IFE.TEX 61

Informativo Eletrônico – Tecnologias Exponenciais nº 61 – publicado em 29 de outubro de 2021.

IFE: Informativo Eletrônico de Tecnologias Exponenciais – GESEL-UFRJ <!–

l

IFE: nº 61 – 29 de outubro de 2021
http://gesel.ie.ufrj.br/
gesel@gesel.ie.ufrj.br

Editor: Prof. Nivalde J. de Castro

Índice

Transição Energética e ESG
1
Cobre, lítio e níquel: transição energética eleva demanda e previsão de dificuldade de fornecimento
2 Aneel e IRENA debatem futuro do marco legal de geração offshore, agenda do hidrogênio verde e expansão de fontes renováveis
3 Mundo precisará quadruplicar investimentos em eólica para alcançar metas em 2050
4 Grandes varejistas globais transportarão suas mercadorias em navios livres de CO2 até 2040
5 RWE planeja ajudar o Reino Unido a atingir metas de zero emissões líquidas
6 Fonte solar alcança 11 GW no Brasil
7 Rio Tinto descreve plano de energias renováveis 6GW Austrália
8 Preço de painéis solares deve seguir em alta até 2022
9 Galp obtém financiamento para instalar 2 GW de energia solar na Espanha
10 IRENA e Fundos de Investimento do Clima fazem parceria para promover a transição energética
11 Facebook contrata projeto solar de 160 MW na Virgínia
12 EDP Renováveis compra PPA solar de 209 MW no Brasil
13 Cypress Creek fecha financiamento para projeto solar de 270 MW no Texas

Geração Distribuída
1 Crise hídrica impulsiona energia solar

Armazenamento de Energia
1 Grupo BW assina acordo para financiar 3GWh de projetos de armazenamento de energia no Reino Unido
2 Huawei fecha contrato para projeto de armazenamento de bateria de 1.300 MWh
3 2021 é um ano recorde para armazenamento em bateria

4 Southern California Edison adicionará 535 MW de armazenamento de energia em bateria

Veículos Elétricos
1 Bateria de carro elétrico com recarga em 5 minutos já é realidade
2 Infraestrutura de carregamento no Brasil
3 Toyota anuncia fábrica sustentável para a produção de baterias
4 Espanha: 400 milhões de euros de ajuda à descarbonização do transporte

5 Austrália: Empresas Transgrid e Zenobe irão iniciar projeto piloto com a maior frota de ônibus elétricos

Gestão e Resposta da Demanda
1 Nova tecnologia voltada a medidores inteligentes ajuda consumidores do Reino Unido
2 A redução de emissões do lado da demanda é fundamental para cumprir as metas de descarbonização

Microrredes e VPP
1 Microrredes levam o acesso à eletricidade para 80.000 pessoas na África Ocidental
2 Vesper assina um jogo de energia solar fotovoltaica no Texas com a Pfizer

Tecnologias e Soluções Digitais
1 EUA: Empresa de energia americana irá instalar cerca de 10.000 medidores inteligentes na região do Texas
2 EUA: NYSERDA anuncia a seleção de responsáveis para desenvolver e apoiar recursos integrados de dados de energia
3 Investimentos em análises de medidores inteligentes irão triplicar até 2030
4 Como a tecnologia de nuvem e recursos computacionais permitirão a criação de futuras cidades inteligentes

5 Interoperabilidade e compartilhamento de dados abertos são pontos vitais para a transição energética da União Europeia
6 Canadá: Ontario terá implementação obrigatória de ferramentas digitais de gestão para o consumo elétrico

Segurança Cibernética
1 Conselho emite diretrizes sobre segurança cibernética
2 EUA: Para proteger a cadeia de abastecimento de energia, governo pensa em estratégia para remodelar o setor elétrico
3 O mercado global de segurança cibernética deve ultrapassar US$ 330 bilhões até 2027
4 União Europeia: 4º workshop de segurança cibernética “Melhorando a resiliência da rede”

Eventos
1 Webinar: Sistemas de energias flexíveis e confiáveis para apoiar a descarbonização: Caso do Texas

Artigos e Estudos
1 Artigo: “Emissão zero do efeito estufa: inalcançável ou plausível?”
2 Artigo: “A nova crise global de energia”
3 AIE: Atingindo setor elétricos zero líquidos nos membros do G7


 

 

Transição Energética e ESG

1 Cobre, lítio e níquel: transição energética eleva demanda e previsão de dificuldade de fornecimento

Carros elétricos, baterias, turbinas eólicas, painéis solares e milhares de quilômetros de fios de transmissão são exemplos de equipamentos essenciais para descarbonizar a economia. Com um cenário de crescimento da transição energética, a demanda por minerais como cobre, lítio e níquel atingirá patamares inéditos. As mineradoras, porém, já avisam que não darão conta de oferecer todas essas commodities na quantidade necessária, e uma escassez – seguida por pressão nos preços – é esperada para os próximos anos. No caso do cobre, devem faltar entre seis e oito milhões de toneladas do metal em 2030, correspondentes a cerca de 25% do mercado, de acordo com especialistas na área. Agora, diante da previsão de falta global do produto, a cotação do metal também entrou em tendência de alta e atualmente ronda a casa dos US$ 10,2 mil por tonelada. Deste modo, o Goldman Sachs, em relatório publicado em abril, estimou que o preço deve chegar a US$ 15 mil em 2025. (O Estado de São Paulo – 19.10.2021)

<topo>

2 Aneel e IRENA debatem futuro do marco legal de geração offshore, agenda do hidrogênio verde e expansão de fontes renováveis

O diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica, André Pepitone, participou, no dia 18/10, em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes, de uma reunião com o diretor da Agência Internacional de Energia Renovável (IRENA), Gürbüz Gönül. No encontro, foram tratadas ações para promover ampla adoção e uso sustentável das fontes de energia renovável, incluindo hidrelétrica, solar e eólica offshore, na busca do desenvolvimento sustentável, acesso à energia, segurança energética e crescimento econômico com baixo carbono. Além disso, a agenda do hidrogênio verde, apontado como uma das grandes apostas na transição energética para a redução das emissões de carbono, também foi abordada. Por fim, a reunião contou também com a participação do secretário adjunto de Planejamento e Desenvolvimento Energético do Ministério de Minas e Energia (MME), Marcello Cabral, e o presidente do Instituto Nacional de Energia Limpa (INEL), Heber Galarce. (Aneel – 18.10.2021)

<topo>

3 Mundo precisará quadruplicar investimentos em eólica para alcançar metas em 2050

O volume anual de energia eólica a ser implantado globalmente até 2030 deve quadruplicar em relação aos 93 GW instalados no ano passado para alcançar as metas de 2050. Segundo manifesto do Global Wind Energy Council (GWEC), representado no Brasil pela Associação Brasileira da Energia Eólica, se as taxas de instalação atuais forem mantidas, o mundo terá apenas 43% da capacidade de energia dessa fonte comparada a necessária para alcançar as metas de descarbonização da matriz. Nesse cenário, 96 empresas e associações de toda a cadeia eólica assinam o manifesto, que conclui que “sem medidas drásticas para aumentar a implantação da energia eólica, não conseguiremos descarbonizar os setores de energia, indústria, transporte, aquecimento e outros e não expandiremos significativamente a produção de hidrogênio verde.” (Canal Energia –18.10.2021)

<topo>

4 Grandes varejistas globais transportarão suas mercadorias em navios livres de CO2 até 2040

Amazon, IKEA, Inditex e outros grandes varejistas globais se comprometeram a mudar progressivamente todos os seus embarques para navios movidos a combustíveis com zero emissões de carbono até 2040. Atualmente, o transporte é responsável por quase 3% de todas as emissões globais de CO2, mas isso poderia aumentar para 10% até 2050 se não forem tomadas medidas decisivas para impedir que os navios utilizem combustíveis fósseis. Dada a enorme escala das compras globais de carga dessas empresas, este anúncio envia um forte sinal para a indústria naval e os produtores de combustível de que eles precisam acelerar rapidamente seus esforços de descarbonização para atender à demanda. Como destacam os especialistas do setor, este é um passo importante para reduzir as emissões do transporte marítimo de carga a zero absoluto e, portanto, alinhar o setor com as metas de temperatura de 1,5 ° C do Acordo de Paris. (Energías Renovables – 20.10.2021)

<topo>

5 RWE planeja ajudar o Reino Unido a atingir metas de zero emissões líquidas

A RWE, líder em energias renováveis e pioneira na energia eólica onshore e offshore, se esforça para desempenhar um papel-chave em ajudar a alcançar ambições de zero emissões líquidas de carbono no Reino Unido. O CEO da RWE AG, Markus Krebber, está participando da cúpula Global Investiment Summit, liderada pelo governo, que reúne líderes dos investidores mais importantes do país para incentivar mais investimentos em iniciativas de crescimento verde do Reino Unido. Em suma, a empresa já opera 3,7 GW de capacidade eólica (participação RWE 2,1 GW) e cerca de 7 GW de capacidade moderna e eficiente a gás no Reino Unido. Com parceiros, a RWE está investindo cerca de £ 5 bilhões em dois parques eólicos offshore, Triton Knoll e Sofia Offshore. (REVE – 19.10.2021)

<topo>

6 Fonte solar alcança 11 GW no Brasil

O Brasil acaba de ultrapassar a marca de 11 GW de potência operacional da fonte solar fotovoltaica. Nesse caso, esse volume soma usinas de grande porte e em sistemas de pequeno e médio portes instalados em telhados, fachadas e terrenos. Segundo a Associação Brasileira da Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), foram cerca de R$ 57,2 bilhões em novos investimentos, R$ 15,2 bilhões em arrecadação aos cofres públicos e mais de 330 mil empregos acumulados desde 2012. Com isso, também evitou a emissão de 12,5 milhões de toneladas de CO2 na geração de eletricidade. Em comunicado, o CEO da Absolar, Rodrigo Sauaia, destacou que a fonte ajuda a diversificar o suprimento de energia elétrica do país, reduzindo a pressão sobre os recursos hídricos e o risco de ainda mais aumentos na conta de luz. Isso porque a geração nas usinas de grande porte ocorre a preços até dez vezes menores do que as termelétricas fósseis emergenciais ou a energia elétrica importada de países vizinhos, duas das principais responsáveis pelo aumento tarifário sobre os consumidores. (Canal Energia – 20.10.2021)

<topo>

7 Rio Tinto descreve plano de energias renováveis 6GW Austrália

A Rio Tinto, empresa de mineração, traçou planos para descarbonizar algumas de suas operações australianas usando energia eólica e solar. A empresa espera gastar cerca de AUS $ 7,5 bilhões em despesas de capital diretas com a descarbonização dos ativos entre 2022 a 2030. O foco será em energia renovável para minério de ferro em Pilbara e para as fundições de alumínio australianas, com investimento de AUS $ 0,5 bilhão por ano de 2022 a 2024. A descarbonização de suas operações de minério de ferro na região de Pilbara, na Austrália Ocidental, será acelerada visando a rápida implantação de 1 GW de energia eólica e solar. Segundo a empresa, esta capacidade reduziria cerca de 1 milhão de toneladas de CO2, substituiria a energia do gás natural para usinas e infraestrutura e apoiaria a eletrificação antecipada de equipamentos de mineração. Em suma, a empresa pretende que todo o seu sistema Pilbara seja eletrificado, incluindo todos os caminhões, equipamentos móveis e operações ferroviárias, exigindo mais implantação renovável em escala de gigawatt e avanços em tecnologias de frota. (Renews – 20.10.2021)

<topo>

8 Preço de painéis solares deve seguir em alta até 2022

Segundo Rodolfo Meyer, presidente do Portal Solar, marketplace que reúne fabricantes, distribuidores e instaladores do país, o preço dos equipamentos para a geração de energia solar, que já vem subindo desde o ano passado, pode avançar mais 10% até julho de 2022 antes de começar a baixar. Neste mês, o valor total da instalação de painéis solares de 5,52 kWp de potência, que são o carro-chefe em residências com conta de luz em torno de R$ 600, chegou a R$ 33 mil, segundo simulações do Portal Solar. Os fatores que impulsionaram o preço atual abrangem a crise energética na China, que é o principal fornecedor de equipamentos, a inflação de transportes, insumos e câmbio. (Folha de S. Paulo – 24.10.2021)


<topo>

9 Galp obtém financiamento para instalar 2 GW de energia solar na Espanha

A Galp, petrolífera portuguesa, vai financiar 2 GW da sua carteira fotovoltaica espanhola graças a um empréstimo do Banco Europeu de Investimento (BEI). A empresa portuguesa assinou com o BEI até três acordos de financiamento para a construção de parques solares em Espanha e Portugal e a implantação de postos de carregamento de veículos elétricos em toda a península. A operação tripla, avaliada em € 406,5 milhões, poderá ascender a € 731,5 milhões numa fase posterior. Até o momento, foram aprovados € 325 milhões para o financiamento de parques solares em Espanha; € 40 milhões para parques solares em Portugal; e € 41,5 milhões para a implantação de 5.500 pontos de recarga em toda a península. A Galp prevê que as obras tenham início nos próximos três anos, incluindo as infraestruturas auxiliares de interligação à rede. De acordo com o comunicado divulgado pela Galp, “posteriormente poderá ser acordado ainda um montante adicional de € 325 milhões sob a forma de project finance, o que significa que o financiamento global do BEI para este projeto poderá atingir € 650 milhões”. (Energías Renovables – 25.10.2021)

<topo>

10 IRENA e Fundos de Investimento do Clima fazem parceria para promover a transição energética

Os Fundos de Investimento do Clima (CIF) e a Agência Internacional de Energia Renovável (IRENA) firmaram uma parceria para acelerar o investimento em energia limpa globalmente. A parceria é parte de um novo memorando de entendimento (MoU) assinado, no dia 25/10, durante uma cerimônia de assinatura virtual com a CEO do CIF, Mafalda Duarte, e o Diretor Geral da IRENA, Francesco La Camera. Poucos dias antes da Conferência do Clima da ONU COP26 em Glasgow, a parceria envia um forte sinal à comunidade internacional e afirma o compromisso de ambas as partes em aumentar a ambição climática na busca do Acordo de Paris e dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU. As organizações aproveitarão vantagens comparativas para ampliar e apoiar o clima e o desenvolvimento inteligente em todo o mundo. (IRENA – 25.10.2021)

<topo>

11 Facebook contrata projeto solar de 160 MW na Virgínia

O Facebook Inc, gigante da mídia social, assinou seu mais recente contrato de compra de energia solar (PPA). A notícia foi anunciada pela contraparte do contrato, a saber, DE Shaw Renewable Investments (DESRI). O proprietário do ativo de energia renovável dos Estados Unidos (EUA) disse que o Facebook contratou o projeto Chester Solar de 160 MW que está sendo desenvolvido pela DESRI e pela Torch Clean Energy no Condado de Chesterfield. A saída do novo parque solar será usada pelos data centers do Facebook na região, incluindo o Henrico Data Center que está localizado próximo ao condado oriental de Henrico. Em suma, incluindo o Chester Solar, DESRI e Facebook, agora existem parcerias em relação a mais de 650 MW de projetos de energia limpa contratados e operacionais nos EUA. (Renewables Now – 25.10.2021)

<topo>

12 EDP Renováveis compra PPA solar de 209 MW no Brasil

A EDP Renováveis (EDPR), empresa portuguesa de energias renováveis, assinou um contrato de compra de energia (PPA) vinculado à produção do projeto solar fotovoltaico Monte Verde de 209 MW que pretende construir no estado brasileiro do Rio Grande do Norte. Em um arquivo de títulos publicado, a distribuidora disse que o novo PPA, obtido através da unidade brasileira EDPR Renováveis Brasil SA, seria válido por 15 anos. Prevê-se que a central de Monte Verde comece a gerar energia em 2024. O projeto será um investimento de 50/50 entre a EDPR e a EDP Energias do Brasil SA, que supervisiona as operações brasileiras da gigante portuguesa EDP SA. Com o último PPA fechado, a EDPR, com sede em Madri, afirma que já garantiu contratos de 2,7 GW de capacidade solar e 7,4 GW de capacidade total para o período de 2021-2025. (Renewables Now – 25.10.2021)

<topo>

13 Cypress Creek fecha financiamento para projeto solar de 270 MW no Texas

A Cypress Creek Renewables, empresa de armazenamento solar e de energia, anunciou a conclusão do financiamento de um projeto solar de 270 MW em construção no condado de Dimmit, no Texas, Estados Unidos (EUA). A empresa será a proprietária e operadora da fazenda fotovoltaica Shakes e espera colocá-la em operação no segundo semestre de 2022. A PCL Construction é responsável pelas obras de engenharia, aquisição e construção da fazenda solar. O fechamento financeiro do projeto Shakes foi alcançado depois que a Cypress Creek garantiu o patrimônio fiscal de uma subsidiária do Morgan Stanley, bem como o financiamento de dívidas do Nord / LB, Rabobank, Helaba e National Bank of Canada. Uma vez instalado e funcionando, espera-se que o parque solar produza eletricidade suficiente para cobrir o consumo anual de energia de quase 40.000 residências. Em suma, sua produção e os créditos de energia renovável relacionados serão vendidos à Axpo US, uma afiliada da Axpo Solutions. (Renewables Now – 21.10.2021)

<topo>

 

 

Geração Distribuída

1 Crise hídrica impulsiona energia solar

Em meio à crise hídrica, a geração distribuída solar fotovoltaica tem ganhado força. Enquanto um dos maiores parques solares do país começou a funcionar em São Paulo, em um investimento de R$ 750 milhões, nas áreas rurais os painéis solares são também a alternativa adotada por comerciantes e agricultores. Segundo o agricultor Osmar Ferazin, que montou um sistema de irrigação movido a energia elétrica, a adoção da energia solar distribuída reduziu a fatura mensal de energia de R$ 7 mil para cerca de R$ 700. Segundo a Aneel, as instalações em áreas rurais quase dobraram este ano, em comparação ao ano passado. Atualmente, em todo o país, mais de 480 mil casas têm placas solares. (G1 – 23.10.2021)

<topo>

 

 

Armazenamento de Energia

1 Grupo BW assina acordo para financiar 3GWh de projetos de armazenamento de energia no Reino Unido

Uma joint venture entre a Penso Power, desenvolvedora de projetos de armazenamento de bateria, e a empresa marítima BW Group construirá 3GWh de capacidade de armazenamento de energia nos próximos três a cinco anos no Reino Unido. A nova parceria visa expandir o portfólio de capacidade de armazenamento de energia do país, sendo vital para acelerar seu processo de transição energética. O Grupo BW fornecerá o capital necessário para implementar os projetos, bem como adquirir uma participação na Penso Power. (Smart Energy– 21.10.2021)

<topo>

2 Huawei fecha contrato para projeto de armazenamento de bateria de 1.300 MWh

A Huawei Digital Power, empresa de tecnologia, obteve um contrato para construir o que é considerado o maior sistema de armazenamento de energia de bateria do mundo na Arábia Saudita. A empresa fará parceria com a empresa chinesa de construção e engenharia, SEPCO111, para fornecer o sistema de armazenamento de energia como parte do Projeto do Mar Vermelho. O projeto será localizado no NEOM, uma cidade transfronteiriça na província de Tabuk, no noroeste da Arábia Saudita e incluirá a integração do sistema de armazenamento com uma usina fotovoltaica solar de 400 MW que está sendo desenvolvida pela concessionária ACWA Power, da Arábia Saudita. (Smart Energy– 11.10.2021)

<topo>

3 2021 é um ano recorde para armazenamento em bateria

Um novo relatório de financiamento, fusões e aquisições da Mercom Capital contabilizou cerca de US$ 11,4 bilhões em financiamento corporativo para armazenamento em bateria nos primeiros nove meses de 2021, mobilizando 223 investidores de capital de risco. O capital total representa 73 negócios e é um recorde histórico de 9 meses para tais transações, diz a Mercom. No geral, quase US$ 14 bilhões foram levantados para financiar ou adquirir startups nos setores de armazenamento em bateria, redes inteligentes e eficiência energética voltados para grandes investimentos, como: Northvolt, que arrecadou US$ 2,75 bilhões; Sila Nanotechnologies, que arrecadou US$ 590 milhões; Form Energy e Nexamp, que garantiram US$ 240 milhões cada, e Ambri, que arrecadou US$ 144 milhões. (Smart Energy– 19.10.2021)

<topo>

4 Southern California Edison adicionará 535 MW de armazenamento de energia em bateria

A empresa Southern California Edison (SCE) irá adicionar 535 MW de armazenamento de energia em bateria em três de suas subestações para aumentar a confiabilidade da rede para o próximo verão. Esta iniciativa foi feita em resposta à proclamação de emergência do governador da Califórnia, Gavin Newsom, para acelerar a implantação de novos projetos de energia limpa e armazenamento para o verão. Os 535 MW adicionais de armazenamento de propriedade da SCE complementarão os 1.355 MW de armazenamento em bateria de grande escala instalados no ano passado. Isso trará a quantidade total de capacidade de armazenamento instalada e adquirida da SCE para cerca de 2.810 MW. (Daily Energy Insider– 11.10.2021)

<topo>

 

 

Veículos Elétricos

1 Bateria de carro elétrico com recarga em 5 minutos já é realidade

A Desten, uma empresa de baterias com sede em Hong Kong, China, anunciou sua tecnologia de célula de bateria, que promete uma recarga ultrarrápida em menos de 5 minutos. Mais precisamente, a empresa afirma que suas baterias podem ser recarregadas de 0% a 80% em 4 minutos e 40 segundos. O protótipo de bateria e o veículo elétrico estão prontos para carregar a até 900 kW. A Desten não fornece detalhes sobre sua tecnologia, mas espera-se que as baterias sejam usadas no Piëch GT, o primeiro carro elétrico suíço, que deve estrear em 2024 e ter uma bateria de 75 kWh e, portanto, a capacidade de recarregar em 5 minutos. A autonomia deste carro será de 500 km pelo ciclo Worldwide Harmonised Light Vehicles Test Procedure (WLTP), o que corresponderia a 150 Wh/km. Para alcançar esses números, a empresa trabalhou tanto nos materiais utilizados para a bateria quanto nas estruturas de células, adotando novas composições químicas e desenvolvendo linhas de produção específicas. (Inside EVs – 19.10.2021)

<topo>

2 Infraestrutura de carregamento no Brasil

A expedição da Porsche, do Sul ao Nordeste do país, chegou ontem ao Rio, com 5,8 mil km rodados. A aventura foi cuidadosamente preparada para garantir que a travessia do Taycan por 14 Estados fosse perfeita. Essa iniciativa visa acabar com um dos estigmas que se criaram em relação aos modelos 100% elétricos. Apesar do Brasil estar longe de oferecer a infraestrutura de carregamento que se vê nos países europeus, os próprios fabricantes de veículos estão cuidando da ampliação dos carregadores, através de parcerias com concessionárias de energia. A Volvo Car planeja ter mil pontos públicos instalados no Brasil até o fim deste ano. Além disso, segundo o diretor-geral da Volvo Car, João Oliveira, 90% dos proprietários de automóveis elétricos fazem o carregamento das baterias quase que exclusivamente em casa ou no escritório. Mas, diz Oliveira, a maior preocupação das marcas de elétricos, agora, é garantir pontos de carregamento ao longo das rodovias. (Valor Econômico – 20.10.2021)

<topo>

3 Toyota anuncia fábrica sustentável para a produção de baterias

A Toyota, montadora japonesa, anunciou um investimento de US$ 3,4 bilhões até 2030 para o desenvolvimento e produção de baterias para veículos elétricos (VEs) nos Estados Unidos, valor que faz parte do total de US$ 13,5 bilhões anunciados recentemente para a transição energética. Esse investimento inclui a criação de uma nova empresa e a construção de uma fábrica sustentável dedicada à produção de baterias no país. Com início de operações previsto para 2025, a instalação norte-americana receberá US$ 1,29 bilhão em investimentos até 2031, resultando na criação de 1.750 novos empregos no país norte-americano. Parte das atividades da nova empresa inclui auxiliar a Toyota a desenvolver e expandir ainda mais sua cadeia local de suprimentos e o know-how de produção relacionado a baterias de íon-lítio para veículos elétricos e híbridos. Em um primeiro momento a unidade irá se concentrar em produzir baterias para veículos híbridos, e aos poucos avançar no fornecimento para os novos veículos elétricos que chegarão ao mercado. (Inside EVs – 20.10.2021)

<topo>

4 Espanha: 400 milhões de euros de ajuda à descarbonização do transporte

A Secretária de Estado dos Transportes da Espanha, Isabel Pardo de Vera, reuniu-se com os assessores dos Transportes das Comunidades Autônomas e Municípios do Espanha para informar sobre o Plano de Recuperação, Transformação e Resiliência que visa a transformação das frotas profissionais do transporte rodoviário. O objetivo do plano é “incentivar a inserção de tecnologias de propulsão limpas, bem como acelerar a reativação industrial e do setor automotivo”. O programa de ajuda terá um orçamento inicial de 174 milhões de euros, e será distribuído entre as Comunidades Autónomas e Municípios. A rubrica, que vigorará até 30 de abril de 2024, será ampliada em função da demanda em até 400 milhões de euros. A execução das ações terá início após a publicação dos editais correspondentes. Dentre as principais ações incluídas no auxílio, inclui-se “retrofit” ou modificação da forma de propulsão de veículos de combustíveis fósseis para veículos elétricos e a implantação de infraestrutura de recarga para veículos elétricos. (Energias Renovables– 21.10.2021)

<topo>

5 Austrália: Empresas Transgrid e Zenobe irão iniciar projeto piloto com a maior frota de ônibus elétricos

A Transgrid, operadora de rede de transmissão de eletricidade de alta tensão da Austrália, e a empresa de energia do Reino Unido, Zenobe, implementarão um projeto piloto, que será a maior frota de ônibus elétricos na Austrália. O programa de AUS$ 36 milhões (US$ 26,9 milhões) incluirá a implantação de 40 ônibus elétricos, infraestrutura de carregamento e uma garagem de ônibus inteligente em Leichhardt, em Sydney. O projeto durará três anos e deverá criar um modelo que poderá ser usado para ajudar a Austrália a aumentar a comercialização de ônibus elétricos, e sua adoção, para reduzir as emissões de gases de efeito estufa do setor de transporte. (Smart Energy– 23.10.2021)

<topo>

 

 

Gestão e Resposta da Demanda

1 Nova tecnologia voltada a medidores inteligentes ajuda consumidores do Reino Unido

Uma nova tecnologia voltada para dados de medidores inteligentes foi lançada pela Samsung Electronics para ajudar os consumidores do Reino Unido a melhorar sua gestão energética, em um momento em que os preços da energia continuam a subir devido à escassez de gás natural em toda a Europa. A Samsung SmartThings Energy, plataforma gratuita desenvolvida em parceria com a Chameleon Technology, ajuda os consumidores a otimizar o gerenciamento de energia de sua casa remotamente por meio de um smartphone. De acordo com um comunicado, a plataforma pode ser usada com qualquer medidor e serviço inteligente no Reino Unido e permite que os consumidores monitorem o uso de energia de seus eletrodomésticos remotamente e estabeleçam orçamentos. (Smart Energy– 21.10.2021)

<topo>

2 A redução de emissões do lado da demanda é fundamental para cumprir as metas de descarbonização

Na corrida para cumprir as metas e regulamentações agressivas de descarbonização, um novo estudo mostra que as concessionárias não podem se dar ao luxo de se concentrar apenas em investimentos no fornecimento de energia limpa. O relatório The Customer Action Pathway to National Decarbonization, escrito pelo The Brattle Group e Oracle Utilities, descobriu que até 2040 as ações dos clientes das concessionárias podem reduzir quase duas vezes mais emissões de gases de efeito estufa (GEE) dos setores de veículos residenciais e leves. A redução seria maior do que a que resultaria das políticas atuais para promover investimentos em geração de energia limpa. Ao adotar novas tecnologias e eficiência energética para reduzir o consumo de energia, os clientes de serviços públicos residenciais podem ser responsáveis por evitar 534 toneladas métricas de dióxido de carbono até 2040, o equivalente a mais da metade (135) das usinas a carvão dos Estados Unidos. (Power Grid– 22.10.2021)

<topo>

 

 

Microrredes e VPP

1 Microrredes levam o acesso à eletricidade para 80.000 pessoas na África Ocidental

As 32 microrredes solares, desenvolvidas em resposta à crise do Ebola de 2014, fornecerão o primeiro acesso à eletricidade para 80.000 pessoas na África Ocidental. O projeto Movamba – que adicionará 1,3 megawatts de capacidade de energia renovável – visa aumentar a capacidade do sistema e melhorar a resiliência conectando-se diretamente a hospitais e clínicas na zona rural de Serra Leoa. Como parte do acordo com o governo, o desenvolvedor Energicity, também deve fornecer a quantidade mínima diária de energia necessária para os centros de saúde comunitários gratuitamente. Para isso, um empréstimo de US$ 1,25 milhão da Renewable Energy Performance Platform (REPP), financiada pelo governo do Reino Unido, apoiará a conclusão e operação do projeto. O empréstimo é o primeiro investimento da REPP em uma empresa majoritariamente liderada por mulheres. (Renewable Energy World – 22.10.2021)

<topo>

2 Vesper assina um jogo de energia solar fotovoltaica no Texas com a Pfizer

A Vesper Energy, desenvolvedora de energias renováveis norte-americana, celebrou um contrato de compra de energia virtual (VPPA) com a Pfizer para 310 MW de capacidade solar. A energia será gerada a partir do projeto Hornet Solar de 500 MW da Vesper, no oeste do Texas, que estará totalmente operacional no final de 2023. O contrato de 15 anos cobre 100% das necessidades de energia projetadas das operações da Pfizer na América do Norte por meio de energia solar limpa. “O projeto Hornet Solar da Vesper é um forte exemplo de como colocamos infraestrutura renovável de alta qualidade para trabalhar para resolver os desafios de energia de nossos clientes, ao mesmo tempo que fazemos contribuições significativas para o movimento de maior sustentabilidade”, disse Craig Carson, CEO da Vesper Energy. (Renews – 19.10.2021)

<topo>

 

 

Tecnologias e Soluções Digitais

1 EUA: Empresa de energia americana irá instalar cerca de 10.000 medidores inteligentes na região do Texas

A Southwestern Electric Power Co. (SWEPCO), empresa americana de energia, iniciará o processo de instalação de aproximadamente 10.000 medidores elétricos digitais avançados para clientes em Texarkana, Texas, no dia 01 de novembro. As instalações ocorrerão ao longo de quatro a oito semanas para residências e empresas individuais. Os clientes não precisam estar em casa no momento da instalação, mas devem fornecer acesso livre a seus medidores para que o pessoal da SWEPCO os instale. O Advanced Metering System (AMS) que a SWEPCO está instalando usa tecnologia sem fio segura para fornecer dados de leitura de medidor oportunos e precisos, que os clientes podem usar para entender e gerenciar melhor o uso de eletricidade. Não há taxa para instalação do medidor AMS. (Daily Energy Insider– 22.10.2021)

<topo>

2 EUA: NYSERDA anuncia a seleção de responsáveis para desenvolver e apoiar recursos integrados de dados de energia

A Autoridade de Pesquisa e Desenvolvimento Energético do Estado de Nova York (NYSERDA) anunciou a escolha da Deloitte Consulting LLP (Deloitte) como consultora de dados da plataforma Integrated Energy Data Resource (IEDR). A Deloitte irá organizar e administrar as atividades da IEDR e Pecan Street, empresa de pesquisa de energia, bem como supervisionar e fornecer orientação sobre os dados de serviços públicos. A plataforma centralizada facilitará a análise de importantes percepções da rede para ajudar a informar políticas, investimentos e decisões operacionais. A criação do IEDR irá acelerar a implantação de soluções de energia limpa e apoiar a meta de 70% da energia do estado vir de recursos renováveis até 2030, conforme descrito na Lei de Liderança Climática e Proteção Comunitária (Lei do Clima). (Electric Energy Online– 22.10.2021)

<topo>

3 Investimentos em análises de medidores inteligentes irão triplicar até 2030

De acordo com um white paper da Guidehouse Insights, empresa de pesquisa, as concessionárias globais aumentarão os investimentos em análises de medidores inteligentes em três vezes entre 2021 e 2030, à medida que buscam ampliar a infraestrutura de medição avançada. A empresa prevê uma taxa de crescimento anual composta de 13,4% até 2030, com a receita do mercado global atingindo aproximadamente US$ 5,4 bilhões em 2030, comparado a US$ 1,6 bilhão em 2021. Os Estados Unidos (EUA), China e Europa Ocidental lideram o mercado global de medidores inteligentes, de acordo com o estudo. O estudo afirma que 65% dos consumidores dos EUA têm um medidor inteligente, e a necessidade das concessionárias de otimizar a gestão dos recursos de energia distribuída ajudará a aumentar a introdução para 95% até 2030. (Smart Energy– 25.10.2021)

<topo>

4 Como a tecnologia de nuvem e recursos computacionais permitirão a criação de futuras cidades inteligentes

Dados recentes sugerem que, em 2025, 34 cidades em todo o mundo terão uma população de mais de 10 milhões de pessoas. Com o aumento da população e a sustentabilidade em foco, as cidades estão se desenvolvendo e tornando-se “mais inteligentes” e mais flexíveis, a fim de se adaptar às necessidades de sua população. As empresas em todo o mundo estão aproveitando os desenvolvimentos emergentes em análise, inteligência artificial (IA) e machine learning (ML) para conduzir melhores decisões de negócios. O conceito de cidades inteligentes visa alavancar tecnologias inteligentes para proporcionar melhor qualidade de vida para seus cidadãos. A transformação digital acelerada abriu a porta para as cidades aproveitarem inovações que aprimorem o envolvimento do cidadão e do governo, reduzam os impactos ambientais e levem a uma tomada de decisão mais eficaz e baseada em dados para as necessidades do dia a dia. (Smart Energy– 22.10.2021)

<topo>

5 Interoperabilidade e compartilhamento de dados abertos são pontos vitais para a transição energética da União Europeia

A interoperabilidade das plataformas de dados e sistemas de energia e o compartilhamento seguro e aberto de dados são vitais, mas precisam de melhorias no mercado europeu de energia para realizar a transição energética. Estas são as duas principais conclusões de um webinar intitulado Towards a European data space for energy, organizado pela Comissão Europeia e pela Enlit Europe. O webinar enfocou questões de acesso, troca, segurança e governança de dados relacionados à energia. Outro ponto relevante do evento foi que com o aumento de recursos energéticos distribuídos (REDs) sendo integrados à rede, o acesso a dados em tempo real e o compartilhamento aberto de dados entre as partes interessadas em energia permite a confiabilidade da rede. (Smart Energy– 22.10.2021)

<topo>

6 Canadá: Ontario terá implementação obrigatória de ferramentas digitais de gestão para o consumo elétrico

Os distribuidores de eletricidade de Ontário serão obrigados a implementar o Green Button Download My Data and Connect My Data. O Green Button Download My Data é uma tecnologia que fornece aos clientes da concessionária a capacidade de baixar facilmente seus dados de uso de energia. Já o Green Button Connect My Data fornece uma maneira padronizada para o cliente automatizar a transferência de dados para terceiros autorizados. As implementações são parte de um novo regulamento que orienta as concessionárias a implementar o Padrão NAESB REQ.21 Energy Services Provider Interface (ESPI), e devem ser certificadas pela Green Button Alliance até 1º de novembro de 2023. Com isso, o uso e o gerenciamento de dados de energia mais informados estão previstos. (Smart Energy– 25.10.2021)

<topo>

 

 

Segurança Cibernética

1 Conselho emite diretrizes sobre segurança cibernética

Uma nova resolução com as diretrizes sobre segurança cibernética no setor elétrico foi aprovada pelo Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) no dia 20 de outubro. Essas diretrizes tratam de questões como prevenção, tratamento, resposta e resiliência do setor elétrico, além de processos, capacitação de pessoas e tecnologias voltadas para o tema. A segurança cibernética foi analisada por um grupo de trabalho criado pelo governo, que recomendou maior atenção das instituições, empresas e agentes do setor, assim como a adoção de melhores práticas para proteção e continuidade dos serviços prestados, segundo nota da Ministério de Minas e Energia (MME). O setor elétrico deve considerar a segurança cibernética como um investimento, já que um ambiente seguro permite ganhos operacionais por meio de tecnologias para operação remota e coleta de dados, que reduzem custos com manutenção. Nesse caso, as novas tecnologias também estão associadas a melhores índices de qualidade dos serviços de geração, transmissão e distribuição, de acordo com o MME. (Canal Energia – 20.10.2021)

<topo>

2 EUA: Para proteger a cadeia de abastecimento de energia, governo pensa em estratégia para remodelar o setor elétrico

Cadeias de fornecimento de software e dados vulneráveis expõem a rede elétrica dos Estados Unidos (EUA) à ataques, e o Departamento de Energia dos EUA (DOE) quer resolver o problema remodelando o setor. Políticas para lidar com as vulnerabilidades da cadeia de suprimentos digital estão sendo desenvolvidas e serão incluídas em um relatório para a Casa Branca no próximo ano, segundo consultora sênior de segurança cibernética do DOE. Dentre as políticas, a principal seria o desenvolvimento de uma Base Industrial do Setor de Energia semelhante à forma como o Departamento de Defesa dos EUA se coordena com uma ampla gama de indústrias. A base do setor de energia seria uma colaboração entre o DOE, o resto do governo e o setor privado global, capaz de desenvolver e manter os sistemas necessários para atender às necessidades de energia dos Estados Unidos. (Smart Energy– 21.10.2021)

<topo>

3 O mercado global de segurança cibernética deve ultrapassar US$ 330 bilhões até 2027

A segurança cibernética está se tornando fundamental para as organizações devido ao maior foco na prevenção de vazamento de informações após roubos e violações de dados de alto perfil. Os gastos mundiais com cibersegurança estão aumentando à medida que se torna difícil acompanhar o aumento dos crimes cibernéticos e ataques de malware a governos, setores críticos e organizações de saúde. Espera-se que a adoção de soluções de segurança cibernética aumente com a crescente inserção da Internet entre os países desenvolvidos e em desenvolvimento. Além disso, a expansão da rede sem fio para dispositivos móveis aumentou a vulnerabilidade dos dados, tornando a segurança cibernética uma parte integrante de todas as organizações no mundo. (Yahoo Finance– 25.10.2021)

<topo>

4 União Europeia: 4º workshop de segurança cibernética “Melhorando a resiliência da rede”

A Rede Europeia de Segurança Cibernética (ENCS), a Associação dos Operadores de Redes de Distribuição Europeus (E.DSO) e a Rede Europeia de Operadores de Redes de Transmissão de Eletricidade (ENTSO-E) apresentaram, em parceria, um evento virtual discutindo os desafios do aumento do volume e sofisticação de ataques cibernéticos maliciosos em relação à rede de energia europeia e como o Código de Cibersegurança da Rede aumentará a resiliência da rede. O evento baseou-se nos eventos conjuntos anteriores e no trabalho preparatório sobre o Código de Cibersegurança da Rede. (Smart Energy– 22.10.2021)

<topo>

 

 

Eventos

1 Webinar: Sistemas de energias flexíveis e confiáveis para apoiar a descarbonização: Caso do Texas

Os eventos climáticos extremos não estão apenas mostrando a necessidade de acelerar a descarbonização da economia, mas também revelam a necessidade de flexibilidade, resiliência e confiabilidade. Um dos principais desafios rumo a uma economia de baixo carbono é equilibrar a energia, devido ao aumento da inserção das energias renováveis os futuros sistemas de energias exigirão flexibilidade em todas as suas formas, incluindo armazenamento e geração avançados de energia, movidos a hidrogênio ou combustíveis sintéticos e apoiados por otimização digital. Nesse contexto, o webinar, organizado pela ATA Insights, acontece no dia 10/11 e tem como objetivo discutir mais sobre o assunto e apresentar o caso do Texas. Inscreva-se aqui. (ATA Insights – outubro de 2021)

<topo>

 

 

Artigos e Estudos

1 Artigo: “Emissão zero do efeito estufa: inalcançável ou plausível?”

Em artigo publicado no Estadão, Nelmara Arbex, sócia da KPMG, aborda a urgência de novas metas e decisões para zerar as emissões líquidas de carbono e a importância que a COP 26 terá frente a esse objetivo. Segundo a autora, “a reunião […] tem sido considerada por muitos especialistas como a última chance para a definição de um acordo climático obrigatório. Isso é urgente. Caso os representados dos governos não consigam, iremos conviver com os desastres climáticas por muitos anos que irão também impactar de forma cada vez mais severa a economia de todos os países”. Ela acrescenta que “para atingir essa meta, os países precisarão trabalhar juntos para, entre outras coisas, acelerar a eliminação do carvão como fonte de energia em grande escala, reduzir drasticamente o desmatamento, acelerar a mudança para veículos elétricos alimentados por energia proveniente de fontes renováveis, investir em produção e distribuição de energias de fontes renováveis”. Arbex conclui que “num cenário atípico e desafiador em função da pandemia do novo coronavírus, a COP 26 representa uma oportunidade histórica de colocar o mundo no caminho para enfrentar a recessão e o desafio da mudança climática de forma corajosa, duradoura e benéfica para todos”. Para ler o texto na íntegra, clique aqui. (GESEL-IE-UFRJ – 21.10.2021)

<topo>

2 Artigo: “A nova crise global de energia”

Em artigo publicado no Estado de São Paulo, Fareed Zakaria, escritor e jornalista norte-americano, analisa o caminho que está sendo trilhado rumo a uma nova crise global de energia e os pontos que cooperam para a mesma. Segundo o autor, “o preço da gasolina nos EUA aumentou mais de 50% nos últimos 12 meses. O preço do gás natural na Europa aumentou espantosamente, quase 500%, ao longo do mesmo período. Na Ásia, a Bloomberg News informa que empresas de energia estão comprando gás natural líquido a preços recordes na tentativa de garantir o estoque”. Zakaria acrescenta que a motivação se encontra em uma explicação simples, “é que a demanda por energia está no momento excedendo a oferta, o que faz com que os preços subam. As razões para tal descompasso são muitas, incluindo o clima extremo e imprevisível, bem como decisões equivocadas do governo a respeito do armazenamento, das reservas e linhas de transmissão. […] Boa parte do mundo deixou de investir em combustíveis fósseis (por bons motivos), o que reduziu a oferta destes”. Ele conclui que “ainda precisamos reduzir as emissões hoje e manter a energia disponível. Caso contrário, teremos mais choques de energia, que podem facilmente se voltar contra as políticas de sustentabilidade”. (O Estado de São Paulo – 23.10.2021)

<topo>

3 AIE: Atingindo setor elétricos zero líquidos nos membros do G7

O G7 agora é responsável por quase 40% da economia global, 36% da capacidade global de geração de energia, 30% da demanda global de energia e 25% das emissões globais de dióxido de carbono (CO2) relacionadas à energia. De acordo com um novo relatório da Agência Internacional de Energia (AIE), os membros do G7 estão bem-posicionados para descarbonizar totalmente seu fornecimento de eletricidade até 2035. Segundo a AIE, esse cenário aceleraria os avanços tecnológicos e as implementações de infraestrutura necessárias para liderar os mercados globais de energia em direção a emissões líquidas zero até 2050. De acordo com o caminho da AIE para atingir zero emissões líquidas até 2050, as energias renováveis precisam fornecer 60% do fornecimento de eletricidade do G7 até 2030, ao passo que, segundo as políticas atuais, elas devem chegar a 48%. Para ler o relatório na íntegra, clique aqui. (Renews – 20.10.2021)

<topo>


Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Lorrane Câmara e Luiza Masseno
Pesquisadores:
Cristina Rosa, Matheus Balmas e Pedro Barbosa
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

As notícias divulgadas no IFE não refletem necessariamente os pontos da UFRJ. As informações que apresentam como fonte UFRJ são de responsabilidade da equipe de pesquisa sobre o Setor Elétrico, vinculada ao NUCA do Instituto de Economia da UFRJ.

POLÍTICA DE PRIVACIDADE E SIGILO
Respeitamos sua privacidade. Caso você não deseje mais receber nossos e-mails,  Clique aqui e envie-nos uma mensagem solicitando o descadastrado do seu e-mail de nosso mailing.


Copyright UFRJ

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: