IFE.TEX 64

Informativo Eletrônico – Tecnologias Exponenciais nº 64 – publicado em 22 de novembro de 2021.

IFE: Informativo Eletrônico de Tecnologias Exponenciais – GESEL-UFRJ <!–

l

IFE: nº 64 – 22 de novembro de 2021
http://gesel.ie.ufrj.br/
gesel@gesel.ie.ufrj.br

Editor: Prof. Nivalde J. de Castro

Índice

Transição Energética e ESG
1
Pesquisa GESEL: Contribua para a melhoria da relação entre o consumidor e as distribuidoras de energia
2 IRENA e Aliança de Pequenos Estados Insulares assinam acordo de transição energética
3 ADB lança mecanismo de transição com a Indonésia e as Filipinas
4 Governo do Reino Unido lança programa para apoiar a transição energética de países em desenvolvimento
5 Agenda ESG tem acelerado evolução de indicadores sociais da eólica
6 Município na Espanha vai aquecer suas instalações com biomassa
7 União Europeia investe € 1,1 bilhão em projetos de apoio à descarbonização
8 Instalações solares globais devem crescer 20% em 2022

Geração Distribuída
1 Os estacionamentos com cobertura solar oferecem vários benefícios
2 Aneel e Inel criam grupo de trabalho para solucionar gargalos de conexão na GD
3 Jinko Solar fecha contrato histórico para geração distribuída no Brasil
4 Absolar: Geração própria de energia solar supera os 7,2 GW
5 Fachada de edifício vira sistema solar
6 Nova tecnologia de telha solar no Brasil

Armazenamento de Energia
1 Integrando armazenamento à rede de transmissão para uma transição livre de carbono
2 Berkeley Lab garante US$ 13 milhões para pesquisa de baterias de veículos elétricos avançadas e carregamento
3 Texas adiciona armazenamento de bateria para preparar rede antes do inverno

4 EUA: Maior projeto de armazenamento em conjunto com energia solar do mundo

5 Canadian Solar e Windel Energy estão desenvolvendo projetos de armazenamento

6 Empresa de armazenamento de energia registra alta em pedidos este ano

7 Armazenamento de energia em pequena escala ajudará a acelerar a descarbonização de sistemas de energia

8 Tennet iniciará projeto de armazenamento descentralizado com tecnologia blockchain para flexibilidade de energia

Veículos Elétricos
1 Repsol: instalação de pontos de carregamento de VEs
2 Bahia pode ser destaque na produção de baterias para VEs
3 Vendas globais de VEs aumentam 80% em 2021
4 Apoio para eletrificação de veículos voltado a países em desenvolvimento

5 Reino Unido terá lançamento de projeto de £ 1,9 bilhão para expandir infraestrutura de carregamento de VEs

Gestão e Resposta da Demanda
1 Suspensão do RVD frustra e causa problemas operacionais para indústria
2 Novas demandas de consumidores são o maior desafio para as operações das concessionárias

Eficiência Energética
1 Espanha: Castela e Leão destinam 53 mi de euros às mudanças climáticas, eficiência energética e economia circular
2 BNDES garante R$ 330 mi de crédito à eficiência energética
3 ST Engineering de Cingapura selecionada para projeto de cidade inteligente do Rio de Janeiro

Microrredes e VPP
1 Canadá: Investimento em uma iniciativa global para a transição energética de comunidades remotas
2 Laboratório de microrrede é inaugurado na University of Central Florida
3 Gulf Power começa a construção do projeto de microrrede na Base Aérea de Tyndall

Tecnologias e Soluções Digitais
1 Irlanda: ESB Networks anuncia a instalação de 500.000 medidores inteligentes
2 Projeto de blockchain da Watr Foundation visa contribuir com metas ESG
3 Relatório Siemens: Digitalização, infraestrutura e adaptação às mudanças climáticas
4 Dados do setor de energia e digitalização serão tópicos-chave na Enlit Europe em Milão

Segurança Cibernética
1 Colaborar para proteger a segurança cibernética ao longo da cadeia de suprimentos de energia
2 Risco de terceiros ainda é ameaça a cadeia de suprimentos de software de setores críticos

Eventos
1 Brazil Wind Power 2021: Brasil pode expandir alcance da produção da cadeia eólica
2 Brazil Wind Power 2021: Transmissão terá papel fundamental na transição energética
3 Brazil Wind Power 2021: ESG deverá dar o tom para financiamento no futuro

Artigos e Estudos
1 Relatório: “Ensuring an Equitable Energy Transition”
2 Relatório: “Strategies and Actions for Achieving a 50% Reduction in U.S. Greenhouse Gas Emissions by 2030”
3 Relátorio: “Consumer Insigths: The Urgent Fight Against Climate Change”
4 Relatório: “Realizing the Potential of Customer-Sited Solar”


 

 

Transição Energética e ESG

1 Pesquisa GESEL: Contribua para a melhoria da relação entre o consumidor e as distribuidoras de energia

O GESEL, em parceria com a EDP e a CELESC, está desenvolvendo uma pesquisa visando contribuir para melhorar a relação entre as distribuidoras de energia elétrica e os seus clientes. Para isso, estamos buscando clientes de ambas as concessionárias que possam contribuir com a pesquisa. Se você não é cliente da EDP Bandeirante, EDP Escelsa ou CELESC, mas tem um amigo, conhecido ou familiar que reside nos estados do Espírito Santo, São Paulo, Santa Catarina ou Rio Grande do Sul, nos ajude compartilhando o link disponível aqui. (GESEL-IE-UFRJ – 18.11.2021)

<topo>

2 IRENA e Aliança de Pequenos Estados Insulares assinam acordo de transição energética

A Agência Internacional de Energia Renovável (IRENA) e a Aliança dos Pequenos Estados Insulares (AOSIS) assinaram um acordo, conhecido como “Dia da Adaptação”. O acordo tem como objetivo mobilizar o financiamento do clima e avançar na implantação de energia renovável nos Pequenos Estados Insulares em Desenvolvimento (SIDS). De acordo com a análise da IRENA sobre a primeira rodada de contribuições nacionalmente determinadas, cerca de US$ 16 bilhões em financiamento são necessários até 2030 para que os SIDS atinjam suas respectivas metas. (Energy Global – 09.11.2021)

<topo>

3 ADB lança mecanismo de transição com a Indonésia e as Filipinas

O Mecanismo de Transição de Energia (ETM), estabelecido pelo Banco Asiático de Desenvolvimento (ADB) e pelos governos indonésio e filipino, é o primeiro mecanismo a ajudar a modernizar a infraestrutura de energia dos dois países, garantindo uma transição energética justa e inclusiva. O mecanismo também visa garantir o fornecimento de eletricidade acessível aos consumidores e permitir a criação de empregos verdes, um desenvolvimento que vai ajudar na recuperação da economia e promover o crescimento nacional. Em suma, o ADB conectará os dois governos com fundos focados na mudança climática global e fará parceria com as partes interessadas do setor de energia e governos para a realização de estudos de viabilidade de modelos de negócios que possam ajudar a acelerar a transição energética. (Smart Energy – 09.11.2021)

<topo>

4 Governo do Reino Unido lança programa para apoiar a transição energética de países em desenvolvimento

O governo do Reino Unido lançou o novo programa de Ação Climática Urbana (UCAP) para apoiar países em desenvolvimento a acelerar sua transição energética. O programa faz parte do compromisso de Financiamento Climático Internacional do Reino Unido e está sendo apoiado com £ 27,5 milhões de novos fundos do governo. A iniciativa apoiará cidades em toda a África, Ásia e América Latina. O objetivo é ajudar esses países a desenvolver medidas para enfrentar as mudanças climáticas, ajudando-os a se tornarem neutros em carbono até 2050, assim como preparar projetos de infraestrutura de baixo carbono. O programa ajudará cidades como Nairóbi, Kuala Lumpar e Bogotá a desenvolver sistemas de transporte público de baixa emissão, geração de energia renovável, gestão sustentável de resíduos, novos códigos de edifícios inteligentes para o clima e planejamento de risco climático. (EE Online – 11.11.2021)

<topo>

5 Agenda ESG tem acelerado evolução de indicadores sociais da eólica

As ações que cercam a agenda ambiental, social e de governança (ESG) e os objetivos de desenvolvimento sustentável da ONU (ODS) estão criando um ambiente que pode ser definido como uma coalização social. A preocupação com os impactos sociais causados pelas empresas ganha destaque, ao mesmo tempo em que se desenvolve novos negócios. Nesse contexto, a energia eólica não foge à regra, uma vez que os projetos estão no front da transição energética e da descarbonização da economia. O Brazil Windpower 2021 tratou o assunto de forma mais ampla ao abordar as lições e avanços da agenda ESG e a questão da diversidade e inclusão no setor. A avaliação geral é de que o caminho começou a ser trilhado por todos os stakeholders, mas ainda há muito a avançar. (CanalEnergia – 11.11.2021)

<topo>

6 Município na Espanha vai aquecer suas instalações com biomassa

O Plano Diretor de Aproveitamento da Biomassa Agroflorestal, iniciativa do Conselho Provincial de Valência, propõe uma mudança no modelo energético da região de Requena. Entre os principais objetivos traçados por este plano estão a quantificação do potencial de bioenergia disponível na região e a demanda potencial de bioenergia pelas unidades municipais. O Plano Diretor de Aproveitamento da Biomassa Agroflorestal estabelece as bases para uma mudança no modelo energético da região. E levanta vários pontos, que incluem (1) a transformação de resíduos agrícolas e florestais em recurso para aquecimento de instalações municipais, (2) a quantificação do potencial de bioenergia disponível na região, (3) a análise da sua demanda potencial e os diferentes sistemas logísticos para produção de biomassa e (4) o estudo de viabilidade e a estratégia a ser seguida até a implementação das ações. (Energías Renovables – 09.11.2021)

<topo>

7 União Europeia investe € 1,1 bilhão em projetos de apoio à descarbonização

A Comissão Europeia anunciou um investimento de mais de € 1,1 bilhão (US$ 1,2 bilhão) em sete projetos de inovadores de grande escala. O financiamento será usado por meio do Fundo de Inovação e tem como objetivo apoiar projetos que levem tecnologias inovadoras ao mercado de indústrias intensivas em energia; hidrogênio; captura, uso e armazenamento de carbono e energias renováveis. Os projetos estão localizados na Bélgica, Itália, Finlândia, França, Holanda, Noruega, Espanha e Suécia. A Agência Executiva Europeia para o Clima, Infraestrutura e Ambiente supervisionarão o financiamento. Por fim, a meta é acelerar a transição energética em todo o bloco e garantir uma recuperação verde. (Smart Energy – 16.11.2021)

<topo>

8 Instalações solares globais devem crescer 20% em 2022

O estudo da IHS Markit prevê que as instalações solares fotovoltaicas experimentarão um crescimento de dois dígitos em 2021. Em 2022, espera-se um crescimento superior a 20%, ultrapassando a barreira de 200GW em um ambiente de alto preço. Segundo o estudo, os projetos terão um investimento total de pelo menos US$ 170 bilhões e o segmento de serviços públicos foi o mais afetado em 2021, com vários projetos atrasados ou cancelados. (Renews Biz – 16.11.2021)


<topo>

 

 

Geração Distribuída

1 Os estacionamentos com cobertura solar oferecem vários benefícios

Pesquisadores da Universidade de Yale descobriram que mais de um terço da eletricidade de Connecticut pode vir de estacionamentos com cobertura solar. Adicionar esse potencial aos dados solares do Google Project Sunroof aumentou a disponibilidade de localização solar para cerca de 85,5% da eletricidade do estado de Yale, EUA. Nesse caso, a energia é fornecida exclusivamente a partir de telhados e estacionamentos solares. Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores examinaram estacionamentos com pelo menos 100 vagas de tamanho padrão de diferentes locais, cobrindo uma área mínima de 29.400 pés quadrados (2731 m²). Após a seleção dos locais a serem analisados, os pesquisadores projetaram usinas de energia solar para eles e especularam que, em média, 35% dos locais escolhidos eram bons candidatos para a instalação de painéis solares. (PV Magazine – 12.11.2021)

<topo>

2 Aneel e Inel criam grupo de trabalho para solucionar gargalos de conexão na GD

O Instituto Nacional de Energia Limpa (Inel) e a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) firmaram um acordo para a criação de um grupo de trabalho destinado a buscar soluções técnicas para a conexão de geração distribuída (GD), um dos gargalos desse segmento no país. O grupo será coordenado pelo Inel e contará com a participação de outras entidades representativas. O presidente do Instituto, Heber Galarce, destacou a importância da ação para esclarecer os pleitos das entidades e para a contribuição no endereçamento dos problemas em relação à conexão da GD. (CanalEnergia – 08.11.2021)

<topo>

3 Jinko Solar fecha contrato histórico para geração distribuída no Brasil

A chinesa Jinko Solar (fabricante de painéis solares) e a Aldo Solar (distribuidor de energia solar) anunciaram a manutenção da parceria para 2022 com a assinatura de um acordo para geração distribuída. O contrato prevê cerca de quatro milhões de placas fotovoltaicas, equivalentes a 2 GW de potência. O acordo assegura às revendas e instaladores de energia solar no Brasil, assim como a continuidade da comercialização da família de painéis Tiger Pro. O diretor da Jinko Solar para Itália e América Latina, Alberto Cuter, disse que o mercado de GD está crescendo de forma impressionante no Brasil e afirma que a fabricante pretende dobrar o volume de negócios em 2022 na modalidade. (CanalEnergia – 09.11.2021)

<topo>

4 Absolar: Geração própria de energia solar supera os 7,2 GW

A geração própria de energia solar fotovoltaica alcançou a marca de 800 mil unidades consumidoras, o equivalente a mais de 7,2 GW de potência instalada, informou a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar). Segundo a associação, os consumidores residenciais são os que mais utilizam geração própria de energia solar, representando 75,8% do total de unidades consumidoras. Em seguida, aparecem consumidores dos setores de comércio e serviços (14,4%), produtores rurais (7,3%), indústrias (2,1%), poder público (0,3%) e outros setores. A modalidade está presente em 5.083 municípios e em todos os estados brasileiros. Entre os cinco municípios líderes estão Cuiabá (MT), Brasília (DF), Uberlândia (MG), Teresina (PI) e Rio de Janeiro (RJ), respectivamente. (Broadcast Energia – 10.11.2021)

<topo>

5 Fachada de edifício vira sistema solar

O novo prédio do Escritório de Meio Ambiente e Energia de Basel, na Suíça, é totalmente revestido por uma fachada solar. A fachada tem uma capacidade instalada de 163 kW e os módulos solares dourados cintilantes utilizados no projeto conferem ao edifício um aspecto único. A ideia inicial do projeto previa a utilização de módulos solares compostos por células solares douradas; no entanto, uma abordagem diferente foi eventualmente empregada. Essa abordagem usava um novo módulo solar fabricado com um vidro fundido especial da Megasol Energie AG. O projeto da fachada é capaz de gerar energia no inverno. Isso se deve ao fato de que as superfícies das fachadas solares são ideais para o sol baixo do inverno, já que a luz incide quase perpendicularmente sobre as células solares. (PV Magazine– 17.10.2021)

<topo>

6 Nova tecnologia de telha solar no Brasil

A Eternit S.A., fornecedora brasileira de materiais de construção, apresentou uma nova placa solar para aplicações fotovoltaicas. O novo produto – batizado de BIG-F10 – oferece boa estética e design harmonizado, além de garantir segurança, protegendo contra incêndio ou mesmo quebra das coberturas devido às chuvas e fortes ventos. A telha tem uma potência de 9,1 W e uma capacidade de geração média mensal de 1,15 kWh. (PV Magazine– 17.10.2021)

<topo>

 

 

Armazenamento de Energia

1 Integrando armazenamento à rede de transmissão para uma transição livre de carbono

Em entrevista publicada pela Smart Energy, Matt Allen, chefe da Pivot Power, comenta sobre como uma abordagem colaborativa e inovadora pode desbloquear todo o potencial da flexibilidade energética. Enquanto os participantes do setor de energia no Reino Unido estão se concentrando na implantação de sistemas de armazenamento de energia de longa duração e integrando-os com recursos renováveis, conectar o armazenamento de energia às redes de transmissão, são vitais para desbloquear todo o potencial da flexibilidade energética. Matt Allen explica como o projeto Energy Superhub Oxford tem implementado a inovação para desbloquear sistemas de energia inteligentes locais para viabilizar a transição energética. (Smart Energy – 10.11.2021)

<topo>

2 Berkeley Lab garante US$ 13 milhões para pesquisa de baterias de veículos elétricos avançadas e carregamento

O Departamento de Energia dos EUA (DoE) forneceu US$ 13 milhões em financiamento para acelerar o desenvolvimento de baterias de lítio avançadas e o uso de veículos elétricos ao Berkeley Lab. O financiamento será utilizado para implementar cinco programas de pesquisa e desenvolvimento, dos quais três fazem parte do estudo de cinco anos que se concentrarão na fabricação de baterias de lítio. As baterias de lítio são mais seguras, mais leves e têm uma densidade maior do que os produtos que estão atualmente no mercado. O Berkeley Lab investigará novas maneiras de fabricar baterias e garantir que práticas sustentáveis sejam incorporadas aos processos de fabricação. O laboratório também pretende aumentar a densidade e a vida útil das baterias. (Smart Energy– 17.11.2021)

<topo>

3 Texas adiciona armazenamento de bateria para preparar rede antes do inverno

Uma tempestade de inverno extrema que deixou milhões de texanos sem energia em fevereiro destacou a rápida necessidade de mais armazenamento de energia para fornecer suporte à rede elétrica do Texas. Nesse cenário, a empresa Broad Reach Power, operadora de energia internacional, anunciou que seus projetos de armazenamento de bateria North Fork e Bat Cave foram colocados em serviço, cada um fornecendo 100 MW / 100 MWh. A empresa agora tem 300 MW de recursos de armazenamento despacháveis. A iniciativa visa preparar a rede antes do inverno e evitar interrupções de energia devido à eventos climáticos extremos, como o que aconteceu em fevereiro. (Power Grid– 12. 11.2021)

<topo>

4 EUA: Maior projeto de armazenamento em conjunto com energia solar do mundo

O projeto de armazenamento de energia combinado com energia solar, Edwards Sanborn, Califórnia, começou a ter suas funcionalidades disponibilizadas. O projeto pretende incluir 760 MW de energia solar fotovoltaica e 2.445 MWh de armazenamento de bateria quando estiver totalmente concluída. A construção e financiamento do projeto estão sendo realizados em fases. Em agosto, Terra-Gen disse que o financiamento necessário de US$ 804 milhões foi concluído para a fase inicial de 346 MWac solares e 1.501 MWh de armazenamento em bateria. O planejamento do desenvolvedor contava que os primeiros 735 MWh de armazenamento de bateria seriam concluídos até o final do terceiro trimestre deste ano, e o restante da primeira fase seria liberado no 2º trimestre de 2022. A capacidade restante do projeto será financiada e disponibilizada em 2022 e 2023. (Energy Storage News– 12. 11.2021)

<topo>

5 Canadian Solar e Windel Energy estão desenvolvendo projetos de armazenamento

A empresa de energia solar fotovoltaica Canadian Solar está desenvolvendo projetos de armazenamento de bateria no Reino Unido, estendendo uma parceria com a desenvolvedora Windel Energy. Isso foi feito depois que as empresas se comprometeram a desenvolver 1,4 GWp de energia solar no país. Os parceiros assinaram um acordo para o projeto de 1,5 GW / 3GWh, a partir do qual a Canadian Solar oferecerá financiamento e suporte, enquanto a Windel construirá o projeto. (Energy Storage News– 12. 11.2021)

<topo>

6 Empresa de armazenamento de energia registra alta em pedidos este ano

A Eos Energy, empresa de armazenamento de energia, relatou que os pedidos registrados de sua bateria e tecnologia de sistema de armazenamento no acumulado do ano chegam a 561 MWh. Isso faz parte de um backlog total de 613 MWh, no valor de US$ 151,8 milhões dividido em 30 projetos e 16 clientes diferentes. No entanto, demorará até que esses números se transformem em receita. Com apenas US$ 3,4 milhões de produtos embarcados neste ano, a Eos Energy reafirmou sua projeção de receita para o ano inteiro de 2021 de US$ 5 milhões. (Energy Storage News– 11. 11.2021)

<topo>

7 Armazenamento de energia em pequena escala ajudará a acelerar a descarbonização de sistemas de energia

Consumidores estão assumindo um papel mais ativo nos novos sistemas de energia. Essa mudança é possibilitada, em parte, pela ascensão do ‘prossumidor’ – o produtor-consumidor individual de energia que pode autogerar e gerenciar o consumo pessoal de eletricidade para ajudar a combater as mudanças climáticas. As energias renováveis só podem produzir energia em determinados momentos do dia, então o armazenamento confiável se tornará um facilitador crítico, proporcionando aos consumidores e comunidades inteiras mais opções e um maior senso de independência na transição energética. A inovação e o investimento futuros para garantir que as baterias funcionem dentro de um risco, preço, tempo de carga e duração aceitáveis apoiarão o crescimento contínuo. (Smart Energy– 10.11.2021)

<topo>

8 Tennet iniciará projeto de armazenamento descentralizado com tecnologia blockchain para flexibilidade de energia

A Tennet, operadora de rede de transmissão europeia, está firmando uma parceria com a subsidiária da empresa alemã, EWE. A parceria tem como objetivo incentivar a energia flexível proveniente de sistemas de armazenamento de energia descentralizados para aumentar a confiabilidade da rede. A parceria terá como foco testar o sistema de gerenciamento de energia descentralizado da empresa, que permite uma “operação multifuncional” de armazenamento de bateria. A plataforma irá garantir a interação inteligente, via blockchain, de sistemas de armazenamento de energia distribuída pelo consumidor para gerenciar o congestionamento na rede principal. O sistema permitirá que os sistemas de armazenamento do consumidor integrem eletricidade flexível ou em excesso à rede principal para estabilidade durante os momentos em que o sistema de Tennet estiver sobrecarregado. (Smart Energy– 15.11.2021)

<topo>

 

 

Veículos Elétricos

1 Repsol: instalação de pontos de carregamento de VEs

A Repsol anunciou investimento de 42,5 milhões de euros para a instalação de 610 pontos de recarga elétrica em postos da Repsol na Espanha e em Portugal. A instalação será feita nos corredores do Mediterrâneo e do Atlântico. O projeto é financiado pelo Instituto Oficial de Crédito que concederá à petroleira um empréstimo no valor superior a 40 milhões de euros. Além disso, a Repsol complementará este projeto com um subsídio de 5 milhões de euros que receberá da iniciativa da União Europeia, Connecting Europe Facility (CEF). A empresa também anunciou que vai instalar, antes do final de 2023, dezoito pontos de carregamento ultrarrápido e 592 tomadas de carregamento rápido. (Energías Renovables – 09.11.2021)

<topo>

2 Bahia pode ser destaque na produção de baterias para VEs

Com a proibição da comercialização de veículos movidos a combustíveis fósseis pela União Europeia, a partir de 2035, tem-se acelerado a adoção de carros elétricos. Com isto, minerais que são matérias-primas para baterias, como cobre, níquel e lítio, surgem como protagonistas da indústria que sucederá os motores de combustão. A expectativa é que nos próximos anos a demanda por essas matérias-primas cresça. Nesse contexto, a Bahia tem potencial para se tornar o maior produtor de baterias do país, uma vez que é a maior produtora de níquel e a terceira de cobre no país. Em 2020 o cobre representou 18% da produção mineral comercializada do estado. No entanto, para aproveitar essa oportunidade é necessário que os empresários do setor “acordem para o momento”. (Brasil 61 – 09.11.2021)

<topo>

3 Vendas globais de VEs aumentam 80% em 2021

Os veículos elétricos (VEs), representaram 7,2% das vendas globais de automóveis no primeiro semestre de 2021, comparado aos 2,6% em 2019 e 4,3% em 2020. De acordo com a BloombergNEF (BNEF), isso representa um aumento de 83% em relação ao valor de 2020 e um aumento de 168% sobre as vendas de 2019. Na América do Norte, os VEs representaram 3% das vendas no primeiro semestre, com grandes chances de atingirem 5%, após as vendas do segundo semestre aumentarem. As notícias de alta nas vendas de VEs vieram junto com um compromisso da General Motors, Ford e outras montadoras de que todas as vendas de carros novos terão emissão zero até 2040. Governos, incluindo Nova York e Califórnia (mas não os EUA como um todo), também assinaram a promessa. (Utility Dive– 12.11.2021)

<topo>

4 Apoio para eletrificação de veículos voltado a países em desenvolvimento

O programa Global Environment Facility (GEF), junto às Nações Unidas, tem como objetivo apoiar a mudança dos países em desenvolvimento para a mobilidade elétrica. Inicialmente, o foco do programa foi em 17 países e agora será expandido para 27, com a adição de dez países de baixa e média renda. A iniciativa foi elaborada para ajudar os governos a desenvolver roteiros de mobilidade, modelos de negócios e esquemas de financiamento para a transição de seus setores de transporte para veículos elétricos. (Smart Energy– 12.11.2021)

<topo>

5 Reino Unido terá lançamento de projeto de £ 1,9 bilhão para expandir infraestrutura de carregamento de VEs

Espera-se que um plano de investimento de £ 1,9 bilhão ($ 2,5 bilhões) anunciado pela empresa de infraestrutura de veículos elétricos (VEs), Connected Curb, ajude o Reino Unido a expandir seu portfólio de carregadores de VEs e impulsionar a eletrificação do setor de transporte. O projeto adicionará 190.000 carregadores de VEs públicos na rua até 2030 e ajudará o Reino Unido a resolver a falta de infraestrutura de carregamento que está impedindo o uso mais intensivo de VEs. Embora as vendas de VEs tenham aumentado 88% em 2021 em comparação com os níveis de 2020, o número de carregadores no Reino Unido é insuficiente para atender ao crescimento da eletrificação no transporte, de acordo com um comunicado. (Smart Energy– 09.11.2021)

<topo>

 

 

Gestão e Resposta da Demanda

1 Suspensão do RVD frustra e causa problemas operacionais para indústria

A suspensão do Programa de Redução Voluntária da Demanda (RVD) por parte do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) gerou frustração e causou problemas operacionais ao setor industrial. Isso porque diversos setores eletrointensivos se mobilizaram para aderir ao programa e agora não podem mais oferecer energia ao sistema. Associações ligadas ao setor industrial dizem que o programa foi suspenso unilateralmente pelo ONS, sem que os atores envolvidos fossem ouvidos. Algumas empresas precisaram adequar a rotina de trabalho em turnos de trabalho alternativos para deslocar o consumo e reclamam que não podem mais disponibilizar energia. (CanalEnergia – 11.11.2021)

<topo>

2 Novas demandas de consumidores são o maior desafio para as operações das concessionárias

O relatório Navigating the Energy Transition Consumer, publicado pela EY (empresa de serviços profissionais), foi realizado a partir de uma pesquisa com 34 mil consumidores em 17 países. O estudo concluiu que uma transição energética orientada para o cliente e a transformação digital abrirão o caminho para as concessionárias inovarem em seus serviços e, no processo, atenderão às demandas dos consumidores atuais e da próxima geração. Além disso, permitirá que se mantenham competitivas em um ambiente em constante mudança. O estudo identificou o surgimento de um novo tipo de consumidor – omnisumer – uma pessoa ou entidade empresarial que participa de um ecossistema de energia dinâmico em uma infinidade de lugares, soluções e fornecedores. 92% dos consumidores pesquisados têm pelo menos um novo produto ou serviço relacionado à energia em sua casa, 86% estão interessados em autogeração, 25% estão considerando um veículo elétrico e 13% estão pensando em instalar armazenamento de bateria nos próximos três anos. (Smart Energy– 17.11.2021)

<topo>

 

 

Eficiência Energética

1 Espanha: Castela e Leão destinam 53 mi de euros às mudanças climáticas, eficiência energética e economia circular

O Ministério do Desenvolvimento e Meio Ambiente aumentou seu orçamento para 2022, parte do qual será direcionado para o desenvolvimento de projetos de eficiência energética em moradias sociais construídas ou a construir, ou ações de eficiência energética a partir da biomassa. O Projeto Orçamental para 2022 conta com 800,65 milhões de euros, representando um aumento de 36,8% (mais 215,4 milhões) comparado ao ano anterior, em parte graças à contribuição de novos fundos europeus. Esse aumento impacta todas e cada uma das áreas de competência do Ministério do Desenvolvimento e Meio Ambiente. Por exemplo, o orçamento para a área de Arquitetura e Urbanismo amentou 180%, com a ampliação e melhoria do Parque Público de Aluguel Social, com destaque, em parte, para a eficiência energética. (Energías Renovables – 11.11.2021)

<topo>

2 BNDES garante R$ 330 mi de crédito à eficiência energética

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou a criação do Programa de Garantias a Crédito para Eficiência Energética (FGEnergia), destinado a prestar garantias à concessão de crédito indireto a projetos de eficientização no Brasil. O objetivo é apoiar investimentos que promovam a redução do desperdício de energia elétrica e a emissão de gases do efeito estufa, além de aumentar a competitividade empresarial para as micro, pequenas e médias empresas (MPMEs). Ao facilitar a implantação das iniciativas, é esperado também a inclusão financeira, criação de empregos e a elevação da segurança energética. A primeira captação será realizada com o Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel), através da Eletrobras, no valor de R$ 40 milhões. Com estes recursos, o banco prevê que pode garantir empréstimos de até R$ 330 milhões, já que cada real em garantia impulsiona até oito vezes o valor emprestado. (CanalEnergia – 10.11.2021)

<topo>

3 ST Engineering de Cingapura selecionada para projeto de cidade inteligente do Rio de Janeiro

O consórcio Smart Luz selecionou o conglomerado ST Engineering para fornecer soluções para um programa de cidade inteligente no Rio de Janeiro, Brasil. O consórcio, formado por cinco empresas, ganhou uma licitação de R$ 1,4 bilhão ($ 256,5 milhões) para implementar o projeto de parceria público-privada de Iluminação Pública. O projeto incluirá a instalação de 450.000 luzes de rua inteligentes, 5.000 pontos de acesso Wi-Fi, 4.000 sensores de resíduos, 6.000 semáforos e 10.000 câmeras para preparar a cidade para os serviços de cidade inteligente. (Power Grid – 15.11.2021)

<topo>

 

 

Microrredes e VPP

1 Canadá: Investimento em uma iniciativa global para a transição energética de comunidades remotas

Muitas comunidades em todo o mundo estão localizadas em áreas isoladas, distantes ou difíceis de conectar às redes de energia tradicionais. Por isso, o governo do Canadá está investindo em projetos para ajudar as comunidades remotas na transição energética. O Ministro de Recursos Naturais, Jonathan Wilkinson, anunciou que o Canadá investirá $ 500.000 em uma nova parceria com a Agência Internacional de Energia Renovável (IRENA). A parceria irá apoiar a transição energética de comunidades remotas. A Comissão de Cooperação Ambiental (CEC) , uma organização trinacional que faz parte do Acordo Canadá-EUA-México, liderará o componente norte-americano inicial dessa iniciativa. Por meio da CEC, o Meio Ambiente e Mudanças Climáticas do Canadá trabalhará com suas contrapartes nos EUA e no México para desenvolver as melhores práticas para a transição energética. (EE Online – 08.11.2021)

<topo>

2 Laboratório de microrrede é inaugurado na University of Central Florida

Um laboratório de controle de microrrede foi inaugurado na University of Central Florida (UCF). O laboratório é produto de uma parceria entre a Florida Power & Light e a GE Digital, que pretende simular uma sala de controle de rede moderna e acelerar a pesquisa sobre microrredes. O Laboratório de Controle de Microrrede apresenta equipamentos e software de centro de controle, os quais serão utilizados por alunos e professores de engenharia da UCF para obterem experiência prática. Segundo o gerente geral da GE Digital’s Grid Software, o laboratório oferecerá acesso sem precedentes a um moderno centro de controle de rede que permitirá que pesquisadores dos EUA colaborem, aprendam e reimaginem a rede de energia. (Power Grid – 11.11.2021)

<topo>

3 Gulf Power começa a construção do projeto de microrrede na Base Aérea de Tyndall

A Gulf Power iniciou a construção de um projeto piloto de microrrede solar na Base Aérea de Tyndall na Cidade do Panamá, Flórida. O projeto apoia o plano da Força Aérea dos Estados Unidos de reconstruir Tyndall como uma “instalação do futuro” mais resiliente, podendo servir como um protótipo para futuras instalações do Departamento de Defesa. A microrrede incluirá um painel solar de 150 quilowatts (kW) e uma bateria de 2,5 horas de 450 kW. Além disso, terá uma vida útil de 10 anos e apoiará três edifícios na base. A previsão é que o projeto seja concluído no final de 2022. (Daily Energy Insider – 15.11.2021)

<topo>

 

 

Tecnologias e Soluções Digitais

1 Irlanda: ESB Networks anuncia a instalação de 500.000 medidores inteligentes

Em setembro de 2017, a Comissão de Regulação de Serviços Públicos (CRU) anunciou detalhes do plano de entrega para a introdução de medidores inteligentes em toda a Irlanda. A CRU encarregou a ESB Networks de lançar o National Smart Metering Program (NSMP), que envolve a substituição de todos os medidores de eletricidade existentes por medidores inteligentes modernos. Como resultado do NSMP, a ESB Networks anunciou que 500.000 medidores inteligentes foram instalados com sucesso nas casas dos clientes, fazendas e empresas em todo o território da Irlanda. A instalação dos medidores proporcionará benefícios aos clientes, à economia e ao meio ambiente. (Eletric Energy Online– 12. 11.2021)

<topo>

2 Projeto de blockchain da Watr Foundation visa contribuir com metas ESG

A Watr Foundation, organização suíça voltada a tecnologias de blockchain, anunciou o lançamento do Watr: um ecossistema de última geração de blockchain aberto, que trará tecnologia de financiamento descentralizado (DeFi) às commodities. As tecnologias de blockchain e DeFi permitirão que o setor atinja novos níveis de transparência ambiental, social, governança (ESG). Também permitirão que o consumidor seja capaz de tomar decisões de compras e investimentos e democratizar o financiamento nas cadeias de suprimentos de ponta a ponta. No blockchain da Watr, os contratos digitais regerão os preços, o comércio e o financiamento dos recursos físicos que a sociedade consome, como energia, metais e agricultura. O ecossistema de blockchain Watr está programado para entrar em operação no início de 2022. (Smart Energy– 12.11.2021)

<topo>

3 Relatório Siemens: Digitalização, infraestrutura e adaptação às mudanças climáticas

Um novo relatório divulgado pela Siemens Smart Infrastructure, empresa provedora de serviços voltados a tecnologia de sistemas, explora o desenvolvimento de infraestrutura global, gerenciamento e resiliência, digitalização e mitigação das mudanças climáticas. Segundo o estudo, adaptabilidade, sustentabilidade e abordagem das mudanças climáticas são prioridades para os líderes no mercado de infraestrutura. Além disso, destaca que energia com emissões zero é impossível sem a digitalização. A maioria dos investimentos em digitalização nos próximos cinco anos será direcionada para a previsão e automação baseada em inteligência artificial (IA), de acordo com o estudo. (Smart Energy– 17.11.2021)

<topo>

4 Dados do setor de energia e digitalização serão tópicos-chave na Enlit Europe em Milão

Segundo stakeholders do mercado europeu, a digitalização desempenhará um papel fundamental na transição energética e na transformação digital do setor de elétrico, para vencer os desafios atuais. Dentre os desafios inclui-se a integração de recursos energéticos distribuídos (REDs), aumento dos preços da energia, mudanças climáticas, mudanças no comportamento dos consumidores e o surgimento de novos modelos de negócios. Devido a sua relevância, o tema será pauta da Enlit Europe, evento que ocorrerá em Milão de 30 de novembro a 02 de dezembro de 2021. O evento discutirá o papel da digitalização e da análise de dados para a promoção de eficiência do sistema. (Smart Energy– 09.11.2021)

<topo>

 

 

Segurança Cibernética

1 Colaborar para proteger a segurança cibernética ao longo da cadeia de suprimentos de energia

De acordo com o Departamento de Comércio dos Estados Unidos, a cibersegurança representa um risco crítico para a qualidade e confiabilidade da infraestrutura de energia dos Estados Unidos (EUA), particularmente, os ciberataques na cadeia de suprimentos. Esses ataques podem comprometer a integridade do hardware e software críticos que sustentam as operações de serviços públicos. E os participantes da cadeia de suprimentos devem trabalhar em colaboração para proteger a segurança cibernética de suas operações. (Daily Energy Insider– 12. 11.2021)

<topo>

2 Risco de terceiros ainda é ameaça a cadeia de suprimentos de software de setores críticos

Segundo análise da empresa Forrester, empresa referência em pesquisa de tecnologias, quase um ano após o ataque da SolarWinds, muitas organizações ainda lutam para proteger a cadeia de suprimentos de software do risco de terceiros. Segundo a Forrester, para apoiar a transformação digital, as organizações estão aproveitando a inteligência artificial (IA) e machine learning (ML). Para muitas organizações, a questão é se elas vão comprar ou construir a tecnologia. Se as organizações compram os algoritmos de IA ou ML, muitas vezes eles não são mantidos de maneira adequada ou não é fornecido treinamento adequado. As empresas também estão introduzindo uma grande quantidade de risco de terceiros, alavancando o código aberto ou comprando software disponível comercialmente, que contém de 75% a 90% de código aberto, segundo a Forrester. (Utility Dive– 12.11.2021)

<topo>

 

 

Eventos

1 Brazil Wind Power 2021: Brasil pode expandir alcance da produção da cadeia eólica

A estimativa de que o mundo deveria investir quatro vezes mais do que fez em 2020 para a expansão da fonte eólica global e assim atender os compromissos assumidos no Acordo de Paris abrem um novo desafio para a cadeia de fornecimento dessa fonte. O tema esteve em pauta durante Brazil Wind Power 2021, evento realizado pelo Grupo CanalEnergia, by Informa Markets, Abeeolica e GWEC. Na busca pela redução de custos, o desenvolvimento de novas plataformas entrou na discussão, uma vez que é cada vez menor o tempo que separa duas novas linhas de um mesmo fabricante. (CanalEnergia – 10.11.2021)

<topo>

2 Brazil Wind Power 2021: Transmissão terá papel fundamental na transição energética

Durante o painel “Papel das Energias Renováveis para Enfrentar a Emergência Climática”, ressaltou-se a importância da transmissão no cenário de aumento da inserção de energias renováveis e transição energética, além da eletrificação da economia. De acordo com o diretor da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Erik Rego, a capacidade de escoamento da região Nordeste deve quadruplicar até 2028, podendo absorver cerca de 57 GW de energias renováveis. Segundo ele, os pedidos de conexão se intensificaram, o que fez com que a EPE planejasse essa expansão. Além disso, para o CEO da PSR, Luiz Augusto Barroso, a conexão à rede é um ponto importante, uma vez que o mundo está rediscutindo o papel da transmissão e como facilitar a conexão das fontes renováveis. (CanalEnergia – 10.11.2021)

<topo>

3 Brazil Wind Power 2021: ESG deverá dar o tom para financiamento no futuro

Durante o evento foi destacado que apesar do aumento no número instituições financeiras que aderiram às práticas ESG, o conceito deve continuar a ganhar força nos financiamentos futuros. Segundo o gerente executivo do Banco do Brasil, Jalce Leal Rodrigues Jr., não haverá espaço para agentes que não garantam um capital investido livre de efeito negativo à sociedade. De acordo com ele, se ainda existe alguma instituição que não considere esses aspectos, será por pouco tempo. No Banco do Brasil, caso um projeto tenha alguma dúvida ou indicação de ineficiência na sustentabilidade, terá dificuldade em seguir adiante. (CanalEnergia – 11.11.2021)

<topo>

 

 

Artigos e Estudos

1 Relatório: “Ensuring an Equitable Energy Transition”

Um relatório divulgado pelo Programa Sul Global da RMI, identifica os desafios de acesso à eletricidade enfrentados pelas nações insulares do Caribe e fornece as soluções de energia necessárias para que as partes interessadas no setor de energia do país construam sistemas verdadeiramente resilientes ao clima. As redes de energia dos países caribenhos são particularmente vulneráveis aos impactos do aquecimento dos oceanos, da elevação do nível do mar e de eventos climáticos mais extremos. Esses países têm menos recursos para se adaptar às ameaças emergentes e seus problemas foram agravados pela pandemia COVID-19, afetando gravemente suas economias. No entanto, se as nações caribenhas conseguirem superar as circunstâncias, estarão em uma posição única para oferecer soluções para uma energia global, resiliente e justa. Para ter acesso ao relatório completo, clique aqui. (RMI – 08.11.2021)

<topo>

2 Relatório: “Strategies and Actions for Achieving a 50% Reduction in U.S. Greenhouse Gas Emissions by 2030”

De acordo com o relatório do Electric Power Research Institute (EPRI), para que os Estados Unidos atinjam sua meta de mudança climática até 2030, a redução das emissões de carbono em todos os setores da economia, incluindo a eletrificação acelerada, serão cruciais. A publicação do relatório precede a apresentação no Congresso de um projeto de lei que pede mais de US$ 1 trilhão em desenvolvimento de infraestrutura. Dessa forma, o estudo contribui fornecendo informações para o que pode ser necessário para atingir a meta de redução de emissões dos EUA. A conclusão do estudo é feita com base na modelagem detalhada de caminhos econômicos pela organização sem fins lucrativos de pesquisa e desenvolvimento, juntamente com sua análise de vários estudos de terceiros. Para ter acesso ao relatório completo, clique aqui. (EE Online – 10.11.2021)

<topo>

3 Relátorio: “Consumer Insigths: The Urgent Fight Against Climate Change”

O levantamento feito pela empresa Dynata mostra que 71% dos espanhóis querem um papel maior no combate às mudanças climáticas na agenda do governo e que ela se torne uma prioridade. Em escala global, o estudo mostra que 68% dos cidadãos acreditam que os políticos falam muito sobre as mudanças climáticas, mas suas ações são insuficientes. Para a realização deste novo relatório, denominado “Consumer Insigths: The Urgent Fight Against Climate Change”, Dynata entrevistou mais de 12.000 consumidores em 12 países, entre 28 de setembro e 5 de outubro de 2021, mil deles na Espanha. O estudo concluiu que no caso da Espanha 91% da população considera a mudança climática uma realidade. Para ter acesso ao relatório completo na integra, clique aqui. (CanalEnergia – 10.11.2021)

<topo>

4 Relatório: “Realizing the Potential of Customer-Sited Solar”

O novo relatório da BloombergNEF e Schneider Electric – “Realizing the Potential of Customer-Sited Solar” – mostra que o mercado de energia solar em telhados ainda não foi explorado e estima que, em 2050, poderá ultrapassar 2.000 GW de energia fotovoltaica instalada e 1.000 GWh em armazenamento de energia. De acordo com o estudo, os custos em rápida queda da tecnologia solar já tornaram mais barato para as famílias e empresas gerarem sua própria energia em alguns mercados. Na Austrália, por exemplo, o período de retorno para as famílias que investem em energias renováveis tem sido favorável, menos de 10 anos desde 2013. O relatório também aponta que até 2050, 167 milhões de residências e 23 milhões de empresas em todo o mundo poderão ter geração de própria de energia. Para ter acesso ao relatório completo na integra, clique aqui. (Energías Renovables – 10.11.2021)

<topo>


Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Lorrane Câmara e Luiza Masseno
Pesquisadores:
Cristina Rosa, Matheus Balmas e Pedro Barbosa
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

As notícias divulgadas no IFE não refletem necessariamente os pontos da UFRJ. As informações que apresentam como fonte UFRJ são de responsabilidade da equipe de pesquisa sobre o Setor Elétrico, vinculada ao NUCA do Instituto de Economia da UFRJ.

POLÍTICA DE PRIVACIDADE E SIGILO
Respeitamos sua privacidade. Caso você não deseje mais receber nossos e-mails,  Clique aqui e envie-nos uma mensagem solicitando o descadastrado do seu e-mail de nosso mailing.


Copyright UFRJ

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: