IFE.TEX 49

Informativo Eletrônico – Tecnologias Exponenciais nº 49 – publicado em 03 de agosto de 2021.

IFE: Informativo Eletrônico de Tecnologias Exponenciais – GESEL-UFRJ <!–

l

IFE: nº 49 – 03 de agosto de 2021
http://gesel.ie.ufrj.br/
gesel@gesel.ie.ufrj.br

Editor: Prof. Nivalde J. de Castro

Índice

Transição Energética
1
A Comissão da UE quer 30 GW por ano em novas usinas de energia eólica até 2030
2 EUA: Lançamento da nova planta solar de 500.000 watts “Cadillac Solar Gardens”
3 EUA: Senado busca reintroduzir legislação para melhorar o setor de energia nuclear do país
4 EUA: Projeto eólico de escala comercial com capacidade de 800 MW, iniciará construção esse ano
5 EUA: Relatório do laboratório de energias renováveis mostra potencial crescente para sistemas geotérmicos
6 Siemens Gamesa recebe um mega-pedido de 322 megawatts na Índia
7 Empresa espanhola Greenalia adquire projeto solar de 670 MW no Texas e planeja expansão
8 Siemens Gamesa lidera em descarbonização, reciclabilidade e sustentabilidade
9 França: Equinor, RED e Green Giraffe se unem para o crescimento da energia eólica flutuante offshore no país
10 RMI e Microsoft mostram como as empresas podem acelerar na direção de uma rede mais limpa
11 O papel das cidades na retomada verde

Geração Distribuída
1 Gera vai construir 16 parques solares para atender consumidores em serviço por assinatura
2 Sices Solar foca no varejo, agronegócio e parcerias para grandes obras
3 Brasil: AXS Energia vai investir US $ 191 mi no setor solar de Minas Gerais

Armazenamento de Energia
1 Governo do Reino Unido coleta informações sobre armazenamento de energia de longa duração
2 Governo australiano emite subsídios para apoiar o processamento de materiais de baterias de vanádio e lítio
3 A desenvolvedora de energias renováveis australiana Maoneng revela detalhes do projeto de armazenamento

4 Hawaiian Electric pagará aos clientes para adicionar armazenamento ao sistema solar

Mobilidade Elétrica
1 Connecticut lança programa de nove anos para infraestrutura de carregamento de EV
2 UE: carregadores ainda são insuficientes
3 Next.e.GO está acelerando a transição para a mobilidade urbana com zero emissões
4 Xpeng Motors prepara plataforma global para uso em qualquer carro elétrico

5 GDSolar firma parceria com a Volkswagen Caminhões

Digitalização
1 O DOE dá início ao ‘Summer of Solar 2021’ com uma ferramenta que rastreia rapidamente a energia solar para comunidades em todo o país


 

 

Transição Energética

1 A Comissão da UE quer 30 GW por ano em novas usinas de energia eólica até 2030

A Comissão Europeia apresentou o pacote Fit-for-55, uma série de propostas legislativas para cumprir a meta climática aumentada da UE de redução de 55% das emissões até 2030. O pacote inclui uma meta maior para as energias renováveis e novas regras para apoiar a expansão dessas energias. Ele fortalece ainda mais o Sistema de Comércio de Emissões para impulsionar a eletrificação de todo o sistema de energia. A proposta da Comissão aumenta o objetivo de chegar a 32% de energias renováveis para 40% na UE até 2030. Isto significa que a UE necessitará de 451 GW de capacidade eólica até 2030, face aos 180 GW atuais. Para atingir esse volume, a UE precisará instalar 30 GW de novos parques eólicos todos os anos até 2030, o que é uma grande aceleração na expansão da energia eólica. No ritmo atual, é esperado que sejam construídos apenas 15 GW por ano ao longo de 2021-25. (Electric Energy Online – 16.07.2021)

<topo>

2 EUA: Lançamento da nova planta solar de 500.000 watts “Cadillac Solar Gardens”

A Solar está dando nova vida a locais que estavam desocupados no mês de julho. Segundo o anúncio da Consumers Energy, a instalação “Cadillac Solar Gardens”, da empresa Solar, iniciou as operações em um local em Michigan. A instalação irá gerar quase meio megawatt de eletricidade, ou 500.000 watts, fornecendo energia suficiente para sustentar até 100 casas simultaneamente. O Cadillac Solar Gardens é comporto por 1.752 painéis solares, além de hospedar um sistema de armazenamento de bateria para maior confiabilidade. É a terceira usina de energia solar dos consumidores em Michigan. A instalação também desempenhará um papel no Plano de Energia Limpa dos EUA. Esse plano prevê o uso de quase 8.000 MW de energia solar até 2040, eliminando o uso de carvão até 2025 e atingindo emissões líquidas de carbono zero até 2040. (Daily Energy Insider – 21.07.2021)

<topo>

3 EUA: Senado busca reintroduzir legislação para melhorar o setor de energia nuclear do país

Buscando manter e fazer crescer o setor de energia dos EUA, sua infraestrutura e cadeias de abastecimento, enquanto reduz as emissões de carbono, um grupo bipartidário de senadores reintroduziu o American Nuclear Infrastructure Act (ANIA) em julho. Isso tem como objetivo levar os EUA a competir no topo entre os países com fontes de energia nuclear, promover as tecnologias necessárias para que isso aconteça, manter as capacidades existentes de energia nuclear e modernizar a infraestrutura da cadeia de abastecimento nuclear. Além disso, um prêmio seria criado para incentivar o licenciamento de tecnologias e combustíveis nucleares de próxima geração. Um programa de crédito direcionado poderia ser usado para preservar as usinas nucleares em risco e poderia haver uma reformulação da linguagem das regras para remover restrições de investimento. Sob a ANIA, o governo também promoveria técnicas de fabricação modernas para construir reatores nucleares melhores, mais rápidos e mais baratos para o futuro. (Daily Energy Insider – 20.07.2021)

<topo>

4 EUA: Projeto eólico de escala comercial com capacidade de 800 MW, iniciará construção esse ano

O projeto eólico offshore Vineyard Wind em Massachusetts celebrou um Contrato de Trabalho do Projeto (PLA) com a Massachusetts Building Trades e afiliados sindicais locais para iniciar a construção. Com este acordo, a construção deverá começar ainda este ano em Vineyard Wind 1, um projeto eólico offshore de 800 megawatts (MW), o primeiro do país construído em escala comercial. Como parte da meta da administração Biden de implantar 30 gigawatts de energia eólica offshore até 2030, Vineyard Wind é o primeiro parque eólico offshore em escala de utilidade no país, e este acordo criará oportunidades de emprego em toda a região. Segundo o CEO da American Clean Power Association, à medida que os EUA continuam a se recuperar da pandemia, este tipo de projeto irá ajudar a fornecer grandes quantidades de energia limpa e impulsionar o crescimento do emprego em todo o país. (Daily Energy Insider – 20.07.2021)

<topo>

5 EUA: Relatório do laboratório de energias renováveis mostra potencial crescente para sistemas geotérmicos

Um novo relatório do Departamento de Energia dos Estados Unidos (DOE) detalhou possibilidades promissoras para as operações geotérmicas do país. Especificamente, o 2021 U.S. Geothermal Power Production and District Heating Market Report prevê um papel importante da energia geotérmica em meio a busca por um sistema de energia nacional renovável e zero carbono. Essa visão foi reforçada pela análise de que o aumento do uso de energia geotérmica para o setor de aquecimento e resfriamento, especificamente, poderia ajudar significativamente as metas nacionais de descarbonização e acelerar o corte das emissões pela metade até 2030. Os pesquisadores foram capazes de apontar para a Europa e a Ásia, onde a tecnologia de aquecimento geotérmico distrital já é amplamente implantada há um bom tempo. (Daily Energy Insider – 16.07.2021)

<topo>

6 Siemens Gamesa recebe um mega-pedido de 322 megawatts na Índia

A Siemens Gamesa acaba de anunciar que fechou um “segundo mega-pedido” em julho com o desenvolvedor indiano ReNew para o fornecimento de 322 MW no parque eólico Tondehal, além dos 301 MW recentemente anunciados para o projeto Hombal. A empresa fornecerá um total de 180 unidades do modelo SG 3.4-145 em ambos os projetos. As máquinas terão a seguinte distribuição: 93 turbinas serão instaladas no Tondehal e as restantes 87 no Hombal. A entrega dessas turbinas está programada para o segundo trimestre do exercício de 2022 da Siemens Gamesa. Estas são, segundo a empresa, as primeiras encomendas da nova turbina SG 3.4-145, lançada em 2020 e especificamente adaptada para o mercado indiano. O fabricante espanhol-alemão fará a produção das turbinas em suas fábricas na Índia. (Energias Renovables – 20.07.2021)

<topo>

7 Empresa espanhola Greenalia adquire projeto solar de 670 MW no Texas e planeja expansão

O grupo espanhol Greenalia SA adquiriu uma empresa americana de energia renovável que detém um projeto solar fotovoltaico de 670 MW no Texas e anunciou planos para explorar outras aquisições no país. A expansão faz parte do plano estratégico da empresa para diversificar o risco, adicionar outra moeda e ramificar em novas tecnologias. Na Espanha, o grupo opera atualmente parques eólicos onshore e uma usina movida a biomassa, mas tem vários projetos solares fotovoltaicos e eólicos flutuantes em vários estágios de desenvolvimento. A aquisição da empresa norte-americana dá à Greenalia um projeto de energia solar pronto para construir, com licenças de acesso à rede em vigor e a possibilidade de instalar 170 MW de armazenamento de bateria, disse o grupo. A construção do projeto solar terá início em 2022. Se o projeto de armazenamento se concretizar, os dois podem representar um investimento de mais de US $ 450 mi. (Renewables Now – 22.07.2021)

<topo>

8 Siemens Gamesa lidera em descarbonização, reciclabilidade e sustentabilidade

A Siemens Gamesa avança em sua ambição de ter emissões líquidas zero em 10 anos até 2040, incluindo as emissões de sua cadeia de valor. Para tanto, a empresa buscará oportunidades para atingir uma taxa de intensidade de carbono de zero emissão por MW instalado, sem quaisquer medidas de compensação. Algumas das principais ações serão a substituição de todos os sistemas de aquecimento e resfriamento existentes por alternativas de carbono zero e autogeração nos parques eólicos e nas fábricas. As novas metas reforçam a liderança em sustentabilidade da Siemens Gamesa ao se somar a vários grandes sucessos de descarbonização nos últimos meses. A empresa alcançou a neutralidade de carbono e teve suas metas climáticas verificadas pela iniciativa Science Based Target (SBTi), tornando-se a primeira fabricante de energia renovável a fazê-lo. Além disso, a empresa passou a ser 100% movida à eletricidade de fontes renováveis. (EVWind – 21.07.2021)


<topo>

9 França: Equinor, RED e Green Giraffe se unem para o crescimento da energia eólica flutuante offshore no país

As empresas Equinor, RES e Green Giraffe uniram forças para formar a Océole, parceria dedicada ao desenvolvimento da energia eólica flutuante offshore na França. A Océole irá avaliar e trabalhar para apresentar propostas nos próximos leilões eólicos offshore flutuantes realizados pelo governo francês. O estabelecimento desta parceria está alinhado com a ambição das três empresas de entregar projetos eólicos flutuantes de alto desempenho para apoiar as metas da França de até 6,8 GW de energia eólica offshore até 2028 em seu caminho para se tornar neutra em carbono até 2050. A Equinor é a desenvolvedora eólica offshore flutuante líder mundial, operando o primeiro parque eólico flutuante do mundo, Hywind Scotland (30MW) e construindo o maior parque eólico offshore flutuante em desenvolvimento, Hywind Tampen (88 MW). A RES tem grande expertise em energia eólica offshore por meio de sua experiência em desenvolvimento de projetos, operação e manutenção. Por fim, a Green Giraffe é uma empresa de consultoria financeira especializada com foco no setor de energia renovável. (EVWind – 20.07.2021)

<topo>

10 RMI e Microsoft mostram como as empresas podem acelerar na direção de uma rede mais limpa

A aquisição corporativa de energia renovável tem desempenhado um papel fundamental na descarbonização da energia global. E a urgência de uma ação climática levou as empresas líderes a considerar estratégias como a correspondência de carga horária para ajudar a acelerar a mudança para uma rede elétrica livre de carbono. No estudo “Clean Power by the Hour”, o RMI avalia os custos e benefícios climáticos associados às estratégias de aquisição que combinam a demanda de eletricidade dos compradores com o fornecimento de energia livre de carbono por hora em sete mercados globais de eletricidade. A pesquisa global da organização sem fins lucrativos descobriu que as estratégias de correspondência de carga horária podem ajudar a estabelecer as bases para uma rede descarbonizada a longo prazo. No entanto, essas estratégias devem ser cuidadosamente adaptadas à dinâmica da rede específica da região para também maximizar as reduções de emissões na próxima década. Para mais informações, acesse o link. (RMI – 13.07.2021)

<topo>

11 O papel das cidades na retomada verde

Sob a influência dos impactos causados pela pandemia do novo coronavírus, o processo de descarbonização das economias ao redor do planeta ganhou maior velocidade. Em um grupo cada vez maior de países, consolida-se a visão de que será verde a retomada das economias no pós-pandemia, privilegiando-se iniciativas que gerem empregos e se adequem a metas de redução de emissões. Há, nesse movimento, não somente a preocupação com o meio ambiente. De igual importância é a percepção de que o processo poderá influir para a obtenção de resultados econômicos e sociais bastante positivos. As cidades têm hoje uma oportunidade de assumir o protagonismo ao racionalizar o consumo e buscando alternativas energéticas que promovam qualidade de vida para seus cidadãos e contribuam para avanços ambientais que ultrapassem suas próprias fronteiras. Ao segundo ponto, a resposta óbvia – em todo o mundo – é vaga e cria um distanciamento que em nada contribui para a tomada de ações efetivas. É por isso que devemos colocar o foco no lado oposto: não no global, mas no local. Pode-se começar projetos de transformação. (Valor Econômico – 19.07.2021)

<topo>

 

 

Geração Distribuída

1 Gera vai construir 16 parques solares para atender consumidores em serviço por assinatura

O Grupo Gera, empresa nacional que atua com comercialização e geração de energia renovável no Brasil, está lançando um serviço de assinatura para contratação de energia solar para consumidores que gastam acima de R$ 300 por mês na conta de luz. Para isso, a companhia vai construir 16 empreendimentos em vários estados do País. Pelo serviço de assinatura, o consumidor não precisa investir na construção dos empreendimentos e nem instalar painéis solares nas residências. A geração solar é feita em outros locais, mas abatem o valor da conta de luz. (Broadcast Energia – 14.07.2021)

<topo>

2 Sices Solar foca no varejo, agronegócio e parcerias para grandes obras

Passados mais de um ano após o início da pandemia, a Sices Solar busca se reestruturar após um pedido de recuperação judicial, reorganizando sua relação com clientes e programando ações criativas para incrementar a instalação de projetos fotovoltaicos em residências, empresas e no agronegócio, mantendo parte de sua posição conquistada ao longo dos últimos oito anos e que se traduzem em mais de 1,5 GW de geração distribuída instalada no Brasil. A meta envolvendo parcerias é de entregar 400 MW ainda nesse ano, com a maioria dos projetos acontecendo no Mato Grosso e a ideia de trabalhar de forma proativa para atrair mais integradores, além da prioridade em humanizar o atendimento, resolvendo qualquer problema do cliente e disponibilizando um laboratório de análises e informações tecnológicas. (CanalEnergia – 20.07.2021)

<topo>

3 Brasil: AXS Energia vai investir US $ 191 mi no setor solar de Minas Gerais

A AXS Energia, parte do grupo da empresa Araxa Solar, espera investir até R$ 1 bilhão (US $ 191 milhões) nos próximos três anos na construção de várias usinas solares em Minas Gerais. Inicialmente, a AXS Energia destinará R$ 750 milhões para a construção de parques fotovoltaicos (FV), com a meta de ter cinco unidades operacionais até o final de 2021. Ao todo, a empresa espera ter 30 parques FV em funcionamento em Minas Gerais em 2023. A princípio, a energia solar gerada será fornecida para pequenas e médias empresas e empresas que consomem entre 400 kWh e 22 mil kWh por mês. Após esta primeira fase, qualquer residência regular também poderá tornar-se cliente. Segundo a empresa, Minas Gerais foi escolhido para a iniciativa devido a diversos fatores favoráveis, entre eles as condições climáticas do estado e o alto potencial de geração solar. (Renewables Now – 22.07.2021)

<topo>

 

 

Armazenamento de Energia

1 Governo do Reino Unido coleta informações sobre armazenamento de energia de longa duração

Foi iniciado um processo de coleta de informações, evidências e análises sobre tecnologias de armazenamento de energia de longa duração e o papel que elas poderiam desempenhar no sistema de energia do Reino Unido, lançado pelo Departamento de Negócios, Energia e Estratégia Industrial (BEIS) do governo. Um pedido de evidências de armazenamento de energia de longa duração foi o documento final em uma enxurrada de documentos de política divulgados pelo governo do Reino Unido em 20 de julho. Examinando as barreiras no mercado atual, como elas podem ser tratadas e os riscos associados a potenciais intervenções, o Departamento de Negócios, Energia e Estratégia Industrial (BEIS) deve usar as informações para ajudá-lo a estabelecer a necessidade de longo prazo armazenamento de eletricidade de duração (LLES), coletar evidências sobre o fluxo potencial de projetos de armazenamento, determinar o caso para intervenção e considerar o tipo de mecanismo que seria apropriado. (Energy Storage News – 22.07.2021)

<topo>

2 Governo australiano emite subsídios para apoiar o processamento de materiais de baterias de vanádio e lítio

O governo federal da Austrália comprometeu milhões de dólares em doações a empresas envolvidas nas cadeias de valor de baterias de lítio e baterias de fluxo redox de vanádio, como parte de uma promessa mais ampla de apoiar recursos e setores de minerais críticos no país. Oito destinatários de financiamento da Modern Manufacturing Initiative, foram anunciados hoje (22). Entre eles está a Australian Vanadium, uma empresa com sede na Austrália Ocidental que busca criar um negócio de armazenamento de energia de bateria de fluxo redox de vanádio integrado verticalmente. A Australian Vanadium receberá AU $3,9 milhões para acelerar suas capacidades de fabricação. A Core Lithium, uma empresa sediada no Território do Norte, receberá AU $6 milhões para a construção de uma planta-piloto de produção de hidróxido de lítio para bateria em Darwin Harbour. (Energy Storage News – 22.07.2021)

<topo>

3 A desenvolvedora de energias renováveis australiana Maoneng revela detalhes do projeto de armazenamento

A empresa de energia renovável Maoneng tornou público seus planos para um sistema de armazenamento de energia em bateria de 240 MWp / 480 MWh (BESS) que se propôs construir em Victoria, Austrália. O BESS autônomo seria construído na Península de Mornington em Victoria, uma área sujeita a flutuações na demanda por energia devido em grande parte ao turismo sazonal. A empresa disse esta manhã em um comunicado à imprensa os detalhes do projeto, que também ajudaria na confiabilidade do sistema elétrico local e na integração de energia renovável na rede, foram expostos ao público. De acordo com dados do Australian Energy Market Operator (AEMO), Victoria tem uma capacidade instalada de armazenamento de energia muito menor do que South Australia, New South Wales ou Queensland, os outros três estados com maior demanda de energia no National Electricity Market (NEM) da Austrália. (Energy Storage News – 21.07.2021)

<topo>

4 Hawaiian Electric pagará aos clientes para adicionar armazenamento ao sistema solar

Hawaiian Electric lançou um novo programa que vai pagar aos clientes para adicionar armazenamento de bateria a um sistema solar existente ou novo no telhado. O esquema de ‘Bônus de Bateria’ é um incentivo único em dinheiro pago a clientes residenciais e comerciais na ilha de O’ahu, que a Hawaiian Electric espera que mova o estado em direção à sua meta de 100% de energia limpa até 2045. Limitado pela Comissão de Utilidades Públicas a um total de 50 MW fornecidos a partir do armazenamento entre todos os participantes, o programa possui três níveis de incentivo. O primeiro é de US $850 / kW para os aceitos para os primeiros 15 MW. Segundo, US $750 / kW para os aceitos para os próximos 15 MW e, terceiro, US $500 / kW para os aceitos para os últimos 20 MW. “A Comissão de Serviços Públicos vê o valor que a energia solar e as baterias podem agregar à nossa rede e revelou um novo programa para acelerar a adoção aqui no Havaí”, disse Robert Harris, diretor de políticas públicas da Sunrun para o Havaí. As inscrições serão aceitas até 20 de junho de 2023, ou até que o limite seja atingido, com os clientes sendo obrigados a usar um empreiteiro. (Energy Storage News – 23.07.2021)

<topo>

 

 

Mobilidade Elétrica

1 Connecticut lança programa de nove anos para infraestrutura de carregamento de EV

A Autoridade Reguladora de Serviços Públicos de Connecticut (PURA) aprovou um programa de nove anos para apoiar a instalação de infraestrutura de carregamento de veículos elétricos no estado. A PURA estabeleceu um Programa de Carregamento de Veículos Elétricos em todo o estado que oferece uma combinação de incentivos para infraestrutura – incluindo equipamento de abastecimento de veículos elétricos e estações de carregamento rápido – bem como ofertas de design de tarifas. O programa será administrado pela Eversource Energy e The United Illuminating Company a partir de 1º de janeiro de 2022. O Programa de Carregamento de VE oferecerá incentivos em cinco segmentos de mercado: cobrança residencial unifamiliar nível 2; cobrança de nível 2 de habitações residenciais com várias unidades; carregamento rápido de corrente direta; carregamento de nível 2 de destino; e carregamento de nível 2 para frotas leves e no local de trabalho. (Daily Energy Insider – 19.07.2021)

<topo>

2 UE: carregadores ainda são insuficientes

Com o novo panorama de expansão da mobilidade elétrica que será impulsionada pela proposta da Comissão Europeia, de proibição da venda de novos veículos a gasolina e a diesel a partir de 2035, surgem questionamentos sobre a capacidade da infraestrutura para atender o crescimento do uso de veículos elétricos. Em setembro de 2020, havia cerca de 250 mil pontos públicos na União Europeia: a maioria deles, terminais de baixa potência, de difícil utilização, concentrados em alguns países, segundo o Tribunal de Contas Europeu. Atualmente, essa é a principal preocupação dos fabricantes, que pedem aos governos que ajudem a instalar terminais em residências e vias públicas. “A Comissão Europeia deve impor padrões para os terminais para que os motoristas possam ter certeza de carregar seus veículos, onde quer que eles forem”, disse Julia Poliscanova, representante da ONG europeia Transporte e Meio Ambiente. A presidente da Comissão Europeia considera que deveria haver um posto de recarga a cada 60 km nas principais estradas europeias. (Estado de Minas – 14.07.2021)

<topo>

3 Next.e.GO está acelerando a transição para a mobilidade urbana com zero emissões

A Next.e.GO está acelerando a transição para a mobilidade urbana com zero emissões produzindo um dos VEBs urbanos mais sustentáveis e construídos para fins específicos. Ele foi projetado para combinar acessibilidade com durabilidade superior e custo total de propriedade extremamente baixo com sustentabilidade inigualável do ciclo de vida. Fundada na Alemanha e utilizando seus profundos conhecimentos de engenharia e produção integradas, conhecido como Internet of Production, com a criação de microfábrica com baixo capex e altamente flexível, a Next.e.GO Mobile foi bem-sucedida em seus planos de expansão global. Além da fábrica em funcionamento na Alemanha e uma instalação planejada na Bulgária, a empresa havia anunciado anteriormente a intenção de replicar suas microfábricas ciberfísicas na Grécia e no México. O modelo e.GO Life Next já está disponível e sendo vendido na Alemanha. Em 2022, a empresa planeja apresentar a próxima geração do modelo e.GO Life e seus derivados, incluindo o e.GO Life Cross. (A Tarde – 15.07.2021)

<topo>

4 Xpeng Motors prepara plataforma global para uso em qualquer carro elétrico

A Xpeng Motors desenvolveu uma base que promete revolucionar o mercado, servindo a modelos de diferentes marcas, tamanhos e segmentos, a custo baixo e com condução autônoma. “Esta base, que será lançada daqui a dois anos, atenderá o mercado global, considerando todas as regulações regionais”, disse à agência Reuters o chairman da empresa, He Xiaopeng. Os chineses apostam no LiDAR – que é um sistema óptico de detecção com base em radares. O LiDAR combina seu sistema de radares e câmeras a mapas de alta precisão fornecidos pela Alibaba – que, mais do que um gigante do e-commerce, é um grupo de tecnologia e quinta maior desenvolvedora de inteligência artificial do mundo. De acordo com o vice-presidente de Direção Autônoma da Xpeng, Xinzhou Wu, esta tecnologia apresenta os melhores níveis de segurança em relação a crianças e pequenos animais, bem como pedestres e motocicletas. “Trata-se de uma tecnologia para as grandes cidades, na qual a condução autônoma é mais complexa e requer maior precisão do que nas rodovias. Temos três níveis de redundância e funções bem superiores às atuais mudanças de faixa, entradas ou saídas de garagens, ultrapassagens ou desvios de outros veículos, para evitar uma colisão”, explica Wu. (Mobiauto – 15.07.2021)

<topo>

5 GDSolar firma parceria com a Volkswagen Caminhões

A GDSolar participará do e-Consórcio desenvolvido pela Volkswagen Caminhões e Ônibus. A GDSolar será responsável pelas soluções de recarga dos caminhões elétricos da montadora, que vão circular pelo País com energia solar fornecida pelas suas usinas fotovoltaicas. O VW e-Delivery, caminhão urbano leve movido a energia elétrica, passa a ser oferecido com um serviço inédito de consultoria e serviços que formam um ecossistema completo de mobilidade elétrica. Desenvolvidos, testados e fabricados no Brasil, os modelos e-Delivery são o resultado de R$ 150 milhões em investimentos, o equivalente a mais de 400 mil km de testes e a dedicação integral de um time formado por 150 engenheiros e técnicos brasileiros. Criado em 2019, o e-Consórcio segue o modelo do consórcio modular, que vai facilitar o acesso à tecnologia elétrica em veículos comerciais. O sistema prevê desde a montagem dos caminhões até a infraestrutura de recarga e gerenciamento do ciclo de vida das baterias da frota, incluindo seu descarte. Além de fornecer os caminhões elétricos, o e-Consórcio vai disponibilizar uma consultoria com equipes especializadas para orientar as empresas de logística e transporte sobre as melhores soluções para sua frota. (CanalEnergia – 16.07.2021)

<topo>

 

 

Digitalização

1 O DOE dá início ao ‘Summer of Solar 2021’ com uma ferramenta que rastreia rapidamente a energia solar para comunidades em todo o país

O Departamento de Energia dos EUA, hoje (15) deu início ao ‘Summer of Solar 2021’ com o lançamento nacional da ferramenta Solar Automated Permit Processing Plus (SolarAPP +) – uma plataforma gratuita baseada na web que dá aos governos locais a capacidade para agilizar a revisão e aprovação das licenças de instalação solar residencial. Desenvolvido pelo Laboratório Nacional de Energia Renovável (NREL) do DOE, o SolarAPP + reduzirá drasticamente as barreiras à implantação solar, estimulará o desenvolvimento econômico da comunidade e avançará as metas de energia limpa da Administração Biden-Harris. “Estamos acelerando o futuro da energia limpa da América, reduzindo a burocracia para tornar mais barato e fácil para os proprietários o acesso à energia do sol”, disse a secretária de Energia Jennifer M. Granholm. “SolarAPP + vai quebrar a burocracia para acelerar o licenciamento, ajudando os proprietários de casas a adicionar mais rapidamente painéis solares em seus telhados, adicionando gigawatts de eletricidade limpa à rede nacional, enquanto cria empregos bem remunerados. Hoje, estou desafiando localidades em todo o país a trazer o SolarAPP + direto para suas cidades natais.” (Electric Energy Online – 16.07.2021)

<topo>


Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Lorrane Câmara e Luiza Masseno
Pesquisadores: Monique Coimbra e
Walas Júnior
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

As notícias divulgadas no IFE não refletem necessariamente os pontos da UFRJ. As informações que apresentam como fonte UFRJ são de responsabilidade da equipe de pesquisa sobre o Setor Elétrico, vinculada ao NUCA do Instituto de Economia da UFRJ.

POLÍTICA DE PRIVACIDADE E SIGILO
Respeitamos sua privacidade. Caso você não deseje mais receber nossos e-mails,  Clique aqui e envie-nos uma mensagem solicitando o descadastrado do seu e-mail de nosso mailing.


Copyright UFRJ

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: