IFE.ME 77

Informativo Eletrônico – Mobilidade Elétrica nº 76 – publicado em 06 de outubro de 2021.

IFE: Informativo Eletrônico de Mobilidade Elétrica – GESEL-UFRJ <!–

l

IFE: nº 77 – 06 de outubro de 2021
http://gesel.ie.ufrj.br/
gesel@gesel.ie.ufrj.br

Editor: Prof. Nivalde J. de Castro

Índice

Políticas Públicas e Regulatórias
1
Artigo GESEL: “A importância da reciclagem de baterias para uma mobilidade elétrica sustentável”
2 Brasil: Projeto garante isenção de pedágio em rodovias para VEs
3 Brasil: Comissão rejeita projeto que garante isenção de tarifa de pedágio para VEs
4 SP: Ônibus elétricos são 1,6% da frota em circulação na cidade
5 SP: Governo reduz ICMS de VEs para 14,5%
6 Jaraguá do Sul: Lei que prevê infraestrutura de recarga para VEs em condomínios
7 Portugal: UVE propõe aumento de incentivos à compra de elétricos para 2022
8 Noruega: Venda do último carro a combustão pode ser já em 2022
9 China: Possibilidade de mudança no sistema de incentivos para VEs
10 Alemanha: CEO da Volkswagen quer que governo taxe emissões de carbono

Inovação e Tecnologia
1 Artigo: “Baterias e mobilidade elétrica: Brasil não pode ficar para trás”
2 GreenV: Brasileira recebe R$22 mi de fundo americano
3 ABB lança carregador mais rápido do mundo para VEs
4 Hitachi cria tecnologia para aumentar autonomia de VEs

Indústria Automobilística
1 Artigo: “Difusão dos VEs e o novo mercado automobilístico em formação”
2 Disputa pelo mercado de elétricos se acirra
3 Ford/SK Innovation: parceria vai estabelecer fábricas de baterias nos EUA

4 Volkswagen apresenta o ID.3 e ID.4 no Brasil

5 Volkswagen quer popularizar VEs no Brasil

6 Peugeot e-Expert: van 100% elétrica chega ainda em 2021 no Brasil

7 GM: Unidade de veículos comerciais elétricos expandirá linha

8 Nikola/Iveco: fábrica de caminhões elétricos na Alemanha
9 Rolls-Royce: primeiro elétrico e transição completa para VEs até 2030
10 Lordstown Motors/Foxconn: acordo para impulsionar produção de VEs

Meio Ambiente
1 Novo modelo elétrico da Volvo Buses terá 90% de material feito de recicláveis
2 USA Rare Earth: necessidade de metais terrestres raros para atingir as metas de VEs de Biden
3 GM: Instalações nos EUA serão abastecidas via 100% de energia renovável até 2025
4 Empresas querem mineração no fundo do mar para obtenção de metais essenciais

5 Mineração no mar preocupa montadoras

Outros Artigos e Estudos
1 Para suprir o mercado de mobilidade elétrica, Elev chega ao Brasil
2 Reino Unido: escassez de combustíveis faz aumentar pesquisas por VEs
3 NTT Data: Pesquisa aponta que 4 das 10 novas compras serão de carros eletrificados no Reino Unido
4 Bridgestone: Até 2024, 20% do equipamento original será destinado à VEs

5 Madrid vai contar com mais 30 ônibus elétricos da Irizar e-mobility
6 Austin’s Capital Metro comprará 26 ônibus elétricos Proterra


 

 

Políticas Públicas e Regulatórias

1 Artigo GESEL: “A importância da reciclagem de baterias para uma mobilidade elétrica sustentável”

Em artigo publicado pelo GESEL, Vinicius José da Costa (pesquisador júnior do GESEL), Brenda Corcino (pesquisadora júnior do GESEL) e Luiza Masseno Leal (pesquisadora do GESEL) analisaram os principais benefícios e desafios do processo de reciclagem de baterias. Conclui-se que a expectativa para os próximos anos é uma maior difusão do processo de reciclagem das baterias dos VEs, dado o seu papel fundamental para o desenvolvimento de uma cadeia de valor ambientalmente e economicamente sustentável para a mobilidade elétrica. Um conjunto de países já se posicionam no sentido de incentivar pesquisas e políticas públicas a favor da promoção da reciclagem de baterias. Para ler o texto na íntegra, clique aqui.

<topo>

2 Brasil: Projeto garante isenção de pedágio em rodovias para VEs

O Projeto de Lei 2397/21 torna obrigatório prever a isenção de pedágio para veículos elétricos em futuros editais de concessão de rodovias publicados pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). Em análise na Câmara dos Deputados, o texto altera a Lei 10.233/01, que define, entre outros assuntos, a reestruturação dos transportes aquaviário e terrestre no País. Autor do projeto, o deputado Leonardo Gadelha (PSC-PB) afirma que o objetivo é criar mais um mecanismo de incentivo ao uso de VEs. “Por meio da isenção das tarifas de pedágio em rodovias federais, ampliam-se os estímulos para a compra desses veículos”, disse. “Vale destacar que o benefício também está relacionado à justa compensação aos cidadãos que emitem menos poluentes e menores níveis de ruído em nossas vias.” Gadelha lembrou que o Congresso já vem buscando aprovar medidas nesse sentido, como a lei 13.755/18, que criou o Programa Rota 2030, com benefícios fiscais para empresas que melhorarem a eficiência energética de veículos comercializados no País. Ele destacou ainda que vários estados já zeraram a alíquota do IPVA e outros concedem descontos com a mesma finalidade. O projeto será analisado, em caráter conclusivo, pelas comissões de Viação e Transportes; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania. (Agência Câmara – 30.09.2021)

<topo>

3 Brasil: Comissão rejeita projeto que garante isenção de tarifa de pedágio para VEs

A Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados rejeitou o Projeto de Lei 2397/21, que torna obrigatório prever a isenção de pedágio para veículos elétricos em futuros editais de concessão de rodovias publicados pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). O relator da matéria, deputado Felipe Rigoni (PSB-ES), concordou com a argumentação do autor, deputado Leonardo Gadelha (PSC-PB), segundo a qual o objetivo da isenção é reduzir o uso de veículos movidos a combustíveis fósseis e estimular o aumento da frota de VEs, que são menos poluentes. Rigoni, no entanto, apresentou parecer pela rejeição por ser contra as isenções de pedágio para segmentos específicos de veículos, como a atual isenção para motocicletas e similares em rodovias federais. “Esse movimento acarreta aumento de preços de pedágio aos não isentos da tarifa, o que provoca quebra de isonomia na fruição dos serviços rodoviários”, disse o relator. Para Rigoni, a isenção em pedágios não irá necessariamente gerar incentivos à compra de veículos elétricos. O projeto será ainda analisado, em caráter conclusivo, pelas comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania. (Agência da Câmara – 30.09.2021)

<topo>

4 SP: Ônibus elétricos são 1,6% da frota em circulação na cidade

A cidade de São Paulo tem cerca de 14 mil ônibus em circulação neste segundo semestre. Porém, apenas 1,6% desses veículos são elétricos, índice bem abaixo da meta de 18,7% estabelecida pela SPTrans e pela prefeitura para o ano. Dos 219 ônibus elétricos que compõem a frota da capital, 18 são de modelos modernos, alimentados por baterias recarregáveis. Os demais são trólebus, que se utilizam de linhas aéreas para obter energia. Conforme o plano apresentado, em 2020, pela SPTrans e aprovado pela gestão municipal, 2.620 veículos elétricos deveriam compor a frota que roda na cidade neste ano. A pandemia e os altos custos de aquisição são apontados pelo Instituto de Energia e Meio Ambiente – IEMA como as prováveis causas para esse cenário no setor de transportes. No entanto, a adoção deste tipo de transporte impactaria diretamente no cumprimento das metas de redução de emissão de poluentes, previstas em contrato, por parte da prefeitura, uma vez que os coletivos recarregáveis utilizam uma forma de energia considerada mais “limpa”. Segundo o artigo 50 da Lei de Municipal de Mudanças Climáticas, em 2028, a capital paulista deverá atingir redução de: 50% das emissões totais de Dióxido de Carbono (CO2) – em relação aos índices de 2016; 90% das emissões totais de Materiais Particulados (MP) – em relação aos índices de 2016; e 80% das emissões totais de Óxidos de Nitrogênio (NO) – em relação aos índices de 2016. (G1 – 27.09.2021)

<topo>

5 SP: Governo reduz ICMS de VEs para 14,5%

O governo de São Paulo reduziu o ICMS de ônibus, caminhões e demais veículos elétricos e eletrificados, passando de 18% para 14,5%. As novas alíquotas entrarão em vigor a partir de janeiro de 2022. A ABVE divulgou nota na qual cumprimenta o governador João Doria e o estado pelo conjunto de medidas em apoio à eletromobilidade. O ato foi assinado na quarta-feira, 29 de setembro. “É um grande passo para incentivar a inovação na indústria paulista e reduzir a poluição do ar e o nível de ruído em nossas cidades”, salientou o presidente da ABVE, Adalberto Maluf. O corte do imposto para a mobilidade elétrica é uma antiga reivindicação da entidade, já apresentada às autoridades paulistas em sucessivas reuniões. (Canal Energia – 30.09.2021)

<topo>

6 Jaraguá do Sul: Lei que prevê infraestrutura de recarga para VEs em condomínios

O vereador Onésimo Sell (MDB) pretende estabelecer a obrigação da implantação de infraestrutura para estações de recarga de baterias de veículos elétricos e híbridos nas novas edificações multifamiliares em Jaraguá do Sul. A proposta só valeria para os novos condomínios que tiverem o projeto de construção protocolados na Prefeitura jaraguaense a partir da vigência da lei. Os residenciais com apartamentos de área menor do que 80m2 ficariam de fora da obrigatoriedade. O PL prevê que condomínios com unidades habitacionais com áreas entre 80m2 e 110m2 devem possuir pelo menos a infraestrutura parcial para estação de recarga exclusiva para cada garagem. Já os condomínios que tenham unidades com áreas superiores a 110m2 devem possuir a infraestrutura completa para as estações. A matéria ainda estabelece que as demais categorias de edificações que contenham 100 vagas de estacionamento ou mais devem possuir a infraestrutura completa dimensionada e instalada com as estações de recargas para no mínimo 5% do total de vagas, cabendo ao proprietário do empreendimento a definição sobre os critérios de uso e cobrança do serviço de recarga. O projeto foi aprovado em primeira votação na sessão da Câmara Municipal na terça-feira (28) e ainda precisa passar pela segunda votação dos parlamentares para ser enviado para sanção do prefeito Antídio Lunelli. Mesmo assim, o texto da matéria ainda prevê que as regras só entrarão em vigor seis meses após a data da sua publicação e serão implementadas para projetos de obras de construção protocolados a partir desse momento de vigência. (OCP News – 28.09.2021)

<topo>

7 Portugal: UVE propõe aumento de incentivos à compra de elétricos para 2022

A UVE (Associação de Utilizadores de Veículos Elétricos) propôs 14 medidas a serem adotadas pelo Governo, no Orçamento de Estado para 2022, no que se refere à mobilidade elétrica, eletrificação dos transportes e mobilidade dos cidadãos. Algumas das medidas propostas pela UVE incluem: i) aumento da dotação total para os incentivos à aquisição de veículos leves 100% elétricos, o incentivo proposto para a aquisição de veículos leves de passageiros elétricos deve aumentar de 3.000 para 6.000 euros; ii) criação de um incentivo ao abate para veículos de combustão interna (ICE), variável consoante a idade e que acumule com o incentivo à aquisição de um elétrico; e iii) manutenção do Programa de Incentivos à Mobilidade elétrica na Administração Pública, dado especial atenção à Administração Local nas regiões interiores e etc. (Fleet Magazine – 28.09.2021)

<topo>

8 Noruega: Venda do último carro a combustão pode ser já em 2022

Quando se fala em países que têm apostado forte na mobilidade elétrica, a Noruega é um dos exemplos. O país tem apostado na descarbonização, apesar de não querer fechar as suas reservas de petróleo. Apesar da Noruega querer proibir a venda de carros a combustão em 2025, tal pode vir a ser “forçado” já para 2022. O país tem se tornado um exemplo mundial de eletromobilidade. Se a tendência das vendas de carros nos últimos cinco anos na Noruega não se alterar, o último carro novo a gasolina ou a diesel na Noruega será vendido daqui a sete meses – em abril de 2022. É o “fim” dos carros movidos a combustíveis fósseis. Nos primeiros oito meses de 2017, os carros a gasolina e a diesel representaram mais de 25 por cento, num total de 102.873 novos registos de carros. Nos primeiros oito meses de 2021, os carros a gasolina e a diesel representaram 4,93 e 4,73 por cento, respectivamente, de um total de 110.864 novos registos de automóveis. Apesar dos políticos considerarem que a venda de carros elétricos só ganhará força a partir de 2025, tal pode ser antecipado pelo fato do mercado entrar em escassez no que diz respeito a carros movidos a combustíveis fósseis. Para que tal cenário venha a acontecer, é necessário que o mercado mantenha a tendência até agora registrada. (ppl ware – 26.09.2021)


<topo>

9 China: Possibilidade de mudança no sistema de incentivos para VEs

A China está considerando um novo sistema de incentivos e concessões para carros elétricos. Aparentemente, o governo chinês trabalha para mudar do método atual, que recompensa os fabricantes que produzem carros com emissão zero, para um modelo em que a redução total das emissões de CO2 seja incentivada, levando em consideração todas as etapas de produção. O sistema atual entrou em vigor em 2017 e deve permanecer em vigor até 2023. Ele dá créditos aos fabricantes de automóveis que vendem carros totalmente elétricos ou de baixa emissão, modelos que permitem aos fabricantes compensar as penalidades decorrentes da venda de carros mais poluentes. O fato de se ponderar uma modificação neste tipo de concessão poderá alterar profundamente as estratégias das montadoras, o que poderá justamente rever os planos para melhor se adaptarem às novas disposições governamentais em matéria de emissões. O ministério da indústria chinês não quis comentar o assunto, mas que as novas medidas estão realmente sendo estudadas foi confirmado por Sanae Nuimura, vice-presidente da Honda China, que em conferência disse que o novo sistema teria um impacto significativo sobre o setor. A Sociedade Chinesa de Engenheiros Automotivos previu o pico de emissões das empresas que operam no setor de quatro rodas em 2028, ligeiramente à frente da média, e a partir desse momento os níveis cairão 20% até 2035. (Inside EVs – 02.10.2021)

<topo>

10 Alemanha: CEO da Volkswagen quer que governo taxe emissões de carbono

O CEO da Volkswagen, Herbert Diess, publicou na segunda-feira, 27, uma thread no Twitter pedindo que o governo alemão acelere a transição para veículos elétricos com a oferta de incentivos e comece a taxar a emissão de carbono. O anúncio veio no contexto da eleição alemã deste domingo, 26, que foi vencida pelos sociais-democratas (SDP). Como nenhum partido conseguiu maioria no Parlamento alemão, as próximas semanas serão marcadas por debates entre os partidos para que seja formada uma coalizão de governo. Esse processo pode se estender até o Natal, período em que a chanceler Angela Merkel prosseguirá como governante. (Automotive Business – 27.09.2021)

<topo>

 

 

Inovação e Tecnologia

1 Artigo: “Baterias e mobilidade elétrica: Brasil não pode ficar para trás”

Em artigo publicado no jornal O Estado de São Paulo, Rodolfo Meyer, fundador e CEO da Portal Solar, apresenta uma reflexão acerca da posição do Brasil em relação aos avanços nas tecnologias de armazenamento e mobilidade elétrica. Segundo o executivo, “enquanto o armazenamento de energia e a mobilidade elétrica já são realidades em boa parte do mundo, o Brasil ainda discute a viabilidade econômica de sua aplicação.” Rodolfo acrescenta, “carecemos de visão estratégica, de uma correta priorização de tecnologias e de um certo senso de urgência. No que pesem as boas iniciativas, os sinais ainda são contraditórios. Tanto no transporte, quanto na energia, ainda testemunhamos políticas que vão na direção contrária da eletrificação e descarbonização da economia.” Por último o autor conclui que, “os investidores estão de olho. Mas é preciso a sinalização correta e a promoção com mais celeridade da modernização do setor. Pois esse potencial também deixa claro o tamanho do abismo a ser coberto.” Para ler o texto na íntegra, clique aqui. (GESEL-IE-UFRJ – 01.10.2021)

<topo>

2 GreenV: Brasileira recebe R$22 mi de fundo americano

A GreenV, mobilitytech que desenvolve tecnologias inteligentes em mobilidade elétrica, recebeu um aporte de R$22 milhões de um investidor americano. A startup nasceu dentro da AZ Energy, empresa referência em eletromobilidade no Brasil e líder em instalação de pontos de recarga no país. A empresa, que já conta com 1.500 pontos e está presente em 23 Estados, quer ampliar sua presença significativamente até 2025. Com o investimento, a GreenV tem como principal objetivo escalar o mercado brasileiro e ampliar sua oferta de serviços e soluções em tecnologia para mobilidade em todo o país. No portfólio de clientes da mobilitytech está, por exemplo, a Porsche. A startup é a responsável pela instalação de infraestrutura de recarga para veículos elétricos da marca alemã em todo o território nacional. Além disso, a startup é value provider da ABB, empresa líder mundial na fabricação de carregadores de carga rápida e fornecedora da Enel X, braço de mobilidade elétrica da multinacional italiana Enel, que desenvolve projetos de eletromobilidade para a Nissan, Mercedes e VEC Itaú. Com o aporte, a empresa tem planos de consolidar o protagonismo no mercado brasileiro e sanar uma dor frequente dos donos de carros elétricos: a preocupação com a falta de pontos de recarga. Além do aumento de pontos de recarga, a startup já tem em seu planejamento estratégico de desenvolvimento mais de 70 inovações que serão lançadas no mercado brasileiro até 2025, com base na Metodologia da Aceleradora de startups 10X Digital. (Novo Momento – 27.09.2021)

<topo>

3 ABB lança carregador mais rápido do mundo para VEs

A ABB lançou nesta quinta-feira o que chama de carregador de VEs mais rápido mundo, buscando aproveitar a forte demanda por veículos produzidos por empresas como Tesla. A empresa lançou o carregador Terra 360, antes de uma oferta de ações de sua unidade de carregadores de veículos elétricos, que pode ser avaliada em cerca de 3 bilhões de dólares. O dispositivo pode carregar baterias de até quatro veículos de uma vez e é capaz de carregar totalmente qualquer carro elétrico em 15 minutos, afirmou a ABB, o que torna o aparelho atraente para consumidores preocupados com tempos de carga que podem durar várias horas. O Terra 360 pode dar carga suficiente para 100 km em menos de três minutos, e estará disponível na Europa até o fim do ano. Regiões de Estados Unidos, América Latina e Ásia-Pacífico receberão o equipamento a partir de 2022. A ABB não informou a faixa de preço do produto, voltado para clientes comerciais, como postos de combustível e lojas. (Isto É – 30.09.2021)

<topo>

4 Hitachi cria tecnologia para aumentar autonomia de VEs

Criado pela joint venture entre Honda e Hitachi Astemo, o novo sistema de acionamento direto integra motor nas rodas, inversor e freio. O mecanismo de acionamento mais simples reduz a perda de energia em 30% em comparação com os veículos elétricos convencionais. Os VEs podem, eventualmente, viajar cerca de 20% mais longe com a nova tecnologia da Hitachi instalada nas rodas. Nenhum cronograma para produção em massa foi anunciado. No entanto, a empresa japonesa pretende desenvolver o sistema, anunciado na quinta-feira, em uma opção de propulsão viável para a propulsão elétrica. Também há mais espaço para baterias maiores que podem aumentar a autonomia. Os elétricos com motores nas rodas tendem a ser mais pesados do que os elétricos convencionais. Mas a Hitachi apregoa seu novo sistema como compacto e leve. Outras montadoras, como a Nissan, também estão desenvolvendo VEs com motores nas rodas. (Valor Econômico – 03.10.2021)

<topo>

 

 

Indústria Automobilística

1 Artigo: “Difusão dos VEs e o novo mercado automobilístico em formação”

Em artigo publicado no jornal Financial Times e traduzido para o Valor Econômico, Peter Campbell e Joe Miller, ambos correspondentes da Financial Times, analisaram o crescimento do mercado de veículos elétricos em todo o mundo e produziram uma avaliação acerca das razões para essa trajetória e seu impacto em toda a cadeia produtiva da indústria automobilística. Inicialmente, os autores apontam que “As vendas mundiais de veículos elétricos devem alcançar 10,7 milhões até 2025 e depois 28,2 milhões até 2030.” Indicam ainda que: “A indústria de carros elétricos e conectados atraiu mais de US$ 100 bilhões em investimentos desde o começo de 2020, estima a McKinsey. Isso é só o começo. As montadoras anunciaram investimentos totais de US$ 330 bilhões em tecnologia elétrica e de baterias nos próximos cinco anos, segundo a consultoria AlixPartners, uma soma que cresceu 40% em 12 meses.” Além disso, apontam para a emergência de novas empresas de tecnologia e startups no setor automobilístico, no entanto, segundo os autores “Para as montadoras estabelecidas, a maior das ameaças poderá vir não das startups, e sim da China.” Acesse o artigo na íntegra através deste link.

<topo>

2 Disputa pelo mercado de elétricos se acirra

Uma nova disputa entre gigantes ocorre no mundo automotivo, desta vez pela liderança global ou regional do mercado de carros elétricos. As legislações com prazos para o fim da produção de veículos a combustão em vários países, obrigando montadoras a desenvolverem produtos com zero emissão, abriram uma frente de investimentos que passa de US$ 250 bilhões de 2025 a 2030, conforme programas já anunciados. Nessa briga, cada um dos competidores chama para si a responsabilidade de ser número um do mercado, também de olho no que vem lá na frente, que são os modelos autônomos. A Ford vai construir dois polos com uma fábrica para picapes elétricas. Já a General Motors programou aportes de US$ 35 bilhões em veículos elétricos e autônomos, e afirma que seu objetivo é ser líder na América do Norte em carros eletrificados e líder mundial em tecnologias de baterias e células de combustível. O grupo alemão Volkswagen vai investir US$ 41 bilhões em VEs, de um total de US$ 86 bilhões previstos em mobilidade elétrica, tecnologia híbrida e digitalização. A Stellantis, dona da Fiat, Jeep, Peugeot e Citroën, também está no páreo, e reservou US$ 35 bilhões para eletrificação de veículos e software. O objetivo é que, em 2025, 98% de suas linhas sejam de modelos elétricos e híbridos plug-in. (O Estado de São Paulo – 04.10.2021)

<topo>

3 Ford/SK Innovation: parceria vai estabelecer fábricas de baterias nos EUA

A Ford fez um grande anúncio sobre a aceleração da produção de veículos elétricos com uma nova fábrica gigante para produzir picapes elétricas no Tennessee e três novas gigafábricas de bateria. O novo e gigantesco projeto é chamado de ‘Blue Oval City’. Blue Oval City será um complexo construído em um local de quase 6 milhas quadradas no oeste do Tennessee para construir pickups elétricos F-Series de próxima geração e baterias avançadas. A fábrica de baterias será em parceria com a SK Innovation. O complexo será construído em Stanton, Tennessee e as fábricas de baterias gêmeas serão construídas em Glendale, Kentucky. A Ford e a SK planejam investir mais de US $ 11 bilhões para implantar essa nova capacidade de produção e empregar 11.000 pessoas (6.000 em Blue Oval City e 5.000 nas duas fábricas de baterias em Kentucky). Eles planejam que as três fábricas de baterias produzam 129 GWh de células de bateria por ano para a produção de VEs da Ford. Eles planejam iniciar a produção da bateria e a produção de suas picapes elétricas de última geração em 2025. (Electrek – 27.09.2021)

<topo>

4 Volkswagen apresenta o ID.3 e ID.4 no Brasil

A Volkswagen apresentou pela primeira vez os veículos elétricos ID.3 e ID.4 para o Brasil e principais mercados da América Latina. Em live realizada nesta terça-feira (28), a marca alemã reafirmou o seu compromisso com a transição energética, que no país contará com carros elétricos, híbridos e flex. Em outra frente, a marca alemã escolheu o Brasil para sediar o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Biocombustíveis para mercados emergentes. Dali, sairão novas soluções e tecnologias que envolvem o desenvolvimento de veículos híbridos flex, entre outras inovações. Voltando aos VEs, Pablo Di Si, Presidente e CEO da Volkswagen América Latina, destacou a importância desses veículos no futuro da marca e assegurou o lançamento deles no Brasil como forma de compor uma frota cada vez mais limpa até atingir a meta de carbono zero em 2050. No entanto, disse que ainda não é hora de falar em datas e modelos para o nosso mercado, o que irá ocorrer mais adiante. (Inside EVs – 28.09.2021)

<topo>

5 Volkswagen quer popularizar VEs no Brasil

Pablo Di Si, presidente da Volkswagen no Brasil e América Latina, confia no potencial do Brasil, para o processo de descarbonização dos transportes. O motivo seria o etanol. A subsidiária brasileira da montadora alemã aposta nos biocombustíveis como alternativa à escassez estrutural do país em relação aos carros movidos a eletricidade. A agenda limpa da Volkswagen no Brasil deve ser complementar à agenda europeia. Por lá, a extinção dos carros à combustão já tem data: 2030. A percepção é de que, em países com matrizes elétricas ainda pautadas em combustíveis fósseis, como carvão, a eletricidade dos veículos seja indispensável. Já por aqui, onde fontes limpas já compõem boa parte da produção e distribuição energética, os carros elétricos e híbridos servirão apenas como um complemento dessa estratégia, segundo Di Si. O restante dessa estratégia está baseada no desenvolvimento de uma tecnologia que converte o etanol líquido em células de combustível capazes de abastecer VEs. Se tiver sucesso, a tecnologia extinguiria a necessidade de carregamentos por tomadas e colocaria o Brasil em posição privilegiada em criação de tecnologia. Para isso, a montadora alemã firmou uma parceria com a União da Indústria Canavieira (Unica) e, na última semana, com a Universidade de Campinas (Unicamp). (Exame – 29.09.2021)

<topo>

6 Peugeot e-Expert: van 100% elétrica chega ainda em 2021 no Brasil

A Peugeot confirmou que lançará a sua van 100% elétrica, a e-Expert, no Brasil ainda em 2021. O anúncio foi feito pelos executivos da marca durante o lançamento do novo e-208 GT, primeiro eletrificado da marca no país. A estratégia é certeira, pois o segmento de veículos comerciais elétricos é um dos que mais crescem no mercado brasileiro. Embora tenha confirmado o lançamento, a marca francesa não divulgou detalhes ou configurações da e-Expert. No entanto, provavelmente seguirá a mesma estratégia do e-208 GT de trazer configuração idêntica à oferecida na Europa. Isso significa que a van Peugeot e-Expert, construída na plataforma ‘multi-energia’ EMP2, pode chegar ao nosso mercado com duas opções de autonomia. Na primeira configuração, a e-Expert tem o esquema de bateria de 50 kWh composta por 18 módulos, o que confere autonomia de 230 km no ciclo WLTP. Já a segunda opção traz a bateria de 75 kWh, composta por 27 módulos e autonomia de 330 km no mesmo padrão europeu. Para a recarga, a van elétrica pode vir com um carregador de bordo monofásico com 7,4 kW ou trifásico de 11 kW. Pensando no esquema de trabalho das empresas, o tempo de carregamento rápido CC de 0 a 80% da capacidade pode ser feito em aceitáveis de 30 minutos (50 kWh) ou cerca de 45 minutos (75 kWh) usando um carregador de 100 kW. Em termos práticos, uma simples parada para acomodar objetos ou cargas para transporte. A data exata de lançamento, primeiros mercados nacionais que serão atendidos e preços ainda não foram divulgados. (Inside EVs – 28.09.2021)

<topo>

7 GM: Unidade de veículos comerciais elétricos expandirá linha

A General Motors disse na terça-feira (28) que a unidade de VEs comerciais, BrightDrop expandirá sua linha em 2023 e fechou acordo para fornecer esse veículo para a Verizon Communications. A GM disse que o EV410 de médio porte, voltado para um segmento que inclui supermercados, telecomunicações e outros provedores serviços com veículos menores, será fabricado a partir do segundo semestre de 2023 em uma fábrica no Canadá. A van EV600, que tem maior porte, começará a ser produzida em novembro de 2022. A GM afirma que o EV600 economiza US$ 7 mil por ano para gestores de frota em comparação com um veículo semelhante movido a diesel. A área de VEs é atraente porque os governos da China e da Europa estão pressionando as empresas para reduzirem emissões de CO2 e companhias como FedEx Corp, Amazon.com e UPS se comprometeram a mudar suas grandes frotas de entrega para modelos elétricos. Em junho, a GM aumentou previsão de investimentos em veículos elétricos e autônomos em cerca de 30%, para US$ 35 bilhões e acelerou os planos para duas fábricas de bateria nos Estados Unidos. A GM estimou que o mercado norte-americano para veículos de entrega de encomendas e alimentos subirá para mais de US$ 850 bilhões em 2025. As novas vans elétricas usarão uma versão do sistema de bateria Ultium da GM e oferecerão uma autonomia de cerca de 400 quilômetros entre cargas. (CNN Brasil – 28.09.2021)

<topo>

8 Nikola/Iveco: fábrica de caminhões elétricos na Alemanha

A Nikola, fabricante de caminhões elétricos, e a Iveco, fabricante de veículos pesados, inauguraram nesta semana sua nova fábrica de caminhões elétricos pesados, chamada Nikola Tre. A planta fica em Ulm, na Alemanha. A produção terá início até final do ano e os primeiros modelos serão entregues para clientes selecionados nos EUA em 2022. Com 50 mil metros quadrados, metade deles cobertos, a fábrica de Ulm está prevista para ser capaz de fabricar aproximadamente mil unidades por turno por ano. Esse índice deverá passar por um aumento progressivo nos próximos anos. A fábrica irá operar de acordo com os princípios do programa de Manufatura de Classe Mundial (WCM) com o objetivo de atingir desperdício zero, acidente zero, falha zero e estoque zero. (Automotive Business – 28.09.2021)

<topo>

9 Rolls-Royce: primeiro elétrico e transição completa para VEs até 2030

A Rolls-Royce, tradicional fabricante de carros de luxo, anunciou hoje seu primeiro modelo elétrico para produção comercial. E mais: a companhia afirma que irá se tornar totalmente elétrica até 2030. O carro se chama Spectre e não teve nenhuma característica técnica revelada. O lançamento foi prometido para o último trimestre de 2023. “Espectro é um nome dado a criaturas sobrenaturais que são sinônimo de grande poder; criaturas de reinos diferentes que fazem sua presença ser sentida por meio de manifestações repentinas”, diz o comunicado à imprensa. “Esse nome bate perfeitamente com o extraordinário Rolls-Royce que estamos apresentando hoje – um carro que faz sua presença ser sentida antes de desaparecer em um mundo acessível para apenas alguns poucos”, afirma o texto. Ainda no comunicado, a empresa promete a eletrificação completa para a próxima década. “Com esse novo produto, nós iniciamos o processo de total eletrificação de todo nosso portfólio de produtos até 2030. Nesse ano, a Rolls-Royce não estará mais no negócio de fabricar ou vender produtos com motores a combustão”, diz o texto. (Automotive Business – 29.09.2021)

<topo>

10 Lordstown Motors/Foxconn: acordo para impulsionar produção de VEs

A Lordstown Motors anunciou na última quinta-feira a realização de um acordo para vender sua enorme fábrica de montagem em Ohio para a fabricante Foxconn, por US $ 230 milhões. Sob o acordo, a fabricante de eletrônicos com sede em Taiwan montará o primeiro produto da Lordstown Motors, uma picape totalmente elétrica chamada Endurance, que a empresa estava se preparando para produzir e vender no início do próximo ano. Vender a fábrica para a Foxconn, também conhecida como Hon Hai Technology Group, fornecerá capital para o arranque na produção de veículos elétricos, dando à Foxconn um impulso inicial para a produção de VEs. A Foxconn também tem um acordo com a start-up Fisker para produzir VEs nos próximos anos. “A parceria permitiria à Lordstown Motors tirar proveito da extensa experiência de fabricação e da cadeia de suprimentos econômica da Foxconn, enquanto liberava a Lordstown Motors para se concentrar em trazer o Endurance ao mercado, desenvolvendo ofertas de serviços para nossos clientes de frota e projetando e desenvolvendo novos veículos inovadores modelos ”, disse o CEO da Lordstown, Daniel Ninivaggi, em um comunicado. (CNBC – 30.09.2021)

<topo>

 

 

Meio Ambiente

1 Novo modelo elétrico da Volvo Buses terá 90% de material feito de recicláveis

A Volvo Buses apresentou na segunda-feira, 27, seu novo chassi de ônibus elétrico para mercados globais de olho no crescente mercado da eletromobilidade nos grandes centros urbanos. Revelado na Europa, o Volvo BZL Electric foi projetado para operar com um ou dois andares, oferecer diversas opções para encarroçadoras e ter grande flexibilidade na hora de recarga: ele pode tanto receber carga de rápida de alta potência (OppCharge, para até 300 kW), como carga lenta (CCS, até 150 kW) no abastecimento na garagem. A sustentabilidade do projeto fica mais evidente no fato de que o novo modelo foi desenvolvido para ser 90% reciclável. “Temos a perspectiva de todo o ciclo de vida de nossos produtos e assumimos a responsabilidade pelo impacto ambiental do início ao fim. Isto significa que garantimos que os componentes, manufatura, operação e reciclagem atendam os mais altos padrões ambientais”, garante Anna Westerberg, presidente da Volvo Buses. (Automotive Business – 27.09.2021)

<topo>

2 USA Rare Earth: necessidade de metais terrestres raros para atingir as metas de VEs de Biden

Os Estados Unidos precisam de dez vezes a quantidade de metais terrestres raros que possui atualmente para atender às ambiciosas metas de VEs do presidente Biden para 2030, de acordo com Pini Altahus, CEO da USA Rare Earth. E precisa de 20 a 25 vezes mais para atender às crescentes necessidades da economia verde – e militar – à medida que aumentamos o investimento em energia eólica, veículos elétricos e até mesmo telefones celulares até 2050. Em outras palavras, não é apenas a economia verde que está em jogo. É uma grande fatia de toda a economia e da segurança nacional. Os EUA não precisam necessariamente cobrir 100% de suas próprias necessidades de metais de terras raras, diz Althaus, mesmo que isso seja bom. Mesmo 50-60% ajudaria a garantir que o fornecimento global não seja transformado em arma pela China – que cortou o fornecimento ao Japão por 40 dias em 2010 em uma briga internacional nas águas territoriais. (Forbes – 29.09.2021)

<topo>

3 GM: Instalações nos EUA serão abastecidas via 100% de energia renovável até 2025

A General Motors planeja fornecer 100% de energia renovável para abastecer suas instalações nos EUA até 2025 – cinco anos antes do anunciado anteriormente e 25 anos à frente de sua meta inicial que foi definida em 2016. Ao acelerar sua meta de energia renovável, a GM pretende evitar 1 milhões de toneladas métricas de emissões de carbono que teriam sido produzidas entre 2025 e 2030. No início deste ano, a GM anunciou suas Metas Baseadas em Ciência, bem como planos para se tornar neutra em carbono em seus produtos e operações globais até 2040, alinhada com a aspiração de eliminar as emissões do escapamento de novos veículos leves até 2035. A empresa se comprometeu a investirá US $ 35 bilhões em veículos elétricos e autônomos e planeja lançar mais de 30 modelos de VEs em todo o mundo até 2025. A obtenção de energia renovável é um componente crítico dos planos da GM para descarbonizar seu portfólio. (Green Car Congress – 01.10.2021)

<topo>

4 Empresas querem mineração no fundo do mar para obtenção de metais essenciais

Instituições estão operando equipamentos de mineração no fundo do mar para explorar jazidas de metais essenciais para fabricação das baterias de veículos elétricos. Empresas como a The Metals Company e a Nautilus Minerals, estão enviando maquinário pesado até a região Clarion-Clipperton, no Oceano Pacífico, para extração de nódulos de níquel, cobre, basalto, manganês e outros minérios. A permissão é concedida pela International Seabed Authority (Autoridade Internacional dos Fundos Marinhos, ou ISA), e autoriza 17 empresas a minerarem áreas de 75 mil km² não região por 15 anos. Hoje, a Nautilus Minerals já efetua a extração dos nódulos, enquanto a Metals Company aguarda aprovação de licença ao parlamento britânico em junho deste ano. Para especialistas, a exploração dos nodos na região de Clarion-Clipperton é motivo de preocupação. Os nodos, pouco maiores do que uma bola de beisebol, estão concentrados numa região com 4,6 mil km de extensão, cujo bioma ainda é pouco mapeado. Em entrevista ao The Guardian, Oliver Steeds, o criador da fundação de pesquisa em mar profundo Nekton, disse que está preocupado com os rumos que isso pode tomar. “A tecnologia de mineração representa uma oportunidade extraordinária para o progresso, mas também representa uma ameaça, seja por mineração em mar profundo ou por maior industrialização e sobrepesca”, conclui o especialista. (Olhar Digital – 01.10.2021)

<topo>

5 Mineração no mar preocupa montadoras

A mineração do mar profundo recebeu maior ênfase com o boom dos veículos elétricos, já que jazidas no solo foram largamente mapeadas e exploradas ao longo da história. No entanto, o precedente aberto por uma exploração desenfreada preocupa montadoras. Em março deste ano, as montadoras Volvo e BMW se juntaram à Samsung e ao Google na petição do WWF contra a mineração marítima, pedindo o banimento do método de extração. As empresas se comprometeram não utilizar nenhum dos metais extraídos destas jazidas. A representante de suprimentos da BMW, Claudia Becker, teme que esta exploração tenha consequências irreversíveis. “Chegamos à conclusão de que está faltando uma compreensão dos impactos da biodiversidade na mineração em mar profundo,” afirma à BBC. “Queremos mandar um sinal claro à indústria para que, até estes problemas serem resolvidos, minerais do fundo do mar não são uma opção para nós.” Em resposta, a The Metals Company (ex-DeepGreen) publicou uma carta aberta às montadoras, criticando a decisão. Para os ativistas do GreenPeace, a resposta não passa de demagogia. (Olhar Digital – 01.10.2021)

<topo>

 

 

Outros Artigos e Estudos

1 Para suprir o mercado de mobilidade elétrica, Elev chega ao Brasil

O mercado de mobilidade elétrica no Brasil não para de crescer. Dados da Anfavea mostram que em 2035, cerca de 60% da frota brasileira deve ser de carros elétricos. E para atuar no crescimento e amadurecimento do segmento, a Elev chega ao mercado. Para o consumidor, a Elev chega para ser um parceiro completo para quem dirige um veículo elétrico. Com o aplicativo, que apresenta diversas informações sobre os mais de 600 eletropostos no País e em 3 idiomas, o motorista terá acesso a localização do ponto mais próximo de recarga e a rota para chegar até lá. Já para empresas, a Elev vai ser provedora dos postos de recarga, fazendo desde a análise do local, planejamento, instalação e gerenciamento do equipamento. Além disso, a empresa atua com Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) junto às distribuidoras de energia elétrica, que agora ganham um novo mercado de atuação, trazendo mais estrutura para o futuro do Brasil. A companhia terá investimento inicial de mais de R$400 mil e pretende expandir para a América Latina. (Info Channel – 28.09.2021)

<topo>

2 Reino Unido: escassez de combustíveis faz aumentar pesquisas por VEs

Os britânicos estão com falta de gasolina, então estão pesquisando carros elétricos no Google como nunca. O site de informações sobre carros usados Carguide.co.uk descobriu que as pesquisas online por VEs dispararam para 16 vezes o volume médio em um dia, um pico sem precedentes. O registro de VEs está em uma tendência ascendente no Reino Unido, com 7.388 registros de veículos elétricos somente em agosto. A escassez de gás no Reino Unido provavelmente acelerará essa tendência e também aumentará o interesse do público por VEs. (Electrek – 28.09.2021)

<topo>

3 NTT Data: Pesquisa aponta que 4 das 10 novas compras serão de carros eletrificados no Reino Unido

Cerca de quatro em cada 10 britânicos dizem que querem comprar um carro elétrico ou híbrido quando substituírem seu veículo atual, de acordo com novas pesquisas. Um estudo da empresa de dados automotivos NTT Data descobriu que os consumidores estão cada vez mais interessados em veículos mais ecológicos. A pesquisa com 2.000 consumidores britânicos revelou que 39% pretendem comprar algum tipo de carro elétrico ou híbrido quando chegar a hora de trocar seu veículo atual. E para os consumidores de alta renda, esse número é ainda maior, com 58% daqueles que ganham mais de 60.000 libras (R$ 436.000) por ano planejando uma compra eletrificada. No entanto, para os consumidores de menor renda, os resultados são ligeiramente diferentes. A pesquisa constatou que 34% dos consumidores que ganham menos de 30.000 libras (R$ 218.000) por ano têm a mesma inclinação para escolher um veículo híbrido ou elétrico. No entanto, assumindo que os entrevistados da pesquisa eram representativos do público britânico como um todo, isso significa que cerca de um terço dos consumidores de baixa renda pretendem migrar para híbridos ou elétricos. Houve uma diferença notável na demanda por veículos elétricos entre consumidores mais velhos e mais jovens. Mais da metade (57%) dos entrevistados com mais de 55 anos disse que planeja comprar um veículo elétrico ou híbrido, em comparação com apenas 35% dos jovens de 18 a 25 anos. (Inside EVs – 02.10.2021)

<topo>

4 Bridgestone: Até 2024, 20% do equipamento original será destinado à VEs

A garantia é dada pela Bridgestone: até 2024, mais de 20% da sua linha de equipamento de origem será constituída por pneus para veículos elétricos leves de passageiros. Atualmente os pneus para VEs representam 11% do total da linha de equipamento de origem da Bridgestone para ligeiros de passageiros. Em 2021, 50% dos dez principais fabricantes a nível global escolheram pneus Bridgestone para os seus veículos e 50% dos dez VE mais vendidos na Europa estão equipados com pneus Bridgestone feitos à medida como equipamento de origem. A marca diz estar a estabelecer parcerias com alguns dos fabricantes de modelos elétricos e híbridos. (Fleet Magazine – 27.09.2021)

<topo>

5 Madrid vai contar com mais 30 ônibus elétricos da Irizar e-mobility

A Empresa Municipal de Transportes de Madrid (EMT Madrid) solicitou à Irizar e-Mobility a encomenda de mais 30 ônibus elétricos. Este quarto pedido significa que a EMT Madrid passará a ter um total de 85 ônibus Irizar com emissão zero em sua frota. Mais uma vez, o modelo escolhido é o autocarro Irizar IE de 12 metros, que circula nas estradas de Madrid desde 2019. Os veículos serão movidos a baterias Irizar e terão 2 portas, 28 lugares para passageiros, 1 banco do motorista e 2 áreas para cadeiras de rodas. A Irizar e-Mobility irá também fornecer 30 carregadores interoperáveis ECI-100 da Jema Energy (empresa pertencente ao Grupo Irizar) com um sistema de carregamento inteligente de 100 kW, capaz de carregar os veículos em três horas através de uma tomada Combo 2. A opção de carregamento do pantógrafo invertido também está disponível. Esses ônibus ajudarão a cumprir as metas de sustentabilidade defendidas pela cidade de Madrid, juntamente com os enormes benefícios ambientais e de redução de ruído que os ônibus trarão para os cidadãos de Madrid. (Green Car Congress – 27.09.2021)

<topo>

6 Austin’s Capital Metro comprará 26 ônibus elétricos Proterra

A Capital Metro em Austin, Texas, aprovou um plano para comprar 26 ônibus elétricos Proterra ZX5 Max de 40 pés, com um total de mais de 17 megawatts-hora de capacidade de armazenamento de bateria. O plano aprovado pela Capital Metro também contém opções para a agência adquirir mais 126 ônibus elétricos de 40 pés e carregadores ao longo de cinco anos. O plano de aquisição aprovado pela Capital Metro marca uma das maiores aquisições já feitas de ônibus elétricos a bateria na América do Norte. Os primeiros ônibus Proterra ZX5 Max da Capital Metro estão programados para serem entregues em 2022. O novo contrato de compra é a terceira e maior aquisição de ônibus elétricos a bateria Proterra da Capital Metro. (Green Car Congress – 29.09.2021)

<topo>


Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe e Luiza Masseno
Pesquisadores: Brenda Corcino e Vinicius José da Costa
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

As notícias divulgadas no IFE não refletem necessariamente os pontos da UFRJ. As informações que apresentam como fonte UFRJ são de responsabilidade da equipe de pesquisa sobre o Setor Elétrico do Instituto de Economia da UFRJ.

POLÍTICA DE PRIVACIDADE E SIGILO
Respeitamos sua privacidade. Caso você não deseje mais receber nossos e-mails,  Clique aqui e envie-nos uma mensagem solicitando o descadastrado do seu e-mail de nosso mailing.


Copyright UFRJ

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: