infraestrutura de carregamento no Reino Unido precisa dobrar de tamanho


 

 

Políticas Públicas e Regulatórias

1 Brasil: Projeto de lei visa isentar VEs e híbridos de imposto de importação

O Senado Federal pode votar em breve um projeto que acaba com o imposto de importação para veículos elétricos (VEs). De autoria do senador Irajá, o projeto isenta da cobrança do Imposto sobre Importação os veículos elétricos e híbridos, que também podem trafegar com motor a gasolina, álcool ou diesel, que são fabricados no Brasil. O benefício valeria até 31 de dezembro de 2025. Desde o ano de 2016, o governo federal reduziu ou zerou o tributo para estimular o consumidor brasileiro a adquirir um carro movido à energia limpa. No entanto, desde o início deste ano, a isenção tributária deixou de valer. Irajá destacou que 80% da matriz energética do Brasil são de fontes renováveis, a exemplo das hidrelétricas e energias solar, eólica e de biomassa. Neste sentido, seria importante para o país incentivar o uso de VEs. O senador argumentou que o Brasil depende da importação de peças para a montagem dos automóveis elétricos ou híbridos. Segundo Irajá, a isenção do Imposto de Importação, que hoje é de 35%, poderá reduzir o preço final, que ainda é elevado para os padrões brasileiros. Se aprovado pela Comissão de Assuntos Econômicos, o projeto seguirá diretamente para a Câmara dos Deputados. (Senado Federal – 18.04.2022)

<topo>

2 Brasil/São Paulo: Programa visa atrair investimentos para produção de veículos de baixa emissão

O compromisso do Governo de São Paulo com a economia sustentável e a redução das emissões de poluentes vai assegurar créditos de ICMS de até R$ 500 milhões para as montadoras que priorizarem a fabricação de veículos híbridos, elétricos ou movidos a biocombustíveis. Por meio do Programa Pró-Veículo Verde, as empresas do setor poderão se apropriar dos créditos de ICMS para financiar projetos de investimento que visem a construção e a modernização de suas plantas industriais, além do desenvolvimento de novos produtos e ampliação de negócios. Com isso, a expectativa do Governo de SP é atrair R$ 20 bilhões em investimentos nos próximos três anos, amortizando os custos da indústria automotiva para a adaptação das linhas de produção já instaladas e a construção de novas fábricas. O programa ainda prevê o corte na emissão de gases geradores de efeito estufa com a redução de veículos movidos a gasolina e diesel no mercado. Somente na cidade de São Paulo, os carros são responsáveis por 72,6% dos poluentes lançados na atmosfera. (Costa Norte – 17.04.2022)

<topo>

3 Brasil/Paraná: Garagem com energia fotovoltaica abastecerá frota elétrica do governo

O Mobilize, divisão de mobilidade da Renault, anunciou parceria com o Governo do Estado do Paraná para a construção de uma garagem fotovoltaica. O Palácio Iguaçu, sede do governo, agora conta com uma instalação do tipo para o abastecimento dos veículos 100% elétricos que são utilizados por órgãos públicos do Estado. O ecoposto foi inaugurado na semana passada e vai fornecer energia 100% limpa e renovável por meio da captação de energia solar. Ele gera energia até mesmo em dias nublados e com baixa luminosidade. Segundo os idealizadores, a garagem tem capacidade para produzir uma média de 740 kWh/mês, alcançando 8,9 MWh de energia por ano. É uma quantidade que atende, por exemplo, 17 vezes o consumo elétrico das dez unidades do Zoe E-Tech que fazem parte do projeto “Vem PR”, lançado em 2020, para uso compartilhado dos servidores públicos do estado do Paraná. A iniciativa é uma colaboração da Mobilize, marca de soluções de mobilidade do Renault Group, com o governo paranaense, a ABR Energia, a Brafer e a Schneider Electric. (Automotive Business – 11.04.2022)

<topo>

4 Brasil/Pará: Parceria entre Belo Monte e UFPA para projeto de mobilidade elétrica

Um projeto desenvolvido pela Usina Hidrelétrica Belo Monte e a Universidade Federal do Pará (UFPA) vem desenvolvendo um sistema de mobilidade multimodal inovador com veículos movidos à eletricidade. Os primeiros veículos são dois ônibus elétricos, que começaram a ser utilizados, em fase experimental, para fazer a interligação entre os campi da instituição de ensino em Belém e Castanhal, implantando o primeiro “corredor verde” do Pará. Os veículos são usados como “circular” no campus Guamá, em Belém e no transporte de professores e estudantes da capital ao campus Castanhal. A bateria dos ônibus é carregada durante à noite, contando para isso com estações de recarga elétrica (eletropostos), instaladas nos dois campi. Os ônibus fazem parte do Sistema Inteligente Multimodal da Amazônia (SIMA), que é resultado de um projeto de Pesquisa & Desenvolvimento (P&D) da Norte Energia, regulado pela Aneel. O projeto conta com uma equipe multidisciplinar, formada por 19 pesquisadores bolsistas da universidade e 15 voluntários. (O Liberal – 12.04.2022)

<topo>

5 Chile: Nova legislação com pautas climáticas inclui foco em eletromobilidade

Em 2021, o Chile embarcou na redação de uma nova constituição que, talvez surpreendentemente, terá implicações de longo alcance para o transporte. O exercício está sendo feito com a consciência deliberada de que o mundo vive uma “emergência climática e ecológica”. Em termos práticos, os valores de sustentabilidade serão concebidos ao longo da nova constituição, que terá que se concentrar nas disposições que regem a mineração e o futuro de recursos como cobre e lítio, ambos importantes para VEs. O Chile também tem se destacado como uma liderança climática de forma focada. Uma delas é a Estratégia Nacional de Eletromobilidade, formalizada com uma resolução do Ministério da Energia. Seu objetivo é estabelecer os eixos estratégicos, políticas e metas que permitam o desenvolvimento acelerado e sustentável do transporte elétrico. Nesse contexto, o Chile tem metas ambiciosas: até 2035, 100% das vendas da grande maioria dos veículos terão emissões zero. (ICCT – 12.04.2022)

<topo>

6 EUA/Califórnia: Novo plano para difusão da eletromobilidade

A Califórnia divulgou um plano agressivo para exigir um aumento constante na venda de veículos elétricos e de emissão zero, o primeiro passo para aprovar uma meta inédita de banir novos carros movidos a gasolina até 2035. Sob a regra proposta, emitida pelo Conselho de Recursos Aéreos da Califórnia, o estado exigirá que 35% dos novos veículos de passageiros vendidos no estado até 2026 sejam alimentados por baterias ou hidrogênio. Menos de uma década depois, o estado espera que 100% de todas as vendas de carros novos sejam livres das emissões de combustíveis fósseis. Atualmente, 12,4% dos veículos novos vendidos na Califórnia são de emissão zero, de acordo com o conselho. A regra proposta pela Califórnia põe em movimento uma ordem executiva que o governador Gavin Newsom emitiu em 2020. De acordo com o plano, 35% dos carros novos e caminhões leves vendidos devem ter emissões zero a partir de 2026. Isso aumentará para 68% em 2030 e para 100% em 2035. O plano permite que 20% das novas vendas sejam híbridos plug-in. (New York Times – 13.04.2022)

<topo>

7 EUA/Los Angeles: Eletrificação de frota municipal e construção de infraestrutura de carregamento

O conselho da cidade americana de Los Angeles, no estado da Califórnia, aprovou uma moção para eletrificar a frota pública de veículos da cidade. O Plano Diretor de Veículos Elétricos prevê eletrificar mais de 10.000 veículos juntamente com a construção da infraestrutura de carregamento apropriada. A meta é ambiciosa: a frota municipal de baixa emissão de Los Angeles atualmente é composta por apenas 24 sedãs elétricos, 46 veículos híbridos plug-in e dois varredores de neve híbridos. É esperado que quatro caminhões elétricos sejam entregues este ano. “A frota da cidade tem mais de 10.000 veículos urbanos de vários tipos. Há muito trabalho a ser feito ao longo dos próximos anos”, disse Mitch O’Farrell, presidente do Conselho Municipal. O plano também prevê a instalação de estações de carregamento de veículos elétricos nas mais de 600 propriedades do Departamento de Serviços Gerais. A cidade espera precisar de cerca de 97.000 pontos de carregamento até 2030. (Electrive – 11.04.2022)

<topo>

8 Áustria: Viena deixará de comprar veículos a combustão a partir de 2025

A cidade de Viena deixará de adquirir novos veículos a gasolina ou diesel para a frota municipal a partir de 2025. Possíveis exceções se aplicarão apenas a determinados veículos especiais para os quais não existem alternativas de emissão zero disponíveis. Como o secretário do Clima, Jürgen Czernohorszky enfatiza no comunicado da cidade, o objetivo é garantir a neutralidade de CO2 da frota de veículos da cidade antes de 2040. Uma parte dos cerca de 3.000 veículos da cidade de Viena já está na estrada diminuindo a pegada de carbono da frota municipal: atualmente, há um total de 125 VEs, dos quais 82 são veículos leves de passageiros e o restante de veículos especiais e pesados, como caminhões. A conversão de veículos em direção a eletrificação também está progredindo no setor de ônibus: a Wiener Linien, empresa que administra a maior parte da rede de transporte público na cidade de Viena, iniciou recentemente a construção de um centro de competência para veículos elétricos ao sul da capital. A partir daí, 52 ônibus elétricos serão colocados na estrada em um futuro próximo. (Electrive – 14.04.2022)


<topo>

 

 

Inovação e Tecnologia

1 Brasil/Rio Grande do Sul: Novo laboratório voltado para testes de baterias

Um dos setores mais promissores da indústria automotiva do futuro avança no Rio Grande do Sul. Com operação prevista para 2023, o primeiro laboratório privado de testes de baterias para VEs do Brasil será instalado no Parque Científico e Tecnológico da PUCRS em Viamão. Fruto de uma parceria entre o grupo global de certificação de produtos PCN, da Coreia do Sul, a universidade e o Inmetro, o espaço vai se chamar E-mobility. No local, serão instalados equipamentos de última geração – rastreados e calibrados – para garantir segurança e eficiência às baterias e estações de carga. A definição da PUCRS como sede do projeto foi anunciada na Expo Dubai 2022, no fim de março. O valor do investimento previsto não foi divulgado por questões estratégicas, mas envolverá milhões de dólares. A previsão é de que as obras se iniciem nos próximos meses e que ao menos parte dos testes entre em funcionamento ainda neste ano (com operação integral em 2023). (Gaúcha Zero Hora – 14.04.2022)

<topo>

2 Enel X Way é a nova divisão voltada à mobilidade elétrica

A multinacional de energia italiana Enel anunciou hoje a criação de uma nova divisão exclusiva para mobilidade elétrica, a Enel X Way. Segundo a empresa, a ideia é que a divisão seja uma “plataforma global e inovadora” para desenvolver tecnologias e serviços ligados à mobilidade. Apesar da descrição generalista, a empresa deve focar no setor de carros elétricos, atuando principalmente com estações de recarga e outros serviços relacionados. Também divulgou que tem intenção de trabalhar nos setores de transporte e expedição de cargas, sistemas de navegação e eVTOLs. A prioridade será o mercado europeu, em especial Itália, Espanha e Romênia. “A Enel X Way foi criada para acelerar o desenvolvimento da mobilidade elétrica, a qual representa, para a Enel, uma das respostas necessárias à transição energética”, afirmou Elisabetta Ripa, CEO da Enel X Way, no evento de anúncio em Roma no último dia 8. (Automotive Business – 11.04.2022)

<topo>

3 Mercedes-Benz/PsiQuantum: Computação quântica pode acelerar projetos de baterias

A PsiQuantum, uma empresa que está construindo o primeiro computador quântico em escala de utilidade, em parceria com Mercedes-Benz, publicou um artigo de acesso aberto na Physical Review Research descrevendo como a computação quântica tolerante a falhas pode acelerar projetos de baterias, incluindo íons de lítio (Li-ion) (LiB), a tecnologia mais onipresente para o design de baterias de veículos elétricos atualmente. Esse processo lento e caro de P&D poderia ser drasticamente acelerado pela simulação e validação de novas químicas in silico, como agora é rotina para aplicações como aerodinâmica, projeto mecânico e outras. No entanto, os supercomputadores convencionais lutam para simular o comportamento quântico crucialmente importante das moléculas e reações em questão. Os computadores quânticos oferecem o potencial para superar essa restrição. A equipe da PsiQuantum investigou algoritmos quânticos para simular os efeitos do aditivo eletrolítico comum, o carbonato de fluoretileno. A análise dessas simulações de eletrólitos revelou novas otimizações, apenas aparentes na escala da computação quântica tolerante a falhas, o que reduziu a sobrecarga de recursos do aplicativo para ser mais gerenciável. Eles também demonstraram a utilidade de um método específico para computação quântica fotônica conhecido como intercalação, que permite que os recursos de tempo e memória de um computador quântico sejam negociados. Esses avanços marcam um avanço significativo em direção ao objetivo de simulações químicas eficientes em um computador quântico. (Green Car Congress – 14.04.2022)

<topo>

4 Mercedes-Benz: Fábrica para integração de softwares na Alemanha

A Mercedes-Benz iniciou as operações do seu chamado Electric Software Hub no Mercedes Technology Center (MTC) em Sindelfingen, no sudoeste da Alemanha. Segundo a empresa, numerosas instalações de software, hardware, de integração de sistemas e funções de teste estarão localizadas sob o mesmo teto. No total, foram investidos mais de 200 milhões de euros na construção do centro. Com o Electric Software Hub, a Mercedes-Benz pretende fortalecer o papel da instalação de Sindelfingen como um centro de desenvolvimento e qualificação de tecnologia. O interior do novo edifício, por exemplo, reflete todo o processo de integração elétrica/eletrônica para o desenvolvimento dos novos VEs. A fabricante de veículos pretende eletrificar todas as novas instalações de produção de veículos a partir de 2025 e para isso está buscando uma abordagem abrangente para a área de softwares, indo desde a pesquisa e desenvolvimento básico até a codificação de escopos de software. (Electrive – 11.04.2022)

<topo>

5 Hyundai: Recurso V2G para VEs

A Hyundai planeja tornar o carregador de bordo do modelo elétrico Ioniq 5 compatível com o carregamento bidirecional, permitindo o uso da tecnologia V2G. Além disso, a Hyundai apresentará em breve um novo modelo elétrico que será equipado com a tecnologia V2G de fábrica. Espera-se que o novo veículo seja o Ioniq 6, que deverá ser apresentado nos próximos meses. O sedã elétrico será o segundo modelo da Hyundai baseado na plataforma elétrica Global Modular Platform (E-GMP), que desenvolve soluções avançadas para fabricação dos VEs. O carregador de bordo que a Hyundai usa para esta plataforma é compatível com o recurso V2X, ou seja, “Vehicle-to-Everything”, conforme relatado em 2020. Até agora, no entanto, a Hyundai usou essa tecnologia apenas para uma função ‘Vehicle-to-Load’. Com o V2L, um dispositivo elétrico de até 3,6 kW pode ser operado através de um adaptador especial conectado ao VE, funcionando como se estivesse conectado a uma tomada. Com isso, ferramentas elétricas, televisores, churrasqueiras elétricas e outros podem ser alimentados com eletricidade oriunda dos VEs. (Electrive – 12.04.2022)

<topo>

6 Volkswagen: Kombi elétrica autônoma faz parte de nova estratégia

Pela primeira vez, a kombi elétrica da Volkswagen percorreu as ruas de Munique, na Alemanha, de forma autônoma. Até então, o piloto automático do ID. Buzz vinha sendo testado apenas em pistas controladas. Durante o trajeto, estavam a bordo o CEO do Grupo Volkswagen, Herbert Diess, e o diretor da Argo AI em Munique, Alex Haag. Além de um piloto de testes, sentado no banco do motorista e responsável por agir em uma situação de emergência. Haang reconhece, no entanto, que o sistema autônomo ainda não é perfeito e precisa continuar sendo aperfeiçoado para responder a diferentes situações, com o máximo de segurança possível para o motorista, os passageiros e os pedestres em torno. Um dos desafios para o carro autônomo é interpretar a intenção de um pedestre. Os veículos autônomos são parte da estratégia da VW. Em 2025, a empresa espera ter veículos que andam sozinhos circulando por Hamburgo e Munique, com a ambição de participar da mobilidade urbana de diversas formas. (Automotive Business – 14.04.2022)

<topo>

7 Suécia: Estrada dotada de carregamento sem fio será expandida

A empresa israelense ElectReon, especializada em carregamento indutivo de veículos elétricos, anunciou a extensão e atualização do seu projeto piloto, Smartroad Gotland, na Suécia. O orçamento de dois milhões de euros para a extensão do projeto é financiado pela Agência Sueca de Transportes e inclui uma atualização de 400 metros da instalação existente. A Electreon também estenderá a operação do ônibus elétrico que circula pela via para o aeroporto da região. A estrada com carregamento indutivo, Smartroad Gotland, foi lançada em 2019 e inicialmente incluía uma rota de 1,6 km. Os primeiros testes de carregamento ocorreram em 2020 e, ao longo do tempo, a capacidade de carregamento e a velocidade de tráfego dos veículos foram sendo elevadas gradualmente. (Electrive – 11.04.2022)

<topo>

8 Nissan: Nova fábrica irá desenvolver baterias de estado sólido

A Nissan anunciou o lançamento de uma nova instalação de produção de células laminadas de bateria de estado sólido no Centro de Pesquisa da Nissan na província de Kanagawa, no Japão. O objetivo é construir um VE que funcione com baterias de estado sólido desenvolvidas internamente até 2028, para ajudar a empresa em seu plano de eletrificação Ambition 2030. Os planos da Nissan preveem a instalação, em 2024, de uma linha de produção piloto em sua fábrica de Yokohama, na qual serão estudados os materiais, o projeto e os processos de manufatura necessários para a produção de protótipos. Na avaliação da fabricante japonesa, as baterias de estado totalmente sólido podem ter seu preço reduzido para 75 dólares por kWh no ano de 2028 e posteriormente para 65 dólares por kWh, fazendo com que os veículos elétricos estejam no mesmo nível de custos dos veículos movidos à gasolina. (WhichEV – 14.04.2022)

<topo>

9 Juice Technology: Carregador portátil para VEs

A empresa Juice Technology, da Suíça, anunciou que está trabalhando em um carregador portátil para carros elétricos. O intuito do produto da multinacional é disponibilizar uma alternativa quando não há um posto de carregamento acessível para o veículo. De acordo com a empresa, em um comunicado à imprensa, é necessário tornar a energia mais acessível aos condutores de veículos elétricos. O carregador, chamado de Juice Booster 2 atua como uma estação de carregamento portátil de 22 kW que funciona em todos os carros elétricos com tomadas de carregamento tipo 2 ou tipo 1, tornando possível seu uso no mundo todo, e em todas as tomadas de corrente, como as industriais e domésticas. Segundo a empresa, tudo isso é possível devido a um extenso sistema de adaptadores, que atuam de forma semelhante a um hub USB universal que unifica todas as tomadas de carregamento. Essa função elimina o problema de autonomia e também uma das coisas menos intuitivas sobre a condução de VEs: saber e entender o que é necessário para recarregar o veículo dadas as várias potências das estações de carregamento. (Click Petróleo e Gás – 12.04.2022)

<topo>

10 VinFast/Electrify America: Integração de aplicativos móveis para carregamento de VEs

No New York International Auto Show (NYIAS 2022), a VinFast e a Electrify America anunciaram um acordo para fornecer aos proprietários de veículos elétricos VinFast duas sessões de carregamento gratuitas, além de acesso à rede costa a costa da Electrify America no aplicativo móvel VinFast. Esta cooperação confirma ainda mais a determinação da VinFast em entrar no mercado dos EUA, proporcionando uma experiência de condução inteligente para todos os clientes. Os modelos VF 8 e VF 9 habilitados para Plug & Charge da VinFast permitirão que os proprietários utilizem o recurso na rede de estações de carregamento ultrarrápidas da Electrify America nos EUA. para uma sessão de cobrança simplesmente conectando seu VE assim que as informações de cobrança forem configuradas no aplicativo VinFast. A Electrify America possui 800 estações de carregamento e cerca de 3.500 carregadores individuais abertos ou com construção concluída. (Green Car Congress – 14.04.2022)

<topo>

 

 

Indústria Automobilística

1 Volkswagen: Vendas mundiais de VEs crescem no primeiro trimestre

As vendas de veículos elétricos do Grupo Volkswagen aumentaram 65% no primeiro trimestre, na comparação com o mesmo período no ano passado. De acordo com balanço da companhia, foram vendidas 99,1 mil unidades globalmente até o final de março, volume maior do que as 60 mil unidades comercializadas no primeiro trimestre de 2021. O maior aumento foi observado na China, onde foram vendidas 28,8 mil unidades. O resultado regional representou aumento de mais de quatro vezes em relação ao mesmo período do ano anterior. O maior volume, no entanto, foi registrado na Europa. Naquela região foram vendidas 58,4 mil unidades de veículos elétricos nos primeiros três meses. Nos Estados Unidos o grupo vendeu 5,9 mil unidades. (Automotive Business – 14.04.2022)

<topo>

2 EUA: Panorama de vendas para o primeiro trimestre e crescimento da Tesla

As vendas de carros caíram 18% nos EUA no primeiro trimestre de 2022 em comparação ao primeiro trimestre de 2019 (pré-pandemia), segundo um novo relatório do site CleanTechnica. No entanto, as vendas da Tesla cresceram incríveis 256% no mesmo período. “Alguns dizem que não há chips semicondutores suficientes para produzir a quantidade de carros que os consumidores querem. Essa é a história simples. Outros enxergam esses números como resultado de um interesse cada vez menor em carros a combustão à moda antiga, do efeito Osborne [quando consumidores cancelam um produto para esperar seu sucessor] e da espera pela próxima geração de automóveis. Eles entendem que a crise de chips é uma desculpa em vez de uma causa real. E ainda há outros que olham para a crescente desigualdade, para as famílias cada vez com menos dinheiro e para uma habilidade menor em comprar novos carros”, diz o texto. Entre 2019 e 2022, apenas cinco montadoras aumentaram suas vendas nos EUA: Tesla (256%), Kia (11%), Hyundai (8%), BMW (5%), Volvo (3%) e Ram (1%). Outras marcas clássicas apresentaram resultados negativos, como Cadillac (-22%), Chevrolet (-24%), Volkswagen (-24%), Ford (-27%) e Nissan (-43%). A queda mais brusca foi da Fiat, com -85%. (Automotive Business – 12.04.2022)

<topo>

3 Hyundai: Produção de VEs nos EUA

A Hyundai vai produzir carros elétricos na sua unidade de Montgomery, nos Estados Unidos. Será a primeira vez que a montadora fabrica esse tipo de automóvel no país. O plano é investir US$ 300 milhões nas linhas de montagem da futura versão elétrica do Genesis GV70 (planejada para chegar ao mercado em 2023) e da versão híbrida do Santa Fe. Em março, a Hyundai já havia anunciado que iria investir mais de US$ 16 bilhões em eletrificação para atingir a meta de 1,87 milhão de carros elétricos vendidos até 2030. Pelos planos da montadora sul-coreana, serão lançados 17 novos carros elétricos puros, sendo 11 da marca Hyundai e seis da marca premium Genesis. A montadora sul-coreana também investe em parcerias com fabricantes de baterias para garantir o fornecimento no futuro e em novas plataformas de carros elétricos para diversificar o portfólio de modelos. (Automotive Business – 13.04.2022)

<topo>

4 Honda: Metas e estratégias para eletrificação

Após ficar para trás na corrida pela eletrificação, a Honda anunciou, no final do ano passado, que iria lançar 10 carros elétricos nos próximos cinco anos. Hoje, a montadora japonesa mais que dobrou a meta: vão ser 30 modelos elétricos até 2030. Para isso, a empresa vai investir US$ 64 bilhões em pesquisa e desenvolvimento no período. Com isso, a Honda espera chegar a 2030 produzindo 2 milhões de carros elétricos por ano, o que é o dobro do que a Tesla, líder do segmento, produz hoje. Para efeito de comparação, a Toyota pretende produzir 3,5 milhões de veículos do tipo por ano em 2030. A Honda pretende, inclusive, ter uma fábrica de carros elétricos na América do Norte, onde irá também produzir as baterias Ultium, que foram desenvolvidas pela GM e agora estão sendo licenciadas para outras montadoras. Apesar do anúncio, a Honda diz que não pretende abrir mão dos carros híbridos, que unem motores a combustão com baterias elétricas. (Automotive Business – 12.04.2022)

<topo>

5 Mercedes-Benz: Metas de redução de emissões para novos veículos

Em sua primeira conferência digital ESG para investidores e analistas, a Mercedes-Benz anunciou que pretende reduzir pela metade as emissões de CO2 por carro de passeio ao longo do ciclo de vida até o final desta década em comparação com os níveis de 2020. Para atingir este objetivo, os fatores-chave incluem: eletrificar a frota de veículos; carregamento com energia verde; melhoria da tecnologia de baterias, uso extensivo de materiais reciclados; e energia renovável na produção. A Mercedes-Benz planeja cobrir mais de 70% de suas necessidades de energia por meio de energia renovável até 2030, implantando energia solar e eólica em locais próprios, bem como por meio de outros contratos de compra de energia. Na frente da eletrificação, o objetivo é atingir até 50% de participação de híbridos plug-in e BEVs (sigla em inglês para veículos movidos a bateria) até 2025, a caminho de se tornarem totalmente elétricos até 2030, sempre que as condições de mercado permitirem. Globalmente, o portfólio já inclui seis – e em breve nove – modelos totalmente elétricos. (Green Car Congress – 12.04.2022)

<topo>

6 Ford Pro: E-Transit reafirma liderança no segmento de VEs comerciais

A Ford Pro está enviando as primeiras unidades de produção de sua van E-Transit totalmente elétrica para clientes em toda a Europa a partir da fábrica da Ford Otosan em Kocaeli, Turquia. Após a forte demanda inicial por E-Transit das empresas europeias – com mais de 5.000 pedidos de clientes recebidos antes que os veículos saiam da linha de montagem – a Ford Otosan está agora passando para a produção em massa total. “A fábrica de Kocaeli da Ford Otosan é o coração da produção da Transit na Europa, e esta celebração da fabricação da E-Transit inicia o próximo capítulo eletrificado da nossa já forte parceria. Este é o primeiro passo para a transformação da unidade de Kocaeli, que a tornará um importante centro de fabricação de veículos comerciais elétricos na Europa” afirma Hans Schep, gerente geral da Ford Pro Europa. Reafirmando a sua liderança como marca de veículos comerciais mais vendida na Europa, a Ford continuará a eletrificar os seus icónicos modelos Transit para satisfazer as diferentes necessidades dos clientes. Até 2024, a E-Transit será acompanhada por quatro novos modelos totalmente elétricos da família Transit. (Green Car Congress – 11.04.2022)

<topo>

 

 

Meio Ambiente

1 ESG: Itaú realiza captação para financiar VEs

O Itaú Unibanco anunciou hoje a captação de R$ 1 bilhão em letras financeiras ‘verdes’ com o International Finance Corporation (IFC), braço financeiro do Banco Mundial, para financiar a compra veículos elétricos, híbridos ou multicombustíveis. Trata-se da primeira operação de letra financeira feita pelo IFC no Brasil com objetivo de financiar transporte com menor emissão de gases de efeito estufa. Segundo o diretor de tesouraria do Itaú, Daniel Goretti, a iniciativa faz parte da meta do banco de atingir R$ 400 bilhões em ativos que contribuam para sustentabilidade social e ambiental até 2025. O banco também se comprometeu a atingir a neutralidade em emissões até 2050. A intenção de emitir essas letras financeiras, segundo Goretti, é de também estimular o mercado de dívida com metas ESG em moeda local. Rogério Santos, executivo do IFC responsável por instituições financeiras, diz que o financiamento em moeda local é raro, mas já foi feito em países como Colômbia e México, também atrelado a metas de sustentabilidade. (Uol – 13.04.2022)

<topo>

2 ScienceDirect: Baterias de íon de lítio recicladas podem ter um desempenho superior às baterias novas

As baterias de íons de lítio estão no centro de quase todos os veículos elétricos, laptops e smartphones, e são essenciais para armazenar energia renovável diante da emergência climática. Mas todas as atuais operações de mineração do mundo não conseguem extrair lítio e outros minerais importantes suficientes para atender à crescente demanda por essas baterias. Tudo isso significa que a capacidade de reciclar as baterias existentes é crucial para mudar de forma sustentável o sistema global de energia. Os fabricantes de baterias, entretanto, têm se debruçado sobre a preocupação de que os produtos reciclados possam ter qualidade inferior aos construídos a partir de minerais recém-extraídos, potencialmente levando a uma vida útil mais curta da bateria ou danos inerentes às próprias células. Porém, uma nova pesquisa publicada na revista Joule encontrou o que os especialistas descrevem como um método de reciclagem que renova o cátodo – o cristal cuidadosamente trabalhado que é o componente mais caro da bateria de íons de lítio e a chave para fornecer a voltagem adequada. Os pesquisadores descobriram que as baterias feitas com sua nova técnica de reciclagem de cátodo têm um desempenho tão bom quanto aquelas com um cátodo feito do zero. Na verdade, as baterias com o cátodo reciclado duram mais e carregam mais rápido. O Departamento de Energia dos EUA (DOE, na sigla em inglês) financiou a nova pesquisa como parte de seu enorme esforço para estimular inovações de reciclagem de baterias em larga escala nos EUA. Para acessar o estudo, clique aqui. (Scientific American – 01.02.2022)

<topo>

3 Hexagon: Montadoras priorizam alcance e custo de VEs em detrimento da pegada de carbono

Pesquisas independentes sobre o desenvolvimento de veículos elétricos descobriram que a maioria das empresas automotivas está mais focada em melhorar o alcance dos carros elétricos e reduzir custos do que melhorar a pegada de carbono dos veículos, apesar do crescente escrutínio de seus impactos ambientais ocultos. A pesquisa foi publicada pela divisão Manufacturing Intelligence da empresa global de tecnologia Hexagon, cuja tecnologia atinge 95% de todos os carros produzidos a cada ano. Embora os VEs eliminem as emissões do tubo de escape, eles também produzem um aumento da demanda por eletricidade gerada por combustível fóssil, dependência de materiais e processos de uso intensivo de energia para construir veículos e baterias de uso único. “Nossa pesquisa reflete um reconhecimento bem-vindo pela indústria automobilística de que a sustentabilidade envolve mais do que meramente reduzir as emissões rodoviárias, revelando uma compreensão de todo o ciclo de vida da fabricação e do impacto material dos veículos. No entanto, também mostra que, apesar desse conhecimento, os fabricantes de automóveis estão sentindo mais pressão para competir pelas vendas ao consumidor do que para garantir que os VEs sejam capazes de cumprir seu objetivo principal de reduzir o impacto ambiental do transporte rodoviário”. Para acessar o relatório na íntegra, clique aqui. (Green Car Congress – 14.04.2022)

<topo>

4 Saur Energy International: Empresas líderes do setor de reciclagem de baterias de íon-lítio

O aumento contínuo de VEs nas estradas resultará em um volume crescente de baterias utilizadas no setor de transportes. As baterias de íon-lítio são compostas de metais escassos, como lítio, cobalto, níquel e possuem uma vida útil limitada. Isto representa um grande problema para a indústria de VEs e pode representar uma série de riscos ambientais. Portanto, gerenciar as aplicações de reciclagem e armazenamento é a necessidade do momento. Prevê-se que o mercado global de reciclagem de baterias de lítio cresça de US$ 4,6 bilhões em 2021 para US$ 22,8 bilhões em 2030. Neste sentido, o portal Saur Energy International listou as 5 grandes empresas de reciclagem de baterias que se destacam e lideram o mercado global. A Lithion Recycling, sediada no Canadá, se orgulha de atingir uma taxa de recuperação de 95% e possuir uma capacidade de processamento anual de 7.500 toneladas métricas (o equivalente a 20 mil VEs). A Li-Cycle, por sua vez, é uma start-up do Canadá que usa uma combinação de técnicas de redução mecânica de tamanho e técnicas de recuperação de recursos hidrometalúrgicos projetadas especificamente para a reciclagem de baterias de íon-lítio. A capacidade geral de reciclagem da empresa canadense atingiu um volume de 20.000 toneladas por ano. Para acessar a análise na íntegra, clique aqui. (Saur Energy International – 22.02.2022)

<topo>

5 ESG: T-Systems pretende eletrificar frota de veículos até 2025

A T-Systems está convertendo sua frota de veículos em todo o mundo para carros elétricos a partir deste ano. A subsidiária de serviços de TI da Deutsche Telekom planeja concluir o projeto para aproximadamente 1.400 carros da empresa na Alemanha até 2025. A T-Systems diz que a frota elétrica economizará 1.000 toneladas de emissões de CO2 por ano. Esse valor corresponde a 36% das atuais emissões remanescentes de energia autogerada ou comprada, diz a empresa. Ao mesmo tempo, a T-System quer avançar com a expansão da infraestrutura de carregamento em todos os seus locais, onde os pontos de carregamento estão disponíveis para funcionários e clientes. (Electrive – 13.04.2022)

<topo>

 

 

Eventos e Estudos

1 Anfavea: Desenvolvimento de novos pontos de carregamento para VEs

A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) anunciou, durante uma coletiva de imprensa para divulgar os resultados do mês de março, a criação de um grupo para fomentar e apoiar o avanço das infraestruturas para carros elétricos e a instalação de novos pontos de recarga no Brasil. O grupo será composto por importadores de veículos, representantes das montadoras, e outras empresas ligadas ao setor. O intuito do grupo será a geração de novos pontos de carregamento para carros elétricos no Brasil, traçando as rotas prioritárias para estações de recarga rápida em rodovias. Além disso, também serão identificados possíveis fomentos para o uso de VEs como a redução de taxas e impostos, isenção de rodízio entre outros, e a busca por parceiros para a criação de pontos de recarga em concessionárias de rodovias, empresas de energia e outros estabelecimentos. De acordo com o presidente da Anfavea, Luiz Carlos Moraes, atualmente o Brasil possui cerca de mil pontos de recarga para uma frota de aproximadamente 10 mil carros elétricos, o que é equivalente a uma média de 10 carros para cada ponto de recarga. Segundo a entidade, o país terá cerca de 3,2 milhões de carros elétricos circulando no país até 2035. Sendo assim, a demanda será a instalação de 150 mil pontos de recarga. A estimativa para o mercado global é que dos quatro milhões de novos veículos comercializados até 2035, 32% sejam elétricos em algum grau, de totalmente elétricos ou híbridos plug-in. (Click Petróleo e Gás – 12.04.2022)

<topo>

2 LeasePlan: Mercado europeu na transição para veículos de emissão zero

O mercado e a infraestrutura de VEs do Reino Unido foram classificados em terceiro lugar como parte de um novo índice que analisa a preparação de cada mercado para a transição para veículos de emissão zero. Apenas a Noruega e a Holanda foram classificadas acima do Reino Unido como parte da análise da LeasePlan sobre a preparação de 22 países europeus para a transição para VEs. O Reino Unido empatou em terceiro lugar com a Áustria. O 2022 EV Readiness Index é baseado em três fatores: registros de VEs, maturidade da infraestrutura de VEs e incentivos governamentais em cada país. No entanto, os resultados também mostram que o acesso a pontos de carregamento públicos está provando ser uma barreira significativa para a adoção, com todos os países, incluindo o Reino Unido, pontuando muito baixo nesta categoria. Para acessar o estudo na íntegra, clique aqui. (Smart Transport – 13.04.2022)

<topo>

3 NACFE: Vans e furgões estão prontos para serem elétricos

De acordo com o Conselho Norte-Americano para Eficiência de Frete (NACFE, na sigla em inglês), já se tornou prático para 100% do segmento de vans e furgões abandonar os motores de combustão interna em favor dos modelos comerciais elétricos. Em seu segundo relatório de segmento de mercado Run on Less – Electric (RoL-E), “Electric Trucks Have Arrived: The Use Case for Vans and Step Vans”, a NACFE descobriu que a eletrificação de todos os 4,1 milhões desses veículos nos EUA e Canadá evitaria a emissão de cerca de 43,5 milhões de toneladas métricas de CO2e (dióxido de carbono equivalente) anualmente. Entre as descobertas interessantes que a equipe que produziu o estudo identificou está o fato de que tudo em torno da eletrificação de veículos comerciais menores é mais fácil, e o custo total de propriedade para este segmento de mercado está se aproximando da paridade com veículos movidos a diesel e gasolina. A tecnologia das baterias, por sua vez, atende plenamente aos requisitos operacionais para veículos comerciais menores, especialmente nas Classes 3-6. Para acessar o estudo na íntegra, clique aqui. (Transport Topics – 15.04.2022)

<topo>

4 BloombergNEF: Rede de recarga não acompanha avanço dos VEs

De acordo com novo estudo da BloombergNEF, a infraestrutura de carregamento não está acompanhando a eletrificação dos carros. Do final de 2020 até o final de 2021, o número de veículos elétricos em circulação para cada ponto de carregamento subiu de 7,4 para 9,2. Na China, apesar dos emplacamentos recordes, os pontos de carregamento vêm mantendo uma boa taxa em relação aos carros movidos a bateria desde 2018, tanto graças à grande aposta na mobilidade elétrica, quanto porque a maioria da população chinesa vive em apartamentos e, portanto, precisa de uma infraestrutura pública. Não dá pra dizer que o mesmo resultado tenha sido alcançado no Ocidente, em mercados como os Estados Unidos e Europa. Na China há 16 carros movidos a bateria para cada ponto de carregamento rápido. Nos EUA há mais de 100 para 1. De acordo com a análise, necessita-se de um verdadeiro impulso em investimentos. A infraestrutura mais rápida, afirma-se, requer cerca de 8 a 10 sessões por dia para garantir um retorno econômico aos operadores. O número exato ainda depende de preços, velocidade, custo de investimento, apoio do governo e muito mais. O problema é que muitas recargas criam superlotação nas estações, com transtornos para os motoristas, que não serão incentivados a migrar para o carro elétrico. Para acessar o artigo, clique aqui. (Inside EVs – 17.04.2022)

<topo>

5 SNE Research: Custo das baterias pode subir devido às matérias-primas

O aumento dos preços das commodities é uma realidade com a qual nos deparamos todos os dias. Os efeitos já estão sendo sentidos em vários itens e, pouco a pouco, estão chegando a pesar até mesmo nas baterias para carros elétricos. Agora, além dos alertas dados nos últimos meses, junta-se o instituto de pesquisa coreano SNE Research. E os números relatados não são nada reconfortantes, porque falam de aumentos de preços, pela indústria na Coreia, variando de 30% a 40% a mais do que os cerca de 150 dólares por quilowatt-hora em 2021. O impacto deve ser sentido nos próximos 2-3 anos. Recentemente, James Oh, vice-presidente executivo da SNE, durante um seminário em Seul, revelou: “tivemos uma reunião com fabricantes coreanos de células que nos levou a mudar as perspectivas para os preços das baterias usadas em carros elétricos. Eles dizem que, provavelmente, aumentarão em 2024 ou 2025.” As empresas, na verdade, não deram detalhes sobre os números, mas é preciso especificar que, de acordo com suas previsões, chegará a 40%. No mesmo evento, de fato, o vice-presidente da LG Energy Solution, Jay Kim, informou que os custos poderiam aumentar em até 100%. James Oh revelou que as montadoras estão pressionando os parceiros coreanos a produzirem mais células prismáticas do que células de pacotes e a firmar novos contratos de longo prazo. (Inside EVs – 16.04.2022)

<topo>

6 Rivian: Escassez de matérias primas para baterias

O CEO da Rivian Automotive, Robert R.J. Scaringe, está alertando que a indústria automobilística poderá em breve enfrentar uma iminente escassez de suprimentos de baterias para veículos elétricos — um desafio que, segundo ele, pode superar a atual escassez de chips de computador. As montadoras estão tentando garantir suprimentos limitados de matérias-primas como cobalto, lítio e níquel, que são essenciais para a fabricação de baterias, e muitas estão construindo suas próprias fábricas de baterias para colocar mais modelos movidos a bateria em exibição. Scaringe diz que construir baterias suficientes estará entre os maiores obstáculos para uma indústria que tenta aumentar as vendas de veículos elétricos de alguns milhões hoje para dezenas de milhões dentro de uma década. Segundo o CEO da Rivian, a escassez ocorrerá em todos os lugares, desde a mineração de matérias-primas até o processamento delas e a construção das próprias células das baterias. (Valor Econômico – 18.04.2022)

<topo>

7 VAS: Infraestrutura de carregamento no Reino Unido precisa dobrar de tamanho

A Venson Automotive Solutions (VAS) está pedindo ao governo britânico que dobre suas ambições de pontos de carregamento para 600.000 até 2030, a fim de apoiar a transição para veículos elétricos. O negócio de soluções de frota vem comentando sobre a estratégia de £ 1,6 bilhão do governo para fornecer uma rede de 300.000 carregadores de VEs até 2030, representando um aumento de dez vezes no número atual de pontos disponíveis publicamente. No entanto, Alison Bell, diretora de operações da VAS, diz que, embora as ambições do governo ofereçam “sementes de esperança para empresas” que desejam acelerar os planos de adoção de frotas mais limpas, permanecem as preocupações de uma “loteria de código postal” sobre recursos e custos de cobrança. “A meta de 300.000 pontos de carga pressupõe que as pessoas adotarão o carregamento regular em casa e no local de trabalho e reduzirão sua quilometragem média […] No entanto, o que o governo não considerou são as diferentes necessidades dos motoristas de carros da empresa e de veículos comerciais, em comparação com os motoristas particulares, nem considera os comportamentos de cobrança relativamente ineficientes de muitos motoristas, frota ou não”, acrescentou Bell. Pesquisas da EV Energy Taskforce sugerem que o Reino Unido precisará entre 253.000 e 661.000 pontos de carregamento de veículos elétricos até 2035 para atender à eliminação progressiva dos veículos com motor de combustão interna. (Smart Transport – 13.04.2022)

<topo>


Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe e Luiza Masseno
Pesquisadores: João Pedro Gomes, Leonardo Gonçalves e Vinicius José da Costa
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

As notícias divulgadas no IFE não refletem necessariamente os pontos da UFRJ. As informações que apresentam como fonte UFRJ são de responsabilidade da equipe de pesquisa sobre o Setor Elétrico do Instituto de Economia da UFRJ.

POLÍTICA DE PRIVACIDADE E SIGILO
Respeitamos sua privacidade. Caso você não deseje mais receber nossos e-mails,  Clique aqui e envie-nos uma mensagem solicitando o descadastrado do seu e-mail de nosso mailing.


Copyright UFRJ

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: