IFE.H2 47

Informativo Eletrônico – Geração de Energia com Hidrogênio nº 47 – publicado em 27 de agosto de 2021.

IFE: Informativo Eletrônico de Hidrogênio – GESEL-UFRJ <!–

l

IFE: nº 47 – 27 de agosto de 2021
http://gesel.ie.ufrj.br/
gesel@gesel.ie.ufrj.br

Editor: Prof. Nivalde J. de Castro

Índice

Políticas Públicas e Financiamentos
1
Alemanha: Projeto H2Mare recebe financiamento do Ministério Federal de Educação e Pesquisa
2 Austrália: Austrália Ocidental financiará mistura de hidrogênio na rede de gás
3 Austrália: Localizador de capacidade de hidrogênio australiano lançado pela NERA
4 Canadá: Lançada a Aliança Nacional de Hidrogênio
5 EUA: Subsídio do DOE para explorar a produção de hidrogênio na estação nuclear de Oswego
6 EUA: Raven SR recebe investimento de US $ 20 milhões para produção de hidrogênio
7 Reino Unido: £ 24,3 milhões para incentivar motores a hidrogênio e eficiência das células a combustível
8 Reino Unido: Força-tarefa UKESC lançada para atingir metas para 2050
9 Reino Unido: Ministro de Energia lança estratégia de hidrogênio da gigafábrica da ITM Power
10 Reino Unido: Wood receberá £ 430 milhões do UK Export Finance para expandir suas operações

Produção
1 Alemanha: Siemens Energy lidera projeto que visa produzir hidrogênio verde
2 Austrália: Rio Tinto planeja desenvolver planta de H2 para descarbonizar refinaria
3 Áustria: Linde planeja construir planta de hidrogênio verde
4 China: Clusters planejam megaprojeto de hidrogênio verde
5 EUA: Bakken Energy está desenvolvendo hub de hidrogênio limpo
6 Omã: OPAZ e ACME assinam acordo para desenvolver projeto de hidrogênio e amônia
7 Ucrânia: Empresas explorarão oportunidades de hidrogênio verde

Armazenamento e Transporte
1 EUA: AST obtém certificação para seus cilindros de alta pressão para armazenamento de hidrogênio

Uso Final
1 Alemanha: DEUTZ e RheinEnergie firmam parceria para o desenvolvimento de projeto piloto
2 EAU/Japão: Empresas comercializam amônia azul, fortalecendo a cooperação de baixo carbono
3 Escócia: Arcola irá liderar estudo e frete rodoviário de hidrogênio
4 Reino Unido: Constain apoia o projeto FlyZero na operação de aeronaves movidas a hidrogênio

5 Noruega: Everfuel e ASKO planejam desenvolver infraestrutura para caminhões à hidrogênio.
6 SSAB entrega o primeiro aço livre de fósseis

Tecnologia e Inovação
1 Alemanha/Noruega: Primeiro eletrolisador integrado e sistema de célula a combustível para mercados industriais
2 Coréia: Nova técnica converte amônia em hidrogênio “verde”
3 EUA: NASA fornece informações sobre sua nova esfera de hidrogênio líquido de 4.700 m3
4 EUA: Pesquisadores da UT vão transformar petróleo inexplorado em energia limpa de hidrogênio

Eventos
1 ICS 2021 – Powering India’s Hydrogen Ecosystem
2 Curso Intensivo de Hidrogênio
3 AHK Rio e GESEL: Curso de extensão “Hidrogênio e Transição Energética”

Artigos e Estudos
1 Artigo “Hidrogênio verde – produto premium ou combustível básico?”
2 Epbr: Onze países têm roteiros para hidrogênio na América Latina
3 Relatório da AIE identifica oportunidades para o hidrogênio na América Latina



 

 

Políticas Públicas e Financiamentos

1 Alemanha: Projeto H2Mare recebe financiamento do Ministério Federal de Educação e Pesquisa

O projeto H2Mare, coordenado pela Siemens Energy, recebeu € 100 milhões (US $116 milhões) em financiamento do Ministério Federal de Educação e Pesquisa da Alemanha (BMBF). O projeto visa desenvolver uma turbina eólica offshore que integra um eletrolisador de forma otimizada, para a conversão direta da eletricidade em hidrogênio verde (H2V). Em quatro anos, a H2Mare, composta por quatro projetos conjuntos com um total de 35 parceiros, visa estabelecer as bases para a liderança em tecnologia e apoiar o cumprimento das metas climáticas. O objetivo então é criar uma vantagem de custo significativa na produção de grandes volumes de hidrogênio para a descarbonização do setor industrial. (H2 View – 20.08.2021)

<topo>

2 Austrália: Austrália Ocidental financiará mistura de hidrogênio na rede de gás

A mistura de hidrogênio na rede de gás pode se tornar uma realidade da Austrália Ocidental (AO). A ATCO recebeu A $2 milhões ($1,45 milhão) do Fundo de Hidrogênio Renovável da AO para desenvolver o projeto. Revelado no dia 18 de agosto, o financiamento apoiará um dos maiores projetos de mistura na rede da Austrália, com cerca de 2.500 conexões e seções discretas de hidrogênio renovável na rede de distribuição de gás do estado. Espera-se que o projeto ajude a atingir a meta do governo que tem expectativa de acontecer até 2022, com aumento de alcance de até 10% de toda a rede até 2030. Patrick Creaghan, diretor administrativo e de operações da ATCO na Austrália, disse: “[…] À medida que a mistura se estende ainda mais na rede, e em concentrações mais altas, nos próximos anos, prevê-se que esse investimento impulsione ainda mais o crescimento da indústria de hidrogênio renovável. […] Isso inclui o Parque de Inovação de Energia Limpa proposto pela ATCO, recentemente apoiado pela ARENA e em desenvolvimento no meio-oeste da Austrália Ocidental”. (H2 View – 18.08.2021)

<topo>

3 Austrália: Localizador de capacidade de hidrogênio australiano lançado pela NERA

O primeiro localizador de capacidade de hidrogênio da Austrália foi lançado no dia 23 de agosto pela National Energy Resources Australia (NERA). Chamada de HyCapability, a ferramenta online gratuita visa conectar as empresas australianas de hidrogênio aos mercados doméstico e global, enquanto o país se esforça para ser líder no setor. Para cumprir suas metas, o HyCapability estabeleceu quatro objetivos principais: apoiar o crescimento da indução de hidrogênio, promover os negócios de hidrogênio na Austrália, criar um entendimento básico da indústria australiana de hidrogênio e aumentar o ímpeto da rede H2TCA. Acredita-se que a ferramenta será o mapeamento mais abrangente da capacidade de hidrogênio da Austrália e das tecnologias digitais até hoje, tornando mais fácil identificar a capacidade ao longo da cadeia de valor do hidrogênio. (H2 View – 23.08.2021)

<topo>

4 Canadá: Lançada a Aliança Nacional de Hidrogênio

Os objetivos e planos de descarbonização do Canadá para desenvolver uma economia de hidrogênio devem ser apoiados por uma nova aliança que visa apoiar as políticas federais e provinciais de hidrogênio para promover o combustível limpo e verde. Liderada pela Hybrixcel e semeada pela GERB Scientific, a Canada Hydrogen Alliance (CH2A) fará isso por meio da promoção da inovação da cadeia de suprimentos, fabricação e comercialização de tecnologia focada no hidrogênio e projetos movidos a hidrogênio. Além disso, a aliança também buscará identificar ações específicas que o Canadá possa empreender para dimensionar toda a cadeia de abastecimento de produção, transporte, armazenamento e uso de hidrogênio limpo, bem como o desenvolvimento de tecnologia e necessidades de infraestrutura em vários setores. (H2 View – 24.08.2021)

<topo>

5 EUA: Subsídio do DOE para explorar a produção de hidrogênio na estação nuclear de Oswego

A produção de hidrogênio pode se tornar um fator chave na estação nuclear Nine Mile Point em Oswego, EUA. Para apoiar esse conceito, o Departamento de Energia dos Estados Unidos (DOE) concedeu uma doação à Exelon Generation para explorar os benefícios potenciais da produção de hidrogênio no local da estação nuclear – conhecido como hidrogênio rosa. A Exelon fará parceria com a Nel Hydrogen, o Argonne National Laboratory, o Idaho National Laboratory e o National Energy Laboratory para demonstrar produção, armazenamento e uso integrados na estação. Um eletrolisador será instalado com operação prevista para 2022. Dave Rhoades, diretor da Exelon Generation, disse: “Esta parceria com o DOE reflete nosso compromisso contínuo com a inovação e demonstra ainda mais o imenso valor de nossa frota nuclear e sua capacidade de fornecer energia livre de carbono às comunidades que servimos. (H2 View – 20.08.2021)

<topo>

6 EUA: Raven SR recebe investimento de US $ 20 milhões para produção de hidrogênio

Um novo projeto de produção de hidrogênio verde a partir de resíduos recebeu um investimento significativo das empresas Chevron, Hyzon Motors, ITOCHU e Ascent Hydrogen Fund. O objetivo é de construir unidades modulares para processar 200 toneladas de lixo orgânico diariamente e produzir hidrogênio verde e energia no local, com a intenção de ser o mais autônomo possível. Com o fechamento de um investimento estratégico de US $ 20 milhões, as instalações de produção de hidrogênio serão inicialmente construídas em aterros na Califórnia, mas espera-se que alcancem um nível internacional futuramente. A tecnologia da Raven SR a torna uma das únicas produtoras de hidrogênio livres de resíduos de combustão no mundo, a partir do processo de reforma a vapor. (H2 View – 19.08.2021)

<topo>

7 Reino Unido: £ 24,3 milhões para incentivar motores a hidrogênio e eficiência das células a combustível

O governo e a indústria do Reino Unido forneceram um financiamento de £ 24,3 milhões (US $33,4 milhões) em apoio a dois projetos inovadores de hidrogênio. Desse valor, £ 14,6 milhões serão destinados a um projeto liderado pela Cummins que visa desenvolver um novo motor movido a hidrogênio zero carbono e £ 9,6 milhões terá como alvo uma combinação de veículos híbridos, com bateria elétrica e célula a combustível da Sprint Power com o objetivo de alcançar tempos de carregamento ultrarrápidos. Ambos os projetos fazem parte de um investimento mais amplo anunciado no dia 18 de agosto, para acelerar a indústria automotiva de zero emissões. Jonathan Atkinson, Diretor Executivo da Cummins On-highway Business na Europa, afirmou: “Este projeto irá acelerar significativamente o ritmo do desenvolvimento de motores a hidrogênio, garantindo que o Reino Unido esteja na vanguarda desta nova tecnologia empolgante, desempenhando um papel significativo na descarbonização da frota global de veículos comerciais”. (H2 View – 18.08.2021)

<topo>

8 Reino Unido: Força-tarefa UKESC lançada para atingir metas para 2050

Uma nova força-tarefa da Cadeia de Abastecimento de Energia do Reino Unido (UKESC) foi lançada para apoiar a transição para um futuro verde de empresas sediadas no Reino Unido, com a ajuda de tecnologias limpas como o hidrogênio. No dia 23 de agosto, a Associação de Hidrogênio e Células a Combustível do Reino Unido (UK HFCA) anunciou que se juntou à nova força-tarefa que é co-presidida pelo Ministro de Exportações do DIT, Graham Stuart, e pela Ministra de Estado no Departamento de BEIS (Business, Energy and Industrial Strategy), Anne-Marie Trevelyan. Sobre o lançamento do UKESC, Anne-Marie Trevelyan, acrescentou: “É vital que trabalhemos lado a lado com a indústria à medida que reconstruímos o meio ambiente para garantir que as empresas do Reino Unido possam contribuir com sua parte no cumprimento de nossos ambiciosos compromissos climáticos. Estou ansiosa para me envolver com nossa cadeia de suprimento de energia por meio desta Força-Tarefa”. (H2 View – 24.08.2021)


<topo>

9 Reino Unido: Ministro de Energia lança estratégia de hidrogênio da gigafábrica da ITM Power

O Ministro de Energia Kwasi Kwarteng lançou oficialmente a estratégia de hidrogênio do Reino Unido, no dia 17 de agosto, a partir da nova gigafábrica da ITM Power em Sheffield. O Ministro também abriu oficialmente o local com capacidade de produção anual de 1GW em eletrolisadores, durante a mesma visita e ajudou a montar as pilhas do eletrolisador ITM Power. “O hidrogênio tem potencial para fornecer um terço da energia do Reino Unido no futuro”, disse Kwarteng. “A ITM Power está na vanguarda da fabricação de hidrogênio verde e suas tecnologias líderes mundiais já desempenham um papel importante na redução das emissões à medida que o Reino Unido se afasta dos combustíveis fósseis, ajudando-nos a cumprir nossos compromissos climáticos, enquanto cria milhares de empregos de alta qualidade e desbloqueia bilhões de libras de investimento privado”. (H2 View – 18.08.2021)

<topo>

10 Reino Unido: Wood receberá £ 430 milhões do UK Export Finance para expandir suas operações

A Wood expandirá sua transição para uma energia mais limpa, capitalizando as oportunidades vinculadas ao hidrogênio com o primeiro empréstimo de transição verde apoiado pelo UK Export Finance (UKEF). O empréstimo estimado em cerca de £ 430 milhões ($ 585 milhões), dará à Wood o recurso financeiro para expandir suas operações verdes, particularmente no campo do hidrogênio, com o gás limpo reconhecido como uma peça chave no quebra-cabeça para descarbonizar o Reino Unido. Além disso, o financiamento fornecerá capital de giro crítico para implantação de projetos de energia limpa em todo o mundo, investindo em futuras áreas de crescimento de baixo carbono vinculadas à transição energética no Reino Unido e no exterior. Os fundos auxiliarão na pesquisa e desenvolvimento da Wood com projetos voltados para o hidrogênio e para a redução significativa das emissões de GEE. (H2 View – 20.08.2021)

<topo>

 

 

Produção

1 Alemanha: Siemens Energy lidera projeto que visa produzir hidrogênio verde

A Siemens Energy, uma grande empresa de energia, está liderando um projeto denominado de H2Mare, que visa acoplar turbinas eólicas offshore a eletrolisadores, para produzir o hidrogênio verde na Alemanha. O projeto vai produzir o hidrogênio a partir da eletrólise que será alimentada por energia eólica como fonte primária. Ademais, o projeto também contará com a produção de outros gases finais a partir da tecnologia Power-to-X, como a produção do metano, hidrocarbonetos líquidos, metanol ou até mesmo a amônia. Quanto aos termos de uso final, o hidrogênio será utilizado na indústria ou no setor de energia. Por fim, atualmente, o projeto já conta com uma quantidade de 35 parceiros e espera elevar a descarbonização da economia e beneficiar o meio ambiente. (OffshoreWind – 20.08.2021)

<topo>

2 Austrália: Rio Tinto planeja desenvolver planta de H2 para descarbonizar refinaria

A Rio Tinto, empresa multinacional anglo-australiana e a segunda maior empresa de mineração e metais do mundo, está planejando uma planta de hidrogênio em Gladstone, Austrália. Inicialmente, para conseguir desenvolver a planta, a empresa Rio Tinto assinou uma carta de intenções com a Sumitomo, uma corporação comercial. A nova usina será construída em sua própria refinaria de alumina Yarwun, com objetivos de descarbonizar o local. As empresas envolvidas pretendem alcançar as metas de redução de emissões da empresa Rio Tinto, que tem como objetivo alcançar a neutralidade de carbono até o ano de 2050. Além disso, também é esperado o desenvolvimento da infraestrutura do hidrogênio na região. (Rio Tinto – 24.08.2021)

<topo>

3 Áustria: Linde planeja construir planta de hidrogênio verde

A Linde, uma empresa química multinacional global, está planejando construir e operar uma usina de produção do hidrogênio verde na Áustria. A planta contará com eletrolisadores que serão alimentados por energia renovável para assim produzir o combustível de forma limpa. Os eletrolisadores serão do tipo membrana polimérica trocadora de prótons (PEM), e, ao todo, fornecerão uma capacidade eletrolítica de 2MW para a planta. Em termos de destinação, o hidrogênio será utilizado no processo de fabricação de semicondutores da Infineon como parte do plano da empresa para reduzir as emissões de gases de efeito estufa. Espera-se que a planta esteja apta a funcionar já no ano de 2022. (Linde – 18.08.2021)

<topo>

4 China: Clusters planejam megaprojeto de hidrogênio verde

Diversos clusters pertencentes à Mongólia Interior, uma região autônoma da República Popular da China, estão com planos para desenvolver um projeto de grande escala, com o objetivo de produzir o hidrogênio verde na região. O projeto vai utilizar energia solar e eólica como fonte primária para alimentar os eletrolisadores. Serão utilizados 1,8 GW de energia proveniente de módulos fotovoltaicos e 370 MW de turbinas eólicas. Com tamanha escala de energia, serão produzidas aproximadamente 67 mil toneladas de hidrogênio verde ao ano. Espera-se que este megaprojeto forneça um grande impulso às capacidades de hidrogênio da China, apoiando a descarbonização da indústria doméstica sem a dependência de importações de outros países. (H2 View – 18.08.2021)

<topo>

5 EUA: Bakken Energy está desenvolvendo hub de hidrogênio limpo

A Bakken Energy, uma empresa que atua no segmento de soluções de energia, fornecendo serviços de aquisição e aluguel de equipamentos para setores privados e agências governamentais, está desenvolvendo um hub de hidrogênio limpo na Dakota do Norte, um estado americano. A empresa já realizou a compra de ativos pertencentes à Dakota Gasification Company, com o intuito de transformar a planta Great Plains em uma produtora de hidrogênio limpo e de amônia com baixo carbono. O desenvolvimento da planta Great Plains reduzirá o tempo de construção das instalações de produção de hidrogênio pela metade, com operação prevista para o final de 2026 e produzirá cerca de 310.000 toneladas métricas de hidrogênio limpo por ano. (Bakken Energy – 16.08.2021)

<topo>

6 Omã: OPAZ e ACME assinam acordo para desenvolver projeto de hidrogênio e amônia

A Autoridade Pública para Zonas Econômicas Especiais e Zonas Francas (OPAZ) e o Grupo ACME firmaram uma parceria para promover investimento em energias limpas através da produção de hidrogênio verde (H2V) e amônia a partir de energias renováveis. A parceria irá estabelecer um projeto de H2V e amônia na Zona Econômica Especial de Duqm. O objetivo é realizar estudos arquivados do projeto na primeira fase, que incluem a instalação de anemômetros para medir a velocidade do vento em Duqm e estação meteorológica para fins de levantamento e coleta de dados. O H2V e a amônia produzida serão utilizados no setor de transporte, manufatura e outras setores. (OPAZ – 23.08.2021)

<topo>

7 Ucrânia: Empresas explorarão oportunidades de hidrogênio verde

A Naftogaz e a RWE, empresas parceiras, assinaram um Memorando de Entendimento (MoU) para explorar a cooperação benéfica no mercado de hidrogênio verde e seus derivados, como amônia, na região. Revelando os detalhes da parceria, Yuriy Vitrenko, CEO da Naftogaz, disse que a Ucrânia tem um grande potencial para uma economia de hidrogênio em desenvolvimento. Como parte do plano da Naftogaz e RWE, a dupla analisará o desenvolvimento da produção e armazenamento de hidrogênio verde e amônia na Ucrânia e sua importação para a Alemanha. Eles também irão explorar oportunidades comerciais para a venda de hidrogênio verde ucraniano nos mercados europeus, com foco nos principais mercados da RWE. (H2 View – 23.08.2021)

<topo>

 

 

Armazenamento e Transporte

1 EUA: AST obtém certificação para seus cilindros de alta pressão para armazenamento de hidrogênio

A Advanced Structural Technologies obteve a certificação, do Departamento de Transporte dos Estados Unidos, para projetar e fabricar seu cilindro para armazenamento de gás hidrogênio de alta pressão. Os novos recipientes de armazenamento de hidrogênio com grande diâmetro serão vendidos com o nome H2-MAX para representar as características únicas do produto. O novo H2-MAX é um cilindro Tipo III de maior diâmetro para aplicações de hidrogênio no mercado, disse a AST. Além disso, fornece tolerância ao calor superior para estender a vida útil dos cilindros, tem uma maior tolerância ao impacto para aumentar a segurança, tem um processo de enchimento mais rápido e completo com benefícios significativos, incluindo eficiência e preenchimento completo em temperaturas extremas, custos de abastecimento reduzidos e um abastecimento mais completo que reduz a ansiedade de autonomia. (AST – 18.08.2021)

<topo>

 

 

Uso Final

1 Alemanha: DEUTZ e RheinEnergie firmam parceria para o desenvolvimento de projeto piloto

A DEUTZ AG e RheinEnergie AG firmaram parceria para executar um projeto piloto de hidrogênio, a partir do qual a energia será gerada por um motor a hidrogênio. O motor a hidrogênio foi desenvolvido pela DEUTZ, com base em um motor a diesel existente, com potência de 200 kW e é adequado para diferentes aplicações. Os parceiros planejam, a partir do início de 2022, usar o equipamento para alimentar um gerador que produzirá 170 kVA de eletricidade e executá-lo na planta de cogeração da RheinEnergie em Cologne-Niehl, Alemanha. Inicialmente, as duas empresas irão investir um total combinado de cerca de € 1,3 milhões no teste operacional na fábrica de Niehl. Embora seja um projeto pequeno em escala, acredita-se que tenha potencial de ser o início do fornecimento de energia descentralizada, sustentável e livre de gases de efeito estufa nos centros urbanos. (Deutz – 23.08.2021)

<topo>

2 EAU/Japão: Empresas comercializam amônia azul, fortalecendo a cooperação de baixo carbono

A Abu Dhabi National Oil Company (ADNOC), sob a parceria com a Fertiglobe, comercializou amônia azul para a INPEX, no Japão. A amônia azul, produzida com captura de carbono, será utilizada para aplicações de geração de energia. A venda representa os esforços em melhorar a cooperação industrial entre os Emirados Árabes Unidos (EAU) e o Japão, além de apoiar o desenvolvimento de uma cadeia de amônia azul. A remessa vendida ressalta a economia favorável para a amônia azul como uma fonte emergente de energia de baixo carbono. (ADNOC – 17.08.2021)

<topo>

3 Escócia: Arcola irá liderar estudo e frete rodoviário de hidrogênio

O Scottish Hydrogen Fuel Cell Freight Trial (SHyFT), liderado pela Arcola Energy, em parceria com NewCold, The Scottish Wholesale Association, St Andrews University, BOC e Scottish Power, irá desenvolver um projeto de um teste de caminhões com células a combustível hidrogênio. O projeto visa avaliar a oportunidade para veículos elétricos com célula a combustível de emissão zero (FCEV) com os principais operadores que buscam descarbonizar suas operações. Nesse contexto, o objetivo principal do projeto será identificar os interessados em descarbonizar o transporte pesado e analisar os requisitos de veículos e infraestrutura de cada um. Compreendendo cada caso, a Arcola modelará e integrará esses requisitos de veículos em um projeto de prova de conceito e programa de desenvolvimento de veículos. Caso se obtenha resultados positivos, um teste futuro poderá envolver uma frota de 20 a 30 caminhões. Destaca-se que o SHyFT garantiu financiamento do programa Zero Emission Road Freight do Departamento de Transporte. (Arcola Energy – 17.08.2021)

<topo>

4 Reino Unido: Constain apoia o projeto FlyZero na operação de aeronaves movidas a hidrogênio

O Aerospace Technology Institute (ATI) lidera o projeto FlyZero que tem como objetivo tornar real a aviação comercial com zero emissão de carbono até 2030. Sendo assim, o projeto busca estudar detalhadamente os desafios de design, demandas de fabricação, requisitos operacionais e oportunidade de mercado de conceitos de aeronaves com potencial de emissão zero. Nesse contexto, a Constain, sob o projeto FlyZero, irá explorar a viabilidade de iniciar as operações com aviões movidos a hidrogênio até o final da década. Para isso, a Constain irá avaliar os requisitos práticos e regulamentares para as operações terrestres seguras e eficientes necessárias para apoiar aeronaves movidas a hidrogênio, bem como as implicações comerciais desses requisitos e operações futuras. A empresa também irá avaliar as condições de armazenamento e hidrogênio e o impacto de seu uso nos tempos de resposta dos aviões nos aeroportos. (Constain – 19.08.2021)

<topo>

5 Noruega: Everfuel e ASKO planejam desenvolver infraestrutura para caminhões à hidrogênio.

As empresas assinaram uma carta de intenção (LoI) sob a qual irão cooperar para o desenvolvimento de infraestrutura de hidrogênio verde e apoiar a aquisição de veículos a hidrogênio, visando a descarbonização do setor de transporte na Noruega. A parceria irá fornecer apoio mútuo para os pedidos de subsídio público para financiar a aquisição de caminhões e o desenvolvimento de estações de hidrogênio. Além disso, se necessário, o projeto incluirá a produção de hidrogênio para cobrir a demanda ao longo do corredor de tráfego selecionado. As empresas optaram por implementar a infraestrutura de hidrogênio em escala real no corredor Oslo – Trondheim. (Everfuel – 18.08.2021)

<topo>

6 SSAB entrega o primeiro aço livre de fósseis

A SSAB, LKAB e Vattenfall criaram a Hydrogen Breakthrough Ironmaking Technology (HYBRIT), em 2016, com o objetivo de desenvolver uma tecnologia para descarbonizar a produção de ferro e aço. Dessa forma, a SSAB, sob a parceria HYBRIT, produziu o primeiro aço livre de fósseis a partir da redução direta, utilizando hidrogênio de baixo carbono como agente redutor. O aço está sendo entregue ao primeiro cliente, o Grupo Volvo. A entrega experimental é uma etapa importante para fornecer uma cadeia de valor totalmente livre de fósseis para a produção de ferro e aço. A meta da HYBRIT é fornecer aço livre de fósseis ao mercado e demonstrar a tecnologia em escala industrial em 2026. (HYBRIT – 18.08.2021)

<topo>

 

 

Tecnologia e Inovação

1 Alemanha/Noruega: Primeiro eletrolisador integrado e sistema de célula a combustível para mercados industriais

A Nel e a SFC Energy desejam desenvolver o primeiro eletrolisador integrado e sistema de célula a combustível de hidrogênio e metanol para geração e armazenamento descentralizado de energia. Formalizando uma nova parceria no dia 18/08, a dupla disse que espera substituir os geradores a diesel por sistemas baseados em células a combustível em combinação com a produção de hidrogênio verde por meio da eletrólise. Inicialmente, a Nel e a SFC Energy se concentrarão em aplicações em uma faixa de potência de até 50 kW com um tempo de operação diário de duas a dez horas, que podem ser usados como geradores de energia de emergência confiáveis. Além disso, buscará desenvolver os sistemas na faixa de potência de até 500 kW para os mercados de telecomunicações, data center e unidades de energia auxiliar (APU). Espera-se que os primeiros produtos cheguem ao mercado no segundo semestre de 2022. (SFC Energy – 18.08.2021)

<topo>

2 Coréia: Nova técnica converte amônia em hidrogênio “verde”

Uma equipe de pesquisa, liderada pelo professor Guntae Kim na Escola de Energia e Engenharia Química da UNIST, teve sucesso na produção de hidrogênio verde (H2). A conversão da amônia líquida em grandes quantidades de hidrogênio conseguiu alcançar aproximadamente 100% de rendimento. A equipe de pesquisa propõe um procedimento sistematizado, usando cromatografia gasosa que permite comparar e avaliar de forma confiável a produção. Com o auxílio do novo catalisador na reação de oxidação de amônia, os pesquisadores puderam então analisar o processo de decomposição da amônia líquida, consumindo três vezes menos energia do que o hidrogênio feito a partir da eletrólise da água. (Fuel Cells Works – 22.08.2021)

<topo>

3 EUA: NASA fornece informações sobre sua nova esfera de hidrogênio líquido de 4.700 m3

A NASA e o Departamento de Energia dos Estados Unidos (DOE) realizaram um workshop sobre hidrogênio líquido na quarta-feira (18 de agosto), apresentando informações sobre a nova esfera de hidrogênio líquido. James Fesmire, Pesquisador Principal Sênior do Centro Espacial Kennedy da NASA, falou sobre a nova esfera de hidrogênio líquido de 4.700 m3 que está sendo usada para fornecer capacidade de armazenamento adicional, sendo construída no Complexo de Lançamento 39B. A nova esfera que, como explica James Fesmire, pode conter 333 toneladas de hidrogênio líquido, está programada para ser concluída em 2022 e apoiará a missão lunar de Artemis. Este notável método de armazenamento permite que o hidrogênio seja armazenado em alta capacidade. (H2 View – 19.08.2021)

<topo>

4 EUA: Pesquisadores da UT vão transformar petróleo inexplorado em energia limpa de hidrogênio

Pesquisadores da Universidade do Texas em Austin descobriram uma maneira de converter petróleo inexplorado em energia limpa de hidrogênio, o trabalho foi reconhecido pelo Departamento de Energia dos Estados Unidos (DOE). A Universidade disse, no dia 23 de agosto, que está promovendo uma combinação inovadora de combustão in-situ e armazenamento de dióxido de carbono (CO2) para liderar a transformação que pode resultar em hidrogênio relativamente barato. A pesquisa da equipe se concentra na combustão de óleo dentro do reservatório natural, como fonte de calor. Esse calor é usado para conduzir a conversão de metano, monóxido de carbono e outros gases em hidrogênio e CO2 de uma forma que emula os processos industriais de gaseificação e reforma a vapor nas refinarias. Reconhecido pelo DOE, o esforço pode representar um grande passo na meta do departamento de reduzir o custo do hidrogênio limpo em 80% para £ 1 / kg em apenas uma década para acelerar as energias limpas. (H2 View – 24.08.2021)

<topo>

 

 

Eventos

1 ICS 2021 – Powering India’s Hydrogen Ecosystem

O International Climate Summit 2021 (ICS 2021) é uma iniciativa do Comitê de Meio Ambiente, Câmara de Comércio e Indústria PHD em parceria com NITI Aayog, Ministério do Meio Ambiente, Floresta e Mudanças Climáticas, Departamento de Pesquisa Científica e Industrial e Departamento de Ciência e Tecnologia do Governo da Índia. O objetivo do evento é reunir palestrantes da academia, especialistas da indústria e formuladores de políticas de todo o mundo, para sessões e discussões sobre o hidrogênio e seu uso como uma fonte promissora de energia. O summit é precursor da 26ª Conferência das Partes (COP) da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (UNFCCC). O governo indiano já anunciou a Missão Nacional do Hidrogênio, que define o roteiro para políticas e regulamentações centradas no hidrogênio, o país já está desenvolvendo projetos, pesquisa e desenvolvimento em toda a cadeia de valor do hidrogênio. Por ter baixo custo de energia renovável, a Índia tem potencial para ter a produção de hidrogênio técnica e economicamente viável no futuro. O evento ocorre no dia 03/09 de forma online. (ICS 2021 – agosto de 2021)

<topo>

2 Curso Intensivo de Hidrogênio

Especialistas concordam que o hidrogênio terá um papel fundamental em um futuro sistema de energia com emissão zero, devido a possibilidade de produzi-lo por diferentes rotas e aplicá-lo nos setores de difícil eletrificação. Nesse contexto, o Energy Delta Institute está ofertando um curso intensivo de hidrogênio que visa passar uma visão geral da cadeia de valor do hidrogênio e aborda tudo sobre os últimos desenvolvimentos. O curso permitirá a identificação de novas oportunidades de negócios para o futuro e a interação com especialistas da indústria e da academia na área de hidrogênio. O curso será de forma online entre os dias 29/09 a 01/10. (Energy Delta Institute – 24.08.2021)

<topo>

3 AHK Rio e GESEL: Curso de extensão “Hidrogênio e Transição Energética”

O hidrogênio verde tem assumido um papel chave nas estratégias governamentais internacionais para a transição energética, devido às potencialidades do hidrogênio e à aplicação das energias renováveis em curva de crescimento em todo o mundo. Para fomentar o aumento da mão de obra especializada, a Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha do Rio de Janeiro (AHK Rio), no âmbito da Aliança para o Hidrogênio Verde, em associação ao Grupo de Estudos do Setor Elétrico (GESEL/UFRJ) está promovendo o curso de extensão “Hidrogênio e Transição Energética”. O curso será realizado de forma online e síncrona, o material complementar e apresentações ficarão disponíveis. Ao final do curso, o aluno sairá dominando os aspectos técnicos, regulatórios, econômico-financeiros e ambientais sobre o hidrogênio. As aulas serão ministradas por pesquisadores do GESEL; UFRJ e PUC-Rio. As inscrições podem ser realizadas até o dia 17/09. Para saber mais clique aqui. (GESEL – IE -UFRJ – 24.08.2021)

<topo>

 

 

Artigos e Estudos

1 Artigo “Hidrogênio verde – produto premium ou combustível básico?”

O artigo analisa o potencial da produção de hidrogênio verde (H2V) em contribuir significativamente para que o Reino Unido alcance a meta de zero líquido até 2050 ou se continuará sendo uma aplicação de nicho. Nesse contexto, o artigo aborda o potencial do Reino Unido como produtor de H2V, bem como os obstáculos técnicos e regulatórios que devem ser superados para estabelecer uma economia do hidrogênio. Atualmente, o governo inglês está injetando £ 166,5 milhões para a produção de H2V. O texto destaca ainda a necessidade de uma verificação da realidade nas previsões das rotas de produção de hidrogênio que já podem ser utilizadas, como o hidrogênio azul. E evidencia que por existir poucas plantas de captura e armazenamento de carbono (CCS) seria mais fácil monitorar a produção de H2 por esta rota. Com relação ao H2V, destaca-se a falta de infraestrutura para o seu transporte e as barreiras encontradas para o seu armazenamento, bem como a importância da localização dos eletrolisadores e a necessidade de mercado interno para atender a demanda. O artigo conclui que tudo está se encaminhando para que os projetos de hidrogênio verde, apesar de ser ainda um produto premium, se tornem uma commodity. (Energy Voice – 17.08.2021)

<topo>

2 Epbr: Onze países têm roteiros para hidrogênio na América Latina

A Agência Internacional de Energia (AIE), lançou um novo relatório analisando o potencial da América Latina (AL). O continente possui destaque no cenário do hidrogênio de baixo carbono e o vetor energético estará desempenhando um papel importante transição para energia limpa da América Latina. Segundo o documento, até o momento 11 países (Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, El Salvador, Panamá, Paraguai, Trinidad e Tobago e Uruguai) na região publicaram ou estão preparando estratégias e roteiros nacionais para o hidrogênio e 25 projetos de hidrogênio de baixo carbono estão nos estágios iniciais de desenvolvimento. Além desses, já existem 3 projetos-pilotos na AL que produzem hidrogênio verde (H2V), localizados na Argentina, Costa Rica e Chile. Para que os projetos saiam do papel o desenvolvimento de uma regulação para o setor parece ser crucial. (epbr – 19.08.2021)

<topo>

3 Relatório da AIE identifica oportunidades para o hidrogênio na América Latina

O relatório “Hydrogen in Latin America”, produzido pela Agência Internacional de Energia (AIE), apresentou o perfil da demanda de hidrogênio (H2) na América Latina (AL). Segundo o estudo, os setores industriais e o de refino do petróleo exigiram mais de 4 milhões de toneladas de hidrogênio em 2019, que foram destinadas principalmente à produção de amônia, metanol, aço e derivados de petróleo refinados. O relatório apontou que todos os países da região terão que descarbonizar o setor de transporte para atender às suas metas climáticas e o H2 pode ser uma solução. Com relação aos outros setores, Brasil e México têm oportunidades para descarbonizar a indústria pesada, os dois países foram responsáveis por produzir mais de 80% do aço na região em 2019. O Brasil também tem oportunidades na indústria de refino de petróleo, uma vez que o setor representa 83% da demanda de hidrogênio no país. Em Trindad e Tobago, a indústria química ganha destaque por consumir grandes volumes de hidrogênio e ser responsável por quase metade das emissões do país. Já no Chile e Peru, o uso do hidrogênio limpo na mineração pode deslocar grandes volumes de diesel e permitir reduções significativas de emissões. O hidrogênio de baixo carbono estará desempenhando um papel tanto na segurança energética quanto na integração das energias renováveis nos sistemas elétricos. (epbr – 19.08.2021)

<topo>


Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Luiza Masseno e Sayonara Andrade Elizário
Pesquisadores: Allyson Thomas,
José Vinícius S. Freitas, Kalyne Silva Brito e Luana Oliveira 
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

As notícias divulgadas no IFE não refletem necessariamente os pontos da UFRJ. As informações que apresentam como fonte UFRJ são de responsabilidade da equipe de pesquisa sobre o Setor Elétrico do Instituto de Economia da UFRJ.

POLÍTICA DE PRIVACIDADE E SIGILO
Respeitamos sua privacidade. Caso você não deseje mais receber nossos e-mails,  Clique aqui e envie-nos uma mensagem solicitando o descadastrado do seu e-mail de nosso mailing.


Copyright UFRJ

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: