IFE.TEX 75

Informativo Eletrônico – Tecnologias Exponenciais nº 75 – publicado em 22 de fevereiro de 2022.

IFE: Informativo Eletrônico de Tecnologias Exponenciais – GESEL-UFRJ <!–

l

IFE: nº 75 – 22 de fevereiro de 2022
http://gesel.ie.ufrj.br/
gesel@gesel.ie.ufrj.br

Editor: Prof. Nivalde J. de Castro

Índice

Transição Energética e ESG
1
Aneel reforça protagonismo do Brasil em fontes renováveis
2 Associação rejeita a inclusão de tecnologias não renováveis na taxonomia verde da UE
3 ISO New England planeja estender a regra de preço mínimo de oferta
4 Medidas fiscais de energia limpa são promovidas em reunião na Casa Branca
5 Governo do Reino Unido acelerará energia renovável de baixo custo
6 Espanha: Pedidos de deduções fiscais para o uso de energias renováveis triplicam em Valência
7 Mulheres rurais receberão treinamento em meios de subsistência de energia limpa
8 PGE fornece financiamento para projetos de energia limpa
9 Canadá: EAC reforça as recomendações de políticas energéticas da IEA

Geração Distribuída
1 Cemig SIM planeja investir R$ 1 bi em geração distribuída
2 Sanção da lei de GD cria corrida na área de geração própria
3 Absolar: Geração distribuída atinge 9 GW em mais de cinco mil municípios
4 EUA ampliará transição energética através de projetos solares comunitários
5 França finaliza leilão para sistemas de geração solar distribuída

Armazenamento de Energia
1 Sineng Electric inicia instalação de sistema de armazenamento na China
2 Centrica fecha acordo para otimizar sistemas de armazenamento de energia em bateria
3 Concessionária da Califórnia construirá três novos sistemas de armazenamento

4 Brookfield fecha acordo de armazenamento no Reino Unido

Veículos Elétricos
1 Ecovagas e Zletric irão fundir e integrar suas redes de recarga
2 EY/Eureletric: Estudo aponta que a Europa precisa expandir a infraestrutura de recarga
3 Baterias de VEs: Desafios das baterias de íons de lítio
4 EUA: Carregamento elétrico sem fios vai ser testado em estrada

5 EUA: Os Departamentos de Energia e Transporte anunciam investimento para a rede nacional de carregamento de VE
6 Modernização da rede e implementação de ferramentas digitais serão vitais para a difusão dos VEs
7 Os gastos com carregamento de VEs residenciais devem ultrapassar US$ 16 bilhões até 2026

Gestão e Resposta da Demanda
1 EUA: Provedora de energia pagará aos clientes para economizar eletricidade
2 National Grid ESO e Octopus Energy lançam teste de flexibilidade

Eficiência Energética
1 Governo dos EUA é pressionado a atualizar os padrões de eficiência para eletrodomésticos
2 New Hampshire restaura o financiamento da eficiência energética
3 Entergy Mississippi financiará contrato de eficiência energética da ICF

Microrredes e VPP
1 Mercado de microrredes atingirá o valor de US$ 206 bilhões até 2031

Tecnologias e Soluções Digitais
1 Projeto aplicará inteligência artificial na geração, distribuição e consumo de eletricidade

Segurança Cibernética
1 Tensões entre China e EUA podem se intensificar

Artigos e Estudos
1 Relatório IRENA sobre eletrificação inteligente utilizando renováveis
2 Relatório: “New Energy Outlook 2021”
3 Relatório: “Net-Zero Emissions Opportunities for Gas Utilities”


 

 

Transição Energética e ESG

1 Aneel reforça protagonismo do Brasil em fontes renováveis

A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), representada pelo Chefe de Gabinete do Diretor-Geral, Rodrigo Coelho, participou do Energyear 2022 – encontro que debate o futuro do mercado brasileiro de renováveis. O evento analisou a atual situação do setor elétrico, os nichos de mercado que mais avançam neste período e a forma como as empresas estão se adaptando às adversidades do momento atual. Durante o evento, Coelho reforçou o papel da Agência para o protagonismo do Brasil em fontes renováveis de energia. Ciente da transição energética que o mundo e o Brasil estão passando, a ANEEL tem aprimorado constantemente seus regulamentos, de forma a permitir que novos negócios se desenvolvam, trazendo ganhos para os consumidores de energia elétrica. A energia renovável é uma importante aliada para reduzir as desigualdades sociais e entre regiões. Uma aliada para gerar empregos, renda, aumentar a segurança energética e atuar na preservação do meio ambiente. (Aneel – 09.02.2022)

<topo>

2 Associação rejeita a inclusão de tecnologias não renováveis na taxonomia verde da UE

A Comissão Europeia propôs incluir o gás natural e a energia nuclear em sua taxonomia verde. A Associação Empresarial de Energia Eólica (AEE), divulgou um comunicado rejeitando a inclusão de tecnologias não renováveis na taxonomia verde da União Europeia (EU). Além disso, lembrou que de acordo com o quadro regulamentar previsto no European Green Deal, o regulamento da taxonomia verde pretende orientar empresas e investidores nos seus planos de descarbonização, identificando atividades e setores econômicos sustentáveis que contribuam para a redução de CO2 e outros gases de efeito estufa. Deste modo, a inclusão do gás natural e da energia nuclear na taxonomia verde pode gerar confusão nos investidores, prejudicando recursos que deveriam ser alocados em tecnologias renováveis. (Energías Renovables – 10.02.2022)

<topo>

3 ISO New England planeja estender a regra de preço mínimo de oferta

A operadora de rede ISO New England planeja estender a regra de preço mínimo de oferta (MOPR) até 2024, uma medida que foi desaprovada pelos defensores das energias renováveis. A ISO New England delineou a proposta de “transição” que será submetida à Federal Energy Regulatory Commission (FERC) – agência federal de regulação da transmissão e mercado atacadista de eletricidade dos Estados Unidos. Se for permitido prosseguir, a regra permanecerá em vigor para o leilão de capacidade do próximo ano. Segundo a operadora, a proposta de transição, combinada com a isenção de recursos de tecnologia renovável, servirá à região com o duplo objetivo de proteger a confiabilidade do sistema de energia, ao mesmo tempo em que recursos patrocinados pelo estado ganham entrada no mercado. (Power Grid – 11.02.2022)

<topo>

4 Medidas fiscais de energia limpa são promovidas em reunião na Casa Branca

A Casa Branca convidou os executivos das concessionárias para uma reunião com o presidente dos EUA para discutir a transição energética e como a regulação poderia apoiá-la. Os executivos pressionaram as disposições fiscais à energia limpa, que foram paralisadas na legislação Build Back Better (BBB). Segundo Patricia Vincent-Collawan, presidente e CEO da PNM Resources, essa legislação permitirá que o país atinja a neutralidade de carbono mais rapidamente, além de fornecer padrões para um portifólio de energia renovável, permitir a securitização para manter os custos baixos para os clientes e proporcionar uma transição energética mais justa. (Utility Dive – 10.02.2022)

<topo>

5 Governo do Reino Unido acelerará energia renovável de baixo custo

O Governo do Reino Unido anunciou que a frequência dos leilões para financiamento através do esquema de Contratos por Diferença (CfD) – principal método do governo para apoiar as energias renováveis – passará a ser anual, ao invés de bienal. Isso apoiará os geradores de eletricidade renovável e impulsionará a infraestrutura de energia renovável do Reino Unido. A mudança começa a partir de março de 2023, quando a próxima rodada de CfD for aberta. Neste contexto, os CfDs desempenharão um papel importante na alavancagem de £ 90 bilhões em investimentos privados até 2030, contribuindo para acelerar a implantação de energia renovável a baixo custo, bem como para aumentar a geração de empregos. (EE Online – 10.02.2022)

<topo>

6 Espanha: Pedidos de deduções fiscais para o uso de energias renováveis triplicam em Valência

Em 2021, o Instituto Valenciano de Competitividade Empresarial (IVACE) recebeu quase o triplo do número de solicitações (3530 solicitações) de pessoas físicas para obter o certificado de energia renovável, comparado ao ano de 2020. Os certificados são utilizados para acessar as deduções do imposto de renda pessoal pelo uso de energia renovável, que aumentaram de 20% para 40%. Entre as vantagens da dedução fiscal, destaca-se a simplificação do processo documental e o fato da dedução ser de aplicação imediata no momento da realização da declaração de rendimentos. A base de dedução máxima é de 8.000 euros e para ser elegível para a dedução é necessário a certificação de suporte do projeto, realizada pela IVACE. (Energías Renovables – 07.02.2022)

<topo>

7 Mulheres rurais receberão treinamento em meios de subsistência de energia limpa

O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), a ReNew Power (empresa indiana líder em energia limpa) e a Associação de Mulheres Autônomas (SEWA) lançaram uma parceria no estado indiano de Gujarat para ensinar às mulheres habilidades que lhes permitirão trabalhar na indústria moderna de energia limpa. O programa facilitará o treinamento de trabalhadores da salina de Rann de Kutch em tecnologias de energia solar para ajudá-los a mudar de fontes de energia tradicionais para energia renovável e limpa, assim como fornecerá novas oportunidades de subsistência. A iniciativa tornará os trabalhadores de salinas em técnicos de painéis solares e técnicos de bombas solares. O treinamento será realizado nos centros de treinamento da SEWA e da ReNew Power; e ministrado pela Electronics Sector Skills Conselho da Índia (ESSCI). (EE Online – 07.02.2022)

<topo>

8 PGE fornece financiamento para projetos de energia limpa

A distribuidora de energia americana Portland General Electric (PGE) concedeu mais de US$ 1 milhão a nove organizações comunitárias para o desenvolvimento de projetos de energia limpa, que gerarão 1,36 MW, o suficiente para abastecer aproximadamente 1200 residências. A PGE também concedeu US$ 2,25 milhões para 11 organizações locais sem fins lucrativos, que expandirão o acesso ao transporte elétrico para os moradores do Oregon. O fundo de Desenvolvimento Renovável da PGE é apoiado por clientes da Green Future e oferece concessões competitivas para os candidatos implantarem seus próprios projetos de energia limpa, como instalações solares e projetos de cogeração. (EE Online – 12.02.2022)


<topo>

9 Canadá: EAC reforça as recomendações de políticas energéticas da IEA

Em janeiro de 2022, a Agência Internacional de Energia (IEA) apresentou uma revisão da política energética do Canadá e forneceu recomendações de políticas energéticas para ajudar o país a gerenciar efetivamente a transição energética. A revisão reconhece que o Canadá tem um dos sistemas de eletricidade mais limpos do mundo, mas aponta para os desafios que estão por vir, à medida que o país busca descarbonizar totalmente sua rede elétrica até 2035. No entanto, a política atual, o ambiente regulatório e os investimentos relacionados em infraestrutura, pesquisa e desenvolvimento, não estão totalmente alinhados com esses desafios. Neste contexto, a Electricity Alliance Canada (EAC), representante dos principais fornecedores de eletricidade, reafirma o apelo da IEA para o desenvolvimento de uma estratégia nacional de eletrificação alinhada com a meta de emissões líquidas zero do governo federal, ampliando os esforços do país na transição energética. (EE Online – 11.02.2022)

<topo>

 

 

Geração Distribuída

1 Cemig SIM planeja investir R$ 1 bi em geração distribuída

A Cemig SIM, braço de geração distribuída da Cemig, prevê investir R$ 1 bilhão em GD por meio de novos projetos (greenfields), assim como fusões e aquisições. Isto agregará 275 MWp ao portfólio da empresa, de acordo com o BTG Pactual. A empresa estima um investimento médio de R$ 4 milhões por MWp para o projeto greenfield, com o plano de crescimento focado em Minas Gerais, dado a vantagem competitiva no estado e o fato de que os ativos de GD precisam estar localizados na mesma área de concessão do cliente. Atualmente, a empresa possui 72 MWp de GD em Minas Gerais, totalizando R$ 140 milhões em investimento. (Broadcast Energia – 11.02.2022)

<topo>

2 Sanção da lei de GD cria corrida na área de geração própria

A sanção do marco legal da geração própria de energia criou um senso de urgência no desenvolvimento de novos projetos de GD. O setor prevê uma “corrida pelo sol” este ano para garantir a gratuidade da cobrança da tarifa de uso da rede das distribuidoras (TUSD) até 2045. Isso porque os empreendimentos que forem conectados à rede elétrica em até 12 meses depois da sanção da nova lei vão continuar isentos da cobrança da tarifa por 23 anos. O novo marco instituiu a cobrança gradual dessa taxa, a partir de 7 de janeiro de 2023, até chegar a 29% em 2030. As mudanças farão o setor dar um salto, com 100% de crescimento na capacidade instalada em 2022 em relação ao ano passado. Em 2021, o segmento tinha uma capacidade de 8 GW, número que deve passar para 16 GW neste ano. (Valor Econômico – 09.02.2022)

<topo>

3 Absolar: Geração distribuída atinge 9 GW em mais de cinco mil municípios

A geração solar distribuída atingiu a marca de 9 GW de capacidade instalada no Brasil, informou a Absolar. A Associação prevê que 2022 poderá ser o melhor ano da energia solar já registrado no país desde 2012, com o maior crescimento do mercado e do setor na última década. Desde 2012, foram mais de R$ 48 bilhões em novos investimentos, que geraram cerca de 270 mil empregos acumulados no período, espalhados em todas as regiões do Brasil. Ao todo, a tecnologia solar fotovoltaica está presente em 5.541 municípios e em todos os estados brasileiros, sendo que os estados líderes em potência instalada são: Minas Gerais (1.545 MW), São Paulo (1.159 MW), Rio Grande do Sul (1.058 MW), Mato Grosso (618 MW) e Santa Catarina (476 MW). (Broadcast Energia – 09.02.2022)

<topo>

4 EUA ampliará transição energética através de projetos solares comunitários

Até 4,5 GW de capacidade serão adicionados por meio de iniciativas solares comunitárias nos EUA nos próximos cinco anos, uma iniciativa que ajudará a acelerar a transição energética, de acordo com um novo estudo divulgado pela Wood Mackenzie. Espera-se que estados como Nova Jersey, Nova York, Illinois e Colorado aumentem a implantação de projetos solares comunitários devido ao melhor financiamento para expansão e implantações de projetos, bem como aos esforços de sustentabilidade e descarbonização feitos pelos governos. Além disso, o Novo México e Delaware aprovaram legislação para programas solares comunitários novos ou aprimorados. Estados do centro-oeste, como Pensilvânia, Wisconsin, Michigan e Ohio, todos propuseram projetos de lei para programas solares comunitários que estão tramitando nas legislaturas estaduais. (Smart Energy – 12.02.2022)

<topo>

5 França finaliza leilão para sistemas de geração solar distribuída

O Ministério da Transição Ecológica e Solidária da França anunciou os vencedores de sua primeira rodada de licitações para sistemas fotovoltaicos comerciais e industriais para o período 2021-26. Os sistemas terão capacidade de geração superior a 500kW. As autoridades francesas alocaram 157 MW de energia solar em 52 projetos, com um preço final médio de € 0,08312/kWh. A Technique Solaire obteve a maior participação com 12 projetos totalizando 53,45 MW, seguida pela Urbasolar, com sete projetos com capacidade agregada de 40,7 MW. (PV Magazine – 09.02.2022)

<topo>

 

 

Armazenamento de Energia

1 Sineng Electric inicia instalação de sistema de armazenamento na China

O fabricante chinês de inversores fotovoltaicos e baterias Sineng Electric iniciou a operação de uma instalação de armazenamento de 100MW/200MWh no condado de Qingyun, na província chinesa de Shandong. Segundo o fabricante, com o início da operação, 200MWh de eletricidade limpa podem ser armazenados com uma única carga, o equivalente ao consumo de cerca de mil residências em um mês. (PV Magazine – 14.02.2022)

<topo>

2 Centrica fecha acordo para otimizar sistemas de armazenamento de energia em bateria

A Centrica Business Solutions (concessionária de energia e gás) assinou um contrato de dez anos com a 4 Renewable Energy (fundo de investimentos para energias renováveis) para a otimizar três sistemas de armazenamento de energia em bateria. Os projetos de armazenamento estão sendo desenvolvidos pela Arlington Energy em toda a Inglaterra e têm uma capacidade total de 89MW. Cada sistema tem duração de uma hora, e estarão operacionais no verão de 2022. Os sistemas serão usados para fornecer serviços de resposta à frequência, visando melhorar a confiabilidade da rede e descarbonizá-la, bem como ajudarão a lidar com a intermitência das energias renováveis. (Smart Energy– 14.02.2022)

<topo>

3 Concessionária da Califórnia construirá três novos sistemas de armazenamento

A Comissão de Serviços Públicos da Califórnia autorizou a San Diego Gas & Electric (SDG&E) a construir três novas instalações de armazenamento de energia totalizando 161 MW/644MWh. As instalações ajudarão a atender a alta demanda de energia do estado nos dias de verão e durante a noite. A SDG&E será proprietária e operará as usinas, que serão conectadas ao mercado de energia do estado. Isso significa que o Operador de Sistema Independente da Califórnia (CAISO) poderá despachá-los sempre que necessário para equilibrar a demanda e a oferta na rede estadual. (Renewz Biz– 11.02.2022)

<topo>

4 Brookfield fecha acordo de armazenamento no Reino Unido

A Cambridge Power firmou um acordo com a Brookfield Renewable para desenvolver um portfólio de instalações de sistema de armazenamento em bateria (BESS) em todo o Reino Unido, totalizando 985 MW. O acordo cobre mais de 800 MW de ativos BESS totalmente autorizados e 185 MW de energia solar colocalizada para investimento nos próximos cinco anos. Sob o acordo, a Brookfield fornecerá capital significativo para construir o portfólio de ativos, enquanto a Cambridge Power gerenciará a construção e operação dos ativos. (Renewz Biz – 09.02.2022)

<topo>

 

 

Veículos Elétricos

1 Ecovagas e Zletric irão fundir e integrar suas redes de recarga

A Ecovagas – rede de carregamento criada pela Estapar e EnelX – assinou um acordo com a Zletric (empresa especializada em energia para recarga) para combinar as suas infraestruturas, formando uma única empresa. O objetivo do acordo é ampliar a infraestrutura de carregamento no Brasil, que podem ser localizadas em aeroportos, prédios comerciais, shopping centers, hospitais ou na esfera residencial. A Ecovagas possui mais de 200 pontos de recarga instalados em 29 cidades e em 13 estados. Até o fechamento do negócio, essa rede combinada passará a oferecer 500 pontos. A expectativa é que, até o fim de 2022, estejam disponíveis até 1.000 pontos de recarga, considerando frotistas, montadoras, locadoras e gestoras, além de consumidores finais. (Inside EVs – 10.02.2022)

<topo>

2 EY/Eureletric: Estudo aponta que a Europa precisa expandir a infraestrutura de recarga

Governos e empresas de energia elétrica precisam de planos ambiciosos para ampliar a infraestrutura de recarga para baterias, visando atender 130 milhões de veículos elétricos (VE) até 2034, segundo um levantamento elaborado por EY e Eurelectric. Segundo o estudo “Power sector accelerating e-mobility”, a Europa vai precisar de 65 milhões de eletropostos – 9 milhões públicos e 56 milhões residenciais – para lidar com o crescimento do mercado. A Europa tem hoje 374 mil estações públicas de recarga de baterias, dois terços dela concentradas em cinco países – Holanda, França, Itália, Alemanha e Reino Unido – enquanto algumas nações europeias não possuem um único carregador a cada 100 km. Esta “polarização” entre as economias arrisca desestabilizar a eletrificação, afirma o levantamento. (CNN Brasil – 08.02.2022)

<topo>

3 Baterias de VEs: Desafios das baterias de íons de lítio

A eletrificação da frota mundial de automóveis avança a passos largos. Entretanto, até chegar ao ponto em que os veículos elétricos vão superar a produção de veículos com motores a combustão interna, há alguns desafios pelo caminho. Não há dúvidas de que as baterias são um ponto crucial. É por isso que praticamente todas as fabricantes (e o governo de muitos países, universidades e outras empresas do setor) vêm investindo pesado na pesquisa e desenvolvimento desses componentes. As baterias de íons de lítio são o padrão atual dos VEs. Entretanto, o custo é um fator desafiador, uma vez que a bateria do carro elétrico é o componente mais caro. Outra questão é o eletrólito líquido, altamente inflamável. Por isso, elas precisam ser acondicionadas em compartimentos de segurança que são pesados e ocupam muito espaço. Outros tipos de baterias estão sendo estudadas para reduzir os custos e com componentes mais seguros, dentre elas destaca-se as baterias de estado sólido e as baterias de metal-ar. (O Estado de São Paulo – 07.02.2022)

<topo>

4 EUA: Carregamento elétrico sem fios vai ser testado em estrada

Recentemente, foram apresentados carregadores que funcionam por indução quando o automóvel está estacionado. Mas há ainda outra tecnologia que começa a ser testada: sistemas de carregamento sem fios em estradas. A startup israelita Ectreon é uma das empresas focadas em criar uma opção de carregamento que possa ser usado durante os deslocamentos. Depois de já ter montado projetos-piloto na Alemanha, Itália e Suécia, a startup prepara-se para começar a testar um sistema de carregamento por indução num trecho de estrada de 1,6 km em Detroit, nos Estados Unidos. Este novo projeto-piloto foi uma ideia do Departamento de Transportes do Michigan, que fez um pedido de propostas para poder desenvolver um sistema de carregamento sem fios. O projeto receberá um financiamento de 1,6 milhões de euros. A tecnologia que irá ser testada utilizando bobinas de cobre que são conectadas à rede elétrica e que ficam instaladas sob a estrada. (Away Magazine – 09.02.2022)

<topo>

5 EUA: Os Departamentos de Energia e Transporte anunciam investimento para a rede nacional de carregamento de VE

Os Departamentos de Energia e Transporte dos EUA anunciaram que quase US$ 5 bilhões seriam disponibilizados para construir uma rede nacional de carregamento de veículos elétricos (VEs), principalmente ao longo do Sistema Rodoviário Interestadual. O financiamento será fornecido aos estados no âmbito do Programa National Electric Vehicle Infrastructure Formula (NEVI), como parte da Lei de Infraestrutura Bipartidária. Os recursos serão distribuídos nos próximos cinco anos, e em 2022 o programa disponibilizará US$ 615 milhões para os estados. No entanto, os estados devem apresentar um Plano de Implantação de Infraestrutura de VEs antes de acessar os fundos. (Daily Energy Insider– 11.02.2022)

<topo>

6 Modernização da rede e implementação de ferramentas digitais serão vitais para a difusão dos VEs

Um novo relatório, Can utilities turn EVs into a grid asset, divulgado pela EY afirma que a modernização da rede e os serviços de energia e operações de rede habilitados digitalmente são requisitos críticos para a adoção bem-sucedida de veículos elétricos (VEs). Segundo o estudo, as concessionárias precisarão transformar a capacidade da rede para lidar com o aumento da carga e alavancar tecnologias digitais para utilizar serviços em real time, além de adotar o serviço de customer experience. Estes serão elementos-chave que as concessionárias devem considerar para permitir a transição para veículos elétricos. (Smart Energy– 14.02.2022)

<topo>

7 Os gastos com carregamento de VEs residenciais devem ultrapassar US$ 16 bilhões até 2026

Os gastos com carregamento de veículos elétricos (VEs) residenciais excederão US$ 16 bilhões globalmente em 2026, de acordo com um novo estudo divulgado pela Juniper Research -companhia de pesquisa de mercados de tecnologia digital. Em 2021 os gastos eram de US$ 3,4 bilhões, o crescimento superior a 390% nos próximos 5 anos está sendo impulsionado pelo menor custo e conveniência do carregamento doméstico para VEs. Neste contexto, o estudo recomendou que os fornecedores de carregamento doméstico e os fabricantes de automóveis formem parcerias para tornar o carregamento doméstico central para futuras transições de VEs. (Smart Energy– 14.02.2022)

<topo>

 

 

Gestão e Resposta da Demanda

1 EUA: Provedora de energia pagará aos clientes para economizar eletricidade

A fornecedora de eletricidade de varejo no Texas, OhmConnect Energy (OCE), entrou no mercado com uma proposta de negócios única: pagar aos texanos para economizar energia. A OCE fornece eletricidade de taxa fixa confiável e acessível em todo o Texas e incentiva os clientes a reduzir o uso de energia durante os horários de pico de energia. Em troca da economia de energia, a OCE oferece aos seus clientes pontos de recompensa que podem ser transformados em dinheiro, convertidos em créditos em suas contas, inseridos em sorteios ou usados para comprar dispositivos inteligentes que reduzem ainda mais o uso de energia. Os clientes que participam do programa da OCE, podem reduzir sua conta anual de energia em 10-15%. (Eletric Energy Online– 09.02.2022)

<topo>

2 National Grid ESO e Octopus Energy lançam teste de flexibilidade

O teste “escassez de reserva doméstica”, com duração de quase dois meses, avaliará o papel que as famílias podem desempenhar durante os períodos de alta demanda. O teste, com participação dos clientes com medidores inteligentes da Octopus Energy, os incentivará a reduzir seu consumo de energia a níveis abaixo do usual nos horários de pico durante o inverno, o que deve permitir a redução das contas de eletricidade. Os picos são durante a manhã e à noite, ou seja, das 09h00 às 11h00 e das 16h30 às 18h30, bem como o período da meia-noite às 02h00. O objetivo é que o Operador Nacional do Sistema Elétrico de Rede (ESO) da Grã-Bretanha descubra se a mudança da demanda de energia residencial fora dos horários de pico pode apoiar o equilíbrio da rede elétrica e reduzir os custos, principalmente nesta época do ano em que a demanda de energia é maior para aquecimento e iluminação. (Smart Energy– 10.02.2022)

<topo>

 

 

Eficiência Energética

1 Governo dos EUA é pressionado a atualizar os padrões de eficiência para eletrodomésticos

Mais de 50 parlamentares da Câmara e do Senado assinaram uma carta pedindo ao Departamento de Energia dos EUA (DOE) que priorize atualizações nos padrões de eficiência de eletrodomésticos. De acordo com os legisladores, haviam 28 atualizações de padrões de eletrodomésticos já atrasadas quando o presidente Joe Biden assumiu o cargo e mais prazos estão se aproximando. O grupo destacou que a atualização dos padrões pode contribuir para que os clientes tenham uma economia de US$ 100 nas contas de energia até 2030. Os parlamentares dizem que o DOE está progredindo nas regras de eficiência, mas o trabalho é lento. O departamento agora está considerando codificar padrões de eficiência mais rígidos para lâmpadas, iniciando o debate sobre a rapidez com que a mudança pode ser implementada. (Utility Dive – 15.02.2022)

<topo>

2 New Hampshire restaura o financiamento da eficiência energética

A Comissão de Serviços Públicos (PUC) de New Hampshire suspendeu partes de um pedido, que cortou drasticamente o financiamento do programa de eficiência energética do estado (NHSaves). A decisão do outono passado teria reduzido, até 2023, as taxas de financiamento dos programas de eficiência para os níveis de 2017. A decisão da PUC restaura o financiamento para os níveis de 2020-2021, com efeito imediato. Neste contexto, vários partidos, incluindo a Conservation Law Foundation (CLF), contestaram o corte de taxas da PUC na Suprema Corte de New Hampshire, e o grupo disse que ainda cabe ao tribunal tomar uma decisão. (Utility Dive – 11.02.2022)

<topo>

3 Entergy Mississippi financiará contrato de eficiência energética da ICF

A Entergy Mississippi (distribuidora de energia) concedeu recentemente ao provedor global de consultoria e serviços digitais ICF International uma extensão de contrato de US$ 20 milhões para expandir a implementação de seus portfólios de eficiência energética residencial e comercial. A ICF fornecerá serviços para serem utilizados nos programas da concessionária, incluindo marketing, suporte ao cliente, análise de dados, gerenciamento de programas e envolvimento do cliente. A ICF também fornecerá novos programas de eficiência energética para clientes residenciais, bem como retrocomissionamento para clientes comerciais e de pequenas empresas. (EE Online – 10.02.2022)

<topo>

 

 

Microrredes e VPP

1 Mercado de microrredes atingirá o valor de US$ 206 bilhões até 2031

O mercado global de microrredes aumentará 11,3% entre 2021 e 2031, resultando em um aumento na geração de receita de US$ 63,5 bilhões para US$ 206,1 bilhões, de acordo com um novo relatório divulgado pela Transparency Market Research. De acordo com o estudo, os fatores que impulsionam um aumento na adoção de microrredes incluem: a incapacidade das redes de atender à crescente demanda de energia, o aumento da confiabilidade e resiliência da rede durante eventos climáticos extremos, a Indústria 4.0, as metas de sustentabilidade, a intermitência das energias renováveis e a modernização da rede. (Smart Energy – 08.02.2022)

<topo>

 

 

Tecnologias e Soluções Digitais

1 Projeto aplicará inteligência artificial na geração, distribuição e consumo de eletricidade

O projeto de pesquisa IA4TES da Iberdrola em parceria Minsait (empresa da Indra) tem como objetivo desenvolver tecnologias avançadas que prolonguem a vida útil das instalações de geração de energia renovável, aumentem a eficiência, flexibilidade e sustentabilidade das redes elétricas, assim como tecnologias que possibilitem uma nova estrutura para acelerar a participação dos prossumidores no mercado de energia. A Minsait será responsável por três pacotes de trabalho relacionados com a implementação de soluções avançadas de inteligência artificial nas áreas de geração, distribuição e consumo de eletricidade. Especificamente, a empresa coordenará os projetos que estudarão a aplicação de tecnologias inteligentes para a otimização da operação e manutenção dos ativos utilizados na geração eólica e fotovoltaica. (Energías Renovables – 09.02.2022)

<topo>

 

 

Segurança Cibernética

1 Tensões entre China e EUA podem se intensificar

Em julho de 2021, em um esforço para fortalecer sua segurança cibernética, o Partido Comunista Chinês (PCCh) elaborou um plano de ação de três anos, que deve aumentar a tensões entre a China e os EUA. Após o recente ataque cibernético à News Corp, companhia relevante relacionada a mídia estadunidense, os EUA estão em alerta máximo. O conflito cibernético, principalmente entre os dois países tende a se intensificar nos próximos anos, e segundo um relatório do senado americano, os EUA estão bastante vulneráveis: 7 em cada 8 agências federais estão falhando em proteger dados críticos. (Epoch Times– 14.02.2022)

<topo>

 

 

Artigos e Estudos

1 Relatório IRENA sobre eletrificação inteligente utilizando renováveis

A Agência Internacional de Energia Renovável (IRENA) publicou um novo relatório em parceria com a State Grid Corporation of China (SGCC), que fornece aos formuladores de políticas uma visão geral conceitual da transição global para a eletrificação com energias renováveis. Segundo o estudo, a transição energética deve acontecer muito mais rapidamente para garantir a sustentabilidade e minimizar os impactos das mudanças climáticas. Países ao redor do mundo precisam expandir ainda mais o portifólio de energias renováveis, redes elétricas mais inteligentes e flexíveis. Esses três elementos – combinados em uma estratégia de “Eletrificação Inteligente” – serão cruciais para moldar o novo sistema mundial de energia dominado pelas energias renováveis. (IRENA – 08.02.2022)

<topo>

2 Relatório: “New Energy Outlook 2021”

A BloombergNEF (BNEF) publicou um novo relatório que analisa o cenário de longo prazo para a economia de energia e estabelece três caminhos para que o mundo atinja a neutralidade das emissões de gases de efeito estufa até 2050. Segundo o relatório, espera-se que a demanda global de gás natural enfrente um ponto de virada em 2030. Com o futuro do gás natural liquefeito (GNL) envoltos em incertezas, esses ativos devem estar preparados para permanecerem relevantes em um mundo de baixo carbono. A BNEF classificou 49 plantas de exportação de GNL – em operação ou em construção – em prontidão para a transição energética. A classificação foi feita a partir da análise de 20 métricas diferentes em sua infraestrutura e modelos de negócios. Isso inclui o uso da tecnologia de captura e armazenamento de carbono (CCS) e a exposição das partes interessadas à pressão dos compromissos de neutralidade de emissões de gases do efeito estufa. Para ler o texto na íntegra, clique aqui. (BNEF – 07.02.2022)

<topo>

3 Relatório: “Net-Zero Emissions Opportunities for Gas Utilities”

A American Gas Association (AGA) divulgou um novo relatório, que detalha como o gás natural será essencial para atingir as metas de descarbonização do EUA. O relatório destaca as vantagens das tecnologias de gás e infraestrutura de distribuição e inclui vários caminhos disponíveis para atender aos planos de redução das emissões. Segundo o estudo, os EUA podem alcançar reduções significativas de emissões acelerando o uso de ferramentas disponíveis hoje, incluindo aplicações de gás natural de alta eficiência, gases renováveis e tecnologias de redução de metano e iniciativas aprimoradas de eficiência energética. Para ler o texto na íntegra, clique aqui. (Daily Energy Insider – 10.02.2022)

<topo>


Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Lorrane Câmara e Luiza Masseno
Pesquisadores:
Cristina Rosa, Matheus Balmas e Pedro Barbosa
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

As notícias divulgadas no IFE não refletem necessariamente os pontos da UFRJ. As informações que apresentam como fonte UFRJ são de responsabilidade da equipe de pesquisa sobre o Setor Elétrico, vinculada ao NUCA do Instituto de Economia da UFRJ.

POLÍTICA DE PRIVACIDADE E SIGILO
Respeitamos sua privacidade. Caso você não deseje mais receber nossos e-mails,  Clique aqui e envie-nos uma mensagem solicitando o descadastrado do seu e-mail de nosso mailing.


Copyright UFRJ

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: