IFE.ME 99

Informativo Eletrônico – Mobilidade Elétrica nº 99 – publicado em 29 de março de 2022.

IFE: Informativo Eletrônico de Mobilidade Elétrica – GESEL-UFRJ <!–

l

IFE: nº 99 – 29 de março de 2022
http://gesel.ie.ufrj.br/
gesel@gesel.ie.ufrj.br

Editor: Prof. Nivalde J. de Castro

Índice

Políticas Públicas e Regulatórias
1
Brasil/Fernando de Noronha: Programa de Mobilidade Elétrica
2 Brasil/Niterói: Novos investimentos em mobilidade elétrica
3 Reino Unido: Programa de zero emissões para ônibus concede nova rodada de financiamento
4 Reino Unido: Planos para infraestrutura de carregamento público
5 Estados Unidos: AVTA é primeira agência de trânsito totalmente elétrica

Inovação e Tecnologia
1 Sparkz: Gigafactory em West Virginia produzirá baterias sem cobalto
2 Blackstone: Baterias de íon-sódio impressas em 3D
3 StoreDot: Testes de baterias comprovam melhoria da vida útil

Indústria Automobilística
1 Volvo: Vendas de elétricos no Brasil em 2021 e perspectivas futuras
2 Volkswagen: Treinamentos sobre eletromobilidade e o VW e-Delivery
3 Shell/BYD: Parceria para desenvolvimento de infraestrutura de carregamento

4 Volkswagen: Planos de Investimentos para a América do Norte

5 Stellantis e LG Energy Solution: Nova gigafactory no Canadá

6 Stellantis: Nova fábrica de baterias na Itália

7 Ola Electric: Investimento no mercado de baterias

8 Tesla: Gigafactory de Berlim é inaugurada
9 General Motors: Fábrica no México será convertida para a produção de VEs
10 Porsche: Metas de eletrificação atualizadas
11 Suzuki: Investimento no mercado de VEs na Índia

Meio Ambiente
1 BMW/Tupy/SENAI: Parceria para a reciclagem de baterias no Brasil
2 ESG: Movida investe em furgões elétricos
3 ESG: GreenPower lança ônibus escolar elétrico
4 ESG: Amazon vai operar com caminhões elétricos nas estradas do Reino Unido

5 ESG: DHL irá incorporar 270 vans elétricas à frota no Reino Unido

Eventos e Estudos
1 C-MOVE será realizado em abril na cidade de Santa Catarina
2 ICCT: Estudo analisa o potencial de eletrificação do sistema de ônibus da Cidade do México
3 Wood Mackenzie: Capacidade de baterias de íon de lítio pode subir cinco vezes no mundo até 2030
4 Os impactos do preço do níquel nos custos dos VEs

5 IDTechEx: Estudo sobre a infraestrutura de carregamento do futuro


 

 

Políticas Públicas e Regulatórias

1 Brasil/Fernando de Noronha: Programa de Mobilidade Elétrica

A empresa Neoenergia anunciou o lançamento de um novo programa de mobilidade elétrica no arquipélago de Fernando de Noronha. Chamado de Trilha Verde, ele contará com a instalação de 12 eletropostos, 18 VEs e duas usinas solares para abastecerem o sistema. Fernando de Noronha foi o primeiro lugar brasileiro a banir os carros a combustão quando, em 2020, decretou que, a partir de agosto de 2023, nenhum novo veículo desse tipo poderá entrar no arquipélago. Além disso, a partir de 2030, carros a combustão não poderão nem mesmo circular nas ilhas. De acordo com o IBGE, Fernando de Noronha conta com 1.381 veículos motorizados, cerca de 60% deles com quatro rodas e 40% com duas. Os 12 novos eletropostos previstos no projeto serão instalados em pontos estratégicos da ilha e disponibilizados para todos os carros elétricos do arquipélago. As duas últimas unidades construídas ainda terão suporte a V2G (vehicle-to-grid). O abastecimento desses postos será realizado totalmente com energia limpa, fornecida pela geração fotovoltaica das duas novas usinas solares. (Automotive Business – 22.03.2022)

<topo>

2 Brasil/Niterói: Novos investimentos em mobilidade elétrica

O município de Niterói vai aportar R$ 398 milhões, no período de 2022 a 2024, em medidas de sustentabilidade, destinando parte dos recursos para a substituição de veículos da frota municipal por carros elétricos e projetos que visam a mitigar a emissão de gases. A meta é ter 150 VEs até 2024 em diferentes órgãos da Prefeitura. A Guarda Municipal receberá os primeiros veículos. A ideia, explicou o prefeito, é que carros elétricos serão abastecidos por energia produzida na Cidade da Ordem Pública, sede da Guarda, com produção de energia solar fotovoltaica. “Estamos dando prioridade aos veículos de uso mais intenso, como a Guarda Municipal, já que os carros convencionais emitem mais poluentes. Serão investidos R$ 45 milhões na compra desses carros e na infraestrutura para carregar esses veículos com energia produzida em prédios públicos”, afirmou Axel Grael. (Niterói – 23.03.2022)

<topo>

3 Reino Unido: Programa de zero emissões para ônibus concede nova rodada de financiamento

O governo britânico, por meio de seu esquema Zero Emission Bus Regional Areas (ZEBRA), concedeu 198 milhões de libras a doze cidades com o objetivo de financiar a aquisição de 943 ônibus elétricos e movidos a hidrogênio, além de infraestrutura associada. Trata-se da maior rodada de financiamento até o momento. A primeira rodada de financiamento, promulgada em novembro de 2021, resultou em 335 veículos com emissão zero chegando às cidades da Inglaterra, a partir de um aporte de 71 milhões de libras. Além disso, Coventry se tornou a primeira cidade de ônibus totalmente elétrica do Reino Unido com 300 ônibus elétricos. O governo também anunciou que mais 600 ônibus com emissão zero foram financiados na Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte. Isso significa que o governo chegou na metade de seu compromisso de introduzir 4.000 ônibus com emissão zero até 2025 como parte de um fundo de 3 bilhões de libras anunciado por Boris Johnson para melhorar os serviços de ônibus na estratégia nacional de ônibus publicada em 2020. (Electrive – 28.03.2022)

<topo>

4 Reino Unido: Planos para infraestrutura de carregamento público

O governo britânico quer aumentar o número de pontos públicos de carregamento de veículos elétricos no Reino Unido para 300.000 até 2030. Para atingir esse objetivo, está investindo um total de 1.6 bilhão de libras. Para os motoristas de carros elétricos, a estratégia do governo do primeiro-ministro Boris Johnson visa tornar o carregamento de VEs mais fácil e barato do que reabastecer veículos a gasolina ou diesel. Os novos requisitos legais para as operadoras são garantir que elas ofereçam aos proprietários de VEs a possibilidade de comparar preços de recarga, encontrar estações de recarga próximas e fazer pagamentos por meio de aplicativos. O governo também quer continuar a remover as barreiras à introdução de estações de carregamento no setor privado. Cerca de 500 milhões de libras apoiarão o desenvolvimento de estações de carregamento públicas em comunidades em todo o Reino Unido. Isso inclui um fundo de Infraestrutura de Veículos Elétricos Locais (LEVI) de 450 milhões de libras para apoiar projetos como hubs de VEs e estações de carregamento inovadoras na rua. O Fundo de Carregamento Rápido de 950 milhões de libras também apoiará a implantação de pelo menos 6.000 pontos de carregamento rápido nas estradas do país até 2035. Além disso, a BP, que opera a maioria das estações de carregamento do Reino Unido, está anunciando seu próprio plano de investir 1 bilhão de libras nos próximos dez anos para expandir sua rede de carregamento BP Pulse. (Electrive – 25.03.2022)

<topo>

5 Estados Unidos: AVTA é primeira agência de trânsito totalmente elétrica

O Conselho de Administração da Antelope Valley Transit Authority, juntamente com o California Air Resources Board (CARB), organizou uma celebração reconhecendo a Antelope Valley Transit Authority (AVTA) como a primeira agência de trânsito totalmente elétrica na América do Norte. A frota de 87 veículos é composta por ônibus elétricos BYD, ônibus da New Flyer’s Motor Coach Industries (MCI) e vans de microtransit GreenPower, com carregadores da Heliox, ABB, WAVE e BYD. A AVTA também usa o sistema de carregamento inteligente e gerenciamento de energia da The Mobility House, ChargePilot, para otimizar o carregamento e garantir o menor custo de eletricidade. Com o ChargePilot, estima-se que a AVTA economize aproximadamente US$ 532.000 por ano em relação ao carregamento não gerenciado, representando uma economia de 67% nos custos anuais de eletricidade. (Green Car Congress – 24.03.2022)

<topo>

 

 

Inovação e Tecnologia

1 Sparkz: Gigafactory em West Virginia produzirá baterias sem cobalto

Sparkz é uma startup de baterias com licenças exclusivas do Oak Ridge National Laboratory (ORNL) para produzir baterias domésticas de lítio sem cobalto. Ela começará a construção em 2022 de uma Gigafactory na Virgínia Ocidental para comercializar sua bateria de zero cobalto. A Sparkz se concentrará na criação de uma força de trabalho forte e diversificada, capaz de competir com as baterias fabricadas na China e garantir a cadeia de suprimentos. Sparkz e a United Mine Workers of America farão parceria para recrutar e treinar mineradores deslocados para serem o primeiro grupo de trabalhadores de produção a serem contratados na instalação. Este programa é uma parte fundamental dos Princípios de Transição Energética da UMWA anunciados na primavera passada. (Green Car Congress – 21.03.2022)

<topo>

2 Blackstone: Baterias de íon-sódio impressas em 3D

A empresa suíça de commodities Blackstone Resources anunciou que sua divisão alemã de baterias Blackstone Technology pode começar a trazer baterias de íon de sódio impressas em 3D para o mercado a partir de 2025. Para este fim, a Blackstone Technology vai liderar uma indústria alemã e um consórcio de pesquisa para levar os resultados de laboratório previamente validados das baterias de estado sólido impressas em 3D “para o estágio de demonstração em um ambiente do mundo real” nos próximos três anos, de acordo com o comunicado da Blackstone. Os resultados do projeto de desenvolvimento servirão de base para a posterior implementação e comercialização no mercado. Para implementar isso, 32 milhões de euros estão sendo investidos em uma planta piloto na Saxônia, região leste da Alemanha. (Electrive – 28.03.2022)

<topo>

3 StoreDot: Testes de baterias comprovam melhoria da vida útil

A israelense StoreDot conseguiu completar 1.200 ciclos de carregamento rápido para suas revolucionárias células de silício XFC (Extreme Fast Charging) para VEs. O sucesso, no entanto, não depende “apenas” desse número. A verdadeira revolução reside, em vez disso, na capacidade residual que as baterias mantiveram depois de tantas recargas, ou seja, igual a 80%. A StoreDot criou baterias com uma vida útil muito mais longa, talvez capaz de escrever o futuro do carro elétrico. Para provar o feito, os técnicos da empresa levaram os XFCs a 80% de carga em 15 minutos e depois os dispensaram por uma hora. A operação foi repetida mais de 1.200 vezes, com uma densidade de energia utilizada igual a 300 Wh/kg e 680 Wh/l. Tudo isso “em condições reais, em temperatura ambiente e sem aplicar pressão adicional”. A empresa agora está passando para experimentos em “amostras B” de baterias, com o objetivo de enviá-las aos fabricantes até o final do ano e prosseguir com testes em futuros veículos elétricos. Além disso, a StoreDot quer trazer ao mercado um acumulador de carregamento “mais que ultrarrápido”, capaz de ganhar 160 km de autonomia em apenas 5 minutos. O cronograma fala que estarão prontos até 2024. O outro projeto é um sistema que permite que células e módulos gerenciem independentemente falhas e defeitos. (Inside EVs – 27.03.2022)

<topo>

 

 

Indústria Automobilística

1 Volvo: Vendas de elétricos no Brasil em 2021 e perspectivas futuras

Mesmo com a crise dos semicondutores e diversos fatores que afetam o setor automotivo, a Volvo sustenta a vice-liderança do segmento premium conquistada em 2021. É por isso que as perspectivas para este ano são bem otimistas. A fabricante espera vender 17 mil veículos na América Latina, sendo quase metade do volume (8 mil unidades) apenas no Brasil, que é hoje o maior mercado da Volvo na região com sobra. O C40 acaba de ser lançado oficialmente no mercado brasileiro por R$ 419.950, inicialmente em versão única de acabamento. Entretanto, a própria fabricante revelou que uma configuração mais barata será lançada em breve, o que deve alavancar a procura pelo veículo. Até agora, a marca se diz feliz com o resultado: a meta de comercializar 200 unidades já foi batida no período de pré-venda e a tendência é que mais clientes se interessem nos próximos meses. (Automotive Business – 21.03.2022)

<topo>

2 Volkswagen: Treinamentos sobre eletromobilidade e o VW e-Delivery

A Volkswagen Caminhões e Ônibus (VWCO) quer mostrar que está empenhada em qualificar os envolvidos na cadeia para acelerar a eletrificação no Brasil. Em pouco mais de seis meses, a montadora alemã diz que foram realizados 16 mil treinamentos sobre mobilidade elétrica em diferentes áreas e com diversos públicos. O projeto é uma imersão nas demandas específicas da propulsão elétrica. Segundo a empresa, o objetivo é ensinar aos colaboradores da cadeia sobre como reconhecer e lidar com os processos de segurança do novo caminhão elétrico e-Delivery. A montadora alega que, por ser um produto inovador, sentiu a necessidade de traduzir sua tecnologia e os conhecimentos técnicos dos engenheiros “em linguagem acessível e didática para todos”. A qualificação começou primeiro na fábrica da empresa em Resende (RJ). Nesta fase inicial, os colaboradores paticiparam de uma imersão em eletromobilidadede e houve envolvimento das áreas de Treinamento e Recursos Humanos a Marketing de Produto, Engenharia, Qualidade e Pós-Vendas. Agora, o programa está sendo expandido para outros setores e públicos, que terão contato com os veículos elétricos da marca. (Automotive Business – 23.03.2022)

<topo>

3 Shell/BYD: Parceria para desenvolvimento de infraestrutura de carregamento

A BYD e a Shell firmaram um acordo de cooperação estratégica global para infraestrutura de carregamento. A parceria começará na China e na Europa e depois será expandida globalmente. Na Europa, a Shell e a BYD estabelecerão uma parceria de Provedores de Serviços de Mobilidade (MSP). As duas empresas pretendem estabelecer conjuntamente centros de serviço BYD-Shell para VEs nos “principais mercados europeus para oferecer aos clientes mais oportunidades de experimentar o design premium da BYD, a tecnologia avançada de veículos de nova energia e serviços digitais e de carregamento suave”, diz o comunicado de imprensa da Shell. A Shell disse que fornecerá serviços de associação aos clientes pessoais e comerciais da BYD no futuro, cobrindo mais de 275.000 terminais de carregamento em sua rede de carregamento em toda a Europa. As duas empresas disseram que trabalharão juntas para desenvolver soluções de frota e serviços de recarga exclusivos para os clientes da BYD na Europa. Na China, a BYD e a Shell planejam estabelecer uma joint venture para desenvolver uma rede de carregamento de veículos elétricos. A joint venture deverá operar mais de 10.000 terminais de carregamento de veículos elétricos em Shenzhen, com planos de expansão para outras cidades na China. (Electrive – 24.03.2022)

<topo>

4 Volkswagen: Planos de Investimentos para a América do Norte

A Volkswagen destinará US$ 7,1 bilhões nos próximos cinco anos na região da América do Norte para aumentar seu portfólio de produtos, P&D regional e capacidades de fabricação. Ao integrar localmente sua montagem de motores a combustão e veículos elétricos, engenharia, conhecimento em baterias e desenvolvimento de software, a Volkswagen pretende impulsionar 55% das vendas nos EUA a serem totalmente elétricas até 2030. Scott Keogh, presidente e CEO do Volkswagen Group of America, Inc., disse que a Volkswagen começará a eliminar gradualmente os veículos movidos a gasolina de sua linha americana, com o objetivo de sair das vendas no início da próxima década, enquanto se concentra nos modelos mais desejáveis. Keogh enfatizou que as capacidades regionais serão cruciais para sustentar o sucesso da Volkswagen no mercado americano. Atualmente, mais de 90% do portfólio de veículos da Volkswagen para a América do Norte é montado na América do Norte. (Green Car Congress – 22.03.2022)

<topo>

5 Stellantis e LG Energy Solution: Nova gigafactory no Canadá

A Stellantis NV e a LG Energy Solution (LGES) firmaram acordos vinculativos e definitivos para estabelecer a primeira instalação de fabricação de baterias para veículos elétricos domésticos em grande escala no Canadá. A joint venture resultante produzirá células e módulos de bateria de íons de lítio para atender a uma parte significativa dos requisitos de produção de veículos da Stellantis na América do Norte. A joint venture investirá mais de 4 bilhões de dólares para estabelecer operações, que incluirão uma nova fábrica de baterias localizada em Windsor, Ontário, Canadá. As atividades de construção da planta estão programadas para começar ainda este ano, com as operações de produção planejadas para serem lançadas no primeiro trimestre de 2024. Com a fábrica de baterias localizada em Windsor, Ontário, sede do maior cluster automotivo do Canadá, Stellantis e LGES esperam que a fábrica sirva como um catalisador para o estabelecimento de uma forte cadeia de fornecimento de baterias na região. (Green Car Congress – 24.03.2022)

<topo>

6 Stellantis: Nova fábrica de baterias na Itália

A Stellantis pretende transformar sua planta industrial de Termoli, na Itália, em uma terceira fábrica de baterias da Automotive Cells Company (ACC), joint-venture fundada pela Stellantis e pela TotalEnergies/Saft, como parte de um investimento planejado para crescimento da parceria. O projeto visa ampliar a capacidade industrial da ACC para gerar, ao menos, 120 GWh até 2030, além de ampliar o desenvolvimento e produção de células e módulos de bateria de alto desempenho de última geração. Além disso, a Stellantis afirmou que está em processo de conclusão do acordo para incluir a Mercedes-Benz como parceira igualitária na joint-venture, fundada em agosto de 2020. A inclusão da montadora alemã foi anunciada em setembro do ano passado e depende agora das últimas aprovações e trâmites habituais para este tipo de negociação. Para a Mercedes, a entrada na joint-venture representa um passo importante na estratégia de eletrificação da marca. No anúncio de setembro, a Mercedes afirmou que todo o projeto de expansão da capacidade da ACC exigirá um volume de investimento de € 7 bilhões até o fim da década. A empresa alemã investirá um valor médio de três dígitos de milhões em 2022. (Automotive Business – 23.03.2022)

<topo>

7 Ola Electric: Investimento no mercado de baterias

A StoreDot, com sede em Israel, desenvolvedora de tecnologias de carregamento extremamente rápido (XFC) para veículos elétricos, garantiu um investimento de vários milhões de dólares da Ola Electric, principal fabricante de veículos elétricos da Índia. A Ola Electric está planejando incorporar e fabricar as tecnologias de bateria de carregamento rápido da StoreDot para futuros veículos na Índia. O novo financiamento vem como parte da rodada de investimentos Série D da StoreDot. Ele será usado para pesquisa e desenvolvimento e para acelerar a escala para produção em massa de suas células de íons de lítio XFC de ânodo dominante em silício, que serão inicialmente capazes de fornecer 160 quilômetros de alcance em 5 minutos de carga até 2024. Com sede em Bengaluru, na Índia, a Ola Electric está aumentando seus investimentos em P&D central em química e fabricação de células avançadas, bem como em tecnologias de baterias e novos sistemas de energia. (Green Car Congress – 22.03.2022)

<topo>

8 Tesla: Gigafactory de Berlim é inaugurada

A Tesla começou oficialmente a fabricar carros na Europa, abrindo uma fábrica de montagem em um mercado crítico, onde Elon Musk, o presidente-executivo, planeja fabricar 500.000 veículos elétricos por ano. Musk acompanhou o chanceler Olaf Scholz da Alemanha e outras autoridades em uma visita à enorme e fábrica de US$ 7 bilhões nos arredores de Berlim. Foi construída em pouco mais de dois anos, uma velocidade que surpreendeu os oficiais e comentaristas alemães. Robert Habeck, vice-chanceler alemão e ministro da Economia do país, disse que foi “um dia especial para a região, um dia especial também para a Alemanha e um dia especial para a transformação da mobilidade na Alemanha”. Ele comemorou o dia entregando os primeiros 30 Teslas construídos na Europa para clientes que os encomendaram e foram convidados para o evento. A Tesla construirá seu veículo utilitário esportivo Modelo Y na fábrica. (New York Times – 22.03.2022)

<topo>

9 General Motors: Fábrica no México será convertida para a produção de VEs

Acelerando seu plano de transição energética, a General Motors (GM) anunciou em nota oficial que irá suspender a produção na fábrica de Ramos Arizpe, no México, pelo período de seis semanas para adaptar e modernizar o complexo industrial para a produção de veículos elétricos, que terá início em 2023. Segundo informado, a fábrica mexicana terá suas atividades suspensas entre março e meados de maio, tempo suficiente para a instalação de máquinas e robôs de última geração. Este fato marca o início da conversão da fábrica como mais um centro de produção de VEs da GM. Fruto de um investimento de US$ 1 bilhão, a atualização da fábrica de Ramos Arizpe será o quinto local de produção de VEs da GM em 2023. Quando estiver produzindo modelos zero emissões, a unidade mexicana se juntará aos complexos de Lake Orion, Factory Zero em Michigan, Spring Hill no Tennessee e a unidade GM CAMI no Canadá. Ainda não foram anunciados quais carros elétricos serão produzidos por lá, mas tudo indica que poderiam ser as versões elétricas Blazer EV e Equinox EV. (Inside EVs – 25.03.2022)

<topo>

10 Porsche: Metas de eletrificação atualizadas

A conferência anual de imprensa da Porsche, realizada no dia 18/03, trouxe novidades importantes, como os resultados financeiros e as vendas de 2021, bem como as metas de eletrificação atualizadas. Em relação a este último item, o CEO da Porsche, Oliver Blume, anunciou que a empresa espera que 80% de suas vendas sejam de veículos totalmente elétricos até 2030. Obviamente, isso será alcançado em etapas, com Blume observando que quase 40% de todos os novos veículos Porsche entregues na Europa no ano passado já eram ao menos parcialmente elétricos – híbridos plug-in ou totalmente elétricos. Nos próximos anos, a Porsche acelerará significativamente a eletrificação de sua linha. “Em 2025, metade de todas as vendas de novos Porsche devem vir da venda de veículos eletrificados – ou seja, totalmente elétricos ou híbridos plug-in. Em 2030, a participação de todos os veículos novos com uma unidade totalmente elétrica deve ser de mais de 80%.” Para atingir esse ambicioso objetivo, a Porsche adicionará novos modelos elétricos a bateria à sua linha. A Porsche também diz que está investindo em estações de carregamento premium, juntamente com parceiros, bem como em sua própria infraestrutura de carregamento. (Inside EVs – 21.03.2022)

<topo>

11 Suzuki: Investimento no mercado de VEs na Índia

Posicionada como a sexta maior economia global, a Índia acelera os projetos para a transição energética. Nesta semana, a Suzuki anunciou que investirá 1.24 bilhão de euros em sua fábrica indiana da marca Maruti-Suzuki para iniciar a produção de VEs e baterias no país asiático. O movimento faz parte da estratégia que o país asiático está implementando para acelerar a transição ecológica de seu sistema de transporte. O primeiro-ministro japonês Fumio Kishida, em uma reunião com o primeiro-ministro indiano Narenda Modi, confirmou que seu país destinará quase 40 bilhões de euros para apoiar investimentos na Índia nos próximos cinco anos. Voltando à Suzuki, os investimentos anunciados serão divididos em apoio a duas iniciativas separadas de eletrificação: 370 milhões de euros serão destinados à expansão das linhas de produção de carros elétricos da fábrica privada Suzuki Motor Gujarat, uma fábrica localizada na parte ocidental do país, perto da cidade de Ahmedabad e 870 milhões de euros serão destinados à construção de uma nova fábrica dedicada à produção de baterias para VEs. (Inside EVs – 27.03.2022)

<topo>

 

 

Meio Ambiente

1 BMW/Tupy/SENAI: Parceria para a reciclagem de baterias no Brasil

A reciclagem de baterias é um dos temas principais com o avanço da mobilidade elétrica. E de olho nessa demanda, a BMW anuncia uma parceria para desenvolver um processo mais sustentável e que garanta a recuperação de compostos químicos das baterias em fim de vida de VEs. O projeto terá investimento de R$ 3,4 milhões e duração de 24 meses, com resultados preliminares que poderão ser apurados até o fim deste ano. O objetivo abre uma nova rota para uso de minerais reciclados na fabricação de baterias novas e consiste na ressíntese do material ativo do cátodo de uma bateria, com material 100% reciclado. Serão obtidos parâmetros de eficiência de todo o processo, da pureza dos materiais reciclados, do índice econômico e do índice ambiental. A parceria envolve a Tupy, BMW Group Brasil e Senai Paraná com o objetivo de aplicar os conhecimentos de cada parte na criação deste processo. (Inside EVs – 24.03.2022)

<topo>

2 ESG: Movida investe em furgões elétricos

No ano passado, a locadora de carros Movida emitiu um Sustainability Linked Bond que totalizou US$ 800 milhões. A meta é clara: reduzir suas emissões de gases de efeito estufa em 30% até 2030. Entre algumas das medidas para atingir esse patamar, a companhia se comprometeu a fazer com que 20% do total de sua frota seja de veículos elétricos ou híbridos até lá. Hoje, a companhia conta com 186,9 mil veículos, dos quais 630 são elétricos. O objetivo é chegar em cerca de 40 mil elétricos ou híbridos. E um novo passo foi dado para aumentar esse número, agora de olho em um mercado promissor: o de transporte de distâncias mais curtas, principalmente voltado para o e-commerce. A Movida acaba de comprar 130 furgões elétricos para a sua frota. São modelos como Renault Kangoo, Citroen ë-Jumpy e Peugeot e-Expert. A companhia não revela o investimento, mas estima-se que tenha desembolsado R$ 30 milhões neste negócio. Esses 130 veículos são os primeiros. Em breve, outros serão encomendados. Além de focar nas metas ESG, a companhia vai atender a uma demanda de grandes varejistas e de motoristas autônomos que alugam esse tipo de furgão. A Movida, avaliada em R$ 5,8 bilhões na B3, deve alcançar um total de 5 mil veículos elétricos – tanto para carros de passeio como furgões – nos próximos três anos. E a companhia tem acelerado no crescimento da frota como um todo. (NeoFeed – 21.03.2022)

<topo>

3 ESG: GreenPower lança ônibus escolar elétrico

A GreenPower Motor, fabricante de veículos elétricos médios e pesados dos EUA, anunciou o lançamento do Nano Beast: um ônibus escolar elétrico a bateria, com autonomia de até 150 milhas por carga. A GreenPower anunciou que iniciará as entregas iniciais aos seus clientes nos próximos meses e prevê que o ritmo dessas entregas aumente até o final do ano. A GreenPower desenvolveu o Nano BEAST usando sua principal plataforma, a EV Star, que “comprovou sua eficiência e confiabilidade em uma ampla variedade de configurações operacionais, incluindo paratransit, traslado de aeroporto, microtransit, entrega de carga e serviço de vanpool”, de acordo com o fabricante. (Electrive – 24.03.2022)

<topo>

4 ESG: Amazon vai operar com caminhões elétricos nas estradas do Reino Unido

A DAF Trucks, parte do grupo norte-americano Paccar, entregou cinco caminhões elétricos modelo CF Electric para a Amazon UK. Os VEs podem transportar até 37 toneladas e se juntar ao que a Amazon chama de sua frota de entrega de “middle mile”. Eles também são os primeiros caminhões elétricos em sua classe que a Amazon está operando na Europa. Em geral, o DAF CF Electric tem um peso bruto combinado de 37 toneladas. O motor elétrico de 210 kW é alimentado por uma bateria de 350 kWh (315 kWh efetivos). O carregamento demora cerca de 75 minutos usando uma estação de carregamento com capacidade de 250 kW. O Diretor de Vendas de Frotas da DAF Trucks, Eelco van Veen, disse: “graças ao planejamento inteligente e carregamento rápido, o CF Electric pode rodar até 500 quilômetros por dia. Esse é um modelo com o qual os operadores realmente podem trabalhar”. A Amazon tem trabalhado para diminuir as emissões de carbono em toda a cadeia logística. Na Europa, a varejista havia apostado em fabricantes locais para encomenda de veículos menores, como veículos de passeio e vans. (Electrive – 27.03.2022)

<topo>

5 ESG: DHL irá incorporar 270 vans elétricas à frota no Reino Unido

A DHL Express apresentará 270 novas vans de e-transit à sua frota do Reino Unido neste verão. Os 270 novos modelos Ford E-Transit devem entrar em serviço entre maio e setembro, atendendo mais de 30 locais diferentes, incluindo Londres, Manchester, Leeds, Birmingham, Bristol, Southampton, Liverpool, Sheffield, Edimburgo e Glasgow. No ano passado, a DHL UK encomendou 50 eSprinters Mercedes-Benz. Isso elevou o número de veículos elétricos na DHL UK na época para 129, incluindo o primeiro caminhão de 16 toneladas totalmente elétrico do Reino Unido. Agora, os novos veículos Ford E-transit irão mais do que triplicar o tamanho da frota de vans elétricas. No Reino Unido, a empresa se comprometeu a ter uma frota de entregas 100% elétrica até 2030. Globalmente, o Deutsche Post DHL Group pretende converter 60% de seus veículos de entrega de última milha até 2030, colocando mais de 80.000 veículos elétricos na estrada. Os E-Transits têm um alcance de 225 quilômetros e uma carga útil de aproximadamente 1.000 kg, o que a DHL diz ser semelhante às vans a diesel que estão substituindo. (Electrive – 23.03.2022)

<topo>

 

 

Eventos e Estudos

1 C-MOVE será realizado em abril na cidade de Santa Catarina

O C-MOVE – Congresso da Mobilidade e Veículos Elétricos realizará sua primeira edição fora de São Paulo, mais precisamente em Balneário Camboriú, cidade de Santa Catarina. O evento tem como objetivo disseminar a eletromobilidade e ampliar o conhecimento sobre veículos híbridos e elétricos ao consumidor final. O Congresso acontecerá nos dias 07 e 08 de abril, no espaço FG Sul, e abordará temas importantes como políticas públicas, infraestrutura e tecnologia que giram em torno da mobilidade híbrida e elétrica. Além de empresas do setor, estará presente também o poder público regional para falar sobre os projetos de eletromobilidade em desenvolvimento. Para saber mais sobre o evento, clique aqui. (Bandeira Franco – 23.03.2022)

<topo>

2 ICCT: Estudo analisa o potencial de eletrificação do sistema de ônibus da Cidade do México

Um estudo realizado por pesquisadores do International Council on Clean Transportation (ICCT) modelou as oportunidades de eletrificação de duas linhas do sistema Metrobús Bus Rapid Transit (BRT) na Cidade do México. Para cada linha do sistema foram analisados diferentes trajetos, custos de infraestrutura, tarifas de energia elétrica, vida útil permitida dos ônibus (10 e 15 anos) e consumo de energia dos veículos. Assim, foram definidas as condições mínimas em cada cenário em que os veículos elétricos atendem a um custo total de propriedade menor do que os veículos convencionais. O documento concluiu que, assim como ocorre em demais cidades da América Latina e do mundo, os ônibus elétricos são uma alternativa viável para a renovação da frota a diesel, não só do ponto de vista econômico, mas também da redução de poluentes locais e climáticos. Para realizar essa transformação tecnológica, no entanto, novos modelos de negócios e financeiros são necessários. O trabalho, porém, sublinha que com o passar do tempo e o dimensionamento dos projetos de eletromobilidade, aliados a uma maior segurança nos mercados, os investimentos e a demanda por veículos elétricos aumentarão, bem como sua infraestrutura associada, reduzindo seus custos. Para ler o estudo na íntegra, clique aqui. (ICCT – 24.03.2022)

<topo>

3 Wood Mackenzie: Capacidade de baterias de íon de lítio pode subir cinco vezes no mundo até 2030

A capacidade global de baterias de íons de lítio pode aumentar mais de cinco vezes, alcançando 5.500 GWh até 2030, disse a consultoria Wood Mackenzie à Reuters, alertando que o fornecimento de baterias seguirá apertado este ano. “O mercado de veículos elétricos responde por quase 80% da demanda por baterias de íons de lítio e os altos preços do petróleo estão incentivando a implementação de políticas de transporte de emissão zero, fazendo a demanda por baterias do tipo disparar”, disse Jiayue Zheng, consultor da Wood Mackenzie. A Ford e a General Motors anunciaram recentemente planos de expansão de VEs, com a Ford pronta para lançar sete modelos elétricos na Europa até 2024 e aprofundar a parceria com a Volkswagen para produzir um segundo veículo elétrico para o mercado europeu. A GM fez parceria com a Posco, da Coreia do Sul, para fabricar materiais de bateria no Canadá, com o objetivo de ter a nova fábrica funcionando até 2025. Fabricantes de baterias estão reagindo à demanda crescente com grandes planos de expansão, mas não conseguirão atender a demanda até 2023, afirmou a consultoria. (O Estado de São Paulo – 22.03.2022)

<topo>

4 Os impactos do preço do níquel nos custos dos VEs

Uma bateria média de carro elétrico contém cerca de 36 quilos de níquel, e agora, ante o conflito entre Rússia e Ucrânia, os fabricantes de automóveis e outras empresas que utilizam níquel, assim como outras matérias-primas para baterias, como lítio ou cobalto, começaram a procurar maneiras de se proteger dos atuais e futuros aumentos de preços. O preço do níquel, que variava entre 10 mil e 15 mil dólares a tonelada, chegou a bater em 100 mil dólares por tonelada no dia 8 de março, levando a Bolsa de Metais de Londres a congelar as negociações. Reagindo a esta crise, a Volkswagen, por exemplo, começou a explorar a compra de níquel diretamente de mineradoras, disse Markus Duesmann, CEO da divisão Audi da montadora, em entrevista ao jornal The New York Times. A perspectiva de tensões geopolíticas duradouras tende a acelerar as ações dos EUA e Europa de desenvolver suprimentos domésticos de commodities que geralmente vêm da Rússia. Existem depósitos de níquel, por exemplo, no Canadá, na Groenlândia e até em Minnesota, na região norte dos EUA. (Mobilize – 21.03.2022)

<topo>

5 IDTechEx: Estudo sobre a infraestrutura de carregamento do futuro

Em estudo realizado sobre a infraestrutura de carregamento de VEs, a IDTechEx, prevê que a maioria das novas instalações de carregamento CC estarão nas classes de potência de mais de 100 kW (carregadores rápidos). De acordo com o estudo, eles representam o futuro do carregamento de veículos elétricos, embora a tecnologia mais rápida esteja atualmente limitada aos carros elétricos mais caros, como Porsche Taycan, Audi e-Tron GT, BMW iX e Lucid Air. A empresa estima que até 2032, eles dobrarão e ocuparão cerca de 44% da participação de mercado. A pesquisa da IDTechEx também descobriu que restrições relacionadas à rede, altos custos de hardware e instalação e interoperabilidade limitada são os maiores obstáculos para a implantação generalizada de HPC. Para ler o conteúdo na íntegra, clique aqui. (Green Car Congress – 24.03.2022)

<topo>


Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe e Luiza Masseno
Pesquisadores: João Pedro Gomes, Leonardo Gonçalves e Vinicius José da Costa
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

As notícias divulgadas no IFE não refletem necessariamente os pontos da UFRJ. As informações que apresentam como fonte UFRJ são de responsabilidade da equipe de pesquisa sobre o Setor Elétrico do Instituto de Economia da UFRJ.

POLÍTICA DE PRIVACIDADE E SIGILO
Respeitamos sua privacidade. Caso você não deseje mais receber nossos e-mails,  Clique aqui e envie-nos uma mensagem solicitando o descadastrado do seu e-mail de nosso mailing.


Copyright UFRJ

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: