IFE.H2 74

Informativo Eletrônico – Geração de Energia com Hidrogênio nº 74 – publicado em 29 de março de 2022.

IFE: Informativo Eletrônico de Hidrogênio – GESEL-UFRJ <!–

l

IFE: nº 74 – 29 de março de 2022
http://gesel.ie.ufrj.br/
gesel@gesel.ie.ufrj.br

Editor: Prof. Nivalde J. de Castro

Índice

Políticas Públicas e Financiamentos
1
Alemanha-Noruega: Colaboração entre os países abordará o transporte de hidrogênio em larga escala
2 Dinamarca aprova nova estratégia de hidrogênio verde e meta de 4-6 GW para 2030
3 Emirados Árabes Unidos e Alemanha fortalecem a colaboração em hidrogênio com vários acordos de parceria estratégica
4 Estados Unidos: DOE investe US$ 2,4 milhões para tecnologias de armazenamento de energia
5 Estados Unidos: Líderes políticos da Virgínia Ocidental planejam hub de hidrogênio

Produção
1 África do Sul: Usina de Energia solar de 100 kW será convertida em hidrogênio verde
2 Alemanha: Thyssenkrupp e STEAG desenvolvem planta de hidrogênio verde de 520 MW
3 Austrália: Planta em Queensland produzirá 50.000 kg de hidrogênio renovável anualmente
4 Colômbia: Ecopetrol lança projeto de hidrogênio verde com capacidade de produção diária de 20kg
5 Finlândia: P2X Solutions está mais próxima de operacionalizar planta de H2V de 20 MW
6 Reino Unido: Mar Celta sediará projeto de produção de hidrogênio verde em escala de gigawatts

Armazenamento e Transporte
1 Luxemburgo: Tenaris testa transporte de hidrogênio em grande gasoduto
2 Suécia: Primeira caverna rochosa do país para armazenamento de hidrogênio verde toma forma

Uso Final
1 Australia: Aviation H2 iniciará a construção da ‘primeira’ aeronave movida a hidrogênio
2 Egito: 125 mil toneladas de hidrogênio verde destinado à produção de amônia
3 Estados Unidos: Delta/Airbus firmam parceria para desenvolvimento de vôos movidos a hidrogênio
4 Fluxo de hidrogênio: trens movidos a hidrogênio para a rede alemã

5 França: Novas estações de hidrogênio planejadas para Paris

Tecnologia e Inovação
1 Austrália: Café para gerar hidrogênio para a siderurgia verde
2 Austrália: Tecnologia inovadora permite a produção de hidrogênio abaixo de US$ 1,50/kg

Eventos
1 Casting Clinic #38 – New Energy for a New Industry
2 Oportunidades Tecnológicas em Energias Renováveis Brasil-Espanha
3 Webinar: “15° Energia em Pauta – Hidrogênio Verde no Ceará: Licenciamento Ambiental”
4 Webinar: “HYDROGEN SYSTEMS FOR GREEN ENERGY STORAGE”

Artigos e Estudos
1 Estudo sobre Harmonização Global de Certificação de Hidrogênio
2 Método de localização de plantas de produção de hidrogênio verde (solar) no Uzbequistão
3 Perspectivas do hidrogênio verde na África
4 Relatório Our Vision for Zero-Carbon Emission Air Travel by FlyZero aborda potencial do hidrogênio na aviação

5 Uma Visão Geral da Produção de Hidrogênio: Situação Atual, Potencial e Desafios



 

 

Políticas Públicas e Financiamentos

1 Alemanha-Noruega: Colaboração entre os países abordará o transporte de hidrogênio em larga escala

Os países da Europa continuam a explorar oportunidades para abandonar a utilização e a dependência de combustível fóssil e gás natural, fato este corroborado pelo acordo realizado entre a Alemanha e a Noruega. Os países pretendem estudar a viabilidade do transporte de hidrogênio através de um gasoduto entre os dois países, aproveitando a infraestrutura de gás norueguesa. A Comissão Europeia já identificou o hidrogênio como um meio de desestabilizar a dependência da UE de combustíveis fósseis e gás da Rússia e, portanto, a cooperação entre os dois países poderia melhorar muito a economia do hidrogênio. Com o encontro entre o primeiro-ministro Jonas Gahr Støre, da Noruega, e o chanceler da Alemanha Olaf Scholz, a cooperação fortalecerá a parceria energética entre os dois países e ampliará o já estabelecido acordo petrolífero. Além disso, os dois países também planejam em conjunto o uso do hidrogênio azul por um período de transição, garantindo a integridade ambiental e climática através dos mais altos padrões possíveis para captura e armazenamento de carbono. (EURACTIV – 17.03.2022)

<topo>

2 Dinamarca aprova nova estratégia de hidrogênio verde e meta de 4-6 GW para 2030

A Dinamarca estabeleceu uma nova meta para produzir 4-6 GW de hidrogênio verde anualmente até 2030 – uma das metas mais altas da Europa – e também realizará uma licitação de DKr 1,25 bilhão (US $ 184 milhões) para produção de H2 renovável. O principal objetivo da nova política é produzir combustível verde a partir do hidrogênio para alimentar aeronaves, navios e caminhões – uma estratégia que ganhou nova urgência após a invasão da Ucrânia pela Rússia. O plano havia sido anunciado originalmente em janeiro e agora avançará depois que o governo minoritário social-democrata conquistou o apoio de todos os principais partidos do parlamento dinamarquês. Tal apoio torna extremamente improvável que um futuro governo anule o acordo. O ministro do Clima e Energia, Dan Jørgensen, disse que o acordo garantirá que o país possa ser um líder no afastamento dos combustíveis fósseis e ajudará a tornar a Europa mais independente de recursos poluentes. O governo dinamarquês disse que a meta de 4-6 GW produzirá cerca de dois milhões de toneladas de hidrogênio verde por ano e acrescentou que apresentará um plano para garantir que a Dinamarca seja um exportador líquido de energia verde, levando em consideração o novo Power-to -X (PtX) objetivo. (Norsk Hydrogen Forum – 17.03.2022)

<topo>

3 Emirados Árabes Unidos e Alemanha fortalecem a colaboração em hidrogênio com vários acordos de parceria estratégica

Os Emirados Árabes Unidos receberam um impulso em suas ambições de hidrogênio no dia 21 de março com a ADNOC garantindo vários acordos de parceria estratégica com as principais empresas alemãs de hidrogênio. Incluídos nesses acordos estão as colaborações com Aurubis, RWE, GETEC e STEAG, com sede na Alemanha, que irão explorar oportunidades em derivados de hidrogênio de baixo carbono e renováveis. Este acordo também prevê a execução das “primeiras” cargas de demonstração de amônia de baixo carbono, produzidas pela Fertiglobe, dos Emirados Árabes Unidos para a Alemanha em 2022. Um acordo de estudo conjunto também foi assinado com a Uniper e a Hydrogenious para explorar o transporte entre os Emirados Árabes Unidos e a Alemanha usando a tecnologia Liquid Organic Hydrogen Carrier (LOHC). Espera-se que o acordo procure dimensionar a tecnologia para criar um método viável e de custo competitivo de transporte em massa de hidrogênio em todo o mundo. (EURACTIV – 22.03.2022)

<topo>

4 Estados Unidos: DOE investe US$ 2,4 milhões para tecnologias de armazenamento de energia

No dia 21 de março, o Escritório de Gestão de Energia Fóssil e Carbono do Departamento de Energia dos EUA (FECM) anunciou US$ 2,4 milhões em financiamento para três projetos de novas tecnologias de armazenamento de energia térmica e de hidrogênio. As tecnologias irão servir para aumentar a duração, confiabilidade e acessibilidade ao H2, através da transição de ativos fósseis existentes para sistemas de energia de baixo carbono, com potencial de longo prazo para apoiar a meta da administração Biden-Harris, uma rede elétrica totalmente descarbonizada até 2035. Os projetos selecionados também apoiam o programa Energy Storage da FECM e o Energy Storage Grand Challenge do DOE, que buscam desenvolver e fabricar tecnologias domésticas de armazenamento de energia que atendam a todas as demandas do mercado dos EUA até 2030 e posicionem os Estados Unidos como líder mundial em armazenamento de energia. (DOE – 21.03.2022)

<topo>

5 Estados Unidos: Líderes políticos da Virgínia Ocidental planejam hub de hidrogênio

Os líderes da Virgínia Ocidental deram um passo fundamental para tornar o Estado um local com potencial para um centro regional para investimentos federais maciços. Os críticos do plano querem que eles dêem um passo atrás e considerem alternativas, argumentando que o plano para reduzir as emissões de produtos intensivos em carbono, como cimento e aço, desperdiçaria subsídios dos contribuintes ao apoiar tecnologias antieconômicas e não reduziria adequadamente as emissões de carbono. Por outro lado, uma coalizão formada pela maioria dos líderes do Congresso da Virgínia Ocidental e o governador Jim Justice apresentou uma proposta formal para participar da competição do Departamento de Energia dos EUA. Para apoiar o plano da Casa Branca de descarbonizar o setor industrial, líderes políticos enxergam como excelente oportunidade um hub de hidrogênio financiado pela agência. A Lei de Empregos e Investimentos em Infraestrutura promulgada em novembro e apoiada pelo senador Joe Manchin, D-W.Va., senadora Shelley Moore Capito, R-W.Va., e o deputado David McKinley, R-W.Va., aloca US $ 8 bilhões para centros regionais de hidrogênio para expandir o uso industrial de hidrogênio. (Senator Shelley Capito – 21.03.2022)

<topo>

 

 

Produção

1 África do Sul: Usina de Energia solar de 100 kW será convertida em hidrogênio verde

A África do Sul pode se tornar um país líder na produção de hidrogênio devido à abundância de fontes de energia renovável e uma nova colaboração visa integrar o projeto de produção de hidrogênio verde em Western Cape. Revelada no dia 22 de março, uma parceria entre o Instituto Sul-Africano de Química Avançada de Materiais (SAIAMC), Keren Energy, Sakhumnotho, Cape Stack e Namaqua Engineering, unirá energia solar à produção de hidrogênio. 100 kW de sistemas solares fotovoltaicos serão usados para criar hidrogênio verde, uma vez acoplados a sistemas de eletrolisadores, com o hidrogênio sendo usado para alimentar várias aplicações industriais e como combustível em veículos com células de combustível. A University of Western Cape (UWC) também está apoiando a economia do hidrogênio, fornecendo educação e treinamento na esfera do hidrogênio, permitindo que profissionais qualificados mantenham a infraestrutura e a tecnologia de hidrogênio. Para isso, a Universidade está preparando graduados com habilidades atualizadas em um novo ambiente energético. O projeto Vredendal, por exemplo, fornece uma plataforma e uma saída para o programa de desenvolvimento humano do SAIAMC, por meio do qual os graduados das Universidades de Tecnologia (UoT) e das faculdades de Educação e Treinamento Técnico Vocacional (TVET) com um nível NQF 5-6 são expostos aos aspectos mais importantes da ambiente de trabalho industrial. (H2 View – 22.03.2022)

<topo>

2 Alemanha: Thyssenkrupp e STEAG desenvolvem planta de hidrogênio verde de 520 MW

A Thyssenkrupp Steel, a representante em inovações em aço e produtos industriais da Thyssenkrupp, e a STEAG, uma empresa que atua em todos os aspectos do processo de geração de energia, realizaram uma parceria para desenvolver uma planta de hidrogênio verde em Duisberg, na Alemanha. A planta contará com eletrolisadores que somarão uma capacidade instalada de 520 MW e será alimentada por energias renováveis. Em termos de uso final, o H2V vai ser utilizado para substituir o coque e o carvão em um forno elétrico, para descarbonizar parte dos processos da produção do aço na empresa da Thyssenkrupp. Espera-se que o investimento do projeto seja realizado até o ano de 2023, enquanto a entrega do sistema está prevista para começar em 2025.<a href=”(STEAG – 21.03.2022)

<topo>

3 Austrália: Planta em Queensland produzirá 50.000 kg de hidrogênio renovável anualmente

A cidade australiana de Chinchilla, localizada no estado de Queensland, em breve abrigará uma nova usina capaz de produzir 50.000 kg de hidrogênio renovável anualmente. A IHI Engineering Australia começará a construção no local em seis meses, tendo recebido um contrato de engenharia, aquisição e construção (EPC) da CS Energy. Apoiando a construção de sua economia de hidrogênio em evolução, o governo de Queensland disse que fornecerá US $ 28,9 milhões para o projeto e uma rede de reabastecimento na região de Western Downs, em Queensland. Mick de Brenni, Ministro de Energia, Renováveis e Hidrogênio de Queensland, disse que o projeto de demonstração atingirá a etapa operacional em 2023. (H2 View – 23.03.2022)

<topo>

4 Colômbia: Ecopetrol lança projeto de hidrogênio verde com capacidade de produção diária de 20kg

Um projeto de produção de hidrogênio na Colômbia deve impulsionar a cadeia de valor de hidrogênio da América Latina, produzindo 20 kg de hidrogênio verde diariamente. Sendo desenvolvido pela Ecopetrol, um eletrolisador PEM de 50kW será acoplado a 270 painéis solares e entrará em operação nos próximos três meses. Espera-se que o projeto piloto apoie a Ecopetrol na coleta de informações sobre hidrogênio verde, sua manutenção, confiabilidade e escalabilidade para aumentar a produção do transportador de energia limpa. Não apenas serão analisados os aspectos técnicos da produção de hidrogênio, mas também os fatores ambientais, servindo também como meio para determinar o impacto no uso de água e eletricidade. Em linha com sua estratégia de inovação, ciência e tecnologia, a Ecopetrol também se associou ao Banco Interamericano de Desenvolvimento, ANDI, iNNpulsa Colômbia, Câmara de Comércio de Cartagena, Sena e seu modelo de Tecnoparques, universidades e outras organizações, para formar o “primeiro ” Centro de Inovação e Tecnologia no Caribe. Este fará parte da rede C-Emprende do país, um laboratório que proporá soluções para os desafios da transição energética e petroquímica, tendo o hidrogénio como peça central no seu desenvolvimento. (Ecopetrol – 18.03.2022)

<topo>

5 Finlândia: P2X Solutions está mais próxima de operacionalizar planta de H2V de 20 MW

A P2X Solutions está mais perto de concluir o desenvolvimento de seu projeto que tem como intuito principal construir uma planta de H2V na Finlândia. A planta vai ser movida a partir de energias renováveis que alimentarão um eletrolisador alcalino com capacidade de 20 MW. O fornecimento deste eletrolisador acontecerá em 2023 e estará operacional em 2024, conforme foi anunciado recentemente pela Sunfire, empresa que vai fornecer a tecnologia, portanto o projeto está mais perto de ser concluído. Por fim, em termos de uso final, o gás será utilizado em diversas aplicações, sobretudo na produção de biocombustíveis sintéticos, a fim de descarbonizar o setor de transportes da região. (Sunfire – 22.03.2022)

<topo>

6 Reino Unido: Mar Celta sediará projeto de produção de hidrogênio verde em escala de gigawatts

O Mar Celta, no Reino Unido, pode se tornar o lar de um novo projeto de hidrogênio verde em larga escala que visa acoplar parques eólicos flutuantes com eletrolisadores para aproveitar a energia renovável da região. Sendo desenvolvido pela ERM Dolphyn e Source Energie, o projeto visa garantir 2 GW de energia que poderia gerar hidrogênio verde doméstico para descarbonizar indústrias e empresas locais. A primeira instalação de desenvolvimento apelidada de Dylan terá como alvo a implantação em 2027/2028 e estará situada na costa de Pembrokeshire. O local foi identificado pelas empresas com base em um processo de seleção de local em fases, que incluiu análise de recursos e restrições regionais e uma revisão de alto nível de remessa e navegação. Além disso, o local também tem um potencial de expansão significativo e pode suportar o dimensionamento da produção de hidrogênio na área, caso a demanda do mercado continue a aumentar. (ERM Dolphyn – 23.03.2022)

<topo>

 

 

Armazenamento e Transporte

1 Luxemburgo: Tenaris testa transporte de hidrogênio em grande gasoduto

A Tenaris, empresa metalúrgica multinacional, realizou uma atividade experimental para qualificar tubos de médio e grande diâmetro para transporte de hidrogênio gasoso de alta pressão com teor de hidrogênio de até 100% a 200 bar. Os dutos pressurizados são considerados uma solução relevante para o transporte de energia molecular desde a produção ou armazenamento até o ponto de consumo. Devido à suscetibilidade do aço à fragilização por hidrogênio, o material do duto precisa ser qualificado para demonstrar sua disponibilidade para o transporte de hidrogênio. As novas normas e diretrizes exigem caracterizações específicas em ambientes gasosos e a Tenaris está atendendo à necessidade de materiais confiáveis e de alto desempenho em ambientes de hidrogênio com o desenvolvimento do THEra, uma nova tecnologia que oferece um material reciclável e duradouro com um ciclo de vida do produto verificado. (Tenaris – 15.03.2022)

<topo>

2 Suécia: Primeira caverna rochosa do país para armazenamento de hidrogênio verde toma forma

A empresa siderúrgica SSAB, sediada em Vattenfall, e a mineradora estatal sueca LKAB anunciaram que chegaram à metade da construção de uma instalação de armazenamento de hidrogênio verde em cavernas rochosas perto de Luleå, no norte da Suécia. O grupo de pesquisa estima que a Europa tenha potencial técnico para armazenar 84,8 PWh de hidrogênio em depósitos e cúpulas de sal. A instalação do “Hybrit” de 100 metros cúbicos está sendo construída 30 metros abaixo do solo. Espera-se que comece a operar em 2022 e atinja a capacidade total em 2024. A caverna está sendo construída através da chamada abordagem de caverna de rocha alinhada (LRC), que envolve a cobertura das paredes da caverna com um material selecionado como camada de vedação. As três empresas estão investindo um total de cerca de US$ 21,1 milhões em três partes iguais nas novas instalações e a Agência Sueca de Energia está contribuindo com US$ 5,3 milhões. (LKAB – 18.03.2022)

<topo>

 

 

Uso Final

1 Australia: Aviation H2 iniciará a construção da ‘primeira’ aeronave movida a hidrogênio

A Aviation H2 concluiu sua pesquisa inicial para alcançar aeronaves movidas a hidrogênio até 2023. Dessa forma, a empresa voltará sua atenção para a construção de um primeiro protótipo, começando com a modificação dos motores turbofan para funcionar com hidrogênio. O hidrogênio pode ser uma tecnologia revolucionária para a indústria da aviação, fornecendo uma base para estender os tempos de voo e criar um mercado de emissão zero que é o mais próximo das viagens aéreas contemporâneas. Um aspecto crucial do projeto será desenvolver um método de última geração para converter aeronaves existentes em um motor movido a hidrogênio com a maioria da certificação básica mantida. Ao longo dos últimos meses e da duração da pesquisa, a Aviation H2 analisou vários caminhos para alimentar o avião, incluindo o uso de amônia em vez de combustível de aviação, hidrogênio puro, co-disparo e o uso de motores elétricos. (H2 View– 24.03.2022)

<topo>

2 Egito: 125 mil toneladas de hidrogênio verde destinado à produção de amônia

No Egito os projetos relacionados a hidrogênio estão aumentando continuamente. A Petrofac, com seu último projeto, visa desenvolver uma instalação de hidrogênio verde de 125.000 toneladas por ano destinado à obtenção de amônia. A Petrofac afirma que a amônia verde produzida nesta nova instalação será usada principalmente para exportação, apoiando a comunidade global de hidrogênio e as metas de descarbonização. As exportações serão realizadas através de uma instalação baseada no porto de Ain Sokhna, no Golfo de Suez. O projeto está atualmente em estágio inicial, sendo analisada a viabilidade da instalação. Alex Haynes, chefe de desenvolvimento de negócios e de novos serviços de energia da Petrofac, afirma: “O Egito está se movendo rapidamente para desenvolver suas vantagens naturais para a energia verde com seus abundantes recursos solares e eólicos, juntamente com sua localização geográfica estratégica para exportar produtos com zero carbono, e a Petrofac está entusiasmada por apoiar esse crescimento.” (H2 View – 18.03.2022)

<topo>

3 Estados Unidos: Delta/Airbus firmam parceria para desenvolvimento de vôos movidos a hidrogênio

A Delta Airlines se tornou a primeira companhia aérea sediada nos EUA a colaborar com a Airbus para acelerar o desenvolvimento de aeronaves movidas a hidrogênio, enquanto procura liderar seu plano Flight to Net Zero. A dupla anunciou no dia 17 de março, a colaboração que se concentra nos voos descarbonizados e no ecossistema necessário para apoiar a mudança para energia limpa. Como parte do acordo, a Delta disse que identificará as necessidades da frota e da rede, bem como os requisitos operacionais e de infraestrutura necessários para desenvolver aeronaves comerciais movidas a hidrogênio. As notícias da colaboração são a primeira de muitas parcerias com a Airbus, já que a fabricante de aeronaves pretende ter o primeiro voo comercial movido a hidrogênio até 2030. (H2 View – 18.03.2022)

<topo>

4 Fluxo de hidrogênio: trens movidos a hidrogênio para a rede alemã

Representantes da Siemens Mobility e Bayerische Regiobahn (BRB) assinaram um contrato de arrendamento para o primeiro trem movido a hidrogênio na Baviera. “O trem de dois carros movido a hidrogênio de última geração será apresentado ao público na primavera de 2022. O trem será testado na rota Augsburg-Füssen, entre outras rotas, a partir de meados de 2023. As operações piloto na malha ferroviária de Bayerische Regiobahn (BRB) estão previstas inicialmente para 30 meses. Espera-se que o trem comece a operar para passageiros a partir de janeiro de 2024”, escreveu a Siemens Mobility na quarta-feira. O contrato é uma continuação da carta de metas assinada em julho de 2021. O trem utiliza células de combustível montadas no teto e baterias sob o piso fornecidas pela Saft. (PV Magazine – 18.03.2022)

<topo>

5 França: Novas estações de hidrogênio planejadas para Paris

Em um marco importante para a cidade de Paris, a Nel Hydrogen Fueling afirmou que recebeu um pedido de vários módulos H2 Station™ da HysetCo, para apoiar sua frota de veículos de emissão zero, na região. Pioneira em mobilidade a hidrogênio, a HysetCo já possui o que se acredita ser a maior frota mundial de táxis movidos a hidrogênio na capital, operada pela Hype. Em relação à infraestrutura, a empresa confirmou planos para operar aproximadamente 20 estações de hidrogênio até 2024. A instalação dos módulos H2Station™ é parcialmente financiada com o apoio da parceria público-privada Clean Hydrogen Partnership e a Fuel Cells and Hydrogen Joint Undertaking (FCH JU). (H2 View – 21.03.2022)

<topo>

 

 

Tecnologia e Inovação

1 Austrália: Café para gerar hidrogênio para a siderurgia verde

O Centro SMaRT da Universidade de Sydney (UNSW) descobriu que o café poderia fornecer um meio de produzir hidrogênio em vez de coque e carvão para aço verde. O projeto oferece uma oportunidade de apoiar o hidrogênio na indústria siderúrgica, além de fornecer um meio inovador de produção. Para realizar o processo, a tecnologia de injeção de polímero de aço verde (PIT) da SMaRT@UNSW foi testada em colaboração com a Molycop, revelando que vários produtos a base de água podem ser usados para produzir aço sustentável em fornos elétricos a arco. A professora Veena Sahajwalla, diretora do UNSW SMaRT Centre, disse: “As siderúrgicas precisam atender às demandas dos requisitos de qualidade. O metal que é produzido não tem nenhuma memória se a matéria prima original era carvão ou café. Nós provamos que é possível realizar o trabalho em um nível comparável, então pretendemos alcançar um desempenho equivalente”. (UNSW – 21.03.2022)

<topo>

2 Austrália: Tecnologia inovadora permite a produção de hidrogênio abaixo de US$ 1,50/kg

A célula de eletrólise alimentada por capilaridade foi inventada por cientistas da Universidade de Wollongong e agora está sendo comercializada pela Hysata, com o apoio do IP Group e da Clean Energy Finance Corporation (CEFC). A tecnologia é capaz de produzir hidrogênio verde a partir da água com 98% de eficiência energética o que, segundo a empresa, está bem acima da meta de 2050 da IRENA. Essa inovação apoiará as ambições da Austrália de reduzir o custo do hidrogênio verde para apoiar sua adoção mais ampla. Paul Barrett, CEO da Hysata, disse: “Nossa tecnologia permitirá a produção de hidrogênio abaixo de US$ 1,50/kg até meados da década de 2020, atingindo as metas de custo australianas e globais muito antes do esperado. Isso é fundamental para tornar o hidrogênio verde comercialmente viável e descarbonizar setores difíceis de reduzir. Para ler a pesquisa na íntegra clique aqui. (Hysata – 16.03.2022)

<topo>

 

 

Eventos

1 Casting Clinic #38 – New Energy for a New Industry

O CITNM – (Centre for Innovation and Technology N. Mahalingam) está organizando um evento online que ocorrerá no dia 31 de março de 2022. Esta sessão terá a participação do Eng.º Manuel Ferreira, da ReGa Energy, e será dedicada ao processo de descarbonização a partir de soluções para Hidrogénio Verde. Num panorama de novos desafios de abastecimento de energia e crise energética, os novos projetos de energia verde são uma importante contribuição para resolver este problema. Para participar do evento, clique aqui. (CITNM – Março de 2022)

<topo>

2 Oportunidades Tecnológicas em Energias Renováveis Brasil-Espanha

No dia 28 de março, a Firjan organizou um evento virtual para conhecer as capacidades tecnológicas do setor de Energia Renovável (Solar, Eólica e Hidrogênio Verde) e saber mais sobre a cooperação tecnológica entre empresas e entidades espanholas e brasileiras. Em um primeiro momento foi explicado brevemente o estado do setor na Espanha e no Brasil e em seguida as entidades espanholas e brasileiras tiveram a oportunidade de se apresentar. Por fim, ocorreram reuniões B2B entre as entidades participantes do evento. (Firjan – Março de 2022)

<topo>

3 Webinar: “15° Energia em Pauta – Hidrogênio Verde no Ceará: Licenciamento Ambiental”

No dia 31 de março de 2022, a Sindienergia Ceará realizará um webinar do evento 15º Energia em Pauta, discutindo “Hidrogênio Verde no Ceará: Licenciamento Ambiental Descomplicado”. O evento será online, a partir das 17h, e contará com a participação de Laiz Hérida, CEO da HL Soluções Ambientais (que também fará a moderação do evento); Gustavo Silva, Diretor de Operações da Qair Brasil; Jurandir Picanço, Consultor de Energia da FIEC, e Carlos Alberto, Superintendente da Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace). Clique aqui para se inscrever. (Sindienergia Ceará – Março de 2022)

<topo>

4 Webinar: “HYDROGEN SYSTEMS FOR GREEN ENERGY STORAGE”

A Climate Transformed está organizando um evento para o dia 31 de março de 2022. A apresentadora do Climate Transformed, Karolin Schaps, entrevista Martina Wettin, cofundadora e membro do conselho da Nilsson Energy, uma empresa sueca que fornece sistemas descentralizados de produção de hidrogênio verde. Ela também é membro do Conselho da Associação Sueca de Hidrogênio e membro da rede Women in Green Hydrogen. Martina e Karolin discutirão como os sistemas de hidrogênio verde em pequena escala podem ser usados para qualquer coisa, desde serviços de flexibilidade para a rede elétrica até mobilidade limpa. Para se inscrever, clique aqui. (Climate Transformed – Março de 2022)

<topo>

 

 

Artigos e Estudos

1 Estudo sobre Harmonização Global de Certificação de Hidrogênio

A certificação de hidrogênio renovável e seus derivados serve a diversos propósitos. É uma ferramenta essencial para demonstrar o cumprimento dos critérios definidos no respectivo quadro regulamentar. Uma vez que este passo é dado, consumidores e empresas podem creditar hidrogênio renovável para obrigações do setor privado ou mesmo beneficiar de compromissos voluntários. Além disso, a disposição em se pagar preços mais altos pelo hidrogênio renovável depende da estrutura regulatória para a qual a certificação é um requisito. Dessa maneira, este relatório analisa se um sistema de certificação global uniforme para hidrogênio renovável é viável. Para isso, onze regulamentos/padrões de certificação de hidrogênio são avaliados em relação a suas semelhanças, diferenças e potencial de harmonização. (Dena – 2022)

<topo>

2 Método de localização de plantas de produção de hidrogênio verde (solar) no Uzbequistão

O Uzbequistão é um país em desenvolvimento com crescente demanda de energia, em meio a diversos problemas no setor de fornecimento de energia. A maior parte do fornecimento de energia do país vem do gás natural. Entretanto, uma grande parte da demanda de energia do Uzbequistão pode ser suprida por energia solar, com especial interesse na produção de hidrogênio verde. O objetivo deste estudo é determinar a posição do uso da energia solar para a produção de hidrogênio verde em 13 províncias do Uzbequistão. (Sustainable Energy Technologies and Assessments – 2022)

<topo>

3 Perspectivas do hidrogênio verde na África

A África é abundante em fontes de energia renovável que podem ajudar a atender a demanda de eletricidade do continente de forma a promover o crescimento econômico e a cumprir as metas globais de redução de CO2. O hidrogênio verde é considerado uma das tecnologias mais promissoras para geração, transporte e armazenamento de energia. Neste artigo, as perspectivas do potencial de produção de hidrogênio verde na África são investigadas juntamente com sua utilização para implementação futura. Além disso, é apresentada uma visão geral dos benefícios da mudança para a tecnologia do hidrogênio verde. A infraestrutura e as políticas africanas atuais são testadas em relação às metas e objetivos futuros. Além disso, o estudo abrange uma avaliação teórica, ambiental, tecnológica e econômica detalhada, levando em consideração as demandas energéticas locais. (Energy Reports – 2022)

<topo>

4 Relatório Our Vision for Zero-Carbon Emission Air Travel by FlyZero aborda potencial do hidrogênio na aviação

O relatório Our Vision for Zero-Carbon Emission Air Travel by FlyZero concluiu que as metas de zero emissão líquida para 2050 podem ser alcançadas por meio do desenvolvimento de combustível de aviação sustentável (SAF) e de tecnologias de hidrogênio verde líquido. Isso ampliaria o mercado de aviação do Reino Unido com novas tecnologias de emissão zero, fornecendo uma base para dimensionar a tecnologia e estimular a inovação no setor. O relatório prevê que aeronaves movidas a hidrogênio líquido entrem em serviço no Reino Unido em 2035. Ademais, o estudo também concluiu que o hidrogênio líquido poderia alimentar uma aeronave de médio porte com 280 passageiros de Londres a São Francisco diretamente, ou de Londres a Auckland com apenas uma parada. (Aerospace Technology Institute – 2022)

<topo>

5 Uma Visão Geral da Produção de Hidrogênio: Situação Atual, Potencial e Desafios

Atualmente, cerca de 80% de todo o hidrogênio produzido no mundo é via reforma de metano a vapor com uma eficiência energética de 74 a 85%. Entretanto, o hidrogênio só poderia ser contado como um gás renovável e limpo se a energia necessária para produzir hidrogênio viesse de uma fonte renovável, como energia eólica ou solar. Dentre as tecnologias de produção de hidrogênio, a eletrólise contribui com, no máximo, 4% da demanda total de energia do mundo e isso implica em um custo de produção e eficiência energética estimados, para eletrólise, de cerca de 10,3 $/kg e 52%, respectivamente. A eletrólise, um processo intensivo de energia para a produção de hidrogênio, ainda enfrenta diversos desafios para tornar-se economicamente viável. Enquanto tem sido relatado que a plasmólise é competitiva face à eletrólise, com uma taxa de produção de 20 g/kWh, com custo e eficiência estimados de 0,09 €/kWh ou 6,36 $/kg e 79,2%, respectivamente. A plasmólise conta ainda com a vantagem do baixo consumo de energia, com tamanho do equipamento e custo principal reduzidos. Esta revisão destaca o status atual, o potencial e os desafios da produção de hidrogênio renovável e não renovável. Um sistema descentralizado para geração de hidrogênio, combinando a estratégia proposta com a energia solar, foi sugerido para reduzir as pegadas de carbono. (Fuel – 2022)

<topo>


Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Luiza Masseno e Sayonara Andrade Elizário
Pesquisadores: Allyson Thomas,
José Vinícius S. Freitas, Kalyne Silva Brito e Luana Oliveira 
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

As notícias divulgadas no IFE não refletem necessariamente os pontos da UFRJ. As informações que apresentam como fonte UFRJ são de responsabilidade da equipe de pesquisa sobre o Setor Elétrico do Instituto de Economia da UFRJ.

POLÍTICA DE PRIVACIDADE E SIGILO
Respeitamos sua privacidade. Caso você não deseje mais receber nossos e-mails,  Clique aqui e envie-nos uma mensagem solicitando o descadastrado do seu e-mail de nosso mailing.


Copyright UFRJ

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: