IFE.TEX 69

Informativo Eletrônico – Tecnologias Exponenciais nº 69 – publicado em 10 de janeiro de 2022.

IFE: Informativo Eletrônico de Tecnologias Exponenciais – GESEL-UFRJ <!–

l

IFE: nº 69 – 10 de janeiro de 2022
http://gesel.ie.ufrj.br/
gesel@gesel.ie.ufrj.br

Editor: Prof. Nivalde J. de Castro

Índice

Transição Energética e ESG
1
Brasil, México, Chile e Argentina lideram a revolução fotovoltaica na América Latina
2 IRENA lança campanha global sobre a transição energética
3 Reino Unido: Governo abre nova rodada do esquema de apoio à energia renovável
4 Lançamento do Laboratório de Geografia de Energia e Indústria para descarbonizar a economia do Reino Unido
5 BIRD investirá em projetos de energia limpa da cooperativa Israel-EUA
6 Aneel aprova critérios para adição de fonte renovável em usinas a diesel
7 ComEd propõe novos investimentos na rede elétrica para acomodar a lei de energia limpa de Illinois
8 DOE anuncia assistência técnica para abordar desafios relacionados a descarbonização da rede elétrica
9 DOE estabelece novo escritório de demonstrações de energia limpa
10 Demanda global para energia solar fotovoltaica pode atingir 200 GW em 2022

Geração Distribuída
1 Aneel aprova novos critérios para contratação de energia por chamada pública de GD
2 Associações divergem sobre aprovação do marco legal da GD no Senado
3 Geração distribuída deve movimentar até R$ 35 bi em 2022
4 Geração solar residencial global ultrapassa comercial e industrial em 2021
5 Bangladesh: Geração solar em telhados ganha incentivos

Armazenamento de Energia
1 Israel: Grande acordo para o setor de armazenamento
2 Espanha aprova investimento de 50 milhões de euros para a criação do Centro Ibérico de Pesquisa em Armazenamento de Energia

Veículos Elétricos
1 EUA: Iniciativa promete rede de eletropostos até 2023
2 Baterias de estado sólido prometem revolucionar o mercado de veículos elétricos
3 Movida e Nissan inauguram loja com estrutura de recarga em São Paulo
4 Volkswagen instalará 18 mil estações de recarga rápida na Europa

5 EUA: FirstEnergy inicia projeto de eletrificação com integração de cinco caminhões elétricos híbridos em sua frota
6 EUA: Concessionária PNM do Novo México adiciona VEs à sua frota e reitera compromisso com eletrificação

Gestão e Resposta da Demanda
1 Consulta Pública debaterá aprimoramento do Programa de Resposta de Demanda

Eficiência Energética
1 CPFL Energia seleciona 46 projetos na chamada pública de eficiência energética
2 Huawei anuncia acordo para laboratório de eficiência energética solar na Paraíba
3 Itália: BEI e ENEL assinam financiamento de 120 mi de euros para a eficiência energética
4 O País Basco atribui 90 milhões de euros a entidades locais para a realização de projetos de eficiência energética

Tecnologias e Soluções Digitais
1 Chesf desenvolve Sistema Inteligente de Gestão da Inovação
2 Espanha: Startup LLum lança plataforma para compartilhamento de energia de instalações de autoconsumo
3 Força Aérea dos EUA está desenvolvendo tecnologia para enviar energia solar do espaço para a Terra

Segurança Cibernética
1 Hackers invadem dois jornais de Israel com ameaça ao reator nuclear de Dimona

Artigos e Estudos
1 Relatório: “US Solar Market Insight Q4 2021”
2 Relatório: “Which market is the most attractive for energy transition investment?”
3 Relatório: “2021 Cogent Syndicated Utility Trusted Brand & Customer Engagement Residential”
4 Artigo: “A transição energética e a indústria chinesa”


 

 

Transição Energética e ESG

1 Brasil, México, Chile e Argentina lideram a revolução fotovoltaica na América Latina

A capacidade solar fotovoltaica instalada na região da América Latina, em dez anos, passou de 60 megawatts para mais de 20 mil megawatts em operação. Mais de 85% dessa capacidade está concentrada em apenas quatro países: Brasil, México, Chile e Argentina. Estes são alguns dos dados que surgiram durante o seminário telemático realizado pelo Global Solar Council, entidade que reúne associações de empresas fotovoltaicas de todo o mundo. O seminário se concentrou na análise do “estado atual e perspectivas futuras” da energia solar na América Latina, levando em consideração os instrumentos financeiros de oportunidades no mercado hoje. (Energías Renovables – 30.12.2021)

<topo>

2 IRENA lança campanha global sobre a transição energética

A transição energética gera empregos e crescimento econômico, sustenta o desenvolvimento sustentável, melhora a saúde e está entre as respostas mais eficazes às mudanças climáticas. No entanto, a transição deve ser muito mais rápida e as promessas internacionais feitas no Diálogo de Alto Nível das Nações Unidas sobre Energia e na COP26 devem se traduzir em implementação de ações concretas. No contexto da 12ª Assembleia da IRENA, que terá como tema “Transição Energética: do Compromisso à Ação”, a Agência lançou uma campanha global que visa aumentar a consciência sobre a transição e encorajar líderes e cidadãos, a #ChooseAction. Os participantes decidirão ações para acelerar a transição e buscar o progresso material e concreto em direção a um futuro de 1,5 grau. (IRENA – 15.12.2021)

<topo>

3 Reino Unido: Governo abre nova rodada do esquema de apoio à energia renovável

O governo do Reino Unido abriu para aplicações na quarta rodada do esquema de Contratos por Diferença (CfD), que visa garantir 12 GW de capacidade de eletricidade. A abertura foi marcada por £ 285 milhões por ano de financiamento para tecnologia de baixo carbono, afastando o Reino Unido dos combustíveis fósseis estrangeiros. Além disso, a quarta rodada pretende garantir mais capacidade do que as 3 rodadas anteriores combinadas. Em comparação com a rodada anterior, está aberto a um número expandido de tecnologias de energia renovável, com projetos de geração eólica offshore, eólica onshore, solar, entre outros, todos elegíveis para licitar para financiamento no processo de leilão do esquema. (EE Online – 13.12.2021)

<topo>

4 Lançamento do Laboratório de Geografia de Energia e Indústria para descarbonizar a economia do Reino Unido

O Laboratório de Geografia de Energia e Indústria foi lançado pela Comissão Europeia com o objetivo de acelerar a descarbonização do setor de energia e das economias do bloco por meio do uso de soluções baseadas em dados e o compartilhamento aberto deles. Nesse contexto, os reguladores e os participantes do setor de energia aproveitarão a ferramenta para acessar informações geoespaciais. Essas informações estarão relacionadas à implantação e gerenciamento de infraestrutura no planejamento de inserção de projetos e na aprovação de políticas. Em suma, a ferramenta fornecerá aos planejadores e reguladores informações sobre onde encontrar energia limpa, se a infraestrutura necessária está instalada ou se há terrenos disponíveis para a instalação de energias renováveis. (Smart Energy – 13.12.2021)

<topo>

5 BIRD investirá em projetos de energia limpa da cooperativa Israel-EUA

O Departamento de Energia dos Estados Unidos (DOE), o Ministério de Energia de Israel (MoE) e a Autoridade de Inovação de Israel realizaram uma reunião virtual do conselho do programa Energia Binacional de Pesquisa e Desenvolvimento Industrial (BIRD). Como resultado, seis projetos de energia limpa foram selecionados e aprovados para receber $ 5,48 milhões, no âmbito do programa BIRD. Os projetos selecionados são em Tecnologias Avançadas de Veículos, Baterias, Eficiência Energética, Armazenamento e Nexus Água-Energia. O BIRD se concentra na comercialização de tecnologias de energia sustentáveis que melhoram a competitividade econômica, criam empregos e aumentam a segurança energética. (EE Online – 14.12.2021)

<topo>

6 Aneel aprova critérios para adição de fonte renovável em usinas a diesel

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou a emissão da resolução normativa que estabelece os critérios para adição de fonte renovável em usinas a diesel nos Sistemas Isolados. Os editais dos leilões de energia e potência que vem sendo realizados nos Sistemas Isolados já preveem a possibilidade de adicionar equipamento de energia renovável à central geradora, bem como o uso de outros combustíveis. Isso é possível desde que assegurados os montantes mínimos estabelecidos nos contratos de comercialização. Segundo análise da Aneel, a energia solar é considerada a opção mais adequada ao processo de adição de fonte nesses sistemas. (Brasil Energia – 15.12.2021)

<topo>

7 ComEd propõe novos investimentos na rede elétrica para acomodar a lei de energia limpa de Illinois

Para melhor atender a seus aproximadamente 4 milhões de clientes e ficar em linha com a nova lei de energia limpa de Illinois, a ComEd (distribuidora de energia de Illinois) propôs um investimento de capital inicial para apoiar um plano de investimento de rede integrada plurianual. A proposta, conforme apresentada à Illinois Commerce Commission (reguladora de Illinions), forneceu três categorias de dados para consideração durante os workshops públicos: (I) uma revisão dos investimentos de capital planejados e dados de apoio; (II) planos para investimento em seu sistema de distribuição e para atender às necessidades projetadas para a rede; e (III) dados de sistema e localização em torno de confiabilidade, resiliência, recursos energéticos distribuídos e qualidade de serviço. (T&D World – 16.12.2021)

<topo>

8 DOE anuncia assistência técnica para abordar desafios relacionados a descarbonização da rede elétrica

O DOE anunciou que as 21 comissões de serviços públicos receberão assistência técnica dos Laboratórios Nacionais para ajudar os reguladores estaduais a tomar decisões e desenvolver soluções inovadoras. O objetivo da iniciativa é melhorar a confiabilidade e resiliência da rede, permitindo a adoção de novas tecnologias, bem como a promoção de energia e o desenvolvimento de estratégias para descarbonizar as redes elétricas. Esta iniciativa oferece aos reguladores estaduais a oportunidade de aproveitar a experiência e as capacidades de modelagem de classe mundial do Laboratório Nacional Lawrence Berkeley, do Laboratório Nacional do Noroeste do Pacífico, do Laboratório Nacional de Energia Renovável, do Laboratório Nacional de Argonne e do Laboratório Nacional de Oak Ridge. (EE Online – 22.12.2021)


<topo>

9 DOE estabelece novo escritório de demonstrações de energia limpa

O DOE anunciou a criação do Escritório de Demonstrações de Energia Limpa, o qual ajudará a cumprir a agenda climática do presidente Biden. Além disso, também contribuirá para a criação de novos empregos e a redução da poluição, enquanto beneficia as comunidades desfavorecidas. A Lei de Infraestrutura Bipartidária do presidente Biden oferece mais de US$ 20 bilhões para estabelecer o Escritório de Demonstrações de Energia Limpa e apoiar projetos de demonstração de tecnologia de energia limpa, como armazenamento de energia em escala. Os projetos de demonstração comprovam a eficácia de tecnologias inovadoras em condições do mundo real em escala, a fim de preparar o caminho para a ampla adoção e implantação. (EE Online – 22.12.2021)

<topo>

10 Demanda global para energia solar fotovoltaica pode atingir 200 GW em 2022

De acordo com a PV InfoLink (empresa de pesquisa), a demanda global de módulos fotovoltaicos variará entre 196 GW e 212 GW em 2022, um aumento de mais de 20% comparado a 2021. A crescente implantação de armazenamento solar vai acelerar o crescimento constante dessa fonte de energia renovável. Do lado do armazenamento, a PV InfoLink prevê que o número total de residências equipadas com armazenamento chegará a 1,5 milhão, e o número de residências com energia solar passará de 11 milhões em quatro dos principais mercados (Alemanha, Japão, Austrália e Estados Unidos) até o final de 2022. (PV Magazine – 27.12.2021)

<topo>

 

 

Geração Distribuída

1 Aneel aprova novos critérios para contratação de energia por chamada pública de GD

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou a alteração da norma referente às condições para a contratação da energia elétrica proveniente de geração distribuída (GD). A agência também definiu o modelo para o Contrato de GD e os critérios para o cálculo do mínimo custo global no caso de contratação de geração distribuída com objetivo de reduzir despesas de operação e manutenção ou postergar investimentos em redes de distribuição. A aprovação da nova resolução ocorreu após a Consulta Pública nº 40/2021, que recebeu diversas contribuições, inclusive durante audiência realizada em agosto de 2021. A ideia principal da alteração diz respeito ao uso adequado dos recursos energéticos distribuídos (RED), seja para fins energéticos ou para fins elétricos, otimizando, o uso e a expansão das redes de distribuição de energia elétrica. (Aneel – 14.12.2021)

<topo>

2 Associações divergem sobre aprovação do marco legal da GD no Senado

A aprovação do Projeto de Lei 5829/19 no Senado, que cria o Marco Legal da Geração Distribuída (GD), gerou reações positivas e negativas entre associações do setor ligadas diretamente ao tema discutido e ajustado a mais de dois anos. Para o presidente da Associação Brasileira de Geração Distribuída (ABGD), Guilherme Chrispim, o ponto positivo do PL é a estabilidade jurídica e uma regulamentação equilibrada para as regras do setor. No entanto, a Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee) entende que as alterações inseridas no PL 5.829 distorcem o equilíbrio e a sustentabilidade da modalidade, gerando mais custos ao consumidor de energia elétrica brasileiro. A preocupação recai com as emendas nº 30, 42 e 43, em dispositivos que ampliam excessivamente o subsídio e distorcem o conceito de GD. (CanalEnergia – 16.12.2021)

<topo>

3 Geração distribuída deve movimentar até R$ 35 bi em 2022

Com a aprovação do Projeto de Lei n° 5829/2019, que cria o Marco Legal para a Geração Distribuída a partir de fontes renováveis no Brasil com até 5 MW, espera-se que bilhões em investimentos sejam feitos no segmento nos próximos anos. Isso porque incertezas que pairavam sobre o mercado de geração distribuída (GD) até então foram desfeitas. A estabilidade jurídica e regulatória é o principal ponto que viabiliza a expansão do setor, além de dar mais previsibilidade e clareza para o crescimento no Brasil. Segundo Guilherme Chrispim, presidente da Associação Brasileira de Geração Distribuída (ABGD), o PL contemplou os anseios de todas as áreas do setor elétrico e deve movimentar até R$ 35 bilhões em 2022, bem como acrescentar 7GW no sistema. (Valor Econômico – 16.12.2021)

<topo>

4 Geração solar residencial global ultrapassa comercial e industrial em 2021

A geração solar residencial alcançou um aumento de 30% em instalações no ano de 2021, segundo análise da Rystad Energy, empresa voltada a pesquisas no setor elétrico. De acordo com a análise, as instalações solares em residências ou pequenas empresas cresceram de 18,9 GW em 2020 para 25,2 GW em 2021. O resultado mostra que o setor residencial ultrapassou pela primeira vez os setores comerciais e industriais (C&I), que juntos registraram queda para 19,9 GW em 2021. Uma razão para a mudança é a dinâmica de custos. Com os preços dos módulos fotovoltaicos tendo aumentado amplamente ao longo de 2021 projetos de geração solar maiores são mais propensos a serem adiados ou atrasados. (PV Magazine – 29.12.2022)

<topo>

5 Bangladesh: Geração solar em telhados ganha incentivos

Incentivados pela Autoridade de Desenvolvimento de Energia Renovável e Sustentável (SREDA) de Bangladesh, empresas líderes estão demonstrando interesse em utilizar os telhados de seus edifícios para gerar energia limpa. De acordo com dados do governo, um total de 1.601 instalações solares em telhados estão gerando atualmente mais de 75 MW de eletricidade. O financiador estatal, a Infrastructure Development Company (IDCOL), aprovou até agora 41 projetos de energia solar em telhados que irão gerar um total de 50 MW de eletricidade. O IDCOL também estabeleceu uma meta de financiar instalações em telhados totalizando 300 MW até 2024. (PV Magazine – 31.12.2022)

<topo>

 

 

Armazenamento de Energia

1 Israel: Grande acordo para o setor de armazenamento

A desenvolvedora de projetos eólicos e solares com sede em Israel, Enlight Renewable Energy, concordou em comprar cerca de 430 MWh de baterias da fornecedora chinesa de inversores e sistemas de armazenamento, Sungrow. O sistema será usado pela empresa israelense para dois projetos, que foram garantidos recentemente em licitações. “A Sungrow fornecerá 430 MWh de sistema de armazenamento de energia refrigerado a líquido, uma combinação de 230 MWh contratado para o estágio um e uma bateria bloqueada de 200 MWh para o estágio dois, o que permite lucratividade, flexibilidade e segurança”, disse a empresa em um comunicado. (PV Magazine – 03.01.2022)

<topo>

2 Espanha aprova investimento de 50 milhões de euros para a criação do Centro Ibérico de Pesquisa em Armazenamento de Energia

O Ministério da Ciência e Inovação da Espanha assinou um acordo com o Centro de Investigação Energética, Ambiental e Tecnológica, a Junta de Extremadura e a Fundação Fundecyt-Parque Científico e Tecnológico de Extremadura. O acordo tem como objetivo criar, equipar e iniciar o funcionamento do Centro Ibérico de Pesquisa em Armazenamento de Energia. O Centro, que ficará em Cáceres (Espanha), receberá 58 milhões de euros do governo central e 16,6 milhões da Junta de Extremadura. O centro será dotado de laboratórios de última geração que permitirão o desenvolvimento de todo o ciclo de armazenamento de energia em diferentes escalas, desde a físico-química dos materiais até seu dimensionamento e aplicação, passando pelos testes de sistemas de armazenamento. (Energias Renovables – 28.12.2022)

<topo>

 

 

Veículos Elétricos

1 EUA: Iniciativa promete rede de eletropostos até 2023

Até 2023, serão criados postos de abastecimento elétricos rápidos capazes de suprir a demanda de carros elétricos dos Estados Unidos (EUA). Os postos de abastecimento serão construídos nos principais corredores rodoviários do país. Esse é o objetivo do projeto batizado de Coalizão de Estradas Elétricas Nacionais, feito por uma cooperação de 53 entidades americanas do setor de eletricidade. O anúncio da iniciativa foi feito pelo Edison Electric Institute (EEI), associação de investidores de companhias elétricas. De acordo com o EEI, os EUA devem alcançar uma frota de 22 milhões de veículos elétricos até 2030, que irão demandar a criação de mais de 100 mil postos de abastecimento. A malha nacional de eletropostos será criada a partir de dois conjuntos já existentes, a Coalizão de Estradas Elétricas e Colaboração de Infraestrutura de Carregamento de Veículos Elétricos do Centro-Oeste. (Tecmundo – 13.12.2021)

<topo>

2 Baterias de estado sólido prometem revolucionar o mercado de veículos elétricos

Não há nada inovador nas baterias de estado sólido e, inclusive, elas são ainda mais simples que as células atuais. Entretanto, todas as montadoras de carros elétricos estão trabalhando para que elas sejam inseridas em seus portfólios por volta de 2025. O motivo desta corrida é o fato de que as baterias de estado sólido superam as baterias de íons de lítio em tudo, já que entregam uma autonomia melhor, mais segurança e um tempo de recarga bem menor, apenas mudando o eletrólito. Nestas baterias, o eletrólito é sólido e normalmente é composto por cerâmica ou vidro, substituindo as soluções tóxicas, suscetíveis a vazamento e inflamáveis atuais. Além de entregarem mais segurança, as baterias de estado sólido contam com uma densidade maior, tanto por serem mais moldáveis quanto pela placa negativa desaparecer à medida que o carro elétrico descarrega. (Click Petróleo e Gás – 13.12.2021)

<topo>

3 Movida e Nissan inauguram loja com estrutura de recarga em São Paulo

Em uma nova iniciativa para promover a mobilidade elétrica, a Movida (empresa de aluguel de carros) inaugurou em São Paulo (SP) a primeira loja conceito para carros elétricos. A iniciativa foi realizada em parceria com a Nissan e a Zletric. No local, foram instalados 10 carregadores convencionais (7 kW) da Zletric e um carregador ultrarrápido (50 kW), os quais os clientes poderão utilizar. A loja também conta com uma área de convivência e espaço para coworking, onde os clientes podem aproveitar o tempo enquanto aguardam pela recarga dos carros – a recarga é gratuita e destinada aos clientes Nissan e Movida. Segundo a Nissan, a criação deste espaço com infraestrutura para carros elétricos tem como objetivo desmistificar e incentivar o uso desses veículos e aproximar as pessoas da eletrificação. (Inside EVs – 15.12.2021)

<topo>

4 Volkswagen instalará 18 mil estações de recarga rápida na Europa

A Volkswagen, montadora alemã, anunciou que instalará cerca de 18 mil estações de carregamento rápido na Europa até 2025. De acordo com a montadora, as estações serão complementadas por cerca de 35 mil pontos de recarga, que serão implementados com parceiros de varejo. Muitos dos pontos de recarga serão acessíveis ao público. O serviço We Charge do grupo será aprimorado para oferecer maior desempenho, conveniência e sustentabilidade, com novas soluções de recarga residencial e móvel, novos recursos nos modelos ID e em breve também com a tecnologia de carregamento bidirecional. (Energías Renovables – 16.12.2021)

<topo>

5 EUA: FirstEnergy inicia projeto de eletrificação com integração de cinco caminhões elétricos híbridos em sua frota

Os primeiros cinco caminhões elétricos híbridos com plataforma elevatória para a frota da Jersey Central Power & Light (JCP & L), companhia que pertence a concessionária americana de energia FirstEnergy Corp., passaram por inspeções finais. A iniciativa faz parte de um esforço da companhia para reduzir as emissões de gases de efeito estufa e aumentar a eficiência em Nova Jersey. Segundo os responsáveis pelas operações da empresa, as entregas iniciais fazem parte dos planos anunciados anteriormente para eletrificar 30% de aproximadamente 3.400 veículos leves e de frota aérea até 2030, com a meta de atingir 100% de eletrificação até 2050. De acordo com as estimativas da empresa, esse esforço pode reduzir as emissões anuais de gases de efeito estufa em até 10 mil toneladas. (Daily Energy Insider– 28.12.2021)

<topo>

6 EUA: Concessionária PNM do Novo México adiciona VEs à sua frota e reitera compromisso com eletrificação

O maior fornecedor de eletricidade do Novo México (EUA) recentemente recebeu mais alguns veículos elétricos (VEs) e reiterou seu compromisso de eletrificar sua frota nos próximos anos. A Public Service Co. of New Mexico (PNM) anunciou que agora possui 38 veículos elétricos e com mais 3 encomendados. A porta-voz Shannon Jackson disse que a concessionária teria mais, mas os problemas de fornecimento com os fabricantes de veículos têm sido um fator limitante. Cerca de 8% da frota do PNM agora é elétrica, e a concessionária tem planos de aumentar isso em 5% a cada ano. A meta atual é que no mínimo 10% de todas as novas unidades sejam elétricas em 2022 e pelo menos metade da frota seja elétrica até 2030. (Power Grid– 03.01.2022)

<topo>

 

 

Gestão e Resposta da Demanda

1 Consulta Pública debaterá aprimoramento do Programa de Resposta de Demanda

O aprimoramento do Programa de Resposta da Demanda será o tema da Consulta Pública nº 080/2021, aprovada pela diretoria colegiada da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). A discussão sobre o assunto permanecerá aberta de até o dia 13/02/2022. O aperfeiçoamento da iniciativa visa expandir a adesão ao programa, que foi prejudicada em um primeiro momento por fatores como a inadimplência no Mercado de Curto Prazo (MCP), resultante de decisões judiciais vinculadas ao risco hidrológico (GSF) e pelos impactos da pandemia e da escassez hídrica. Depois de aprovada como programa-piloto em novembro de 2017, com vigência de 01/01/2018 a 30/06/2019, a medida sofreu postergações que estenderam sua vigência até 27 de junho de 2022. (Aneel – 14.12.2021)

<topo>

 

 

Eficiência Energética

1 CPFL Energia seleciona 46 projetos na chamada pública de eficiência energética

A CPFL Energia definiu os 46 projetos que serão beneficiados pela Chamada Pública de Eficiência Energética. O investimento decorrente dessa iniciativa será em um montante de cerca de R$ 36,5 milhões em 2022. A iniciativa, que é financiada com recursos do Programa de Eficiência Energética (PEE) da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), atenderá cidades onde as distribuidoras da CPFL atuam. A companhia informou que em maio publicou o edital com as regras para as submissões de projetos, que podem contemplar diversas ações, tanto do poder público como do setor privado. Para isso, os envolvidos devem se encaixar na área de eficiência energética e cumprir os requisitos do edital. (CanalEnergia – 27.12.2021)

<topo>

2 Huawei anuncia acordo para laboratório de eficiência energética solar na Paraíba

A Huawei, o Centro de Energias Alternativas e Renováveis da Universidade Federal da Paraíba (CEAR/UFPB) e o Grupo Rio Alto firmaram um memorando de entendimento para instalação de um Laboratório destinado a estudos de maximização de geração de energia solar. O acordo prevê a implementação de uma planta de energia fotovoltaica na UFPB, como fruto da união entre iniciativa pública e privada. A Paraíba possui um dos maiores índices de irradiação solar no Brasil, contando atualmente com oito parques em operação que totalizam 138,2 MW de potência. (CanalEnergia – 21.12.2021)

<topo>

3 Itália: BEI e ENEL assinam financiamento de 120 mi de euros para a eficiência energética

O Banco Europeu de Investimento (BEI) está apoiando os objetivos de eficiência energética e desenvolvimento das energias renováveis do Grupo Enel. O apoio será fornecido por meio de um financiamento ligado à sustentabilidade de 120 milhões de euros. O acordo prevê medidas de eficiência energética em edifícios residenciais e o desenvolvimento de pequenos e médios projetos de energias renováveis, principalmente localizados em certas regiões da Itália. Essas medidas foram tomadas em consonância com a Política de Coesão da União Europeia, contribuindo assim para o desenvolvimento de áreas do país com níveis de desemprego acima da média europeia. De acordo com as estimativas do BEI, os projetos financiados permitirão uma economia de energia de cerca de 19 GWh e gerarão cerca de 193 GWh por ano, contribuindo para o emprego de cerca de 940 pessoas durante a fase de implementação. (EE Online – 21.12.2021)

<topo>

4 O País Basco atribui 90 milhões de euros a entidades locais para a realização de projetos de eficiência energética

O País Basco abriu o período para apresentação de candidaturas ao programa Gauzatu Energia. O programa promoverá projetos de eficiência energética por meio de adiantamentos reembolsáveis a juros zero. Esta medida será gerida pela Entidade Energética Basca (EVE), que tem um financiamento de 90 milhões de euros, de acordo com os orçamentos do Instituto Basco de Finanças (FIV). Os investimentos elegíveis correspondem às seguintes áreas: eficiência energética; iluminação externa; eficiência em edifícios; instalações de energia renovável, entre outras. (Energías Renovables – 30.12.2021)

<topo>

 

 

Tecnologias e Soluções Digitais

1 Chesf desenvolve Sistema Inteligente de Gestão da Inovação

No âmbito do Programa de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (P&D+I) da Aneel, a Chesf desenvolveu o Sistema Inteligente de Gestão da Inovação (SiGi). O sistema foi criado para gerir todos os processos concernentes à inovação da empresa. Iniciado no final de 2015 e finalizado no início de 2021, o novo sistema recebeu investimentos no montante de R$ 4,4 milhões e foi executado em parceria com o Centro Latino-Americano para Inovação, Excelência e Qualidade (Claeq). De acordo a Chesf, o SiGi tem como foco a gestão inteligente do processo de inovação, incorporando no sistema recentes ferramentas de inteligência e algoritmos matemáticos, que incluem a adaptação do método Technology Readiness Level (TRL), desenvolvido pela NASA, em conjunto com o método Demand Readiness Level (DRL) e o método multicritério Analytic Hierarchy Process (AHP). As ferramentas foram adaptadas de forma original à realidade regulatória, técnica e administrativa do Setor. (CanalEnergia – 14.12.2021)

<topo>

2 Espanha: Startup LLum lança plataforma para compartilhamento de energia de instalações de autoconsumo

A startup LLum desenvolveu uma plataforma com tecnologia blockchain que permite compartilhar a energia produzida por indivíduos e comunidades energéticas para aproveitar ao máximo da capacidade de produção. A Llum tem sua origem no desafio lançado pela Enercoop, uma cooperativa de energia pioneira na implantação de comunidades energéticas locais na Espanha. A Llum propõe uma solução para compartilhar entre os usuários a eletricidade de origem renovável, produzida em instalações de autoconsumo, com o objetivo de alcançar a máxima eficiência e reduzir os custos de energia. (Energias Renovables – 28.12.2021)

<topo>

3 Força Aérea dos EUA está desenvolvendo tecnologia para enviar energia solar do espaço para a Terra

A Força Aérea dos Estados Unidos (USAF) está testando uma solução para importar energia solar do espaço na forma de radiofrequência. O Laboratório de Pesquisa da Força Aérea (AFRL) e o Projeto de Demonstração e Pesquisa Incremental de Energia Solar do Espaço (SSPIDR) da Northrop Grumman (companhia americana de aplicações aeronáuticas e espaciais) realizaram com sucesso os primeiros testes para enviar energia solar para a Terra. Especificamente, eles usaram uma telha que converte a radiação solar em radiofrequência, uma etapa fundamental e necessária para pavimentar o caminho para um sistema de captação de energia solar em larga escala no espaço, que é o objetivo da iniciativa que foi apelidada de projeto Arachne. (Energias Renovables – 30.12.2021)

<topo>

 

 

Segurança Cibernética

1 Hackers invadem dois jornais de Israel com ameaça ao reator nuclear de Dimona

As contas na rede social Twitter de dois jornais israelenses foram hackeadas no dia 03/01/2022. Os hackers publicaram uma imagem do reator nuclear Dimona, localizado no deserto de Negueve em Israel. A representação mostra um ataque do que parece ser um míssil balístico. A publicação é aparentemente ligada ao assassinato de Qasem Soleimani, ex-chefe da Força Quds da Guarda Revolucionária Iraniana, assassinado em um bombardeio dos EUA no Iraque. O evento coincide com o debate sobre a energia nuclear que continua até hoje na União Europeia. O ataque ocorre em meio a ameaças de vingança feitas pelo presidente do Irã, Ebrahim Raisi, aos ex-presidentes dos EUA (incluindo Donald Trump), apontados por ele como responsáveis pela morte do general iraniano. (Energias Renovables – 03.01.2022)

<topo>

 

 

Artigos e Estudos

1 Relatório: “US Solar Market Insight Q4 2021”

À medida que o final de 2021 foi se aproximando, a indústria solar dos EUA enfrentou enormes desafios e potenciais oportunidades. Por um lado, as restrições da cadeia de suprimentos continuaram aumentando, colocando gigawatts de projetos em risco. Por outro lado, espera-se que a potencial aprovação da Lei Build Back Better (BBB), que inclui vários incentivos de energia limpa, aumente as adições de energia solar em 31% nos próximos cinco anos. O mercado solar nunca experimentou tantas dinâmicas opostas. Como resultado, o relatório “US Solar Market Insight Q4 2021” da Wood Mackenzie está prevendo as maiores flutuações na capacidade solar de curto prazo desde 2016, quando o crédito fiscal para investimento quase expirou. Para ter acesso ao relatório completo, clique aqui. (Wood Mackenzie – 14.12.2021)

<topo>

2 Relatório: “Which market is the most attractive for energy transition investment?”

De acordo com o relatório da empresa de pesquisa BloombergNEF (BNEF), apesar de 2020 ter batido recorde para investimentos em transição energética, os investidores injetaram US$ 67 bilhões a menos em energia limpa em mercados emergentes do que em países mais ricos. Os dados sugerem que os investidores se retiraram às pressas dos mercados menos desenvolvidos para voltar a se concentrar no cenário oposto, à medida que a pandemia Covid-19 se espalhava. O investimento na transição energética em mercados menos desenvolvidos caiu 10% de 2019 a 2020, à medida que os financiadores aplicaram mais fundos em países tradicionalmente de menor risco da OCDE. Isso marcou uma grande mudança em relação aos anos anteriores, quando essas economias em rápido crescimento atraíram a maioria dos novos fundos aplicados. Para ter acesso ao relatório completo, clique aqui. (BNEF – 14.12.2021)

<topo>

3 Relatório: “2021 Cogent Syndicated Utility Trusted Brand & Customer Engagement Residential”

O engajamento do cliente de concessionárias cresceu devido a um maior foco na sustentabilidade ambiental e modelos de negócios centrados no consumidor durante a pandemia, de acordo com um novo relatório divulgado pela Escalent (consultora de pesquisa). O aumento do envolvimento do cliente, por sua vez, ajuda as concessionárias a aumentar o valor da empresa e influenciar o comportamento dos consumidores, afirma o estudo. Em uma escala de 1000, o envolvimento do cliente de concessionárias cresceu oito pontos, para 721, desde os níveis pré-pandêmicos em 2019. Isso porque, o relacionamento engajado junto aos clientes melhorou como mostra o resultado do relatório. Para ter acesso ao relatório completo, clique aqui. (Smart Energy – 14.12.2021)

<topo>

4 Artigo: “A transição energética e a indústria chinesa”

Em artigo publicado no Valor Econômico, Luis Adolfo Beckstein, especialista em análise econômica em óleo e gás e consultor de investimentos, relaciona o processo de transição energética com alguns setores industriais da China, mostrando as ações tomadas pela indústria decorrentes do caminho para uma economia verde. Segundo o autor, “a transição energética não é um fenômeno novo e tem gravitado há muito tempo as políticas de energia de países e empresas. […] o Ministério da Indústria e Tecnologia da Informação da China divulgou um novo plano para ditar os rumos do desenvolvimento industrial, dentro de uma matriz verde, limitando as emissões em setores como energia, aço, minerais e produtos químicos”. Ele conclui que “o resultado disso é que ao final no período da transição, as empresas chinesas estarão mais fortes e com muito mais condições de competir internacionalmente e exportar seus produtos para todo o mundo”. Para ler o texto na íntegra, clique aqui. (GESEL-IE-UFRJ – 03.01.2021)

<topo>


Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Lorrane Câmara e Luiza Masseno
Pesquisadores:
Cristina Rosa, Matheus Balmas e Pedro Barbosa
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

As notícias divulgadas no IFE não refletem necessariamente os pontos da UFRJ. As informações que apresentam como fonte UFRJ são de responsabilidade da equipe de pesquisa sobre o Setor Elétrico, vinculada ao NUCA do Instituto de Economia da UFRJ.

POLÍTICA DE PRIVACIDADE E SIGILO
Respeitamos sua privacidade. Caso você não deseje mais receber nossos e-mails,  Clique aqui e envie-nos uma mensagem solicitando o descadastrado do seu e-mail de nosso mailing.


Copyright UFRJ

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: