IFE.ME 78

Informativo Eletrônico – Mobilidade Elétrica 78 – publicado em 14 de outubro de 2021.

IFE: Informativo Eletrônico de Mobilidade Elétrica – GESEL-UFRJ <!–

l

IFE: nº 78 – 14 de outubro de 2021
http://gesel.ie.ufrj.br/
gesel@gesel.ie.ufrj.br

Editor: Prof. Nivalde J. de Castro

Índice

Políticas Públicas e Regulatórias
1
Curitiba: Financiamento para expansão da ME na cidade
2 América Latina: Programa E-Motion e o financiamento da eletromobilidade
3 EUA: Eletrificação de segmentos de veículos militares
4 Nova York: projeto de lei busca que todos os ônibus escolares devem ser elétricos até 2035
5 Barcelona: investimento na instalação de pontos de recarga públicos para VEs
6 Alemanha: Processo de licitação para rede nacional de carregamento rápido
7 Canadá: Província de Saskatchewan começa a taxar quem usa carro elétrico

Inovação e Tecnologia
1 Xcel Energy: modelo piloto para carregamento inteligente de VEs
2 GM: Ultra Cruise promete direção autônoma com ‘mãos livres’ 95% do tempo
3 CATL: Baterias de sódio e suas vantagens
4 ELMS/Ample: Desenvolvimento de tecnologia de troca de baterias para VEs comerciais

Indústria Automobilística
1 Stellantis: Eletrificação e mercado brasileiro
2 Ambev fecha parceria envolvendo mais de 150 caminhões elétricos
3 México: Montadoras vão redirecionar a indústria automobilística para a produção de VEs

4 Fabricantes de VEs investem em fabricação de baterias com receio de falta de fornecimento

5 Stellantis prioriza os VEs em meio à crise dos chips

6 Audi: Carro elétrico já dá quase o mesmo lucro que o a gasolina

7 GM: Parceria para suprimento direcionado à produção de VEs

8 GM pretende dobrar receita até 2030
9 GM: Construção de novo centro tecnológico para desenvolvimento de baterias
10 BMW investe em startup de extração de lítio
11 Tesla chega a 241 mil elétricos produzidos no último trimestre
12 DFDS: Maior encomenda já feita de caminhões elétricos da Volvo
13 Mazda promete eletrificação de todos os modelos até 2030

14 Kawasaki: Motocicletas serão totalmente elétricas em 2035

Meio Ambiente
1 Artigo GESEL: “A importância da reciclagem de baterias para uma mobilidade elétrica sustentável”
2 Artigo: “Mobilidade sustentável salva vidas e o ambiente”
3 GM/GE Renewable Energy: Parceria para desenvolver cadeia de suprimentos de terras raras
4 GM revisa suas metas ambientais

5 CATL anuncia instalação de reciclagem de baterias

Outros Artigos e Estudos
1 Postos de abastecimento de VEs são instalados na BR-163 em MT
2 Porsche elétrico vai cruzar o Brasil em uma expedição de 9 mil km
3 Frota de VEs da SmartMob será expandida em 2021
4 Índia: Bp ventures faz primeiro investimento direto em VEs

5 Reino Unido: VEs alcançam melhor desempenho de vendas mensais
6 BCG: Mercado de trabalho no setor automobilístico diante da expansão dos VEs
7 ZF/DB: Parceria para expansão da frota de ônibus autônomos na Alemanha


 

 

Políticas Públicas e Regulatórias

1 Curitiba: Financiamento para expansão da ME na cidade

Uma missão da Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD) esteve em Curitiba na terça-feira, 05 de outubro de 2021, para estudar uma nova parceria com o município para o financiamento de ônibus elétricos, infraestrutura de carregamento para a eletromobilidade e a diversificação de meios de transporte com emissão de baixo carbono. Os técnicos da ADF conheceram projetos locais, e apresentaram iniciativas internacionais, como o Electribus, desenvolvido para Bogotá, na Colômbia. O chefe adjunto da Divisão de Mobilidade e Transporte AFD (Paris), Stéphanne Carcas, disse que o projeto de sistema de ônibus elétricos em Curitiba deve contar com US$ 50 milhões da iniciativa. “Estimamos um financiamento de US$ 50 milhões para a compra de 140 veículos elétricos, mais infraestrutura de carregamento para o modelo de Curitiba. Com recursos disponíveis do Green Climate Fund para o segundo semestre do ano que vem, seria possível elaborar um pacote de financiamento dos veículos, sistema de recarga e subsídios para outras aplicações vinculadas”. Segundo o executivo, os investidores não querem mais só financiar a infraestrutura viária para os ônibus, mas os sistemas como um todo. Segundo a prefeitura, os trabalhos com vistas à eletromobilidade estão integrados ao planejamento da cidade como parte da meta Viva uma Nova Mobilidade Urbana, prevista no plano de governo 2021/2024 do prefeito Rafael Greca e que pretende a ampliação da intermodalidade com prioridade a sistemas movidos à energia limpa. (Diário do Transporte – 06.10.2021)

<topo>

2 América Latina: Programa E-Motion e o financiamento da eletromobilidade

Em 2022, deve ser lançado o Programa E-Motion, fundo de mobilidade elétrica para a América Latina, que vai contar com recursos do Green Climate Fund (GCF). Entre os integrantes do programa estão a Proparco, subsidiária da Agência Francesa de Desenvolvimento que financia o setor privado com enfoque nos setores de energias renováveis, agroindústria, instituições financeiras, saúde, educação; o Banco de Desenvolvimento Alemão KfW, a Agência Alemã de Cooperação Internacional Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) e a Corporação Andina de Fomento (CAF). Segundo os agentes explicaram aos técnicos da prefeitura de Curitiba, o foco do E-Motion é promover uma transição regional em grande escala para a eletromobilidade, financiando, além do sistema de transporte de massa (micro-ônibus, ônibus padron e BRTs), veículos de carga leve e também táxis. Os recursos provenientes deste fundo para projetos locais deverão estar disponíveis em julho de 2022, após o cumprimento das etapas de aprovação do Programa E-Motion pelas instâncias do Green Climate Fund. (Diário do Transporte – 06.10.2021)

<topo>

3 EUA: Eletrificação de segmentos de veículos militares

A Allison Transmission, fabricante líder de soluções de propulsão de veículos convencionais e eletrificados dos segmentos de defesa táticos sobre rodas e sobre esteiras, veículos comerciais médios e pesados, está acelerando o desenvolvimento de tecnologia de eletrificação para integração na frota de veículos de combate terrestre do Exército dos EUA, incluindo veículos rastreados, veículos de combate de infantaria e o tanque de batalha principal. A eletrificação de veículos de esteiras e rodas de defesa continua ganhando impulso e aumentando o investimento do governo dos EUA à medida que os mercados comerciais avançam com a tecnologia emergente. Os benefícios militares dos veículos eletrificados incluem mobilidade silenciosa para reduzir a detecção do inimigo e maior capacidade de sobrevivência, provisões de energia exportáveis para sistemas a bordo e fora de bordo e modos operacionais flexíveis capazes de equilibrar o desempenho e as demandas de economia de combustível. (Green Car Congress – 06.10.2021)

<topo>

4 Nova York: projeto de lei busca que todos os ônibus escolares devem ser elétricos até 2035

A Câmara Municipal da Cidade de Nova York aprovou um projeto de lei determinando que a frota de ônibus escolares da cidade seja totalmente elétrica até 1º de setembro de 2035. O projeto foi aprovado com 44 votos a favor e um voto contra. Espera-se que o prefeito Bill de Blasio sancione o projeto de lei. A substituição de ônibus escolares está sujeita à disponibilidade comercial e confiabilidade dos ônibus escolares totalmente elétricos e à disponibilidade técnica e física da infraestrutura planejada relacionada, incluindo, mas não se limitando a estações de recarga e depósitos de ônibus para ônibus escolares totalmente elétricos. Estima-se que o custo para substituir 9.740 ônibus a diesel por ônibus elétricos movidos a bateria, bem como o custo para adquirir carregadores e construir conexões elétricas para os carregadores, seja de $ 4,04 bilhões até o ano fiscal de 2035, ou $ 310,9 milhões por ano fiscal assumindo que após vários meses de planejamento no ano fiscal de 2022, a aquisição começa no ano fiscal de 2023. Embora essa estimativa presuma um número constante de ônibus escolares até setembro de 2035, mudanças demográficas e políticas podem reduzir ou aumentar o número de ônibus escolares, o que, por sua vez, resultaria na redução ou aumento das despesas associadas à eletrificação da frota. (Green Car Congress – 10.10.2021)

<topo>

5 Barcelona: investimento na instalação de pontos de recarga públicos para VEs

A Barcelona de Servicios Municipales (B: SM), principal operadora de mobilidade elétrica da capital catalã, prevê um investimento de 12 milhões de euros para a ampliação da rede pública de pontos de recarga elétrica Enchufa Barcelona, hoje a maior rede do estado, com 600 pontos espalhados pela cidade. Com esse investimento, a Prefeitura espera chegar a 3.300 pontos em 2024: 1.000 ativos e 2.300 pré-instalados e preparados para uma atuação rápida com base na evolução da demanda e da tecnologia. O conselho espera que o investimento seja financiado total ou parcialmente pelos fundos europeus. Com esta ação, a Enchufa Barcelona pretende funcionar como “a alavanca chave para estimular o mercado de veículos elétricos”. Nesse sentido, o primeiro vice-prefeito e presidente da B: SM, Jaume Collboni, explicou que “a expansão da nossa rede pública de recarga, que já é a maior da Espanha e uma das mais potentes da Europa, é um exemplo de como setor público assumimos o firme compromisso de antecipar o crescimento da procura por pontos de recarga e também de facilitar que a implementação do veículo elétrico chegue a todos os cidadãos, dando cobertura a todos os bairros de Barcelona”. (Energías Renovables – 06.10.2021)

<topo>

6 Alemanha: Processo de licitação para rede nacional de carregamento rápido

O Ministério Federal dos Transportes e Infraestrutura Digital da Alemanha (BMVI) abriu o processo de licitação para a rede nacional de carregamento rápido: Deutschlandnetz. Empresas e consórcios de empresas podem concorrer à licitação para instalar e operar cerca de 900 locais de carregamento rápido em toda a Alemanha. A criação da rede nacional na Alemanha tem o objetivo de garantir o abastecimento básico com infraestrutura de carregamento rápido no tráfego de médio e longo curso com cerca de 8.000 pontos de carregamento rápido adicionais. Ele complementa os grandes locais de carregamento rápido já existentes e, portanto, garante uma infraestrutura de carregamento rápido em todo o país e com base nas necessidades de toda a Alemanha. “Os pontos de carregamento rápido devem estar acessíveis em todo o país em dez minutos e os métodos de pagamento devem ser simples e padronizados. Esta é a única maneira de deixar as pessoas entusiasmadas com a eletromobilidade”, disse o Ministro Federal de Transportes, Andreas Scheuer. (Green Car Congress – 04.10.2021)

<topo>

7 Canadá: Província de Saskatchewan começa a taxar quem usa carro elétrico

A província de Saskatchewan, no Canadá, iniciou neste mês a cobrança de uma taxa anual de 150 dólares canadenses para todos seus cidadãos que tiverem um carro elétrico emplacado. A justificativa para o novo imposto é a “equidade entre os sistemas” para financiar reparos em estradas. Os carros tradicionais pagam sua parte por meio do imposto sobre o combustível. Os elétricos, pelo argumento do governo, não estariam contribuindo em nada. “Veículos elétricos estão sendo comprados em números cada vez maiores por todo o Canadá e em todo o mundo. Mesmo que a quantidade atual desses veículos em Saskatchewan seja relativamente baixa, ele aumenta a cada ano. Esses veículos contribuem para a degradação das estradas da província, mas, como eles não consomem combustíveis tradicionais, não contribuem para a manutenção das rodovias por meio do Imposto de Combustível”, diz o plano orçamentário 2021-2022 da província. Apesar de a ideia parecer absurda, ela não é nova. Hoje, 18 estados dos EUA já adotam essa taxa, sendo que seis deles implementaram o imposto neste ano. Desses 18, apenas dois oferecem políticas de incentivo para compra de VEs. Os valores das taxas chegam a US$ 180. (Automotive Business – 05.10.2021)

<topo>

 

 

Inovação e Tecnologia

1 Xcel Energy: modelo piloto para carregamento inteligente de VEs

A Xcel Energy lançou um novo modelo piloto para clientes de cinco grandes fabricantes de automóveis para tornar mais fácil para os consumidores fazerem a mudança para VEs no Colorado e carregar seus VEs nos momentos em que a produção de energia renovável é alta e a demanda na rede de energia é baixa. Por meio de seu piloto Charging Perks, a Xcel Energy está trabalhando diretamente com BMW, Ford, General Motors e Honda para testar como a empresa pode ajudar os clientes a carregar seus VEs nos momentos em que podem economizar dinheiro, usar mais energia renovável e quando é mais ideal para a rede de energia. A Xcel Energy trabalhará com as montadoras para gerenciar remotamente quando os veículos são carregados usando comunicações a bordo, aplicativos para smartphones e sites de clientes. Os fabricantes de automóveis usarão as informações do cliente e de seu veículo, emparelhando-as com as informações da rede da Xcel Energy para criar um cronograma de carregamento que garante que o veículo do cliente esteja pronto quando necessário, ao mesmo tempo que carrega nos melhores horários para a rede de energia. A Xcel Energy lançou inicialmente o piloto de Charging Perks para clientes Tesla em junho de 2021. O programa piloto incluirá até 600 clientes de VE no Colorado. (Green Car Congress – 04.10.2021)

<topo>

2 GM: Ultra Cruise promete direção autônoma com ‘mãos livres’ 95% do tempo

A General Motors apresentou recentemente o Ultra Cruise, sua nova tecnologia de assistência ao motorista. O sistema de direção semiautônoma promete a condução mãos-livres em 95% de todos os cenários de trânsito e poderá ser utilizado em todas as rodovias pavimentadas nos EUA e Canadá. Segundo o comunicado da GM, o piloto automático Ultra Cruise cobrirá mais de 2 milhões de km de estradas nos dois maiores países da América do Norte, com capacidade para se expandir até mais de 5,5 milhões de km. Os motoristas poderão conduzir sem precisar colocar as mãos no volante em quase todas as estradas, incluindo ruas em trechos urbanos, vias secundárias e estradas rurais pavimentadas, além de rodovias. Os dois sistemas avançados de assistência ao motorista da GM irão coexistir na programação da empresa com o Super Cruise disponível para veículos mais acessíveis e o Ultra Cruise reservado para os carros mais premium, como os modelos Cadillac, por exemplo. O Ultra Cruise é baseado na plataforma de software Ultifi e da Plataforma de Inteligência veicular. Graças a isto, pode adicionar recursos, funções e serviços ao longo do tempo através de atualizações remotas (Over the Air). A Ultra Cruise funciona por meio de uma combinação de câmeras, radares e um LiDAR no para-brisa (o primeiro nos EUA), desenvolvendo representações estatísticas tridimensionais de 360 graus do ambiente ao redor dos veículos com redundâncias em áreas críticas. Outro componente é a Interface Homem-Máquina, através da qual o sistema apresenta informações ao motorista e se comunica quando precisa assumir o controle do veículo, uma estratégia que visa integrar o condutor sempre atento à condução, uma vez que se trata de um sistema semiautônomo. A GM planeja estrear a nova tecnologia semiautônoma Ultra Cruise em 2023, inicialmente com a marca Cadillac. (Inside EVs – 11.10.2021)

<topo>

3 CATL: Baterias de sódio e suas vantagens

A CATL (Chinesa Amperex Technology Co.) apresentou um recente projeto relacionado a tecnologia de íons de sódio. Um mês após a apresentação, em agosto, o Ministério da Indústria da China deu aval à sua comercialização. A empresa e o governo do gigante asiático concordam que, graças aos progressos feitos, esse tipo de bateria será capaz de corrigir as questões críticas que foram reveladas na primeira fase de testes desta tecnologia, incluindo aquelas relacionadas à segurança. No entanto, as baterias de íons de sódio ainda não são capazes de fornecer uma alternativa melhor ao lítio, mas deve-se dizer que seu uso resolveria pelo menos o problema das matérias-primas, uma vez que estão mais facilmente disponíveis. A Terra, na verdade, contém trezentas vezes mais sódio do que o lítio e essa abundância também teria o efeito de reduzir seu custo. Além disso, a tendência do preço de mercado do sódio é geralmente considerada mais estável e protegida das flutuações que envolveram o lítio nos últimos anos. Ao final da cadeia produtiva, a vantagem também seria para o cliente, visto que, estima-se que essas baterias poderiam custar de 30% a 50% menos do que as baterias mais baratas atualmente em circulação. Por outro lado, no entanto, o problema se dá na densidade energética, que seria inferior à média das baterias de íons de lítio. Um defeito compensado pelo melhor desempenho em baixas temperaturas e uma expectativa de vida mais encorajadora, mas sempre uma pequena desvantagem aos olhos dos consumidores atuais que priorizam cada vez mais a autonomia. A nova bateria apresentada pela CATL tem uma densidade energética de 160 Wh/kg, um valor não fenomenal, mas discreto quando comparado ao das baterias atualmente em circulação, que têm uma densidade energética que varia de 140 a 240 Wh/kg. Este tipo de bateria exigirá a introdução de uma cadeia de suprimentos totalmente nova. A CATL pretende concretizá-la para 2023 e nesse caminho será acompanhada por outras empresas como a HiNa Battery Technology Co., que tem em mente um projeto semelhante para os próximos anos. (Inside EVs – 09.10.2021)

<topo>

4 ELMS/Ample: Desenvolvimento de tecnologia de troca de baterias para VEs comerciais

A fabricante de veículos elétricos comerciais, Electric Last Mile Solutions (ELMS), anunciou planos para oferecer uma opção de veículo comercial que apresentará os recursos de troca de bateria modular da Ample. A Ample é uma empresa de tecnologia de troca de bateria que estabeleceu uma meta de colocar 1 bilhão de VEs nas estradas. Mais recentemente, a Ample lançou suas estações autônomas de troca de bateria na área da Baía de São Francisco e tem trabalhado com empresas de caronas como a Sally para implementar trocas de bateria na cidade de Nova York. Em seguida, a Ample pretende aplicar suas trocas de bateria para veículos elétricos comerciais, agrupando seu serviço ao lado de Electric Last Mile Solutions. Em um comunicado de imprensa da ELMS, a montadora compartilhou notícias de sua mais recente colaboração com a Ample. De acordo com as partes, esta será a primeira oferta agregada de soluções para VEs comerciais equipadas com capacidade de troca de bateria. Desse modo, em breve, as futuras frotas que implantarem os VEs comerciais Classe 1 da ELMS, poderão optar por uma solução de Energy-as-a-Service (EaaS) que apresenta a tecnologia de troca de bateria da Ample. A ELMS declarou que esta solução EaaS reduziria o custo inicial do veículo para seus clientes e permitiria a eles a oportunidade de pagar apenas pela energia que consomem. Além disso, o ELMS e a Ample também compartilharam planos para explorar um pacote completo de Mobility-as-a-service (MaaS). Se implementado, isso daria aos clientes da frota a opção de renunciar totalmente à propriedade do veículo e simplesmente pagar por quilômetro. (Electrek – 12.10.2021)

<topo>

 

 

Indústria Automobilística

1 Stellantis: Eletrificação e mercado brasileiro

A Stellantis iniciou suas atividades no Brasil em 2021 e engloba as marcas: Chrysler, Citroën, Dodge, DS, Fiat, Jeep, Mopar, Peugeot e Ram. Breno Kamei, diretor da Stellantis, revelou que as montadoras pertencentes à nova companhia atuam em prol da eletromobilidade. Atualmente, as marcas da Stellantis apresentam a missão de lançar automóveis eletrificados competitivos no mercado brasileiro. Segundo o diretor “Desde que a Stellantis surgiu, os primeiros passos já foram dados no Brasil rumo à eletrificação dos nossos produtos. Seguindo uma cadência de lançamentos, apresentamos o Fiat 500 elétrico e o Peugeot e-208 GT. O veículo comercial Peugeot e-Expert será a próxima novidade.” Em relação aos novos investimentos no Brasil, o diretor ressaltou “Pensamos, claro, numa linha de produtos competitivos para Brasil e América Latina. O Fiat 500 e o e-208 T comprovam essa estratégia. Mas devemos considerar, também, as características de cada mercado.” (O Estado de São Paulo – 13.10.2021)

<topo>

2 Ambev fecha parceria envolvendo mais de 150 caminhões elétricos

A cervejaria Ambev fechou uma parceria com a JAC Motors para a compra de mais 150 veículos elétricos do modelo iEV1200T, que serão entregues até o fim do ano. A ação consiste em mais um passo em direção a meta da companhia de ter, até 2025, 50% de sua frota composta por caminhões elétricos. O valor da transação não foi divulgado. Somados aos 100 caminhões elétricos da Volkswagen conhecido como e-Delivery, a Ambev planeja ter até o fim do ano frota com 250 unidades circulando em cerca de 20 cidades do país, como São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Brasília, Natal, Curitiba, Fortaleza e Ilhéus. Para atender a esses veículos, os centros de distribuição da empresa que receberem os elétricos terão “PitStops de Carga”, estruturas desenvolvidas como bases para recarga. Os primeiros já foram instalados nas cidades do Rio de Janeiro e Osasco. Para abastecer os pontos de recarga, a Ambev usará energia limpa, como parte das ações para atingir as metas de sustentabilidade da companhia: ter 100% da eletricidade comprada de fontes renováveis e reduzir em 25% as emissões de carbono em toda a cadeia de valor, ambas até 2025. (Valor Econômico – .10.2021)

<topo>

3 México: Montadoras vão redirecionar a indústria automobilística para a produção de VEs

Embora menos de 2% das vendas de carros no México hoje sejam VEs, de acordo com o Instituto Inegi, a situação pode mudar drasticamente no futuro próximo. Nuevo Keon Automotive Cluster, uma associação de fornecedores não governamentais, prevê que haverá 9 milhões de VEs nas estradas do país em 2035. Com a transição da indústria global para a produção dos eletrificados, as montadoras mexicanas estão mudando suas prioridades. Hoje, o país atrai fabricantes de automóveis e peças de reposição de todo o mundo. Além de fabricantes mundialmente famosos como AptivPlc e General Motors, a Visteon Corp. e Ford, Denso e Toyota, também existem vários fornecedores locais, incluindo Rassini SAB, Metalsa SA e Nemak SAB e centenas de empresas menores. A indústria automobilística respondeu por 3% do PIB do México em 2020 – cerca de US $ 32 bilhões. O México é o sexto maior fabricante de automóveis e caminhões leves do mundo e o quarto maior exportador de veículos. A indústria automobilística gera cerca de US$ 100 bilhões anualmente e emprega cerca de 900.000 pessoas. Sabe-se que BMW, Chevrolet, Ford, Honda, Infiniti, Nissan, Porsche, Renault, Tesla e Toyota já estão produzindo VEs relativamente baratos no México. No entanto, embora o México seja uma base popular para carros elétricos direcionados à América do Norte e outros mercados regionais, a transição em massa do país para veículos elétricos está diminuindo devido à falta de programas de apoio do governo para fabricantes e usuários, bem como uma falta de infraestrutura desenvolvida para esses automóveis. (Avalanche Notícias – 04.10.2021)

<topo>

4 Fabricantes de VEs investem em fabricação de baterias com receio de falta de fornecimento

Quase todas as grandes fabricantes de veículos estão investindo na fabricação própria de baterias, boa parte em parcerias com empresas do ramo. Para Ricardo Bacellar, da KPMG, isso tem a ver com o tema atual da falta de semicondutores. “A bateria é um elemento absolutamente crítico para um carro elétrico, e as empresas estão internalizando a produção porque não querem correr o risco de quebra na cadeia de fornecimento, como está ocorrendo com os semicondutores”, afirma o consultor. Hoje, o fornecimento de baterias também está restrito a poucos fabricantes independentes, muitos deles de pequeno porte e instalados na Ásia. A falta de semicondutores é um dos impactos da pandemia de covid-19, que obrigou fábricas a fecharem as portas por alguns meses para evitar contaminações. Ao retomarem as atividades, se depararam com demanda inesperada e oferta restrita. Outra parte do problema veio justamente da concentração de fabricantes na Ásia, que coincidiu também com um incêndio em uma das maiores fábricas de semicondutores e outros problemas enfrentados por empresas da Malásia. No investimento total de mais de US$ 250 bilhões previstos pelo setor, há vários projetos de fábricas de baterias, como o recém-anunciado pela Ford. Parcela do valor também deve ser destinada a projetos de pós-venda e de serviços para carros elétricos, mercado ainda desconhecido pela maioria das empresas, pois ainda não há volume suficiente de modelos eletrificados para as empresas entenderem como vai funcionar a prestação desses serviços, assim como o comércio de modelos usados. (O Estado de São Paulo – 04.10.2021)

<topo>

5 Stellantis prioriza os VEs em meio à crise dos chips

A escassez de semicondutores tem prejudicado a indústria automotiva de várias formas, forçando muitas montadoras a priorizar a produção de modelos mais caros em vez de veículos mais acessíveis para manter as margens de lucro mais altas. A Stellantis, conglomerado multinacional que reúne um total de 14 marcas americanas, italianas e francesas sob o mesmo teto, não é exceção. Como há um número limitado de semicondutores disponíveis no momento, o grupo decidiu priorizar a fabricação de veículos elétricos na Europa em relação aos modelos de motores a combustão. A principal razão por trás da decisão é o fato de que os clientes europeus parecem responder às medidas que os governos locais estão tomando para promover as compras de VEs, como subsídios significativos. No entanto, não se deve ignorar o fato de que os elétricos tendem a ser mais caros do que seus equivalentes a combustão, o que significa que a Stellantis pode lucrar mais com isso. A Stellantis está apostando forte nos carros elétricos, tendo prometido gastar a fortuna de 30 bilhões de euros em veículos zero emissões e software. (Inside EVs – 05.10.2021)

<topo>

6 Audi: Carro elétrico já dá quase o mesmo lucro que o a gasolina

O Grupo Volkswagen está indo muito bem na transição para os carros elétricos, com destaque para a marca Audi. No entanto, essa transição ainda tem um longo caminho pela frente e já custou bilhões de euros ao grupo alemão em investimentos para o desenvolvimento de plataformas, baterias, sistemas de propulsão elétricos e acima de tudo, software e sistemas. Mas ao que parece, ao menos no caso específico da Audi, mais agressiva na eletrificação, o início do retorno de todo esse investimento está muito próximo de acontecer, antes mesmo do que era previsto. Em uma entrevista recente à Reuters, o CEO da Audi, Markus Duesmann, disse o seguinte: “O ponto onde ganhamos tanto dinheiro com VEs quanto com carros com motor de combustão é agora, ou… no próximo ano, 2023”. De fato, a Audi é a marca do grupo mais focada nos veículos elétricos, ao menos por enquanto, mas ainda assim é interessante ver que a rentabilidade dos veículos zero emissões já se aproximam dos modelos com motores a gasolina/diesel, algo que estava previsto para acontecer por volta de 2024/2025. A marca premium alemã vai priorizar cada vez mais os modelos zero emissões até cumprir a meta de se tornar totalmente elétrica em 2033. Vale lembrar que em meados deste ano a Audi apresentou um cronograma para a transição energética. Se tudo ocorrer conforme o programado, em 2025 a marca lançará seu último modelo com motor de combustão interna e a partir do ano seguinte todos os novos modelos terão uma variante 100% elétrica. (Inside EVs – 05.10.2021)

<topo>

7 GM: Parceria para suprimento direcionado à produção de VEs

A General Motors (GM) anunciou um acordo de produção com a Wolfspeed, fornecedora de suprimentos em ligas de silício para a fabricação das próximas linhas de VEs da montadora. Os componentes farão parte dos novos motores e sistemas de propulsão das unidades Ultium Drive da fabricante. O acordo é parte da “Programa de Garantia de Suprimentos da Wolfspeed”, em que a GM oferece sua frota como asseguração de uma produção escalável em uso doméstico — o que ajudará a montadora a enfrentar a crise dos chips. Os componentes de 200 mm serão produzidos no complexo da fornecedora em Mohawk Valley, na cidade de Marcy, Nova Iorque. Em nota, a General Motors informa que a Wolfspeed estenderá as estruturas para acomodar a produção necessária ao fornecimento dos VEs até 2022. No anúncio da parceria, o vice-presidente global de suprimentos da GM, Shilipan Amin, informa que a parceria ajudará a montadora na fabricação de automóveis elétricos com maior autonomia. A General Motors estima que o componente resultará em uma redução de peso e conservação de espaço enquanto aumenta a capacidade dos motores, abastecendo sistemas de 400 a 800 V. (Olhar Digital – 06.10.2021)

<topo>

8 GM pretende dobrar receita até 2030

A presidente-executiva da General Motors, Mary Barra, disse aos investidores nesta quarta-feira que a montadora planeja dobrar a receita até 2030, expandindo os lucros dos veículos a combustão conforme lança novos carros elétricos e serviços controlados digitalmente na tentativa de ultrapassar a Tesla. Se a GM tiver sucesso, sua receita anual em 2030 será de cerca de 244 bilhões de dólares, e a montadora será a líder em vendas de VEs nos Estados Unidos. As ambiciosas metas financeiras de Barra para 2030 são o mais recente impulso em sua campanha para convencer os investidores de que a General Motors pode ser a líder tanto em desenvolvimento de tecnologia quanto em lucratividade, enquanto a indústria automobilística navega pela mais profunda revolução tecnológica. Barra e outros executivos da GM iniciaram uma série de apresentações para investidores, que durará dois dias, no Centro Técnico da montadora em Warren, Michigan, argumentando que a GM pode se transformar “de montadora a uma plataforma de inovação” – uma referência às empresas de plataforma digital do Vale do Silício. Barra e o presidente da GM, Mark Reuss, traçaram um plano para uma transição para uma frota totalmente elétrica até 2035, que começaria gradualmente e depois se aceleraria entre 2030 e 2035. Em 2030, mais da metade das fábricas da GM na China e na América do Norte serão “capazes de produzir veículos elétricos”. (Isto É – 06.10.2021)

<topo>

9 GM: Construção de novo centro tecnológico para desenvolvimento de baterias

A General Motors anunciou o Wallace Battery Cell Innovation Center, uma instalação totalmente nova que irá expandir significativamente as operações de tecnologia de bateria da empresa e acelerar o desenvolvimento e comercialização de baterias de veículos elétricos de maior alcance e mais acessíveis. O Wallace Center estará localizado no campus do Global Technical Center da GM em Warren, Michigan. A instalação terá como base mais de uma década de desenvolvimento avançado de baterias na GM Research and Development. A GM também usará a instalação para integrar o trabalho dos inovadores de baterias afiliados da GM, ajudando a empresa a atingir sua meta declarada de custos de bateria pelo menos 60% mais baixos com a próxima geração de Ultium. O Wallace Center irá acelerar novas tecnologias, como lítio-metal, silício e baterias de estado sólido, juntamente com métodos de produção que podem ser rapidamente implantados em fábricas de células de bateria, como joint ventures da GM com a LG Energy Solution em Lordstown, Ohio e Spring Hill, Tennessee, juntamente com outros locais não divulgados. O Wallace Center está atualmente em construção e será concluído em meados de 2022. (Green Car Congress – 06.10.2021)

<topo>

10 BMW investe em startup de extração de lítio

A BMW anunciou hoje que vai investir em um startup chamada Lilac, especializada em extração de lítio. A iniciativa foi feita para atender às crescentes demandas da montadora para seus carros elétricos, que deverão representar metade das vendas totais até 2030. Não se sabe exatamente qual o tamanho do investimento, mas a rodada total captou cerca de US$ 20 milhões de investidores para a Lilac. Com esse dinheiro, a startup irá construir uma fábrica de “bolinhas de íons de troca”, material que usa para fazer a extração. “Ao investir na Lilac, estamos apoiando o progresso tecnológico no campo da extração de lítio, com foco em métodos responsáveis e sustentáveis”, disse, em comunicado à imprensa, Wolfgang Obermaier, vice-presidente sênior de bens e serviços indiretos, materiais crus e parceiros de produção da BMW. (Automotive Business – 06.10.2021)

<topo>

11 Tesla chega a 241 mil elétricos produzidos no último trimestre

A Tesla, fabricante de carros elétricos, divulgou neste fim de semana os resultados de seu terceiro trimestre de 2021. Foram produzidos 241,3 mil carros, batendo o recorde que havia sido estabelecido no trimestre anterior (201.250). No comunicado à imprensa, a empresa afirma que a margem de erro é de 0,5% e que a contagem das entregas deve ser vista como “marginalmente conservadora, já que só contamos um carro como entregue se ele já foi transferido para o cliente e se toda a burocracia está finalizada”. No final de setembro, o CEO Elon Musk fez uma conferência com todos os funcionários da empresa e afirmou que aquele seria “o mês mais louco de entregas que a Tesla já teve”. (Automotive Business – 04.10.2021)

<topo>

12 DFDS: Maior encomenda já feita de caminhões elétricos da Volvo

A Volvo Trucks recebeu um pedido de 100 caminhões elétricos Volvo FM da DFDS, a maior empresa de transporte e logística do norte da Europa. O negócio é o maior pedido comercial já feito para caminhões elétricos Volvo e um dos maiores já feitos para caminhões elétricos pesados em todo o mundo. As primeiras entregas do Volvo FM Electric para a DFDS começarão no quarto trimestre de 2022 e continuarão ao longo de 2023. Os caminhões serão usados para transporte curto e longo no sistema de logística DFDS na Europa. A DFDS fornece serviços de balsa e transporte na Europa e arredores, gerando receitas anuais de US $ 3 bilhões. Seus 10.000 funcionários estão localizados em mais de 20 países. (Green Car Congress – 06.10.2021)

<topo>

13 Mazda promete eletrificação de todos os modelos até 2030

Em Hiroshima, a Mazda Motor Corporation anunciou planos para expandir globalmente sua linha de SUVs a partir de 2022. Os modelos de grandes grupos de produtos oferecerão uma variedade de opções de motorizações eletrificadas para responder ao roteiro de eletrificação de cada país. O mercado europeu, onde a eletrificação já está em pleno andamento, verá principalmente a introdução de modelos híbridos plug-in com quatro motores a gasolina em linha combinados com um acionamento por motor. Na América do Norte, onde o desempenho de alta potência é valorizado, a Mazda vai lançar modelos de motor a gasolina turboalimentado de seis cilindros em linha e modelos híbridos plug-in para atender aos requisitos do cliente e atender às regulamentações ambientais. Devido à popularidade duradoura dos motores a diesel no Japão, um modelo a diesel de seis Skyactiv-D com um sistema híbrido moderado de 48 V e modelos híbridos plug-in serão introduzidos na linha japonesa. Paralelamente, a Mazda realizará atividades de promoção de vendas para o primeiro VE de produção em massa da Mazda, o MX-30, e apresentará modelos que incorporam várias tecnologias de eletrificação que usam um motor rotativo como gerador a partir do primeiro semestre de 2022. Além disso, a Mazda apresentará uma linha de produtos que usa uma plataforma dedicada a VEs por volta de 2025. Com a introdução desses modelos, a Mazda planeja concluir a eletrificação de todos os modelos que produz até 2030. (Green Car Congress – 07.10.2021)

<topo>

14 Kawasaki: Motocicletas serão totalmente elétricas em 2035

A Kawasaki, fabricante japonesa de motocicletas anunciou que até o ano de 2035 só venderá motocicletas elétricas nos países desenvolvidos. Sendo assim, em 2035, a empresa se comprometeu a vender motocicletas elétricas apenas nos Estados Unidos, Canadá, Europa, Austrália e Japão. O cronograma é um dos mais distantes para uma mudança para veículos elétricos, e o compromisso abre espaço para a venda contínua de motocicletas movidas a gás nos países em desenvolvimento. No entanto, representa uma grande promessa, visto que, a empresa ainda não colocou uma única motocicleta elétrica de produção nas estradas. Mesmo assim, a Kawasaki se comprometeu a lançar 10 novas motocicletas elétricas até 2025. À medida que mais concorrentes de motocicletas elétricas entram no mercado e uma nova geração de pilotos amadurece em um mundo elétrico, a Kawasaki pode não ter outra escolha a não ser eletrificar se quiser manter sua participação no mercado. (Eectrek – 11.10.2021)

<topo>

 

 

Meio Ambiente

1 Artigo GESEL: “A importância da reciclagem de baterias para uma mobilidade elétrica sustentável”

Em artigo publicado pelo GESEL, Luiza Masseno Leal (pesquisadora associada do GESEL), Vinicius José da Costa (pesquisador júnior do GESEL) e Brenda Corcino (pesquisadora júnior do GESEL) analisaram os principais benefícios e desafios do processo de reciclagem de baterias. Conclui-se que a expectativa para os próximos anos é uma maior difusão do processo de reciclagem das baterias dos VEs, dado o seu papel fundamental para o desenvolvimento de uma cadeia de valor ambientalmente e economicamente sustentável para a mobilidade elétrica. Um conjunto de países já se posicionam no sentido de incentivar pesquisas e políticas públicas a favor da promoção da reciclagem de baterias. Para ler o texto na íntegra, clique aqui.

<topo>

2 Artigo: “Mobilidade sustentável salva vidas e o ambiente”

Em artigo publicado no jornal O Estado de São Paulo, Alyson Coimbra (diretor científico da Associação Mineira de Medicina do Tráfego – Ammetra) analisa a importância de uma mobilidade urbana sustentável para a saúde da população. Segundo o autor, “adotar modais sustentáveis, como veículos híbridos e elétricos, trocar o carro por bicicleta ou transporte público, realizar pequenos deslocamentos a pé reduzem os níveis dos principais poluentes atmosféricos.” Coimbra traz exemplo de cidades que avançam nessa direção, de acordo com o diretor da Ammetra, “Em São José dos Campos (SP), o Veículo Leve sobre Pneus (VLP) é o primeiro ônibus articulado totalmente elétrico e produzido no país. Com autonomia de até 250 km, é uma das alternativas da indústria automobilística para a eletromobilidade.” Por fim, o autor conclui que, “as mudanças são urgentes e, em tempos de poucos recursos, o investimento em educação e conscientização dos usuários certamente será o primeiro passo para um sistema nacional de trânsito eficiente, seguro e sustentável”. Para ler o texto na íntegra, clique aqui.

<topo>

3 GM/GE Renewable Energy: Parceria para desenvolver cadeia de suprimentos de terras raras

A General Motors e a GE Renewable Energy assinaram um Memorando de Entendimento (MoU) não vinculante para avaliar as oportunidades de melhorar o fornecimento de materiais de terras raras leves e pesados e ímãs, cobre e aço elétrico usados na fabricação de veículos elétricos e equipamentos de energia renovável. O foco inicial da colaboração será a criação de uma cadeia de suprimentos baseada na América do Norte e na Europa de fabricação de ímãs verticalmente integrada que ambas as empresas, seus respectivos fornecedores e outros parceiros de co-sourcing usarão no futuro. As empresas também trabalharão juntas para ajudar a estabelecer novas cadeias de suprimentos para materiais adicionais, como cobre e eSteel, que são usados em motores de tração automotivos e geração de energia renovável. (Green Car Congress – 06.10.2021)

<topo>

4 GM revisa suas metas ambientais

A GM anunciou nesta semana que planeja gerar energia 100% renovável para abastecer suas fábricas nos EUA até 2025 – cinco anos antes do anunciado anteriormente, e 25 anos antes de sua meta inicial que foi estabelecida em 2016. Ao acelerar sua meta de energia renovável, a gigante norte-americana pretende evitar a emissão de 1 milhão de toneladas métricas de carbono que teriam sido produzidas entre 2025 e 2030. No início deste ano, a GM anunciou suas metas baseadas na ciência, bem como planos para se tornar neutra em carbono em seus produtos e operações globais até 2040, alinhadas com a aspiração de eliminar as emissões de escapamento de novos veículos leves até 2035. Recentemente, a empresa se comprometeu a investir nada menos que US$ 35 bilhões em veículos elétricos e autônomos e planeja lançar mais de 30 modelos de VEs globalmente até 2025. O fornecimento de energia renovável é um componente crítico nos planos da marca norte-americana para descarbonizar seu portfólio. A empresa está concentrando seus esforços de energia renovável em quatro pilares: Aumento da Eficiência Energética; Fontes Renováveis; Armazenamento; e Advocacia política. (Inside EVs – 10.10.2021)

<topo>

5 CATL anuncia instalação de reciclagem de baterias

A CATL, é uma empresa global de tecnologia de energia e a fabricante líder de VE na China. Atualmente, a empresa fornece células de bateria para grandes montadoras do mundo, como Tesla, NIO e Volkswagen. Olhando para o futuro, a CATL reconheceu a crescente demanda por veículos elétricos e o limite corrente dos materiais usados para montá-los. Por isso, desenvolveu um plano para agregar mais sustentabilidade ao processo. Em um relatório recente da Reuters, foi divulgada a notícia de que a CATL construirá uma instalação de reciclagem de material de bateria na província chinesa de Hubei. O fabricante compartilhou planos de investir até 32 bilhões de yuans (US $ 4,96 bilhões) para apoiar o esforço. Em um pedido para a nova instalação na China, a CATL compartilhou que formará uma joint venture com a Hubei Yihua Chemical Industry Co Ltd. Juntas, as partes utilizarão a instalação de quase US $ 5 bilhões para reciclar os materiais de terra preciosos, como cobalto e lítio, presente nas baterias de VEs usadas. A China já implementou políticas para promover a reciclagem de baterias e reutilizar alguns desses materiais não apenas para aumentar a longevidade dos materiais das baterias, mas também para garantir o máximo possível para a produção futura de baterias. (Electrek – 12.10.2021)

<topo>

 

 

Outros Artigos e Estudos

1 Postos de abastecimento de VEs são instalados na BR-163 em MT

A BR-163 em Mato Grosso terá seis postos para abastecimento de carros elétricos. O trecho de 855 km concedidos à administração de uma empresa privada será o único corredor com capacidade para abastecimento elétrico do Centro-Oeste. Os motoristas poderão recarregar os veículos gratuitamente. De acordo com a concessionária que administra o trecho, Rota do Oeste, essa é a primeira concessão rodoviária do Brasil a implantar autonomia de abastecimento para veículos elétricos. Os postos também terão veículos como ambulâncias e guinchos de apoio aos motoristas da BR. Segundo a concessionária, o objetivo é investir na tecnologia rodoviária para o principal corredor de escoamento de grãos do Brasil. Os equipamentos instalados nas bases são do tipo de recarga semirrápida EVLink da Schneider Electric, 22kW AC, instalada pela Effix Engenharia, responsável pela instalação de mais de 30 pontos de recarga em todo o Brasil e na Bolívia. Com esse modelo, qualquer veículo pode utilizar o serviço no máximo de potência suportada pelo automóvel. A Rota disse ainda que, como parte do serviço desenvolvido pela Effixc, está o aplicativo que possibilita ao motorista a checagem dos pontos disponíveis de abastecimento, disponibilidade de uso e ainda a chance de uma reserva do ponto de recarga com até 15 minutos de antecedência. Para abastecer nos totens ao longo da BR, o motorista deve acessar e se cadastrar no aplicativo Tupinambá. A plataforma possibilita ao usuário identificar mais de 750 pontos de abastecimento, incluindo os seis disponíveis na BR-163. Pelo aplicativo, o interessado pode verificar a disponibilidade de uso e a distância entre as estações. Para iniciar a recarga, é preciso realizar a leitura do QR Code no totem de abastecimento. (G1 – 04.10.2021)

<topo>

2 Porsche elétrico vai cruzar o Brasil em uma expedição de 9 mil km

O Porsche Taycan 4S, carro elétrico mais vendido do Brasil no 1º semestre de 2021, ganhou um irmão aventureiro: o Taycan Cross Turismo. Segundo a Porsche Brasil, o carro enfrentará uma travessia do Sul ao Nordeste do Brasil durante 26 dias, partindo de Foz do Iguaçu, no Paraná, e chegando a Jericoacoara, no Ceará. Serão aproximadamente 9 mil quilômetros percorridos por 14 estados. A ideia é “resgatar feitos históricos da marca pelo pioneirismo executado nas respectivas épocas, ilustrada pela participação em competições afamadas mundialmente, caso da Carrera Panamericana, nos anos 50, e edições do rali Paris-Dakar, na década de 80”. O carro tentará jogar por terra um dos maiores desafios enfrentados por donos de veículos elétricos no Brasil, independentemente de porte ou de preço: encontrar um lugar para recarregar a bateria. A marca, ao menos por enquanto, não divulgou como pretende cobrir 9 mil quilômetros e passar por centros, às vezes afastados, sem risco de ficar pelo caminho. Isso deverá ser esclarecido em evento marcado para o próximo sábado (9), no Porsche Center São Paulo, um dos locais pelos quais o Taycan Cross Turismo passará durante a expedição. O Taycan Cross Turismo tem uma bateria construída sob arquitetura de 800 Volts, que dá a ela a capacidade total de armazenamento de 93,4 kWh. A autonomia, fundamental para encarar a expedição, poderá variar entre 389 e 456 km. (CanalTech – 06.10.2021)

<topo>

3 Frota de VEs da SmartMob será expandida em 2021

O Programa de Mobilidade e Compartilhamento Inteligente na Itaipu Binacional (SmartMob) deve expandir a sua frota de veículos elétricos em 2021, gerando mais economia para a Usina e evitando mais emissões de poluentes na atmosfera. Até dezembro de 2020, existiam 19 Renault Twizy na frota da Itaipu Binacional que estavam sendo operados de forma compartilhada e monitorados pela plataforma MoVE. Estima-se que a frota garantiu uma economia de pelo menos R$ 30 mil em combustíveis, já que são veículos 100% elétricos. Além disso, pelo menos 21 toneladas de dióxido de carbono deixaram de ser emitidos na atmosfera, considerando que o monitoramento iniciou em março de 2018. Para 2021, a expectativa é de que a frota seja expandida, através dos modelos Renault Zoe e Fluences. Na primeira entrega do projeto, serão habilitados mais de 40 veículos alocados nos pools setoriais da Itaipu, possibilitando uma melhoria na gestão dos carros. “Para a Divisão de Transportes, responsável pela coordenação do sistema na Itaipu, a percepção é de uma ação extremamente exitosa. O compartilhamento inteligente facilita o acesso aos veículos, moderniza sua utilização, além de permitir melhora na gestão da frota compartilhada”, disse Cassiano Ricardo Emer, gestor de frotas da Divisão de Transportes da Itaipu Binacional. Segundo o gerente do Centro de Tecnologias Abertas e Internet das Coisas (IoT) do Parque Tecnológico, Willbur Rogers de Souza, a expertise aplicada no projeto é excelente para futuros negócios. “O sistema de monitoramento dos veículos compartilhados está servindo de vitrine para municípios que desejam ter ou já tenham uma frota de automóveis eletrificados compartilhados. (Rádio Cultura – 07.10.2021)

<topo>

4 Índia: Bp ventures faz primeiro investimento direto em VEs

A bp ventures fez seu primeiro investimento direto na Índia, investindo US $ 13 milhões em VEs integrados, a parceria é com empresa BluSmart. A bp ventures liderou uma rodada de US $ 25 milhões da Série A que também contou com o apoio do Mayfield India Fund, 9Unicorns e Survam Partners, juntamente com outros investidores existentes. A BluSmart usará a capital para expandir sua frota de veículos elétricos e estações de carregamento de sua cidade natal, Delhi, para cinco outras cidades indianas nos próximos dois anos. O investimento ajudará a bp a se tornar líder no mercado de mobilidade da Índia e a fornecer soluções integradas de energia e mobilidade para ajudar os clientes a reduzir suas emissões em todo o mundo. (Green Car Congress – 04.10.2021)

<topo>

5 Reino Unido: VEs alcançam melhor desempenho de vendas mensais

No Reino Unido, as vendas de VEs foram as mais altas já registradas em setembro, contando com cerca de 32.721 BEVs entrando na estrada no mês. Com uma participação de mercado de 15,2%, o desempenho de setembro, no entanto, foi um pouco menor em relação ao total registrado durante todo o ano de 2019, segundo dados da Society of Motor Manufacturers and Traders (SMMT). A participação do híbrido plug-in (PHEV) aumentou para 6,4%, tornando mais de um em cada cinco carros novos registrados em setembro com capacidade de emissão zero. Enquanto isso, os veículos elétricos híbridos (HEVs) aumentaram sua participação de mercado geral de 8,0% em 2020 para 11,6%, com 24.961 registrados no mês. Porém, os problemas de fornecimento causados pela escassez de semicondutores continuam afetando a indústria. Com a escassez contínua de semicondutores afetando a disponibilidade de veículos, o desempenho de 2021 caiu cerca de 44,7% na média de dez anos antes da pandemia. A demanda privada caiu 25,3% com 120.560 novos registros no mês, mas uma queda maior foi registrada nas grandes frotas, que diminuíram 43,1% para 90.445 unidades. No acumulado do ano, as inscrições estão 5,9% acima dos números de 2020 e 29,4% abaixo da média de uma década pré-pandemia. (Smarttransport – 06.10.2021)

<topo>

6 BCG: Mercado de trabalho no setor automobilístico diante da expansão dos VEs

Um estudo da Boston Consulting Group (BCG) mostrou que os empregos tradicionais da indústria automotiva serão duramente atingidos com o crescimento das vendas dos veículos elétricos na próxima década. De acordo com o relatório, os empregos nas montadoras cairão 20% e nos fornecedores tradicionais ligados aos motores de combustão vão despencar 42% até 2030. No total, a estimativa é de que 500 mil vagas de trabalho especializadas sejam eliminadas apenas na Europa. Se para quem atua hoje no setor o cenário em geral seja mais pessimista, por outro lado há uma perspectiva de criação de postos de trabalho em áreas ainda incipientes. O levantamento diz que os fornecedores focados em tecnologias de emissão zero vão criar 300 mil novas vagas, o que representa um crescimento de 10%. No acumulado, o nível de emprego no setor cairá menos de 1% sobre os 5,7 milhões de empregos existentes atualmente. (Automotive Business – 08.10.2021)

<topo>

7 ZF/DB: Parceria para expansão da frota de ônibus autônomos na Alemanha

Anunciada nesta quinta-feira, a nova parceria entre a ZF Friedrichshafen AG e a empresa alemã DB Regio Bus vai impulsionar o uso de ônibus elétricos autônomos nas cidades – começando pelo próprio país-sede das duas organizações. A cooperação pretende acelerar a transformação da mobilidade do país com foco no tráfego mais rápido, eficiente, seguro e sustentável com o meio ambiente, apontam as companhias. Serão necessários mais de 30 mil shuttles (veículos autônomos de passageiros) até 2035 para transformar o transporte público alemão, segundo estimativas da DB. A ideia é que os ônibus elétricos circulem em áreas urbanas onde empresa já atua, sendo operados em conjunto com a administração de cada cidade. “Com a ZF, a DB Regio Bus tem ao seu lado um forte parceiro tecnológico para fortalecer o transporte público com shuttles elétricos, autônomos e flexíveis. Buscamos um objetivo comum que é o de desobstruir as vias das metrópoles, cidades e comunidades e tornar o transporte público livre de emissões”, afirma o executivo da DB Regio Bus, Frank KlingenhöferMembro. (Automotive Business – 07.10.2021)

<topo>


Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe e Luiza Masseno
Pesquisadores: Brenda Corcino e Vinicius José da Costa
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

As notícias divulgadas no IFE não refletem necessariamente os pontos da UFRJ. As informações que apresentam como fonte UFRJ são de responsabilidade da equipe de pesquisa sobre o Setor Elétrico do Instituto de Economia da UFRJ.

POLÍTICA DE PRIVACIDADE E SIGILO
Respeitamos sua privacidade. Caso você não deseje mais receber nossos e-mails,  Clique aqui e envie-nos uma mensagem solicitando o descadastrado do seu e-mail de nosso mailing.


Copyright UFRJ

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: