IFE.TEX 71

Informativo Eletrônico – Tecnologias Exponenciais nº 71 – publicado em 24 de janeiro de 2022.

IFE: Informativo Eletrônico de Tecnologias Exponenciais – GESEL-UFRJ <!–

l

IFE: nº 71 – 24 de janeiro de 2022
http://gesel.ie.ufrj.br/
gesel@gesel.ie.ufrj.br

Editor: Prof. Nivalde J. de Castro

Índice

Transição Energética e ESG
1
NYISO/USA propõe à FERC mudanças nas regras para investimentos em energia renováveis
2 DOE/USA apoiará a transição energética em comunidades remotas e insulares
3 Índia e IRENA irão fortalecer a colaboração em energias renováveis
4 El Salvador e IRENA firmam parceria para impulsionar energias renováveis
5 Austrália: Maior porto de carvão do mundo muda para energia renovável
6 EUA: Energia solar deve ser a maior fonte de nova capacidade de geração em 2022
7 BEI fornece financiamento para o desenvolvimento sustentável dos municípios da Eslovênia
8 EUA: DOE apoiará pesquisa em tecnologias de energia limpa
9 Wood Mackenzie: Competitividade de energia renovável na Ásia-Pacífico

Geração Distribuída
1 ABGD: Geração distribuída deverá ter seu melhor ano em 2022
2 Portal Solar: Geração solar distribuída chega a 1 milhão de clientes em 2022
3 Alemanha conclui a segunda licitação de energia solar distribuída
4 Governo de Valência irá fornecer 16 mi de euros para autoconsumo de energia

Armazenamento de Energia
1 Reino Unido aprova fábrica de baterias
2 BEI apoia planos de armazenamento da Gravitricity European
3 Greenbacker investe em empresa de armazenamento de energia nos EUA

4 Econergy adquire armazenamento de 50MW no Reino Unido

5 O armazenamento de energia pode equilibrar a carga da rede e reduzir emissões

Veículos Elétricos
1 Universidade de Michigan desenvolve bateria mais eficiente à base de lítio e enxofre
2 Audi apresenta estação de recarga “vip” para VEs
3 BP: Carregamento de VEs está prestes a se tornar mais lucrativo do que os combustíveis
4 Espanha: Repsol e Uber unem forças para avançar na mobilidade elétrica

5 Governo dos EUA cria escritório conjunto de energia e transporte para impulsionar VEs
6 Inglaterra: Shell converte posto de gasolina em centro de carregamento de veículos elétricos

Eficiência Energética
1 Apae Maceió recebe projeto de eficiência energética da Equatorial
2 New Hampshire/EUA: Programa de eficiência energética recebe críticas de legisladores
3 Grupo Gera investe R$ 10 mi em startup de eficiência energética
4 Espanha: Uso de materiais de construção reciclados em edifícios melhora a eficiência energética

Microrredes e VPP
1 África: Coalizão apoiará a instalação de minirredes em Lesoto
2 Equador: A microrrede da ilha de Galápagos está em desenvolvimento
3 XENDEE e o Idaho National Laboratory fazem parceria para desenvolver projeto de microrredes
4 EnergyHub e parceiros gerenciam usinas virtuais de energia virtuais

Tecnologias e Soluções Digitais
1 Uruguai lança certificação de energias renováveis via blockchain
2 Dubai: DEWA lança o primeiro nano satélite do mundo
3 Irlanda: ESB Networks irá gerenciar dados de medidores inteligentes com o sistema Temetra da Itron

Segurança Cibernética
1 Autoridade reguladora de Connecticut divulga relatório de segurança cibernética de 2021
2 EUA: NYPA aprimora a segurança cibernética da cadeia de valor de energia de Nova Iorque

Eventos
1 12ª Assembleia da IRENA com foco na transição energética Pós-COP26

Artigos e Estudos
1 Artigo GESEL: “Tecnologia 5G e a digitalização do setor elétrico”
2 Relatório IRENA: Fostering Livelihoods with Decentralised Renewable Energy: An Ecosystems Approach
3 Relatório: “Black & Veatch Asia Electric”
4 Relatório: “NDCs and Renewable Energy Targets in 2021”

5 Relatório: “Canada 2022 – Energy Policy Review”
6 Relatório IRENA-AfDB: “Renewable energy market analysis: Africa and its regions”


 

 

Transição Energética e ESG

1 NYISO/USA propõe à FERC mudanças nas regras para investimentos em energia renováveis

O Operador de Sistema Independente de Nova York (NYISO) apresentou mudanças nas regras de mercado à Comissão Federal Reguladora de Energia (FERC). As novas regras irão atender aos mandatos de descarbonização e investimento renovável do estado. As mudanças propostas foram aprovadas por mais de 82% das partes interessadas da NYISO após meses de análise e envolvimento com partes interessadas, reguladores e formuladores de políticas. Se aprovadas pela FERC, o NYISO espera que essas novas regras abram ainda mais os mercados atacadistas de eletricidade para investimentos significativos no desenvolvimento de energia eólica, solar e armazenamento de energia em baterias. (Daily Energy Insider – 12.01.2022)

<topo>

2 DOE/USA apoiará a transição energética em comunidades remotas e insulares

O Departamento de Energia dos EUA (DOE) e o National Renewable Energy Laboratory (NREL) anunciaram que o Energy Transitions Initiative Partnership Project (ETIPP) está aceitando inscrições de comunidades remotas e insulares para assistência técnica. Essa assistência visa a transformação dos sistemas de energia e aumento da resiliência energética. A abordagem colaborativa e orientada para a comunidade do ETIPP ajudará a garantir que comunidades remotas e insulares tenham as habilidades e ferramentas necessárias para acelerar seu planejamento de resiliência energética diante de eventos climáticos extremos, assim como de mudanças nas condições econômicas. (EE Online – 13.01.2022)

<topo>

3 Índia e IRENA irão fortalecer a colaboração em energias renováveis

O Ministério de Energias Novas e Renováveis da Índia assinou um acordo de parceria estratégica com a Agência Internacional de Energia Renovável (IRENA), sinalizando sua intenção de fortalecer a colaboração com a agência no campo das energias renováveis. Com um enorme potencial de energia renovável, a Índia tem o objetivo de se tornar um grande produtor de hidrogênio verde para apoiar a descarbonização de sua economia industrial. Sob a parceria, a IRENA apoiará os esforços da Índia para avançar na descarbonização da economia por meio do desenvolvimento de hidrogênio verde doméstico. Além disso, os parceiros trabalharão em estreita colaboração para avaliar o papel potencial que o hidrogênio verde pode desempenhar como facilitador da transição energética na Índia e como uma nova fonte de exportações energia. (IRENA – 16.01.2022)

<topo>

4 El Salvador e IRENA firmam parceria para impulsionar energias renováveis

El Salvador assinou um acordo com a Agência Internacional de Energia Renovável (IRENA), que visa impulsionar os esforços para a descarbonização da economia do país. Sob o acordo, a IRENA e El Salvador trabalharão para implementar as recomendações apresentadas na Avaliação de Prontidão para Renováveis (RRA) e nas Contribuições Nacionalmente Determinadas (NDC) atualizadas apresentadas na COP26. A IRENA e El Salvador também colaborarão no âmbito da Plataforma de Financiamento do Acelerador de Transição Energética (ETAF) para identificar projetos nacionais adequados para financiamento à medida que o país trabalha para atingir suas metas. (IRENA – 16.01.2022)

<topo>

5 Austrália: Maior porto de carvão do mundo muda para energia renovável

O Porto de Newcastle, Austrália, posicionou-se como líder na transição energética. Isso porque, suas operações agora são alimentadas inteiramente por energia verde, que foi obtida a partir do acordo assinado com a Iberdrola para um contrato de compra de energia no varejo (PPA). O PPA fornece ao porto certificados de geração em larga escala (LGCs) vinculados ao parque eólico Bodangora de 113 MW, em Nova Gales do Sul. O presidente-executivo do Porto de Newcastle, Craig Carmody, disse que a mudança faz parte de um plano para descarbonizar os negócios até 2040 e cumpre os compromissos de sustentabilidade estabelecidos em 2020. (PV Magazine – 14.01.2022)

<topo>

6 EUA: Energia solar deve ser a maior fonte de nova capacidade de geração em 2022

A Administração de Informações sobre Energia dos EUA (EIA) espera que 46,1 GW de nova capacidade de geração elétrica sejam adicionados à rede elétrica do país em 2022. Cerca de 46% dessa capacidade será energia solar fotovoltaica, seguido por gás natural e eólica. As informações foram reunidas pela EIA em uma série de pesquisas mensais e anuais de geradores elétricos. A energia solar em larga escala está projetada para crescer 21,5 GW este ano. Essa nova capacidade solar superaria os 15,5 GW de adições de capacidade solar do ano passado. (PV Magazine – 11.01.2022)

<topo>

7 BEI fornece financiamento para o desenvolvimento sustentável dos municípios da Eslovênia

O Banco Europeu de Investimento (BEI) fornecerá US$ 50 milhões ao Slovenska izvozna in razvojna banka (SID Banka) – um banco de desenvolvimento promocional e de exportação – para criar uma fonte de financiamento mais acessível para pequenos projetos de infraestrutura. O SID Banka combinará o financimento do BEI com fundos próprios, desbloqueando um total de US$ 100 milhões para investimentos no desenvolvimento dos municípios da Eslovênia. Os governos locais e suas empresas públicas poderão financiar projetos de infraestrutura de pequena escala, assim como medidas de eficiência energética e iniciativas de proteção ambiental em suas comunidades locais. Deste modo, a operação acelera o desenvolvimento verde e sustentável da Eslovênia, melhora a qualidade de vida e as condições para fazer negócios no país e reforça a coesão econômica, social e territorial na União Europeia. (EE Online – 11.01.2022)

<topo>

8 EUA: DOE apoiará pesquisa em tecnologias de energia limpa

Por meio de uma nova oportunidade de financiamento de US$ 420 milhões, o Departamento de Energia dos EUA (DOE) busca avançar a pesquisa em estágio inicial em tecnologias de energia limpa, fabricação avançada e de baixo carbono e ciência da informação quântica nos Centros de Pesquisa da Fronteira da Energia (EFRC). Destinada a auxiliar a meta de neutralizar as emissões da economia até 2050, a iniciativa unirá universidades, laboratórios nacionais, indústria e organizações sem fins lucrativos para acelerar os avanços em tecnologias limpas. (Daily Energy Insider– 17.01.2022)


<topo>

9 Wood Mackenzie: Competitividade de energia renovável na Ásia-Pacífico

No ano passado, a crise de energia na Ásia causou um grande alvoroço à medida que os preços disparavam em meio à forte demanda e ao aperto da cadeia de suprimentos. Os preços médios dos combustíveis no mercado spot ao longo do ano aumentaram os custos da energia a carvão e a gás em 19% e 46%, respectivamente. Isso fez com que a energia solar fotovoltaica e energia eólica onshore parecessem mais competitivas. No entanto, o aumento dos custos de equipamentos e logística fez com que as energias renováveis também fossem afetadas pela inflação de custos, de acordo com a Wood Mackenzie. Atualmente, os custos de energia renovável na Ásia-Pacífico são aproximadamente 16% mais caros em comparação com os custos dos combustíveis fósseis. (Enerfy Global – 11.01.2022)

<topo>

 

 

Geração Distribuída

1 ABGD: Geração distribuída deverá ter seu melhor ano em 2022

A Lei 14.300/22 deverá proporcionar uma verdadeira explosão no mercado de geração distribuída em 2022. A previsão da Associação Brasileira de Geração Distribuída (ABGD) é de que a capacidade instalada do país praticamente dobre nos próximos 12 meses. De um total de cerca de 8,8 GW, o segmento deverá fechar o ano com algo próximo a 15 GW, de acordo com a projeção do presidente executivo da ABGD, Guilherme Chrispim. O executivo afirma que esse movimento é esperado justamente por conta dos interessados em aproveitar a atual legislação e seu período de transição, na busca de maximizar o retorno do investimento. Segundo Chrispim, a lei traz segurança para os investimentos, mesmo após 2022. (CanalEnergia – 10.01.2022)

<topo>

2 Portal Solar: Geração solar distribuída chega a 1 milhão de clientes em 2022

Apontada como opção para aliviar as elevadas contas de luz, a geração solar distribuída vai ter um novo salto este ano com a aprovação do novo marco legal do setor (Lei 14.300/2022), avalia o Portal Solar – plataforma de conteúdo especializada em energia solar. De acordo com o portal, a geração solar distribuída atingiu em janeiro a marca de 1 milhão de clientes em residências, comércio, indústria, propriedades rurais e prédios públicos. A marca representa um crescimento de 122% em relação a janeiro de 2021, quando havia 450 mil clientes gerando energia própria. O Portal Solar ressalta, no entanto, que os consumidores que utilizam a energia solar na geração própria representam apenas 1,1% do total de estabelecimentos com conta de luz no país, que atualmente conta com 89 milhões de unidades. (Broadcast Energia – 14.01.2022)

<topo>

3 Alemanha conclui a segunda licitação de energia solar distribuída

A Agência Federal de Redes da Alemanha, a Bundesnetzagentur, publicou os resultados da segunda licitação do país para projetos fotovoltaicos em telhados. Os projetos variam de 300 a 750 kW. A agência analisou 209 licitações com capacidade total de 233MW, das quais 136 foram selecionadas totalizando 154MW. Os preços finais variaram entre € 0,0570 e € 0,0828 por kWh e o preço médio final foi de € 0,0743. A título de comparação, na primeira licitação a agência recebeu 168 licitações com potência combinada de 213MW. No total 114 foram selecionadas totalizando 152 MW, com um preço médio final de € 0,0688. (PV Magazine – 17.01.2022)

<topo>

4 Governo de Valência irá fornecer 16 mi de euros para autoconsumo de energia

O governo valenciano (Espanha) anunciou que municípios e entidades sem fins lucrativos poderão solicitar financiamento de 16 milhões de euros para promover a transição energética e acelerar os objetivos de descarbonização. O financiamento é destinado a projetos de autoconsumo e armazenamento de energia renovável gerenciados de 1º de julho a 31 de dezembro de 2023. Segundo o governo, os fundos incluem um critério baseado no desafio demográfico, dando prioridade aos municípios em risco de despovoamento. (Energías Renovables – 11.01.2022)

<topo>

 

 

Armazenamento de Energia

1 Reino Unido aprova fábrica de baterias

O Conselho Distrital de Warwick e o Conselho Municipal de Coventry aprovaram o planejamento de uma grande fábrica em West Midlands. A fábrica pretende atrair £ 2,5 bilhões (US$ 3,4 bilhões) em investimento e produzir baterias de íon de lítio de alta tecnologia para as indústrias automotivas globais e de armazenamento de energia. Segundo os proponentes do projeto, a fábrica terá capacidade para entregar até 60 GWh de baterias até o final da década e será construída em um pequeno aeroporto local em Coventry. Além disso, o projeto deve estar em operação até 2025. (PV Magazine – 14.01.2022)

<topo>

2 BEI apoia planos de armazenamento da Gravitricity European

O Banco Europeu de Investimento (BEI) apoiará o plano da empresa de armazenamento de energia, Gravitricity. O objetivo da empresa é desenvolver um projeto de armazenamento de energia em grande escala em um antigo poço de mina na Europa continental. O BEI comprometeu-se a fornecer 120 dias de consultoria, bem como validou as propostas da Gravitricity para o projeto na mina Staric, que foi recentemente desativada na região da Silésia da Morávia, na República Tcheca. Especialistas nomeados pelo banco começaram a avaliar os resultados dos testes do demonstrador de escala de 250kW da Gravitricity. Eles também revisarão os fluxos de receita locais para produzir uma avaliação de risco comercial que, em última análise, informará as atividades detalhadas de projeto e desenvolvimento. (Renews Biz– 17.01.2022)

<topo>

3 Greenbacker investe em empresa de armazenamento de energia nos EUA

Um fundo afiliado da Greenbacker Capital Management fez um investimento de capital estratégico no desenvolvedor de armazenamento de energia dos EUA, Delorean Power. O investimento permitirá que a Delorean expanda ainda mais sua plataforma, enquanto continua a executar e aumentar seu portifólio de projetos de armazenamento de energia. Além do compromisso inicial de US$ 20 milhões do fundo, a Delorean está em processo de levantar uma quantia significativa de capital para fornecer recursos adicionais ao seu portifólio. (Renews Biz– 11.01.2022)

<topo>

4 Econergy adquire armazenamento de 50MW no Reino Unido

A Econergy Renewable Energy, empresa de energias renováveis, adquiriu a participação de 100% da Yoo Energy para o projeto de armazenamento de energia de 50MW, Swangate. O projeto localizado em Yorkshire já recebeu as licenças necessárias para desenvolvimento, incluindo aprovação para conexão à rede. A construção do projeto deve começar no primeiro trimestre de 2022, enquanto a data de operação comercial está prevista para o início do próximo ano. A Econergy disse que o Swangate fará parte de um portifólio de projetos mais amplo que consiste em mais de 800 MW de armazenamento e 900 MW de energia solar fotovoltaica. Além disso, espera-se que seu portfólio total de empreendimentos no Reino Unido esteja operacional até 2025. (Renews Biz– 13.01.2022)

<topo>

5 O armazenamento de energia pode equilibrar a carga da rede e reduzir emissões

De acordo com um novo relatório do National Renewable Energy Laboratory (NREL), a implantação significativa de armazenamento de energia pode equilibrar a carga e atender à demanda em todas as horas, além de ajudar as redes elétricas a funcionar com mais eficiência. Os pesquisadores do NREL modelaram cenários para o armazenamento de energia e descobriram que, até 2050, a implantação de armazenamento em grande escala permitiria que a rede operasse com baixas violações de reserva. Além disso, a capacidade de armazenamento para atender a demanda de pico em momentos em que a geração solar é baixa pode melhorar a eficiência da geração térmica, permitindo até mesmo que os operadores da rede evitem a partida de geradores e usinas de pico, de acordo com o estudo. Isso também reduziria as emissões de dióxido de carbono (CO2) e outros poluentes do ar. (Utility Dive– 13.01.2022)

<topo>

 

 

Veículos Elétricos

1 Universidade de Michigan desenvolve bateria mais eficiente à base de lítio e enxofre

Um grupo de pesquisadores da Universidade de Michigan mostrou como uma rede de nanofibras formadas por meio de kevlar reciclado pode resolver problemas ligados à autonomia de carros elétricos. Os pesquisadores afirmaram que a nova tecnologia permite a produção de uma bateria feita com lítio e enxofre para a indústria automotiva, que pode superar em cinco vezes a capacidade das baterias convencionais. Segundo a equipe, a eficiência das baterias se aproxima da eficiência teórica. Além disso, a nova bateria pode lidar com as temperaturas extremas de um veículo, o que gera maior autonomia. Associado com a maior capacidade, as baterias contam com maiores vantagens de sustentabilidade em comparação a outras baterias de íon-lítio. (Click Petróleo e Gás – 14.01.2022)

<topo>

2 Audi apresenta estação de recarga “vip” para VEs

A Audi apresentou a estação de carregamento ultrarrápida que abriu em Nuremberg, o Audi Charging Hub. Neste centro há seis pontos de carregamento rápido que podem ser reservados 24 horas por dia e com potência de até 320 kW. A estação permite o reabastecimento de 80 veículos. Entre as demais especificações, há a possibilidade de desmonte e transporte da estação, o uso de baterias de segunda mão e painéis solares no teto e uma capacidade total de armazenamento de 2,45 MWh. Assim, o sedã cupê elétrico da empresa pode recarregar de 50% a 80% em 23 minutos e recuperar 100 km de autonomia em 5 minutos. (Inside EVs – 12.01.2022)

<topo>

3 BP: Carregamento de VEs está prestes a se tornar mais lucrativo do que os combustíveis

A BP afirmou que os seus carregadores rápidos para veículos elétricos (VEs) estão prestes a tornar-se mais lucrativos do que abastecer um carro com combustível. Com esta realidade, a BP pode se afastar aos poucos do petróleo e expandir as operações nos mercados de energia e em torno de veículos elétricos. O carregamento rápido (50 KW) e o carregamento ultrarrápido (150 KW) exigem um investimento grande por parte das empresas, especificamente em infraestrutura de energia para serviços. A BP pretende aumentar o número de postos de carregamento nos próximos anos para 70 mil. (Executive Digest – 14.01.2022)

<topo>

4 Espanha: Repsol e Uber unem forças para avançar na mobilidade elétrica

A petroleira Repsol e a multinacional de transporte urbano privado, Uber, firmaram uma parceria. A parceria visa acelerar a transição dos veículos cadastrados na Uber para veículos elétricos. Segundo os termos do acordo, a Repsol fornecerá eletricidade de origem 100% renovável aos motoristas da Uber e táxis 100% elétricos ou híbridos plug-in. A Uber tem planos para atingir a neutralidade das emissões de CO2 até 2040. Em 2022, pretende que seus veículos, espalhados por 10 mil cidades nos cinco continentes, não emitam CO2. (Energias Renovables – 17.01.2022)

<topo>

5 Governo dos EUA cria escritório conjunto de energia e transporte para impulsionar VEs

A secretária de Energia dos EUA, Jennifer M. Granholm, e o secretário de Transportes dos EUA, Pete Buttigieg, anunciaram a criação de um Escritório Conjunto de Energia e Transporte. O escritório irá apoiar a implantação do financiamento de US$ 7,5 bilhões da Lei de Infraestrutura Bipartidária, visando construir uma rede nacional de carregamento de VEs. A iniciativa pretende instalar até 500 mil carregadores em todo o país. Os dois escritórios acreditam que uma rede nacional de carregamento de VEs construirá a confiança do público, com foco no preenchimento de lacunas em áreas rurais, desfavorecidas e de difícil acesso. Acredita-se que tais áreas são um componente crítico para acelerar a adoção dos VEs. (Power Grid– 14.01.2022)

<topo>

6 Inglaterra: Shell converte posto de gasolina em centro de carregamento de veículos elétricos

Como parte de uma estratégia de expansão para os setores de veículos elétricos (VEs) e mobilidade inteligente, a gigante do petróleo Shell lançou seu primeiro centro totalmente dedicado ao carregamento de VEs em Londres. A empresa converteu seu posto de gasolina e diesel de Fulham em um centro de carregamento de VEs, substituindo todas as bombas de gasolina e diesel por nove carregadores de VEs ultrarrápidos de 175 kW. Os carregadores são alimentados por energia 100% renovável e podem carregar a maioria dos modelos de VE que estão no mercado a 80% em 10 minutos. Alimentar os carregadores de VE com energias renováveis ajudará a garantir a neutralidade de carbono e que a rede fique menos sobrecarregada com o carregamento. (Smart Energy– 17.01.2022)

<topo>

 

 

Eficiência Energética

1 Apae Maceió recebe projeto de eficiência energética da Equatorial

A Equatorial Alagoas realizou a entrega de mais uma obra do Projeto E + Energia do Bem, dessa vez para a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), localizada em Maceió. O objetivo do projeto é proporcionar melhoria na qualidade de vida das pessoas através de medidas que contribuam para a redução do consumo de energia elétrica. Dentre as ações do projeto, estão a instalação de um sistema solar fotovoltaico de 56,8 kWp, a instalação de seis aparelhos ar-condicionado com selo Procel e tecnologia inverter e a adequação do padrão de entrada da instituição para oferecer mais segurança e prevenir acidentes. De acordo com um levantamento feito pela distribuidora, a energia elétrica anual economizada pela Apae será equivalente ao fornecimento de energia de 28 casas por um ano. (CanalEnergia – 11.01.2022)

<topo>

2 New Hampshire/EUA: Programa de eficiência energética recebe críticas de legisladores

A Câmara dos Deputados de New Hampshire (EUA) aprovou por unanimidade um projeto de lei, que visa restaurar as ofertas de eficiência energética financiadas pelos contribuintes do estado. Isso porque os reguladores suspenderam o programa NHSaves em uma decisão controversa em novembro. Os apoiadores da eficiência energética também dizem que estão se preparando para fazer uma apelação da decisão da Comissão de Serviços Públicos de New Hampshire (PUC) ao Supremo Tribunal de New Hampshire. No outono, a PUC rejeitou um plano de três anos para aumentar os descontos e incentivos de eficiência para residências e empresas, causando ondas de choque na economia de energia limpa do estado. (PV Magazine – 12.01.2022)

<topo>

3 Grupo Gera investe R$ 10 mi em startup de eficiência energética

Em uma nova rodada de capitalização, o grupo Gera investiu R$ 10 milhões na Diel Energia, desenvolvedora de plataforma de gestão de refrigeração e eficiência energética para equipamentos de climatização. Com o novo aporte, a Gera passa de 60% de participação para 70%. Os outros 30% ficam com os fundadores da empresa. A Diel Energia pretende expandir as operações e promover projetos-piloto com outros agentes do mercado e tecnologia para automação. No último ano, a Diel Energia registrou um crescimento de mais de dez vezes nos negócios, impulsionado pela maior busca por redução de custo na conta de energia e o aumento de competitividade no setor produtivo. (Valor Econômico – 10.01.2022)

<topo>

4 Espanha: Uso de materiais de construção reciclados em edifícios melhora a eficiência energética

Pesquisadores da Escola Técnica Superior de Construção da Universidade Politécnica de Madri (UPM) estudaram o potencial do uso de resíduos de construção e demolição como substituto parcial dos materiais tradicionais de construção. A iniciativa, realizada em colaboração com a Universidade de Nápoles Federico II, tem como objetivo melhorar a eficiência energética dos edifícios. Estes materiais reciclados podem ser utilizados nos diferentes elementos construtivos da cobertura e da fachada dos edifícios em substituição a argamassas de cimento, tijolos cerâmicos, rebocos de argamassa, placas de gesso laminado ou argamassas leves de inclinação de telhado, todos com o objetivo de tornar o edifício mais eficiente energeticamente. (Energías Renovables – 11.01.2022)

<topo>

 

 

Microrredes e VPP

1 África: Coalizão apoiará a instalação de minirredes em Lesoto

Uma coalizão de organizações apoiou um plano para instalar 11 minirredes de “bateria solar” no Lesoto (África), que terão uma capacidade de geração combinada de 1,8 MW. As minirredes serão instaladas pela OnePower – produtor de energia independente. A iniciativa fornecerá energia para 20 mil pessoas e sete centros de saúde por meio de 7.300 novas conexões de eletricidade. Os painéis solares gerarão até 3,48 GWh de eletricidade anualmente e gerarão 100 empregos durante a construção e seis funções permanentes, de acordo com a Instituição Europeia de Desenvolvimento Financeiro (EDFI). As redes de energia locais oferecerão eletricidade limpa aos clientes por uma tarifa de € 0,28/kWh. (PV Magazine – 12.01.2022)

<topo>

2 Equador: A microrrede da ilha de Galápagos está em desenvolvimento

O projeto da microrrede foi lançado em 2018 sob o nome “Conolophus” pela desenvolvedora de plataforma solar, Gransolar. A microrrede será composta por um parque solar fotovoltaico de 14,8 MWp em uma antiga base aérea militar na Ilha de Baltra (Equador) e dois sistemas de energia em bateria com capacidade total de descarga de 40,9 MWh nas Ilhas Baltra e Santa Cruz. Os sistemas de baterias serão interligados por uma linha de transmissão de 44 km. O despacho dos ativos de geração de energia será por meio de um controlador de microrrede. (Power Grid – 14.01.2022)

<topo>

3 XENDEE e o Idaho National Laboratory fazem parceria para desenvolver projeto de microrredes

A XENDEE Corporation – desenvolvedora de software avançado para microrredes e sistemas de energia renovável – e o Idaho National Laboratory (INL) fizeram uma parceria para construir uma plataforma para o projeto Net-Zero Carbon Microgrids. A plataforma considerará uma ampla variedade de recursos energéticos distribuídos (RED) e tecnologias sustentáveis, entre elas: a energia solar fotovoltaica, o armazenamento de energia em baterias, as estações de carregamento rápido de veículos elétricos, pequenos reatores nucleares, entre outras. Os REDs serão utilizados para otimizar projetos de microrredes e minimizar os impactos ambientais, ao mesmo tempo em que captura o melhor retorno sobre o investimento. (EE Online – 13.01.2022)

<topo>

4 EnergyHub e parceiros gerenciam usinas virtuais de energia virtuais

A EnergyHub – fornecedora líder de soluções de gerenciamento de recursos energéticos distribuídos (RED) – anunciou a conclusão da prestação de serviços de rede para a plataforma Mercury DERMS da EnergyHub. Dentre os serviços prestados inclui-se quase 700 mil REDs conectados à rede, um aumento na duração dos serviços de rede e um aumento nos incentivos aos clientes. O EnergyHub gerencia de forma confiável usinas virtuais de energia, com uma plataforma integrada ao maior ecossistema de fornecedores de RED e agregadores de resposta à demanda do setor. (EE Online – 13.01.2022)

<topo>

 

 

Tecnologias e Soluções Digitais

1 Uruguai lança certificação de energias renováveis via blockchain

A operadora de rede do Uruguai UTE e o Ministério da Indústria, Energia e Mineração desenvolveram um esquema de certificação de energia renovável. O esquema de certificação se baseia no sistema operacional descentralizado da Energy Web. O objetivo da iniciativa é permitir que as empresas obtenham certificados que especifiquem a origem das energias renováveis que estão adquirindo. Deste modo, a UTE e o ministério estão entre os líderes no desenvolvimento de aplicações blockchain no setor de energia na América Latina e o primeiro aplicado à certificação de energias renováveis. O esquema está disponível para usuários de energia de grande e médio porte, com a emissão dos primeiros certificados em março. (Smart Energy – 12.01.2022)

<topo>

2 Dubai: DEWA lança o primeiro nano satélite do mundo

A Dubai Electricity and Water Authority (DEWA), provedor de água e eletricidade em Dubai, lançou o nano satélite DEWA-SAT 1. O nano satélite foi lançado em colaboração com a NanoAvionics, empresa focada em criação de tecnologias de satélite. Com a nova tecnologia, a DEWA tornou-se a primeira concessionária do mundo a usar nano satélites para melhorar a manutenção e o planejamento de redes de eletricidade e água. Esta nova conquista destaca a liderança da empresa no desenvolvimento e uso das mais recentes tecnologias. (Eletric Energy Online– 17.01.2022)

<topo>

3 Irlanda: ESB Networks irá gerenciar dados de medidores inteligentes com o sistema Temetra da Itron

A concessionária irlandesa ESB Networks selecionou a Itron – companhia de serviços relacionados a medição inteligente – para o fornecimento e instalação de um sistema de coleta e gerenciamento de dados de medidores inteligentes. Em 2022, a ESB Networks implantará a solução de coleta e gerenciamento de dados Temetra da Itron como parte do Programa de Medição Inteligente da concessionária. A implantação do medidor inteligente da concessionária faz parte do Plano Nacional de Ação Climática do governo irlandês, que inclui a implantação de tecnologias inteligentes que podem ajudar a acelerar a transição para recursos energéticos de baixo carbono. (Smart Energy– 15.01.2022)

<topo>

 

 

Segurança Cibernética

1 Autoridade reguladora de Connecticut divulga relatório de segurança cibernética de 2021

A Autoridade Reguladora de Serviços Públicos de Connecticut (PURA), EUA, divulgou seu relatório anual de segurança cibernética. O relatório analisa os programas de segurança cibernética das concessionárias reguladas de eletricidade, gás e água do estado. O relatório de 2021 revelou que os ataques de phishing foram mais uma vez a maior fonte de ciberataques bem-sucedidos. O estudo descobriu que tais ataques se tornaram mais automatizados e mais capazes de evitar a detecção. Além disso, a falta de autenticação multifator foi a principal causa de muitos hacks de phishing em concessionárias e parceiros de negócios. Segundo o relatório, observou-se uma tendência crescente de ataques de ransomware em todo o país. O estudo destaca a necessidade das concessionárias de Connecticut de aprimorar seus programas de segurança cibernética. (Daily Energy Insider– 11.01.2022)

<topo>

2 EUA: NYPA aprimora a segurança cibernética da cadeia de valor de energia de Nova Iorque

A New York Power Authority (NYPA), provedora de energia do estado de Nova Iorque, expandiu sua parceria com a empresa americana de segurança cibernética IronNet. O objetivo da iniciativa é lidar com os crescentes riscos cibernéticos em toda a cadeia de valor de energia, à medida que a digitalização aumenta a vulnerabilidade das redes à ataques. A NYPA aproveitará os recursos de machine learning, inteligência artificial e recursos de defesa baseados em nuvem da IronNet para melhorar a segurança cibernética da rede de Nova Iorque e de seus parceiros da cadeia de suprimentos. Um mecanismo unificado de defesa cibernética ajudará a aumentar a resiliência contra os ataques modernos e em rápida mudança, de acordo com um comunicado. (Smart Energy– 17.01.2022)

<topo>

 

 

Eventos

1 12ª Assembleia da IRENA com foco na transição energética Pós-COP26

A 12ª Sessão da Assembleia da Agência Internacional de Energia Renovável (IRENA) aconteceu virtualmente nos dias 15 e 16 de janeiro, em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos. A Assembleia representou a primeira reunião de alto nível da comunidade global de energia e meio ambiente do ano, que serviu para acompanhar o andamento dos compromissos de transição energética assumidos em 2021. Nesse contexto, a reunião teve como tema a “Transição Energética: Do Compromisso à Ação”, refletindo a crescente necessidade de traduzir ambição em passos concretos que acelerem a mudança para um sistema energético mais limpo, justo e resiliente. No evento reuniram-se mais de 1.100 delegações de 137 países, incluindo Chefes de Estado, Ministros, Chefes de Organizações Internacionais e CEOs. (IRENA – 12.01.2022)

<topo>

 

 

Artigos e Estudos

1 Artigo GESEL: “Tecnologia 5G e a digitalização do setor elétrico”

Em artigo publicado pela Agência CanalEnergia, os pesquisadores do GESEL, Lorrane Câmara, Caroline Chantre, Mateus Amâncio e Ricardo Medrado, abordam a digitalização do setor elétrico e a aplicabilidade da tecnologia 5G dentro desse processo. Segundo os autores, “os avanços tecnológicos viabilizados pelo 5G transformarão, em maior ou menor escala, praticamente todos os setores da economia, dentre os quais agricultura, segurança pública, serviços financeiros, saúde e setores automobilístico e energético”. Os pesquisadores concluem que, “as evidências apontam para uma maior inserção da tecnologia 5G no setor elétrico nos próximos anos, levando o processo de digitalização do setor a um estágio sem precedentes e proporcionando uma maior eficiência operacional”. Para ler o texto na íntegra, clique aqui. (GESEL-IE-UFRJ – 14.01.2022) (GESEL-IE-UFRJ – 14.01.2022)

<topo>

2 Relatório IRENA: Fostering Livelihoods with Decentralised Renewable Energy: An Ecosystems Approach

A IRENA publicou relatório que discute como os programas e iniciativas de acesso à energia estão podem contribuir para sustentar e fortalecer as atividades de subsistência. Para a agência, as soluções descentralizadas de energia renovável ligadas aos meios de subsistência são um passo importante para maximizar os benefícios do acesso à energia e contribuir para o desenvolvimento socioeconômico. No entanto, alcançar essa mudança requer maiores esforços do que simplesmente implantar sistemas descentralizados. A mudança requer investimento em um “ecossistema” que posicione a diversidade de meios de subsistência no centro dos esforços de acesso à energia, bem como forneça soluções de energia sob medida. Também requer capacidade e habilidades, acesso ao mercado e apoio político para obter todos os benefícios do acesso à energia. (IRENA – 10.01.2022)

<topo>

3 Relatório: “Black & Veatch Asia Electric”

A integração de energia renovável em sistemas de rede é o maior desafio enfrentado pelo setor elétrico da Ásia, de acordo com o relatório da Black & Veatch. O relatório revela que a pressão para reduzir as emissões da rede está aumentando por parte de investidores, grandes clientes e governos, à medida que as necessidades de infraestrutura continuam a se transformar. Além disso, a introdução de mais energia renovável está mudando a própria natureza do gerenciamento da rede elétrica e isso significa que os fornecedores de eletricidade asiáticos devem planejar e investir seriamente em todo o sistema de ativos de geração, transmissão e distribuição. Para ter acesso ao relatório na íntegra, clique aqui. (T&D World – 11.01.2022)

<topo>

4 Relatório: “NDCs and Renewable Energy Targets in 2021”

Sob o Acordo de Paris e a COP26, os países aumentaram suas Contribuições Nacionalmente Determinadas (NDCs) e fizeram promessas ambiciosas, como a neutralidade das emissões. Apesar de fazer uma diferença considerável nas emissões de gases de efeito estufa e no aumento da temperatura global, ainda é necessário colocar o mundo em um caminho seguro para o clima. Governos, instituições financeiras e entidades do setor privado devem ampliar a ambição proporcional à escala da ameaça climática, seguida da implementação real de curto prazo e acelerada. Nesse contexto, o relatório da IRENA avalia os compromissos climáticos atuais frente aos desafios existentes e explora a oportunidade oferecida pela energia renovável. Para ter acesso ao relatório na íntegra, clique aqui. (IRENA – 11.01.2022)

<topo>

5 Relatório: “Canada 2022 – Energy Policy Review”

De acordo com a Agência Internacional de Energia (AIE), o Canadá embarcou em uma transformação ambiciosa de seu sistema de energia e sinais claros de políticas serão importantes para expandir os investimentos do setor de energia em fontes de energia limpas e sustentáveis. Desde a última revisão de políticas aprofundada da AIE em 2015, o Canadá assumiu uma série de compromissos internacionais e nacionais relacionados às mudanças climáticas, principalmente estabelecendo uma meta para reduzir as emissões de gases de efeito estufa em 40-45% em relação aos níveis de 2005 até 2030 e um compromisso de atingir a neutralidade das emissões até 2050. Para ler o texto na íntegra, clique aqui. (IEA – 13.01.2022)

<topo>

6 Relatório IRENA-AfDB: “Renewable energy market analysis: Africa and its regions”

Uma estrutura política integrada construída em torno da transição energética pode trazer uma onda de novos investimentos em energia sustentável para a África, aumentando a economia da região em 6,4% até 2050, de acordo com a Agência Internacional de Energias Renováveis (IRENA) e o Banco Africano de Desenvolvimento (AfDB). O relatório Renewable energy market analysis: Africa and its regions, mostra que a África está prosperando significativamente com o desenvolvimento possibilitado pelas energias renováveis, enquanto melhora muito o acesso à energia e oferece profundos benefícios ambientais e de bem-estar para as pessoas em todo o continente. Para acessar o na relatório íntegra, clique aqui. (IRENA – 14.01.2022)

<topo>


Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Lorrane Câmara e Luiza Masseno
Pesquisadores:
Cristina Rosa, Matheus Balmas e Pedro Barbosa
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

As notícias divulgadas no IFE não refletem necessariamente os pontos da UFRJ. As informações que apresentam como fonte UFRJ são de responsabilidade da equipe de pesquisa sobre o Setor Elétrico, vinculada ao NUCA do Instituto de Economia da UFRJ.

POLÍTICA DE PRIVACIDADE E SIGILO
Respeitamos sua privacidade. Caso você não deseje mais receber nossos e-mails,  Clique aqui e envie-nos uma mensagem solicitando o descadastrado do seu e-mail de nosso mailing.


Copyright UFRJ

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: