IFE.TEX 72

Informativo Eletrônico – Tecnologias Exponenciais nº 72 – publicado em 28 de janeiro de 2022.

IFE: Informativo Eletrônico de Tecnologias Exponenciais – GESEL-UFRJ <!–

l

IFE: nº 72 – 28 de janeiro de 2022
http://gesel.ie.ufrj.br/
gesel@gesel.ie.ufrj.br

Editor: Prof. Nivalde J. de Castro

Índice

Transição Energética e ESG
1
Espanha: Ministra faz apelo global para acelerar a transição energética
2 Empresas de energias renováveis enfrentarão desafios em 2022
3 Europa: Energias renováveis terão um ano crucial em 2022

Geração Distribuída
1 Absolar e InvestMinas irão desenvolver projeto de energia solar em Minas Gerais
2 BV e Meu Financiamento Solar fornecerão energia solar para comunidade de São Paulo
3 Absolar: Aumento no custo de energia intensifica procura por energia solar
4 Absolar: Brasil alcança 1 milhão de consumidores com GD solar
5 USDA lança programa piloto para conectar energia renovável aos moradores rurais
6 Os custos para a instalação de energia solar nas residências caem 40%

Armazenamento de Energia
1 Honeywell anuncia nova tecnologia para armazenamento de energia renovável
2 Fluence e ReNew criam empreendimento de armazenamento de energia
3 Honeywell assina contrato de 19 GWh de bateria com a FREYR

4 A Maoneng desenvolverá projeto de armazenamento de energia

5 Autoridade reguladora de Connecticut lança programa de armazenamento

Veículos Elétricos
1 China: CATL lança serviço de troca de bateria para veículos elétricos
2 Volkswagen e a Bosch estabelecem joint venture para a produção de baterias
3 NIO abre estação de troca de bateria na Noruega
4 EUA: Evento promove discussão sobre a rede nacional de carregamento de VEs

5 EUA: A adoção da infraestrutura de veículos elétricos exige financiamento criativo

Gestão e Resposta da Demanda
1 Resposta da demanda chega ao SmartThings da Samsung
2 Carregadores inteligentes e resposta da demanda podem melhorar a confiabilidade e a estabilidade da rede
3 Desenho tarifário tem papel crítico na transição energética

Eficiência Energética
1 Cemig e MP/MG ampliam parceria sobre uso seguro e eficiente da energia elétrica
2 Schneider e GreenYellow fecham parceria em eficiência energética
3 Espanha: Orçamento de Andaluzia ajudará na reabilitação energética de casas

Tecnologias e Soluções Digitais
1 Reino Unido: Projetos da SSEN testam plataforma de negociação de serviços de flexibilidade
2 JPMorgan Chase está utilizando software para otimizar consumo de energia
3 Inteligência artificial torna inspeção de painéis solares mais rápida e precisa
4 O maior data center dos países nórdicos irá fornecer flexibilidade à rede

5 Concessionária finlandesa otimiza a eficiência e a descarbonização de sua planta com solução de IA

Segurança Cibernética
1 EUA: FERC propõe nova regra para fortalecer sistemas contra ciberataques
2 Tensões na Ucrânia aumentam ameaças cibernéticas contra empresas e infraestruturas críticas nos EUA
3 EUA: Sistemas de proteção de rede têm falhas de segurança cibernética

Eventos
1 5° Fórum da Juventude IRENA 2022 para estimular ação na transição energética

Artigos e Estudos
1 Artigo GESEL: “Inovações tecnológicas como propulsoras da transição energética”
2 Plano Decenal de Expansão de Energia 2031
3 Relatório: “Unlocking a sustainable future: why digital solutions are key to sustainable business transformation”
4 Relatório: “No Pain, No Gain: The economic consequences of accelerating the energy transition”

5 Relatório: “Short-Term Energy Outlook (STEO)”


 

 

Transição Energética e ESG

1 Espanha: Ministra faz apelo global para acelerar a transição energética

Teresa Ribera, ministra da Transição Energética e do Desafio Demográfico da Espanha, pediu que a difusão de energias renováveis ocorra de forma massiva e rápida. O apelo foi feito durante a 12° Assembleia da Agência Internacional de Energias Renováveis (IRENA). Durante o evento, a ministra também alertou para o risco do retorno de incentivos para os combustíveis fósseis, intensivos em CO2. Segundo Ribera, é mais do que necessário acelerar o processo da transição energética. Para a ministra, pequenos ou grandes investimentos em energias renováveis, a participação das comunidades energéticas locais, a implantação massiva de projetos de geração distribuída ou soluções renováveis são a chave para alcançar a transição energética. (Energías Renovables – 17.01.2022)

<topo>

2 Empresas de energias renováveis enfrentarão desafios em 2022

O setor de energias renováveis tem muito a comemorar. A oportunidade – e o capital disponível – são abundantes, alimentados pela crescente pressão política e dos investidores para se alinhar ao cenário de limitar o aquecimento global a 1,5 °C. Mas o caminho a ser percorrido não é fácil. As empresas de energias renováveis devem enfrentar os crescentes riscos de curto prazo, desde inflação de custos, incerteza política e até desafios de interconexão. Diante disso, existem cinco pontos para se preocupar em 2022, são eles: as análises e averiguações da estratégia de transição que serão realizadas em 2022; o aumento dos custos da energia solar e eólica que irão forçar os preços dos leilões a subir; maior risco de desenvolvimento de projetos devido a maior complexidade e; outros temas que definirão como será o ano para as companhias do setor. (Wood Mackenzie – 17.01.2022)

<topo>

3 Europa: Energias renováveis terão um ano crucial em 2022

Os mercados de energia eólica e solar enfrentam o desafio de acelerar a descarbonização em um ambiente político dinâmico. O armazenamento de energia também enfrenta demandas cada vez maiores, devido a necessidade de manter o equilíbrio entre fornecimento e demanda de energia. Isso ocorre em um cenário, no qual os preços atingiram patamares recordes. Os mercados de energia estão com uma demanda maior do que antes da pandemia e as reservas hídricas na Dinamarca, Suécia, Noruega, Islândia, Finlândia, França e Espanha começaram o ano abaixo da média. Além disso, a infraestrutura de transmissão da Europa está sendo ampliada devido ao mix de oferta em evolução, aumentando os preços até mesmo em regiões tradicionalmente de baixo custo. (Wood Mackenzie – 19.01.2022)

<topo>

 

 

Geração Distribuída

1 Absolar e InvestMinas irão desenvolver projeto de energia solar em Minas Gerais

A Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar) e a Agência de Promoção de Investimento e Comércio Exterior de Minas Gerais (InvestMinas) assinaram um acordo para desenvolver ainda mais a geração de energia solar no estado de Minas Gerais. A iniciativa visa atrair novos investimentos para a região, assim como gerar mais empregos e renda para a população. Além disso, a iniciativa irá estimular o desenvolvimento de novas oportunidades de negócios para empreendedores, ampliar o acesso à energia solar aos consumidores residenciais, setores produtivos, agronegócio e setor público no estado. Sob o acordo, os parceiros irão priorizar a identificação de empreendedores do setor solar interessados em investir, o compartilhamento de informações sobre o mercado solar mineiro, avaliar tendências de negócios e aprimorar o ambiente regulatório e legal do setor, além de cooperar em eventos e ações conjuntas. (CanalEnergia – 19.01.2022)

<topo>

2 BV e Meu Financiamento Solar fornecerão energia solar para comunidade de São Paulo

O BV e o Meu Financiamento Solar – fintech de crédito para energia solar do Brasil – anunciaram parceria com a ONG Gerando Falcões. A parceria tem como objetivo fornecer energia solar para mais de 240 casas de uma comunidade de São José do Rio Preto, no interior de São Paulo. No total serão instaladas mais de mil placas solares nas residências e áreas comuns da comunidade, que promoverão economia na conta de energia e contribuirão com o meio ambiente. Espera-se que as instalações ocorram até junho de 2023. A comunidade foi escolhida para servir como modelo para o projeto da Gerando Falcões chamado de Favela 3D, projeto que busca transformar as favelas em ambientes dignos, digitais e desenvolvidos. (CanalEnergia – 17.01.2022)

<topo>

3 Absolar: Aumento no custo de energia intensifica procura por energia solar

Um levantamento da Associação Brasileira de Energia Solar (Absolar) mapeou mais de 70 linhas de financiamento para quem quer trocar a conta de luz pela parcela de financiamento. O levantamento foi realizado em parceria com a Cela Clean Energy Latin America (Cela). Camila Ramos, diretora-geral da Cela e VP de Financiamento da Absolar, afirma que há um aumento de recursos para financiamento no Brasil crescendo na mesma proporção que a busca por energia solar. Segundo ela, novos players, fintechs e bancos comerciais entraram no mercado para financiar esses projetos solares a partir de 2020 e 2021. Foi neste período que o BV, do grupo Votorantim, assumiu o controle da fintech Meu Financiamento Solar. A plataforma digital, que oferece linha de crédito para pessoa física e pessoa jurídica instalarem painéis fotovoltaicos, registrou um crescimento de três dígitos ano passado e espera repetir o bom resultado em 2022. (Valor Econômico – 20.01.2022)

<topo>

4 Absolar: Brasil alcança 1 milhão de consumidores com GD solar

A Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar) apontou que o Brasil acaba de ultrapassar a marca de 1 milhão de unidades consumidoras com geração própria de energia a partir da fonte solar. A modalidade representa mais de 8,6 GW de potência instalada operacional. De acordo com a estimativa da entidade, esse volume representa a atração de mais de R$ 44 bilhões em investimentos. O setor de geração distribuída gerou mais de 260 mil empregos acumulados desde 2012, espalhados pelas cinco regiões do Brasil. Em número de unidades consumidoras o segmento residencial está no topo da lista, representando 76,6% do total. Em seguida, aparecem comércio e serviços (13,4%), produtores rurais (7,6%), indústrias (2,1%), poder público (0,3%) e outros tipos, como serviços públicos (0,03%) e iluminação pública (0,01%). (CanalEnergia – 20.01.2022)

<topo>

5 USDA lança programa piloto para conectar energia renovável aos moradores rurais

Tom Vilsack, secretário do Departamento de Agricultura dos EUA (USDA), anunciou que o departamento está disponibilizando até US$ 10 milhões para ajudar as pessoas que vivem em áreas rurais a desenvolver projetos comunitários de energia renovável. O objetivo da iniciativa é contribuir para reduzir os custos de energia e colaborar com o combate à mudança climática. Além disso, o financiamento será direcionado para ajudar as pessoas que vivem em comunidades que historicamente foram subinvestidas e/ou desinvestidas. O USDA está disponibilizando os fundos através do novo Programa Piloto de Energia Rural. (EE Online – 21.01.2022)

<topo>

6 Os custos para a instalação de energia solar nas residências caem 40%

Um estudo realizado pela consultoria Greener aponta que houve uma diminuição nos preços dos equipamentos de energia solar, desde o início da expansão da geração distribuída no Brasil. Um sistema fotovoltaico para uma residência com quatro pessoas custava R$ 35.080 em junho de 2016. No mesmo período de 2021, esse valor desabou para R$ 19.520, uma redução de 40%. De acordo Claudio Loureiro, Gerente Geral da Array (empresa americana de energia solar), o valor investido no sistema volta para o comprador com o barateamento da conta de luz. O payback médio era de cinco anos, com a bandeira vermelha passou para quatro anos. Moradias populares já estão sendo construídas com sistema de geração de energia fotovoltaica. Em 2019, foram entregues 18 empreendimentos da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano, totalizando 1.450 unidades de moradia em cidades do interior paulista, como Dois Córregos e Bragança Paulista. Apesar da popularização, os sistemas com soluções arquitetônicas mais modernas ainda não estão disponíveis no mercado brasileiro. (Absolar – 21.01.2022)

<topo>

 

 

Armazenamento de Energia

1 Honeywell anuncia nova tecnologia para armazenamento de energia renovável

A Honeywell anunciou uma nova tecnologia de bateria de fluxo, que funciona com fontes geração de energias renováveis, como eólica e solar. A nova tecnologia foi desenvolvida para atender à crescente demanda por armazenamento sustentável de energia. A nova bateria de fluxo usa um eletrólito seguro e não inflamável, que converte energia química em eletricidade para armazenar energia para uso posterior. A bateria também atende aos padrões ambientais, de longevidade e de segurança das concessionárias. De acordo com a Honeywell, a nova tecnologia oferece maior flexibilidade e duração estendida para as concessionárias. Isso porque, a bateria pode armazenar e descarregar eletricidade por até 12 horas, excedendo a duração das baterias de íon-lítio, que podem descarregar eletricidade por até 4 horas. (CanalEnergia – 20.01.2022)

<topo>

2 Fluence e ReNew criam empreendimento de armazenamento de energia

A Fluence (empresa de armazenamento de energia) e a ReNew Power (desenvolvedora de energia renovável) se uniram com o objetivo de explorar o mercado de armazenamento de energia na Índia. As duas empresas formarão uma joint venture para atender às necessidades de armazenamento de energia dos clientes em todo o país. A expectativa é que o empreendimento comece a operar no primeiro semestre deste ano. A Autoridade Central de Eletricidade da Índia espera que o mercado indiano de armazenamento de energia atinja 27 GW/108 GWh até 2030. (PV Magazine – 21.01.2022)

<topo>

3 Honeywell assina contrato de 19 GWh de bateria com a FREYR

Um acordo de fornecimento, e troca de tecnologias e componentes de sistema de armazenamento de energia (ESS) foi realizado entre a Honeywell e a FREYR Battery -fabricante de baterias de íons de lítio. A Honeywell está envolvida em uma ampla gama de indústrias, incluindo o mercado de armazenamento de energia. Segundo o acordo anunciado por ambas as empresas, a FREYR irá alavancar várias ofertas de tecnologias da Honeywell, como software industrial, automação integrada, instrumentação de campo e soluções de integração de segurança em seus processos de fabricação. Já a Honeywell comprará 19 GWh de células de bateria da FREYR entre 2023 e 2030. (Energy Storage News– 19.01.2022)

<topo>

4 A Maoneng desenvolverá projeto de armazenamento de energia

A Maoneng – empresa de armazenamento de energia – recebeu aprovação para desenvolver seu sistema de armazenamento de energia em bateria (BESS). O projeto terá capacidade de 240MW/480MWh e será instalado em Victoria, Austrália. Em termos de megawatt-hora será o maior projeto do país desse tipo até agora. A empresa anunciou planos para o projeto autônomo em julho do ano passado. O sistema será construído na Península de Mornington, em Victoria, uma região popular entre os turistas e sujeita a flutuações sazonais da demanda de energia. (Energy Storage News– 19. 01.2022)

<topo>

5 Autoridade reguladora de Connecticut lança programa de armazenamento

A Autoridade Reguladora de Serviços Públicos de Connecticut (PURA) lançou um programa de armazenamento de energia elétrica, visando promover um sistema de distribuição mais confiável e resiliente. O Energy Storage Solutions é um programa estadual para todos os clientes residenciais, comerciais e industriais da Eversource e United Illuminating (UI), ambas distribuidoras de energia. O programa será administrado pelo Connecticut Green Bank, juntamente com Eversource e UI. O programa, que terá duração de nove anos, foi lançado oficialmente em 1º de janeiro e continuará pelo menos até 31 de dezembro de 2030. (Daily Energy Insider– 20.01.2022)

<topo>

 

 

Veículos Elétricos

1 China: CATL lança serviço de troca de bateria para veículos elétricos

A Contemporary Amperex Technology (CATL) – fabricante chinesa de baterias – lançou um serviço de troca de bateria para veículos elétricos chamado EVOGO. O novo serviço permite que os motoristas possam ter uma bateria totalmente carregada em poucos minutos. A fabricante instalará estações de troca em dez cidades da China e os usuários poderão acessar o serviço por meio de um aplicativo, disse Chen Weifeng, gerente geral da subsidiária da Contemporary Amperex Energy Service Technology. O serviço permite que os motoristas troquem packs de baterias esgotadas por baterias recém-carregadas em suas estações de troca. O veículo multifuncional Bestune NAT da montadora chinesa, FAW Group, será o primeiro carro compatível com o serviço. Mais modelos serão incluídos no futuro. (Isto É – 18.01.2022)

<topo>

2 Volkswagen e a Bosch estabelecem joint venture para a produção de baterias

A Volkswagen e a Bosch anunciaram que estabelecerão uma joint venture até o final de 2022. A nova empresa fornecerá equipamentos e dará suporte à produção de células de baterias para veículos elétricos (VEs) na Europa. Segundo o comunicado, as duas empresas planejam fornecer sistemas integrados de produção, bem como suporte à produção e manutenção no local para fabricantes de células de bateria. O objetivo da iniciativa é atingir a liderança de custos e na industrialização da tecnologia de baterias, assim como na produção de alto volume de baterias sustentáveis. Acima de tudo, a futura joint venture faz parte do plano de tornar a Europa autossuficiente na produção de baterias para VEs e reduzir progressivamente a dependência dos países asiáticos. (Inside EVs – 19.01.2022)

<topo>

3 NIO abre estação de troca de bateria na Noruega

A NIO, fabricante de veículos elétricos, lançou a primeira estação de troca de baterias da Noruega, onde pretende ter um total de 20 dessas instalações até o final de 2022. A estação foi inaugurada em janeiro de 2022 e apoiará o lançamento do SUV elétrico de luxo NIO ES8, bem como os próximos carros elétricos da NIO. Na China, a fabricante já tem mais de 700 estações de troca de baterias e o plano é instalar 4 mil (incluindo mil estações fora da China) até o final de 2025. Acredita-se que ainda este ano serão vistas as primeiras estações de troca de baterias também em outros países europeus, incluindo na Alemanha, o maior mercado europeu de carros elétricos. Graças às estações de troca de baterias, a NIO é capaz de oferecer carros na modalidade de vendas Battery as a Service (BaaS), significando que os clientes estão comprando um carro sem bateria e pagam uma assinatura mensal para usar a rede de troca. (Inside EVs – 23.01.2022)

<topo>

4 EUA: Evento promove discussão sobre a rede nacional de carregamento de VEs

O National EV Charging Summit, evento que ocorreu virtualmente no dia 20 de janeiro de 2022, reuniu especialistas em eletrificação dos transportes. O objetivo do evento foi discutir as parcerias do governo estadunidense e da indústria privada, que são essenciais para a criação da rede nacional de estações de carregamento público para veículos elétricos (VEs). Parte dos recursos para financiar a rede de estações virá dos US$ 7,5 bilhões da Lei Bipartidária de Investimento e Empregos em Infraestrutura, assinada em novembro de 2021. A rede nacional de recarga foi projetada para aumentar a confiança do consumidor nos VEs e acelerar a adoção de VEs. (Daily Energy Insider– 22.01.2022)

<topo>

5 EUA: A adoção da infraestrutura de veículos elétricos exige financiamento criativo

Apesar da Lei Bipartidária de Infraestrutura fornecer financiamento para a implantação de carregadores, o financiamento público não será suficiente. Segundo Jigar Shah – diretor do Escritório de Programas de Empréstimo do Departamento de Energia (DOE) dos EUA – a implantação em massa de carregadores de veículos elétricos (VEs) exigirá certa criatividade no financiamento de terceiros e inovação das concessionárias. A nova infraestrutura de VEs precisa levar em conta a remuneração do setor privado. O dinheiro público, em vez de ser unicamente uma fonte de financiamento, torna-se um “catalisador” que comprova o modelo de negócios. Ainda segundo especialistas do DOE, modelos como o do New York Green Bank, fornecem empréstimos para projetos de infraestrutura verde e podem funcionar na infraestrutura de VEs. (Utility Dive– 21.01.2022)

<topo>

 

 

Gestão e Resposta da Demanda

1 Resposta da demanda chega ao SmartThings da Samsung

Os usuários do aplicativo de SmartThings da Samsung estão configurados para acessar um novo portfólio de programas de integração de serviços públicos e serviços de rede. As ofertas da empresa de gerenciamento de energia, Enersponse, devem abrir o mercado de resposta à demanda para proprietários de residências e outros pequenos usuários de energia nos EUA de maneira mais acessível. Para a Enersponse, cujas ofertas estão focadas no mercado business to business (B2B), a parceria abre caminho para um acesso mais amplo ao mercado residencial potencialmente massivo. (Smart Energy– 22.01.2022)

<topo>

2 Carregadores inteligentes e resposta da demanda podem melhorar a confiabilidade e a estabilidade da rede

A Comissão de Serviços Públicos da Califórnia aprovou recentemente mudanças no Programa Emergencial de Redução de Carga (Emergency Load Reduction Program) do estado, uma iniciativa de resposta da demanda destinada a evitar apagões contínuos. Como parte das mudanças, o novo programa paga aos clientes residenciais US$ 2 por quilowatt-hora para reduções de carga durante os horários de pico de demanda, bem como passou a incluir os veículos elétricos (VEs) na iniciativa. Com inserção dos VEs no programa, além do gerenciamento da carga, será possível coletar dados sobre os esforços de sustentabilidade, bem como medir a energia fornecida aos VEs. Esses são alguns dos benefícios do carregamento doméstico inteligente, juntamente com a resposta da demanda, que a infraestrutura de carregamento desconectada da rede simplesmente não pode fornecer. (Utility Dive – 24.01.2022)

<topo>

3 Desenho tarifário tem papel crítico na transição energética

As novas regulamentações e legislações em 2022 continuarão buscando desenhos tarifários com sinais de preço que contribuam para modificar o consumo de eletricidade do cliente e beneficiar os sistemas de energia. Isso porque, o papel da geração de energia variável e dos recursos energéticos distribuídos (REDs) no atendimento da demanda faz com que seja essencial a existência de sinais de preço efetivos para os clientes. O consenso emergente é em relação às tarifas com sinais, que reduzirão os picos de demanda do sistema e diminuirão as contas de energia dos clientes. Essas tarifas levarão em consideração o valor dos REDs e irão contribuir para aumentar o acesso às novas tecnologias e economia de custos. Segundo o Sanem Sergici, diretor do Brattle Group, as concessionárias e os reguladores perceberam que a nova dinâmica do sistema de energia exige que os preços sejam mais inteligentes. (Utility Dive – 19.01.2022)

<topo>

 

 

Eficiência Energética

1 Cemig e MP/MG ampliam parceria sobre uso seguro e eficiente da energia elétrica

A Cemig e o Ministério Público de Minas Gerais assinaram uma parceria que possibilitará levar mais conhecimento e orientações sobre a importância do uso seguro e eficiente da energia elétrica para a população mineira. A iniciativa será implantada por meio de diversas ações. Segundo a Cemig, um dos projetos que abordará a temática é o MP Itinerante. Com este acordo, as instituições verão a expansão de ações, que introduzem atividades de promoção e conscientização da importância da prevenção de acidentes com a rede elétrica. Além das ações propostas pelo projeto, a Cemig também vai oferecer aos servidores e colaboradores do órgão um curso com diversas orientações sobre o uso seguro e eficiente da energia elétrica. O curso também será aberto para a participação da população. (CanalEnergia – 18.01.2022)

<topo>

2 Schneider e GreenYellow fecham parceria em eficiência energética

Schneider Electric (especialista em gestão de energia) e GreenYellow (empresa de soluções de energia) anunciaram um acordo para fornecer programas de eficiência energética totalmente financiados e prontos para uso, com foco em grandes corporações internacionais. O acordo tem três anos de duração e focará em atender ao segmento industrial energointensivo que tenha ambição clara de descarbonizar rapidamente sua matriz. Sob o acordo, a Schneider Electric trará sua experiência em consultoria na definição de roteiros de sustentabilidade e usará a sua plataforma EcoStruxure Resource Advisor, que permite gerenciar iniciativas de energia e sustentabilidade. A GreenYellow, por sua vez, ficará com ações de eficiência energética, para assegurar a instalação de tecnologias eficientes e seu respectivo acompanhamento, comprometendo-se com as garantias de desempenho. (CanalEnergia – 18.01.2022)

<topo>

3 Espanha: Orçamento de Andaluzia ajudará na reabilitação energética de casas

O Plano de Habitação Ecológica, que tem como objetivo reabilitar e melhorar a eficiência energética de 33 mil casas em Andaluzia, receberá financiamento. O financiamento será de 200 milhões de euros e proveniente dos fundos Next Generation. Apresentado pelo Ministério de Desenvolvimento, Infraestrutura e de Ordenamento do Território do Governo da Andaluzia, o plano concederá ajudas para melhorar o isolamento de fachadas e coberturas, instalar sistemas de energias renováveis, como painéis fotovoltaicos, aquecedores solares, caldeiras de biomassa, assim como mudar janelas ou sistemas de iluminação. No que se refere à reabilitação e melhoria da eficiência energética das habitações, a Andaluzia vai lançar o programa de reabilitação de edifícios e habitações e o programa de melhoria da eficiência energética das habitações. (Energías Renovables – 19.01.2022)

<topo>

 

 

Tecnologias e Soluções Digitais

1 Reino Unido: Projetos da SSEN testam plataforma de negociação de serviços de flexibilidade

Espera-se que um sistema de energia flexível reduza os custos do sistema de eletricidade em £ 10 bilhões por ano até 2050 e possa criar 24 mil empregos no Reino Unido. Mas, para alcançar esse objetivo, um mercado de flexibilidade justo e transparente deve ser desenvolvido. O Projeto LEO é o principal projeto de inovação da Scottish and Southern Electricity Networks (SSEN), distribuidora do Reino Unido. Simultaneamente com o LEO, o projeto TRANSITION foi criado para demonstrar a funcionalidade da arquitetura dos operadores de sistema de distribuição (DSOs). Ambos os projetos contam com a plataforma Neutral Market Facilitator, que visa permitir um mercado de flexibilidade transparente. Além disso, a plataforma pode fornecer acesso a todos os provedores de flexibilidade para negociar serviços. A plataforma será conectada a vários outros sistemas, como ferramentas de previsão e ferramentas de análise de sistema de energia. (Eletric Energy Online– 24.01.2022)

<topo>

2 JPMorgan Chase está utilizando software para otimizar consumo de energia

A NextEra Energy Resources, companhia estadunidense geradora de energias limpas, anunciou que o banco JPMorgan Chase começou a utilizar sua plataforma de software Optos para otimizar seu uso de energia e reduzir suas emissões de carbono. O Optos é uma solução de gerenciamento de energia end-to-end que usa inteligência artificial e tecnologia blockchain para ajudar as empresas a identificar suas emissões de carbono, bem como fornecer dados para atender sua demanda de energia com recursos de energia limpa disponíveis no mercado. (Eletric Energy Online– 21.01.2022)

<topo>

3 Inteligência artificial torna inspeção de painéis solares mais rápida e precisa

Tradicionalmente, a identificação de defeitos em painéis solares é feita manualmente por trabalhadores, o que torna o processo lento, caro e não muito preciso. Para contornar isso, os operadores de fazendas solares estão recorrendo à inspeção com inteligência artificial (IA). Isso envolve o uso de algoritmos que podem detectar automaticamente defeitos do painel solar a partir de imagens. A tecnologia pode ser utilizada para identificar defeitos nos painéis solares antes e depois da sua instalação. (PV Magazine – 21.01.2022)

<topo>

4 O maior data center dos países nórdicos irá fornecer flexibilidade à rede

A Fortum (empresa de geração de energia elétrica) e a Telia (companhia norueguesa de serviços de tecnologia) utilizarão os sistemas de fonte de alimentação ininterrupta (UPS) para fornecer flexibilidade. Sob a parceria, a Telia conectará o Helsinki Data Center à rede da Noruega, que irá fornecer serviços de balanceamento ao mercado de eletricidade. O data center, desde 2021, contribuiu com vários megawatts de capacidade para a bateria virtual da Fortum (Fortum Spring), uma plataforma composta pelos ativos de flexibilidade de milhares de clientes empresariais e residenciais. (Smart Energy – 24.01.2022)

<topo>

5 Concessionária finlandesa otimiza a eficiência e a descarbonização de sua planta com solução de IA

A concessionária finlandesa – Vantaa Energy – e a empresa japonesa de energia, Sumitomo, desenvolveram uma solução de inteligência artificial (IA), que aumenta a eficiência dos ativos de geração de energia. A tecnologia foi baseada em processamento de dados e análises avançadas para monitorar o desempenho das caldeiras de geração. Em 2021, as empresas introduziram um novo recurso à solução para verificar a limpeza das caldeiras, o qual foi desenvolvido na plataforma IZANA da Sumitomo. A solução está permitindo que os operadores da planta da Vantaa Energy visualizem eventos dentro das caldeiras em tempo real e programem manutenções e otimizações de acordo com o status operacional da planta. Isto, por sua vez, aumenta a eficiência, reduz as emissões e torna a vida útil da planta mais longa. (Smart Energy – 20.01.2022)

<topo>

 

 

Segurança Cibernética

1 EUA: FERC propõe nova regra para fortalecer sistemas contra ciberataques

A Federal Regulatory Energy Commission (FERC), comissão reguladora independente do setor elétrico estadunidense, divulgou uma proposta para fortalecer os sistemas contra ataques cibernéticos. A proposta exigiria o monitoramento interno da segurança em sistemas cibernéticos da rede, de alto e médio impacto. A regra proposta foi projetada para fortalecer os Padrões de Confiabilidade de Proteção de Infraestrutura Crítica (CIP) da FERC. De acordo com os atuais padrões de confiabilidade CIP, o monitoramento da segurança da rede está focado na defesa do perímetro de segurança eletrônica. No entanto, esta nova regra proposta procura abordar as preocupações que os padrões existentes não abordam, como possíveis vulnerabilidades da rede interna a ameaças cibernéticas. (Daily Energy Insider– 24.01.2022)

<topo>

2 Tensões na Ucrânia aumentam ameaças cibernéticas contra empresas e infraestruturas críticas nos EUA

Autoridades federais e pesquisadores de segurança estadunidenses estão alertando as organizações dos EUA para se prepararem para a possibilidade de ataques contra sua infraestrutura crítica e alvos relacionados, à medida que as tensões militares entre Rússia e Ucrânia aumentam. Segundo a inteligência americana, as ameaças contra a Ucrânia podem vir a se tornar ameaças globais e contra os EUA, dado que foram relatados casos de ataques a companhias internacionais que tinham negócios na Ucrânia. (Cybersecurity Dive– 21.01.2022)

<topo>

3 EUA: Sistemas de proteção de rede têm falhas de segurança cibernética

A Red Balloon Security, empresa privada de investigação de segurança com sede nos EUA, encontrou falhas de segurança em um sistema de proteção elétrica e demonstrou vulnerabilidade a ataque ransomware. As investigações começaram com uma avaliação de segurança cibernética de três dispositivos fabricados desde 2015 e atualmente disponíveis no mercado internacional pelos principais fabricantes (não relatados). A Red Balloon descobriu que, embora os recursos de segurança cibernética estejam expostos nas especificações de marketing de cada dispositivo, incluindo segurança, conformidade de segurança cibernética e certificação, nenhum atualmente incorpora o complemento dos recursos de segurança. (Smart Energy – 20.01.2022)

<topo>

 

 

Eventos

1 5° Fórum da Juventude IRENA 2022 para estimular ação na transição energética

O 5° Fórum da Juventude IRENA 2022 reuniu virtualmente mais de 400 jovens líderes em energia. No evento, os participantes convocaram organizações, governos, setor privado, academia e a sociedade civil a tomar medidas urgentes para garantir a transição energética. Os participantes também levantaram o papel dos jovens no combate às mudanças climáticas. Apesar das barreiras que os jovens enfrentam, eles fornecem soluções criativas de energia sustentável e lutam por um futuro mais sustentável. Além disso, o Fórum também discutiu a necessidade de investir no desenvolvimento de habilidades para o setor de energia renovável. (IRENA – 19.01.2022)

<topo>

 

 

Artigos e Estudos

1 Artigo GESEL: “Inovações tecnológicas como propulsoras da transição energética”

Em artigo publicado no Broadcast Energia, Nivalde de Castro (professor do Instituto de Economia da UFRJ e coordenador do Gesel), Mauricio Moszkowicz, (pesquisador sênior do GESEL) e Lucca Zamboni (pesquisador associado do GESEL), analisam como as inovações tecnológicas serão as propulsoras da transição energética. Segundo os autores, “o setor elétrico mundial enfrenta outra fase de transformações, muito profundas e indeterminadas”, tendo a transição energética como o elemento central dessa transformação. Para os autores, “o vetor decisivo e transversal da transição energética é a inovação tecnológica. Somente com investimentos elevados e focados na criação de novos processos, sistemas, métodos e produtos será possível alcançar, com sucesso, as metas de descarbonização definidas para 2050-2060.” Para ler o texto na íntegra, clique aqui. (GESEL-IE-UFRJ – 19.01.2022)

<topo>

2 Plano Decenal de Expansão de Energia 2031

O Ministério de Minas e Energia (MME) publicou o Plano Decenal de Expansão de Energia 2031 (PDE) e abriu consulta pública para aprimoramento. As contribuições poderão ser feitas até o dia 23 de fevereiro. O Capítulo 9 do documento é dedicado aos recursos energéticos distribuídos (REDs), dentre os quais estão: eficiência energética (EE), micro e minigeração distribuídas (MMGD), autoprodução de energia (não injetada) e energia solar térmica. O PDE 2031 estima que a contribuição elétrica dos REDs pode representar 21% do consumo de eletricidade até 2031, o que corresponderia a 175TWh, com autoprodução contribuindo com 10%. O estudo também estimou que os REDs atenderão cerca de 9% da demanda energética até 2031, sendo 5% representado pela eficiência energética. Para acessar o documento na íntegra, clique aqui. (MME – 24.01.2022)

<topo>

3 Relatório: “Unlocking a sustainable future: why digital solutions are key to sustainable business transformation”

O relatório produzido pela Schneider Electric, em colaboração com a CNBC Catalyst, descreve como empresas e instituições estão aproveitando a tecnologia digital para reduzir as emissões de gases de efeito estufa (GEE), acelerar a transição energética e construir cadeias de suprimentos mais transparentes. O estudo mostra que 70% da redução de emissões pode ser alcançada com tecnologias existentes, comprovadas e competitivas. A Inteligência artificial (IA), machine learning, blockchain e modelagem 3D são fundamentais para superar os desafios climáticos. Espera-se que a abordagem dos compromissos climáticos em relação a neutralização das emissões dos GEE, como um princípio organizador nos negócios, seja acelerada. Para ler o texto na íntegra, clique aqui. (Energías Renovables – 18.01.2022)

<topo>

4 Relatório: “No Pain, No Gain: The economic consequences of accelerating the energy transition”

Segundo o novo estudo publicado pela Wood Mackenzie, o mundo tem os meios, motivos e oportunidades para limitar o aquecimento global a 1,5°C. O processo de transição energética levará tempo, mas trará benefícios econômicos e ambientais. A análise da Wood Mackenzie sugere que os benefícios econômicos irão se materializar além do horizonte de 2050. Segundo o estudo, prevenir um aquecimento mais extremo provavelmente terá um impacto econômico positivo nas próximas três décadas. No entanto, o relatório estima que manter o aquecimento em 1,5°C reduziria 2,0% de nossa previsão de produto interno bruto (PIB) para 2050. Para ler o texto na íntegra, clique aqui. (Wood Mackenzie – 20.01.2022)

<topo>

5 Relatório: “Short-Term Energy Outlook (STEO)”

De acordo com o relatório da US Energy Information Administration (EIA), o aumento da geração de eletricidade a partir de recursos de energia renovável, como solar e eólica, reduzirá a geração de usinas a combustível fóssil nos próximos dois anos. Espera-se que a participação de geração renovável atinja 17% em 2023. Isso representaria um aumento de 4% em relação à sua participação no ano 2021. Juntamente com esse aumento, pode haver um declínio do gás natural para 34%, enquanto o carvão pode diminuir para 22%. A EIA observou que a capacidade solar no setor de energia elétrica dos EUA até o final de 2021 era 20 vezes maior do que uma década atrás, enquanto a capacidade eólica mais que dobrou no mesmo período. Como resultado, espera-se que a maior parte do crescimento na geração de eletricidade nos EUA ao longo desses dois anos venha de novas fontes de energia renovável. Para ler o texto na íntegra, clique aqui. (Daily Energy Insider – 20.01.2022)

<topo>


Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Lorrane Câmara e Luiza Masseno
Pesquisadores:
Cristina Rosa, Matheus Balmas e Pedro Barbosa
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

As notícias divulgadas no IFE não refletem necessariamente os pontos da UFRJ. As informações que apresentam como fonte UFRJ são de responsabilidade da equipe de pesquisa sobre o Setor Elétrico, vinculada ao NUCA do Instituto de Economia da UFRJ.

POLÍTICA DE PRIVACIDADE E SIGILO
Respeitamos sua privacidade. Caso você não deseje mais receber nossos e-mails,  Clique aqui e envie-nos uma mensagem solicitando o descadastrado do seu e-mail de nosso mailing.


Copyright UFRJ

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: