IFE.TEX 68

Informativo Eletrônico – Tecnologias Exponenciais nº 67 – publicado em 17 de dezembro de 2021.

IFE: Informativo Eletrônico de Tecnologias Exponenciais – GESEL-UFRJ <!–

l

IFE: nº 68 – 17 de dezembro de 2021
http://gesel.ie.ufrj.br/
gesel@gesel.ie.ufrj.br

Editor: Prof. Nivalde J. de Castro

Índice

Transição Energética e ESG
1
Frente Parlamentar de Energia Renovável (FER): Aneel apresenta medidas regulatórias para o avanço das fontes renováveis
2 IRENA e Alliance for Rural Electrification firmam parceria
3 Costa Rica e IRENA firmam parceria para fortalecer o plano de descarbonização do país
4 EUA: Fornecedoras de energia emitem títulos para comprar energia renovável
5 Austrália: Partido Trabalhista tem meta de 82% de energias renováveis até 2030
6 Japão: Concessionárias fazem parceria para descarbonizar o setor de energia da Indonésia
7 EUA: Biden assina ordem executiva para neutralizar emissões de carbono
8 Alemanha: Coalizão de ‘traffic light’ dá aval para a uma transição energética mais rápida
9 DOE e parceiros israelenses investem em projetos cooperativos de energia limpa
10 Comissão Europeia apoiará a produção de eletricidade a partir de fontes de energia renováveis na Croácia

Geração Distribuída
1 Governos estaduais e prefeituras investem em geração própria para reduzir contas de energia
2 Abinee: Importação de módulos fotovoltaicos dispararam em 2021
3 Trinity vai investir R$ 450 mi em geração solar distribuída até 2026
4 Melhorar a compreensão da instalação da geração solar distribuída pode aumentar a difusão da tecnologia

Armazenamento de Energia
1 De baterias de bicicletas elétricas a depósitos de energia solar
2 Neoen inicia operação de bateria de 300 MW
3 Mercado de armazenamento dos EUA bate novo recorde de instalação no terceiro trimestre de 2021

4 Equinor investe em empresa de armazenamento de energia

5 Enphase e SolarEdge participam de piloto de serviços de rede via baterias da APS

Veículos Elétricos
1 Mercedes-Benz anuncia o seu novo veículo elétrico movido a energia solar
2 EUA planeja construir estradas capazes de carregar carros elétricos
3 EUA: Governo Biden avança na descarbonização e proíbe compra governamental de veículos a combustão a partir de 2035

Eficiência Energética
1 Agência Ambiental do Governo do Reino Unido ajudará a indústria a implementar eficiência energética para combater emergências climáticas
2 DOE propõe padrões de eficiência mais rígidos para lâmpada
3 Polônia pretende melhorar a eficiência energética do consumidor

Microrredes e VPP
1 Logical Buildings arrecada US$ 10 milhões para implementar software de VPP
2 Microrrede da Emera Technologies recebe certificação contra incêndio
3 Banco de desenvolvimento alemão aloca € 49 milhões para minirredes na África
4 Uganda recorre a minirredes para desenvolver a região norte do país

5 Novas microrredes são instaladas na Nigéria

Tecnologias e Soluções Digitais
1 ConnectDER recebe financiamento do estado de Nova York para desenvolver soluções de REDs
2 Indiana Michigan Power buscar instalar medidores inteligentes em Fort Wayne
3 Reino Unido: UK Power Networks faz parceria com a GE Digital em projeto de subestação inteligente
4 AES lança robô pioneiro para acelerar a construção de usinas de energia solar

5 O mercado de digitalização da distribuição e varejo de energia pode atingir US$ 33,4 bilhões em 2030

Segurança Cibernética
1 Brasil: Ministério da saúde sofre ataque cibernético, afetando site e plataforma do SUS
2 Austrália: Ataque cibernético à CS Energy quase afetou acesso a eletricidade de 3 milhões de residências

Artigos e Estudos
1 Estudo: “The Green Jobs Advantage: How Climate-friendly Investments Are Better Job Creators”
2 Relatório: “Least-Cost Pathway for India’s Power System Investments through 2030”
3 Relatório: “Italy’s deployment of wind and solar has stagnated”
4 Relatório: “Remodeling the future: How energy transition is driving new models in energy and utilities”

5 Relatório: “Perspectivas de la transición energética mundial: camino de 1.5 ?”


 

 

Transição Energética e ESG

1 Frente Parlamentar de Energia Renovável (FER): Aneel apresenta medidas regulatórias para o avanço das fontes renováveis

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) apresentou os principais avanços regulatórios para a expansão das fontes renováveis durante a reunião da Frente Parlamentar de Energia Renovável (FER). A reunião teve como objetivo discutir sobre os impactos da COP26 no setor elétrico, assim como as perspectivas para o avanço das energias renováveis no Brasil e a Agenda Legislativa da FER. O evento reuniu autoridades da Aneel, do Congresso Nacional, do Ministério de Minas e Energia (MME) e do Ministério das Relações Exteriores (MRE). O Diretor-Geral da Aneel, André Pepitone, apresentou a recente regulamentação das usinas híbridas, aprovada pela Agência na última semana. (Aneel – 09.12.2021)

<topo>

2 IRENA e Alliance for Rural Electrification firmam parceria

A Agência Internacional de Energia Renovável (IRENA) assinou um memorando de entendimento (MoU) com a Alliance for Rural Electrification (ARE) para eletrificar áreas rurais e expandir o acesso universal à energia. Nesse contexto, as soluções de energia renovável fora da rede fornecem uma oportunidade de alcançar o acesso universal à energia sem prejudicar as metas climáticas, tornando-as fundamentais para alcançar uma transição energética justa. De acordo com a IRENA, as energias renováveis descentralizadas criam oportunidades de emprego em usos produtivos que vão desde agroalimentação e saúde até comunicações e comércio em comunidades locais. As duas partes também trocarão experiências em modelos de entrega emergentes para a implantação de soluções descentralizadas de energia renovável. (IRENA – 07.12.2021)

<topo>

3 Costa Rica e IRENA firmam parceria para fortalecer o plano de descarbonização do país

A Agência Internacional de Energia Renovável (IRENA) e o Governo da Costa Rica assinaram um acordo com o objetivo de fortalecer os planos de descarbonização do país, bem como impulsionar o financiamento de projetos de energia renovável. Os parceiros irão criar um roteiro de investimentos para complementar o National Decarbonisation Plan 2018-2050. O plano utilizará o próximo roteiro de energia renovável da IRENA para a América Central para identificar oportunidades de financiamento para grandes projetos nacionais e apoiar a tomada de decisões em torno de estruturas tecnológicas e regulatórias. Nesse contexto, a Plataforma de Financiamento do Acelerador de Transição de Energia (ETAF) será fundamental para promover o desenvolvimento de baixo carbono no país centro-americano. (IRENA – 06.12.2021)

<topo>

4 EUA: Fornecedoras de energia emitem títulos para comprar energia renovável

Três fornecedoras de energia da Califórnia (East Bay Community Energy, MCE e Silicon Valley Clean Energy) emitiram US$ 2 bilhões em títulos para pagamento adiantado de cerca de 450 MW de energia renovável em 30 anos. Ao direcionar os títulos para a compra de energia limpa por meio da California Community Choice Financing Authority (CCCFA), as três empresas esperam economizar de 8 a 12% no custo da energia. De acordo com Garth Salisbury, diretor financeiro e tesoureiro da MCE, a estrutura financeira da transação permitirá que as empresas aproveitem os descontos de energia em massa e a diferença entre as taxas tributáveis e as isentas de impostos. Embora os títulos tenham sido usados para financiar o pagamento antecipado de energia e gás natural no passado, esta é a primeira vez que a MCE usa essa estrutura para comprar energia limpa. (Utility Dive – 07.12.2021)

<topo>

5 Austrália: Partido Trabalhista tem meta de 82% de energias renováveis até 2030

O Partido Trabalhista australiano revelou uma nova política de emissões, sob a qual pretende aumentar de 68% para 82% a parcela de energias renováveis da geração do Mercado Nacional de Eletricidade. O plano, intitulado Powering Australia, visa impulsionar o investimento total para cerca de 76 bilhões de dólares australianos, dos quais 20 bilhões seriam destinados para modernizar a rede, já que o Australian Energy Market Operator (AEMO) estima que mais de 50 GW de energia renovável serão necessários para o mercado nacional de energia até 2042. (Renewables Now – 07.12.2021)

<topo>

6 Japão: Concessionárias fazem parceria para descarbonizar o setor de energia da Indonésia

As concessionárias japonesas – Tokyo Electric Power Company (TEPCO), a JERA, a TEPCO Power Grid e a Tokyo Electric Power Services Company (TEPSCO) – fizeram parceria com a Agência de Cooperação Internacional do Japão (JICA). O objetivo da parceria é desenvolver um roteiro para acelerar a descarbonização do setor de energia na Indonésia. As empresas concordaram em co-conduzir a Pesquisa de Coleta de Dados sobre o Setor de Energia na Indonésia para Descarbonização e pretendem entregar o projeto entre o período de novembro de 2021 a março de 2022. A pesquisa inclui a coleta e a análise de dados sobre as tendências atuais do mercado de energia de Cingapura e suas perspectivas futuras. A JICA quer ajudar a Indonésia a atingir sua meta de se tornar neutra em carbono antes de 2060, conforme prometido pelo governo em julho de 2021 durante a Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC). (Smart Energy – 08.12.2021)

<topo>

7 EUA: Biden assina ordem executiva para neutralizar emissões de carbono

Joe Biden, presidente dos Estados Unidos (EUA), assinou uma ordem executiva que tornará o governo federal neutro em carbono até 2050. A ordem executiva irá direcionar o governo dos EUA para obter eletricidade 100% livre de carbono e para atingir uma redução de 65% nas emissões de gases de efeito estufa até 2030. A iniciativa ganhou apoio do Conselho Americano de Energia Renovável (ACORE). Segundo o presidente e CEO da ACORE, Gregory Wetstone, a ação executiva do presidente Biden reflete o forte compromisso do alto escalão para acelerar a transição energética e lidar com a crise climática de forma responsável. (Renews Biz – 09.12.2021)

<topo>

8 Alemanha: Coalizão de ‘traffic light’ dá aval para a uma transição energética mais rápida

Após semanas de negociações, a Alemanha tem uma nova coalizão governamental. A coalizão ‘traffic lights’ tem um slogan ousado: “Ouse mais progresso”, que se aplica a uma ampla gama de questões, como a necessidade de revigorar a transição energética do país. A agenda de transição energética do novo governo é tudo menos desanimadora. De metas ambiciosas de energia renovável à eliminação acelerada do carvão e a reforma do mercado de energia, há uma clara intenção de ação climática. Para atingir às metas, torna-se necessário avaliar o quão realistas são esses planos e o que eles significam para o futuro dos mercados de energia da Alemanha. (Wood Mackenzie – 09.12.2021)


<topo>

9 DOE e parceiros israelenses investem em projetos cooperativos de energia limpa

O Departamento de Energia dos EUA (DOE), o Ministério de Energia de Israel (MoE) e a Autoridade de Inovação de Israel anunciaram seis projetos de energia limpa selecionados para receber US$ 5,48 milhões em financiamento governamental por meio do programa de energia Binational Industrial Research and Development (BIRD). Os projetos irão acelerar a inovação tecnológica para veículos, baterias, medidas de eficiência energética e armazenamento de energia. (EE Online – 10.12.2021)

<topo>

10 Comissão Europeia apoiará a produção de eletricidade a partir de fontes de energia renováveis na Croácia

A Comissão Europeia aprovou um regime de auxílio para apoiar a produção de eletricidade a partir de fontes renováveis na Croácia. A medida ajudará o país a atingir os seus objetivos de energias renováveis, incluindo os definidos no seu plano de recuperação e resiliência. Além disso, contribuirá para alcançar a meta de neutralidade climática até 2050. A Vice-Presidente Executiva, Margrethe Vestager, responsável pela política de concorrência, disse que o “esquema de 783 milhões de euros permitirá à Croácia apoiar a produção de eletricidade renovável a partir de uma ampla gama de tecnologias. A medida contribuirá para a redução de CO2 e outras emissões de gases de efeito estufa, em conformidade com os objetivos do Acordo Verde da UE e as metas ambientais estabelecidas no plano de recuperação e resiliência da Croácia, sem distorcer indevidamente a concorrência no mercado único.” (EE Online – 13.12.2021)

<topo>

 

 

Geração Distribuída

1 Governos estaduais e prefeituras investem em geração própria para reduzir contas de energia

Pelo menos 11 estados e cinco capitais brasileiras estudam ou já implementam projetos de geração distribuída (GD) para prédios e para atender o consumo de energia de serviços públicos. Diante do aumento da conta de luz e da busca por iniciativas sustentáveis, o movimento reforça uma tendência observada também nas residências, que intensificaram as buscas por painéis solares neste ano. O dado é revelado pelo estudo da Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base (Abdib), que lançou o Livro Azul da Infraestrutura de 2021. O livro contém projetos formulados pelo governo federal e governos estaduais voltados para o setor privado. A difusão dos projetos também acontece em um contexto de ‘corrida’ por benefícios, uma vez que subsídios para fontes renováveis e GD passam por um momento de estreitamento. (O Estado de São Paulo – 09.12.2021)

<topo>

2 Abinee: Importação de módulos fotovoltaicos dispararam em 2021

As importações de módulos fotovoltaicos tiveram um aumento projetado de 98% em 2021, saindo de US$ 1,02 bilhão em 2020 para US$ 2,03 bilhões este ano. O produto é um dos mais importados do setor eletroeletrônico e o desempenho foi o maior dentre os apresentados em coletiva de imprensa da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee). Os módulos conseguiram superar itens como os produtos para Eletrônica Embarcada, que subiram 50% e o de componentes para materiais de instalação, que cresceram 40%. De acordo com o diretor da área de Geração, Transmissão e Distribuição da associação, Marcelo Machado, tanto a geração centralizada quanto a distribuída tem previsão de crescimento expressivo para 2022, devendo levar a altos números ano que vem. (CanalEnergia – 09.12.2021)

<topo>

3 Trinity vai investir R$ 450 mi em geração solar distribuída até 2026

A Trinity (comercializadora de energia) está entrando no mercado de geração solar distribuída, com o objetivo de atingir 100 MW de capacidade instalada entre 15 usinas até 2026. Os investimentos somam entre R$ 400 milhões e 450 milhões. Os projetos de 6,5 MW e 3,5 MW em Minas Gerais já estão em construção e devem ser finalizados no primeiro semestre do ano que vem. Ainda para operação em 2023, a companhia mira outros projetos no Rio de Janeiro e em São Paulo, na área de concessão da CPFL Paulista, somando 13 MW. O objetivo do projeto é atender consumidores comerciais. Outros estados que estão no radar da companhia são Paraná e Santa Catarina. (CanalEnergia – 07.12.2021)

<topo>

4 Melhorar a compreensão da instalação da geração solar distribuída pode aumentar a difusão da tecnologia

As instalações solares fotovoltaicas (FV) podem ser organizadas em configurações menores para minirredes ou uso pessoal, sendo relevantes nos países em desenvolvimento. Em muitos mercados, a geração solar distribuída já é mais atraente economicamente do que comprar eletricidade da rede. Desta maneira, é necessário aumentar a conscientização e o entendimento sobre sua instalação, especialmente para uso residencial. Para atender a essa necessidade, a Agência Internacional de Energia Renovável (IRENA), com o apoio do Ministério de Relações Exteriores da Dinamarca, desenvolveu uma série de materiais de treinamento sobre implantação de energia solar fotovoltaica em telhados. O material de treinamento consiste em nove sessões com explicações gravadas. As sessões são suportadas por infográficos ilustrativos e animações. O treinamento foi criado para ser claro e envolvente para o público leigo compreender, assim como para que o aprendizado possa ser aplicado aos seus próprios cenários. (IRENA – 06.12.2021)

<topo>

 

 

Armazenamento de Energia

1 De baterias de bicicletas elétricas a depósitos de energia solar

Os veículos elétricos de uso pessoal, essencialmente bicicletas e scooters, já fazem parte da paisagem das cidades. Tais veículos representam uma maneira barata e rápida de se locomover. Nesse cenário surge a preocupação sobre o que será feito com as baterias quando estas chegarem ao fim da sua vida útil. Tendo isso em vista, foi desenvolvido o projeto de economia circular Lions2Life. O projeto tem como objetivo reutilizar as baterias para armazenar energia solar. O projeto está trabalhando para dar uma segunda vida a essas baterias, transformando-as em uma solução sustentável e lucrativa para o armazenamento de energia solar. A iniciativa desenvolverá uma bateria de lítio de alto desempenho fabricada inteiramente a partir de baterias de lítio recuperadas, fornecidas por um serviço de bicicletas elétricas compartilhadas. (Energías Renovables – 13.12.2021)

<topo>

2 Neoen inicia operação de bateria de 300 MW

A Neoen iniciou as operações do seu projeto de armazenamento de energia Victorian Big Battery. O projeto tem capacidade de 300 MW / 450 megawatt-hora e está instalado na Austrália. O projeto foi entregue em colaboração com a Tesla, que implementou sua tecnologia Megapack, e o parceiro de rede AusNet Services. A Victorian Big Battery tem um contrato de Sistema de Proteção de Integridade (SIPS) de 250 MW com o Australian Energy Market Operator (AEMO). De acordo com o contrato, a bateria fornecerá uma resposta automática instantânea no caso de uma interrupção inesperada da rede, fornecendo ao AEMO um meio adicional de garantir a estabilidade da rede. (–08.12.2021)

<topo>

3 Mercado de armazenamento dos EUA bate novo recorde de instalação no terceiro trimestre de 2021

Segundo a Wood Mackenzie e US Energy Storage Association (ESA), o mercado de armazenamento de energia dos EUA bateu um novo recorde no terceiro trimestre de 2021, com novas instalações de sistemas totalizando 3.515 MWh. Segundo o estudo, esse valor pode ser ultrapassado no último trimestre do ano. Califórnia, Texas e Arizona lideram o mercado front-of-the-meter, de acordo com o relatório. A indústria de armazenamento de energia teve um crescimento sem precedentes no ano passado. No quarto trimestre de 2020, mais de 2.100 MWh de armazenamento de energia entraram em operação no país – um aumento de 182% em relação ao trimestre anterior. (Utility Dive–09.12.2021)

<topo>

4 Equinor investe em empresa de armazenamento de energia

A Equinor (empresa norueguesa de petróleo e gás) assinou um acordo com a Noriker Power, desenvolvedora de armazenamento de energia em bateria do Reino Unido. O acordo incluiu a aquisição de 45% do capital da Noriker. As duas empresas também concordaram em fazer uma cooperação estratégica que concederá à Equinor a oportunidade de participar diretamente em projetos de armazenamento de energia. Além disso, a Equinor poderia complementar seu portfólio de energias renováveis existente no Reino Unido, implantando baterias nas proximidades de seus ativos eólicos offshore para aumentar os retornos. Isso garantiria a capacidade de armazenar eletricidade quando os preços estão baixos e vendê-la para a rede em estágios posteriores quando os preços estão mais altos, melhorando o retorno de seus projetos renováveis. (Equinor – 06.12.2021)

<topo>

5 Enphase e SolarEdge participam de piloto de serviços de rede via baterias da APS

Na semana passada, o fornecedor de microinversores, Enphase Energy, anunciou sua participação no programa piloto de serviços de rede de baterias residenciais do Arizona Public Service (APS). A empresa SolarEdge também anunciou sua participação. O programa de recursos energéticos distribuídos (RED) oferece duas opções para os participantes do programa ganharem dinheiro por meio de incentivos. Os clientes que se inscreverem no programa e simplesmente compartilharem seus dados com a APS, incluindo informações básicas sobre eles e seu sistema, ganharão $ 500 por quilowatt de capacidade de bateria instalada, com um limite de $ 2.500 por casa. Como alternativa, os proprietários podem se inscrever no programa, compartilhar seus dados com a APS e permitir que a concessionária use a energia armazenada de suas baterias sob demanda para fornecer serviços de rede quando forem necessários. (Renewable Energy World – 08.12.2021)

<topo>

 

 

Veículos Elétricos

1 Mercedes-Benz anuncia o seu novo veículo elétrico movido a energia solar

A Mercedes-Benz anunciou seu novo carro movido a energia solar no estilo off-road, o Maybach. A empresa afirma que o projeto conta com um design incomum, que não é semelhante a nada que já tenha sido produzido antes. O carro movido a energia solar foi elaborado do zero, com funcionalidades todas voltadas à sustentabilidade, contando com um capô transparente, onde ficam os painéis de energia solar que alimentam as suas baterias. O Maybach foi criado para ser um modelo de exibição, com espaço para dois ocupantes, inspirado pelas grandes paisagens off-road ao redor do mundo. (Click Petróleo e Gás – 06.12.2021)

<topo>

2 EUA planeja construir estradas capazes de carregar carros elétricos

Os Estados Unidos (EUA) vão destinar US$ 7,5 bilhões para a construção de uma rede nacional de 500 mil estações de carregamento rápido para veículos elétricos até 2030. De acordo com o Departamento de Energia dos EUA (DOE), o país conta com 43 mil estações. A construção de mais estações de abastecimento resolveria apenas parte do problema, porque o tempo de recarga ainda é longo. A mudança radical na próxima década poderá vir por meio de estradas que recarregam carros em movimento, usando energia por indução. Em julho, o Departamento de Transportes do Estado de Indiana e a Universidade de Purdue anunciaram planos para desenvolver o primeiro trecho de rodovia de concreto com carregamento sem fio. O projeto está sendo assumido por um centro de pesquisa de engenharia denominado Aspire e usará tecnologia de concreto magnetizável, desenvolvida pela empresa alemã Magment. (O Estado de São Paulo – 11.12.2021)

<topo>

3 EUA: Governo Biden avança na descarbonização e proíbe compra governamental de veículos a combustão a partir de 2035

O governo federal americano tem como objetivo obter eletricidade livre de carbono até 2030, com metade dela sendo completamente livre de emissões, sob uma ordem executiva assinada pelo presidente Joe Biden. Além disso, em uma tentativa de impulsionar o setor de veículos elétricos (VEs), Biden proibiu o governo federal de comprar veículos leves movidos a combustível fóssil a partir de 2027, e qualquer veículo a gasolina ou diesel a partir de 2035. (Utility Dive – 09.12.2021)

<topo>

 

 

Eficiência Energética

1 Agência Ambiental do Governo do Reino Unido ajudará a indústria a implementar eficiência energética para combater emergências climáticas

Um novo relatório sobre um esquema de recompensa pela eficiência energética mostra como as empresas em vários setores industriais estão reduzindo o uso de energia para combater as mudanças climáticas. O esquema de Acordos de Mudança Climática (CCA) oferece benefícios fiscais para empresas que concordam com as metas de eficiência energética. Com a adoção do esquema houve uma redução coletiva nas emissões de 6,6 milhões de toneladas de dióxido de carbono (CO2) durante 2019 e 2020. Isso equivale a uma redução geral de emissões de 13,3% em um total de 8.705 instalações inscritas no esquema. O último relatório bienal da UK Government Environmental Agency (EA) também mostra que, entre 2013 e 2020, o esquema CCA registrou uma redução total de emissões de 23,8 milhões de toneladas de CO2. (EE Online – 09.12.2021)

<topo>

2 DOE propõe padrões de eficiência mais rígidos para lâmpada

O Departamento de Energia dos EUA (DOE) propôs requisitos de eficiência energética para os tipos mais comuns de lâmpadas. Acredita-se que os consumidores economizarão US$ 300 milhões por mês em suas contas de energia com a implementação dos novos requisitos. A regra codificaria um “backstop”, ou padrão mínimo de eficácia, de 45 lumens por watt (lm / W) para lâmpadas de serviço geral. O aviso do DOE sobre a proposta de regulamentação sugere uma “implementação escalonada” para aliviar a carga sobre os fabricantes. Isso levou o Conselho Americano para uma Economia Eficiente em Energia (ACEEE) a questionar se a administração Biden está agindo com rapidez suficiente para combater a mudança climática. O DOE também finalizou uma regra revisando o processo de isenção provisória do procedimento de teste de eletrodomésticos da agência, que foi alterada para permitir maior flexibilidade para os fabricantes de produtos. (Utility Dive – 07.12.2021)

<topo>

3 Polônia pretende melhorar a eficiência energética do consumidor

O Banco Europeu de Reconstrução e Desenvolvimento (BERD) e a instituição financeira polonesa BNP chegaram a um acordo sobre um financiamento de € 100 milhões. O financiamento será usado para implementar projetos de eficiência energética na Polônia. No âmbito dos projetos serão implantadas bombas de calor inteligentes, isolamento térmico e iluminação LED em edifícios residenciais. O financiamento ajudará a reduzir o uso de caldeiras a carvão. O objetivo da iniciativa é abordar os problemas do mercado, como a alta dos preços da energia e a densidade de carbono no setor habitacional polonês. A iniciativa também permitirá que o país alcance uma economia de baixo carbono, reduzindo o consumo de energia, contas e emissões de gases de efeito estufa. (Utility Dive – 14.12.2021)

<topo>

 

 

Microrredes e VPP

1 Logical Buildings arrecada US$ 10 milhões para implementar software de VPP

A Logical Buildings, uma startup que fornece softwares e soluções de usina virtual (VPP), anunciou esta semana o fechamento de uma rodada de financiamento de US$ 10 milhões, liderada pela Keyframe Capital. O financiamento será utilizado para implementar o software de VPP nos Estados Unidos. A startup criou um aplicativo chamado GridRewards, que permite que os consumidores participem diretamente de VPPs, ajudando-os a reduzir sua pegada de carbono, bem como ajudar a prevenir quedas de energia. O GridRewards é integrado com medidores inteligentes de concessionárias, termostatos e mercados de energia / carbono. Com isso, o objetivo é transformar clientes residenciais e de pequenas empresas em consumidores eficientes e interativos com a rede instantaneamente, melhorando fundamentalmente como funcionam os mercados de energia. (Power Grid – 10.12.2021)

<topo>

2 Microrrede da Emera Technologies recebe certificação contra incêndio

Após um exigente processo de teste e avaliação, a Emera Technologies (concessionária de energia) anunciou que recebeu a certificação UL 9540 de segurança contra incêndio para o BlockBox, sistema de armazenamento de energia que controla sua plataforma da microrrede BlockEnergy. A BlockEnergy é a primeira microrrede comunitária da concessionária para aplicações residenciais e em escala comercial. A certificação de segurança contra incêndio é um marco significativo, o que implica que a Emera agora pode vender a solução para outras concessionárias. A microrrede integra energia renovável, armazenamento e controles inteligentes para facilitar sistemas escaláveis em novas comunidades residenciais. (Power Grid – 08.12.2021)

<topo>

3 Banco de desenvolvimento alemão aloca € 49 milhões para minirredes na África

O banco estatal alemão de desenvolvimento KfW criou a Fundação Energia Limpa e Inclusão de Energia para a África, com o objetivo de adquirir e instalar minirredes e oferecer incentivos de subvenção para empresas investirem em energias renováveis no continente africano. Com um orçamento inicial de € 49 milhões, o fundo de energia limpa financiará minirredes e produtos de geração distribuída, como sistemas solares domésticos e lâmpadas alimentadas por energia solar, resfriamento, moinhos e bombas. A Fundação busca apoiar pelo menos 190 minirredes com uma capacidade total de geração de quase 17 MW. (PV Magazine – 08.12.2021)

<topo>

4 Uganda recorre a minirredes para desenvolver a região norte do país

O papel que a energia solar pode desempenhar para ajudar a alcançar a segurança alimentar foi destacado pelo comissionamento de 25 minirredes no norte da Uganda. A iniciativa foi realizada com o apoio da agência estatal de desenvolvimento da Alemanha e da União Europeia. A instalação das minirredes será feita pela Winch Energy, desenvolvedora de energia fora da rede sediada em Londres. O projeto irá beneficiar residências e empresas, assim como fornecerão iluminação pública movida a energia solar e melhores serviços de água por meio de bombeamento e purificação. (PV Magazine –09.12.2021)

<topo>

5 Novas microrredes são instaladas na Nigéria

A Husk Power Systems, startup que fornece energia para áreas rurais, inaugurou seis minirredes no estado de Nasarawa, na Nigéria. A iniciativa fornece eletricidade limpa e segura para cerca de 5 mil residências e 500 empresas nas cidades de Doma e Lafia. A empresa recebeu apoio do Projeto de Eletrificação da Nigéria (NEP) para instalar sete minirredes solares. A sétima será instalada no próximo ano. A empresa referiu-se às minirredes como “híbridas solares”, pois utilizam de geração de energia solar ao lado de baterias e geração de energia utilizando biomassa, sendo esta última caracterizada pela gaseificação de resíduos de cascas de arroz. A Husk declarou que pretende expandir seu programa de mini-grids em vários estados da Nigéria até 2024. (PV Magazine –08.12.2021)

<topo>

 

 

Tecnologias e Soluções Digitais

1 ConnectDER recebe financiamento do estado de Nova York para desenvolver soluções de REDs

ConnectDER, empresa que permite que concessionárias e proprietários de residências expandam o acesso a recursos energéticos distribuídos (REDs), recebeu um financiamento de US$ 1,5 milhão da Autoridade de Pesquisa e Desenvolvimento Energético do Estado de Nova York (NYSERDA). O financiamento ajudará a empresa a desenvolver e produzir seus adaptadores de medidor, que permitem a interconexão universal, rápida e de baixo custo de energia e dados para REDs, como energia solar, armazenamento de energia e veículos elétricos. A ConnectDER também está desenvolvendo um novo monitor de inversor e dispositivo de controle (IMC), permitindo que as concessionárias gerenciem REDs com segurança, especificamente sistemas fotovoltaicos de maneira segura e de baixo custo. (Eletric Energy Online– 08.12.2021)

<topo>

2 Indiana Michigan Power buscar instalar medidores inteligentes em Fort Wayne

A Indiana Michigan Power (I&M), concessionária de energia, está em processo de instalação de medidores inteligentes em Fort Wayn. A meta da empresa é instalar 195 mil medidores até o final de 2022. Desde setembro, as equipes da I&M já instalaram cerca de 30 mil medidores inteligentes na área. A I&M lançou uma forte campanha de marketing utilizando mídia social, rádio, outdoor e anúncios em jornais para informar e educar os clientes sobre os dispositivos. As autoridades também estão em comunicação direta com os residentes da área de Fort Wayne sobre quando, especificamente, podem esperar que sua instalação ocorra. (Daily Energy Insider–10.12.2021)

<topo>

3 Reino Unido: UK Power Networks faz parceria com a GE Digital em projeto de subestação inteligente

A GE Digital (companhia que lida com dados industriais) anunciou uma parceria com a UK Power Networks (operadora de distribuição) em um projeto de subestação inteligente. O projeto, conhecido como Constellation, visa otimizar a utilização da rede de distribuição para facilitar o aumento da geração de energia renovável em todo o Reino Unido. O projeto terá computadores poderosos instalados em uma série de subestações, transformando-os em subestações inteligentes. Para fazer isso, o Constellation aproveitará os avanços na engenharia de software, machine learning e otimização do sistema para tornar as subestações interoperáveis e seguras. (Eletric Energy Online– 10.12.2021)

<topo>

4 AES lança robô pioneiro para acelerar a construção de usinas de energia solar

A AES Corporation, empresa global de consultoria em energia, lançou no dia 09/12 um robô de instalação solar, chamado Atlas. O Atlas representa um grande avanço na tecnologia de energia solar, tornando-a mais rápida, eficiente e aumentando a segurança para a construção de novas instalações solares. O robô foi projetado pela AES por meio de um processo de inovação e desenvolvido em cooperação com a Calvary Robotics (companhia especializada em robótica) e outros parceiros. O novo robô Atlas da AES permite a implantação rápida de novos recursos solares em escala para ajudar a atender à demanda por energias mais sustentáveis. Isto é feito através de inteligência artificial e outras ferramentas. (Eletric Energy Online – 09.12.2021)

<topo>

5 O mercado de digitalização da distribuição e varejo de energia pode atingir US$ 33,4 bilhões em 2030

A digitalização da distribuição de energia, processos de varejo e infraestrutura continuará na próxima década e transformará o setor de energia, de acordo com um novo relatório emitido pela Frost & Sullivan, companhia de pesquisa e consultoria. O relatório afirma que os gastos com ferramentas digitais nas indústrias de distribuição e varejo de energia aumentarão em 10,5%, de US$ 12,33 bilhões em 2020 para US$ 33,42 bilhões em 2030. As três áreas principais que as concessionárias têm como objetivo aprimorar os processos implantando soluções avançadas são: serviços ao cliente, operações de rede otimizadas e negócios conectados e integrados. Espera-se que a América do Norte, Europa e América Latina dominem o mercado. (Eletric Energy Online– 10.12.2021)

<topo>

 

 

Segurança Cibernética

1 Brasil: Ministério da saúde sofre ataque cibernético, afetando site e plataforma do SUS

Brasil: Ministério da saúde sofre ataque cibernético, afetando site e plataforma do SUS No dia 09 de dezembro, o site e o aplicativo ConecteSUS do Ministério da Saúde sofreram um ataque cibernético realizado pelo grupo Lapsus$. O ataque chamou a atenção de especialistas, que apontam que, em geral, os ataques cibernéticos podem ser um alerta para governos e instituições. O alerta surge do fato de que os ataques costumam ser realizados pela falta de uma estratégia de segurança adequada e por erros humanos. Já existem vulnerabilidades públicas das quais os criminosos se aproveitam. Por isso, a importância de se ter mecanismos de segurança preventivos como patches virtuais para este tipo de infraestrutura, bem como backups atualizados dos sistemas e dados. (Infor Channel– 13.12.2021)

<topo>

2 Austrália: Ataque cibernético à CS Energy quase afetou acesso a eletricidade de 3 milhões de residências

A CS Energy, companhia australiana geradora de energia elétrica, foi atingida por um ataque ransomware, que se acredita ter sido obra de hackers chineses. Devido ao ataque, milhões de casas ficaram a poucos instantes de ficar sem eletricidade. O ataque ocorreu no dia 27 de novembro, no que o CEO da CS Energy descreveu como uma “tendência crescente” e preocupante. De acordo com o Daily Telegraph, jornal australiano de referência, o ataque foi interrompido no último minuto antes que tivesse o potencial de desligar duas grandes usinas termelétricas a carvão. Se o ataque tivesse sido bem-sucedido, 3500 megawatts de energia teriam sido retirados da rede. O valor é o suficiente para abastecer entre 1,4 e 3 milhões de residências. (The West Australian– 07.12.2021)

<topo>

 

 

Artigos e Estudos

1 Estudo: “The Green Jobs Advantage: How Climate-friendly Investments Are Better Job Creators”

Com a pandemia do coronavírus, o desemprego global foi equivalente a 127 milhões de empregos em tempo integral no segundo trimestre de 2021. Com esse panorama associado aos efeitos das mudanças climáticas, investir em energia limpa é uma decisão óbvia. Essa é a conclusão do estudo realizado pela World Resources Institute (WRI). De acordo com a pesquisa, a energia limpa e outros investimentos verdes geralmente criam mais empregos no curto prazo do que investimentos não sustentáveis. Por exemplo, investir em energia solar fotovoltaica cria em média 1,5 vezes mais empregos do que investir a mesma quantidade de dinheiro em combustíveis fósseis. Além disso, a restauração do ecossistema também cria 3,7 vezes mais empregos do que a produção de petróleo e gás por dólar. Para ter acesso ao relatório íntegra, clique aqui. (World Economic Forum – 08.12.2021)

<topo>

2 Relatório: “Least-Cost Pathway for India’s Power System Investments through 2030”

De acordo com o Laboratório Nacional Lawrence Berkeley do Departamento de Energia dos EUA (Berkeley Lab), reduções drásticas nos custos de armazenamento de energia em bateria, energia eólica e solar posicionam a Índia mais próxima de ter um sistema mais sustentável. O país passou a fornecer energia acessível e confiável, com o objetivo de atender quase o dobro da demanda de eletricidade até 2030. A Índia estabeleceu metas ambiciosas de energia limpa para reduzir a poluição e combater as mudanças climáticas, ao mesmo tempo em que atende ao aumento da eletricidade exigida. Nesse cenário, o país se comprometeu a instalar 175 GW de capacidade de energia renovável até 2022 e aumentar para 500 GW de capacidade de eletricidade não fóssil até 2030. Para ter acesso ao relatório completo na integra clique aqui. (Baerkeley Lab – 09.12.2021)

<topo>

3 Relatório: “Italy’s deployment of wind and solar has stagnated”

A Itália está muito atrás de outras grandes economias da União Europeia no que diz respeito à descarbonização da economia. A análise da Ember (grupo independente sobre clima e energia, e da ECCO (empresa de consultoria energética) mostrou que a Itália pretende alcançar uma participação de 55% de energias renováveis em sua matriz elétrica até 2030. Além disso, o documento observou que a meta de energia eólica e solar da Itália para 2030 é de apenas 34% do consumo, percentual menor comparado ao de outros países. De 2015 a 2020, a Itália instalou menos de 2 GW de capacidade eólica e 3GW de capacidade solar. Em 2020, a energia eólica e solar representaram apenas 16,5% da produção de eletricidade da Itália. Para ter acesso ao relatório na íntegra, clique aqui. (Renews Biz – 09.12.2021)

<topo>

4 Relatório: “Remodeling the future: How energy transition is driving new models in energy and utilities”

De acordo com o relatório publicado pelo Instituto de Pesquisa Capgemini, as empresas de energia e serviços públicos que implementaram modelos de energia limpa estão obtendo vários benefícios. O estudo concluiu que os novos modelos de energia estão transformando todo o setor, porém, ainda são poucas as empresas que possuem uma estratégia de negócios focada em novas fontes de energias. As emissões de gases de efeito estufa (GEE) relacionados à energia contribuem com mais de 73% das emissões globalmente. Mitigá-las é, para quase 70% das empresas analisadas pela Capgemini, o motor que as impulsiona para novas formas de fazer negócios. Além disso, 63% das empresas citam a demanda dos investidores como o principal impulsionador da transformação. Para ter acesso ao relatório na íntegra, clique aqui. (Energías Renovables – 10.12.2021)

<topo>

5 Relatório: “Perspectivas de la transición energética mundial: camino de 1.5 ?”

O relatório publicado pela IRENA descreve um caminho para que o mundo possa atingir as metas do Acordo de Paris e interromper o ritmo das mudanças climáticas. O estudo apresenta alternativas para limitar o aumento da temperatura global a 1,5 °C e neutralizar as emissões de CO2 até 2050. O estudo também fornece informações sobre opções de tecnologia, necessidades de investimento, estrutura política e impactos socioeconômicos para alcançar um ambiente sustentável e resiliente. Segundo a IRENA, mais de 90% das soluções que moldam um resultado bem-sucedido em 2050 estão relacionadas à energia renovável. No entanto, trazer as tecnologias da transição energética aos níveis necessários e a uma velocidade compatível com a meta de 1,5°C requer políticas e medidas específicas. Para ter acesso ao relatório na íntegra, clique aqui. (IRENA – 10.12.2021)

<topo>


Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Lorrane Câmara e Luiza Masseno
Pesquisadores:
Cristina Rosa, Matheus Balmas e Pedro Barbosa
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

As notícias divulgadas no IFE não refletem necessariamente os pontos da UFRJ. As informações que apresentam como fonte UFRJ são de responsabilidade da equipe de pesquisa sobre o Setor Elétrico, vinculada ao NUCA do Instituto de Economia da UFRJ.

POLÍTICA DE PRIVACIDADE E SIGILO
Respeitamos sua privacidade. Caso você não deseje mais receber nossos e-mails,  Clique aqui e envie-nos uma mensagem solicitando o descadastrado do seu e-mail de nosso mailing.


Copyright UFRJ

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: