IFE.ME 87

Informativo Eletrônico – Mobilidade Elétrica nº 87 – publicado em 14 de dezembro de 2021.

IFE: Informativo Eletrônico de Mobilidade Elétrica – GESEL-UFRJ <!–

l

IFE: nº 87 – 14 de dezembro de 2021
http://gesel.ie.ufrj.br/
gesel@gesel.ie.ufrj.br

Editor: Prof. Nivalde J. de Castro

Índice

Políticas Públicas e Regulatórias
1
Distrito Federal: Aprovado PL que concede isenção de IPVA para VEs
2 São Paulo: Ônibus elétrico articulado BYD é aprovado
3 Campinas: Audiências para eletrificação do transporte público em 2022
4 Fortaleza: Cadastramento do primeiro táxi 100% elétrico
5 Canadá: Ameaça comercial aos EUA em resposta ao plano de Biden para VEs
6 Nova York: Cidade está negociando centenas de VEs com a Tesla
7 Berlim: BVG encomenda 90 ônibus elétricos
8 EUA: CARB aprova regulamentos exigindo que a maioria dos pequenos motores off-road tenham emissão zero em 2024

Inovação e Tecnologia
1 Mercedes-Benz: Anúncio do seu novo VE movido a energia solar
2 Volvo/Northvolt: Parceria para construção de centro de desenvolvimento e fabricação de baterias
3 EUA: Planos para construção de estradas com carregamento sem fio
4 Stellantis: Desenvolvimento de indução dinâmica promete carregar VEs sem fios
5 Stellantis: Estratégia de eletrificação e desenvolvimento de softwares
6 Denso: Nova tecnologia de carregamento de VEs entra em fase de testes

Indústria Automobilística
1 Brasil: Vendas de VEs triplicam em 2021
2 BYD: Rede de 35 concessionárias no Brasil até o fim de 2022
3 VW e-Delivery: Expansão para mercados externos da América Latina

4 VW: Aumento de investimentos em sua estratégia de eletrificação

5 VW: Parcerias com três empresas para desenvolvimento de baterias

6 Stellantis: Previsão de crescimento do mercado brasileiro em 2022

7 Toyota: Anúncio de nova plataforma para VEs e híbridos

8 Toyota: Construção de fábrica de baterias para VEs nos EUA
9 BMW: Estratégias de eletrificação
10 Mercedes: Plano de investimentos em VEs até 2026
11 Peugeot: Meta de 100% de vendas de VEs em 2030 na Europa
12 Lamborghini terá seu 1° carro elétrico entre 2027 e 2028
13 Bridgestone: Novos serviços para a eletromobilidade

14 GM: Investimento robusto em novas fábricas voltadas para VEs nos EUA

15 GM/VAC: Nova fábrica de ímãs nos EUA para apoiar o crescimento de VEs

Meio Ambiente
1 Biden quer tornar governo dos EUA neutro em carbono até 2050
2 GM: Compromisso com iniciativa para uma cadeia de suprimentos sustentável
3 Reino Unido: TfN lança estratégia regional de descarbonização do transporte
4 Volvo irá incentivar descarbonização dos ônibus na América Latina

5 Diversos ônibus escolares norte-americanos serão convertidos para elétricos

Outros Artigos e Estudos
1 National Electric Highway Coalition: Construção de rede nacional de carregamento rápido para VEs nos EUA até o final de 2023
2 Intel: Mobileye se tornará pública em 2022
3 Reino Unido: VEs ocupam quase 20% do mercado de carros novos em novembro


 

 

Políticas Públicas e Regulatórias

1 Distrito Federal: Aprovado PL que concede isenção de IPVA para VEs

A Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) aprovou, nesta quarta-feira (8/12), o projeto de lei que concede isenção do Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA). A medida, que pode ser um estímulo à compra de veículos elétricos do DF, segue para sanção do governador Ibaneis Rocha (MDB). O substitutivo aos PLs nº 220/2015, do deputado Rafael Prudente (MDB), nº 463/2019, do deputado Eduardo Pedrosa (DEM), e nº 1.388/2020, do deputado Rodrigo Delmasso (Republicanos), foi aprovado em segundo turno, com 17 votos favoráveis. O texto aprovado informa que a isenção do IPVA será concedida aos “automóveis movidos a motor elétrico, inclusive denominados híbridos, movidos a motores a combustão e, também, a moto elétrico”. (Correio Braziliense – 09.12.2021)

<topo>

2 São Paulo: Ônibus elétrico articulado BYD é aprovado

A BYD disponibilizou o primeiro ônibus elétrico articulado do Brasil para ser avaliado pela SPTrans, gerenciadora de transportes da cidade de São Paulo. O veículo foi submetido aos itens e normas previstos nos Manuais de Padrões Técnicos de Veículos e teve os requisitos aprovados. O ônibus elétrico modelo D11B, com chassi fabricado em Campinas (SP), já passou pelos requisitos de frenagem, tempo de carga do sistema pneumático, aceleração e outros pontos que dizem respeito ao desempenho. Entre os diferenciais, o modelo BYD D11B possui baterias de fosfato ferro lítio, fabricadas na planta de Manaus, com autonomia para rodar até 250 km com uma carga completa. O tempo de recarga média é de até 3 horas (de 0% a 100%). Os ônibus articulados elétricos foram desenvolvidos pela engenharia da BYD no Brasil e já estão entrando em funcionamento em corredor exclusivo na cidade de São José dos Campos, no interior de São Paulo. O modelo testado nas ruas de São Paulo tem 22 metros de comprimento e capacidade para atender 170 passageiros. Um ônibus elétrico articulado reduz a emissão em mais de 184 toneladas de gás carbônico na atmosfera. (Inside EVs – 09.12.2021)

<topo>

3 Campinas: Audiências para eletrificação do transporte público em 2022

A Empresa Municipal de Desenvolvimento (Emdec) de Campinas (SP) prevê para o início de 2022 a realização das audiências públicas necessárias para discutir com a população o novo projeto de concessão do transporte público municipal. Dentre as bases do novo edital está a implantação de 85 ônibus elétricos já no primeiro ano de concessão, além da queda gradual de carros movidos a diesel, que começam sendo 546. Segundo a apresentação da Emdec, após quatro anos de concessão, a expectativa é que Campinas tenha 309 ônibus elétricos em circulação, e 306 que usam diesel. A empresa projeta que o número de usuários do transporte público seja de 88 milhões em 2022. Em 2019, o número de passageiros ficou em 98 milhões. O projeto também prevê criação de uma estação central de recarga e de uma unidade de geração elétrica solar, além do incentivo à adoção de combustível limpo. (G1 – 09.12.2021)

<topo>

4 Fortaleza: Cadastramento do primeiro táxi 100% elétrico

A Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor) cadastrou o primeiro veículo que funciona exclusivamente por eletricidade para o serviço de táxi da Cidade. O registro aconteceu na última quarta-feira, 9. O meio de transporte 100% elétrico dispensa a utilização de combustíveis fósseis e contribui para o meio ambiente de forma a não emitir ruídos e poluentes por meio do cano de descarga, como acontece nos veículos comuns. Segundo a Prefeitura, Fortaleza conta com 6.101 veículos cadastrados como táxi, dos quais 39 já são veículos híbridos. (O Povo – 11.12.2021)

<topo>

5 Canadá: Ameaça comercial aos EUA em resposta ao plano de Biden para VEs

O Canadá ameaçou impor tarifas sobre produtos norte-americanos, bem como suspender partes de um acordo comercial histórico, se Washington continuar com sua proposta de favorecer os VEs feitos nos Estados Unidos com mão de obra sindicalizada. Em uma carta aos senadores americanos, a vice-primeira-ministra canadense, Chrystia Freeland, escreveu que Ottawa está “profundamente preocupada” com a proposta de alívio fiscal do presidente Joe Biden para VEs como parte de seu projeto “Build Back Better”, que violaria o acordo comercial entre Estados Unidos, México e Canadá. A redução de impostos proposta é equivalente a 34% da tarifa sobre veículos elétricos montados no Canadá, disse Freeland, e aplicá-la é “uma ameaça significativa para a indústria automobilística canadense e é uma revogação do acordo do USMCA”. A proposta, favorece a produção americana ao oferecer uma vantagem tributária maior para os carros elétricos produzidos por mão de obra sindicalizada, bem como a eliminação progressiva de VEs importados após cinco anos. México e Canadá argumentam que isso ameaça a cadeia de suprimentos integrada na América do Norte, viabilizada pelo USCMA, acordo firmado em 2020 após longas negociações. Se a medida for aprovada, Freeland afirmou que o Canadá, por sua vez, deverá impor novas tarifas retaliatórias à indústria automobilística dos Estados Unidos e a outros setores econômicos. Freeland acrescentou que uma lista de produtos americanos que podem ser alvos de novas tarifas será publicada nos próximos dias. (Isto É – 10.12.2021)

<topo>

6 Nova York: Cidade está negociando centenas de VEs com a Tesla

A cidade de Nova York está propondo atualmente um contrato para comprar uma frota de veículos Model 3 da Tesla. Isso criaria uma frota de centenas de carros elétricos para a cidade. O contrato proposto foi revelado por meio de edital de audiência pública obtido pela Electrek. O contrato proposto será discutido em audiência pública em 16 de dezembro de 2021. O número de veículos Modelo 3 envolvidos no contrato não foi divulgado, mas se o valor da frota gira em torno de $ 12.360.000, deve ser entre 200 e 300 veículos elétricos. Não está claro para que os veículos Tesla serão usados pela cidade, mas Nova York opera uma grande frota de veículos em muitos departamentos. (Electrek – 09.12.2021)

<topo>

7 Berlim: BVG encomenda 90 ônibus elétricos

O conselho fiscal da Berliner Verkehrsbetriebe (BVG) deu sinal verde para a compra de mais 90 ônibus elétricos. Os veículos são monoplanos com bateria de 12 metros de comprimento, que serão carregados no depósito. O vencedor ou vencedores do processo serão anunciados após o período de objeção legalmente exigido ter expirado – portanto, ainda não está claro de qual fabricante os veículos foram encomendados. Como escreve o “Tagesspiegel”, o pedido teria ido para o fabricante holandês de ônibus elétricos e infraestrutura de carregamento Ebusco. Seria o primeiro pedido da BVG com a Ebusco. O orçamento aprovado para 90 novos veículos, incluindo a infraestrutura de carregamento necessária, é de cerca de 65 milhões de euros no total. A entrega de todos os ônibus está prevista para o final de 2022. Isso aumentará a frota da BVG para 228 ônibus elétricos. (Electrive – 10.12.2021)

<topo>

8 EUA: CARB aprova regulamentos exigindo que a maioria dos pequenos motores off-road tenham emissão zero em 2024

O California Air Resources Board aprovou uma medida que exigirá que a maioria dos pequenos motores off-road fabricados recentemente, como aqueles encontrados em sopradores de folhas, cortadores de grama e outros equipamentos, tenham emissão zero a partir de 2024. Geradores portáteis, incluindo aqueles em veículos recreativos, seriam obrigados a cumprir padrões mais rigorosos em 2024 e padrões de emissão zero a partir de 2028. A categoria de motores off-road pequenos consiste em motores off-road de ignição por centelha que produzem 19 kW de potência bruta ou menos (25 cavalos de potência ou menos). O novo requisito, uma alteração aos regulamentos existentes para pequenos motores off-road do CARB adotados pela primeira vez em 1990, se aplica aos fabricantes e terá impacto sobre novos equipamentos (modelo ano 2024 e posteriores) apenas. Os californianos podem continuar a operar seus atuais equipamentos movidos a gasolina em conformidade com CARB; não haverá proibição de usar modelos mais antigos ou equipamentos usados adquiridos no futuro. Modelos mais antigos nas prateleiras das lojas também podem ser comprados, mesmo que sejam movidos a gasolina. (Green Car Congress – 11.12.2021)


<topo>

 

 

Inovação e Tecnologia

1 Mercedes-Benz: Anúncio do seu novo VE movido a energia solar

A Mercedes-Benz anunciou seu novo carro movido a energia solar no estilo off-road, o Maybach. A empresa afirma que o projeto conta com um design incomum, que não é semelhante a nada que já tenha produzido antes. O carro movido a energia solar foi elaborado do zero, com funcionalidades todas voltadas à sustentabilidade, contando com 6 metros de comprimento, com um capô transparente, onde ficam os painéis de energia solar que alimentam as suas baterias. O VE foi criado para ser um modelo de exibição, com espaço para dois ocupantes, inspirado pelas grandes paisagens off-road ao redor do mundo. O carro movido a energia solar estava previsto para ser apresentado durante a Miami Art Week, que aconteceu até o dia 5 de dezembro. (Click Petróleo e Gás – 06.12.2021)

<topo>

2 Volvo/Northvolt: Parceria para construção de centro de desenvolvimento e fabricação de baterias

A Volvo Cars e a Northvolt abrirão um centro conjunto de pesquisa e desenvolvimento (P&D) em Gotemburgo como parte de um investimento US $ 3,3 bilhões no desenvolvimento e fabricação de baterias. O centro de P&D, que entrará em operação em 2022, criará algumas centenas de empregos em Gotemburgo e posicionará a Volvo Cars como uma das marcas automotivas, tornando o desenvolvimento e a produção de células de bateria parte de suas capacidades de engenharia de ponta a ponta. Após a parceria anunciada por ambas as empresas no início deste ano, a Volvo Cars e a Northvolt assinaram agora um acordo vinculativo para criar uma joint venture para o desenvolvimento e produção sustentável de baterias para a próxima geração de carros totalmente elétricos da Volvo. O centro de P&D estará próximo às próprias operações de P&D da Volvo Cars e ao campus de inovação existente da Northvolt, Northvolt Labs em Västerås, Suécia, garantindo sinergias e eficiências à medida que desenvolve tecnologias de bateria. A parceria se concentrará no desenvolvimento de baterias feitas sob medida para dar aos motoristas da Volvo o que eles desejam, como autonomia e tempos de carregamento rápidos. A Volvo Cars está trabalhando com a Northvolt para criar um sistema de ponta a ponta para baterias, por meio do qual ela própria desenvolve e fabrica as baterias. (Green Car Congress – 11.12.2021)

<topo>

3 EUA: Planos para construção de estradas com carregamento sem fio

Em julho, o Departamento de Transportes do Estado de Indiana e a Universidade de Purdue anunciaram planos para desenvolver o primeiro trecho de rodovia de concreto com carregamento sem fio. O projeto está sendo assumido por um centro de pesquisa de engenharia denominado Aspire, iniciais em inglês de Promoção da Sustentabilidade por meio de Infraestrutura Elétrica para a Eletrificação de Estradas. De acordo com Dionysios Aliprantis, professor da Escola Familiar Elmore de Engenharia Elétrica e de Computação em Purdue, a transmissão é feita por uma placa com cerca de 3,6 metros de comprimento por 1,2 m de largura instalada a alguns centímetros da superfície, com bobinas conectadas à rede elétrica. A rede seria formada com a instalação de vários desses transmissores, de modo a permitir uma transferência contínua de energia. Já o receptor ficaria na parte inferior do automóvel. As estimativas de custo para eletrificar estradas em ambas as direções variam de US$ 1,1 milhão a US $ 2,8 milhões por quilômetro. (Terra – 11.12.2021)

<topo>

4 Stellantis: Desenvolvimento de indução dinâmica promete carregar VEs sem fios

Recentemente, o grupo inaugurou o “Arena Del Futuro”, um circuito em que, em colaboração com outros parceiros, visa testar o carregamento de veículos elétricos (VEs) por indução dinâmica. A tecnologia chama-se DWPT (Dynamic Wireless Power Transfer) e está, por agora e ainda em fase de testes. Segundo a Stellantis, esta tecnologia pode ser adaptada a todos os carros elétricos equipados com um “receptor” especial que transfere a energia procedente da estrada para a bateria. Segundo Anne-Lise Richard, Head of the Global e-Mobility Business Unit da Stellantis, esta é “uma solução de vanguarda que dá uma resposta concreta aos desafios de autonomia e de carregamento que preocupam os clientes”. O projeto da tecnologia DWPT ajudará a Stellantis a cumprir os seus objetivos de eletrificação, diz o grupo. (Fleet Magazine – 08.12.2021)

<topo>

5 Stellantis: Estratégia de eletrificação e desenvolvimento de softwares

Assim como tem acontecido com outras montadoras, como a General Motors e a Volkswagen, a Stellantis entrou nesta terça-feira (7) para o grupo das fabricantes de veículos que também passam a ser empresas de software. A companhia pretende até 2026 gerar US$ 23 bilhões em receitas com serviços e sistemas no mundo. O planejamento da empresa envolve o desenvolvimento de três plataformas veiculares que tenham em sua construção sistemas de inteligência artificial. Serão elas a STLA Brain, STLA SmartCockpit e a STLA AutoDrive. A companhia não entrou em detalhes a respeito das aplicações, mas se considerarmos os nomes divulgados é possível cogitar que o Brain será uma espécie de controle central que gerencia todos os demais sistemas; de entretenimento e serviços (Cockpit) e de direção autônoma (AutoDrive). (Automotive Business – 07.12.2021)

<topo>

6 Denso: Nova tecnologia de carregamento de VEs entra em fase de testes

A Denso vai começar a testar a nova tecnologia de infraestrutura de carregamento de veículos elétricos integrados no próximo ano, que pode recarregar veículos enquanto eles estão parados no trânsito. A empresa de componentes automotivos e tecnologia já está realizando testes de demonstração colaborativos na indústria e na academia e, a partir de 2022, começará gradualmente mais testes para uso em suas próprias fábricas nos próximos três anos, antes de quaisquer projetos de infraestrutura de estradas públicas em potencial. A empresa acredita que a instalação de tecnologia de carregamento nas próprias estradas ajudará a resolver o problema de longo prazo da infraestrutura de carregamento público, que pode ter dificuldade em acompanhar o número de VEs que eventualmente estarão nas estradas. Keisuke Tani, um engenheiro da Divisão de Engenharia de Sistemas de Eletrificação da Denso, disse: “Os dispositivos de carregamento estão embutidos na estrada e fornecem eletricidade aos veículos quando eles passam ou param nos dispositivos”. Tani disse que a tecnologia é vantajosa quando se dirige na cidade, onde em áreas movimentadas muitos veículos passam metade do tempo parados no semáforo vermelho ou em repouso devido ao congestionamento. (Smart Transport – 07.12.2021)

<topo>

 

 

Indústria Automobilística

1 Brasil: Vendas de VEs triplicam em 2021

O total de veículos eletrificados vendidos no Brasil em 2021 até novembro já superou a marca dos 30 mil, segundo o Renavam (Registro Nacional de Veículos Automotores do Ministério de Infraestrutura). Foram 3.505 eletrificados emplacados só em novembro de 2021 e 30.445 desde janeiro, estabelecendo mais um novo recorde de vendas de automóveis e comerciais leves desse segmento no mercado doméstico brasileiro. Os números de novembro alcançaram o recorde histórico de 2,1% de market share sobre as vendas domésticas totais do mês no mercado brasileiro (161.027, segundo a Fenabrave). O resultado de novembro também é 26% superior ao de outubro deste ano (2.787) e 57% superior ao de novembro de 2020 (2.231). Já os 30.445 eletrificados de janeiro a novembro representam 1,7% do market share total do período (1.780.906-Fenabrave). (ABVE – 06.12.2021)

<topo>

2 BYD: Rede de 35 concessionárias no Brasil até o fim de 2022

Poucos dias após apresentar o SUV elétrico BYD Tan, a marca chinesa divulga que está trabalhando para montar uma rede com 35 concessionárias espalhadas pelas principais cidades do país até o fim de 2022. Nessas futuras concessionárias BYD, o cliente poderá, além de adquirir os veículos da marca, comprar toda a solução para carregamento com energia solar fotovoltaica. O grupo EuroBike foi nomeado a primeira concessionária da BYD Brasil, no segmento de veículos elétricos. A unidade ficará em São Paulo (SP) em uma das principais vias de comercialização de veículos premium da capital paulista, a Avenida Europa. Com início de operações previsto para o primeiro semestre de 2022, o grupo posteriormente abrirá concessionárias também em Ribeirão Preto e Brasília. Porém, já está prevista a expansão da rede e outras concessionárias devem ser anunciadas em um curto espaço de tempo. (Inside EVs – 06.12.2021)

<topo>

3 VW e-Delivery: Expansão para mercados externos da América Latina

O VW e-Delivery, primeiro caminhão elétrico projetado no Brasil que começou a ser produzido pela Volkswagen Caminhões e Ônibus (VWCO) em Resende (RJ), também já está rodando em testes no exterior. As primeiras unidades foram embarcadas para México, Argentina e Uruguai, onde começam a ser desenvolvidas as primeiras avaliações e adaptações do modelo para mercados externos. “Mas já temos mais planos”, assegura Roberto Cortes, presidente da VWCO. “Demos início à fase de testes internacionais junto a importadores na América Latina para preparar a chegada comercial do Volkswagen e-Delivery nesses mercados. Vamos enviar unidades para outros países para que estabeleçam um programa de avaliação, para que se familiarizem com a tecnologia e seus resultados operacionais”, explica Cortes. Segundo o executivo, é grande o interesse pelo e-Delivery em outros países, apesar do preço quase três vezes maior do que o modelo equivalente a diesel. Mas Cortes sublinha que as exportações vão acontecer gradualmente e a prioridade é atender o mercado brasileiro, começando pelos estados de São Paulo e Rio de Janeiro, para depois expandir a oferta a outras localidades, que vão precisar se preparar melhor para receber o caminhão elétrico. (Automotive Business – 09.12.2021)

<topo>

4 VW: Aumento de investimentos em sua estratégia de eletrificação

Além da remodelação executiva, o Grupo VW anunciou atualizações significativas em sua estratégia de eletrificação, prometendo aumentar as despesas de capital e os custos de desenvolvimento de produtos para e-mobilidade em quase 50%, para € 52 bilhões (US$ 59 bilhões) até 2026. Do total de investimentos de € 159 bilhões (US$ 179 bilhões) alocados para os próximos cinco anos, 56% ou € 89 bilhões (US$ 100 bilhões) serão para investimentos voltados para o futuro, principalmente em mobilidade elétrica, hibridização e digitalização. Outra grande decisão do Grupo VW é eletrificar mais fábricas europeias para atingir seu objetivo de se tornar líder do mercado global em mobilidade elétrica até 2025. (Inside EVs – 10.12.2021)

<topo>

5 VW: Parcerias com três empresas para desenvolvimento de baterias

A Volkswagen anunciou parcerias distintas com três empresas para avançar no segmento de produção de baterias. São elas: Umicore, 24M e Vulcan. A belga Umicore é uma fornecedora de materiais para baterias. A parceria com ela servirá para abastecer as fábricas de baterias europeias da Volks com materiais para cátodos. Com esse fornecimento assegurado, a montadora espera começar uma produção de 20 GWh em Salzgitter, na Alemanha, em 2025, e chegar a 160 GWh até o fim da década, o que seria capacidade suficiente para produzir 2,2 milhões de VEs. Segundo a Volks, a parceria com a Umicore também incluirá a extração sustentável de materiais para as baterias, um modelo de trabalho para desenvolvimento de novas tecnologias e a inclusão, no futuro, de medidas para reciclagem das peças. A startup americana 24M, oriunda do MIT, receberá um investimento da Volks cujo valor não foi revelado. Ela desenvolveu uma tecnologia de íon-lítio semissólido que substitui o revestimento seco e, como consequência, permite um barateamento no custo da produção das baterias. Isso inclui uma área menor de produção, menor pegada de carbono e maior eficiência na reciclagem. Por fim, a Vulcan é uma fornecedora de lítio alemã. O contrato com a Volks prevê o fornecimento de hidróxido de lítio para a montadora por um período de cinco anos a partir de 2026. A grande novidade apresentada pela Vulcan é que ela está desenvolvendo uma tecnologia para zerar as emissões da extração de lítio no Vale do Alto Médio Reno, que é de onde sairá o insumo fornecido para a Volks. (Automotive Business – 08.12.2021)

<topo>

6 Stellantis: Previsão de crescimento do mercado brasileiro em 2022

Em seu primeiro ano de existência após a fusão entre FCA e PSA, o Grupo Stellantis apurou no Brasil e na América do Sul um de seus melhores desempenhos globais, devendo fechar 2021 com lucratividade (no primeiro semestre o lucro operacional registrado foi de € 326 milhões equivalente a margem de 6,6% sobre o faturamento) e mais de 800 mil veículos vendidos na região, acima de 600 mil deles só no mercado brasileiro, onde quatro marcas da empresa – a líder Fiat à frente de Jeep, Peugeot e Citroën – tomaram 32% das vendas este ano. Para Antonio Filosa, presidente da operação sul-americana, isso foi só o começo, ele prevê que é possível ir mais além em 2022. “Não vejo porque pensar em um mercado no Brasil menor do que 2,4 milhões [de veículos leves] em 2022, que nasce melhor do que 2021; e nós plantamos as sementes para crescer mais com todos os lançamentos que fizemos e ainda vamos fazer”, avalia Antonio Filosa. O executivo credita parte do bom desempenho a uma administração mais eficiente da falta global de semicondutores, o que permitiu parar menos e produzir mais do que os concorrentes. “Somente por causa desse fator nós ganhamos de 2 a 2,5 pontos percentuais de market share este ano”, destaca Filosa. “E com os lançamentos podemos manter esse ganho em 2022”, prevê. (Automotive Business – 10.12.2021)

<topo>

7 Toyota: Anúncio de nova plataforma para VEs e híbridos

A Toyota está envolvida no desenvolvimento de uma nova plataforma chamada E3. Esta nova arquitetura servirá de base para veículos elétricos, híbridos e híbridos plug-in dentro de uma estratégia que aposta em diferentes tipos de propulsão até alcançar o objetivo de zero emissões em 2035 na Europa. Diferente da estratégia de algumas montadoras, que têm desenvolvido plataformas exclusivas para os elétricos, a fabricante japonesa fala em uma jornada rumo à descarbonização “eclética e não elétrica”. Isso reforça a estratégia adotada pela Toyota de apostar nos veículos elétricos, mas também na propulsão a hidrogênio e continuar com carros híbridos e híbridos plug-in. Parece que a ideia da Toyota é trabalhar com uma base comum que permita gradualmente ir aumentando a participação de VEs nas vendas da empresa. Conforme especificado pela marca, a plataforma E3 é uma mescla de componentes das arquiteturas e-TNGA que a Toyota projetou em conjunto com a Subaru, e também da base GA-C, que suporta modelos híbridos e de combustão interna, como o Corolla e o C-HR, assim como o recém-lançado Toyota Corolla Cross. Com este anúncio, a Toyota está se preparando para ter duas plataformas nas quais podem nascer carros elétricos de nova geração, uma “dedicada” e uma que também pode acomodar trens de força híbridos. (Inside EVs – 06.12.2021)

<topo>

8 Toyota: Construção de fábrica de baterias para VEs nos EUA

A Toyota irá construir uma fábrica no valor de US$ 1.29 bilhão na Carolina do Norte, Estados Unidos. A fábrica de baterias para veículos elétricos faz parte de uma ação da empresa para trazer sua cadeia de abastecimento de automóveis elétricos para o EUA. A empresa também irá investir US$ 13.6 bilhões em tecnologia de baterias elétricas para ampliar a eletrificação de seus veículos na próxima década. A produção na nova instalação está programada para iniciar apenas em 2025, de acordo com informações de Chris Reynolds, chefe administrativo para a Toyota Motor na América do Norte. No primeiro ano de funcionamento, a empresa espera produzir mais de um milhão de baterias elétricas para sua linha de veículos. O comitê de investimentos econômicos da Carolina do Norte aprovou inventivo fiscal de US$ 439,7 milhões para incentivar a construção da fábrica. (Mundo Conectado – 07.12.2021)

<topo>

9 BMW: Estratégias de eletrificação

A BMW vai acelerar a sua transição para a mobilidade elétrica com vários lançamentos em 2023. Em 2022, a empresa busca dobrar as vendas em relação a este ano. Até 2025, cerca de dois milhões de veículos puramente elétricos devem estar nas mãos dos clientes. Assume-se que até 2030 pelo menos todos os veículos do BMW Group vendidos serão totalmente elétricos. O comunicado ainda destaca que até 2023 a BMW terá pelo menos um modelo totalmente elétrico em 90% dos segmentos atuais do mercado. No total, o Grupo BMW planeja colocar cerca de 10 milhões de veículos totalmente elétricos ou mais nas ruas nos próximos dez anos. Dentro do Grupo BMW, a marca Mini se tornará exclusivamente elétrica a partir de 2030, algo que havia sido divulgado há algum tempo, mas a novidade agora é que a Rolls-Royce também se tornará uma marca exclusivamente de VEs no mesmo período. (Inside EVs – 07.12.2021)

<topo>

10 Mercedes: Plano de investimentos em VEs até 2026

O conselho da Mercedes deu sinal verde ao ambicioso plano de investimento que a fabricante alemã desenvolveu para o período de cinco anos 2022-2026, a fim de se tornar uma marca exclusivamente elétrica. E não é apenas isso: a Mercedes estabeleceu o objetivo de se tornar uma empresa “livre de emissões” e “orientada por software”. Por essa razão, aprovou a alocação de mais de 60 bilhões de euros que serão utilizados para intensificar as atividades de pesquisa e desenvolvimento, a fim de ampliar a gama de modelos de emissão zero e acelerar a pesquisa tecnológica nos campos da digitalização e da condução autônoma. Ola Kaellenius, CEO da Daimler e da Mercedes-Benz, comentou sobre o sinal verde para o plano: “Nosso objetivo é alcançar a liderança tecnológica no segmento automotivo de luxo e na área de vans premium, mantendo-se fiel às nossas ambiciosas metas de margem operacional”. (Inside EVs – 07.12.2021)

<topo>

11 Peugeot: Meta de 100% de vendas de VEs em 2030 na Europa

A Peugeot anunciou que em 2030 todos os modelos novos vendidos na Europa serão carros elétricos. Com este anúncio feito durante uma entrevista ao Automotive News Europe, a CEO Linda Jackson declarou sua estratégia para o futuro. No entanto, a marca continuará a oferecer modelos de motores a combustão em mercados onde a eletrificação está em um ritmo mais lento. Assim, a Peugeot se junta à lista de marcas Stellantis que anunciaram a transição completa para os veículos elétricos. As outras marcas do grupo como DS, Opel e Alfa Romeo em breve oferecerão apenas modelos movidos a bateria. A Peugeot está entre as marcas mais preparadas para o “grande salto”, já que 70% da sua linha é composta por carros eletrificados. (Inside EVs – 07.12.2021)

<topo>

12 Lamborghini terá seu 1° carro elétrico entre 2027 e 2028

O Lamborghini 100% elétrico chegará em 2027 ou 2028. Segundo o CEO Stephan Winkelmann, a Lamborghini ainda gostaria de continuar vendendo carros com motores a combustão que utilizem combustíveis sintéticos produzidos de forma neutra em carbono. Ele reiterou o plano de ter quatro modelos na linha. “Carros esportivos e dois veículos mais versáteis. E depois de 2030, eles serão diversificados, por isso serão veículos mais utilizáveis diariamente. Então teremos carros totalmente elétricos. Nos supercarros esportivos, planejamos agora fazê-los como híbridos plug-in. Assim, os novos carros serão híbridos plug-in. Os governos nos dirão o que será permitido fazer a partir de 2030.” (Inside EVs – 08.12.2021)

<topo>

13 Bridgestone: Novos serviços para a eletromobilidade

A Bridgestone disponibilizará seu serviço de pneus inteligentes para veículos elétricos de passageiros. Anteriormente, a operação se aplicava apenas a caminhões, equipamentos de mineração e outros veículos comerciais mantidos por empresas. A plataforma de pneus inteligentes monitora veículos por meio de dispositivos de comunicação a bordo. O sistema sugere os melhores horários para encher ou substituir os pneus, analisando os dados em busca de sinais de esvaziamento e desgaste. Além disso, a fabricante japonesa de pneus e autopeças Bridgestone tentará aproveitar o valor de sua rede global de centros de serviços para negociar seu uso por startups de VEs para manutenção e reparos. Segundo o executivo-chefe (CEO) da Bridgestone, Shuichi Ishibashi: “Procuramos possibilitar que os fabricantes de VEs iniciantes usem nossa rede de locais para serviços de vendas e pós-venda”, disse. Nesse cenário, a Bridgestone ocupará dois lugares no fluxo de especialização horizontal. Na posição a montante, a empresa fornecerá pneus. Mais a jusante, a Bridgestone oferecerá espaço para os fabricantes de VEs fornecerem serviços pós-venda. A chave para tornar isso uma realidade é uma rede de aproximadamente 6.100 locais no Japão, Estados Unidos e Europa. Além da Fisker, a Bridgestone estaria em negociações com potenciais parceiros, como a Nio. As startups de carros elétricos supostamente abordaram a Bridgestone para fazer uso de sua rede de pontos de venda também. Na Europa, a Bridgestone está instalando 3.500 carregadores nos próximos cinco anos em 1.100 locais de vendas. (Valor Econômico – 08.12.2021)

<topo>

14 GM: Investimento robusto em novas fábricas voltadas para VEs nos EUA

A General Motors pretende gastar vários bilhões de dólares para iniciar a produção de baterias e picapes elétricas em dois locais em Michigan, dando ao estado natal da empresa um impulso econômico. O investimento total deve ser superior a US $ 4 bilhões. A GM anteriormente gastou US $ 2 bilhões para converter uma fábrica de Detroit para a produção de VEs. Os pedidos de incentivos apresentados à cidade de Lansing mostraram que a GM e a LG preveem investir US $ 2,5 bilhões na fábrica de baterias e criar 1.700 empregos lá. O investimento seria uma vitória para Michigan, enquanto as montadoras correm para começar a fabricar baterias e veículos elétricos em grandes volumes. Várias fábricas estão planejadas para os estados do sul. (New York Times – 10.12.2021)

<topo>

15 GM/VAC: Nova fábrica de ímãs nos EUA para apoiar o crescimento de VEs

A GM e a Vacuumschmelze (VAC) da Alemanha anunciaram planos para a VAC construir uma fábrica nos EUA que irá fabricar ímãs permanentes para os motores elétricos usados no GMC HUMMER EV, Cadillac LYRIQ, Chevrolet Silverado EV e mais de uma dúzia de outros modelos usando GM’s Plataforma Ultium. A nova fábrica planeja usar matérias-primas de origem local. Como a Divisão de Ímã Permanente da VAC é o único produtor em escala industrial de ímãs permanentes de terras raras no Hemisfério Ocidental, a VAC traz escala confiável e experiência para a cadeia de suprimentos da GM. A fábrica deve iniciar a produção em 2024 e criar centenas de novos empregos. A localização das instalações será anunciada posteriormente. Os ímãs acabados serão entregues às instalações que constroem motores para EVs movidos a Ultium da GM. “Estamos entusiasmados em unir forças com a GM nesta jornada em um mundo cada vez mais eletrificado, alavancando soluções de energia limpa sustentável”, afirmou a VAC em nota. (Green Car Congress – 10.12.2021)

<topo>

 

 

Meio Ambiente

1 Biden quer tornar governo dos EUA neutro em carbono até 2050

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, assinou na quarta-feira (8) uma ordem executiva para reforçar o combate às mudanças climáticas na administração pública. Com o decreto, o governo federal quer cortar suas emissões de carbono em 65% até o fim da década e zerá-las nos 20 anos seguintes. Com as novas medidas, a atividade federal deverá funcionar inteiramente com energia livre de carbono até 2030. Em 2035, a Casa Branca se compromete a deixar de comprar automóveis movidos a combustíveis fósseis, optando por caminhões e carros com emissão zero, em uma frota que atualmente é de 600 mil veículos. Uma década depois, a meta é que a maior parte dos edifícios de propriedade ou alugados pelo governo federal não contribuam para o lançamento de CO2 que está aquecendo o planeta. (Valor Econômico – 08.12.2021)

<topo>

2 GM: Compromisso com iniciativa para uma cadeia de suprimentos sustentável

A GM anunciou nesta semana que se juntou à Initiative for Responsible Mining Assurance (IRMA) – iniciativa de garantia responsável de mineração, adicionando outro elemento aos programas da empresa que apoiam a sustentabilidade e os direitos humanos da cadeia de suprimentos para veículos elétricos. A IRMA avança na prática responsável de mineração por meio de um conjunto abrangente de normas que integram os quatro princípios de Integridade empresarial, Planejamento para Legados Positivos, Responsabilidade Social e Responsabilidade Ambiental. À medida que a demanda por baterias automotivas se expande globalmente, o acesso a materiais para a produção da bateria é de importância crescente. Dado o papel crítico dos carros elétricos na redução da pegada de carbono do setor de transporte, a GM anuncia que está comprometida com o fornecimento responsável dos materiais extraídos necessários para a produção de VEs. (Inside EVs – 11.12.2021)

<topo>

3 Reino Unido: TfN lança estratégia regional de descarbonização do transporte

A Transport for the North (TfN) lançou sua nova estratégia que traça suas metas de emissões quase nulas de carbono do transporte até 2045. É a primeira vez que uma estratégia regional desse tipo é produzida, reunindo os líderes da região para falar a uma só voz sobre a emergência climática e como o setor de transporte deve agir para enfrentar o desafio. Ele destaca as ambições no combate às emissões de carbono, com a região buscando ir além das políticas e metas nacionais, com um plano claro para avançar o mais rápido possível. Também demonstra a importância de alcançar uma transição justa para todas as comunidades do Norte – maximizando as oportunidades de crescimento limpo; a necessidade de garantir a descarbonização está no cerne da política relacionada com os transportes e das decisões de investimento; e como a ação em nível regional pode ajudar o Norte a alcançar suas ambições coletivas. Quatro atividades prioritárias foram acordadas após a consulta sobre a estratégia durante o verão. Estes cobrem a eletrificação ferroviária; melhorar o transporte público, incluindo Northern Powerhouse Rail; desenvolver uma estrutura de infraestrutura de carregamento de veículos com emissão zero; e desenvolver um mapa de rotas regionais para a descarbonização dos transportes. (Smart Transport – 08.12.2021)

<topo>

4 Volvo irá incentivar descarbonização dos ônibus na América Latina

A Volvo é a primeira montadora europeia de ônibus a assinar compromisso com a aliança ZEBRA, uma colaboração de grande escala lançada em 2019 para acelerar a adoção de ônibus elétricos nas principais cidades da América Latina. Em comunicado, a Volvo Buses anuncia o compromisso voluntário estabelecido em parceria com a aliança ZEBRA e seus cofundadores: o Conselho Internacional para Transportes Limpos (International Council on Clean Transportation – ICCT) e o C40 – Grupo de Cidades de Liderança em Mudanças Climáticas (C40 – Cities Climate Leadership Group), além de vários outros parceiros da indústria. Pelo acordo, a Volvo Buses implementará uma série de atividades, incluindo fornecer ônibus elétricos para a Cidade do México e Santiago nos próximos 18 meses, além de promover demonstração de ônibus com zero emissões em cidades selecionadas pela aliança. (Inside EVs – 10.12.2021)

<topo>

5 Diversos ônibus escolares norte-americanos serão convertidos para elétricos

A SEA Electric, uma empresa australiana com sede nos Estados Unidos em Torrance, Califórnia, que fabrica sistemas de energia elétrica a bateria para veículos comerciais, e a Midwest Transit Equipment (MTE) sediada em Illinois, uma das maiores concessionárias de ônibus escolares dos EUA, firmaram parceria para modernizar 10.000 ônibus escolares no meio-oeste dos EUA com sistemas de energia elétrica a bateria nos próximos cinco anos. Com essa parceria, a MTE será capaz de fornecer aos clientes um e-bus quase novo convertido por uma fração do custo de um novo ônibus e-school construído do zero. O negócio abrangerá ônibus escolares do Tipo A e do Tipo C, e as entregas ocorrerão nos próximos cinco anos. Cada ônibus terá a capacidade de fornecer recursos completos para a rede através da tecnologia V2G, com o sistema de energia SEA-Drive, melhorando a estabilidade quando conectado a uma estação de carregamento. (Electrek – 07.12.2021)

<topo>

 

 

Outros Artigos e Estudos

1 National Electric Highway Coalition: Construção de rede nacional de carregamento rápido para VEs nos EUA até o final de 2023

A National Electric Highway Coalition, um órgão recém-formado composto por 51 empresas elétricas de propriedade de investidores, uma cooperativa elétrica e a Tennessee Valley Authority, anunciou que fornecerá pontos de carregamento rápido para VEs ao longo dos principais corredores de viagens dos Estados Unidos até o final de 2023. O Edison Electric Institute (EEI), uma associação que representa todas as empresas elétricas de propriedade de investidores dos EUA, anunciou no dia 7 a formação da National Electric Highway Coalition. Trata-se de uma fusão da CElectric Highway Coalition e da Midwest Electric Vehicle Charging Infrastructure Collaboration, que agora também inclui empresas elétricas adicionais. As atuais empresas membros da coalizão atendem coletivamente a cerca de 120 milhões de consumidores de eletricidade nos Estados Unidos em 47 estados e no Distrito de Columbia. (Electrek – 08.12.2021)

<topo>

2 Intel: Mobileye se tornará pública em 2022

A Intel anunciou que a Mobileye, uma subsidiária em Israel que desenvolve tecnologia de assistência ao motorista para grandes montadoras, se tornará pública no próximo ano. A Intel manterá a propriedade majoritária da Mobileye, disse a gigante fabricante de chips, e as duas empresas continuarão a colaborar em tecnologias para o mercado automotivo. A equipe executiva da Mobileye permanecerá no local após a oferta pública inicial, com Amnon Shashua, um dos fundadores da empresa, continuando como presidente-executivo. Assim como a Tesla, a Mobileye promoveu suas tecnologias como um caminho para veículos autônomos. Este ano, a empresa anunciou que estava testando vários protótipos de carros autônomos em grandes cidades, incluindo Nova York. Mas a maioria dos especialistas acredita que esses veículos estão a anos – e talvez décadas – de uso generalizado. Os negócios da Mobileye ainda se concentram no fornecimento de sistemas baseados em câmeras para frenagem automática, manutenção de faixa e outras tecnologias que auxiliam os motoristas. (New York Times – 06.12.2021)

<topo>

3 Reino Unido: VEs ocupam quase 20% do mercado de carros novos em novembro

Os veículos elétricos a bateria (VEBs) conquistaram 18,8% do mercado de registros de automóveis novos no Reino Unido em novembro, de acordo com os dados mais recentes da Sociedade de Fabricantes e Comerciantes de Motores (SMMT). Quase 22.000 BEVs foram vendidos no mês passado no Reino Unido, mais que o dobro em comparação com novembro de 2020 – enquanto a participação dos veículos híbridos plug-in (PHEVs) cresceu para 9,3% ou 10.796 unidades. No acumulado do ano, 1.538.585 carros novos foram registrados, dos quais 17,5% foram BEVs ou PHEVs, o que significa que um em cada seis carros novos pode ser conectado. Quando combinados com VEs híbridos (9,0% de participação), mais de um quarto (26,5%) do mercado de carros novos em 2021 foi eletrificado. (Smart Transport – 07.12.2021)

<topo>


Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe e Luiza Masseno
Pesquisadores: João Pedro Gomes, Leonardo Gonçalves e Vinicius José da Costa
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

As notícias divulgadas no IFE não refletem necessariamente os pontos da UFRJ. As informações que apresentam como fonte UFRJ são de responsabilidade da equipe de pesquisa sobre o Setor Elétrico do Instituto de Economia da UFRJ.

POLÍTICA DE PRIVACIDADE E SIGILO
Respeitamos sua privacidade. Caso você não deseje mais receber nossos e-mails,  Clique aqui e envie-nos uma mensagem solicitando o descadastrado do seu e-mail de nosso mailing.


Copyright UFRJ

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: