IFE.TEX 78

Informativo Eletrônico – Tecnologias Exponenciais nº 78 – publicado em 22 de março de 2022.

IFE: Informativo Eletrônico de Tecnologias Exponenciais – GESEL-UFRJ <!–

l

IFE: nº 78 – 22 de março de 2022
http://gesel.ie.ufrj.br/
gesel@gesel.ie.ufrj.br

Editor: Prof. Nivalde J. de Castro

Índice

Transição Energética e ESG
1
Índia ultrapassa 50 GW de energia solar
2 Alemanha: Transição para energia eólica será acelerada
3 Escócia acelerará energias renováveis em função dos custos de energia
4 Transição energética desencadeia declínio na demanda de gás na Austrália Oriental
5 Ucrânia: Metade da capacidade de energia renovável da sob ameaça
6 Macedônia do Norte: BEI reafirma o compromisso com a transição verde
7 Banco Santander forneceu mais de € 32 bilhões em financiamento para projetos renováveis
8 Neoenergia/BNB: Parceria para o financiamento de energia solar
9 Competição de financiamento fortalecerá tecnologias de transição energética
10 EUA: 1° reunião ministerial do Fórum de Produtores Neutros

Geração Distribuída
1 Geração distribuída passa a ser certificada pelo Programa Brasileiro de Energia Renovável
2 China planeja atingir 50 GW em capacidade de geração distribuída
3 Índia instalou 1,7 GW de geração distribuída em 2021
4 Caravana solar alimentando o veículo elétrico
5 Espanha: Ilhas Baleares licitam 40 projetos de autoconsumo
6 BNDES: Financiamento de energia solar para consumidores na região norte

Armazenamento de Energia
1 Honeywell projeta que mercado global de armazenamento deve chegar a US$ 37 bi em 2030
2 Mercado global de armazenamento de energia e os seus desafios
3 Huawei e Meinergy irão desenvolver projeto de armazenamento solar em Gana

4 Sistema de armazenamento de energia melhora a segurança do abastecimento no Ártico norueguês

5 Mercado solar da Califórnia agora é um mercado de baterias

6 Maior projeto de geração solar com bateria do mundo recebe aumento no financiamento

Veículos Elétricos
1 Volvo testa carregamento sem fio para veículos elétricos
2 Índia: Infraestrutura pública de carregamento de veículos elétricos se expande
3 NREL: Caminhões neutros terão custos competitivos na próxima década
4 Espanha: Saragoça incorpora ônibus elétricos na rede de transportes

5 Espanha: Governo aprova o regulamento dos serviços de carregamento de veículos elétricos
6 GM terá carregamento bidirecional para veículos elétricos
7 Empresas de energia irão oferecer tarifas especiais para usuários de carros elétricos

Eficiência Energética
1 CPFL divulga cronograma de eficiência energética em 2022
2 Ivace: Programa de Iluminação Pública de Baixo Consumo recebe 52 inscrições de municípios
3 Califórnia: Financiamento de projetos de cidades inteligentes com eficiência energética
4 EUA: DOE concede US$ 32 milhões para acelerar a modernização de edifícios de última geração

Microrredes e VPP
1 Microrredes oferecem vantagens às concessionárias de veículos
2 Siemens fornecerá a Qatar Solar Energy a primeira microrrede da região
3 Projeto de microrredes nos alpes europeus irá desenvolver um modelo de microrredes alpinas
4 Microrredes podem ajudar comunidades em casos de desastre naturais

5 Microrredes para melhorar a resiliência e sustentabilidade de data centers

Tecnologias e Soluções Digitais
1 DEWA conclui metas de curto prazo de transição para uma rede mais inteligente
2 Constellation e Microsoft desenvolverão tecnologia para atender clientes com metas de emissões

Segurança Cibernética
1 UL publica relatório sobre segurança cibernética para recursos energéticos distribuídos
2 EUA: SEC pressiona por regras mais rígidas relacionadas à segurança cibernética

Eventos
1 SPEnergy Talks: Posicionamento do Brasil quanto às metas pós COP26
2 WelectricTalk ep. 3: Rede de Carregamento em Portugal: como melhorar?
3 Global Energy Transition Masterclass 2022
4 ABSOLAR Meeting: Evento para ampliar projetos de energia solar

Artigos e Estudos
1 Artigo sobre a cobrança de ICMS sobre tarifas na geração de energia distribuída
2 Artigo “Marco Legal da GD: impactos na rentabilidade e a importância da valoração dos seus benefícios”
3 Relatório: “Global Energy Review: CO2 Emissions in 2021”
4 IRENA: “Indicadores de inovação em tecnologia renovável: mapeando o progresso em custos, patentes e padrões”

5 IRENA: “Roteiro de energia renovável para a América Central: rumo a uma transição energética regional”
6 Relatório AIE: “Um plano de 10 pontos para reduzir a dependência da União Europeia do gás natural russo”

 

 

Transição Energética e ESG

1 Índia ultrapassa 50 GW de energia solar

A Índia adicionou 3,17 GW de energia solar no quarto trimestre de 2021 e cerca de 80% (2,5 GW) do total foi de capacidade em grande escala. Da capacidade restante, 16% (520MW) foi de energia solar no telhado, enquanto apenas 4% (120MW) foi de capacidade fotovoltaica fora da rede, de acordo com o último relatório trimestral da Bridge To India, provedora de serviços de consultoria sobre o mercado indiano de energias renováveis. A capacidade fotovoltaica instalada acumulada no país era de 50,5 GW em 31 de dezembro de 2021, que inclui 40,4 GW de projetos de grande escala, 8,57 GW de energia solar no telhado e 1,47 GW de capacidade fora da rede. A capacidade total de projetos, em vários estágios de desenvolvimento, foi de 63,3 GW. (PV Magazine – 14.03.2022)

<topo>

2 Alemanha: Transição para energia eólica será acelerada

À medida que a guerra entre a Ucrânia e a Rússia continua, os produtores americanos de petróleo e gás esperam que o mercado europeu se volte para eles para substituir o gás russo. Mas alguns países da Europa, e especificamente a Alemanha, estão de olho em um caminho diferente: acelerar a transição em direção a 100% de energias renováveis. Segundo o Robert Habeck, ministro da economia e clima do país, a intenção do governo é agilizar a implementação de emendas à Lei de Fontes de Energia Renováveis. A lei duplicaria a capacidade eólica onshore da Alemanha de 55 para 110 GW, além de aumentar a capacidade eólica offshore para 30 GW. (REVE – 12.03.2022)

<topo>

3 Escócia acelerará energias renováveis em função dos custos de energia

O Ministro da Energia escocês almeja acelerar a implantação de energias renováveis como forma de lidar com o aumento dos custos de energia. De acordo com o Michael Matheson, secretário do Gabinete para Transição Energética, Energia e Transporte, agora “mais do que nunca” o país precisa reexaminar seu sistema de energia. O secretário enxerga como as pessoas em toda a Escócia estão enfrentando o aumento dos preços da energia, bem como o aumento da inflação. A natureza altamente imprevisível dos preços do petróleo e do gás ressalta a necessidade de acelerar a descarbonização do sistema de energia nos próximos anos. Por fim, Matheson afirmou que “um bom progresso já foi feito, citando o sucesso da implantação de energia eólica onshore e outras energias renováveis.” (Renews Biz – 08.03.2022)

<topo>

4 Transição energética desencadeia declínio na demanda de gás na Austrália Oriental

Os mercados de gás e energia da Austrália Oriental estão na vanguarda da transição energética da Ásia-Pacífico. De acordo com uma empresa da Verisk, os mercados estão passando por uma transformação radical, que pode resultar na queda da demanda de gás de 60% em 2050, dependendo do ritmo da transição energética. Nos últimos anos a demanda de gás da Austrália Oriental caiu, em parte devido à pandemia, mas principalmente por consequência do rápido crescimento das energias renováveis. Lucy Cullen, analista principal da equipe de gás da Ásia-Pacífico da Wood Mackenzie, disse que “é quase certo que a transição energética reduzirá a demanda doméstica de gás da Austrália no longo prazo; a questão chave é com que rapidez.” (Wood Mackenzie – 08.03.2022)

<topo>

5 Ucrânia: Metade da capacidade de energia renovável da sob ameaça

De acordo com a Associação Ucraniana de Energia Renovável (UARE), metade da capacidade de energia renovável da Ucrânia, somando 9.500 MW, está ameaçada de destruição total ou parcial como consequência da guerra russa contra o país. A UARE afirma que 47% da capacidade instalada das usinas de energia renovável está localizada nas regiões, que têm sido afetadas pelo conflito. A grande maioria dos parques eólicos na Ucrânia foi construída no sul do país, região com o maior potencial eólico – Zaporizhzhia, Kherson, Mykolaiv e Odesa. Segundo a UARE, 89% da capacidade dos parques eólicos está localizada em áreas com hostilidades ativas em andamento e outros 9% estão localizados próximas a estas regiões. (Renews Biz – 11.03.2022)

<topo>

6 Macedônia do Norte: BEI reafirma o compromisso com a transição verde

O Banco Europeu de Investimento (BEI) reforçou o apoio financeiro e técnico a projetos de adaptação às alterações climáticas e de eficiência energética em conformidade com o Plano Econômico e de Investimento na Macedônia do Norte após visita à região. Reuniões bilaterais ajudaram a identificar novas possibilidades para ampliar a cooperação no âmbito da nova sucursal global do BEI, que visa aumentar o apoio a países fora da União Europeia. Até à data, o Grupo BEI investiu 1,1 bilhões euros no desenvolvimento econômico e social da região. (EE Online – 11.03.2022)

<topo>

7 Banco Santander forneceu mais de € 32 bilhões em financiamento para projetos renováveis

O Banco Santander financiou ou assessorou projetos de energia renovável greenfield com capacidade instalada total de cerca de 13,6 GW, contribuindo para a expansão, melhoria e manutenção de projetos de infraestrutura de energia renovável existentes (brownfield), que têm capacidade instalada total de 1.776 MW. Os projetos renováveis financiados podem gerar energia equivalente ao consumo anual de 9,2 milhões de residências. Além disso, o banco lançou seu terceiro título verde, que arrecadou € 1 bilhão e a entidade destinou mais de 32 bilhões de euros em 2021 para financiamento verde, como financiamento de projetos, empréstimos sindicalizados, títulos verdes, financiamento de capital, assessoria, estruturação e outros produtos, segundo um comunicado. (Energías Renovables – 11.03.2022)

<topo>

8 Neoenergia/BNB: Parceria para o financiamento de energia solar

A Neoenergia e o Banco do Nordeste (BNB) firmaram uma parceria para facilitar o acesso à energia solar por clientes residenciais. Neste panorama, os correntistas do banco terão condições de financiamento especiais e agilidade nas tratativas para adquirir sistemas fotovoltaicos da companhia elétrica. A contratação será por meio do FNE Sol Pessoa Física, linha de crédito no âmbito do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste que permite a captação de até 100% do investimento. O limite do aporte é de até R$ 100 mil, com prazo de pagamento de até oito anos e carência de até seis meses. Já a vida útil dos equipamentos supera 20 anos. (CanalEnergia – 11.03.2022)


<topo>

9 Competição de financiamento fortalecerá tecnologias de transição energética

O Programa de Inovação Aberta 2022 de US$ 13,1 milhões visa desenvolver e implantar tecnologias neutras para acelerar a produção de energia limpa e reduzir as emissões. A competição é organizada pelo Net Zero Technology Centre, que visa desenvolver e implantar tecnologia para alcançar um setor de energia limpa acessível. O programa de 2022 será dividido em duas competições, a 1° primeira foi aberta no dia 16 de março e contará com um orçamento de US$ 9,2 milhões e a 2° está prevista para outubro, empresas de todo o mundo podem se inscrever. (Smart Energy – 09.03.2022)

<topo>

10 EUA: 1° reunião ministerial do Fórum de Produtores Neutros

Jennifer M. Granholm, secretária de Energia dos Estados Unidos (EUA), juntamente com Ministros de Energia do Canadá, Noruega, Qatar e Arábia Saudita, lançaram formalmente o Fórum de Produtores Neutros (NPF) através de uma reunião ministerial inaugural. Durante a reunião, os ministros endossaram o Termo de Referência da iniciativa, que codifica os objetivos e o quadro do NPF. O objetivo da iniciativa é fornecer a oportunidade para os principais produtores de energia liderarem o caminho para alcançar a neutralidade das emissões de gases do efeito estufa até 2050. (EE Online – 10.03.2022)

<topo>

 

 

Geração Distribuída

1 Geração distribuída passa a ser certificada pelo Programa Brasileiro de Energia Renovável

Associação Brasileira de Geração Distribuída (ABGD) e do Instituto Totum, certificador acreditado pela Secretaria de Previdência Social e emissor do I-REC, assinaram um termo que inclui a geração distribuída de energia fotovoltaica no Programa Brasileiro de Energia Renovável, garantindo a certificação para a tecnologia. Os títulos garantem o rastreamento de atributos ambientais de energia facilitando a contabilidade confiável de carbono, compatível com padrões internacionais. A iniciativa representa mais um passo na consolidação da energia fotovoltaica no Brasil. (ABGD – 17.03.2022)

<topo>

2 China planeja atingir 50 GW em capacidade de geração distribuída

O Ministério da Habitação e Construção Urbano-Rural (MOHURD) divulgou um plano de desenvolvimento que visa implementar 50 GW de energia fotovoltaica integrada em telhados e edifícios (BIPV) até o final de 2025. O ministério disse que promoverá uma série de novas políticas e padrões para o projeto e construção de edifícios. (PV Magazine – 11.03.2022)

<topo>

3 Índia instalou 1,7 GW de geração distribuída em 2021

Em 2021, a Índia instalou 1,7 GW de energia solar distribuída, representando a sua maior adição anual de capacidade até o momento. De acordo com o relatório da Mercom India Research, empresa de pesquisa e consultoria sobre a transição energética na Índia, houve um aumento de 210% ano a ano no número de instalações. Os segmentos residencial e comercial representaram, respectivamente, 35% e 33% de toda a capacidade instalada. Já as instalações industriais representaram 26% do total, enquanto os 6% restantes vieram do segmento governamental. Segundo o relatório, a capacidade acumulada de geração em telhados ultrapassou a marca 7 GW em 31 de dezembro de 2021, sendo o estado de Gujarat o que possui a maior capacidade, seguido por Maharashtra e Rajasthan. (PV Magazine – 10.03.2022)

<topo>

4 Caravana solar alimentando o veículo elétrico

A Universidade de Ciências Aplicadas e Artes de Lucerna, na Suíça, está desenvolvendo uma casa móvel movida a energia solar em forma de borboleta, que é capaz de recarregar o veículo elétrico que o reboca e todos os equipamentos dentro dele. O sistema fotovoltaico, quando completamente desdobrado, pode atingir uma superfície de até 80 m² graças às “asas de borboleta” que podem ser implantadas em ambos os lados. Segundo a universidade, o SolarButterly está sendo construído com materiais altamente avançados, incluindo resíduos de plástico recolhidos no mar e transformados por meio de um processo único para ser o principal material utilizado na construção do Butterfly. (PV Magazine – 11.03.2022)

<topo>

5 Espanha: Ilhas Baleares licitam 40 projetos de autoconsumo

O Instituto Balear de Energia (IBE) licitou os primeiros 40 projetos do Plano de Autoconsumo do Governo das Ilhas Baleares, que irão gerar os primeiros 9,5 MW de potência dos 60 MW previstos. No total, a licitação foi no valor de cerca de 162 mil euros, e está dividida em quatro lotes que incluem projetos das quatro ilhas. Ao todo, serão desenvolvidos 18 projetos em Maiorca, cinco em Ibiza e Menorca e dois em Formentera. Em termos de potência, os projetos preveem a instalação de 7,29 MW em Maiorca, 1,62 MW em Menorca, 489 kW em Ibiza e 164 kW em Formentera. Deste modo, o Plano de Autoconsumo das Ilhas Baleares vai reduzir a fatura de eletricidade da administração local em 13 milhões de euros anuais e pretende instalar até 60 MW de energia nova através de energia fotovoltaica. (Energías Renovables – 10.03.2022)

<topo>

6 BNDES: Financiamento de energia solar para consumidores na região norte

Os consumidores finais de energia elétrica da região norte do Brasil, principalmente da Amazônia, poderão acessar os recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para financiar placas fotovoltaicas sem a intermediação de bancos. A iniciativa piloto terá o apoio da Solfácil, fintech especializada em financiar a instalação de sistemas de microgeração solar fotovoltaica, que será responsável por avaliar a capacidade do contratante e do contratado, além de verificar a viabilidade do sistema para o consumidor antes de aprovar o crédito. O objetivo é promover a geração solar distribuída na região Norte, onde existem problemas no fornecimento de energia e cerca de 250 sistemas isolados que utilizam geradores à diesel para o fornecimento de eletricidade, segundo dados da EPE. A linha de financiamento, chamada “Amazônia Solar”, pode estar disponível em abril. (Valor Econômico – 10.03.2022)

<topo>

 

 

Armazenamento de Energia

1 Honeywell projeta que mercado global de armazenamento deve chegar a US$ 37 bi em 2030

O mercado global de armazenamento de energia em baterias tem sido impulsionado cada vez mais pelas iniciativas de transição energética, que buscam aplicar o armazenamento para garantir o fornecimento de energia em horários de pico. Tendo em vista as perspectivas positivas, a desenvolvedora de tecnologias Honeywell estimou que o mercado global de armazenamento de energia em baterias deve atingir o valor de US$ 37 bilhões em 2030. Segundo a Agência Internacional de Energia (IEA), o investimento geral em armazenamento por baterias aumentou quase 40% em 2020, para US$ 5,5 bilhões. Além disso, os gastos com baterias em escala de rede aumentaram mais de 60%, impulsionados pelos novos investimentos em energias renováveis e pela crescente presença de leilões híbridos com armazenamento. (epbr – 17.03.2022)

<topo>

2 Mercado global de armazenamento de energia e os seus desafios

Apesar das perspectivas otimistas para o armazenamento de energia em grande escala, para viabilizar esse mercado é necessário minimizar os gargalos existentes. Um deles é o tempo de duração das baterias na geração centralizada de energia, os sistemas disponíveis atualmente duram em média quatro horas, exigindo o desenvolvimento de novas tecnologias que possibilitem o armazenamento com maior duração. Outro ponto é o custo, as tecnologias empregadas ainda são caras e buscam escala, mas podem compensar ao longo do tempo conforme a necessidade de descarbonizar as operações aumenta e, com ela, a demanda por energia. (epbr – 17.03.2022)

<topo>

3 Huawei e Meinergy irão desenvolver projeto de armazenamento solar em Gana

A Huawei Digital Power Technologies, uma unidade da multinacional chinesa de tecnologia Huawei, assinou um acordo com a Meinergy Technology, desenvolvedora de projetos solares. Sob o acordo os parceiros irão construir uma usina solar de 1 GW e 500 MWh de armazenamento de energia em um local não especificado. O sistema de armazenamento do projeto será fornecido pela Huawei, enquanto a Meinergy será responsável pelo desenvolvimento e construção da instalação. (PV Magazine – 10.03.2022)

<topo>

4 Sistema de armazenamento de energia melhora a segurança do abastecimento no Ártico norueguês

A empresa francesa de tecnologia de baterias, Saft, ganhou um contrato para fornecer um sistema de armazenamento de energia (ESS) para a comunidade de Longyearbyen em Svalbard, grupo de ilhas na região do Ártico norueguês. A solução incluirá um sistema de íons de lítio de 6MW/7MWh alojado em seis contêineres, além de sistemas de conversão e controle de energia. O projeto será localizado próximo a uma usina local à carvão e, de acordo com a Saft, fornecerá capacidade de reserva para superar as flutuações de energia e servirá de backup, em casos de interrupção do fornecimento. O sistema também servirá para fornecer controle de tensão e frequência, com o objetivo de integrar geradores à diesel e instalações renováveis quando a usina a carvão fechar em 2023. (Smart Energy – 09.03.2022)

<topo>

5 Mercado solar da Califórnia agora é um mercado de baterias

A Duke Energy Florida – concessionária de energia estadunidense – concluiu recentemente três projetos de armazenamento de baterias nos condados de Gilchrist, Gulf e Highlands, na Flórida. As três instalações podem armazenar cerca de 34 MW de energia. O maior dos três é um sistema de bateria de lítio de 18 MW na Usina Solar Lake Placid da empresa, no condado de Highlands. A adição de armazenamento de bateria à usina solar é a primeira desse tipo para a Duke Energy Florida. Os projetos permitirão que a energia solar seja despachada pelos operadores de rede da empresa, melhorando a eficiência geral da planta. (Daily Energy – 14.03.2022)

<topo>

6 Maior projeto de geração solar com bateria do mundo recebe aumento no financiamento

A Sun Cable, que planeja fornecer eletricidade renovável para Darwin e Cingapura a partir de uma fazenda solar fotovoltaica e instalação de armazenamento de energia em bateria no Território do Norte da Austrália, obteve um aumento de AUD 210 milhões (US$ 152,2 milhões) no capital de financiamento de seu projeto. O projeto, chamado de PowerLink Austrália-Ásia (AAPowerLink), desenvolvido na região de Barkly, inclui uma fazenda solar com até 20 GW de geração solar e conta com até 42 GWh de armazenamento de energia. (PV Magazine – 14.03.2022)

<topo>

 

 

Veículos Elétricos

1 Volvo testa carregamento sem fio para veículos elétricos

A Volvo desenvolveu um projeto para testar uma nova tecnologia para o carregamento sem fio para veículos elétricos (VEs). As estações de carregamento usadas no teste foram fornecidas pela Momentum Dynamics, fornecedora líder de sistemas de carregamento elétrico sem fio, e possuem um dispositivo denominado “charging pad”. As estações são similares a vagas de estacionamentos e, para que o carro seja carregado, o motorista precisa apenas estacioná-lo alinhado ao pad e o carregamento inicia-se automaticamente. Uma estação de energia ao lado do ponto de carregamento envia energia para um transmissor no solo, que então a retransmite sem fio para uma unidade receptora na parte inferior do carro. Nas telas do carro, o motorista pode acompanhar a porcentagem de carga e o tempo estimado até que a bateria esteja totalmente carregada. (Volvo – 02.03.2022)

<topo>

2 Índia: Infraestrutura pública de carregamento de veículos elétricos se expande

O governo indiano lançou uma campanha para expandir significativamente a infraestrutura de carregamento de veículos elétricos públicos (VE), que resultou em um aumento de 250% nas estações de carregamento em nove “megacidades” de outubro de 2021 a janeiro de 2022. Destas cidades, aquelas com uma população de mais de 4 milhões – Ahmedabad, Bengaluru, Chennai, Delhi, Hyderabad, Kolkata, Mumbai, Pune e Surat – agora têm 940 carregadores públicos de VEs do total de 1.640 do país. Durante o mesmo período, 180 mil novos VEs chegaram às estradas da Índia, acreditando-se que a maior disponibilidade da infraestrutura de carregamento está dando maior confiança aos consumidores para mudar para a mobilidade elétrica. (Smart Energy – 11.03.2022)

<topo>

3 NREL: Caminhões neutros terão custos competitivos na próxima década

Um novo relatório do Departamento de Energia dos Estados Unidos (DOE/EUA) revelou que caminhões neutros em gases do efeito estufa (GEE) se tornarão mais baratos e mais disponíveis na próxima década. O estudo, publicado pelo Laboratório Nacional de Energia Renovável (NREL), disse que as melhorias advindas de veículos neutros em GEE e tecnologias de combustível tornarão os mesmos com custo competitivo frente aos veículos tradicionais até 2035. Segundo a Jennifer Granholm, a secretária de energia do país, o DOE está mostrando um caminho claro para que as empresas de caminhões mudem do diesel para o elétrico, ajudando a reduzir custos e poluição para seus clientes. (Daily Energy Insider – 09.03.2022)

<topo>

4 Espanha: Saragoça incorpora ônibus elétricos na rede de transportes

A Câmara Municipal de Saragoça, a Avanza (corretora da Suécia e da Bolsa de Valores de Estocolmo) e a Endesa X (empresa de energias renováveis) iniciaram a operação de um dos projetos de eletrificação dos transportes públicos mais importantes da Espanha. O projeto conta com uma frota de 68 novos autocarros elétricos e com a instalação de 76 carregadores, sendo 37 de 100 kW e 38 de 150 kW, que serão utilizados para abastecer os ônibus. Segundo a Endesa, o objetivo da ação é transformar a capital aragonesa em uma cidade sustentável e neutra em termos de mobilidade urbana no ano de 2030. O investimento associado à construção e adaptação de infraestruturas elétricas ultrapassa os 8 milhões de euros, incluindo o Plano de Recuperação, Transformação e Resiliência, financiado pela União Europeia – NextGenerationEU. (Energías Renovables – 11.03.2022)

<topo>

5 Espanha: Governo aprova o regulamento dos serviços de carregamento de veículos elétricos

O Conselho de Ministros aprovou um decreto que regulamenta a atividade de prestação de serviços de carregamento de energia para veículos elétricos. No decreto foram definidos os direitos e obrigações dos agentes que participarem da atividade, para facilitar seu desenvolvimento das instalações de carregamento e proteger ainda mais os usuários. Entre as obrigações está o envio de informações sobre as características das instalações para elaboração de um mapa oficial de pontos de recarga, que será divulgado nos próximos meses. Em suma, o decreto contribui para completar o quadro regulamentar aplicável à atividade de carregamento de veículos elétricos, em que o Ministério da Transição Ecológica e do Desafio Demográfico trabalha intensamente para dinamizar a mobilidade sustentável e atingir o objetivo definido pelo Plano de Recuperação. (Energías Renovables – 08.03.2022)

<topo>

6 GM terá carregamento bidirecional para veículos elétricos

A GM, empresa multinacional americana de fabricação automotiva, anunciou uma parceria com a Pacific Gas and Electric Company (PG&E), concessionária americana de propriedade de investidores (IOU), da Califórnia para pensar no uso de veículos elétricos (VEs) como fontes de energia de backup para os clientes. Isso significa que os parceiros testarão veículos com tecnologia de carregamento bidirecional que possam ajudar a alimentar com segurança as principais necessidades de uma casa devidamente equipada em caso de emergências ou para estabilizar a rede. A PG&E e a GM planejam testar a interconexão vehicle-to-home, permitindo que um pequeno subconjunto de residências dos clientes receba energia com segurança do VE quando a energia parar de fluir da rede elétrica. Por meio desta demonstração de campo, a PG&E e a GM pretendem desenvolver uma experiência de cliente de vehicle-to-home fácil de usar para esta nova tecnologia. (GM – 08.03.2022)

<topo>

7 Empresas de energia irão oferecer tarifas especiais para usuários de carros elétricos

A comercializadora independente de eletricidade Gana Energía e o Forococheselectricos, portal nacional especializado em veículos elétricos, firmaram um acordo para oferecer tarifas especiais aos usuários de veículos elétricos e aos usuários que ainda não têm um carro elétrico, mas que desejam reduzir a fatura de energia. O ponto principal do acordo é o lançamento da nova tarifa 2.0TD Forococheselectricos composta por uma tarifa de três faixas horárias com um preço fixo em cada uma delas. Segundo a Gana Energía, esta estrutura tarifária é a mais conveniente para os usuários de VEs, já que a hora fora de ponta – a que tem o menor preço da energia- coincide com as horas em que o veículo é normalmente carregado. O acordo também prevê um desconto de € 30 repartido pelas dez primeiras faturas da Gana Energía; uma recarga gratuita por mês durante um ano nos pontos de recarga públicos Repsol; e o acúmulo de até 50% do valor do restante das recargas no saldo do Waylet, entre outros benefícios. (Energías Renovables – 10.03.2022)

<topo>

 

 

Eficiência Energética

1 CPFL divulga cronograma de eficiência energética em 2022

A CPFL Energia abriu o cronograma de inscrição para a Chamada Pública de Projetos (CPP) de eficiência energética em 2022. O foco recai tanto em ações do poder público como do setor privado, desde que se encaixem na área de eficiência e cumpram com alguns requisitos previstos no programa regulado pela ANEEL. O valor de investimento na CPP ainda não foi definido, mas será divulgado juntamente com a abertura do edital, marcado para 30 de maio. Nesse caso, as instituições do poder público, terceiro setor e empresas terão até 19 de julho para enviarem suas propostas para uma das quatro distribuidoras do grupo: CPFL Paulista, CPFL Piratininga, CPFL Santa Cruz e RGE. Os resultados serão conhecidos em outubro. (iCarros – 11.03.2022)

<topo>

2 Ivace: Programa de Iluminação Pública de Baixo Consumo recebe 52 inscrições de municípios

O Instituto Valenciano de Competitividade Empresarial (Ivace) recebeu um total de 52 solicitações de municípios para se beneficiar do Programa de Iluminação Pública de Baixo Consumo, para o qual destinará 5 milhões de euros. O principal objetivo do programa é promover a iluminação pública com alta eficiência energética e reduzir a conta de energia em municípios com menos de 30 mil habitantes. Para isso, a Ivace Energía apoia financeiramente 100% do projeto através de uma fórmula combinada de empréstimo bonificado e subsídio não reembolsável. Do total de candidaturas recebidas, 11 provêm de municípios de Castellón, 21 de Valência e os 20 restantes de Alicante. (Energías Renovables – 14.03.2022)

<topo>

3 Califórnia: Financiamento de projetos de cidades inteligentes com eficiência energética

Um projeto de eficiência energética de US$ 8,4 milhões em Fullerton, Califórnia, economizará US$ 12,1 milhões para a cidade de Orange County e planeja usar parte dessa economia para financiar tecnologias de cidades inteligentes. A cidade planeja atualizar cerca de 7.700 luminárias com a nova tecnologia LED para reduzir o consumo de energia, aumentar a vida útil das luminárias em um mínimo de 20 anos e se preparar para funcionalidades adicionais no futuro. Neste caso, o provedor de serviços de energia NORESCO também trabalhará com a cidade e a concessionária local, Southern California Edison, para converter quase 600 postes de luz em tecnologia LED. Os projetos que as economias financiarão incluem 15 novos carregadores de veículos elétricos integrados de porta dupla em toda a cidade e um sistema fotovoltaico. (Utility Dive – 14.03.2022)

<topo>

4 EUA: DOE concede US$ 32 milhões para acelerar a modernização de edifícios de última geração

O DOE anunciou US$ 32 milhões para financiar mais de 30 projetos de modernização de edifícios de última geração que melhorarão drasticamente as tecnologias de habitação a preços acessíveis. Irão ocorrer processos de teste sobre as técnicas de modernização que reduzem a perturbação dos inquilinos enquanto melhoram o desempenho energético e ambiental dos edifícios de forma rápida, acessível e eficaz. Essas técnicas, como pré-fabricação de paredes e substituições de sistemas de aquecimento e resfriamento, podem revolucionar a construção e a modernização. Eles também podem fornecer os meios para descarbonizar os 130 milhões de edifícios nos EUA a uma rapidez necessária para enfrentar a crise climática e cumprir as metas do presidente Biden de uma economia com zero emissões de carbono até 2050. (Eletric Energy Online– 15.03.2022)

<topo>

 

 

Microrredes e VPP

1 Microrredes oferecem vantagens às concessionárias de veículos

As concessionárias de carros dos EUA estão descobrindo que precisam atualizar sua infraestrutura elétrica rapidamente, uma vez que mais da metade de suas vendas devem vir de veículos elétricos (VEs) antes do final da década. Sean Gouda, vice-presidente executivo da Future Energy, companhia focada em serviços de infraestrutura industrial, afirmou que a corrida por mais serviços elétricos para fornecer estações de carregamento poderão gerar problemas operacionais, à medida que as concessionárias de energia tentam atender a essa demanda. Deste modo, as microrredes podem ser a solução, uma vez que oferecem energia no local para ajudar a diminuir a necessidade de energia elétrica e permitem as concessionárias de carros a redução dos custos de eletricidade. As microrredes também oferecem a capacidade de manter a eletricidade fluindo quando ocorre uma interrupção na rede. (Microgrid Knowledge– 14.03.2022)

<topo>

2 Siemens fornecerá a Qatar Solar Energy a primeira microrrede da região

A Siemens fornecerá à Qatar Solar Energy (QSE), companhia líder em fabricação de componentes de geração fotovoltaica no Qatar, a primeira microrrede da região fabricada para uso industrial com o objetivo de reduzir suas emissões de carbono, minimizar os custos de eletricidade e ter um fornecimento de energia mais estável no país. A nova microrrede na fábrica QSE, com sede em Doha, envolverá fontes de energia, como painéis solares, armazenamento de baterias, geradores de backup e sistema de refrigeração, de acordo com relatórios. Com o sistema gerando até 1 MW, a rede híbrida permitirá que a QSE reduza suas contas de eletricidade, aproveitando o uso de energia solar e armazenamento de energia em baterias. (Doha News– 10.03.2022)

<topo>

3 Projeto de microrredes nos alpes europeus irá desenvolver um modelo de microrredes alpinas

Sete microrredes estão sendo desenvolvidas nos alpes europeus como parte de um programa projetado para promover redes de energia locais. O projeto ALPGRIDS será desenvolvido em 5 países (Áustria, França, Alemanha, Itália e Eslovênia) e se concentra na criação de suporte para microrredes e uma compreensão mais ampla de seus benefícios. O projeto visa desenvolver um modelo de microrrede alpina (Alpine Microgrid Model), que irá abranger governança, regulamentação, financiamento, soluções técnicas disponíveis e players do mercado, assim como fornecerá orientação e ferramentas para facilitar o desenvolvimento e implementação de novos projetos de microrredes. (Microgrid Knowledge– 09.03.2022)

<topo>

4 Microrredes podem ajudar comunidades em casos de desastre naturais

As enchentes devastadoras cortaram a energia de dezenas de milhares de pessoas em New South Wales e Queensland, regiões da Austrália, limitando seu acesso a comodidades básicas e dificultando os esforços de resgate. Mas isso poderia ser apaziguado com a instalação de microrredes renováveis como fonte de energia de backup, garantindo que as comunidades regionais não fiquem sem energia, combustível e suprimentos críticos no caso de ocorrer um desastre como esse. Utilizando microrredes, no caso da rede principal começar a falhar, é possível se desconectar da rede principal e continuar a operar no chamado modo “ilhamento”. (The Conversation– 09.03.2022)

<topo>

5 Microrredes para melhorar a resiliência e sustentabilidade de data centers

A Enchanted Rock, companhia que fornece resiliência elétrica como serviço, tornou-se um parceiro fundamental da Infrastructure Masons (iMasons), uma associação profissional sem fins lucrativos para o setor de infraestrutura digital. A parceria consiste na Enchanted Rock fornecendo seus serviços à comunidade de membros profissionais da iMason para melhorar a resiliência e a sustentabilidade dos data centers. A maioria dos data centers dependem de geradores a diesel para energia de reserva, no entanto, as microrredes de gás natural e de gás natural renovável oferecem uma alternativa mais limpa e acessível e, simultaneamente, atendem aos requisitos técnicos para o tempo de operação do data center. (Smart Energy– 15.03.2022)

<topo>

 

 

Tecnologias e Soluções Digitais

1 DEWA conclui metas de curto prazo de transição para uma rede mais inteligente

Medidores inteligentes e automação de rede foram os principais componentes da primeira fase da estratégia de rede inteligente da Autoridade de Eletricidade e Água de Dubai (DEWA). Em sua estratégia, a DEWA substituiu sua base de mais de 2 milhões de medidores de eletricidade e água por medidores inteligentes entre 2015 e 2020. A estratégia de rede inteligente da companhia para 2035, em que serão investidos US$ 1,9 bilhão, foi lançada em 2014 e atualizada em 2021 e é um elemento-chave para apoiar a meta de redução de 30% da demanda até 2030 e as metas de energia limpa e de emissão zero em 100% de sua capacidade de produção de energia, sendo somente a partir de fontes de energia limpa até 2050. (Smart Energy– 14.03.2022)

<topo>

2 Constellation e Microsoft desenvolverão tecnologia para atender clientes com metas de emissões

A Constellation, empresa focada em energias limpas com sede em Baltimore (EUA), anunciou na semana passada que se uniu a Microsoft para desenvolver uma solução de tecnologia de correspondência de energia em tempo real que conectará clientes com os melhores meios para atingir suas metas de emissões zero, através de um mapeamento local ligado a uma base de dados da companhia. De acordo com a Constellation, a solução será um meio mais ambientalmente consciente de combinar a capacidade de geração com a demanda do cliente, utilizando novas tecnologias para atender às necessidades de energia com fontes de energia locais e livres de carbono. (Daily Energy Insider– 08.03.2022)

<topo>

 

 

Segurança Cibernética

1 UL publica relatório sobre segurança cibernética para recursos energéticos distribuídos

A Underwriter Laboratories (UL), líder global em ciência da segurança, publicou um novo relatório em cooperação com o Laboratório Nacional de Energia Renovável (NREL) do DOE, que observou uma normalização das ameaças de segurança cibernética. Recentemente, milhares de usuários de internet na Europa perderam o acesso a serviços devido a um “evento cibernético”. O mesmo ataque derrubou quase 6 mil turbinas eólicas (11 GW) na Alemanha e na Europa Central. O crescimento da energia distribuída (REDs) é um novo alvo para ataques cibernéticos e realizar procedimentos de teste de certificação são necessários para identificar lacunas na funcionalidade de segurança cibernética dos REDs, bem como mandatos para recursos seguros no dispositivo, rede e nível do sistema. A ameaça cibernética aumenta quando os recursos têm ferramentas de comunicação. (PV Magazine – 09.03.2022)

<topo>

2 EUA: SEC pressiona por regras mais rígidas relacionadas à segurança cibernética

A Securities and Exchange Commission (SEC), agência independente responsável por regular o mercado de capitais nos EUA, propôs regras mais rígidas e detalhadas relacionadas à segurança cibernética, incluindo relatórios mais profundos da empresa sobre ataques cibernéticos e arquivamentos regulares sobre gerenciamento, governança e estratégia de riscos cibernéticos. As empresas precisariam relatar violações dentro de quatro dias. Segundo o presidente da SEC, Gary Gensler, padrões de divulgação consistentes, comparáveis e úteis para decisões fortaleceriam a capacidade dos investidores de avaliar as práticas de segurança cibernética e relatórios de incidentes das empresas públicas. (Utility Dive– 10.03.2022)

<topo>

 

 

Eventos

1 SPEnergy Talks: Posicionamento do Brasil quanto às metas pós COP26

O SPEnergy Talks é uma série de webinars organizada pelo Comitê Técnico de Sustentabilidade da SPE Brasil com o objetivo de promover a discussão sobre emissões de carbono, impacto climático e ambiental, transição energética e temas de sustentabilidade na indústria de O&G em geral. A edição do SPEnergy Talks do dia 23 de março irá abordar sobre o posicionamento do Brasil quanto às metas pós COP26 e será transmitida no YouTube às 18h. Para assistir o evento, clique aqui. (Linkedin – 18.03.2022)

<topo>

2 WelectricTalk ep. 3: Rede de Carregamento em Portugal: como melhorar?

O WelectricTalk de março, videocast sobre cidades inteligentes, sustentabilidade, energia e mobilidade, vai assumir o formato de mesa redonda e discutir a Rede de Carregamento de veículos elétricos em Portugal. É importante identificar o que está a correr bem ou não tão bem e apontar caminhos para melhorar esta importante estrutura de apoio à transição energética na mobilidade. O evento ocorrerá no dia 19 de março às 6h. Inscreva-se aqui. (Linkedin – 18.03.2022)

<topo>

3 Global Energy Transition Masterclass 2022

As indústrias pesadas, como petróleo e gás, cimento, metal e produção química, respondem por 40% da demanda global de energia. Um quarto de todas as emissões de CO2 vem dessas indústrias e são difíceis de reduzir. A demanda por energia, cimento, aço e produtos químicos aumentará ainda mais com a urbanização contínua e o crescimento da população mundial. Para reduzir significativamente as emissões e alcançar as metas climáticas globais será necessário tornar o sistema mais eficientes. Neste contexto, a Global Energy Transition Masterclass 2022 irá fornecer insights, novos conhecimentos e ideias de empresas líderes em todo o mundo que ganharam experiência em primeira mão na redução do impacto do CO2 em nosso meio ambiente. A masterclass será em inglês e irá ocorrer no dia 31 de março. Inscreva-se aqui. (Endress + Hauser – 18.03.2022)

<topo>

4 ABSOLAR Meeting: Evento para ampliar projetos de energia solar

Empresários do setor de energia solar do Paraná se reuniram no dia 15 de março, em Curitiba, para debater o crescimento dos projetos e a ampliação do acesso à tecnologia fotovoltaica em residências, empresas e propriedades rurais da região. No evento, ABSOLAR Meeting, foram promovidas palestras com especialistas e autoridades sobre os avanços da energia solar na região e no Brasil, bem como sobre o desenvolvimento econômico, ambiental e social gerado por esta fonte. Os modelos de financiamento de projetos solares e o avanço do empreendedorismo no segmento também foram alvos de debates. (Petronotícias – 13.03.2022)

<topo>

 

 

Artigos e Estudos

1 Artigo sobre a cobrança de ICMS sobre tarifas na geração de energia distribuída

Em artigo publicado no CanalEnergia, Carolina Romanini Miguel (sócia da área tributária do Cescon Barrieu Advogados) aborda a possibilidade de reação da jurisprudência do STJ frente a cobrança de ICMS sobre tarifas na geração de energia distribuída. Segundo a autora, “apesar das Unidades da Federação pretenderem exigir o ICMS sobre a TUST e TUSD, o fato é que a decisão a ser proferida em breve pelo STJ produzirá efeitos também aos autogeradores na microgeração e minigeração distribuída. Nessa hipótese, há ainda mais razão para o imposto não ser cobrado sobre essas tarifas, uma vez que não se verifica compra e venda, mas empréstimo de energia elétrica que é devolvida ao consumidor pela concessionária.” Para ler o texto na íntegra, clique aqui. (GESEL-IE-UFRJ – 09.03.2022)

<topo>

2 Artigo “Marco Legal da GD: impactos na rentabilidade e a importância da valoração dos seus benefícios”

Em artigo publicado na Agência CanalEnergia, Marília Rabassa (diretora na Clean Energy Latin America (CELA)) e Felipe Guimarães (analista na CELA) analisam o impacto financeiro que a nova regulação trará para os projetos de Geração Distribuída (GD). Segundo os autores, “as análises realizadas demonstram que é crucial para o setor elétrico e para a sociedade que os benefícios da GD sejam adequadamente valorados pelo CNPE e corretamente calculados pela Aneel, especialmente no caso de projetos remotos em áreas de concessão que tendem a ser mais prejudicadas pela nova regulação. Será isso que permitirá a democratização da GD em todo o território brasileiro, em linha com estratégias do futuro da energia elétrica nas principais economias do mundo (e totalmente em linha com a GD): descarbonização, democratização, descentralização e digitalização.” Para ler o texto na íntegra, clique aqui. (GESEL-IE-UFRJ – 11.03.2022)

<topo>

3 Relatório: “Global Energy Review: CO2 Emissions in 2021”

À medida que a economia mundial se recuperou da crise do Covid-19 e dependeu fortemente do carvão para impulsionar esse crescimento, as emissões globais de dióxido de carbono relacionadas à energia aumentaram 6% em 2021. O aumento nas emissões globais de CO2 de mais de 2 bilhões de toneladas foi o maior da história em termos absolutos, mais do que compensando o declínio induzido pela pandemia do ano anterior, mostra a análise da IEA. Isso porque, a recuperação da demanda de energia em 2021 foi agravada por condições climáticas adversas e do mercado de energia – notadamente os picos nos preços do gás natural – que levaram a mais carvão sendo queimado, apesar da geração de energia renovável ter registrado seu maior crescimento de todos os tempos. Para ler o texto na íntegra, clique aqui. (IEA – 08.03.2022)

<topo>

4 IRENA: “Indicadores de inovação em tecnologia renovável: mapeando o progresso em custos, patentes e padrões”

A inovação em tecnologia de energia limpa e pesquisa, desenvolvimento e demonstração (PD&D) desempenha um papel crítico na aceleração da transição energética global. A Agência Internacional para as Energias Renováveis (IRENA) coletou dados sobre uma série de indicadores quantitativos de inovação sobre os custos e desempenho de tecnologias renováveis, patentes e padrões; que fornecem uma medida quantitativa do progresso da inovação. Esses indicadores de produtos de inovação, com base em uma metodologia criada especificamente para esse fim, fornecem insights qualitativos e quantitativos sobre as maneiras de progressão dessas tecnologias renováveis ao longo do tempo. Para ler o texto na íntegra, clique aqui. (IRENA – 07.03.2022)

<topo>

5 IRENA: “Roteiro de energia renovável para a América Central: rumo a uma transição energética regional”

A América Central está entrando em uma década crucial para moldar seu futuro sistema energético e está fortemente engajada na transição energética. Embora a contribuição dos países da América Central para as emissões globais de CO2 em 2018 tenha sido de apenas 0,2%, a região ainda espera sofrer efeitos climáticos adversos, como mudanças nos padrões de precipitação e aumento da temperatura média. O Roteiro de Energias Renováveis para a América Central oferece um caminho abrangente para o desenvolvimento de um sistema de energia regional sustentável e mais limpo. Ele explora o papel da eletrificação dos setores de uso final, a expansão viável da geração renovável, soluções de eficiência energética, bem como a importância de expandir a integração do setor de energia regional existente. Para ler o texto na íntegra, clique aqui. (IRENA – 09.03.2022)

<topo>

6 Relatório AIE: “Um plano de 10 pontos para reduzir a dependência da União Europeia do gás natural russo”

De acordo com Agência Internacional de Energia (AIE), acelerar as licenças para projetos de energia eólica e solar, diversificar o fornecimento de gás e aproveitar ao máximo as fontes de energia de baixo carbono são passos importantes para reduzir as importações de gás russo da União Europeia (UE) em mais de um terço dentro de um ano. A UE importou 155 bilhões de metros cúbicos de gás natural da Rússia em 2021, representando cerca de 45% das importações totais de gás da UE e quase 40% do seu consumo de gás. Tendo em vista este contexto, a AIE divulgou um plano, que é consistente com o Pacto Ecológico Europeu da UE e o pacote Fit for 55, detalhando as etapas necessárias para reduzir as importações de gás em mais de 50 bilhões de m³ em um ano. Para ler o texto na íntegra, clique aqui. (Renewable Now – 08.03.2022)

<topo>


Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Lorrane Câmara e Luiza Masseno
Pesquisadores:
Cristina Rosa, Matheus Balmas e Pedro Barbosa
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

As notícias divulgadas no IFE não refletem necessariamente os pontos da UFRJ. As informações que apresentam como fonte UFRJ são de responsabilidade da equipe de pesquisa sobre o Setor Elétrico, vinculada ao NUCA do Instituto de Economia da UFRJ.

POLÍTICA DE PRIVACIDADE E SIGILO
Respeitamos sua privacidade. Caso você não deseje mais receber nossos e-mails,  Clique aqui e envie-nos uma mensagem solicitando o descadastrado do seu e-mail de nosso mailing.


Copyright UFRJ

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: