IFE.TEX 77

Informativo Eletrônico – Tecnologias Exponenciais nº 77 – publicado em 16 de março de 2022.

IFE: Informativo Eletrônico de Tecnologias Exponenciais – GESEL-UFRJ <!–

l

IFE: nº 77 – 16 de março de 2022
http://gesel.ie.ufrj.br/
gesel@gesel.ie.ufrj.br

Editor: Prof. Nivalde J. de Castro

Índice

Transição Energética e ESG
1
País de Gales: CIP e Bute firmam parceria em energias renováveis
2 Apesar do aumento do consumo recorde de carvão, China se mantém líder em energias renováveis
3 Reino Unido e Noruega apoiam impulso de energias renováveis sul-africanas
4 EUA: Indústria renova o pedido de pacote de energia limpa
5 Bank Of America: Energia solar deve ser a fonte renovável de maior retorno
6 A guerra na Ucrânia e suas implicações para as energias renováveis
7 Energias renováveis e gás verde são a solução para os altos preços dos combustíveis fósseis
8 Europa deve se tornar renovável para escapar da crise energética
9 União Europeia: Acelerar as energias renováveis reduzirá as importações de gás russo
10 União Europeia cria pacote para energias renováveis e digitalização

Geração Distribuída
1 Santa Catarina ultrapassa 500 MW em geração distribuída
2 EUA pretende abastecer 5 milhões de residências com projetos solares comunitários
3 EUA adicionaram 5,4 GW de energia fotovoltaica em pequena escala no ano de 2021

Armazenamento de Energia
1 IHS Markit: preços das baterias não cairão até 2024
2 As baterias Honeywell foram implementadas em projeto de armazenamento fotovoltaico
3 PNNL desenvolve armazenamento de energia renovável em grande escala

4 Reino Unido irá financiar 24 projetos de armazenamento de energia

5 Ingeteam: Armazenamento de energia como tecnologia-chave para transição energética

Veículos Elétricos
1 Tesla utiliza tecnologia que em breve pode se tornar obsoleta
2 Nissan e Renault terão bateria com mais de mil quilômetros de autonomia em 2024
3 Proterra sofre com inflação e atrasos na produção
4 Novos carregadores de veículos elétricos chegando a Thunder Bay

5 Novos carregadores de alta velocidade de VEs operam nas Cataratas do Niágara
6 Escócia: Redes de eletricidade colaboram para apoiar a descarbonização do transporte
7 Fortescue acelera planos para powertrain elétrico carregado por gravidade
8 Sony e Honda criam parceria estratégica para veículos elétricos

9 EUA: Transporte público recebe financiamento para adoção de ônibus elétrico

Eficiência Energética
1 Enel investiu R$ 88,8 milhões em projetos de eficiência energética em 2021
2 ComEd expandirá iniciativas eficiência energética
3 Eficiência energética: Uma fonte de energia por direito próprio

Microrredes e VPP
1 Austrália: Governo financia microrrede de energia renovável na região de Daintree
2 Microrredes descentralizadas são a solução para a crise de mobilidade na África
3 Instalação de teste de microrrede de Queensland contribui para a transição energética do estado
4 EUA: Microrrede comunitária será construída em Chicago

5 EUA: Swell Energy e Nuvve irão integrar recursos energéticos distribuídos com VPPs

Tecnologias e Soluções Digitais
1 EUA: A JCP&L planeja instalar 1,1 milhão de medidores inteligentes a partir de 2023
2 Companhias Itron e Utilismart colaboram em solução de medição inteligente
3 Namíbia: Hidrogênio verde será verificado com tecnologia blockchain
4 Gridspertise e a Qualcomm desenvolverão novas soluções de rede inteligente

5 Energy Web desenvolve aplicativo de carregamento de VE baseado em blockchain

Segurança Cibernética
1 Ataque cibernético por satélite paralisa 11 GW de turbinas eólicas na Alemanha
2 Especialistas acreditam que o risco cibernético para concessionárias dos EUA é limitado
3 Ataque cibernético à Nvidia resulta em vazamento de dados e roubo de credenciais

Eventos
1 GESEL no T&D Energy
2 RE+ Northeast: A transição energética está paralisada por falta de urgência?

Artigos e Estudos
1 Artigo de Marcelo Tanos Naves: “Decisão judicial suspende cobrança de demanda contratada previamente à conexão de unidade minigeradora distribuída”


 

 

Transição Energética e ESG

1 País de Gales: CIP e Bute firmam parceria em energias renováveis

A empresa especializada em investimentos em infraestrutura Copenhagen Infrastructure Partners (CIP) firmou um acordo com a Bute Energy com o objetivo de investir no portfólio do desenvolvedor de projetos eólicos onshore e solares no País de Gales. O fundo Copenhagen Infrastructure IV K/S (CI IV) da CIP financiará projetos de energia renovável da Bute, em vários estágios de desenvolvimento, alguns dos quais são de armazenamento de energia em bateria. Espera-se que os primeiros projetos comecem a ser construídos em 2024. No total, o portfólio de parques eólicos onshore, projetos de energia solar fotovoltaica e sistemas de armazenamento de energia em bateria podem ter uma capacidade instalada superior a 2 GW até 2030. (Renews Biz – 21.02.2022)

<topo>

2 Apesar do aumento do consumo recorde de carvão, China se mantém líder em energias renováveis

A China registrou o maior aumento anual absoluto na demanda de eletricidade em 2021, impulsionada pelo crescimento econômico do país. Para ajudar a suprir esta demanda, o consumo de carvão chinês atingiu um recorde histórico e a China ultrapassou o Japão no que se refere a importação de GNL, tornando-se o maior importador do mundo. Consequentemente, a China também viu suas emissões anuais de carbono subirem para o nível mais alto até agora. Porém, nenhum outro país chegou perto de suas adições de capacidade de energia renovável em 2021. Quando se trata do impacto do país no aumento inesperado do custo das energias renováveis em 2021, a história é mais sutil, pois, após anos de declínio, os preços globais dos módulos solares aumentaram até um quarto no ano passado, enquanto os preços das turbinas eólicas cresceram até 15%. (Wood Mackenzie – 23.02.2022)

<topo>

3 Reino Unido e Noruega apoiam impulso de energias renováveis sul-africanas

A CDC, instituição financeira do Reino Unido, e o Norfund, fundo de investimentos norueguês, vão investir € 36 milhões na empresa sul-africana de investimento e desenvolvimento em energias renováveis, H1 Capital. O objetivo da iniciativa é ajudar a financiar um portifólio de mais de 2.400MW de projetos eólicos e solares. As partes envolvidas afirmaram que o investimento demonstra o compromisso do Reino Unido e da Noruega em agir de acordo com as promessas feitas na COP26, escalando o financiamento climático para a África e aprofundando a colaboração em soluções que atenderão às necessidades do continente e abordarão a emergência climática. (Renews Biz – 04.03.2022)

<topo>

4 EUA: Indústria renova o pedido de pacote de energia limpa

De acordo com um relatório de mercado divulgado pela American Clean Power Association (ACP), as instalações de energia limpa nos EUA caíram 3% em 2021 em comparação com 2020, pois questões políticas restringiam o potencial de novas instalações eólicas e solares. Segundo o relatório, o setor de energia renovável instalou 27.723 MW de novos sistemas eólicos, solares e de armazenamento de energia em 2021. Esse ligeiro declínio ocorreu em meio a um impasse em Washington, DC, devido aos incentivos de energia limpa que foram suspensos durante as negociações do Build Back Better Act dos democratas. Neste panorama, um grupo de 70 CEOs de energia limpa enviou uma carta à Casa Branca e à liderança do Congresso na semana passada pedindo “aprovação rápida” de legislação para expandir o crédito fiscal de investimento (ITC) para projetos autônomos de armazenamento de energia. (Utility Dive – 22.02.2022)

<topo>

5 Bank Of America: Energia solar deve ser a fonte renovável de maior retorno

O Bank Of America divulgou um relatório, no qual aponta que a fonte solar deve entregar os melhores retornos ao Brasil entre as fontes renováveis. A instituição financeira mostra que a competição esperada pelo crescimento do setor de geração no país exige diferenciação entre as fontes e elegeu a solar como a preferencial. Isso porque, a energia fotovoltaica traz a possibilidade de queda do CAPEX, que pode cair 50% nos próximos 10 anos comparado aos 4% estimados em eólica, e traz gargalos em transmissão que não acompanha a expansão da geração. “Em nossas estimativas, a solar poderia oferecer mais de 110 base points (bp) de TIR ante a eólica nos próximos 10 anos, enquanto as tendências de longo prazo podem ampliar ainda mais a lacuna, impulsionada principalmente pela tecnologia associada à redução de CAPEX e O&M da cadeia de suprimentos”, afirma o banco. (CanalEnergia – 23.02.2022)

<topo>

6 A guerra na Ucrânia e suas implicações para as energias renováveis

Apesar das ameaças de retaliação vindas do Ocidente, na forma de sanções econômicas, a guerra entre a Rússia e Ucrânia foi declarada. No momento, a Rússia é uma das principais fontes de abastecimento de gás natural para os países da Europa Central e Oriental. Neste cenário, os riscos geoestratégicos que acompanham os combustíveis fósseis passam a ser um verdadeiro pesadelo em poucas semanas. O gás natural disparou entre 30% e 40% em 24 horas, chegando a 125 euros por MW e o petróleo Brent ultrapassou 105 dólares o barril. Para contornar essa situação é necessário fortalecer ainda mais o compromisso com as energias renováveis, reduzindo gradualmente esses riscos estratégicos até que sejam eliminados. (Energías Renovables – 24.02.2022)

<topo>

7 Energias renováveis e gás verde são a solução para os altos preços dos combustíveis fósseis

Apesar da queda dramática nos preços das tecnologias ligadas às fontes renováveis, as percepções desatualizadas dos custos da energia limpa continuam sendo uma grande barreira para a transição energética. As atuais altas dos preços do gás e do carvão na UE não foram causadas pelas energias renováveis, mas são o resultado do fornecimento de gás natural mais restritivo para a Europa, armazenamento de gás subutilizado e aumento dos preços globais de gás natural liquefeito (GNL). Logo, as lições da crise do gás na Europa são claras: é necessário aumentar rapidamente a produção de energia renovável; promover a verdadeira contabilidade e conscientização sobre os custos da volatilidade dos preços dos combustíveis fósseis e seus impactos ambientais; reduzir a procura de gás através da eletrificação do aquecimento e da renovação de edifícios; e projetar políticas robustas para apoiar o uso de gás verde. (IRENA – 24.02.2022)

<topo>

8 Europa deve se tornar renovável para escapar da crise energética

Em 2022, a Europa provavelmente gastará quase US$ 1 trilhão em energia, o dobro do que gastou em 2019. Para as famílias europeias médias, isso significará um aumento de 50% em suas contas de energia. Embora o continente já tenha passado por crises energéticas antes, esta tem riscos especialmente altos por causa da confluência de tensões geopolíticas e do debate acalorado sobre a política de transição energética. Segundo o Fatih Birol, diretor da Agência Internacional de Energia, estão aumentando as evidências de que a Gazprom, estatal russa de energia, criou um “aperto artificial”, enviando muito menos gás do que o esperado para os mercados europeus no auge da demanda de inverno. Uma solução viável de longo prazo para solucionar a dupla crise europeia em termos de segurança energética e emergência climática, seria acelerar a construção do novo sistema de energia limpa. (RMI – 22.02.2022)


<topo>

9 União Europeia: Acelerar as energias renováveis reduzirá as importações de gás russo

De acordo com a Agência Internacional de Energia (AIE), acelerar a implantação de energia eólica e solar deve ser uma das várias medidas para permitir que a União Europeia (UE) reduza sua exposição ao gás natural russo. A ênfase na construção de mais energias renováveis faz parte de um plano, que caso seja adotado pode permitir que a UE reduza suas importações do gás natural russo em mais de um terço dentro de um ano. A AIE descobriu que acelerar a implantação de novos projetos eólicos e solares reduziria o uso de gás em seis bilhões de metros cúbicos em um ano. A dependência da Europa em relação ao gás natural importado da Rússia foi “mais uma vez destacada” pela invasão da Rússia à Ucrânia. Em 2021, a UE importou 155 mil milhões de metros cúbicos de gás natural da Rússia, representando cerca de 45% das importações de gás da UE e cerca de 40% do seu consumo total de gás. (Renews Biz – 03.03.2022)

<topo>

10 União Europeia cria pacote para energias renováveis e digitalização

A Comissão Europeia, o Banco Europeu de Investimento e o Fundo Europeu de Investimento firmaram um acordo para investir em projetos de energias renováveis e digitalização nos Estados-Membros. O acordo dispõe de um orçamento de 19.650 milhões de euros e ocorre no âmbito do pacote de estímulo para acelerar a recuperação econômica pós pandemia e face à incerteza decorrente da guerra na Ucrânia. O montante será utilizado para financiar projetos em toda a UE em quatro áreas: infra-estrutura sustentável, pesquisa, inovação e digitalização, pequenas e médias empresas e investimento social e formação, no âmbito do programa InvestEU. (Energías Renovables – 07.03.2022)

<topo>

 

 

Geração Distribuída

1 Santa Catarina ultrapassa 500 MW em geração distribuída

O estado de Santa Catarina superou a marca de 500 MW de potência instalada em geração distribuída (GD), tornando-se o quinto estado do país a superar esse patamar, ficando atrás de Minas Gerais, São Paulo, Rio Grande do Sul e Mato Grosso, de acordo com o mapeamento da Associação Brasileira de Geração Distribuída (ABGD). A modalidade está presente em 292 municípios catarinenses, sendo Blumenau a cidade com maior participação (22,66 MW), seguida por Joinville (17,27 MW) e a capital Florianópolis (16,4MW). Assim como em todo o país, a fonte predominante na região é a solar, que entrega 491 MW ou 98%, seguida pelas térmicas com 9,47 MW ou 1,8%, e as Centrais Geradoras Hidrelétricas com 4,61 MW ou 0,9%. (CanalEnergia – 03.03.2022)

<topo>

2 EUA pretende abastecer 5 milhões de residências com projetos solares comunitários

A Parceria Solar da Comunidade Nacional dos EUA, um programa do DOE, estabeleceu uma meta de construir projetos solares comunitários suficientes para abastecer o equivalente a 5 milhões de residências e atingir uma economia de US$ 1 bilhão na conta de energia. Essa meta se alinha com o objetivo principal do DOE de 100% de eletricidade limpa até 2035 e concentra-se também em garantir que os cidadãos americanos possam acessar os benefícios da transição energética. O DOE relata que, até o final de 2020, cerca de 3 GW de energia solar comunitária nos EUA estavam ativos – o suficiente para abastecer cerca de 600 mil residências. O modelo solar comunitário representa apenas cerca de 8% da capacidade solar total distribuída nos Estados Unidos. Com essa meta haveria um salto de capacidade instalada de 3 GW para 20 GW até 2025. O DOE estima que os clientes que se inscreverem na energia solar comunitária economizarão em média cerca de 20% nas contas de energia. (PV Magazine – 03.03.2022)

<topo>

3 EUA adicionaram 5,4 GW de energia fotovoltaica em pequena escala no ano de 2021

Empreiteiros solares construíram 5,4 GW de instalações fotovoltaicas de pequena escala nos EUA em 2021, um aumento de 1 GW em relação a 2020. Mais da metade da capacidade adicionada veio nos “dez estados mais ensolarados” no sudoeste e oeste do país. O Colorado foi o líder no aumento da capacidade relativa à sua população, adicionando 45W per capita. Os segundos colocados foram Arizona, Califórnia, Maine, Rhode Island, Vermont e Nevada, todos somando cerca de 40W per capita. (PV Magazine – 02.03.2022)

<topo>

 

 

Armazenamento de Energia

1 IHS Markit: preços das baterias não cairão até 2024

A empresa de dados de negócios, IHS Markit, previu que os preços das baterias de íons de lítio não cairão até 2024, devido ao aumento dos preços dos metais, à crescente demanda por veículos elétricos e ao quase monopólio da China no setor. Em meio à forte demanda de veículos elétricos a baterias de fosfato de íons de lítio, a IHS previu que em 2022 um aumento de 5% no preço do módulo de bateria elevará o custo geral dos projetos de baterias estacionárias em cerca de 3%. (PV Magazine – 07.03.2022)

<topo>

2 As baterias Honeywell foram implementadas em projeto de armazenamento fotovoltaico

A Hecate Energy, operadora de energia renovável, está desenvolvendo um projeto solar de 50 MW no Novo México (EUA), que será combinado com um sistema de armazenamento de energia em bateria (BESS) de 20 MW/80 MWh projetado pela Honeywell, desenvolvedora de tecnologias para a geração renovável. O projeto, localizado na parte norte do estado, deverá abastecer 16 mil novas casas mexicanas ao longo do ano. O sistema de bateria de fosfato de ferro de lítio (LFP) da Honeywell é integrado a um sistema de controle Experion Energy, uma plataforma de gerenciamento de bateria que se integra ao monitoramento de ativos, gerenciamento de recursos energéticos distribuídos, controle de supervisão e funcionalidade de análise, tais recursos ajudarão a Hecate Energy a prever e otimizar os custos de energia. (PV Magazine – 03.03.2022)

<topo>

3 PNNL desenvolve armazenamento de energia renovável em grande escala

Pesquisadores do Laboratório Nacional do Noroeste do Pacífico (PNNL) desenvolveram uma nova maneira de armazenar grandes quantidades de energia de fontes renováveis. A pesquisa está focada em baterias de fluxo redox de vanádio, que são grandes baterias projetadas para armazenar grandes quantidades de energia por longos períodos. As baterias têm o potencial de armazenar energia de fontes eólicas e solares para uso quando não há geração de energia eólica e solar. O PNNL já firmou parceria com duas empresas que levam essa tecnologia ao mercado. (Daily Energy Insider– 02.03.2022)

<topo>

4 Reino Unido irá financiar 24 projetos de armazenamento de energia

Segundo o Departamento de Negócios, de Energia e de Estratégia Industrial (BEIS), o governo do Reino Unido financiou com 6,7 milhões de libras esterlinas a primeira fase de sua competição de Demonstração de Armazenamento de Energia de Longa Duração. A competição contou com 24 projetos do Reino Unido que desenvolvem tecnologias inovadoras de armazenamento de energia e que receberão parte desse financiamento. Dentre os projetos inclui-se o desenvolvimento de baterias térmicas, conversão de energia em hidrogênio, demonstração de bateria de fluxo de vanádio e desenvolvimento de tecnologia de armazenamento de energia térmica e de ar comprimido. De acordo com Greg Hands, ministro de Energia e Mudanças Climáticas, impulsionar tecnologias de armazenamento de energia será vital em nossa transição para uma energia renovável barata, limpa e segura. (Renewables Now – 23.02.2022)

<topo>

5 Ingeteam: Armazenamento de energia como tecnologia-chave para transição energética

A Ingeteam, empresa especializada em conversão de energia, foi o parceiro tecnológico escolhido pela Iberdrola para desenvolver projetos de armazenamento de energia, tanto na Espanha como em outros países. Para a Ingeteam, o armazenamento com tecnologias renováveis desempenha um papel fundamental no avanço da transição energética e na eletrificação da economia. A sua integração ao sistema elétrico do futuro trará grandes vantagens como flexibilizar e otimizar a utilização da energia disponível, melhorar a qualidade do fornecimento de eletricidade, integrar a energia gerada por fontes renováveis e garantir a estabilidade e confiabilidade da rede. (Energías Renovables – 04.03.2022)

<topo>

 

 

Veículos Elétricos

1 Tesla utiliza tecnologia que em breve pode se tornar obsoleta

A Tesla está trocando o tipo de células usadas em todos os carros de sua linha básica no mundo por uma tecnologia que, segundo analistas, em breve se tornaria obsoleta. A empresa passará a usar baterias à base de ferro nesses carros, também chamadas de baterias de fosfato de ferro de lítio. A tecnologia é bastante usada em veículos menos complexos, como carrinhos de golfe, ou em sistemas de reserva de energia residencial. Para os carros elétricos, contudo, é considerada uma opção menos eficiente. No mundo, cerca de 10% de todas as células de baterias de carros elétricos produzidas hoje são à base de ferro. Isso porque, o material usado nas baterias à base de ferro tem uma menor densidade energética e oferece menos alcance por peso transportado a cada carga de abastecimento em comparação às baterias de íon de lítio à base de níquel. (Valor Econômico – 23.02.2022)

<topo>

2 Nissan e Renault terão bateria com mais de mil quilômetros de autonomia em 2024

As montadoras Nissan e Renault produzirão, em parceria com a fabricante chinesa Envision AESC, baterias capazes de garantir mais de 1.000 km de autonomia aos carros elétricos. Para conseguir esse aumento significativo no alcance, a Envision diz que dobrará o número de células nos pacotes de baterias que, em contrapartida, ficarão mais pesados. Além disso, o design e a configuração das células de bateria permitirão uma melhora de 30% no tempo de recarga, conseguindo ficar abaixo da barreira de 20 minutos. (Inside EVs – 24.02.2022)

<topo>

3 Proterra sofre com inflação e atrasos na produção

Proterra, fabricante de ônibus e baterias elétricos dos Estados Unidos, afirmou em seu relatório financeiro do quarto trimestre de 2021 que o crescente atraso nos pedidos de ônibus é resultado de deslocamentos globais na cadeia de suprimentos e logística. Desafios adicionais relacionados à pandemia, incluindo o absenteísmo laboral, estão restringindo a fabricação de ônibus a um turno por dia. No entanto, a empresa informou que entregou 208 ônibus elétricos em 2021, um aumento de 22% em relação ao ano anterior. Na teleconferência de resultados da empresa, a diretora financeira da Proterra, Karina Franco Padilla, disse que pressões inflacionárias levaram a empresa a aumentar os preços dos ônibus elétricos em dezembro, afetando tanto os novos pedidos quanto os contratos existentes com cláusulas inflacionárias. (Utility Dive – 04.03.2022)

<topo>

4 Novos carregadores de veículos elétricos chegando a Thunder Bay

Reduzir as emissões do setor de transporte é fundamental para alcançar as metas climáticas do Canadá. Por isso, o governo do país está tornando mais fácil para os canadenses comprar, carregar e dirigir VEs em Ontário e em todo o país. No dia 4 de março, Patty Hajdu, Ministra de Serviços Indígenas e Ministra Responsável pela Agência Federal de Desenvolvimento Econômico do Norte de Ontário, anunciou um investimento de US$ 500 mil na Thunder Bay Community Economic Development Inc – corporação de desenvolvimento comunitário, liderada por um conselho independente com financiamento principal na cidade de Thunder Bay – com o objetivo de apoiar a instalação de até 63 carregadores de VEs em Ontário. Este investimento, que tornará o carregamento de VEs mais acessível a todos, será financiado pelo Programa de Infraestrutura de Veículos de Emissão Zero (ZEVIP) do Natural Resources Canada. (EE Online – 07.03.2022)

<topo>

5 Novos carregadores de alta velocidade de VEs operam nas Cataratas do Niágara

A New York Power Authority (NYPA) anunciou as primeiras estações de carregamento rápido abertas a qualquer marca ou modelo de veículos elétricos (VEs) no lado americano das Cataratas do Niágara. Os quatro novos carregadores, instalados pela NYPA, estão na Niagara Consumer Square, 7200 Niagara Falls Blvd., a apenas seis quilômetros do Niagara Falls State Park. A localização mais recente eleva o número de eletropostos na rede de carregamento de alta velocidade, EVolve NY da NYPA, para 72 e oferece uma parada de carregamento de VE rápido e conveniente para viajantes que visitam as cachoeiras ou outras atrações na cidade de Niagara Falls. (EE Online – 04.03.2022)

<topo>

6 Escócia: Redes de eletricidade colaboram para apoiar a descarbonização do transporte

A distribuidoras de energia elétrica Scottish and Southern Electricity Networks (SSEN) Distribution e a SP Energy Networks, e a especialista em frota de veículos elétricos e armazenamento de baterias Zenobe, trabalharam em colaboração com a Força-Tarefa de Descarbonização de Ônibus da Escócia, uma iniciativa conjunta entre a indústria e o governo da Escócia. A força-tarefa tem como objetivo produzir orientações sobre como os operadores de frota podem mudar para a eletricidade, fazendo escolhas tecnológicas informadas e trabalhando com sua rede operador, dessa forma as orientações irão apoiar os operadores de frotas a atingir a neutralidade das emissões de gases do efeito estufa. (EE Online – 01.03.2022)

<topo>

7 Fortescue acelera planos para powertrain elétrico carregado por gravidade

A gigante da mineração Fortescue anunciou planos de gastar quase US$ 51,4 milhões nos próximos dois anos para desenvolver o Infinity Train, um trem que carregará totalmente sua bateria usando energia gravitacional gerada em seções de descida da rede ferroviária da mineradora. O trem será desenvolvido em colaboração com a Williams Advanced Engineering (WAE), a ramificação britânica da equipe de automobilismo Williams de Fórmula 1. A Fortescue adquiriu a WAE por AUD 310 milhões em janeiro, apesar disso, a WAE continuará sendo uma empresa independente, mas sua divisão de tecnologia de baterias será coordenada de perto com a Fortescue. Para marcar a conclusão da aquisição, Fortescue e WAE anunciaram planos para desenvolver o que eles disseram ser o primeiro trem de emissão zero de gases do efeito estufa do mundo. (PV Magazine – 04.03.2022)

<topo>

8 Sony e Honda criam parceria estratégica para veículos elétricos

A Sony e a Honda concordaram em estabelecer uma joint venture para desenvolver e comercializar veículos elétricos a bateria (VEs) de alto valor agregado e outros serviços, com o objetivo de realizar e alinhar uma nova geração de mobilidade e serviços com os usuários e o meio ambiente. A experiência da Honda no setor de VEs, a tecnologia de fabricação de carrocerias de veículos e a experiência de gerenciamento de serviços pós-venda serão combinadas com a experiência da Sony em tecnologias de imagem, sensoriamento, telecomunicações, rede e entretenimento. (Smart Energy – 04.03.2022)

<topo>

9 EUA: Transporte público recebe financiamento para adoção de ônibus elétrico

Os sistemas de transporte público, que se esforçam para reconquistar passageiros após a pandemia de Covid-19, estão recebendo um impulso de US$ 3,7 bilhões para se manter em operação e investir em novas frotas de ônibus elétricos. Com as restrições de máscaras desaparecendo e os trabalhadores começando a retornar aos escritórios, o governo Biden concedeu US$ 2,2 bilhões em financiamento para aliviar os impactos da pandemia do coronavírus a 35 agências de trânsito com dificuldades financeiras em 18 estados. E os outros US$ 1,5 bilhão estará disponível sob a lei de infraestrutura para que as agências de trânsito comprem ônibus de baixa ou nenhuma emissão. (Power Grid – 07.03.2022)

<topo>

 

 

Eficiência Energética

1 Enel investiu R$ 88,8 milhões em projetos de eficiência energética em 2021

A Enel investiu R$ 88,8 milhões em projetos de eficiência energética em suas quatro áreas de concessão no Brasil, em 2021. Segundo a companhia, os projetos realizados em Ceará, Goiás, Rio de Janeiro e São Paulo, foram financiados com recursos do Programa de Eficiência Energética (PEE) da ANEEL. Além disso, os projetos beneficiaram mais de 330 mil pessoas, proporcionando uma economia no consumo de energia estimada em 62.257 MWh por ano, o suficiente para abastecer 30.518 residências em um ano. A Enel também informou que no período substituiu 352 mil lâmpadas antigas por LED e promoveu a troca de 7,9 mil geladeiras por modelos mais modernos e econômicos. Além disso, a companhia informou que promove a Chamada Pública de Projetos (CPP) de Eficiência Energética, por meio da qual clientes de todas as categorias atendidas pela empresa podem inscrever projetos com foco no consumo eficiente e sustentável de energia elétrica. (Broadcast Energia – 04.03.2022)

<topo>

2 ComEd expandirá iniciativas eficiência energética

A ComEd, empresa de entrega elétrica ao norte de Illinois, apresentou esta semana um plano de quatro anos de US$ 1,7 bilhão à Comissão de Comércio de Illinois (ICC), que tem como objetivo expandir várias iniciativas de eficiência energética entre empresas e programas do setor público, bem como oferecer assistência aos clientes de baixa renda. Com base no feedback das partes interessadas locais e incorporando as mudanças permitidas pela nova lei de energia limpa de Illinois, esta atualização do plano de eficiência energética da empresa de 2021 abrangeria o período até 2025. Entre seus aspectos mais notáveis, o plano disponibilizaria quase três vezes os US$ 40 milhões por ano exigidos pela ComEd para investir em programas para pessoas de baixa renda. (Daily Energy Insider – 04.03.2022)

<topo>

3 Eficiência energética: Uma fonte de energia por direito próprio

Analisar a prioridade da eficiência energética nas diretivas europeias e como ela deve ser aplicada nos diferentes setores da economia para obter preços de energia mais baixos e melhorias na produtividade e competitividade através da inovação tecnológica é o objetivo do último relatório do IPM, intitulado “La Eficiencia Energética es una fuente de energía por derecho propio”. O relatório concluiu que dada a gravidade do aumento dos preços da energia, priorizar a eficiência energética não só demonstra como a eletricidade pode ser economizada e se tornar mais barata, mas também como o modelo elétrico tradicional de produção e venda de energia está esgotado e será substituído pela prioridade dos recursos energéticos pelo lado da demanda, ou seja, pelo consumidor ativo. (Energías Renovables – 02.03.2022)

<topo>

 

 

Microrredes e VPP

1 Austrália: Governo financia microrrede de energia renovável na região de Daintree

Uma microrrede de energia renovável estará operacional na região de Daintree, Austrália, até 2024 e será financiada pelo governo federal. A empresa de energia renovável Volt Advisory Group receberá US$ 18,75 milhões ao longo de três anos do Commonwealth Bank Group, banco de crédito australiano, para construir a instalação de armazenamento que comporta operações de conversão de energia solar para hidrogênio e armazena energia em bateria sob o Programa Daintree Microgrid. O início da construção da instalação segue um estudo de viabilidade de quase US$ 1 milhão concluído em 2020, que foi apoiado pelo Fundo de Confiabilidade de Comunidades Regionais e Remotas com US$ 50 milhões. O ministro da Indústria australiano, Angus Taylor, disse que a microrrede melhoraria a acessibilidade, confiabilidade e resiliência do fornecimento de eletricidade para a região de Daintree. (InnovationAus – 08.03.2022)

<topo>

2 Microrredes descentralizadas são a solução para a crise de mobilidade na África

O desenvolvimento de microrredes descentralizadas de energia renovável deve ser incentivado e habilitado em toda a África para permitir a adoção de veículos elétricos (VEs) em áreas remotas. O CEO da empresa de energia Hamster Energy, Idris Rufai, observou que a África não tinha infraestrutura e capacidade para apoiar soluções de mobilidade elétrica, especialmente nas áreas rurais, mas que a solução estava em descentralizar o fornecimento de energia das redes estatais e permitir que o setor privado entrasse no mercado, construindo microrredes baseadas em energia renovável para atender áreas remotas. Segundo o CEO, isso permitiria uma competição saudável que levaria a um melhor serviço e preços mais baixos. Isso, no entanto, exigiria que os formuladores de políticas permitissem grandes quantidades de investimento de pequena escala no estabelecimento de microrredes em todo o continente. (Engineering News – 02.03.2022)

<topo>

3 Instalação de teste de microrrede de Queensland contribui para a transição energética do estado

A concessionária de Queensland, Ergon Energy, abriga as novas instalações de Microgrid and Isolated Systems Test (MIST). A instalação de AU$ 6 milhões em Cairns, inaugurada em outubro de 2021, está ajudando a orientar a transição energética do estado australiano, de acordo com um comunicado. O MIST, anunciado como um dos centros de P&D de energia mais sofisticados da Austrália, é utilizado para testes de energia solar e baterias, microrredes e sistemas de energia autônomos, bem como tecnologias emergentes, como armazenamento de energia de hidrogênio e redução de carbono. Em uma visita recente à instalação, Cameron Dick, tesoureiro e ministro do Comércio e Investimento, disse que o MIST está desempenhando um papel fundamental no avanço das energias renováveis e na integração de novas tecnologias na rede elétrica de Queensland. (Smart Energy – 23.02.2022)

<topo>

4 EUA: Microrrede comunitária será construída em Chicago

O Bronzeville, bairro da cidade de Chicago (EUA), em breve terá a primeira microrrede comunitária da América, após resolver a questão de como conectar e desconectar suavemente o sistema da microrrede, que poderá atender mais de mil prédios do estado de Illinois. A microrrede de US$ 25 milhões deve entrar em operação seis anos depois que a concessionária Commonwealth Edison (ComEd) prometeu fornecer energia a este bairro para transformá-lo em uma “comunidade do futuro”. O andamento do projeto foi acelerado depois que a ComEd e o Departamento de Energia (DOE) confirmaram que a geração de energia renovável e a complicada rede de geradores a gás natural da região podem trabalhar juntos para desconectar e reconectar à rede estadual. (The Energy Mix – 04.03.2022)

<topo>

5 EUA: Swell Energy e Nuvve irão integrar recursos energéticos distribuídos com VPPs

A empresa de projetos de usinas virtuais (VPPs) dos EUA, Swell Energy, formou uma parceria com a empresa especialista em mobilidade elétrica Nuvve para explorar a integração de diferentes recursos energéticos distribuídos (REDs) para residências e empresas. Os parceiros estão lançando um compromisso estratégico de investigar como veículos elétricos (VEs) e infraestrutura associada podem participar da rede VPP da Swell. O modelo de VPP agrega um grande número de sistemas de armazenamento em baterias residenciais, com e sem placas de energia solar fotovoltaica. Agregá-los significa que eles podem ser controlados e despachados de forma coordenada, ajudando as concessionárias a gerenciar os fluxos de energia em suas redes e reduzindo a dependência de usinas termelétricas. (Energy Storage News – 07.03.2022)

<topo>

 

 

Tecnologias e Soluções Digitais

1 EUA: A JCP&L planeja instalar 1,1 milhão de medidores inteligentes a partir de 2023

A Jersey Central Power & Light (JCP&L), provedora americana de energia, planeja instalar 1,1 milhão de medidores inteligentes para seus clientes, a partir de 2023. O plano, aprovado no fim de fevereiro de 2022 pelo Conselho de Serviços Públicos de Nova Jersey, prevê a instalação dos medidores inteligentes daqui a três anos. Os medidores inteligentes permitem a comunicação bidirecional e leitura automatizada do medidor. Dentre as vantagens, está a não necessidade de leituras de medidores no local, resultando em um faturamento mais preciso. Além disso, os medidores também ajudam os clientes a acompanhar melhor seu consumo de energia, o que reduz os custos de eletricidade. No lado da empresa, a tecnologia auxilia a detectar e localizar interrupções mais rapidamente. (Daily Energy Insider– 07.03.2022)

<topo>

2 Companhias Itron e Utilismart colaboram em solução de medição inteligente

A Itron (empresa especializada em soluções para cidades inteligentes) e a Utilismart (fornecedora de soluções digitais para o setor elétrico) estão desenvolvendo um projeto que combina os medidores elétricos baseados em tecnologia celular da Itron com a análise e gerenciamento de dados da Utilismart. A solução, destinada às concessionárias canadenses e norte-americanas, e cooperativas e concessionárias municipais, busca estender as capacidades dos sistemas de leitura automatizada de medidores (AMR) com recursos avançados de infraestrutura de medição (AMI). (Smart Energy– 07.03.2022)

<topo>

3 Namíbia: Hidrogênio verde será verificado com tecnologia blockchain

O provedor descentralizado de dados climáticos dClimate firmou parceria com a Namíbia para se tornar um verificador do impacto de carbono e das iniciativas de sustentabilidade do país. A parceria por meio da Universidade da Namíbia incluirá o estabelecimento de um sistema de registro e verificação local de blockchain para quantificar a economia de carbono do país, emissões de carbono e créditos de carbono de projetos de hidrogênio verde na Namíbia. (Smart Energy– 07.03.2022)

<topo>

4 Gridspertise e a Qualcomm desenvolverão novas soluções de rede inteligente

As empresas Gridspertise (especialista em redes inteligentes) e a Qualcomm (especializada em tecnologias de digitalização) pretendem explorar oportunidades e novas soluções para que as concessionárias gerenciem as crescentes complexidades da rede. A parceria fornece uma estrutura que pode levar à criação de novas soluções para monitoramento de ativos de energia e aplicativos avançados para gerenciamento de rede com base no dispositivo Quantum Edge (QEd) lançado recentemente. O QEd baseia-se nas soluções de Internet das Coisas (IoT) da Qualcomm Technologies para digitalizar e tornar virtual os componentes físicos de subestações secundárias para criar um ‘gêmeo digital’ na nuvem, onde eles podem ser gerenciados remotamente. (Smart Energy– 02.03.2022)

<topo>

5 Energy Web desenvolve aplicativo de carregamento de VE baseado em blockchain

A Energy Web (companhia especializada em sistemas decentralizados de energia), em parceria com a Vodafone (companhia de tecnologias de comunicação) e o Mastercard (multinacional especializada em transações e digitalização), irá desenvolver soluções para uma nova plataforma de ‘Economy of Things’. A plataforma, que permitirá que dispositivos conectados verificados a partir da tecnologia blockchain no sistema Digital Asset Broker (DAB) da Vodafone realizem transações de forma transparente e segura, inclui veículos elétricos (VEs) que realizam transações diretamente com pontos de carregamento. A solução também inclui interações entre outros veículos, máquinas e dispositivos IoT. O serviço foi testado em um VE conectado se comunicando de forma autônoma e segura com um ponto de carregamento no Reino Unido. (Smart Energy– 02.03.2022)

<topo>

 

 

Segurança Cibernética

1 Ataque cibernético por satélite paralisa 11 GW de turbinas eólicas na Alemanha

Operadores alemães de turbinas eólicas foram confrontados com uma falha na conexão via satélite de seus sistemas causada por um ataque cibernético. Dominik Bertrams, diretor da operadora de parques eólicos Tobi Windenergie Verwaltungs GmbH, anunciou no Twitter que o monitoramento e controle remoto de milhares de turbinas eólicas falhou. A interrupção ocorreu quando o exército russo invadiu a Ucrânia. Deste modo, Bertrams suspeitou de um ataque cibernético de hackers russos. (PV Magazine – 01.03.2022)

<topo>

2 Especialistas acreditam que o risco cibernético para concessionárias dos EUA é limitado

A invasão da Ucrânia pela Rússia aumentou as tensões globais e os setores críticos de infraestrutura dos EUA estão em alerta máximo para possíveis ataques cibernéticos. Mas especialistas acreditam que não há aumento imediato na ameaça às empresas de eletricidade e pode não ser necessário que as concessionárias tomem medidas defensivas adicionais imediatamente. No final de fevereiro, o presidente Joe Biden alertou a Rússia sobre a iminência de um contra-ataque cibernético caso a infraestrutura crítica americana seja violada. O governo federal estadunidense está trabalhando há meses para reforçar a defesa de 16 setores críticos, incluindo energia, comunicações, serviços financeiros e agricultura. (Cyber Security Dive – 04.03.2022)

<topo>

3 Ataque cibernético à Nvidia resulta em vazamento de dados e roubo de credenciais

A principal fabricante de placas de vídeo dos EUA, a Nvidia, disse que sua rede de TI sofreu um ataque cibernético, que resultou no roubo de credenciais de funcionários e de algumas informações privadas, disse um porta-voz da empresa. A empresa confirmou que o responsável pelo ataque, que não foi identificado, começou a vazar as informações online. A Nvidia disse que trabalhou para fortalecer sua rede de computadores, acionou especialistas em resposta a incidentes e notificou as agências de aplicação da lei. Segundo a companhia, o ataque não estava relacionado à guerra na Ucrânia e o ransomware não foi implantado. (Cyber Security Dive – 25.02.2022)

<topo>

 

 

Eventos

1 GESEL no T&D Energy

Nos dias 18 e 19 de abril acontecerá o T&D Energy, evento que tem o objetivo de discutir o futuro das redes elétricas sob o pano de fundo da transição energética. O GESEL estará representado neste evento pelo seu coordenador, Nivalde de Castro, no painel sobre digitalização, descentralização e descarbonização e seus impactos sobre as redes elétricas. O evento será híbrido – presencial e online – e a programação completa está disponível em: https://tdenergy.com.br/. Para se inscrever, clique aqui. (GESEL-IE-UFRJ – 08.03.2022)

<topo>

2 RE+ Northeast: A transição energética está paralisada por falta de urgência?

O evento RE+ Northeast em Boston, organizado pela Solar Energy Industries Association (SEIA) e pela Smart Electric Power Alliance (SEPA), reuniu as partes interessadas em energia limpa para um networking em prol das fontes renováveis. Durante o evento, os palestrantes disseram que o envolvimento das partes interessadas na transição energética não está onde precisa para avançar na adoção de energia limpa. Zaid Ashai, CEO da Nexamp, acrescentou que pensa em como os desenvolvedores de energia solar e as concessionárias de energia elétrica muitas vezes tiveram dificuldade em se entender, pois os projetos que buscam interconectar enfrentam longos atrasos para entrarem em operação. Por fim, visto a urgência da transição energética, Ashai conclui que “a indústria precisa de uma tenda maior e precisa convidar mais pessoas, incluindo proprietários de terras e instituições financeiras.” (Power Grid – 24.02.2022)

<topo>

 

 

Artigos e Estudos

1 Artigo de Marcelo Tanos Naves: “Decisão judicial suspende cobrança de demanda contratada previamente à conexão de unidade minigeradora distribuída”

Em artigo publicado pela Agência CanalEnergia, Marcelo Tanos Naves (advogado e sócio-fundador da LTSC Sociedade de Advogados) analisa a suspensão da cobrança de demanda contratada previamente à conexão de unidade minigeradora distribuída e seus impactos para os deveres da distribuidora local. Segundo o autor, “para integrar o sistema de compensação de energia elétrica e pagar demanda contratada, a unidade minigeradora deve estar conectada ao sistema de distribuição da concessionária local, o que não ocorrerá no caso apreciado pelo juízo da 5ª Vara da Fazenda Pública e Autarquias da Comarca de Belo Horizonte/MG, realçando, portanto, a manifesta ilegitimidade da cobrança por serviço não prestado.” Para ler o texto na íntegra, clique aqui. (GESEL-IE-UFRJ – 22.02.2022)

<topo>


Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Lorrane Câmara e Luiza Masseno
Pesquisadores:
Cristina Rosa, Matheus Balmas e Pedro Barbosa
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

As notícias divulgadas no IFE não refletem necessariamente os pontos da UFRJ. As informações que apresentam como fonte UFRJ são de responsabilidade da equipe de pesquisa sobre o Setor Elétrico, vinculada ao NUCA do Instituto de Economia da UFRJ.

POLÍTICA DE PRIVACIDADE E SIGILO
Respeitamos sua privacidade. Caso você não deseje mais receber nossos e-mails,  Clique aqui e envie-nos uma mensagem solicitando o descadastrado do seu e-mail de nosso mailing.


Copyright UFRJ

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: