IFE.H2 46

Informativo Eletrônico – Geração de Energia com Hidrogênio nº 46 – publicado em 20 de agosto de 2021.

IFE: Informativo Eletrônico de Hidrogênio – GESEL-UFRJ <!–

l

IFE: nº 46 – 20 de agosto de 2021
http://gesel.ie.ufrj.br/
gesel@gesel.ie.ufrj.br

Editor: Prof. Nivalde J. de Castro

Índice

Políticas Públicas e Financiamentos
1
China: País visa $ 15 bilhões na cadeia de valor do hidrogênio em Pequim
2 Austrália Ocidental: Governo concede financiamento para projeto de hidrogênio renovável
3 Estados Unidos: Novo projeto de lei garante um investimento histórico na economia de hidrogênio limpo
4 Índia: Governo anuncia a criação da Missão Nacional de Hidrogênio
5 Omã: Nova aliança nacional de hidrogênio estabelecida
6 Reino Unido: Primeira estratégia de hidrogênio visa criar mercado de £ 13 bilhões
7 Rússia: Governo aprovou conceitos gerais para a economia do hidrogênio

Produção
1 Austrália: Pilot Energy irá explorar hidrogênio azul
2 Brasil: Enterprize Energy assina MoU para desenvolver projeto de hidrogênio verde
3 Canadá: Força-tarefa estudará pontos fortes para desenvolver usinas de hidrogênio azul
4 Chemours se junta à Hydrogen Europe
5 EUA: Empresa contrata eletrolisador para produzir hidrogênio a partir de sua usina nuclear
6 EUA: Projeto para desenvolver instalação de hidrogênio azul no Porto de Corpus Christi
7 Finlândia: P2x Solutions planeja construir primeira planta de hidrogênio verde do país
8 Noruega: Novo grupo no setor de amônia impulsionará a economia de hidrogênio

9 Reino Unido: Octopus Hydrogen realizará projeto que visa produção do hidrogênio verde

10 Reino Unido: Trafford Green Hydrogen apresenta planos para construir hub de hidrogênio de 200 MW

Armazenamento e Transporte
1 Alemanha: Grupo Rosen testará transporte seguro de hidrogênio em dutos
2 Índia: NTPC testará mistura de hidrogênio com gás natural na rede de uma cidade indiana
3 Irlanda: ESB revela projeto irlandês de hidrogênio verde

Uso Final
1 Brasil: Unigel anuncia construção de fábrica de amônia verde
2 Noruega: Empresa irão colaborar com a produção de amônia verde
3 Portugal: PRF Gas Solutions apresenta DRHYVE a primeira estação de abastecimento portátil
4 ZeroAvia conclui primeiros testes do novo sistema de aviação a célula a combustível

Tecnologia e Inovação
1 Alemanha: Fabricante alemão lança motor a hidrogênio
2 Alemanha: Instituto Fraunhofer pesquisando sistemas de eletrólise da água mais eficientes
3 Canadá: Hydrogen Optimized avança na tecnologia de eletrolisadores para hidrogênio verde
4 Dinamarca: Everfuel inicia construção do maior eletrolisador da Europa

Eventos
1 Brasil: Hidrogênio verde em usinas híbridas é oportunidade para o país
2 Diretrizes do Programa Nacional do Hidrogênio: Impactos nos negócios de gás e energia no Brasil
3 Escola de Combustão: curso sobre hidrogênio verde
4 First Element Conference: Shaping the future of hydrogen

5 Reabastecimento de hidrogênio para transporte pesado – uma visão da infraestrutura

Artigos e Estudos
1 Austrália: BP confirma viabilidade da produção de hidrogênio e amônia verde em larga escala
2 EUA: Segundo pesquisa, a economia do hidrogênio pode ser alcançada mas precisa de planejamento
3 IEA: Hydrogen in Latin America
4 Projetos de hidrogênio verde anunciados pelo mundo somam mais de US$ 80 bi

5 Relatório afirma que hidrogênio azul pode ter “grandes consequências climáticas



 

 

Políticas Públicas e Financiamentos

1 China: País visa $ 15 bilhões na cadeia de valor do hidrogênio em Pequim

O Escritório Municipal de Economia e Tecnologia da Informação de Pequim divulgou um roteiro para os próximos cinco anos visando uma cadeia de valor do hidrogênio com alcance de 1 bilhão de yuans (US $ 15 bilhões) até 2025. Dentro do plano de cinco anos, o escritório revelou vários aspectos-chave para o desenvolvimento dessa cadeia em Pequim e para aprimorar suas capacidades. Também foram identificadas oportunidades de mostrar suas capacidades de produzir o hidrogênio para o mundo. Ao aumentar a produção de hidrogênio, Pequim também necessitará aumentar rapidamente o desenvolvimento de estações de reabastecimento de hidrogênio, permitindo a descarbonização do transporte rodoviário. Por causa disso, Pequim pretende concluir 37 postos de reabastecimento adicionais para melhorar a transição para combustíveis limpos nas estradas. A produção de hidrogênio deve chegar a 135 toneladas por dia em 2025, o que deve estar acima do necessário ao consumo. Para contornar isso, o governo buscará exportar o excesso de hidrogênio. (H2 View – 17.08.2021)

<topo>

2 Austrália Ocidental: Governo concede financiamento para projeto de hidrogênio renovável

O governo da Austrália Ocidental (AO) está investindo quase $2 milhões em um projeto de hidrogênio renovável desenvolvido pela ATCO Gas Australia (ATCO). O projeto visa a descarbonização da rede de distribuição de gás da AO. O hidrogênio será produzido no Centro de Inovação de Energia Limpa da ATCO perto de Perth e misturado em seções isoladas do Sistema de Distribuição de Gás (SDG) do centro-oeste e do sudoeste, reduzindo as emissões para a comunidade da AO. O projeto planeja misturar até 10% de hidrogênio no SDG. (WA Government – 17.08.2021)

<topo>

3 Estados Unidos: Novo projeto de lei garante um investimento histórico na economia de hidrogênio limpo

Uma nova Lei bipartidária de Energia do Hidrogênio Limpo visa criar um investimento histórico na pesquisa e desenvolvimento de tecnologias de hidrogênio limpo para criar uma economia de hidrogênio nos Estados Unidos. O novo projeto fornecerá apoio legislativo para o desenvolvimento da infraestrutura de hidrogênio, apoiando as empresas que buscam fazer a transição para fontes de energia mais limpas. Espera-se criar um programa de P&D de hidrogênio que se concentre em objetivos de curto, médio e longo prazo para reduzir os custos de todas as fontes de produção, desenvolver o transporte e armazenamento e para usos finais múltiplos. O projeto de lei também orienta a criação de uma estratégia e um roteiro nacional tecnologicamente e economicamente viáveis, afim de facilitar a produção, processamento, entrega, armazenamento e uso em larga escala de hidrogênio limpo nos Estados Unidos. Para ver o texto completo da Lei de Energia do Hidrogênio Limpo, clique aqui. (H2 View – 11.08.2021)

<topo>

4 Índia: Governo anuncia a criação da Missão Nacional de Hidrogênio

O primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, anunciou formalmente o lançamento de uma Missão Nacional de Hidrogênio para acelerar os planos de gerar combustível livre de carbono a partir de fontes renováveis. A Missão tem o objetivo de definir uma meta para a Índia alcançar a autossuficiência energética, uma vez que o país depende 85% de importações para atender às suas necessidades de petróleo. O primeiro-ministro afirmou que “o hidrogênio verde dará a Ìndia um salto na conquista de suas metas”. Em discurso, o primeiro-ministro disse que a Índia tem potencial para alcançar a meta por meio de uma economia baseada na mistura de gás, aumentando a quantidade de etanol extraído da cana-de-açúcar na gasolina e através da mobilidade elétrica. Para saber mais clique aqui. (ETEnergyworld – 15.08.2021)

<topo>

5 Omã: Nova aliança nacional de hidrogênio estabelecida

O Ministério de Energia e Minerais de Omã estabeleceu uma nova aliança nacional de hidrogênio para aumentar as capacidades da região. Conforme relatado pela Oman News Agency, a aliança consiste no conjunto de 13 instituições importantes dos setores público e privado que buscarão o desenvolvimento da produção limpa de hidrogênio, além de seu uso, colocando o Sultanato no mapa de países interessados na economia do hidrogênio. Isso inclui nomes como Shell, BP e TotalEnergies. Salem bin Nasser Al Aufi, subsecretário do Ministério de Energia e Minerais, afirmou que o objetivo principal de estabelecer a aliança nacional de hidrogênio é criar um acordo nacional e internacional entre líderes da indústria, governo e as autoridades públicas. Espera-se que isso ajude a desenvolver tecnologias para o hidrogênio limpo e usá-las de acordo com os planos de diversificação de energia para o Omã Vision 2040. (H2 View – 12.08.2021)

<topo>

6 Reino Unido: Primeira estratégia de hidrogênio visa criar mercado de £ 13 bilhões

O governo do Reino Unido divulgou, no dia 17 de agosto, sua estratégia altamente antecipada, que visa construir uma economia de hidrogênio no valor de £ 900 milhões (US $ 1,2 bilhão) até 2030, com previsão de aumento para £ 13 bilhões (US $ 17,94 bilhões) em 2050. A estratégia apoiará a descarbonização dos setores de indústrias pesadas e poluentes, como produtos químicos, refinarias de petróleo, energia e transporte pesado, mudando dos combustíveis fósseis para hidrogênio de baixo teor de carbono -verde e azul-, inicialmente definido para ser usado para criar oportunidades para empresas do Reino Unido em todo o coração industrial. A mistura de hidrogênio também faz parte da estratégia do governo, decidido a trabalhar com a indústria para avaliar a segurança, a viabilidade técnica e a relação custo-benefício da inserção de 20% de hidrogênio no suprimento de gás existente. Acredita-se que isso poderia resultar em uma redução de 7% nas emissões de gás natural. Para ler o documento, clique aqui. (United Kingdom Government – 17.08.2021)

<topo>

7 Rússia: Governo aprovou conceitos gerais para a economia do hidrogênio

O governo russo aprovou seus conceitos gerais para o desenvolvimento de energia de hidrogênio na Rússia, que prevê a criação de um setor de alta tecnologia. O documento apresenta as vantagens para o desenvolvimento da energia do hidrogênio no país, que inclui as reservas de carvão e gás, potencial eólico e solar, bem como o potencial das usinas nucleares e a estrutura da indústria do petróleo. Além das vantagens, também são citadas as limitações para o desenvolvimento desse novo mercado no país. Os conceitos preveem a criação de três clusters científicos-industriais que envolvem a produção de hidrogênio para exportação para a Europa e Ásia, e o fornecimento de energia para áreas do Ártico. O documento fornece medidas e metas para o desenvolvimento do mercado interno de hidrogênio e determina que isto ocorrerá em três etapas: a primeira etapa (2021-2024) envolve a criação de clusters de hidrogênio e implantação de projeto-piloto, a segunda (2025 – 2035) prevê o lançamento dos primeiros projetos comerciais e produção de hidrogênio e a terceira fase, a partir da qual a Rússia planeja se tornar um dos maiores exportadores de hidrogênio e misturas energéticas baseadas em hidrogênio, do mundo. (Global Energy – 12.08.2021)

<topo>

 

 

Produção

1 Austrália: Pilot Energy irá explorar hidrogênio azul

A empresa Pilot Energy irá explorar o estudo de viabilidade “Mid West Blue Hydrogen and CCS”. O estudo tem como objetivo avaliar o potencial de captura, armazenamento e uso de carbono do projeto de óleo de Cliff Head e reservatórios adicionais em toda a Bacia de Perth e tem como alvo projetos de infraestrutura futuros que apoiarão o desenvolvimento do hidrogênio. O estudo também avalia projetos de hidrogênio azul e CCS que podem se integrar com ativos e infraestrutura existentes para fornecer energia limpa competitiva. A empresa irá explorar a produção e comercialização de hidrogênio azul por meio da prestação de serviços de gestão de carbono e venda de hidrogênio. Acredita-se que apoiando esses projetos, o centro-oeste da Austrália poderia se tornar um centro de hidrogênio e contribuir com a transição energética das empresas locais. (Pilot Energy – 12.08.2021)

<topo>

2 Brasil: Enterprize Energy assina MoU para desenvolver projeto de hidrogênio verde

A Enterprize Energy, empresa de recursos naturais e energia de baixo carbono do Reino Unido, realizou um memorando de entendimento (MoU) com o governo do Rio Grande do Norte para desenvolver um projeto com intuito de produzir energia eólica, e através dela, hidrogênio verde (H2V) e amônia verde. O projeto visa construir um parque eólico que destinará energia tanto para a rede elétrica, quanto para a produção do hidrogênio por meio da eletrólise. Posteriormente, o hidrogênio será utilizado, seja para consumo no mercado local seja para a síntese com o nitrogênio e produção de amônia verde pelo processo de Haber-Bosch. Futuramente, a empresa também espera exportar o H2V para alguns países que vem adotando metas de importação do combustível. No momento, a empresa ainda está na fase de análise dos potenciais impactos ambientais e socioeconômicos. (Governo do Rio Grande do Norte – 10.08.2021)

<topo>

3 Canadá: Força-tarefa estudará pontos fortes para desenvolver usinas de hidrogênio azul

O Canadá está cada vez mais perto de ter o seu segundo hub de hidrogênio, pois lançou no dia 13 de agosto uma força-tarefa que tem como intuito o desenvolvimento da infraestrutura de diversos segmentos do hidrogênio no sudeste de Alberta, província do Canadá. A força-tarefa vai explorar o potencial de um centro de hidrogênio na região, visando analisar os pontos fortes, assim como oportunidades econômicas mais amplas associadas ao crescimento da produção e uso de hidrogênio de baixo carbono (azul) em grande escala. Dessa forma, acontecerá a viabilização da construção de usinas que produzem hidrogênio azul com o menor custo já visto no momento atual. O trabalho básico da Força-Tarefa será concluído no início de 2022, com um relatório final resumindo o esforço a seguir. (The Transition Accelerator – 13.08.2021)

<topo>

4 Chemours se junta à Hydrogen Europe

Chemours, uma empresa química global, revelou no dia 11 de agosto que se juntou à Hydrogen Europe como um meio de apoiar a economia do hidrogênio para expandir sua adoção em toda a UE. A empresa foi convidada a ingressar na associação, jáque possui uma série de produtos de tecnologia de hidrogênio. No seu portfólio está o grupo popular de membranas poliméricas trocadoras de prótons (PEM) Nafion™ que estão ajudando a desenvolver a economia do hidrogênio. As membranas Nafion™ e a dispersão ajudaram na produção de hidrogênio em maiores escalas por meio da eletrólise da água, com o hidrogênio produzido usado como fonte de combustível em transportes pesados, veículos de passageiros e manuseio de materiais. Randal King, Vice-Presidente de Tecnologia de Materiais de Desempenho Avançado da Chemours, disse que a empresa é crítica para impulsionar o progresso enquanto o mundo busca descarbonizar, ao passo que acredita que o hidrogênio verde desempenhará um papel importante em um futuro de energia mais limpa e mais verde. (H2 View – 11.08.2021)

<topo>

5 EUA: Empresa contrata eletrolisador para produzir hidrogênio a partir de sua usina nuclear

Uma empresa líder nos Estados Unidos está realizando um projeto com o intuito de produzir hidrogênio livre de carbono a partir de sua usina nuclear, nos EUA. O projeto, pelo qual foi contratado o eletrolisador MC250 PEM da Nel hyodrogen US, já está ativo. Atualmente, está esperando a entrega do pedido para instalar o equipamento na usina, o que está programado para o ano de 2022. Em termos de usos finais, o vetor energético gerado será utilizado na própria usina, para atender aos requisitos de resfriamento e controle químico da turbina. O projeto, além de incentivar a produção e uso do hidrogênio, também incentivará o uso da própria energia nuclear, pois o H2 lhe trará um pool de produção de energia. (Nel ASA – 11.08.2021)

<topo>

6 EUA: Projeto para desenvolver instalação de hidrogênio azul no Porto de Corpus Christi

Pretendendo contribuir com o meio ambiente, a autoridade do Porto de Corpus Christi e a Howard Midstream Energy Partners, empresa de energia, assinaram um Memorando de Entendimento (MoU). O objetivo principal do projeto é converter a instalação de hidrogênio cinza presente no porto, localizado nos Estados Unidos. O projeto transformará a instalação antiga em uma nova com a inserção da tecnologia de captura de carbono, transformando a instalação em uma unidade produtora de hidrogênio de baixo carbono (azul). O H2 azul terá a mesma destinação que o H2 cinza produzido anteriormente, a refinaria, onde é usado para remover impurezas como o enxofre durante o processo de refino, e outras indústrias. Por fim, em última instância, a empresa e a autoridade do porto têm planos para exportar o combustível para outros países. (Fuel Cells Works – 13.08.2021)

<topo>

7 Finlândia: P2x Solutions planeja construir primeira planta de hidrogênio verde do país

A P2x Solutions, empresa que trabalha no segmento da produção do hidrogênio por meio da tecnologia Power-to-X, está com planos de construir a primeira planta de hidrogênio verde da Finlândia, que deverá ser localizada no município de Harjavalta. A planta terá uma capacidade eletrolítica de 20 megawatts (MW) e produzirá hidrogênio, como produto principal, além de oxigênio e calor, como produtos secundários. Em termos de destinação, o hidrogênio e os seus subprodutos serão utilizados para fins industriais. A empresa espera concluir o projeto de engenharia no final de 2021, iniciar as obras de construção no outono de 2022 e comissionar a planta no primeiro semestre de 2024. (P2x – 10.08.2021)

<topo>

8 Noruega: Novo grupo no setor de amônia impulsionará a economia de hidrogênio

Uma nova empresa de produção de amônia foi lançada no dia 16 de agosto com o objetivo de fornecer uma vantagem competitiva para a crescente economia do hidrogênio na Noruega, através da amônia verde. A Herøya Green Ammonia (HEGRA), fundada pela Yara, Aker Clean Hydrogen e Statkraft, impulsionará a economia do hidrogênio na Noruega ao desenvolver uma cadeia de valor norueguesa para amônia verde. Para conseguir isso, a empresa pretende eletrificar e descarbonizar a planta de amônia em Herøya proporcionando a produção de amônia verde em grande escala, utilizando fontes de energia renovável, para fabricação de fertilizantes sem carbono e combustível com emissão zero para o setor marítimo. (H2 View – 16.08.2021)

<topo>

9 Reino Unido: Octopus Hydrogen realizará projeto que visa produção do hidrogênio verde

A Octopus Energy, fornecedora de eletricidade e gás no varejo com sede no Reino Unido, especializada em energia sustentável, está usando a sua filial Octopus Hydrogen para um projeto de produção de hidrogênio verde (H2V) no Reino Unido. Para realizar o projeto, a empresa fará a compra de dois eletrolisadores Green Hydrogen System que serão implementados em um contêiner de 40 pés, bem como vai fornecer manutenção no local e monitoramento remoto como parte de um contrato de serviço de três anos. Os eletrolisadores serão alimentados por energia solar, e, quando combinados, farão com que a instalação tenha uma capacidade instalada de 0,9 megawatts (MW). O projeto irá produzir uma quantidade de 389 kg de H2V por dia. (Green Hydrogen Systems – 16.08.2021)

<topo>

10 Reino Unido: Trafford Green Hydrogen apresenta planos para construir hub de hidrogênio de 200 MW

A Trafford Green Hydrogen, subsidiária da Carlton Power, apresentou planos para um centro comercial de hidrogênio de 200 MW na Grande Manchester. O Trafford Low Carbon Energy Park está definido para ser um dos maiores do Reino Unido a ser desenvolvido. O objetivo é fornecer às empresas na região da Grande Manchester acesso fácil ao combustível hidrogênio. O hub proposto em Trafford Park está sendo apresentado após a assinatura de um MoU entre Carlton Power, Manchester Metropolitan University, Greater Manchester Combined Authority (GMCA), Trafford Council, Cadent Gas e Electricity North West. O projeto Trafford Green Hydrogen é o primeiro esquema de hidrogênio da Carlton Power e tem planos de desenvolver até 10 outros projetos semelhantes no Reino Unido nos próximos 2 a 5 anos. Sujeito ao resultado do processo de planejamento e financiamento, a construção do hub de hidrogênio no Parque de Energia de Baixo Carbono de Trafford começará no início do próximo ano e entrará em operação comercial em 2023. A instalação do hub de hidrogênio proposta produzirá e armazenará hidrogênio em escala e ajudará a integrar a energia renovável em escala regional por meio do armazenamento de energia solar e eólica. (Trafford Green Hydrogen – 11.08.2021)

<topo>

 

 

Armazenamento e Transporte

1 Alemanha: Grupo Rosen testará transporte seguro de hidrogênio em dutos

O Rosen Group está expandindo suas capacidades de testes e explorando o transporte seguro de hidrogênio na infraestrutura de dutos. O Grupo está dedicando uma seção separada ao tópico de hidrogênio, já que o mesmo pode ter um efeito adverso nas propriedades de fratura e fadiga do aço. Com a nova instalação para testes, programada para ser construída em Lingen, Alemanha, os testes do Grupo Rosen oferecem a possibilidade de analisar diversos materiais e sua exposição em uma atmosfera de hidrogênio (misturas de hidrogênio e hidrogênio puro) a uma temperatura de até 200 ° C e uma pressão de até 150 bar. Além disso, atividades internas de pesquisa e desenvolvimento no campo do hidrogênio serão apoiadas e promovidas. As obras da instalação estão em fase final e, com a entrega dos equipamentos necessários, serão concluídas no início de 2022. (ROSEN – 12.08.2021)

<topo>

2 Índia: NTPC testará mistura de hidrogênio com gás natural na rede de uma cidade indiana

O grupo indiano de serviços públicos NTPC convidou o EOI global para um projeto piloto que visa misturar hidrogênio com gás natural, para distribuição em uma rede de gás municipal. O projeto piloto será o primeiro de seu tipo para a Índia, disse o NTPC, e fornecerá uma alternativa viável para reduzir as emissões de carbono na rede de gás natural da Índia. Se o teste for bem-sucedido, acredita-se que o NTPC aumentará a escala deste projeto urbano em um nível comercial, de modo que se espalhe por todo o país. O projeto piloto também apoiará a intenção de substituir importações do governo ‘Atmanirbhar Bharat Abhiyan’, reduzindo as emissões de carbono no país. (NTPC – 14.08.2021)

<topo>

3 Irlanda: ESB revela projeto irlandês de hidrogênio verde

ESB e dCarbonX lançaram um projeto de armazenamento de hidrogênio verde em grande escala na costa de Cork, na Irlanda. O Green Hydrogen @ Kinsale é um projeto integrado que tem o potencial de armazenar até 3TWh, de hidrogênio verde e portadores de hidrogênio, o equivalente a aproximadamente 10% do consumo anual de eletricidade na Irlanda. O projeto, com licenças e aprovações de planejamento pendentes, já concluiu uma avaliação do reservatório do campo de gás, para identificar o potencial de armazenamento em grande escala. A região de County Cork está idealmente posicionada para ser um centro de energia renovável, com um dos maiores portos naturais do mundo, uma excelente conectividade de energia e transporte, indústrias globais de manufatura e serviços, juntamente com usinas de energia, refinaria e terminal de recepção de gás. (Renews – 12.08.2021)

<topo>

 

 

Uso Final

1 Brasil: Unigel anuncia construção de fábrica de amônia verde

A Unigel, uma das maiores petroquímicas do país, inaugurou a unidade de fertilizantes nitrogenados Unigel Agro Sergipe, antiga Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados (FAFEN – SE). Durante a cerimônia de inauguração, Henry Slezynger, fundador da empresa, lembrou o compromisso da empresa com o meio ambiente, através das melhores práticas de sustentabilidade no controle rigoroso de tratamento de efluentes e na busca de energias renováveis. Além disso, a empresa aproveitou para anunciar a construção de uma nova fábrica de amônia verde, com previsão para o início de produção até o final de 2022. “A partir da obtenção de hidrogênio da água e nitrogênio do ar, por meio de energia renovável, sem nenhuma participação de combustíveis fósseis. A fábrica será construída em Camaçari, com a conversão da primeira fábrica original de amônia de 1970, atualmente fechada, e que será convertida com novas tecnologias. Será a primeira fábrica de amônia verde do Brasil e umas das primeiras e maiores do mundo”, disse Henry Slezynger. (Unigel – 12.08.2021)

<topo>

2 Noruega: Empresa irão colaborar com a produção de amônia verde

As empresas de energia St1 Nordic Oy e Horisont Energi AS firmaram parceria através de um Memorando de Entendimento (MoU) a partir do qual irão avaliar o potencial de produção de amônia verde. O projeto deve inicialmente estudar a viabilidade de produção através de energia eólica, mas também irá explorar a produção de através de novas tecnologias. Além disso, irá explorar toda a cadeia de valor, analisando desde o uso de tecnologias de captura de carbono ao armazenamento final visando a criação de créditos de descarbonização. Ou seja, os parceiros irão modelar uma cadeia de valor para a amônia livre de carbono, da matéria-prima ao consumidor final. A amônia produzida será utilizada no setor industrial e transporte. Caso se obtenha resultados positivos a partir desse estudo, a parceria pode levar à construção de uma usina de amônia verde híbrida. (st1 – 16.08.2021)

<topo>

3 Portugal: PRF Gas Solutions apresenta DRHYVE a primeira estação de abastecimento portátil

A PRF Gas Solutions lançou oficialmente a primeira estação de abastecimento portátil para veículos movidos a hidrogênio, chamada DRHYVE. A estação foi totalmente concebida, desenvolvida e construída em Portugal, pela PRF. A nova estação de reabastecimento de hidrogênio, abastece atualmente veículos pesados e leves a 350 bar e, no futuro, também abastecerá veículos leves a 700 bar. O sistema foi instalado na cidade de Cascais, Portugal, que atualmente fornece dois ônibus, também de fabricação nacional (da Caetano Bus) e um carro leve. Segundo Bruno Faustino, Diretor da Unidade de Negócios Hidrogênio, “a PRF já tem em construção a 2ª estação DRHYVE e, embora esta estação não tenha produção própria, já estamos projetando estações com produção local própria de hidrogênio, fazendo os sistemas totalmente autônomo”. (PRF – 19.08.2021)

<topo>

4 ZeroAvia conclui primeiros testes do novo sistema de aviação a célula a combustível

A ZeroAvia iniciou a segunda fase do HyFlyer II, em julho deste ano, para contribuir para o desenvolvimento da aviação elétrica a hidrogênio. A segunda etapa do projeto que planejava o desenvolvimento de um motor de 600 kW realizou os primeiros testes em solo. O teste envolveu o motor de 600 kW puxando a nova plataforma de teste solo móvel HyperTruck e 15 toneladas. O HyperTruck, desenvolvido com base em caminhões militares pesados, é dimensionado para o trem de força da companhia ZA-2000 2MW+, que pode ser usado para testar sistemas em aeronaves movidas a hidrogênio de 40-80 assentos. O teste em solo irá dar suporte ao programa HyFlyer II, que irá fornecer um sistema de propulsão elétrico a hidrogênio de emissão zero para fuselagens de 10 a 20 assentos. (Zero Avia – 10.08.2021)

<topo>

 

 

Tecnologia e Inovação

1 Alemanha: Fabricante alemão lança motor a hidrogênio

A Deutz, fabricante alemão de sistemas de sistemas de acionamento inovadores, lançou seu primeiro motor a hidrogênio. O motor a hidrogênio de seis cilindros, TCG 7.8 H2, atende aos critérios de elegibilidade definidos pela UE para motores com zero emissão de CO2. O novo produto é um acréscimo ao portfólio da empresa de sistemas de acionamento de baixa emissão e zero emissão. O motor passou nos testes iniciais de bancada com sucesso e a empresa está programou sua produção total em 2024. Ele é baseado em um projeto de motor já existente e gera uma potência de 200 kW. O motor a hidrogênio será testado pela primeira vez em 2022, em um equipamento estacionário para geração de energia, em parceria com uma concessionária regional. (DEUTZ – 12.08.2021)

<topo>

2 Alemanha: Instituto Fraunhofer pesquisando sistemas de eletrólise da água mais eficientes

O Fraunhofer Heinrich Hertz Institute (HHI) faz parte de um novo projeto de pesquisa chamado InnoEly (Laboratório de inovação para eletrólise da água). O projeto colaborativo InnoEly começou em maio de 2021 e deve ser executado até abril de 2024, com o recebimento de um financiamento inicial de € 1,2 milhão ($ 1,41 milhão) do Ministério da Ciência e Cultura da Baixa Saxônia. A equipe de pesquisa está trabalhando para tornar este processo mais eficiente para que o hidrogênio possa se tornar um transportador de energia amplamente aplicável no futuro. Com esse propósito, a equipe está desenvolvendo um novo catalisador com o objetivo de aumentar a eficiência da eletrólise da água convencional para mais de 75%. (Fraunhofer HHI – 12.08.2021)

<topo>

3 Canadá: Hydrogen Optimized avança na tecnologia de eletrolisadores para hidrogênio verde

A Hydrogen Optimized recebeu US $ 300.000 em financiamento do Fundo de Inovação de Gás Natural (NGIF), para otimizar a operação de seus eletrolisadores de água RuggedCell ™. O financiamento será aplicado a um projeto de US $ 900.000 para demonstrar a tecnologia de produção de Hidrogênio Verde em grande escala da empresa a partir de energia solar, turbina eólica simulada e condições de rede elétrica intermitentes. Os eletrolisadores de água RuggedCell ™ da Hydrogen Optimised têm um design unipolar exclusivo que supera as dificuldades históricas dos eletrolisadores bipolares, no uso eficaz da energia disponível através de fontes de eletricidade intermitentes. Isso, por sua vez, torna o RuggedCell ™ uma solução ideal para usuários finais industriais reduzirem significativamente as emissões de seus processos usando hidrogênio verde. (Hydrogen Optimized – 12.08.2021)

<topo>

4 Dinamarca: Everfuel inicia construção do maior eletrolisador da Europa

A Everfuel A/S recebeu a licença de construção para a Fase I do eletrolisador HySynerg, em Fredericia na Dinamarca. O desenvolvimento do HySynergy estabelecerá a produção e armazenamento em larga escala do hidrogênio verde e contribuirá para reduzir as emissões de CO2 na Europa. A instalação terá capacidade de produção de cerca de 8 toneladas por dia de hidrogênio verde, produzido a partir de energia renovável, e 10 toneladas de capacidade de armazenamento. A Everfuel é responsável pelo EPC-work (engenharia, aquisição e construção), incluindo armazenamento de hidrogênio e instalações de distribuição. A Fase I do HySynergy deverá estar em operação em meados de 2022 e será, nessa época, o maior eletrolisador da Europa. (Everfuel – 12.08.2021)

<topo>

 

 

Eventos

1 Brasil: Hidrogênio verde em usinas híbridas é oportunidade para o país

Entre as várias oportunidades para o Brasil, avançar sobre a fronteira do hidrogênio verde pode ser uma alternativa interessante a curto prazo, com ótimos retornos e sem demandar ajustes regulatórios. Na prévia do Encontro Nacional de Agentes do Setor Elétrico (Enase), promovido pelo CanalEnergia/InformaMarkets na quarta-feira (11/08), Carlos Augusto Brandão, presidente da Associação Brasileira de Armazenamento e Qualidade de Energia (Abaque), afirma que a oportunidade está em utilizar o excedente noturno da geração eólica dos parques no Nordeste para produzir hidrogênio, ou ainda o de usinas solares durante o dia, na região Nordeste, no Norte de Minas ou no Centro-Oeste. Segundo Brandão, o conceito seria o de usinas híbridas, com eólicas ou solares sendo complementadas pela nova fonte. O gás hidrogênio armazenado, comprimido em tanques, pode gerar eletricidade, por turbinas de combustão ou células a combustível, que seria despachada durante o dia na rede. A solução também diminuiria a grande variabilidade das fontes renováveis que afeta a operação da transmissão da energia do Nordeste para o Sudeste. (Brasil Energia – 11.08.2021)

<topo>

2 Diretrizes do Programa Nacional do Hidrogênio: Impactos nos negócios de gás e energia no Brasil

O Ministério de Minas e Energia (MME) apresentou, na última quarta-feira, proposição de diretrizes para o Programa Nacional do Hidrogênio (PNH2) aos membros do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE). As diretrizes do programa estão estruturadas em seis eixos, que englobam o fortalecimento das bases científico-tecnológicas: capacitação de recursos humanos; planejamento energético; arcabouço legal e regulatório-normativo; abertura e crescimento do mercado; e competitividade e cooperação internacional. Nesse contexto, o evento tem como objetivo debater as diretrizes do Programa Nacional do Hidrogênio, com suas proponentes e porta-vozes no Governo, junto aos principais representantes da indústria. O evento acontece no dia 26 de agosto a partir das 17h00. Inscreva-se aqui. (Blue Ocean Business Events – 11.08.2021)

<topo>

3 Escola de Combustão: curso sobre hidrogênio verde

A VIII Escola de Combustão, promovida pela Rede Nacional de Combustão (RNC), acontecerá em Fortaleza em outubro de 2021. O evento reunirá estudantes, pesquisadores, professores e profissionais da indústria para estimular o desenvolvimento da ciência da combustão, biocombustíveis e tecnologias de conversão. Ele também conecta estudos fundamentais com aplicativos de modelagem avançada. A escola terá formato completamente virtual e realizará um curso “Green Hydrogen: Concepts, development, and principal implemetation pratice”. Inscreva-se aqui. (SoC 20121 – agosto de 2021)

<topo>

4 First Element Conference: Shaping the future of hydrogen

O evento online, organizado pela Gulf Energy Information, acontece entre os dias 07/09 e 09/09 com o objetivo de abordar a necessidade crescente de informações sobre o mercado de hidrogênio, políticas e regulamento, tecnologias inovadoras e tendências. Inscreva-se aqui. (Gulf Energy – agosto de 2021)

<topo>

5 Reabastecimento de hidrogênio para transporte pesado – uma visão da infraestrutura

O hidrogênio é um vetor energético que tem sido considerado como essencial para a transição energética, principalmente quando o seu uso é voltado para setores de difícil eletrificação, como o transporte pesado. Nesse contexto, a Mission Hydrogen realizará um webinar que conta com a participação de integrantes do H2 Mobility, projeto destinado à difusão de veículos elétricos de células a combustível. O webinar tem como objetivo apresentar uma visão geral das tecnologias em desenvolvimento para o abastecimento de hidrogênio, com base em um relatório da H2 Mobility que será lançado durante o evento. O evento será realizado no dia 25 de agosto, a partir das 11h. (Mission Hydrogen – agosto de 2021)

<topo>

 

 

Artigos e Estudos

1 Austrália: BP confirma viabilidade da produção de hidrogênio e amônia verde em larga escala

A BP Austrália realizou um estudo de viabilidade de uma instalação de produção de hidrogênio (H2V) e amônia verde em escala de exportação, na Austrália Ocidental. O estudo examinou a cadeia de abastecimento de hidrogênio e os mercados internos e de exportação em duas escalas: de demonstração/piloto e comercial. O estudo considerou três tecnologias diferentes para a produção de hidrogênio, uma mistura modelada de energia solar e eólica como fonte de energia e o auxílio de armazenamento de energia em bateria. Segundo o estudo, dependendo da localização e escala do projeto seria necessário um investimento adicional significativo em infraestrutura, especialmente para serviços portuários, de eletricidade e de água. Os resultados também indicaram que a produção de hidrogênio e amônia utilizando energias renováveis é tecnicamente viável em escala na Austrália, mas, será necessária uma escala significativa para que o uso geral de hidrogênio combustível seja comercialmente viável. Para ler o estudo na íntegra clique aqui. (bp – 11.08.2021)

<topo>

2 EUA: Segundo pesquisa, a economia do hidrogênio pode ser alcançada mas precisa de planejamento

Pesquisadores americanos publicaram um comentário na revista Joule sobre a economia do hidrogênio de baixo carbono. Arum Majumdar, John Deutch, Ravi Prasher e Tom Griffin afirmam que o desenvolvimento de uma economia do hidrogênio limpa nos Estados Unidos exigirá uma estratégia abrangente e um plano de 10 anos. Os autores analisam 3 possibilidades para a produção de hidrogênio limpo: hidrogênio verde, azul e turquesa discorrendo sobre os desafios a serem enfrentados para a redução de custos de produção e viabilidade de implementação. Seja qual for a rota escolhida, será necessário fazer uma consideração cuidadosa da futura infraestrutura de hidrogênio, incluindo transporte, armazenamento, uso e viabilidade econômica. Os autores também recomendam que projetos P&D de hidrogênio estejam integrados à parceria público-privada, para programas de demonstração tecnológica que indiquem considerações econômicas, regulatórias, de cadeia de valor e políticas, estabelecendo uma abordagem de redução de riscos para atrair investidores privados. Para acessar o documento completo clique aqui. (Green Car Congress – 17.08.2021)

<topo>

3 IEA: Hydrogen in Latin America

A International Energy Agency (IEA), apresentou, durante seu último webinar, o relatório “Hydrogen in Latin America: From near-term opportunities to large-scale deployment”. O relatório analisa o potencial da América Latina para desempenhar um papel importante no cenário futuro de hidrogênio de baixo carbono e o papel do hidrogênio pode desempenhar na transição energética da região. Segundo o documento, a implementação de hidrogênio de baixo carbono depende de tecnologias que ainda estão em desenvolvimento e que irão necessitar de reduções de custo consideráveis para garantir a redução das emissões em setores da economia que não são adequados para eletrificação direta. O documento também destaca que embora o hidrogênio não emita dióxido de carbono (CO2) na fase de produção, os processos de produção estão atrelados a grandes volumes de emissões na região. A próxima década será crucial para a promessa de longo prazo do hidrogênio de baixo carbono na América Latina e muito ainda deve ser feito para desenvolver e demonstrar tecnologias emergentes. Tendo isso em vista, o relatório oferece seis recomendações para os formuladores de políticas na América Latina aproveitarem o potencial do hidrogênio de baixo carbono na região. Para acessar o relatório clique aqui. (IEA – 12.08.2021)

<topo>

4 Projetos de hidrogênio verde anunciados pelo mundo somam mais de US$ 80 bi

Atualmente, 228 projetos de hidrogênio verde já foram anunciados por todo o mundo. Os investimentos previstos para o setor já somam mais de US $80 bilhões e segundo estimativas da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha do Rio de Janeiro (AHK Rio), o mercado pode movimentar US$ 47 bilhões, nos próximos dez anos. A Alemanha e o Brasil devem tomar uma parte desse valor. A meta de redução das emissões da Alemanha, tem levado a investir no desenvolvimento do mercado de hidrogênio verde (H2V), com especial interesse pelo Brasil. Segundo Ansgar Pinkowski, gerente de inovação e sustentabilidade da AHK Rio, o Brasil tem um enorme potencial não só no que se refere ao potencial de energias renováveis, mas também devido ao fato do país ter a maior base de empresas alemãs. Ainda segundo o executivo, “nenhum país tem tantas condições favoráveis como o Brasil, talvez a Austrália”. Além disso, o país tem tudo para ser relevante nesse mercado devido setor industrial robusto e o potencial de exportador de amônia verde. (epbr – 12.08.2021)

<topo>

5 Relatório afirma que hidrogênio azul pode ter “grandes consequências climáticas

O relatório Energy Science & Engineering lançou um documento onde afirma que o hidrogênio azul foi identificado como emissor de 20% mais gases de efeito estufa do que a queima de gás natural ou carvão para aquecimento, o que destaca a sustentabilidade e a necessidade do hidrogênio verde. Ao comparar o hidrogênio azul e cinza ao gás natural, óleo diesel e queima de carvão, os resultados mostram que as emissões de metano do hidrogênio cinza e azul são maiores do que qualquer um dos combustíveis fósseis. Além disso, a pegada de carbono do hidrogênio azul é mais de 20% maior do que a queima de gás natural ou carvão e cerca de 60% maior do que a queima de óleo diesel, quando utilizados para aquecimento. Esses dados são importantes para destacar que o mercado de hidrogênio verde precisa acontecer de forma mais rápida, com o desenvolvimento de infraestrutura e produção necessárias para produzir uma fonte de combustível com emissão zero. Além disso, a partir dos resultados, foi reconhecido que as emissões totais da produção de hidrogênio azul são apenas 9% a 12% menos do que para o hidrogênio cinza. Você pode ler o relatório aqui. (H2 View – 12.08.2021)

<topo>


Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Luiza Masseno e Sayonara Andrade Elizário
Pesquisadores: Allyson Thomas,
José Vinícius S. Freitas, Kalyne Silva Brito e Luana Oliveira 
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

As notícias divulgadas no IFE não refletem necessariamente os pontos da UFRJ. As informações que apresentam como fonte UFRJ são de responsabilidade da equipe de pesquisa sobre o Setor Elétrico do Instituto de Economia da UFRJ.

POLÍTICA DE PRIVACIDADE E SIGILO
Respeitamos sua privacidade. Caso você não deseje mais receber nossos e-mails,  Clique aqui e envie-nos uma mensagem solicitando o descadastrado do seu e-mail de nosso mailing.


Copyright UFRJ

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: