IFE.H2 40

Informativo Eletrônico – Geração de Energia com Hidrogênio nº 40 – publicado em 09 de julho de 2021.

IFE: Informativo Eletrônico de Hidrogênio – GESEL-UFRJ <!–

l

IFE: nº 40 – 09 de julho de 2021
http://gesel.ie.ufrj.br/
gesel@gesel.ie.ufrj.br

Editor: Prof. Nivalde J. de Castro

Índice

Políticas Públicas e Financiamentos
1
Alemanha e Chile: Países estabelecerão uma Força-Tarefa de Hidrogênio
2 Alemanha: Plano de ação proposto para desenvolver a economia do hidrogênio
3 Brasil: Chanceler Carlos França defende H2 em Portugal
4 Estônia: Ministério da Defesa financiará projeto de geração de hidrogênio
5 Hydrogen Europe se posiciona sobre mobilidade limpa na UE
6 Hydrogen Europe sugere mudanças nas garantias de origem no RED II
7 União Europeia: Carta conjunta requer infraestrutura de hidrogênio mais ambiciosa

Produção
1 África do Sul: Sasol e IDC em parceria para apoiar a economia do hidrogênio
2 Alemanha: Shell inaugura maior eletrolisador PEM da Europa
3 Coreia: KHNP conclui usina de célula a combustível de 39,6 MW
4 Emirados Árabes Unidos: ENEC e EDF exploram produção de hidrogênio a partir de energia nuclear
5 Estados Unidos: Us Steel e Equinor examinam potencial de hidrogênio nos Apalaches
6 Irlanda: Zenith e El-H2 realizam estudos para desenvolver planta de H2V
7 Noruega: Enova financia projeto de gerador de hidrogênio para canteiros de obras
8 País de Gales: Uniper e Eni para descarbonizar região norte do país com H2 azul e verde

9 Reino Unido: Equinor realiza projetos para atingir 1,8 GW de produção de H2 limpo no país

Armazenamento e Transporte
1 Austrália: Lockheed Martin, Omni Tanker, UNSW desenvolverá soluções para LH2
2 EUA: Nova ferramenta avalia os benefícios econômicos do armazenamento de hidrogênio
3 Japão: Empresa de grande porte assina acordo com empresa australiana

Uso Final
1 Estados Unidos/ Reino Unido: ZeroAvia expande programa de aviação a hidrogênio
2 Fábricas da Daimler planejam substituir diesel por hidrogênio
3 Fortescue Future Industries atinge as metas iniciais de descarbonização utilizando hidrogênio
4 Suíça: Frota de caminhões a hidrogênio da Hyundai ultrapassa a marca de 1 milhão de km

Tecnologia e Inovação
1 Gazprom colabora com cientistas russos para o desenvolvimento de tecnologias de hidrogênio
2 Estônia: Auve Tech desenvolve veículos autônomos movidos a hidrogênio
3 Hidrogênio: Novo catalisador a base de cobalto aumenta eficiência da eletrólise
4 Noruega: Joint Venture desenvolve sistema de propulsão de hidrogênio líquido orgânico

Eventos
1 O papel do hidrogênio no Canadá
2 Treinamento: Waste to Hydrogen
3 Hydrogen Industrial Series 2021 – North America
4 Webinar: Financiando projetos de hidrogênio renovável

5 Green Hydrogen Conference
6 Desafios e tendências futuras da compressão de hidrogênio
7 Evento promovido pela Reuters discute a visibilidade midiática do hidrogênio
8 Treinamento: Geopolitics of Hydrogen

9 Green Hydrogen Summit – Omã

10 Hydrogen Online Conference 2021

11 Espanha: Desafios para o hidrogênio verde

Artigos e Estudos
1 Atualização da economia do hidrogênio
2 IRENA: World Energy Transitions Outlook



 

 

Políticas Públicas e Financiamentos

1 Alemanha e Chile: Países estabelecerão uma Força-Tarefa de Hidrogênio

Chile e Alemanha assinaram um acordo de cooperação com a intenção de estabelecer uma Força-Tarefa de Hidrogênio. O objetivo é expandir a parceria alemã-chilena de energia, existente desde 2019, para criar condições estruturais adequadas ao desenvolvimento de uma economia de hidrogênio. O acordo foi assinado pelo Ministro Federal Peter Altmaier, da Alemanha, e o Ministro da Energia do Chile, Juan Carlos Jobet. O Ministro Altmaier relatou que a Alemanha tem se concentrado em parcerias estratégicas, com países nos quais o hidrogênio verde e seus derivados podem ser gerados de forma eficiente e econômica. Ele ainda adicionou: “Trabalhamos em estreita colaboração nesta área, com o Chile, desde o início da parceria bilateral de energia em 2019 com o primeiro projeto de hidrogênio, que foi financiado como parte da Estratégia Nacional de Hidrogênio e com recursos do pacote de estímulo econômico, também implementado no Chile”. (H2 View – 30.06.2021)

<topo>

2 Alemanha: Plano de ação proposto para desenvolver a economia do hidrogênio

O Conselho Nacional de Hidrogênio da Alemanha propôs ao governo federal um plano de ação, a ser executado no período de 2021 a 2025, com 80 propostas para o próximo período legislativo afim de impulsionar a economia do hidrogênio. O plano identifica adicionalmente as necessidades de desenvolvimento no curto prazo para os instrumentos de apoio do governo. Além dos aspectos de padronização e questões da estrutura regulatória da UE, as principais questões incluem o desenvolvimento de uma infraestrutura de postos de gasolina em toda a Europa, bem como o desenvolvimento apoiado pelo Estado de uma indústria fornecedora. Katherina Reiche, Presidente do Conselho Nacional de Hidrogênio, disse que o hidrogênio é a chave para a descarbonização, principalmente em aplicações quem não podem ser convertidas em eletricidade verde, seja por questão técnica ou por viabilidade econômica. Para ler o plano na íntegra, clique aqui. (H2 View – 06.07.2021)

<topo>

3 Brasil: Chanceler Carlos França defende H2 em Portugal

Em sua primeira visita oficial, de três dias, a Portugal, o Chanceler Carlos França apresentou as perspectivas positivas e competitivas do Brasil no campo do H2V, buscando assim incentivar e possibilitar investimentos de grupos portugueses, como a EDP e Galp, neste novo mercado. O Chanceler afirma que o Brasil tem um grande potencial eólico, solar e hidrelétrico, proporcionando um local perfeito para a produção de hidrogênio verde. Apesar do país ter imensos desafios, é um país de vastos recursos e possibilidades, que está se aproximando neste momento à época da transição energética. Carlos França completa sua fala afirmando que o Brasil precisa de pequenos ajustes e ações concretas, os quais o governo já está providenciando, assim como financiamentos e tecnologias que podem vir a partir de parcerias com países europeus, como Portugal. (Diário de Notícias – 04.07.2021)

<topo>

4 Estônia: Ministério da Defesa financiará projeto de geração de hidrogênio

A start-up estoniana PowerUP Energy Technologies recebeu € 88.463 (US $104.000) do Ministério da Defesa da Estônia, no início desse mês, pelo seu gerador de energia baseado em célula a combustível de 6kW. O valor equivale a 22% do custo total do projeto apelidado de UP6K. O Ministério da Defesa da Estônia está apoiando seis projetos voltados para o futuro da indústria de defesa com um total de € 500.000 (US $593.000), promovendo às forças militares a oportunidade de se familiarizar com soluções inovadoras e testar novas tecnologias. Esta é a última de uma série de medidas tomadas pelas forças militares para implementar de tecnologias de energia à base de hidrogênio em seu arsenal. Kusti Salm, o Secretário Permanente do Ministério da Defesa, disse que as empresas vencedoras receberão ajuda para desenvolver seus produtos realizando testes de campo práticos em conjunto com as Forças de Defesa. (H2 View – 01.07.2021)

<topo>

5 Hydrogen Europe se posiciona sobre mobilidade limpa na UE

A Hydrogen Europe divulgou no dia 05 de julho um novo documento se posicionando sobre a revisão dos padrões de emissão de carbono para carros e vans, acreditando que deve reforçar a liderança global em veículos com emissão zero, com foco particular nos com células a combustível. No documento, o grupo ressalta que a definição de regulamentos para padrões de desempenho de emissão de carbono para novos automóveis de passageiros e veículos comerciais leves é uma iniciativa legislativa chave para a UE. O documento solicita as autoridades que padrões ambiciosos sejam adotados, para o fortalecimento das metas para 2030, de redução de 37,5% e 31%. A introdução de um sistema de crédito voluntário também é apoiada pelo grupo, sob a principal condição da obrigação de se investir em veículos com emissão zero. O grupo afirma ainda que a UE precisa de uma estratégia de importação para aproveitar os melhores locais do mundo para a energia eólica e solar. Você pode encontrar o jornal aqui. (H2 View – 05.07.2021)

<topo>

6 Hydrogen Europe sugere mudanças nas garantias de origem no RED II

A Hydrogen Europe publicou um novo documento com sugestões de mudanças que podem ser realizadas no sistema de Garantia de Origem (GO) na próxima revisão do RED II (Renewable Energy Directive). A mudança permitirá mais garantias sobre o abastecimento de hidrogênio, criando um ecossistema para diferentes cores de hidrogênio. Além disso, a Hydrogen Europe afirma que diferentes transportadores de energia requerem sistemas separados de garantias de origem, dando várias recomendações para resolução do problema. A revisão do RED II deve estimular o uso da GO além dos contratos de compra de energia (PPAs), para comprovar o caráter renovável e a intensidade de carbono da eletricidade adquirida para a produção de hidrogênio renovável. A recomendação principal final é definir regras básicas claras que evitem alegações falsas ou enganosas, possibilitem o cancelamento das GOs de hidrogênio e a emissão de um GO de gás natural quando os volumes físicos começarem a se misturar. (H2 View – 01.07.2021)

<topo>

7 União Europeia: Carta conjunta requer infraestrutura de hidrogênio mais ambiciosa

Vários líderes da indústria europeia de mobilidade elétrica solicitaram urgentemente metas da UE em uma carta conjunta à Comissão Europeia, no dia 2 de julho. A carta, dirigida ao presidente Von der Leyen, ao vice-presidente Timmermans e ao comissário Valean, pede a UE uma regulamentação rígida e direcionada para substituir a desatualizada Diretiva de Infraestrutura de Combustíveis Alternativos (AFID) através de metas vinculativas. As empresas solicitam à Comissão Europeia que transforme a atual AFID em uma regulamentação ambiciosa para garantir o aumento oportuno da infraestrutura de recarga e abastecimento de hidrogênio, juntamente com metas nacionais para todos os segmentos de veículos rodoviários. Os líderes acreditam que fornecer mais infraestrutura pode ajudar as indústrias a liderar a transição para energia limpa no setor de transporte da Europa e a criar soluções de e-mobilidade. Você pode ler a carta conjunta completa aqui. (H2 View – 02.07.2021)

<topo>

 

 

Produção

1 África do Sul: Sasol e IDC em parceria para apoiar a economia do hidrogênio

A Sasol Limited, empresa integrada de energia e química na África do Sul, e a Corporação de Desenvolvimento Industrial da África do Sul Limited (IDC), uma instituição financeira de desenvolvimento nacional da África do Sul, concordaram em trabalhar para a promoção do crescimento econômico e desenvolvimento da economia do hidrogênio verde no país. Sob o memorando de cooperação (MOC), assinado por ambas as partes, as empresas visam utilizar os abundantes recursos renováveis e a infraestrutura da África do para produzir hidrogênio, através da experiência e tecnologia Fischer-Tropsch da Sasol. Ambos os parceiros também defenderão e promoverão estruturas de políticas para permitir uma economia de hidrogênio, desenvolver projetos piloto e em escala comercial de hidrogênio, acessar opções de financiamento locais e internacionais e ajudar o país na transição para uma energia verde. (H2 Bulletin – 08.07.2021)

<topo>

2 Alemanha: Shell inaugura maior eletrolisador PEM da Europa

A Shell iniciou o maior eletrolisador de hidrogênio da Europa em um parque de energia e produtos químicos em Rheinland, na Alemanha. O projeto faz parte do consórcio Refhyne e possui financiamento da Comissão Europeia. O eletrolisador PEM de 10 MW usa energia renovável e deve produzir até 1.300 toneladas de hidrogênio verde por ano. O hidrogênio verde será inicialmente usado para produzir combustíveis com menor intensidade de carbono na refinaria e a Shell também está trabalhando para descarbonizar outros setores, como o transporte rodoviário. A planta que está em pleno funcionamento é a primeira a usar essa tecnologia em escala tão grande em uma refinaria. A empresa já possui planos para expandir a capacidade do eletrolisador para 100 megawatts. (Shell – 08.07.2021)

<topo>

3 Coreia: KHNP conclui usina de célula a combustível de 39,6 MW

A Korea Hydro and Nuclear Power (KHNP), subsidiária da Korea Electric Power Corporation, acredita que a tecnologia da célula a combustível é um dos pilares para a economia do hidrogênio no momento atual. Dessa forma, para contribuir com a liderança desta tecnologia, a empresa vem trabalhando com este segmento. Recentemente, a construção de uma usina de célula a combustível foi concluída pela empresa em Ulsan, cidade da Coreia do Sul. A usina teve um investimento de US $ 224 milhões e terá 90 unidades de 440 kW da tecnologia, somando um total de 39,6 MW de capacidade. Com tamanha capacidade de produção, espera-se que a usina produza 320 milhões de kWh de eletricidade, para abastecer 110.000 residências de Ulsan, uma cidade que consome muita energia elétrica. (H2 View – 05.07.2021)

<topo>

4 Emirados Árabes Unidos: ENEC e EDF exploram produção de hidrogênio a partir de energia nuclear

Um Memorando de Entendimento (MoU) foi assinado, no dia 30 de junho, pela Emirates Nuclear Energy Corporation (ENEC) e a EDF Energy. As empresas irão cooperar em pesquisas e desenvolvimento (P&D) dentro do setor de energia nuclear, com foco na produção de hidrogênio verde a partir da energia nuclear, sendo assim, livre de carbono. Essa colaboração é parte do compromisso da ENEC com o progresso da indústria de energia nuclear dos Emirados Árabes Unidos, apoiando a inovação, a produção de eletricidade limpa e o hidrogênio, ao mesmo tempo em que combate as mudanças climáticas. (H2 View – 01.07.2021)

<topo>

5 Estados Unidos: Us Steel e Equinor examinam potencial de hidrogênio nos Apalaches

A produtora norueguesa de petróleo e gás, Equinor, se uniu ao fabricante US Steel com o objetivo de estudar tecnologias de captura e armazenamento de carbono (CCS) e converter o gás natural de Appalachia em hidrogênio azul. Quando os gasodutos da região de Appalachia ficam cheios, os produtores acabam vendendo gás no mercado local com um grande desconto em relação aos preços nacionais. As empresas ressaltam que o memorando de entendimento assinado não é exclusivo e deve abrir portas para o estudo do potencial de produção e venda de hidrogênio azul na região. Segundo o gerente da Equinor, um centro de hidrogênio e CO2 na Bacia dos Apalaches, utilizando os recursos de gás natural da região com captura e armazenamento de carbono, seria uma ferramenta importante para atender às futuras demandas de energia sem emissões. (S&P Global – 30.06.2021)

<topo>

6 Irlanda: Zenith e El-H2 realizam estudos para desenvolver planta de H2V

A Zenith Energy, empresa internacional independente com ativos de produção, exploração e desenvolvimento no setor de petróleo e gás, e a El-H2, realizaram uma parceria e estão desenvolvendo estudos de viabilidade para conseguir implementar uma usina de hidrogênio verde em Bantry Bay, Irlanda. A usina se localizará perto de um parque eólico offshore de 3200MW que ainda está sendo construído, na qual a capacidade de geração deve alimentar os eletrolisadores da usina. A planta terá uma capacidade inicial de 2,7 GW e espera-se que ela esteja operacional em 2028. Em termos de destinação, o combustível será utilizado na produção de amônia verde, na indústria nacional e também será exportado, colocando a Irlanda no mapa de exportação de energia verde. As indústrias acreditam que este projeto seja o pontapé para o desenvolvimento da indústria de hidrogênio verde da Irlanda. (Renews– 06.07.2021)

<topo>

7 Noruega: Enova financia projeto de gerador de hidrogênio para canteiros de obras

A Teco 2030, empresa de engenharia e desenvolvimento de equipamentos, e a Implenia Norway, empreiteira de infraestrutura e subsidiária da Implenia, desenvolverão e liderarão soluções em hidrogênio para eliminar emissões em canteiros de obras. A empresa estatal norueguesa Enova dedicou NOK 15,6 milhões (US $ 1,31 milhão) para o projeto, que será fornecido entre setembro de 2021 e dezembro de 2023. Pela parceria anunciada em abril deste ano, a Teco desenvolverá uma célula a combustível geradora de energia, com capacidade de produção de 0,8 MW e entrega até janeiro de 2023, que deverá substituir os geradores a diesel nos canteiros de obras. A Implenia fornecerá expertise e conhecimento em edificação e construção e utilizará o gerador em seus canteiros de obras. Audun Aaland, o CEO da Implenia Norway, disse que o hidrogênio terá um papel significativo como transportador de energia em futuros canteiros de obras. (H2 Bulletin – 06.07.2021)

<topo>

8 País de Gales: Uniper e Eni para descarbonizar região norte do país com H2 azul e verde

A Uniper, empresa de energia pioneira no âmbito do hidrogênio, e a Eni Uk, empresa integrada de energia que se dedica à transição energética, pretendem descarbonizar o norte do País de Gales. Após estudos, as empresas concluíram que será necessário a produção de hidrogênio azul e verde para conseguir descarbonizar essa região do país. Dessa forma, a Uniper já prevê integrar a produção de H2 junto com a tecnologia de captura de carbono, para assim produzir o hidrogênio azul em sua planta de Connah’s Quay. A empresa escolheu essa planta, devido a infraestrutura de gasoduto da Eni estar localizada nas proximidades, assim, o gasoduto será aproveitado para transportar e armazenar o dióxido de carbono que será capturado. As empresas esperam contribuir para a descarbonização e para as metas de hidrogênio estabelecidas pelo Reino Unido. (Fuel Cells Works – 30.06.2021)

<topo>

9 Reino Unido: Equinor realiza projetos para atingir 1,8 GW de produção de H2 limpo no país

A Equinor, empresa internacional de energia, está desenvolvendo diversos projetos de hidrogênio de baixo carbono no Reino unido, para conseguir atingir 1,8 GW de produção de hidrogênio no país. A empresa visa, dessa forma, contribuir para alcançar a meta de hidrogênio do Reino Unido, ao mesmo tempo que contribui para o desenvolvimento econômico e sustentável. Entre os projetos em desenvolvimento estão o H2H Saltend, que produzirá hidrogênio a partir de um reformador de gás de 600 MW com tecnologia de captura de carbono acoplada, produzindo assim o hidrogênio azul, e o projeto em conjunto com a SSE termal, que pretende construir a primeira usina elétrica 100% movida a hidrogênio em grande escala. Por fim, a Equinor também está desenvolvendo projetos de transporte e armazenamento de hidrogênio, para assim criar uma infraestrutura em diversos segmentos do hidrogênio no Reino Unido. (Power Engineering – 30.06.2021)

<topo>

 

 

Armazenamento e Transporte

1 Austrália: Lockheed Martin, Omni Tanker, UNSW desenvolverá soluções para LH2

Com o apoio de uma doação do Centro de Crescimento da Manufatura Avançada do Governo Federal (AMGC), a Omni Tanker, Lockheed Martin e a Universidade de New South Wales (UNSW) uniram forças para desenvolver soluções para o transporte e armazenamento de hidrogênio líquido. Acredita-se que ao combinar a tecnologia de nanoengenharia desenvolvida pela UNSW em parceria com a tecnologia da Lockheed Martin e da Omni Tanker OmniBIND ™, dois novos tanques de propelente em escala operacional serão desenvolvidos, para armazenar combustíveis líquidos criogênicos para programas de satélite comerciais e civis. Esses navios-tanque terão um taque composto de fibra de carbono revestido com fluoropolímero Tipo IV e um tanque composto de fibra de carbono sem revestimento Tipo V. O projeto se baseia em uma invenção recente da equipe de pesquisa da UNSW onde ambos os tanques devem ser adequados para suportar altas pressões e temperaturas criogênicas extremas necessárias para o hidrogênio líquido. (H2 View – 05.07.2021)

<topo>

2 EUA: Nova ferramenta avalia os benefícios econômicos do armazenamento de hidrogênio

Cientistas do Laboratório Nacional do Noroeste do Pacífico (PNNL) do Departamento de Energia dos EUA desenvolveram a Ferramenta de Avaliação de Armazenamento de Energia de Hidrogênio (HESET). A ferramenta é capaz de avaliar as características econômicas e técnicas de componentes individuais do sistema e a modelagem de diferentes fluxos do H2, caminhos, vários serviços de grade e de usuário final e acoplamentos multidimensionais. O pesquisador Di Wu do PNNL afirma que, “Esta ferramenta é a única que permite a modelagem de fluxos de receita empilhados, como serviços de rede e vários usos finais de hidrogênio diferentes”. A equipe de pesquisa já testou a nova ferramenta em diferentes configurações de eletrolisadores com capacidades que variam de 1 a 10 MW e descobriu que, se dimensionado corretamente, o sistema não é apenas economicamente viável, mas também pode fornecer até 1,5 vez o retorno sobre o investimento. (PV Magazine – 01.07.2021)

<topo>

3 Japão: Empresa de grande porte assina acordo com empresa australiana

A gigante industrial japonesa Marubeni Corp assinou um acordo histórico com o investidor australiano Providence Asset Group para o desenvolvimento de 30 fazendas solares, que combinarão bateria e armazenamento de hidrogênio. O acordo entre a PAG e a SmartestEnergy, subsidiária da Marubeni, estabelece a compra da produção das fazendas que terão uma geração combinada de cerca de 500 GWh por ano, equivalente a uma instalação solar de 300 MW. Os parques solares irão incorporar o que as duas partes descrevem como uma tecnologia dupla, baterias de íon-lítio e unidades de produção e armazenamento de hidrogênio verde. Através da tecnologia Lavo I Heos, desenvolvida na Universidade de NSW, as fazendas terão instalações de produção e armazenamento de hidrogênio em contêineres como hidreto metálico e serão os primeiros desse tipo no mundo. A PAG complementa ainda que começará a trabalhar no desenvolvimento de um roteiro para a exportação, usando a tecnologia de hidreto metálico Lavo, a qual afirma poder armazenar e transportar hidrogênio verde com segurança e eficiência, seja para o Japão ou outros mercados de exportação. (Renew Economy – 06.07.2021)

<topo>

 

 

Uso Final

1 Estados Unidos/ Reino Unido: ZeroAvia expande programa de aviação a hidrogênio

A ZeroAvia desenvolve um projeto de pesquisa e desenvolvimento voltado para aviação elétrica a hidrogênio, HyFlyer I. Na primeira etapa do projeto, a empresa demonstrou com sucesso o funcionamento de um motor de 250 kW em uma aeronave de 6 lugares. A experiência obtida com o HyFlyer I será utilizada na próxima etapa (HyFlyer II) que pretende desenvolver um motor de 600 kW para uma aeronave de 19 lugares. A ZeroAvia também garantiu um adicional de $13 milhões para o seu programa de desenvolvimento de um motor para mais de 50 assentos da AP Ventures. Além disso, a empresa está progredindo no software, hardware, integração mecânica e equilíbrio da planta da célula a combustível para o estado de certificação. (Green Car Congress – 01.07.2021)

<topo>

2 Fábricas da Daimler planejam substituir diesel por hidrogênio

Diversas empresas automobilísticas têm buscado soluções inovadoras para descarbonizar as suas frotas de veículos. Além das montadoras de veículos, as fábricas também estão sendo pressionadas para eletrificar suas frotas. A Daimler anunciou que planeja converter caminhões para veículos de emissão zero em 15 anos. A empresa tem estudado o uso do hidrogênio em células a combustível para o transporte de longa distância. As células não produzem emissões de CO2 e os tanques de hidrogênio podem ser abastecidos tão rapidamente quanto os tanques diesel. A Daimler já tem desenvolvido protótipos de caminhões movido a hidrogênio, como o GenH2, e firmou uma parceria com a shell para a construção de “um corredor de hidrogênio” com o objetivo de construir infraestrutura de abastecimento. (Estadão de São Paulo – 04.07.2021)

<topo>

3 Fortescue Future Industries atinge as metas iniciais de descarbonização utilizando hidrogênio

A Fortescue Future Industries (FFI) vem desenvolvendo projetos iniciais visando a descarbonização com hidrogênio. Os projetos fazem parte da estratégia da empresa em cumprir as metas estabelecidas para reduzir as emissões. A empresa revelou que alcançou suas metas em 30 de junho de 2021. Os projetos incluíram a construção de um caminhão e uma perfuratriz, movidos a hidrogênio, para demonstração da tecnologia completa com teste de sistemas. A empresa também produziu com sucesso ferro de alta pureza em um processo de fluxo contínuo, utilizando hidrogênio. (H2 View – 06.07.2021)

<topo>

4 Suíça: Frota de caminhões a hidrogênio da Hyundai ultrapassa a marca de 1 milhão de km

A Hyundai desenvolveu uma frota de caminhões movida a célula a combustível de hidrogênio, XCIENT Fuel Cell. Desde então a empresa tem realizado testes com o objetivo de analisar o desempenho da tecnologia. Coletivamente a frota ultrapassou 1 milhão de quilômetros de condução em 11 meses, na Suíça. Durante esse período a frota foi responsável por reduzir 630 toneladas de emissões de CO2, comparado aos veículos movidos a diesel. Desde que iniciou as operações, a frota de 46 caminhões com células a combustível conseguiu atingir este marco a serviço de 25 empresas suíças de logística, distribuição e atendimento de supermercados. A frota faz parte da joint venture Hyundai Hydrogen Mobility (HHM) criada com a H2 Energy que aluga caminhões comerciais em uma base de pagamentos conforme o uso, incluindo o fornecimento de hidrogênio. Os clientes da Suíça têm estado satisfeitos com o desempenho dos caminhões. (Hyundai – 01.07.2021)

<topo>

 

 

Tecnologia e Inovação

1 Gazprom colabora com cientistas russos para o desenvolvimento de tecnologias de hidrogênio

O Conselho de Desenvolvimento Sustentável da Gazprom, se reuniu em St Petersburgo, com Nikolai Kasimov, membro da Academia Russa de Ciências (RAS). O encontro aconteceu para discutir os estudos conjuntos concluídos e a condução dos planejados conduzidos pela Gazprom e a RAS no campo da energia do hidrogênio. O objetivo dos estudos é resolver desafios que envolvem a produção de hidrogênio da forma mais ecológica e econômica, visando a produção a partir do gás natural e tentando resolver problemas associados ao seu transporte. Os objetivos do Conselho envolvem avaliar as principais questões científicas e tecnológicas do setor, participar da elaboração de perspectivas de longo prazo para a indústria, preparar propostas relativas ao desenvolvimento estratégico da Gazprom, entre outros. (Gazprom – 28.06.2021)

<topo>

2 Estônia: Auve Tech desenvolve veículos autônomos movidos a hidrogênio

A Estônia está se tornando rapidamente um local procurado por novas empresas de mobilidade. Uma delas é a Auve Tech, uma start-up que acaba de lançar um ônibus espacial autônomo movido a hidrogênio. A empresa, que também possui outros projetos, iniciou o projeto junto a Universidade de Tartu em 2018. O sistema de combustível de hidrogênio será integrado em seus veículos para próxima geração, sem motorista. O protótipo ISeauto foi testado em vários ambientes em diferentes condições e no início do verão de 2020, começou a ser testado em vias públicas na Estônia. A rota piloto conectou Ülemiste City – um campus de negócios de propriedade privada – com o Aeroporto Internacional de Tallinn e um shopping center local. Segundo a Auve, os ônibus autodirigíveis irão amenizar os problemas de trânsito, oferecendo meios alternativos de transporte e devem acomodar até 8 passageiros, sendo capazes de operar por 8 horas a até 25 km/h. (Auto Futures – 07.07.2021)

<topo>

3 Hidrogênio: Novo catalisador a base de cobalto aumenta eficiência da eletrólise

O hidrogênio é encontrado no meio terrestre combinado com outras substâncias químicas, como a água e o gás natural. Para obtê-lo é preciso dissociar a água por meio da eletrólise, um processo que utiliza um eletrolisador, onde acontece a reação de oxiredução. Atualmente, as pesquisas demonstram que utilizar metais como platina, ródio e irídio aceleram a eletrólise, no entanto, o custo do produto final apresentado é elevado. Dessa maneira, diversos materiais alternativos têm sido procurados. Pesquisadores do IIT Bombay desenvolveram um novo catalisador a base de nanoestruturas de carbono e cobalto, que acelera a reação de eletrolise a um custo menor. (Fuel Cells Works – 04.07.2021)

<topo>

4 Noruega: Joint Venture desenvolve sistema de propulsão de hidrogênio líquido orgânico

A joint venture Hydrogenious LOHC Maritime AS foi criada com o objetivo de desenvolver e comercializar aplicações baseadas em transporte de hidrogênio, a partir de transportadores orgânicos líquidos (em inglês, Liquid Organic Hydrogen Carrier- LOHC) para transporte marítimo. A empresa pretende desenvolver um novo sistema de propulsão de LOHC/célula a combustível em escala de MW. A agência de financiamento Enova, do Ministério do Clima e Meio Ambiente da Noruega, irá apoiar o projeto com NOK 26 milhões (€ 2,5 milhões). O projeto pretende integrar três componentes principais a bordo: uma unidade de liberação de LOHC, que libera hidrogênio do transportador orgânico sob demanda no navio; uma célula a combustível; e uma interface para o sistema de gerenciamento de energia do navio. A Hydrogenious LOHC Technology GmbH desenvolveu e patenteou a tecnologia LOHC para garantir o armazenamento e transporte de hidrogênio de forma segura. (H2 Bulletin – 02.07.2021)

<topo>

 

 

Eventos

1 O papel do hidrogênio no Canadá

No dia 12 de julho, uma sessão online informativa terá como foco as principais oportunidades e desafios para o hidrogênio no Canadá. O evento conta com a participação de representantes da indústria para discutir questões sobre esse mercado emergente. O painel abordará sobre políticas públicas federais e provinciais e discutirá como os governos podem contribuir para a implementação da indústria do hidrogênio. Inscreva-se aqui. (Gowling WLG – julho de 2021)

<topo>

2 Treinamento: Waste to Hydrogen

No dia 13 de julho um curso pretende trabalhar o acoplamento de dois setores, hidrogênio e aproveitamento de resíduos. O evento fornecerá exemplos tangíveis de como é possível transformar lixo em hidrogênio e alimentar ônibus com emissões zero, unindo os elos da cadeia. O curso será de forma online em uma sessão de treinamento com três horas de duração. (World Hydrogen Leaders – julho de 2021)

<topo>

3 Hydrogen Industrial Series 2021 – North America

O hidrogênio tem um papel crucial no cumprimento da meta Net Zero 2050, uma vez que poderia descarbonizar diversos setores, em especial o de eletrificação. Nesse contexto, o evento visa aprofundar as informações sobre o potencial do hidrogênio em toda a América do Norte. No dia 14 de julho, os principais stakeholders em toda a cadeia de valor da indústria de hidrogênio e células a combustível estarão se reunindo para discutir o papel do hidrogênio na transição energética e ouvir os últimos avanços em sua produção, distribuição e armazenamento. (Hydrogen Industrial Series – julho de 2021)

<topo>

4 Webinar: Financiando projetos de hidrogênio renovável

Muitos países têm inserido o hidrogênio nas suas políticas energéticas com objetivo de cumprir as metas de descarbonização, com grandes investimentos de fontes públicas ou privadas. Só na Europa, estima-se que o mercado de hidrogênio renovável exigirá cerca de € 470 bilhões até 2050. Nesse contexto, a ATA Insights está realizando um webinar para compreender como isso poderá acontecer, apresentando modelos de negócios emergentes que envolvem mobilidade e outros setores. Também será discutido o que procuram as instituições financeiras no momento de decidir se um projeto de hidrogênio renovável é financiável e maduro. Além disso, os participantes terão uma visão privilegiada sobre como os riscos tecnológicos e comerciais de H2 renovável podem ser mitigados. O evento acontece no dia 14/07 a partir das 6h da manhã. (ata Insights – julho de 2021)

<topo>

5 Green Hydrogen Conference

O evento irá explorar as implicações regulatórias, econômicas e ambientais e examinará como o hidrogênio pode corresponder às suas altas expectativas. A conferência é destinada a fornecedores de energia, investidores, desenvolvedores de projetos, fabricantes e tomadores de decisão. A conferência acontece no dia 20 de julho de forma online e com um custo de €195. (Electrical Energy Storage – julho de 2021)

<topo>

6 Desafios e tendências futuras da compressão de hidrogênio

A Mission Hydrogen, no dia 21 de julho, realizará um webinar para discutir os desafios relacionados à compressão do hidrogênio. A economia do hidrogênio exige conceitos novos e inovadores para os fabricantes de compressores. Em toda a cadeia de valor, da produção ao uso, os compressores são vitais para transportar e armazenar o gás. Os compressores alternativos desempenharão um papel crucial para atender às demandas de taxa de fluxo e pressão com demandas crescentes de confiabilidade e disponibilidade a custos acessíveis. O evento iniciará a partir das 11h (horário de Brasília). (Mission Hydrogen – julho de 2021)

<topo>

7 Evento promovido pela Reuters discute a visibilidade midiática do hidrogênio

Governos de todo o mundo apostaram no hidrogênio, tornando-o a “estrela do sistema de energia” e uma solução para descarbonizar os setores difíceis de reduzir suas emissões. Mas, com os custos do hidrogênio verde e de baixo carbono permanecendo altos, enormes necessidades de infraestrutura e preocupações com a eficiência, a atenção é merecida? O que é diferente agora em comparação com ciclos anteriores de interesse em hidrogênio? Onde o hidrogênio pode ou não ser aplicado? O consumidor está pronto para uma economia de hidrogênio? Essa e outra perguntas serão discutidas no evento da Reuters, no dia 22 de julho às 9h30 EST / 15h30 CET.

<topo>

8 Treinamento: Geopolitics of Hydrogen

O curso oferecido pela World Hydrogen Leaders definirá o cenário do novo panorama da política internacional do hidrogênio, explorando como novas estratégias e políticas de hidrogênio foram desenvolvidas desde o Acordo de Paris. Também será realizada uma análise aprofundada das instituições e fóruns internacionais de hidrogênio existentes, dando aos participantes uma visão clara de como empresas, ONGs e reguladores interagem entre si nos níveis global e regional. Além disso, irão abordar os possíveis cenários de dificuldades de segurança, construção de instituições e cooperação internacional público-privada que os atores do hidrogênio podem enfrentar no futuro próximo e a longo prazo. O curso será realizado entre os dias 24 e 26 de agosto. (World Hydrogen Leaders – julho de 2021)

<topo>

9 Green Hydrogen Summit – Omã

O Green Hydrogen Summit – Omã é uma plataforma que permite o diálogo entre as comunidades internacionais e do Omã e visa contribuir com o desenvolvimento no campo da energia do hidrogênio. Nesse contexto, um evento será realizado entre os dias 21 e 23 de setembro de 2021, abordando uma gama de políticas públicas, questões comerciais e técnicas que precisam ser debatidas para que uma indústria de hidrogênio se torne uma realidade. (Green Hydrogen Summit Oman – julho de 2021)

<topo>

10 Hydrogen Online Conference 2021

No dia 8 de outubro acontecerá a Hydrogen Online Conference, o evento será online e contará com a participação de líderes da indústria e os principais tomadores de decisão que discutirão sobre o setor. Serão mais de 30 palestrantes, também participarão expositores e pesquisadores de mais de 150 países. (Mission Hydrogen – julho de 2021)

<topo>

11 Espanha: Desafios para o hidrogênio verde

Durante uma conferência online organizada pela Corporação Tecnológica Andaluzia (CTA) com o patrocínio da Iberdrola, esteve presente o Chefe da Área de Hidrogênio do Ministério para a Transição Ecológica e o Desafio Demográfico do Governo de Espanha, Pilar Sánchez. Sanchez garantiu que o “Roteiro do Hidrogênio” visa posicionar a Espanha na liderança da cadeia de valor industrial e promover a inovação. O Governo prevê atribuir 1,555 milhões de euros dos fundos da UE Next Generation ao desenvolvimento de hidrogênio renovável. Segundo o delegado da Iberdrola na Andaluzia, o grande desafio é tornar o hidrogênio verde competitivo em preço e para tornar isso possível é necessário inovar. O Comissário para as Alterações Climáticas da Junta de Andaluzia, incentivou os investidores a apostarem na região e garantiu que a mesma tem potencial para ser uma referência nacional. (Reve – 02.07.2021)

<topo>

 

 

Artigos e Estudos

1 Atualização da economia do hidrogênio

O documento apresenta as iniciativas recentes realizadas por empresas na Europa, Estados Unidos, Chile, Uruguai e Canadá voltadas para a impulsionar a descarbonização do setor de transporte através da utilização de hidrogênio como combustível. Na Europa a Hyzon Motor anunciou planos de lançar caminhões movidos a célula a combustível, além disso, também assinou um memorando de entendimento (MoU) para participar do consórcio HyTrucks. Na Espanha, a EDP Renováveis (EDPR) e o Grupo Reganosa firmaram uma parceria para o desenvolvimento de energia verde. As empresas planejam projetos de geração limpa e armazenamento que terão um investimento de cerca de € 780 milhões. Na Rússia, a Gazprom, uma empresa multinacional de energia, fez parceria com a Academia Russa de Ciências (RAS) para desenvolver tecnologias de hidrogênio. Alemanha e Chile concordaram em cooperar para o hidrogênio e estabelecer uma Força-Tarefa de hidrogênio como parte da parceria alemã-chilena de energia. Essas foram algumas das iniciativas apresentadas. (H2 Bulletin – 05.07.2021)

<topo>

2 IRENA: World Energy Transitions Outlook

A IRENA publicou um novo relatório denominado de “World Energy Transitions Outlook”. Neste relatório foram abordadas mudanças nos investimentos, mercados de capitais e políticas planejadas para realizar o dividendo da transição energética, com 122 milhões de empregos no setor de energia até 2050. O World Energy Transitions Outlook descreve um caminho para o mundo atingir as metas do Acordo de Paris e interromper o ritmo das mudanças climáticas, transformando o cenário energético global. Este relatório apresenta opções para limitar o aumento da temperatura global a 1,5 ° C e trazer as emissões de CO2 para zero líquido até 2050, oferecendo percepções de alto nível sobre as escolhas de tecnologia, necessidades de investimento, estrutura de política e os impactos socioeconômicos para alcançar uma sustentabilidade e resiliência e futuro energético inclusivo. (IRENA – Junho de 2021)

<topo>


Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Luiza Masseno e Sayonara Andrade Elizário
Pesquisadores: Allyson Thomas,
José Vinícius S. Freitas, Kalyne Silva Brito e Luana Oliveira 
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

As notícias divulgadas no IFE não refletem necessariamente os pontos da UFRJ. As informações que apresentam como fonte UFRJ são de responsabilidade da equipe de pesquisa sobre o Setor Elétrico do Instituto de Economia da UFRJ.

POLÍTICA DE PRIVACIDADE E SIGILO
Respeitamos sua privacidade. Caso você não deseje mais receber nossos e-mails,  Clique aqui e envie-nos uma mensagem solicitando o descadastrado do seu e-mail de nosso mailing.


Copyright UFRJ

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: