IFE.ME 96

Informativo Eletrônico – Mobilidade Elétrica nº 96 – publicado em 09 de março de 2022.

IFE: Informativo Eletrônico de Mobilidade Elétrica – GESEL-UFRJ <!–

l

IFE: nº 96 – 09 de março de 2022
http://gesel.ie.ufrj.br/
gesel@gesel.ie.ufrj.br

Editor: Prof. Nivalde J. de Castro

Índice

Políticas Públicas e Regulatórias
1
Artigo GESEL: “Ecossistema da Mobilidade Elétrica no Brasil: Panorama atual e novas oportunidades”
2 Brasil/São José dos Campos: Frota de ônibus 100% elétrica
3 Chile: Veículos com motores de combustão serão banidos até 2045
4 Austrália: Estado de Victoria avança no processo de eletrificação
5 Itália: Cidade de Milão irá adquirir 350 ônibus elétricos
6 Reino Unido: Investimento em cadeias de suprimentos de VEs
7 Portugal: Reajuste de incentivo para compra de VEs
8 Canadá: Financiamento para ampliação de infraestrutura de carregamento de VEs
9 Bélgica: Novo subsídio para substituição de frotas de ônibus
10 Coreia do Sul: Híbridos plug-in não receberão mais subsídios
11 EUA/DOE: Better Climate Challenge reúne fabricantes e fornecedores de veículos

12 EUA: Delaware adota regulamentos ZEV da Califórnia

Inovação e Tecnologia
1 Volvo: Teste de novo carregador sem fio na Suécia
2 Siemens: Solução de carregamento para frotas
3 Mullen Technologies: VEs utilizarão baterias de estado sólido a partir de 2025
4 WiTricity: Pacote de atualização pós-venda permite carregamento sem fio

Indústria Automobilística
1 Volkswagen: Caminhão e-Delivery tem novos carregadores e será exportado para a Colômbia
2 EUA: Panorama de vendas de VEs em 2021
3 Competição de montadoras e o avanço nos investimentos em desenvolvimento de baterias

4 Japão: Demanda por VEs avança e importação cresce

5 Hyundai: Metas e estratégias para eletrificação

6 Kia: Metas e estratégias para eletrificação

7 Stellantis: Metas e estratégias para a neutralidade de carbono

8 Sony/Honda: Aliança para desenvolvimento de VEs
9 Ford: Reorganização operacional visa acelerar eletrificação
10 Isuzu, Hino e Toyota: Eletrificação de frotas de ônibus
11 Polestar: Parcerias visam a criação de veículo com zero impacto ambiental
12 BYD: Maior encomenda de caminhões elétricos dos EUA
13 MAN: Produção de caminhões elétricos pesados é acelerada

14 Volkswagen: Anúncio de nova fábrica de VEs em Wolfsburg

15 Audi FAW NEV Company: Nova fábrica deve produzir até 150 mil VEs por ano

16 Tesla: Fábrica em Berlim é liberada para operação

17 Eaton: Nova unidade de negócios ePowertrain

18 Letenda: Novo modelo de ônibus elétrico visa atender regiões com temperaturas mais baixas

Meio Ambiente
1 ESG: Serviço Charge myHyundai utilizará 100% de energia verde
2 ESG: Correio austríaco deixará de comprar veículos movidos a combustíveis fósseis
3 Noruega: Plataforma Verde para a produção sustentável de baterias

Eventos e Estudos
1 Comissão Europeia: Tecnologia de battery swapping pode ser a melhor solução para híbridos plug-in
2 Comissão Europeia: Impostos têm maior impacto na redução das emissões de carbono
3 EUA: Aumento da oferta de minerais necessários para veículos elétricos
4 EUA/DOE: Estudo apresenta detalhes das novas baterias de estado sólido


 

 

Políticas Públicas e Regulatórias

1 Artigo GESEL: “Ecossistema da Mobilidade Elétrica no Brasil: Panorama atual e novas oportunidades”

Em artigo publicado pelo GESEL, Luiza Masseno Leal (Pesquisadora Associada do GESEL/UFRJ), Vinícius José da Costa (Pesquisador Júnior do GESEL/UFRJ), Leonardo Gonçalves (Pesquisador Júnior do GESEL/UFRJ) e João Pedro Gomes (Pesquisador Júnior do GESEL/UFRJ), analisaram o panorama do ecossistema de ME, as principais iniciativas e políticas públicas no Brasil. Além disso, buscou-se avaliar as principais motivações e oportunidades para a ME no país. Os autores apontam que: “Apesar do mercado de ME no país se encontrar em estágio incipiente em comparação aos países desenvolvidos, diversas corporações e instituições do setor público e privado, observando as janelas de oportunidades presentes, vêm se mobilizando e atuando de maneira conjunta nos últimos anos, com a finalidade de acelerar a sua difusão no Brasil.” Em seguida, destacam que “a falta de políticas públicas coordenadas e integradas para a promoção da ME ainda representa uma barreira para uma maior disseminação da indústria da eletromobilidade”. Por fim, ressalta-se que “o Brasil deve se beneficiar em larga escala com a expansão do ecossistema da ME, diante de benefícios ambientais e de saúde pública, de uma maior segurança energética, do desenvolvimento tecnológico e do aproveitamento de oportunidades econômicas.” Para acessar o artigo na íntegra, clique aqui.

<topo>

2 Brasil/São José dos Campos: Frota de ônibus 100% elétrica

A prefeitura da cidade de São José dos Campos (SP) anunciou que sua frota de ônibus será 100% elétrica, sendo o primeiro município brasileiro com transporte público totalmente elétrico. A expectativa é que os novos modelos comecem a operar em outubro deste ano. A frota será composta por até 437 ônibus no modelo padron 0 km, 100% elétrico, com ar condicionado e carregador USB. O edital para a locação dos veículos foi publicado pela Urbam (Urbanizadora Municipal), que será responsável pela gestão do contrato de locação, além dos serviços de manutenção preventiva e corretiva dos veículos e do sistema de carregamento e geração de energia. Os envelopes com as propostas serão abertos no dia 29 de março. (Automotive Business – 07.03.2022)

<topo>

3 Chile: Veículos com motores de combustão serão banidos até 2045

O governo do Chile adotou uma estratégia nacional para a eletromobilidade. Em três etapas entre 2035 e 2045, diferentes classes de veículos serão vendidas apenas com propulsão de emissão zero. Como explica o governo em comunicado, um dos principais objetivos da estratégia é que todos os veículos leves e médios vendidos, todos os transportes públicos (ônibus, táxis e táxis compartilhados) e as vendas de máquinas pesadas sejam livres de emissões até 2035. De acordo com o governo, isso vai “beneficiar diretamente a qualidade de vida dos chilenos”. No comunicado, o governo foca nas metas para 2035, mas a estratégia afirma que, a partir de 2045, todos os novos veículos para transporte de longa distância de passageiros e transporte terrestre de carga – ou seja, ônibus e caminhões – também devem ser livres de emissões. A partir de 2040, as máquinas agrícolas também serão livres de emissões. “Esta é uma política governamental que estabelece um roteiro para avançarmos no desenvolvimento do transporte sustentável, com benefícios diretos para os chilenos. Também nos permitirá reduzir nossa dependência de combustíveis fósseis importados”, afirma Francisco López, subsecretário de Energia. (Electrive – 07.03.2022)

<topo>

4 Austrália: Estado de Victoria avança no processo de eletrificação

O governo do estado de Victoria, na Austrália, anunciou um novo orçamento para comprar carros elétricos para sua frota. O compromisso inclui a compra de 400 novos veículos e implantação de infraestrutura de recarga nos próximos dois anos por cerca de US$ 15 milhões. 75 veículos de emissão zero estão previstos para compra antes do final de junho deste ano, com mais 325 carros adicionados à frota do governo no exercício seguinte. “Veículos elétricos e de emissão zero são o futuro do transporte, e estamos abrindo caminho com os primeiros veículos de emissão zero entrando na frota do governo vitoriano”, disse o tesoureiro assistente do estado, Danny Pearson. A Ministra de Energia, Meio Ambiente e Mudanças Climáticas, Lily D’Ambrosio, chamou a medida de “investimento histórico em energia renovável, necessário para cumprir nossa meta ambiciosa de reduzir pela metade as emissões até 2030, e os veículos elétricos têm um papel crítico a desempenhar no cumprimento desse compromisso”. O estado de Victoria também comprometeu todas as novas compras no setor de transporte público a partir de 2025 para serem exclusivamente ônibus elétricos e irá alimentar todos os trens com energia renovável. O estado tem como meta emissões líquidas zero até 2050. (Electrive – 03.03.2022)

<topo>

5 Itália: Cidade de Milão irá adquirir 350 ônibus elétricos

A Câmara Municipal de Milão aprovou uma resolução que abre caminho para a liberação de 249 milhões de euros para o programa de renovação da frota da empresa de transporte público local ATM. Os fundos permitirão à ATM comprar um total de 350 novos ônibus de emissão zero para transporte público, incluindo a implementação da infraestrutura necessária até junho de 2026. Isso elevará o número de ônibus elétricos da ATM para 510 até 2026. Até 2030, todos os ônibus da ATM em Milão serão elétricos. No passado, a ATM dependia principalmente de veículos da fabricante polonesa Solaris, incluindo ônibus elétricos a bateria e também trólebus. De acordo com o anúncio da cidade, 160 milhões de euros serão gastos em novas compras de veículos e 54 milhões de euros em infraestrutura de recarga. Arianna Censi, Conselheira de Mobilidade, disse: “A cidade de Milão, juntamente com a ATM, pretende se tornar a cidade com transporte público de emissão zero em menos de uma década. O futuro verde de nossa cidade exige comprometimento da Administração para atingir metas importantes e a renovação da frota de ATMs é uma delas”. (Electrive – 24.02.2022)

<topo>

6 Reino Unido: Investimento em cadeias de suprimentos de VEs

A UK Research and Innovation, órgão ligado ao Departamento de Negócios, Energia e Estratégia Industrial (BEIS, na sigla em inglês), está investindo £ 16,7 milhões para construir “a capacidade de fabricação que a Grã-Bretanha precisa para liderar a revolução elétrica”. O financiamento será destinado a 10 projetos diferentes em todo o Reino Unido, cada um em torno da autossuficiência das cadeias de suprimentos da Grã-Bretanha para eletrônica de potência, máquinas e acionamentos. Este não será o único investimento na área, pois os organizadores explicam que o investimento de £ 16,7 milhões faz parte de um fundo global de £ 80 milhões. “Este investimento apoiará o impulso do Reino Unido em direção a uma economia líquida de carbono zero e contribuirá para o desenvolvimento de cadeias de suprimentos de tecnologia limpa no valor de £ 80 bilhões até 2050.” Parte desse investimento será de £33 milhões para criar uma rede de centros regionais de industrialização em Strathclyde, Sunderland, Nottingham e Newport. Uma soma de £ 6 milhões também será destinada ao treinamento de uma força de trabalho qualificada para apoiar a “economia verde de alta tecnologia do Reino Unido do futuro”. (Electrive – 24.02.2022)

<topo>

7 Portugal: Reajuste de incentivo para compra de VEs

O apoio individual para a compra de veículos elétricos vai aumentar em mil euros, passando de 3 mil euros para 4 mil euros, este ano. A informação foi anunciada pelo ministro do Ambiente e da Ação Climática, João Pedro Matos Fernandes. Em conferência, o ministro referiu também que o montante anual para apoio de aquisição de veículos elétricos irá duplicar, passando a ser de 10 milhões de euros. Este aumento anual visa os apoios à compra não só de automóveis, como também de veículos comerciais de empresas. Matos Fernandes referiu que os valores sobre os apoios à compra de veículos elétricos ao longo de 2022 serão publicados no despacho do Fundo Ambiental que deverá ser divulgado até meados de março. (Away – 07.03.2022)

<topo>

8 Canadá: Financiamento para ampliação de infraestrutura de carregamento de VEs

O Ministério dos Recursos Naturais do Canadá segue avançando na construção da infraestrutura de recarga do país por meio do seu “Programa de Infraestrutura de Veículos de Emissão Zero” (ZEVIP, na sigla em inglês). Recentemente, a autoridade anunciou um investimento de US$ 2 milhões na Alectra Utilities Corporation. O montante, segundo a pasta, apoiará a instalação de até 340 carregadores de VEs na cidade de Ontário. A Alectra instalará todos os carregadores de veículos elétricos em locais públicos, condomínios residenciais, ruas, locais de trabalho ou instalações para atender frotas de veículos leves até outubro de 2023. A concessionária, no entanto, não especificou o tipo de carregamento de veículos elétricos que eles irão oferecer. O novo anúncio segue notícias anteriores sobre o mesmo esquema de financiamento. O ZEVIP é um programa de US$ 280 milhões que termina em 2024. O governo canadense acrescentou que, desde 2015, investiu um bilhão de dólares para tornar os VEs e as estações de carregamento mais acessíveis para os canadenses. Os investimentos em infraestrutura de carregamento feitos até agora vão resultar em mais de 25.000 pontos de carregamento, estima a autoridade. (Electrive – 01.03.2022)


<topo>

9 Bélgica: Novo subsídio para substituição de frotas de ônibus

Na região flamenga da Bélgica, os operadores de ônibus podem agora reivindicar 21.700 euros por ano ao substituir os ônibus a diesel por modelos de emissão zero. O governo da Flandres, juntamente com a Federação Belga de Autocarros e Operadores de Autocarros (FBAA) e a operadora De Lijn, fizeram acordos concretos. O novo acordo de financiamento faz parte do Plano Climático Flamengo. Os parceiros estimam que o subsídio adicionaria 300 ônibus elétricos na Flandres nos próximos três anos e reduziria as emissões de CO2 em 50.000 toneladas. Os operadores podem receber uma quantia anual de até 21.700 euros na substituição de um ônibus a diesel por um ônibus elétrico a bateria ou a célula a combustível nos termos dos contratos atuais. “Foi um passo importante para tornar o transporte público verde na Flandres”, disse a Ministra da Mobilidade e Obras Públicas, Lydia Peeters. “Afinal, o transporte público também é um parceiro importante no plano climático flamengo”. Entre os parceiros, está a operadora De Lijn, que em dezembro do ano passado encomendou 60 ônibus elétricos da Van Hool e da VDL. A entrega está prevista para o final deste ano, e a De Lijn aprovou um memorando de entendimento para compra de 350 e-buses dos referidos fornecedores em junho de 2021. (Electrive – 03.03.2022)

<topo>

10 Coreia do Sul: Híbridos plug-in não receberão mais subsídios

O governo sul-coreano quer remover os carros híbridos plug-in de sua lista de carros ecologicamente corretos a partir de 2025 ou 2026. Isso significaria que os proprietários de carros com acionamentos híbridos não teriam mais benefícios fiscais e bônus de compra. Em vez disso, os veículos elétricos de duas rodas devem ser promovidos no futuro. Para carros de passeio, de acordo com o vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças Hong Nam-ki, o governo “pressionará por medidas para excluir carros híbridos da lista de carros de baixa emissão a partir de 2025 ou 2026”. No entanto, isso não significa que o governo retire os PHEVs da lista imediatamente porque a regulamentação está atualmente limitada até o final de 2022. Em vez disso, apenas carros elétricos a bateria e movidos a hidrogênio serão subsidiados. No início de 2021, a Coreia do Sul havia introduzido um teto de preço para subsídios. Desde então, os veículos que custem mais do que 67.800 euros deixaram de ser elegíveis para subsídios. Além disso, o subsídio integral só está disponível até ao limite de 45.160 euros – acima disso, apenas metade do subsídio é disponibilizado. (Electrive – 07.03.2022)

<topo>

11 EUA/DOE: Better Climate Challenge reúne fabricantes e fornecedores de veículos

O Departamento de Energia dos EUA (DOE, sigla em inglês) anunciou um compromisso de mais de 90 empresas e organizações para reduzir suas emissões de carbono até 2030 por meio do Better Climate Challenge do DOE. Esta parceria público-privada nacional convida organizações de todo o país a definir metas de redução de gases de efeito estufa em todo o portfólio e compartilhar suas soluções inovadoras e melhores práticas com parceiros e em todos os setores. O DOE fornecerá assistência técnica e convocará intercâmbios para facilitar o compartilhamento de soluções entre instalações e frotas. Qualquer organização com um portfólio de edifícios/plantas/moradia nos EUA é bem-vinda para participar. Entre os parceiros inaugurais do Better Climate Challenge estão fabricantes e fornecedores de veículos, incluindo: Bendix Commercial Vehicle Systems, BorgWarner, Cleveland-Cliffs, Cummins, Ford Motor, General Motors, Harley Davidson, Johnson Controls, Lear, Nissan North America, Toyota North America e Volvo Group North America. Para saber mais sobre o programa, clique aqui. (Green Car Congress – 01.03.2022)

<topo>

12 EUA: Delaware adota regulamentos ZEV da Califórnia

Delaware se juntará a 13 outros estados na adoção dos regulamentos de Zero Emission Vehicle (ZEV) da Califórnia. Gerenciado pelo Departamento de Recursos Naturais e Controle Ambiental de Delaware (DNREC, sigla em inglês), o programa ZEV foi projetado para acelerar a comercialização de veículos elétricos a bateria, híbridos plug-in e elétricos a célula de combustível. Os regulamentos determinam que uma certa porcentagem dos veículos entregues para venda em um estado sejam veículos ZEV. Os fabricantes recebem créditos por cada veículo entregue com base no tipo de veículo, autonomia e outros fatores. A cada ano, os fabricantes devem cumprir um valor de crédito ZEV baseado na média anual de vendas. Nos estados já inscritos no programa, a indústria automobilística atendeu com sucesso o percentual exigido. O secretário do DNREC, Shawn M. Garvin, disse que aumentar o número de veículos de emissão zero nas estradas de Delaware, juntamente com a construção da rede de carregamento de veículos elétricos do estado, são as principais estratégias descritas no Plano de Ação Climática de Delaware, resultado de um processo de dois anos envolvendo moradores, empresas e especialistas técnicos. (Green Car Congress – 04.03.2022)

<topo>

 

 

Inovação e Tecnologia

1 Volvo: Teste de novo carregador sem fio na Suécia

Uma nova tecnologia de carregamento sem fio está sendo testada pela Volvo Cars na Suécia e pode ser tornar o futuro das estações de recarga para carros elétricos. Durante três anos, uma pequena frota de carros Volvo XC40 Recharge 100%e elétrico será usada como táxi pela Cabonline, a maior operadora de táxi da região nórdica, e carregada sem fio em estações em Gotemburgo, Suécia. As estações de carregamento em teste são da Momentum Dynamics, fornecedora líder de sistemas de carregamento elétrico sem fio. O carregamento começa automaticamente quando um veículo compatível estaciona sobre um carregador embutido na rua, permitindo que os motoristas carreguem sem sair do carro. O eletroposto envia energia através do ‘charging pad’ e é captada por uma unidade receptora no carro. Para isso, o carro precisa estar alinhado com a base de carregamento. A Volvo facilitará essa questão com o uso do seu sistema de câmera de 360º disponível no SUV elétrico. A inovação da Volvo é um dos muitos projetos da iniciativa estratégica “Gothenburg Green City Zone”, áreas dentro da cidade sueca que são usadas como bancos de teste em tempo real para o desenvolvimento de tecnologias sustentáveis. (Automotive Business – 03.03.2022)

<topo>

2 Siemens: Solução de carregamento para frotas

Nos EUA, a Siemens Smart Infrastructure introduziu um novo conceito de carregamento chamado VersiCharge XL. O conceito foi projetado para permitir uma instalação rápida em grande escala, bem como facilitar a expansão e a manutenção do mesmo. O conceito foi desenvolvido em 2021 e foi projetado para a transição das frotas de veículos movidos a combustíveis fósseis para veículos elétricos e para aplicações de carregamento de alta demanda. A Siemens diz que o VersiCHarge XL permite a eletrificação rápida e eficiente de edifícios e estacionamentos novos ou existentes, usando um design modular e escalável criado em parceria com a Nexii Building Solutions. O conceito VersiCharge XL baseia-se em tecnologias comprovadas de distribuição de energia, como as usadas em data centers e instalações industriais. A empresa diz que as soluções de carregamento permitem carregar veículos elétricos com carregadores de Nível 2 (CA com até 80 amperes) ou Nível 3 (carregamento rápido de CC) em áreas externas. “O enorme crescimento da eletromobilidade exige a expansão fácil e rápida de uma infraestrutura de carregamento confiável e sustentável. Esse conceito específico mostra como a Siemens e seus parceiros estão trabalhando em ideias novas e inovadoras para ajudar a apoiar esse crescimento no mercado dos EUA”, disse Markus Mildner, CEO de eMobility da Siemens Smart Infrastructure. (Electrive – 27.02.2022)

<topo>

3 Mullen Technologies: VEs utilizarão baterias de estado sólido a partir de 2025

A Mullen Technologies, startup de carros elétricos com sede na Califórnia, planeja equipar a segunda geração de seu SUV elétrico “Five” com baterias de estado sólido e pretende realizar testes iniciais de veículos com a tecnologia em 2025. Já o Mullen Five de primeira geração, planejado para 2024, por outro lado, ainda usará células convencionais de íons de lítio. Para baterias em modelos posteriores, a Mullen está trabalhando em outras tecnologias de bateria. Uma delas é a bateria de estado sólido, que a Mullen chama de “células de polímero de estado sólido”. De acordo com os dados coletados durante os testes das células de estado sólido, a Mullen Technologies diz que pode atingir alcances de mais de 600 milhas (965 km) com uma bateria de 150 kWh e recarregar um alcance de mais de 300 milhas (483 km) dentro de 18 minutos. Paralelamente, a Mullen também está realizando pesquisas sobre baterias de lítio-enxofre. No mesmo anúncio, a empresa também afirmou que está trabalhando em baterias de fosfato de ferro e lítio. (Electrive – 01.03.2022)

<topo>

4 WiTricity: Pacote de atualização pós-venda permite carregamento sem fio

A WiTricity, líder e pioneira em carregamento sem fio para veículos elétricos, planeja oferecer um pacote de atualização de carregamento sem fio de pós-venda para proprietários de modelos de VEs selecionados, começando com uma versão beta limitada em 2022. A WiTricity Halo Charging, oferece uma solução completa, de ponta a ponta e experiência de carregamento sem complicações: basta estacionar e carregar. A atualização do WiTricity Halo fornecerá carregamento sem fio de 11 kW, permitindo uma taxa de carregamento que fornece até 35-40 milhas de autonomia por hora de carregamento, uma velocidade e eficiência equivalentes aos carregadores de plug-in AC Nível 2 atuais. O WiTricity Halo Charging estará inicialmente disponível nos Estados Unidos para proprietários de VEs selecionados começando com uma versão beta no final de 2022, seguido por uma disponibilidade mais ampla em 2023. (Green Car Congress – 24.02.2022)

<topo>

 

 

Indústria Automobilística

1 Volkswagen: Caminhão e-Delivery tem novos carregadores e será exportado para a Colômbia

A Volkswagen Caminhões e Ônibus ampliou a oferta de carregadores homologados para uso no e-Delivery. Com isso, o primeiro caminhão 100% elétrico pode ser recarregado em mais de 10 modelos diferentes de wallboxes, todos atestados pela área de engenharia da fabricante. Lançado em 2021, o e-Delivery teve o lote inicial de 200 unidades esgotado em poucos meses. Passada a fase de lançamento no Brasil, a VWCO está levando o e-Delivery para outros países. O caminhão elétrico, que já rodava em testes por vias internacionais, será importado para o mercado colombiano por meio da Porsche Colômbia. Uma unidade já está no país para ser apresentada a clientes em potencial, que poderão conhecer todas as características do projeto. Assim como por aqui, o e-Delivery será oferecido nas configurações de 11 e 14 toneladas. (Automotive Business – 21.02.2022)

<topo>

2 EUA: Panorama de vendas de VEs em 2021

As vendas de novos veículos elétricos plug-in leves, incluindo veículos totalmente elétricos (VEs) e veículos elétricos híbridos plug-in (PHEVs), quase dobraram de 308.000 em 2020 para 608.000 em 2021, de acordo com dados coletados pelo Departamento dos EUA de Energia (DOE, sigla em inglês). As vendas de VEs representaram 73% de todas as vendas de veículos elétricos plug-in em 2021. As vendas de VEs cresceram 85% de 2020 a 2021, enquanto as vendas de PHEVs mais que dobraram, com um aumento de 138% em relação ao ano anterior. O rápido crescimento nas vendas de veículos elétricos plug-in de 2020 a 2021 é notável no contexto das vendas gerais de veículos leves, que aumentaram apenas 3% durante o mesmo período. Um total de 53.465 veículos plug-in (41.125 VEs e 12.340 PHEVs) foram vendidos em janeiro de 2022 nos Estados Unidos, um aumento de 64,2% em relação às vendas em janeiro de 2021. (Green Car Congress – 01.03.2022)

<topo>

3 Competição de montadoras e o avanço nos investimentos em desenvolvimento de baterias

Já muito atrás dos fabricantes asiáticos na fabricação de baterias para carros elétricos, as montadoras americanas e seus fornecedores estão correndo para desenvolver uma nova geração de baterias que sejam mais baratas, que acumulem mais energia e carreguem mais rápido. É uma competição global com enormes consequências econômicas para montadoras, pequenas startups de baterias e compradores de carros, que em poucos anos escolherão entre uma variedade estonteante de carros elétricos que usam diferentes tipos de baterias à medida que a era dos motores a combustão retrocede. A composição química das baterias – um assunto técnico que era da competência dos engenheiros – tornou-se um dos tópicos mais quentes de discussão nas salas de reuniões corporativas da General Motors, Toyota, Ford Motor e Volkswagen, bem como na Casa Branca. Gigantes do setor automotivo como Stellantis, dona da Ram e da Jeep, estão esbanjando dinheiro em startups como a Factorial Energy, que tem menos de 100 funcionários em um parque de escritórios em Woburn, perto de Boston. Executivos da Factorial, que pararam de retornar ligações de montadoras oferecendo bolsas de dinheiro, estão desenvolvendo uma bateria que pode carregar mais rápido, armazenar mais energia e ter menos probabilidade de superaquecimento do que as baterias atuais. A Tesla planeja oferecer baterias LFP em veículos elétricos de menor alcance e preço mais baixo. A Ford está planejando usá-los em alguns caminhões vendidos sob sua marca Ion Boost Pro para proprietários de frotas. A montadora está se unindo com a SK Innovation da Coréia para fabricar suas baterias, mas espera trazer grande parte dessa fabricação para os Estados Unidos. A Volkswagen apostou seu dinheiro na QuantumScape, com sede em San Jose, Califórnia. BMW e Ford estão apostando na Solid Power, com sede em Louisville, Colorado. A GM investiu na SolidEnergy Systems, que surgiu do Massachusetts Institute of Technology e tem sede em Cingapura. (New York Times – 07.03.2022)

<topo>

4 Japão: Demanda por VEs avança e importação cresce

Os compradores de carros japoneses preferem comprar modelos nacionais para apoiar suas marcas locais, que geralmente oferecem os veículos mais adequados às preferências. No entanto, como os fabricantes japoneses ficaram para trás quando se trata de carros elétricos, as montadoras de fora estão entrando no mercado para atender à demanda. Os dois carros elétricos japoneses que estão à venda no momento, o Honda e o Mazda MX-30 são ambos elétricos de baixo alcance que simplesmente não estão atraindo compradores como modelos rivais que podem rodar mais com uma carga. Os carros elétricos no Japão compõem um número muito pequeno de carros novos comprados no país, mas cada vez mais pessoas estão abandonando os híbridos que eles têm dirigido por anos em busca de elétricos puros convincentes. O número de veículos elétricos importados mais que dobrou em 2021 em relação a 2020 e a tendência é que continue este ano. Dos 8.610 veículos elétricos estrangeiros vendidos no Japão em 2021, mais da metade eram Teslas, mas os modelos da Volkswagen também estavam entre os mais populares. (Inside EVs – 05.03.2022)

<topo>

5 Hyundai: Metas e estratégias para eletrificação

A Hyundai revelou novo roadmap com o objetivo de acelerar seu crescimento no mercado de veículos elétricos e ganhar 7% de participação no mercado global nos próximos anos. Serão investidos US$ 16,15 bilhões em eletrificação para atingir uma nova meta ambiciosa: vender 1,87 milhão de carros elétricos puros até 2030. Além disso, a expectativa é de lançar 17 novos modelos das marcas Hyundai e Genesis. A intenção da montadora foi revelada pelo CEO da Hyundai Motor, Jaehoon Chang, durante o Dia do Investidor da montadora. O roadmap inclui o fortalecimento das linhas de veículos elétricos puros (BEV, sigla em inglês), otimização da capacidade de fabricação e garantia da competitividade de hardware e software. Segundo a Hyundai, a venda de 1,87 milhão de VEs garantirá à empresa 7% do mercado global de automóveis zero combustão. A meta é ambiciosa. Anteriormente, a montadora planejava vender 560 mil elétricos até 2025, com foco nos EUA. Até o fim da década, a empresa queria obter 50% de suas vendas no mercado norte-americano, devido ao crescente interesse dos clientes pela tecnologia e aos incentivos do governo de Joe Biden. Para isso, serão lançados 17 novos carros elétricos puros, sendo 11 da marca Hyundai e seis da marca premium Genesis. Os novos modelos Hyundai incluirão três sedãs, seis SUVs, um veículo comercial leve e um novo modelo. Em 2025, a empresa implantará uma nova plataforma dedicada aos carros elétricos. A Integrated Modular Architecture (IMA) será uma evolução da plataforma e-GMP, a base do IONIQ 5 e GV60. A IMA servirá aos automóveis de passageiros e aos chamados veículos construídos para fins específicos, uma nova gama de ofertas de modelos comerciais que incluirá veículos para serviços como carona e robotaxis. (Automotive Business – 02.03.2022)

<topo>

6 Kia: Metas e estratégias para eletrificação

A Kia Corporation descreveu seu roteiro para 2030 no evento virtual CEO Investor Day da empresa. O roteiro baseia-se na estratégia bem-sucedida do Plano S da Kia anunciada pela primeira vez em 2020. A Kia também anunciou suas quatro principais metas de negócios para 2030. Esses principais objetivos de negócios incluem: i) acelerar a eletrificação e atingir vendas anuais de 1,2 milhão de unidades de veículos elétricos a bateria (BEV, sigla em inglês) até 2030; ii) atingir 4 milhões de vendas anuais de veículos até 2030, incluindo mais de 2 milhões de modelos ecologicamente corretos; iii) expandir a aplicação do recurso de carro conectado e tecnologias de condução autônoma para todos os novos veículos; e iv) tornar-se a marca número um no mercado global de veículos projetados especificamente até 2030. Nos principais mercados com fortes regulamentações ambientais e uma demanda crescente por veículos elétricos, como Coréia, América do Norte, Europa e China, a Kia planeja aumentar sua proporção de vendas de carros ecológicos em até 78% até 2030. A partir de 2023, a Kia planeja lançar pelo menos dois BEVs por ano e construir uma linha completa de 14 BEVs até 2027. A Kia está planejando estabelecer uma estratégia de oferta e demanda de baterias e atualizar a tecnologia de baterias, já que a demanda deve aumentar significativamente de 119 GWh em 2030 devido ao aumento das vendas de veículos elétricos. Além disso, a empresa planeja aumentar a densidade de energia da bateria em 50% até 2030 e reduzir os custos do sistema em 40%, aumentando assim o desempenho e a competitividade de preços. (Green Car Congress – 03.03.2022)

<topo>

7 Stellantis: Metas e estratégias para a neutralidade de carbono

Depois de um bem-sucedido primeiro ano de operação, com resultados recorde, a Stellantis apresentou na terça-feira, 1º, o plano estratégico Dare Forward 2030. O CEO da organização, Carlos Tavares, deixou claro em sua apresentação que o nome é justificado pela ambição das metas do projeto. Fazendo jus à gigante da indústria automotiva, que é responsável por 14 marcas, a organização fruto da fusão entre o Grupo PSA e a Fiat Chrysler Automóveis quer ser líder: em vendas de elétricos, em sustentabilidade, em software e em tantas outras frentes. “Queremos garantir liberdade de mobilidade, com soluções limpas, seguras e acessíveis”, reforçou o executivo diversas vezes durante a apresentação. Com base em um novo propósito organizacional, ele aponta que a empresa quer conduzir o segmento rumo à neutralidade de carbono. Para isso, a companhia firmou o compromisso mais apertado em termos de prazo já anunciado por uma montadora para alcançar essa meta: “Atingiremos a neutralidade de carbono em 2038. Isso pensando em todo o nosso ciclo e também nos nossos carros. Queremos ser parte da solução: esse é o nosso compromisso com a sociedade”, afirma Tavares. Parte essencial da diminuição das emissões de dióxido de carbono da companhia será apoiada na transição energética para carros elétricos. A Stellantis promete um portfólio de 75 modelos até 2030, com opções em todos os segmentos e vendas globais de 5 milhões de unidades por ano. Quando se trata das regiões, em 2025 toda a oferta de produtos já será 100% eletrificada na Europa e nos Estados Unidos. O movimento vai se expandir gradativamente em outras regiões a partir de então. (Automotive Business – 01.03.2022)

<topo>

8 Sony/Honda: Aliança para desenvolvimento de VEs

A Sony Group Corporation (“Sony”) e a Honda Motor Co., Ltd. (“Honda”) anunciaram que concordaram em aprofundar a discussão sobre a formação de uma aliança estratégica, que visa criar uma nova era de mobilidade e serviços neste campo. Especificamente, as duas empresas assinaram um memorando de entendimento que delineia suas intenções de estabelecer uma joint venture por meio da qual planejam se envolver no desenvolvimento e venda de veículos elétricos movidos à bateria de alto valor agregado e comercializá-los em conjunto com a prestação de serviços de mobilidade. As duas empresas prosseguirão com as negociações para a execução de vários acordos vinculativos definitivos, incluindo um acordo de desenvolvimento conjunto e um acordo de joint venture, com o objetivo de estabelecer Nova Empresa em 2022, sujeito à assinatura dos acordos definitivos e aprovações regulatórias relevantes. Esta aliança visa reunir as competências de desenvolvimento de mobilidade da Honda, incluindo tecnologia de fabricação de carrocerias de veículos e experiência de gerenciamento de serviço pós-venda, cultivada ao longo de muitos anos, com a experiência da Sony no desenvolvimento e aplicação de tecnologias de imagem, sensoriamento, telecomunicações, rede e entretenimento, para realizar uma nova geração de mobilidade e serviços que estão intimamente alinhados aos usuários e ao ambiente e que continuarão a evoluir no futuro. É esperado que as vendas do primeiro modelo elétrico fruto desta parceria comecem em 2025. Espera-se que a Nova Empresa planeje, projete, desenvolva e venda os VEs, mas não possua e opere instalações de fabricação e, portanto, que a Honda seja responsável por fabricar o primeiro modelo elétrico em sua fábrica de veículos. É esperada, ainda, que uma plataforma de serviços de mobilidade seja desenvolvida pela Sony e disponibilizada para a Nova Empresa. (Honda – 04.03.2022)

<topo>

9 Ford: Reorganização operacional visa acelerar eletrificação

A Ford Motor decidiu que a melhor maneira de fazer a transição para os veículos elétricos é se transformar primeiro. A montadora reorganizou suas operações automotivas em dois negócios distintos – um que fabrica seus veículos movidos a gasolina e se concentra na maximização dos lucros e outro que desenvolve e aumenta a produção de modelos elétricos e visa um crescimento rápido. O presidente-executivo da Ford, Jim Farley, disse em uma entrevista que os dois negócios exigem habilidades e mentalidades diferentes que entrariam em conflito e atrapalhariam cada área se continuassem como parte de uma organização. “Você não pode ter sucesso e vencer a Tesla dessa maneira”, disse ele. Farley disse que a Ford gastaria US$ 50 bilhões em veículos elétricos entre 2022 e 2026. Anteriormente, planejava gastar US$ 30 bilhões nos cinco anos encerrados em 2025. Planeja gastar US$ 5 bilhões em veículos elétricos este ano, o dobro do total de 2021. A reorganização da Ford é uma das mais abrangentes feitas por uma montadora tradicional em preparação para a transição para os veículos elétricos. Farley disse que o plano foi elaborado depois que ele e outros altos executivos da Ford notaram diferenças gritantes nas duas áreas de negócios. Ao fabricar veículos movidos a gasolina, a Ford deve se concentrar em reduzir custos e gerar os lucros necessários para financiar seus planos de VEs. Nos próximos quatro anos, a Ford pretende reduzir os custos de seus modelos de combustão interna em US$ 3 bilhões, com alguns cortes vindos da redução de empregos, disse Farley. O negócio elétrico, por outro lado, terá que gastar muito para desenvolver software e tecnologias e acelerar a produção rapidamente para obter economias de escala. A Ford pretende produzir dois milhões de veículos elétricos por ano até 2026. (New York Times – 02.03.2022)

<topo>

10 Isuzu, Hino e Toyota: Eletrificação de frotas de ônibus

Isuzu Motors, Hino Motors e Toyota Motor planejam fortalecer seus esforços para eletrificar frotas de ônibus. Em colaboração com a Commercial Japan Partnership Technologies, as três empresas expandirão sua linha para aumentar as opções dos clientes e reduzir o custo dos veículos, além de popularizar veículos elétricos práticos e sustentáveis. Isuzu e Hino iniciarão a produção de ônibus de rota de piso plano BEV – veículo elétrico a bateria, no ano fiscal de 2024. O ônibus de rota de piso plano BEV planejado para início de produção no ano fiscal de 2024 será desenvolvido pela Isuzu, e a adoção de um trem de força BEV, que fornecerá zero emissões de CO2 durante o uso do veículo, visa contribuir para a realização de uma sociedade descarbonizada. (Green Car Congress – 28.02.2022)

<topo>

11 Polestar: Parcerias visam a criação de veículo com zero impacto ambiental

A Polestar anunciou as primeiras empresas que participarão do “Projeto Polestar 0”, que visa criar um veículo com zero impacto ambiental, sem emissão de CO2 ou demais gases do efeito estufa em todo o ciclo de vida do veículo. A ZF Group será o primeiro grupo fornecedor Tier 1 da indústria automotiva a participar do projeto, junto com SSAB, empresa sueca de fabricação de chapas e placas de aço; Hydro, ZKW, companhia norueguesa de alumínio e energia renovável; e Autoliv, maior fornecedor de segurança automotiva. Apresentado em abril do ano passado, o “Projeto Polestar 0” produzirá um carro totalmente neutro em termos climáticos até 2030. Para isso, a Polestar, joint-venture entre a Volvo Cars e a Geely Holding, está montando uma ampla rede de colaboração entre fornecedores da indústria automotiva, instituições de pesquisa, startups, investidores e organizações governamentais e não governamentais. A fase de desenvolvimento preliminar do projeto terá duração de quase três anos e o carro entrará em produção em 2030. (Automotive Business – 23.02.2022)

<topo>

12 BYD: Maior encomenda de caminhões elétricos dos EUA

Recentemente, a BYD anunciou até agora a maior encomenda de caminhões totalmente elétricos fora da Ásia, realizada nos Estados Unidos por uma empresa sueca de tecnologia de frete chamada Einride. No total, 200 caminhões elétricos a bateria modelo BYD 8TT classe 8TT serão entregues ao longo dos próximos doze meses a partir de fevereiro. Todos os veículos serão montados em Lancaster, Califórnia, onde a BYD produz também ônibus elétricos. A maioria dos caminhões serão do modelo de terceira geração, que foi revelado no outono de 2021. De acordo com o comunicado de imprensa, o BYD 8TT será equipado com uma bateria de 563 kWh (LFP) e oferecerá um alcance de até 200 milhas (320 km) com pico de potência de carregamento rápido a 185 kW (conector CCS1). Este tipo de encomenda é um grande passo para a BYD, que já vendeu mais de 200 caminhões elétricos nos EUA e mais de 10.000 globalmente (a grande maioria na China). A Einride surgiu há vários anos como desenvolvedora de caminhões autônomos (T-pod) – sem a cabine do motorista – que foram demonstrados em 2019 e 2020. Desde então, a empresa evoluiu e agora conta com outros veículos elétricos, focando mais em sua “plataforma tecnológica” para frotas. (Inside EVs – 06.03.2022)

<topo>

13 MAN: Produção de caminhões elétricos pesados é acelerada

A MAN Truck & Bus está acelerando a produção de caminhões elétricos pesados em Munique até o início de 2024, com entrega imediata de 200 unidades iniciais. Isso é quase um ano antes do planejado originalmente. Além disso, a profundidade do valor agregado para veículos comerciais elétricos a bateria deve ser aumentada, com a montagem interna das chamadas baterias. A MAN começou a construir sua própria experiência na montagem de baterias já na primavera de 2021. O núcleo para isso é o Centro Técnico eMobility na unidade de Nuremberg, onde desde então foram produzidas as primeiras baterias para testes de veículos elétricos e testes internos na produção individual. A MAN apresentou um protótipo quase em produção do novo caminhão elétrico num evento em Nuremberg. Além dos novos acionamentos sem emissões, a MAN está desenvolvendo soluções abrangentes de eMobility que preparam os clientes para o uso do veículo em um estágio inicial. Além de acelerar o aumento da mobilidade elétrica, a fabricante de veículos comerciais está intensificando sua pesquisa sobre mobilidade do hidrogênio. (Green Car Congress – 22.02.2022)

<topo>

14 Volkswagen: Anúncio de nova fábrica de VEs em Wolfsburg

A Volkswagen confirmou que terá mais uma fábrica exclusiva para a produção de carros elétricos. A marca alemã anunciou um investimento equivalente a US$ 2,2 bilhões para construir uma nova unidade em Wolfsburg, na Alemanha. A fábrica dedicada a veículos elétricos tem como meta produzir 250.000 unidades por ano e estará localizada perto da sede atual da empresa. Esse anúncio já era esperado, dado o aumento na demanda por veículos elétricos na Europa nos próximos anos. Coincidentemente, o anúncio surgiu quase que simultaneamente a autorização para o funcionamento da giga-fábrica da Tesla em Berlim. (Inside EVs – 07.03.2022)

<topo>

15 Audi FAW NEV Company: Nova fábrica deve produzir até 150 mil VEs por ano

A Audi FAW NEV Company Ltd. – a primeira empresa de cooperação com participação majoritária detida pela Audi na China – deve iniciar a construção de sua nova fábrica de veículos elétricos em Changchun, após a aprovação das autoridades chinesas. A nova fábrica em Changchun será o primeiro local de produção na China onde apenas os modelos totalmente elétricos da Audi passam pela linha. Com uma capacidade anual de mais de 150.000 carros, a fábrica terá um papel central na eletrificação contínua do portfólio de produtos da Audi para o mercado chinês. Em uma área de aproximadamente 150 hectares, a fábrica de modelos totalmente elétricos da Audi será construída até o final de 2024. Como o mais novo local de produção da Audi, a fábrica estabelecerá novos padrões em digitalização, eficiência e sustentabilidade. (Green Car Congress – 03.03.2022)

<topo>

16 Tesla: Fábrica em Berlim é liberada para operação

Autoridades alemãs deram a aprovação nesta sexta-feira para a Tesla iniciar a produção de veículos elétricos e células de bateria em sua primeira grande montadora na Europa, após meses de atrasos e disputas, abrindo caminho para a empresa de carros elétricos iniciar a produção de seu modelo. Y veículo utilitário esportivo. O anúncio foi crítico para a Tesla, que correu para iniciar a construção da usina de US$ 7 bilhões há dois anos sem esperar pela burocracia alemã, uma medida que corria o risco de ter que derrubar a fábrica se a aprovação não fosse garantida. A Tesla disse que planeja produzir 500.000 veículos na nova instalação, conhecida como Gigafactory Berlin-Brandenburg. Demorou pouco mais de dois anos para que a construção fosse concluída até o início da produção – tempo recorde para uma grande fábrica na Alemanha, mas mais lento do que o executivo-chefe da empresa, Elon Musk, esperava. (New York Times – 04.03.2022)

<topo>

17 Eaton: Nova unidade de negócios ePowertrain

A empresa de gerenciamento de energia Eaton’s Vehicle Group formou uma nova unidade de negócios ePowertrain, que se concentrará em produtos da transmissão de veículos eletrificados da Eaton, engrenagens de redução e portfólios de diferenciais. A combinação das linhas de produtos em uma nova unidade de negócios ePowertrain cria sinergia entre os especialistas em powertrain e EV da Eaton e permite que o Vehicle Group ofereça a seus clientes globais soluções para VEs comerciais e leves. “As montadoras enfrentam muitos desafios ao desenvolver um trem de força elétrico, como otimizar a eficiência, peso e ruído, vibração e aspereza e lidar com restrições de embalagem. A Eaton pode ajudar os fabricantes a superar esses desafios utilizando nossos muitos anos de experiência e recursos internos em projeto, validação e fabricação de engrenagens, transmissões e soluções diferenciais de alta precisão e qualidade”, afirmou Anthony Cronin, diretor de produto da Eaton’s Vehicle Group. (Green Car Congress – 23.02.2022)

<topo>

18 Letenda: Novo modelo de ônibus elétrico visa atender regiões com temperaturas mais baixas

A fabricante canadense de ônibus Letenda apresentou uma nova geração de ônibus elétricos projetados especificamente para temperaturas frias. O primeiro modelo a ser desenvolvido será um ônibus elétrico chamado Electrip. O “Electrip” tem cerca de nove metros de comprimento e, segundo Letenda, vai oferecer espaço para até 45 passageiros, incluindo 24 lugares e espaço para até seis cadeiras de rodas. O fabricante faz referência a uma “geometria redesenhada para proporcionar conforto e manobrabilidade inigualáveis”. Além disso, graças a um corpo modular de alumínio, o Electrip é muito leve, o que contribui para sua eficiência. A Cummins fornecerá o e-drive do veículo e instalará três baterias nos ônibus com capacidade total de 222 kWh. Nicolas Letendre, presidente e CEO da Letenda, apontou outras características do modelo elétrico em suas declarações: “O Electrip é perfeitamente adequado para empresas de transporte que desejam reduzir seu impacto ambiental e otimizar suas operações enquanto caminham para uma mobilidade sustentável”. (Electrive – 28.02.2022)

<topo>

 

 

Meio Ambiente

1 ESG: Serviço Charge myHyundai utilizará 100% de energia verde

A Hyundai irá depender exclusivamente de energias renováveis em seu serviço Charge myHyundai. O Charge myHyundai é uma solução de carregamento público acessível que oferece acesso a mais de 260.000 pontos de carregamento em 29 países europeus. Segundo a empresa, o Charge myHyundai promoverá o uso de energia renovável ao garantir que, para cada evento de carregamento, a quantidade equivalente de energia consumida seja fornecida à rede elétrica como eletricidade verde. Usando a opção de carregamento verde da Digital Charging Solutions (DCS), a empresa garantirá que toda a atividade de carregamento seja “compensada” por 100% de energia eólica. A Hyundai acrescenta que se comprometeu a usar as chamadas Garantias de Origem (GO) emitidas por um registro independente que autentica a origem verde de cada unidade de energia produzida por fornecedores de energia renovável. No caso da Hyundai, a energia virá da fonte eólica. “Ao trabalhar com certificados ‘GO’, garantimos que 100% da energia consumida durante cada processo de carregamento seja alimentada na rede elétrica como eletricidade de turbinas eólicas europeias”, explica Jörg Reimann, CEO da DCS. “Isso torna a demanda por eletricidade verde visível no mercado e ajuda a abrir caminho”. Com efeito, a Hyundai, em um comunicado no dia 1º, disse, desta forma, que os seus condutores também contribuirão para uma mobilidade limpa e sustentável, aumentando a quota de geração de energia renovável no mercado europeu. (Electrive – 01.03.2022)

<topo>

2 ESG: Correio austríaco deixará de comprar veículos movidos a combustíveis fósseis

A partir de agora, o correio austríaco só comprará veículos com emissão zero. Originalmente, esta etapa deveria ocorrer em 2023, mas devido aos avanços e desenvolvimentos no mercado de veículos, a aquisição de veículos com motores a combustão já está sendo descontinuada. A frota de veículos dos Correios austríacos agora deve crescer em 800 veículos elétricos adicionais somente em 2022. No próximo ano, até 1.300 veículos elétricos devem ser adquiridos. Anteriormente, o foco estava em veículos elétricos maiores, quando a empresa de petróleo austríaca OMV e a Austrian Post AG começaram a trabalhar nas pré-condições para que o Austrian Post pudesse operar 2.000 caminhões elétricos de célula de combustível com hidrogênio verde até 2030. Com cerca de 2.500 VEs, incluindo cerca de 1.100 e-bikes, e-cargo bikes, motocicletas e scooters elétricas, bem como quase 1.400 carros elétricos, o Austrian Post já opera a maior frota elétrica do país. (Electrive – 02.03.2022)

<topo>

3 Noruega: Plataforma Verde para a produção sustentável de baterias

A FREYR Battery anunciou que o Conselho de Pesquisa da Noruega, a Innovation Norway e a Siva concederam US$ 11 milhões (NOK 100 milhões) por meio da iniciativa Norwegian Green Platform a um consórcio de empresas, incluindo a FREYR. A iniciativa pretende fornecer uma plataforma para estabelecer a produção sustentável de baterias. O consórcio de empresas irá, juntamente com o SINTEF e o Instituto de Tecnologia de Energia (IFE), iniciar o projeto “Materiais Sustentáveis para a Cadeia de Valor de Baterias” (SUMBAT). As empresas trabalharão juntas para reduzir suas respectivas pegadas ambientais ao longo de toda a cadeia de valor, desde a produção de materiais de baterias ativas até a produção de células, modelagem de rebaixamento de baterias, segurança e reciclagem. A Plataforma Verde oferece a empresas e institutos de pesquisa apoio para a transformação de energia orientada para pesquisa e inovação. O projeto foi minuciosamente avaliado por especialistas nacionais e internacionais. (Green Car Congress – 22.02.2022)

<topo>

 

 

Eventos e Estudos

1 Comissão Europeia: Tecnologia de battery swapping pode ser a melhor solução para híbridos plug-in

Um problema colocado pelos veículos elétricos plug-in é que a carga da bateria muitas vezes não é suficiente para percorrer longas distâncias. As questões do carregamento rápido e maior autonomia dos veículos – a distância que o veículo pode percorrer com uma única carga de bateria – receberam, portanto, muita atenção. No entanto, os investigadores que olham para o futuro do transporte rodoviário elétrico em Portugal sugerem que a tecnologia de battery swapping (troca de baterias) oferece muitas vantagens, especialmente ao transformar todas as necessidades energéticas do transporte numa procura flexível, sem necessidade de carregamento rápido. A principal vantagem da troca de baterias é o grau de demanda de energia flexível, impossível em outros cenários, mesmo com “carregamento inteligente” (onde os fluxos são atenuados dependendo da demanda geral). O carregamento bidirecional, onde as baterias podem fornecer energia de volta à rede, pode aumentar ainda mais esta flexibilidade. Para saber mais sobre o estudo, clique aqui. (Comissão Europeia – 01.02.2022)

<topo>

2 Comissão Europeia: Impostos têm maior impacto na redução das emissões de carbono

Para cumprir as metas globais de redução de emissões, o setor de transporte deve se tornar mais sustentável. Neste sentido, para avaliar o impacto e a eficácia de várias medidas de política de transporte no alcance das metas de redução de emissões, foi realizada uma avaliação quantitativa de cenários de política para a Dinamarca. Os resultados indicam que os instrumentos de mercado, na forma de impostos sobre CO2 e combustíveis fósseis, mantêm o maior impacto na redução das emissões de carbono no setor de transporte, enquanto a promoção de Mobility-as-a-Service (MaaS) – uma combinação de serviços públicos de mobilidade e outros serviços prestados por agentes privados – em vez de transporte autônomo, é a medida mais econômica. Para saber mais sobre o estudo, clique aqui. (Comissão Europeia – 18.05.2020)

<topo>

3 EUA: Aumento da oferta de minerais necessários para veículos elétricos

O esforço da Casa Branca faz parte de um esforço para reduzir a dependência dos Estados Unidos de produtos estrangeiros, principalmente os da China. O presidente Biden anunciou vários investimentos públicos e privados com o objetivo de expandir a oferta doméstica de minerais necessários para fabricar veículos elétricos, computadores, painéis solares e outros produtos, mas atualmente são adquiridos no exterior. “Não podemos construir um futuro feito na América se nós mesmos dependermos da China para os materiais que alimentam os produtos de hoje e de amanhã”, disse Biden em um evento na Casa Branca. (New York Times – 22.02.2022)

<topo>

4 EUA/DOE: Estudo apresenta detalhes das novas baterias de estado sólido

Incêndios recentes em baterias renovaram a investigação sobre a segurança das baterias de íons de lítio. Um caminho possível para a segurança da bateria é uma bateria de estado sólido que substitui o eletrólito líquido volátil e inflamável por um eletrólito sólido não inflamável. Embora os benefícios de segurança desta substituição de eletrólito sólido sejam amplamente reconhecidos, a segurança mais ampla das baterias de estado sólido de ânodo de metal de lítio com alta densidade de energia não foi examinada criticamente. Agora, pesquisadores do Sandia National Laboratories e do Lawrence Berkeley National Laboratory apresentaram os primeiros modelos termodinâmicos para avaliar a liberação de calor de baterias de estado sólido e de íons de lítio quantitativamente sob vários cenários de falha. Um artigo sobre seu trabalho aparece em Joule. Os pesquisadores investigaram os limites superiores de liberação de calor e aumento de temperatura em vários cenários de falha em nível de célula e configurações de bateria, incluindo uma comparação direta com baterias de íons de lítio. Eles também avaliaram o impacto termodinâmico da inclusão de eletrólito líquido em baterias de estado sólido – adicionados no cátodo para reduzir a resistência interfacial – que pode ser um caso de transição crítico no caminho para baterias de estado sólido. Para ler o estudo na íntegra, clique aqui. (Green Car Congress – 07.03.2022)

<topo>


Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe e Luiza Masseno
Pesquisadores: João Pedro Gomes, Leonardo Gonçalves e Vinicius José da Costa
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

As notícias divulgadas no IFE não refletem necessariamente os pontos da UFRJ. As informações que apresentam como fonte UFRJ são de responsabilidade da equipe de pesquisa sobre o Setor Elétrico do Instituto de Economia da UFRJ.

POLÍTICA DE PRIVACIDADE E SIGILO
Respeitamos sua privacidade. Caso você não deseje mais receber nossos e-mails,  Clique aqui e envie-nos uma mensagem solicitando o descadastrado do seu e-mail de nosso mailing.


Copyright UFRJ

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: