IFE.TEX 59

Informativo Eletrônico – Tecnologias Exponenciais nº 59 – publicado em 18 de outubro de 2021.

IFE: Informativo Eletrônico de Tecnologias Exponenciais – GESEL-UFRJ <!–

l

IFE: nº 59 – 18 de outubro de 2021
http://gesel.ie.ufrj.br/
gesel@gesel.ie.ufrj.br

Editor: Prof. Nivalde J. de Castro

Índice

Transição Energética e ESG
1
Safra lança Certificado de Operações Estruturadas para renováveis
2 Reino Unido promete ter produção de energia 100% renovável até 2035
3 Raízen investirá em energia a partir de bagaço de cana
4 Grécia: RWE e PPC irão desenvolver projetos de energia renovável
5 Emirados Árabes Unidos se une a países comprometidos em zerar emissões líquidas de CO2 até 2050
6 CPFL Renováveis: Complexo eólico no Rio Grande do Norte entra em operação
7 Veracel avalia novos materiais para geração de energia limpa
8 IRENA e SolarPower Europe reforçam ações coordenadas na indústria solar
9 EUA: Lightsource BP revela projeto de energia solar 300MW
10 Brasil: Inauguração do parque fotovoltaico Pereira Barreto de 252 MW, maior complexo solar do estado

Geração Distribuída
1 Light Defi mira em GD para trazer criptomoeda para mercado de energia
2 Vibra quer oferecer energia renovável a postos de gasolina
3 Sistema de gerenciamento de rede de bateria distribuída da Rocky Mountain Power coloca Utah ‘anos à frente’ da Califórnia
4 Agência reguladora do Michigan relata crescimento na capacidade de seu programa de geração distribuída em 2020

Armazenamento de Energia
1 Armazenamento deve triplicar ano a ano, diz Wood Mackenzie
2 Harmony Energy quer instalar 213.5 MW de armazenamento da Tesla
3 Novos produtos de armazenamento de energia chineses chegam na Europa

4 EUA: Koch Strategic Platforms desenvolverá fábrica de células de bateria

Veículos Elétricos
1 Com falta de chips, fabricantes de veículos investem em bateria própria
2 Espanha: Barcelona planeja investir na instalação de pontos de recarga públicos para VEs
3 GM anuncia construção de centro de desenvolvimento de baterias
4 Brasil: Agência Francesa de Desenvolvimento deve financiar veículos, infraestrutura e carregamento de baterias

5 Espanha: Governo aplicará 100 milhões de euros visando a inovação em VEs e células a combustível
6 A TotalEnergies firmou parceria com estatal chinesa para a implantação de carregadores VEs ultrarrápidos

Gestão e Resposta da Demanda
1 Novas soluções de energia residencial podem ajudar os Estados Unidos a cumprir metas de política climática

Eficiência Energética
1 Aneel abre chamada para projetos de eficiência energética em hospitais
2 EUA: Cidade de Utica implanta iluminação pública inteligente e projeto de eficiência energética
3 EUA: DOE irá investir $ 61 milhões em edifícios inteligentes

Microrredes e VPP
1 Microrredes ausentes do plano solar de Biden
2 bp adquire Blueprint, empresa de tecnologia de energia flexível dos EUA

Tecnologias e Soluções Digitais
1 Copel e Lactec firmam parceria para P&D de cidades inteligentes
2 Siemens Energy faz parceria com o Google Cloud para impulsionar sua próxima fase de crescimento sustentável
3 Enel apresenta Gridspertise, empresa dedicada à transformação digital de redes de energia
4 EUA: Rede de medidores inteligentes dobrou em aproximadamente 12 meses

5 Comissão Europeia lança consulta pública de plano de ação para digitalizar o sistema energético
6 Empresa fornece medidores inteligentes para implantação de rede inteligente na Arábia Saudita
7 WattBuy garante US $ 10 milhões extras para impulsionar expansão de seu portifólio.

Segurança Cibernética
1 EUA: DOE se une à Xcel e Berkshire Hathaway Energy em novo programa para proteger o sistema elétrico
2 EUA: NARUC apoiará treinamento dos reguladores estaduais de serviços públicos
3 Brasil: Custos com segurança cibernética devem crescer em 83% das empresas em 2022

Eventos
1 Webinar internacional ABRAGET
2 Debate da Aneel destaca o crescimento das energias eólica e solar sobre fontes renováveis

Artigos e Estudos
1 Um novo estudo atesta a urgência de acelerar a transição energética
2 Wärtsilä: Relatório sobre a aceleração das energias renováveis para reduzir os custos de energia


 

 

Transição Energética e ESG

1 Safra lança Certificado de Operações Estruturadas para renováveis

O Banco Safra lançou o Certificado de Operações Estruturadas (COE) Energia Limpa, o qual está atrelado ao principal índice global de energia limpa, o iShares Global Clean Energy ETF, negociado no mercado americano com o código ICLN. Segundo o banco, essa é uma maneira de se ter exposição a novos mercados e temas de investimento, com risco controlado. O ETF a COE-Safra Energia Limpa foi criado em 2008 e é composto por cerca de 30 empresas globais com um valor de mercado somado de mais de US$ 5 trilhões. As empresas que fazem parte do ETF atuam em cadeias de energia solar, eólica, geotérmica, maremotriz, entre outras. Além da alta pontuação em critérios ESG/ASG, o produto permite uma diversificação geográfica e de risco interessante para os portfólios dos investidores. Em suma, o valor mínimo da aplicação é de apenas R$ 1 mil e a data de vencimento é de cinco anos a partir da emissão do produto. (CanalEnergia – 04.10.2021)

<topo>

2 Reino Unido promete ter produção de energia 100% renovável até 2035

Durante a conferência anual do Partido Conservador, realizada no dia 04/10, o primeiro-ministro Boris Johnson prometeu que toda a energia produzida no Reino Unido virá de fontes renováveis até 2035. Segundo ele, a medida ajudaria a acabar com a dependência de importação de combustíveis do país. Somado a isso, o primeiro-ministro afirmou que será possível chegar à “produção total” de energia renovável em meados da próxima década, em um plano que também inclui o uso de energia nuclear. O Reino Unido obtém grande parte de sua energia de fontes renováveis, como a eólica e solar, e praticamente encerrou o uso do carvão. No entanto, os britânicos continuam fortemente dependentes do gás natural. Com isso, o aumento dos preços do gás em todo o mundo também está afetando os consumidores britânicos, que estão vendo suas contas de eletricidade ficarem mais caras. Em suma, Johnson tenta reforçar as credenciais climáticas do Reino Unido antes de ser o anfitrião da próxima Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (CoP26), que será realizada entre o fim de outubro e o início de novembro em Glasgow, na Escócia. (Valor Econômico – 04.10.2021)

<topo>

3 Raízen investirá em energia a partir de bagaço de cana

A Raízen investirá aproximadamente R$ 150 milhões para a construção de uma nova unidade de geração de eletricidade a partir de bagaço de cana-de-açúcar, aumentando a sua capacidade de produção em 105.000 MWh/ano. O anúncio foi feito após a companhia ter sido uma das vendedoras no leilão A-5, no dia 30 de setembro, no qual a fonte de biomassa a partir da cana liderou as ofertas. Como consequência, a Raízen Energia firmará contratos de comercialização de energia em ambiente regulado pelo preço mínimo de R$ 273/MWh. “Essa operação reforça o compromisso da Raízen em disponibilizar aos seus clientes, produtos e soluções que permitam a redução das emissões de gases do efeito estufa, através do aumento da eficiência e da circularidade de seus processos, apoiando a descarbonização da matriz energética global”, disse a empresa em comunicado. (O Estado de São Paulo – 05.10.2021)

<topo>

4 Grécia: RWE e PPC irão desenvolver projetos de energia renovável

A RWE Renewables, uma das empresas líderes mundiais em energia renovável e a PPC, empresa grega desenvolvedora de projetos de energias renováveis, firmaram parceria para ajudar a acelerar a transição energética grega, desenvolvendo projetos solares de grande escala com uma capacidade total de até 2 GW no país. Por meio dessa colaboração, a concessionária de energia grega (PPC) continuará a descarbonizar seu portfólio e a migrar para fontes de energia renováveis. Para a RWE, isso marca a primeira entrada no mercado grego. A PPC Renewables contribuirá com nove projetos solares com um total combinado de 940 MW, localizados na região oeste da Macedônia, norte da Grécia. A RWE Renewables garantiu um pipeline de projetos fotovoltaicos (PV) gregos de tamanho semelhante com o objetivo de incluí-los na JV. Em suma, os projetos fotovoltaicos estão em vários estágios de desenvolvimento, e espera-se que os projetos avançados comecem a operar em 2023. (Energy Global – 07.10.2021)

<topo>

5 Emirados Árabes Unidos se une a países comprometidos em zerar emissões líquidas de CO2 até 2050

Os Emirados Árabes Unidos (EAU) anunciaram sua iniciativa Strategic Zero Emissions 2050, tornando-se a primeira nação no Oriente Médio e Norte da África (MENA) a fazê-lo. A iniciativa atinge, entre outros, os setores de energia, indústria, infraestrutura, transporte, gestão de resíduos e agricultura, obtendo por sua vez um impacto ambiental positivo. “Estamos comprometidos em consolidar nossa liderança na mudança climática em nossa região e aproveitar esta oportunidade econômica importante para impulsionar o desenvolvimento, o crescimento e a criação de novos empregos à medida que direcionamos nossa nação e economia para emissões zero. Com um investimento de mais de 600 trilhões de dirhans em energia renovável (cerca de 1,5 trilhão de euros), nossa visão de um futuro limpo é clara “, disse o sheikh Mohammed bin Rashid Al Maktoum, vice-presidente e primeiro-ministro dos Emirados Árabes Unidos e governante de Dubai. O anúncio, feito em Dubai, alinha-se com os princípios da década de 1950, o roteiro dos EAU para acelerar o desenvolvimento econômico nacional. (Energías Renovables – 08.10.2021)

<topo>

6 CPFL Renováveis: Complexo eólico no Rio Grande do Norte entra em operação

A CPFL Renováveis, empresa do grupo CPFL, anunciou, no dia 07/10, o início da operação do complexo eólico Gameleira, localizado no Rio Grande do Norte. O empreendimento é composto por quatro parques, que somam 81,65 MW de capacidade instalada. Nesse caso, ao todo o projeto recebeu R$ 397 milhões em investimentos. Segundo a companhia, o projeto teve início em maio de 2019 e iniciou suas atividades dois anos e meio antes da data estipulada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). “Contribuir para uma matriz energética limpa no Brasil é um dos nossos compromissos. Até 2024, temos como meta manter pelo menos 95% das fontes renováveis em nosso portfólio de geração”, afirmou, em nota, José Alexandre Almeida Serra, diretor de engenharia e obras da CPFL. (Valor Econômico – 07.10.2021)

<topo>

7 Veracel avalia novos materiais para geração de energia limpa

A Veracel, empresa de celulose localizada na região Sul da Bahia, além de ser autossuficiente energeticamente em sua produção industrial, tem como segunda fonte de receita a oferta de energia limpa para outras empresas da região. A companhia está estudando novas fontes, como fibra do coco e cascas de cupuaçu, tanto para manter sua produção energética, quanto para ampliar a reciclagem de passivos ambientais. Com a operação de reciclagem de resíduos, são utilizados materiais da própria produção de celulose, caroço de açaí e bagaço de cana de açúcar. A produtora informou que em 2020 produziu aproximadamente 919.873 MWh/ano de energia, sendo que 603.811 MWh/ano foram para consumo próprio e 89.352 MWh/ano exportados para a rede, um total que equivale ao consumo de 178.704 habitantes. (CanalEnergia – 07.10.2021)

<topo>

8 IRENA e SolarPower Europe reforçam ações coordenadas na indústria solar

A Agência Internacional de Energia Renovável (IRENA) e a Solar Power Europe estão firmando uma parceria para aproveitar os pontos fortes de cada uma. A pareceria tem como objetivo avançar conjuntamente em direção a um futuro de energia mais limpa. Assinado pelo Diretor Geral da IRENA, Francesco La Camera, e pelo CEO da SolarPower Europe, Walburga Hemetsberger, o acordo permitirá que ambas as partes coordenem e apoiem a implementação de medidas para ampliar a implantação de energia solar globalmente e garantir uma transição energética justa e inclusiva. “A energia solar é agora a fonte mais barata de geração de eletricidade em muitas partes do mundo e continua a contribuir para os maiores ganhos em capacidade de energia renovável globalmente. Precisamos aproveitar esse momento, maximizando o potencial do setor por meio de ações coletivas. A cooperação é a chave para acelerar o progresso na realização do cenário de 1,5 ° C da IRENA. Ao entrar neste acordo com a SolarPower Europe, esperamos explorar os pontos fortes e as visões de vários participantes da energia solar, em particular do setor privado”, disse Francesco La Camera, Diretor-Geral da IRENA. (IRENA – 07.10.2021)


<topo>

9 EUA: Lightsource BP revela projeto de energia solar 300MW

A Lightsource BP, junto com a Xcel Energy e a EVRAZ North America, lançou um projeto solar de 300 MW no Colorado. A Lightsource BP, uma joint venture 50:50 com a BP, revelou o projeto Bighorn Solar que ajudará a reduzir as emissões e apoiará mais de 1.000 empregos na siderúrgica EVRAZ em Pueblo. Nesse caso, a fábrica é a primeira siderúrgica do mundo a ser movida em grande parte por energia solar, de acordo com a Lightsource BP. O projeto oferece um investimento privado de $ 285 milhões (€ 246 milhões) em nova infraestrutura de energia para o Colorado. Em suma, também deve compensar 433.000 toneladas métricas de emissões de dióxido de carbono por ano, o equivalente a remover 92.100 carros movidos a combustível das estradas. (Renews – 13.10.2021)

<topo>

10 Brasil: Inauguração do parque fotovoltaico Pereira Barreto de 252 MW, maior complexo solar do estado

A EDP Renováveis inaugurou o maior parque solar do estado de São Paulo e o quinto maior do Brasil, com capacidade instalada de 252,29 MW. O novo complexo solar está localizado na cidade de Pereira Barreto, será a maior usina solar desenvolvida, construída e administrada pela empresa no mundo. Segundo comunicado , especifica-se que o complexo tem uma área total de 455 hectares, o equivalente a 421 campos de futebol. A capacidade de geração da usina será de 547 mil MWh por ano, por meio de quase 600 mil painéis solares, o suficiente para abastecer uma cidade de mais de 750 mil habitantes, além de evitar a emissão de mais de 150 toneladas de CO2 por ano. Afirma-se ainda que a central fotovoltaica tem um grande impacto no desenvolvimento socioeconómico da região e contribui de forma sustentável para a criação de emprego, nesse sentido está assegurado que desde o início da sua construção, gerou um total de 1.500 empregos, mais da metade (56%) localmente. (EDP Renewables – 08.10.2021)

<topo>

 

 

Geração Distribuída

1 Light Defi mira em GD para trazer criptomoeda para mercado de energia

A Light DeFi pretende dar início nas próximas semanas à construção de uma usina para geração distribuída (GD) de 1 MW que pode ser ampliada para 3 MW. Germano Sales, diretor da empresa, conta que a companhia ainda deve bater o martelo sobre a localização da planta, tendo os Estados de Minas Gerais, Bahia, Minas e Ceará cotados. Nesse caso, o investimento na usina de GD deve chegar a R$ 5 milhões, já que no lançamento houve uma valorização de mais de 14.000%. Sales conta que a Light DeFi é uma criptomoeda com objetivo de estimular investidores para a energia limpa, sendo um token hospedado na Binance Smart Chain. Reconhecendo-se como um apaixonado por energia, ele lembra que hoje em dia vários setores já usam tokens e no futuro quer que a Light DeFi seja uma blockchain. “O que a gente está fazendo é diferente de tokenizar, estamos lastreando a evolução de uma criptomoeda: a usina fotovoltaica e isso nunca foi feito no mundo”, revela o mesmo. (CanalEnergia – 04.10.2021)

<topo>

2 Vibra quer oferecer energia renovável a postos de gasolina

A Vibra Energia (antiga BR Distribuidora) anunciou a incorporação da comercializadora Targus, e passará a oferecer a seus clientes, com consumo médio de R$ 40 mil, a possibilidade de migrar para o mercado livre de energia (ACL). Para consumidores com faturas menores, a empresa pretende oferecer serviços de geração distribuída (GD), com a possibilidade de reduzir a conta de luz em até 25%. Em comunicado, a empresa informou que, neste ano, já acessou mais de 200 clientes com potencial para acesso ao ACL, que representam 500 unidades consumidoras. Atualmente, a empresa já atende mais de 300 clientes no mercado livre de energia, incluindo comércios, postos de combustíveis e indústrias dos mais variados segmentos, e contará com um portfólio de usinas de geração distribuída, localizadas em quatro estados, que serão capazes de atender mais de 700 postos até o final de 2021. (Broadcast Energia – 05.10.2021)

<topo>

3 Sistema de gerenciamento de rede de bateria distribuída da Rocky Mountain Power coloca Utah ‘anos à frente’ da Califórnia

Rocky Mountain Power (RMP) busca transformar a geração distribuída em ativos de rede, com geração solar combinados ao armazenamento, anunciando uma parceria entre a fabricante de baterias Sonnen e a empreiteira de Utah ES Solar para reformar milhares de casas com sistemas de geração distribuída. Seguindo o sucesso do empreendimento Soleil Lofts, uma comunidade habitacional construída para ser acessada diariamente pela concessionária para ajudar a fornecer flexibilidade para o gerenciamento da rede, a RMP está oferecendo incentivos para seus 50.000 clientes solares existentes em Utah para adicionar um sistema de bateria que pode funcionar com o software de usina virtual da Sonnen. Espera-se que o Programa de Bateria Wattsmart aumente a capacidade de energia distribuída que o RMP pode despachar, da mesma forma que a capacidade dos ativos de energia solar mais armazenamento de Soleil Lofts foram usados na rede. (Utility Dive – 14.10.2021)

<topo>

4 Agência reguladora do Michigan relata crescimento na capacidade de seu programa de geração distribuída em 2020

De acordo com um novo relatório da Comissão de Serviço Público do Michigan (MPSC), o programa de geração de energia distribuída do estado adicionou mais de 2.400 novos clientes no ano passado, expandindo a capacidade em 37%. O programa permite que os clientes gerem sua própria eletricidade, o que, por sua vez, também permite que eles reduzam suas contas de eletricidade consumindo menos da concessionária. Os prossumidores utilizam projetos eólicos e solares, sendo os últimos responsáveis por 97% das instalações. Em 2019, o estado hospedava apenas 8.147 clientes e 8.331 instalações, já em 2020 os números chegaram a 10.553 clientes e 10.718 instalações, com capacidade total de 90.989 kW. (Daily Energy Insider – 07.10.2021)

<topo>

 

 

Armazenamento de Energia

1 Armazenamento deve triplicar ano a ano, diz Wood Mackenzie

A pesquisa da Wood Mackenzie, consultoria global de recursos naturais, mostra que as implantações de sistemas de armazenamento anual quase triplicarão ano a ano, atingindo de 12 GW e 28 GWh em 2021. Os Estados Unidos e a China irão dominar esse mercado global, comandando juntos mais de 70% da capacidade instalada global total até 2030. De acordo com a WoodMac, a movimentação para acelerar a descarbonização dos setores de energia dos dois países está ganhando ritmo e fornece a base da previsão de mercado global. A China está impulsionando a atualização de mercado e a meta recentemente instituída de 30 GW até 2025 que tem um impacto desproporcional no mercado regional front of the meter (FTM). As instalações anuais de armazenamento no país asiático mais do que triplicarão em 2021 e entregarão 260 GWh de nova capacidade para 2021-2030. A consultoria vê o mercado da região da Ásia-Pacífico crescer 20 vezes, atingindo 400 GWh de capacidade total até 2030, com o setor de FTM sendo responsável por 82% dessa demanda. Por sua vez, na América do Norte, o crédito fiscal de investimento atual dos EUA para armazenamento, mais aplicações solares, potencializou a demanda. (CanalEnergia – 07.10.2021)

<topo>

2 Harmony Energy quer instalar 213.5 MW de armazenamento da Tesla

Harmony Energy Income Trust (Harmony), um fundo de investimento em armazenamento de bateria operado pela desenvolvedora de energias renováveis e armazenamento de energia do Reino Unido, Harmony Energy, pretende realizar uma oferta pública inicial (IPO), para financiar o desenvolvimento de projetos usando a tecnologia de armazenamento de bateria da Tesla. Inicialmente a empresa planeja cinco projetos com uma capacidade de 213,5 MW (427 MWh), que têm um valor de aquisição baseado em um requisito de financiamento fixo de £ 750.000 por MW na aquisição, mas a Harmony acredita que o valor chegue a £ 874.000 por MW uma vez construído. (Energy Storage News – 13.10.2021)

<topo>

3 Novos produtos de armazenamento de energia chineses chegam na Europa

A Trina Storage lançou seu novo gabinete de armazenamento de grande porte em bateria de fosfato de ferro de lítio (LFP), o Elementa, com capacidade mínima de 1800kWh. Trina Storage, a divisão de armazenamento de energia da Trina Solar, fabricante de módulos fotovoltaicos verticalmente integrados com sede na China, fornece soluções de sistema de armazenamento de energia de bateria totalmente integrado (BESS) para os mercados de energia renovável e armazenamento em rede. Elementa é uma solução de armazenamento de energia modular e totalmente integrada, projetada para instalação plug and play com menos cabeamento necessário e logística mais fácil do que alguns de seus concorrentes. (Energy Storage News – 12.10.2021)

<topo>

4 EUA: Koch Strategic Platforms desenvolverá fábrica de células de bateria

Uma nova joint venture (JV) está avaliando a construção de gigafábricas de células de bateria nos EUA, com base em tecnologias avançadas de íon-lítio. A joint venture será formada pelo investidor Koch Strategic Platforms e pelo fabricante FREYR Battery. A fábrica terá uma capacidade inicial de 50 GWh de produção e seria desenvolvida pela JV até 2030, com base em uma plataforma chamada SemiSolid, desenvolvida pela 24M Technologies, empresa de produção de baterias de íon-lítio. Criando eletrodos mais grossos do que em outras baterias que podem permitir maior densidade de energia, a 24M afirmou que os processos de fabricação que a plataforma permite podem reduzir as etapas, a complexidade e os custos associados à fabricação de baterias para veículos elétricos e sistemas de armazenamento de energia. As células construídas com a plataforma SemiSolid também são mais facilmente recicláveis, de acordo com a 24M. (Energy Storage News – 13.10.2021)

<topo>

 

 

Veículos Elétricos

1 Com falta de chips, fabricantes de veículos investem em bateria própria

Grandes fabricantes de veículos têm investido na fabricação própria de baterias, boa parte em parcerias com empresas do ramo. Para Ricardo Bacellar, consultor da KPMG, isso tem a ver com o tema atual da falta de semicondutores. “A bateria é um elemento absolutamente crítico para um carro elétrico, e as empresas estão internalizando a produção porque não querem correr o risco de quebra na cadeia de fornecimento, como está ocorrendo com os semicondutores”, afirma o consultor. Atualmente, o fornecimento de baterias também está restrito a poucos fabricantes independentes, muitos deles de pequeno porte e instalados na Ásia. A falta de semicondutores é um dos impactos da pandemia de covid-19, que obrigou fábricas a fecharem as portas por alguns meses para evitar contaminações. Com isso, ao retomarem as atividades, se depararam com demanda inesperada e oferta restrita. No investimento total de mais de US$ 250 bilhões previstos pelo setor, há vários projetos de fábricas de baterias, como o recém-anunciado pela Ford. (O Estado de São Paulo – 05.10.2021)

<topo>

2 Espanha: Barcelona planeja investir na instalação de pontos de recarga públicos para VEs

A Barcelona de Serveis Municipales (B:SM), principal operadora de mobilidade elétrica da capital catalã, prevê um investimento de 12 milhões de euros para a ampliação da rede pública de pontos de recarga elétrica, Endolla Barcelona. A Endolla Barcelona, hoje, é a maior rede pública do país, com 600 pontos espalhados pela cidade. Com esse investimento, a Prefeitura espera chegar a 3.300 pontos em 2024, com 1.000 ativos e 2.300 pré-instalados e preparados para uma atuação rápida com base na evolução da demanda e da tecnologia. Nesse caso, o conselho espera que o investimento seja financiado total ou parcialmente pelos fundos europeus. Com esta ação, a Endolla Barcelona pretende funcionar como a alavanca chave para estimular o mercado de veículos elétricos. Nesse sentido, o presidente da B:SM, Jaume Collboni, explicou que “a expansão da nossa rede pública de recarga, que já é a maior da Espanha e uma das mais potentes da Europa, é um exemplo de como setor público assumimos o firme compromisso de antecipar o crescimento da procura por pontos de recarga e também de facilitar que a implementação do veículo eléctrico chegue a todos os cidadãos, dando cobertura a todos os bairros de Barcelona”. (B:SM – 05.10.2021)

<topo>

3 GM anuncia construção de centro de desenvolvimento de baterias

O Wallace Battery Cell Innovation Center, novo centro de inovação da GM, foi projetado para desenvolver as baterias Ultium de próxima geração, com foco em baixo custo e alta densidade energética. Já que, as próximas baterias Ultium devem ser pelo menos 60% mais baratas do que as atuais. Com isso, as baterias também devem oferecer densidades energéticas de 600 a 1.200 watts por litro. A equipe do Wallace Center se concentrará em químicas de lítio-metal, dizendo que essas células desenvolvidas são significativamente maiores do que as pequenas células metálicas de lítio já utilizadas em dispositivos portáteis atualmente. Além disso, a equipe também trabalhará com baterias de silício e estado sólido, incluindo vários fatores de forma. Nesse caso, o centro de pesquisa está sendo construído no campus do Centro Técnico Global da GM, localizado cerca de 15 quilômetros ao norte do centro de Detroit, em Warren. A construção está prevista para ser concluída em meados de 2022, tendo os primeiros protótipos das células construídas no local no quarto trimestre do mesmo ano. (Inside EVs – 06.10.2021)

<topo>

4 Brasil: Agência Francesa de Desenvolvimento deve financiar veículos, infraestrutura e carregamento de baterias

No dia 05/10, uma missão da Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD) esteve em Curitiba para estudar uma nova parceria com o município para o financiamento de ônibus elétricos, infraestrutura de carregamento para a eletromobilidade e a diversificação de meios de transporte com emissão de baixo carbono. Os técnicos da ADF conheceram projetos locais, e apresentaram iniciativas internacionais, como o Electribus, desenvolvido para Bogotá, na Colômbia. O chefe adjunto da Divisão de Mobilidade e Transporte AFD (Paris), Stéphanne Carcas, disse que o projeto de sistema de ônibus elétricos em Curitiba deve contar com US$ 50 milhões da iniciativa para a compra de 140 veículos elétricos e infraestrutura de carregamento. Segundo o executivo, os investidores não querem mais só financiar a infraestrutura viária para os ônibus, mas os sistemas como um todo. (Diário do Transporte – 06.10.2021)

<topo>

5 Espanha: Governo aplicará 100 milhões de euros visando a inovação em VEs e células a combustível

O Instituto espanhol de Diversificação e Poupança de Energia (Ministério da Transição Ecológica) apresentou no dia 08/10/2021, em uma conferência virtual que organizou em conjunto com a Associação Empresarial para o Desenvolvimento e Promoção da Mobilidade Elétrica (também espanhola), o novo programa “Moves Singulares II”. O novo programa busca fornecer incentivos para projetos impactantes em mobilidade elétrica, visando estimular a inovação em veículos elétricos (VEs) e células a combustível. O “Moves Singulares II” será beneficiado com um incentivo de 100 milhões de euros do Plano de Recuperação, Transformação e Resiliência desenhado pelo governo espanhol para a utilização fundos chamados “Next Generation EU”, destinados a recuperação europeia no período pós-pandemia. (Energias Renovables – 08/10/2021)

<topo>

6 A TotalEnergies firmou parceria com estatal chinesa para a implantação de carregadores VEs ultrarrápidos

A empresa global de energia TotalEnergies estabeleceu uma parceria com a empresa estatal China Three Gorges Corporation (CTG) para instalar uma infraestrutura para carregamento rápido de veículos elétricos (VEs) na China. A TotalEnergies e a CTG estabelecerão uma joint venture que instalará cerca de 11.000 carregadores de VEs de alta potência até 2025, e fornecerá serviços de e-mobilidade nas províncias de Wuhan e Hubei. A joint venture aproveitará a experiência da TotalEnergies em e-mobilidade e a expertise da CTG na produção e fornecimento de energia. Os dois irão instalar carregadores de VEs de 60kW e 120kW nas instalações de clientes business-to-business (B2B) e para carregamento público. Cada estação terá capacidade para hospedar de 20 a 50 VEs, segundo comunicado do projeto. (Smart Energy – 13/10/2021)

<topo>

 

 

Gestão e Resposta da Demanda

1 Novas soluções de energia residencial podem ajudar os Estados Unidos a cumprir metas de política climática.

Novas soluções de energia residencial estão prontas para ajudar os consumidores a apoiar a energia limpa. Um novo estudo da RMI avalia um exemplo desse tipo de solução, o Nest Renew do Google, e descobre que serviços semelhantes podem ajudar as famílias a eliminar mais de 80% de suas emissões de carbono até 2030. O estudo também descobriu que a adoção em escala de soluções emergentes de energia residencial poderia reduzir as emissões de carbono do setor em 50% em relação aos níveis de 2005, até 2050. A análise mais recente da RMI, Bringing Clean Energy Home, analisa soluções de mercado inovadoras para ajudar os consumidores a alinhar suas decisões de consumo de energia com as metas climáticas. (RMI – 06.10.2021)

<topo>

 

 

Eficiência Energética

1 Aneel abre chamada para projetos de eficiência energética em hospitais

Está aberto o prazo para que as distribuidoras interessadas enviem propostas para a Chamada Pública de Projeto Prioritário de Eficiência Energética nº 003/2020. Nesse caso, os projetos devem apresentar soluções de eficiência energética para hospitais públicos ou para aqueles que possuam a Certificação das Entidades Beneficentes de Assistência Social (CEBAS). A medida foi aprovada pela diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), no dia 05/10. De acordo com levantamento realizado pela Agência, cerca de 4 mil hospitais públicos ou beneficentes certificados no Brasil teriam potencial para serem beneficiados pelo Projeto Prioritário. No caso dos hospitais, a Aneel propõe que seja contemplada a melhoria das instalações elétricas internas dos prédios, uma vez que grande parte do setor de saúde está com seus ativos obsoletos, o que demandará um investimento extra para renovação da infraestrutura desses edifícios. O assunto foi amplamente discutido com a sociedade interessada, por meio da Consulta Pública nº 047/2020. Após análise das contribuições recebidas e, visando atingir os objetivos propostos, a Agência definiu as características da Chamada que serão publicadas no Edital. (Aneel – 05.10.2021)

<topo>

2 EUA: Cidade de Utica implanta iluminação pública inteligente e projeto de eficiência energética

No estado americano de Nova York, a concessionária New York Power Authority (NYPA) anunciou a conclusão de um programa de iluminação pública inteligente e eficiência energética com a cidade de Utica. Nesse caso, os dois instalaram 7.140 postes de luz LED inteligentes como parte do Smart Street Lighting NY, uma iniciativa com o objetivo de substituir 50.000 postes de luz por modelos inteligentes e com baixo consumo de energia até 2025. A NYPA financiou o projeto de US$ 11,1 milhões para a cidade de Utica. Alguns nós de gerenciamento de ativos e postes de LED foram instalados para operação em tempo real dos postes de luz, relatórios automatizados de interrupções e para reduzir os custos de energia associados a manter a cidade iluminada e segura. Em suma, a tecnologia instalada permite que a cidade diminua ou aumente remotamente a capacidade de iluminação dos postes de rua. Espera-se que o programa abra caminho para cidades inteligentes e aplicações de redes inteligentes. (Smart Energy International – 11.10.2021)

<topo>

3 EUA: DOE irá investir $ 61 milhões em edifícios inteligentes

O Departamento de Energia americano (DOE) anunciou a concessão de US$ 61 milhões para 10 projetos-piloto, que implementarão novas tecnologias para transformar milhares de casas e locais de trabalho em edifícios de última geração com eficiência energética. Em um comunicado, argumenta-se que essas comunidades conectadas podem interagir com a rede elétrica para otimizar seu consumo de energia, o que reduzirá substancialmente suas emissões de carbono e os custos de energia. As Comunidades Conectadas de Edifícios Eficientes de Rede Interativa (GEB) usam controles, sensores e análises inteligentes para se comunicar com a rede elétrica, reduzindo a quantidade de energia necessária durante os períodos de pico de demanda. Essa capacidade é usada para otimizar os edifícios e recursos de energia distribuídos para manter o conforto dos ocupantes do edifício, reduzir contas de serviços públicos e reduzir os custos do sistema de rede. (Energias Renovables – 13/10/2021)

<topo>

 

 

Microrredes e VPP

1 Microrredes ausentes do plano solar de Biden

Para enfrentar os impactos das mudanças climáticas os EUA precisam de liderança. O Departamento de Energia dos Estados Unidos da América (DOE) reconhece isso. No entanto, no Relatório de Solar Futures Studies do DOE, que oferece um plano para uma rede zero-carbono, os EUA não estão à altura da ocasião. Em vez de realizar uma análise fundamental da estrutura da indústria, com exame de avaliação estratégica, técnica e econômica das opções na indústria de eletricidade, o que temos é óbvio, anticlimático: “implantar energia solar”. A contribuição da eletricidade solar aumenta para 45% da capacidade total até 2050. Os EUA deveriam abraçar seus pontos fortes históricos – inovação e empreendedorismo. As recomendações deste relatório minam a posição competitiva global dos EUA, prejudicam o crescimento econômico de base ampla. Um ponto relevante é a ausência das microrredes sem a compreensão da revolução desse método de descentralização. Isso traz um prejuízo pois as microrredes são resilientes, confiáveis e permitem a entrada do empreendedor na indústria, apoiam a inovação e a gestão local e muito mais. (Renewable Energy World – 13.10.2021)

<topo>

2 bp adquire Blueprint, empresa de tecnologia de energia flexível dos EUA

A multinacional britânica de energia bp entrou no mercado americano de energia flexível ao adquirir a Blueprint Power, uma empresa de software em nuvem que transforma edifícios em usinas virtuais de energia. Nesse caso, a Blueprint utiliza algoritmos para ajudar os edifícios a otimizar sua eficiência energética em linha com os sinais de resposta à demanda na rede elétrica de Nova York. A tecnologia da empresa permite que os edifícios vendam energia excedente – gerada no local e armazenada em baterias – para confiabilidade na rede principal. Atualmente, a empresa está trabalhando com cinco dos maiores varejistas comerciais de Nova York, que geram 13 MW de capacidade de energia limpa e planeja aumentar a capacidade para 36 MW até 2022. Em suma, a companhia foi criada para incentivar o uso de recursos energéticos distribuídos e usinas de energia virtuais para aumentar a confiabilidade e resiliência de energia durante eventos como condições climáticas adversas e falhas de rede, por exemplo, o apagão em Nova York causado pelo furacão Sandy. (Smart Energy International – 12.10.2021)

<topo>

 

 

Tecnologias e Soluções Digitais

1 Copel e Lactec firmam parceria para P&D de cidades inteligentes

A Copel e Lactec firmaram uma parceria para projetos de pesquisa e desenvolvimento (P&D) visando a realização de estudos e aplicação de tecnologias de smart city em sistemas smart grid. Nesse caso, o objetivo é avaliar a aplicação de tecnologias de cidades inteligentes, aproveitando a infraestrutura de comunicação de sistemas de smart grids. O projeto de P&D atende demanda da subsidiária de distribuição da Copel e é realizado no âmbito do Programa de P&D da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). O piloto do projeto está em fase de implantação em Ipiranga (PR), área de concessão da Copel, a primeira cidade do país a ter todas as unidades consumidoras atendidas com medidores inteligentes. O P&D tem investimento previsto de R$ 4,5 milhões e o aporte na implantação da rede inteligente em Ipiranga foi de R$ 7,9 milhões. Segundo o Lactec, inicialmente será testada a inserção de três tecnologias: automação da iluminação pública, medição inteligente de consumo de água e automação do monitoramento climático. (CanalEnergia – 04.10.2021)

<topo>

2 Siemens Energy faz parceria com o Google Cloud para impulsionar sua próxima fase de crescimento sustentável

O Google Cloud e a Siemens Energy, uma das empresas líderes mundiais em tecnologia de energia, anunciaram, dia 12/10/2021, uma nova colaboração para transformar digitalmente a infraestrutura de negócios, sistemas e dados da Siemens Energy com o Google Cloud. Com essa parceria, o Google Cloud trabalhará com a Siemens Energy para mudar sua rede global de data centers para a nuvem, trazendo seus sistemas SAP de toda a empresa para um ambiente com tecnologia de nuvem e impulsionando a transformação digital sustentável com a tecnologia nuvem mais avançada do setor. Modernizando data centers com o Google Cloud, a partir do segundo semestre de 2021, a Siemens Energy migrará mais de 2,6 petabytes de dados de fabricação, cadeia de suprimentos e sensores, armazenados em seus vários data centers, para o Google Cloud (Electric Energy Online – 13/10/2021)

<topo>

3 Enel apresenta Gridspertise, empresa dedicada à transformação digital de redes de energia

Gridspertise, empresa de tecnologia do setor elétrico pertencente a Enel, aproveitará a experiência da Enel em testes, avaliação e ampliação das tecnologias para operar redes inteligentes em todo o mundo, a fim de fornecer soluções comprovadas em campo para Operadores de Sistema de Distribuição (DSOs). A Gridspertise fornecerá acesso a soluções sustentáveis de ponta para a transformação de redes de distribuição de eletricidade em três áreas principais: medição e digitalização de ponta de rede, digitalização de infraestrutura de redes, digitalização de operações de campo. Os mercados-alvo incluem Europa e América Latina, começando com os países onde o Grupo Enel já tem uma forte presença, e expandindo para a América do Norte e Ásia-Pacífico. (Electric Energy Online – 12/10/2021)

<topo>

4 EUA: Rede de medidores inteligentes dobrou em aproximadamente 12 meses

Foram contabilizados 6,7 milhões de medidores inteligentes conectados à rede Data Communications Company (DCC), operadora de medidores inteligentes nos EUA, em 2020/21. O número de medidores conectados à rede da DCC dobrou no último ano. Estima-se que os medidores inteligentes, agora, estão evitando a emissão de mais de 300 mil toneladas de CO2 por ano. A notícia é proveniente do relatório da DCC de Contas Anuais que cobriu até a data de 31/03/2021. O marco ocorreu após uma forte recuperação do setor de energia após a interrupção causada pelo primeiro bloqueio da Covid-19 em 2020. As taxas de instalação diária melhoraram para níveis virtualmente pré-pandêmicos no início do segundo bloqueio, chegando a quase 20.000 instalações por dia útil. (Electric Energy Online – 08/10/2021)

<topo>

5 Comissão Europeia lança consulta pública de plano de ação para digitalizar o sistema energético

A Comissão Europeia lançou uma consulta pública sobre a digitalização do setor da energia, no âmbito da preparação de um Plano de Ação da Comissão para a Digitalização do sistema de energia, com publicação prevista para o primeiro semestre de 2022. O Plano de Ação deve ser visto no contexto dos objetivos do Acordo Verde Europeu para reduzir as emissões de gases com efeito de estufa em 55% até 2030 e alcançar a neutralidade climática até 2050. Conforme destacado na estratégia de integração do sistema de energia de 2020, a transição verde e digital exige um sistema de energia mais eficiente, inteligente, integrado e mais limpo. A transformação digital do sistema energético traz múltiplos benefícios potenciais, mas também traz sua parcela de riscos e desafios relacionados às especificidades do sistema energético. (Electric Energy Online – 06/10/2021)

<topo>

6 Empresa fornece medidores inteligentes para implantação de rede inteligente na Arábia Saudita

A ZIV Automation, companhia global de soluções de tecnologia, e sua controladora Alfanar, empresa de soluções elétricas, entregaram cerca de 550.000 medidores inteligentes para a implantação de rede inteligente da Saudi Electricity Company (SEC). Os medidores inteligentes foram fabricados localmente. Além dos medidores inteligentes, a ZIV Automation também forneceu uma tecnologia de comunicação dupla, PLC-PRIME 1.4 FCC e sistema NB-IoT. A SEC lançou o projeto “Transformação Digital das Redes de Distribuição” em dezembro de 2019 com o Smart Metering Project (SMP) como um fator chave em sua estratégia de melhorar o serviço ao cliente final. O sistema SMP automatiza totalmente a leitura do medidor e o processo de faturamento. Além disso, permitirá que os clientes examinem seu uso de energia em tempo real para melhorar seus padrões de consumo. (Smart Energy – 11/10/2021)

<topo>

7 WattBuy garante US $ 10 milhões extras para impulsionar expansão de seu portifólio.

A WattBuy, uma plataforma de energia limpa que oferece aos consumidores uma maneira de garantir que a energia que estão usando venha de fontes limpas, anunciou que arrecadou US $ 10 milhões em investimentos adicionais para sua rodada de financiamento de Série A. A WattBuy permite que as empresas lancem seus próprios mercados de energia para ajudar os consumidores a acessar opções de energia limpa para suas casas. Os parceiros incluem plataformas de Internet of Things (IoT) líderes de mercado, como Samsung SmartThings, aplicativos de finanças pessoais como Intuit Mint e plataformas imobiliárias como Updater. A WattBuy disse que usará o dinheiro dessas rodadas para dobrar sua equipe e expandir seu produto. Além disso, a empresa disse que em breve lançará um novo serviço solar que fornecerá aos residentes de todo o país opções de energia solar comunitária e de telhado. (Power Grid – 12.10.2021)

<topo>

 

 

Segurança Cibernética

1 EUA: DOE se une à Xcel e Berkshire Hathaway Energy em novo programa para proteger o sistema elétrico

Uma nova parceria público-privada, liderada pelo Departamento de Energia dos EUA (DOE), visa acelerar o desenvolvimento de soluções cibernéticas para sistemas de energia limpa. A parceria está sendo realizada com a Berkshire Hathaway Energy e a Xcel Energy, ambas empresas do setor de energia, fornecendo orientação estratégica do lado da indústria. Será utilizada a plataforma de Pesquisa Avançada em Sistemas Integrados de Energia (ARIES) do National Renewable Energy Lab (NREL) dos EUA para simular como os hackers podem atacar sistemas de energia complexos. O acelerador de segurança testará novas tecnologias para “tornar os sistemas de energia limpa cibernéticos seguros desde o início do projeto”, disse o vice-secretário de Energia dos Estados Unidos, David Turk. (Utility Dive – 07/10/2021)

<topo>

2 EUA: NARUC apoiará treinamento dos reguladores estaduais de serviços públicos

A National Association of Regulatory Utility Commissioners (NARUC) anunciou que recebeu cinco novos acordos cooperativos federais para o Centro NARUC de Parcerias e Inovação (CPI) para apoiar a educação contínua para reguladores de serviços públicos estaduais. O incentivo de US$ 14,2 milhões, do Departamento de Energia dos EUA (DOE) e do Instituto Nacional de Padrões e Tecnologia (NIST), representa o apoio federal para o treinamento de reguladores de serviços públicos e colaboração em questões como interoperabilidade, segurança cibernética, captura de carbono e equidade energética nas questões sociais e econômicas. Com esse apoio, o CPI irá colocar em prática várias iniciativas e recursos, como uma rede de compartilhamento de dados colaborativos entre as partes interessadas da concessionária, pesquisa de planejamento de transmissão, uma mesa redonda de debates sobre equidade energética e um guia de referência de resiliência energética para membros do NARUC. (Power Grid – 11/10/2021)

<topo>

3 Brasil: Custos com segurança cibernética devem crescer em 83% das empresas em 2022

Cerca de 83% das organizações empresariais no Brasil devem aumentar o investimento em segurança cibernética em 2022, a fim de provocar uma redução na frequência de ataques de hackers registrados durante a pandemia de Covid-19. Isso é o que mostra os números divulgados pela pesquisa PwC Digital Trust Insights 2022, que contou com 3,6 mil executivos de negócios, tecnologia e segurança. O número de empresas que preveem um aumento nos gastos cibernéticos para o próximo ano é maior entre as companhias brasileiras, quando comparado outras organizações do mundo. O levantamento mostra que o crescimento nas verbas para combate aos ataques cibernéticos em outros países foi de 69%. Uma comparação feita ao ano passado mostra que os índices eram bem menores: 55% entre empresas brasileiras e 57% para as internacionais. (CNN Brasil – 12/10/2021)

<topo>

 

 

Eventos

1 Webinar internacional ABRAGET

Nos dias 20 e 27 de outubro de 2021, acontecerá o Webinar internacional ABRAGET “Transição dos Sistemas de Potência e Mudança do Mix de Geração”. O evento tem como objetivo promover um debate qualificado e verificar as melhores alternativas técnicas e econômicas para a minimização da emissão de gases de efeito estufa (GEE) com a garantia da segurança, adequacidade, reserva controlável e resiliência para o sistema, considerando-se uma visão de longo prazo. Experiências internacionais da Europa, dos Estados Unidos, da Ásia, da Austrália e da América do Sul serão apresentadas e discutida por convidados de relevância internacional, que trazem suas impressões e seu conhecimento para analisarmos a realidade nacional. Para maiores informações clique aqui. (Doity – 06.10.2021)

<topo>

2 Debate da Aneel destaca o crescimento das energias eólica e solar sobre fontes renováveis

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), representada pelo diretor Sandoval Feitosa, participou de debate sobre as potencialidades de energia renovável no País em live no YouTube no dia 07/10. No evento, o diretor destacou o crescimento da energia eólica e solar na matriz elétrica brasileira. Como exemplo, disse que, na geração centralizada, as usinas solares somam 3,8 GW de potência instalada e, na geração distribuída, 7GW em 620 mil micros e minigeradores fotovoltaicos conectados ao sistema elétrico brasileiro. O diretor ressaltou que a diversificação é a solução para reduzir a dependência da fonte hídrica. Para assistir o debate, clique aqui. (Aneel – 07.10.2021)

<topo>

 

 

Artigos e Estudos

1 Um novo estudo atesta a urgência de acelerar a transição energética

A Arcadis, consultoria internacional para ativos naturais, apresentou um novo estudo, no qual aborda os grandes desafios globais para alcançar a descarbonização. O relatório, intitulado Supercharging Net Zero, analisa como o setor internacional de energia pode liderar o caminho para reduzir as emissões de gases do efeito estufa (GEE). O relatório usa modelos econômicos que simulam as condições necessárias para o setor de energia global se afastar rapidamente dos combustíveis fósseis e avançar na geração de energia renovável, abrindo caminho para a meta de zerar as emissões líquidas de carbono. De acordo com o relatório, se o setor global de energia não se descarbonizar rapidamente, a corrida está perdida. Ao mesmo tempo, de acordo com a Arcadis, o setor global de energia teria que expandir drasticamente sua capacidade de geração de eletricidade para atender à crescente demanda. Isso requer aproximadamente € 6 trilhões de investimentos, por exemplo, em tecnologia de energia renovável e expansão da rede. (Energías Renovables – 05.10.2021)

<topo>

2 Wärtsilä: Relatório sobre a aceleração das energias renováveis para reduzir os custos de energia

Segundo o relatório Front-Loading Net Zero, publicado pela Wärtsilä, acelerar as energias renováveis, para se tornarem a principal fonte de eletricidade, diminui o uso de combustível fóssil, reduzindo significativamente o custo nivelado geral da eletricidade. O documento publicado visa demonstrar as oportunidades ambientais e econômicas para os estados que se descarbonizam rapidamente sua matriz energética. Com isso, os custos de produção de eletricidade podem ser reduzidos em até 50% até 2050 se os países e estados adotarem sistemas 100% renováveis mais rápido do que o planejado atualmente. Em suma, o relatório indica que os sistemas neutros em carbono podem fornecer eletricidade mais barata em comparação com os atuais sistemas baseados em combustíveis fósseis. Para ler o relatório na íntegra, clique aqui.  (Renews – 06.10.2021)

<topo>


Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Lorrane Câmara e Luiza Masseno
Pesquisadores:
Cristina Rosa, Matheus Balmas e Pedro Barbosa
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

As notícias divulgadas no IFE não refletem necessariamente os pontos da UFRJ. As informações que apresentam como fonte UFRJ são de responsabilidade da equipe de pesquisa sobre o Setor Elétrico, vinculada ao NUCA do Instituto de Economia da UFRJ.

POLÍTICA DE PRIVACIDADE E SIGILO
Respeitamos sua privacidade. Caso você não deseje mais receber nossos e-mails,  Clique aqui e envie-nos uma mensagem solicitando o descadastrado do seu e-mail de nosso mailing.


Copyright UFRJ

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: