IFE.H2 32

Informativo Eletrônico – Geração de Energia com Hidrogênio nº 32 – publicado em 14 de maio de 2021.

IFE: Informativo Eletrônico de Hidrogênio – GESEL-UFRJ <!–

l

IFE: nº 32 – 14 de maio de 2021
http://gesel.ie.ufrj.br/
gesel@gesel.ie.ufrj.br

Editor: Prof. Nivalde J. de Castro

Índice

Políticas Públicas e Financiamentos
1
Agência de energia dinamarquesa concede permissão para projetos PtX
2 Governo australiano financia primeiro gerador de gás hidrogênio verde
3 DOE fornece financiamento adicional para o projeto ARPA-E
4 ARENA libera US $ 103,3 milhões para três projetos de H2V em seu país

Mercado
1 Investimentos na Raven para tornar H2 renovável competitivo com o H2 cinza
2 Siemens Energy e Masdar construirão usina piloto de hidrogênio
3 Siderúrgicas e Porto de Roterdã estudam a criação de cadeias de abastecimento de hidrogênio
4 Índia: Aliança nacional relata pontos para desenvolver cadeia de H2
5 Amp planeja construir um centro de hidrogênio de emissões zero
6 Aker explora hub de hidrogênio na Noruega
7 Canadá: UBC desenvolverá centro de energia renovável e incluirá H2
8 Enapter demonstra crescimento do H2 ao divulgar relatório de seus negócios atuais
9 Especialistas do Paraná discutem estratégias para uso do hidrogênio verde

10 Canadá: empresas produzirão H2 azul para descarbonizar setor industrial e gasodutos
11 ENEOS e Toyota desenvolverão uso do hidrogênio no Japão

12 Tecnologia norueguesa para desenvolvimento de infraestrutura do hidrogênio na Índia
13 Chile: projeto utilizará H2V para produzir gasolina e GLP neutros em carbono
14 GIE determina futura infraestrutura de hidrogênio da UE
15 Preocupações com disponibilidade de metais na cadeia de abastecimento de hidrogênio verde

Tecnologia e Inovação
1 Agfa lança membrana de alto desempenho para a produção de hidrogênio verde
2 GKN Powder Mettalurgy lançará novo negócio de hidrogênio

Mobilidade
1 Japão: Novo grupo irá desenvolver indústria naval com o H2
2 Westport Fuel Systems apresenta motor de combustão interna movido a hidrogênio e biogás
3 Califórnia: Preço do quilo do hidrogênio em estação e expectativa
4 NY irá financiar programa para acelerar transição da mobilidade elétrica

Eventos
1 Webinar GESEL – Construindo o Programa Nacional de Hidrogênio.
2 H2Tech Solutions
3 Fórum Valorização Energética de Resíduos
4 Workshop Panorama atual e potenciais para hidrogênio verde no Brasil

5 Webinar “Certificação de Hidrogênio”
6 Hidrogênio em CHP movido a motor como espinha dorsal da transição de energia
7 Nova Tecnologia de Automação para Hidrogênio
8 Webinar: Hidrogênio de resíduos como solução para

Artigos e Estudos
1 Clusters industriais de H2V podem impulsionar a transição energética na Europa e China
2 Artigo “Hidrogênio: usos, políticas públicas e regulamentação”
3 Potsdam Institute: Potenciais e riscos para as metas climáticas
4 Artigo “Transição para economia de baixo carbono”



 

 

Políticas Públicas e Financiamentos

1 Agência de energia dinamarquesa concede permissão para projetos PtX

A Agência de energia dinamarquesa anunciou dia 05 de maio que as empresas de energia GreenLab Skive e Brande Brint receberam permissão para desenvolver projetos-piloto power-to-X sem ter que cumprir a legislação de energia da Dinamarca. A agência afirmou que as condições especiais concedidas a estes projetos aconteceram devido a um regime transitório que visa provar que os respectivos conceitos funcionam e podem ser transferidos para uma escala ainda maior. A GreenLab está desenvolvendo um parque industrial e energético no qual a eletricidade renovável produzida é usada para várias instalações power-to-X, incluindo a produção de hidrogênio verde. A Brande Brint, por sua vez, está estabelecendo a produção de hidrogênio verde em parceria com a especialista em eletrônica de potência espanhola Gamesa. (PV Magazine – 05.05.2021)

<topo>

2 Governo australiano financia primeiro gerador de gás hidrogênio verde

A EnergyAustralia se comprometeu a construir um gerador de gás de arranque rápido de 300MW que utilizará hidrogênio verde obtido a partir de energia eólica e solar – nas instalações a partir de 2025, dois anos após sua inauguração. A empresa afirmou que terá “oferta para compra” de pelo menos 200.000 quilos de hidrogênio verde por ano, o que representará cerca de 5 por cento de sua produção. O projeto Tallawarra B de US$ 400 milhões obteve financiamento do governo estadual de Nova Gales do Sul e do governo federal que foram condicionantes a entrega do hidrogênio. O novo gerador de gás estará em operação no verão de 2023/24. (Renew Economy – 04.05.2021)

<topo>

3 DOE fornece financiamento adicional para o projeto ARPA-E

O projeto ARPA-E, realizado pela Fuel Cell Energy, no âmbito do programa “Innovative Natural-gas Technologies for Efficiency Gain in Reliable and Affordable Thermochemical Electricity-generation” (INTEGRATE), de desenvolvendo de sistemas SOFC (célula a combustível de óxido sólido) de ultra-alta eficiência na geração de energia (> 70%). Depois de executar com sucesso as atividades de design da Fase 1, a empresa recebeu um financiamento adicional de US$ 8 milhões para prosseguir para a Fase 2, para construir um protótipo do sistema de submegawatt. “Continuamos a progredir no avanço à comercialização com a ajuda de programas importantes do DOE, além de nosso próprio investimento de capital”, comentou Jason Few, presidente e diretor executivo da FuelCell Energy. (Fuel Cell Energy – 04.05.2021)

<topo>

4 ARENA libera US $ 103,3 milhões para três projetos de H2V em seu país

A Agência Australiana de Energia Renovável, para desenvolver a cadeia de hidrogênio e descarbonizar os seus setores, realizou uma Rodada de Financiamento para Implantação de Hidrogênio Renovável. O Financiamento foi bastante requisitado, 36 empresas realizaram suas manifestações, e após longo processo, três empresas foram contempladas. A primeira empresa contemplada foi a Engie, ela recebeu uma quantia de US $ 42,5 milhões para a realizar a construção de uma usina com eletrolisador de 10 MW e assim produzir o hidrogênio renovável em Karratha, Austrália Ocidental. A segunda empresa a se beneficiar foi a ATCO, com um total de US $ 28,7 milhões para que realizem a construção de uma usina com eletrolisador de 10MW para agregar no seu Parque de Inovação de Energia Limpa. Por fim, a terceira e última empresa a se beneficiar foi a Australian Gas Networks Limeted, que receberá US $ 32,1 milhões para construir e operar uma usina da mesma potência que os outros dois projetos, com um eletrolisador de 10 MW. (ARENA– 05.05.2021)

<topo>

 

 

Mercado

1 Investimentos na Raven para tornar H2 renovável competitivo com o H2 cinza

A Raven SR, uma empresa que desenvolveu uma tecnologia que produz o hidrogênio verde por meio de resíduos orgânicos mistos e múltiplos, como resíduos sólidos urbanos, resíduos médicos, papel, plásticos e aparas de madeira, ganhou investimentos da Ascent Hydrogen Fund, para que assim, sua tecnologia ganhe forças e seja utilizada em vários projetos de hidrogênio. Com esse apoio, a Hyzon planeja construir até 100 centros de produção nos Estados Unidos e globalmente, fazendo então com que o hidrogênio renovável produzido seja competitivo com o hidrogênio cinza. O acordo está definido e deve ser fechado no terceiro trimestre de 2021. (H2 View – 06.05.2021)

<topo>

2 Siemens Energy e Masdar construirão usina piloto de hidrogênio

A empresa de energia limpa dos Emirados Árabes Unidos, Masdar e a Siemens Energy assinaram um Memorando de Entendimento em janeiro para desenvolver uma planta de demonstração em parceria com a Etihad Airways, com sede em Abu Dhabi, Lufthansa, Marubeni Corp., Departamento de Energia de Abu Dhabi e Universidade Khalifa. O projeto piloto envolve a construção de uma usina fotovoltaica que irá gerar eletricidade para produzir hidrogênio, que será colocado em outro processo químico onde é adicionado ao CO2 para produção de combustíveis sintéticos. A planta deve produzir 1.000 toneladas / ano e, com base no resultado das tecnologias que serão utilizadas, poderá ser ampliada. (S&P Global – 06.05.2021)

<topo>

3 Siderúrgicas e Porto de Roterdã estudam a criação de cadeias de abastecimento de hidrogênio

As siderúrgicas alemãs Thyssenkrupp Steel e HKM durante décadas importaram carvão, minério de ferro e outras matérias primas por meio de seus terminais no Porto de Roterdã. Mas, agora as empresas se uniram ao porto para realizar um estudo para a criação de cadeias de abastecimento internacionais de hidrogênio, ou seja, irão explorar oportunidades de importação de H2 via Roterdã, bem como um possível corredor de oleoduto entre Roterdã e as unidades de aço da Thyssenkrupp Steel e HKM em Duisburg. A parceria pode servir como um quadro para iniciativas adicionais e visa apoiar projetos existentes nos quais os parceiros estão envolvidos. Além disso, os parceiros concordam que uma nova infraestrutura transfronteiriça, seja necessária para apoiar a transição energética, especialmente uma estrutura de gasoduto. (Port of Rotterdam – 04.05.2021)

<topo>

4 Índia: Aliança nacional relata pontos para desenvolver cadeia de H2

Para desenvolver uma cadeia de hidrogênio em todo o país e produzir suas próprias tecnologias, a India H2 Alliance, uma aliança nacional formada pelos principais líderes da indústria, apresentou uma agenda de seis pontos ao governo. Primeiramente, um roteiro nacional de hidrogênio tem que ser criado juntamente com uma Força-Tarefa, para que assim se realize metas para fabricação de seus próprios eletrolisadores. Além do mais, com o objetivo de levantar US $1 bilhão até 2030 para implantação em projetos nacionais de hidrogênio, a Índia deve criar um fundo de transição energética para o H2. É de grande necessidade padronizar as tecnologias de armazenamento e transporte. Por fim, tem que ser realizada a construção de 10 vales de hidrogênio em todo o país para acelerar a adoção do hidrogênio. (H2 View – 04.05.2021)

<topo>

5 Amp planeja construir um centro de hidrogênio de emissões zero

Como parte da ambição da Amp Energy, investidora canadense em energia limpa, em construir um centro de hidrogênio com emissão zero, a empresa adquiriu três projetos solares e de bateria no sul da Austrália que totalizaram 1300 MW de capacidade de produção de energia solar com capacidade de armazenamento em bateria de até 540MW. Esses projetos irão alimentar um novo centro de hidrogênio em Port Spencer. Em seu comunicado, a empresa diz que espera que os projetos comecem a “energização em etapas” no final de 2022, o que sugere que a construção terá que começar no final deste ano ou no início de 2022. Os projetos devem criar até 550 empregos em tempo integral durante a construção. (Renew Economy – 04.05.2021)

<topo>

6 Aker explora hub de hidrogênio na Noruega

A Aker Carbon Capture, uma empresa de soluções de tecnologia de carbono e a Sintef, empresa de pesquisa independente da Noruega fortaleceram parceira ao assinar um Memorando de Entendimento através do qual irão colaborar em projetos P&D que incluem tecnologia de membrana, aplicações de hidrogênio e testes de taxas de captura de carbono mais altas. Em um desenvolvimento separado, a Aker Clean Hydrogen e o município de Aukra estão explorando o potencial para uma instalação de produção de hidrogênio no oeste da Noruega. A Aker Clean Hydrogen irá realizar um estudo de viabilidade sobre o potencial de desenvolvimento do hub de hidrogênio. O projeto utilizará gás natural para obtenção do hidrogênio, com o processo de captura de carbono, que em seguida será uttilizado para descarbonizar processos industriais. (H2 Buletin – 04.05.2021)

<topo>

7 Canadá: UBC desenvolverá centro de energia renovável e incluirá H2

Para se tornar uma universidade verde e líder mundial em energia renovável, a Universidade de British Columbia está construindo um centro de energia renovável que inclui módulos fotovoltaicos e o fornecimento de eletricidade para toda a região. Portanto, o projeto, visando descarbonizar não apenas o sistema elétrico, mas também o energético, apresentará eletrolisadores e postos de abastecimento de hidrogênio, para que assim possa utilizá-lo em veículos leves e pesados. Ademais, o centro também incluirá pesquisa inovadora em tecnologias relacionadas em vários laboratórios em UBC, podendo assim, desenvolver pesquisas sobre todo o segmento do hidrogênio e fazer com que esse vetor energético tenha uma evolução ainda maior. (Fuel Cells Works– 06.05.2021)

<topo>

8 Enapter demonstra crescimento do H2 ao divulgar relatório de seus negócios atuais

A Enapter, uma empresa que fabrica eletrolisadores de membrana de troca de ânions (AEM), deixa mais claro do que nunca como o hidrogênio está em crescimento ao divulgar relatório sobre o desenvolvimento dos seus negócios atuais. No relatório informa que apenas nos primeiros quatro meses a empresa já foi contratada diversas vezes, com um valor total de 5,5 milhões de euros, para reportar o assunto. Destacou ainda mais que no último mês (abril), em específico, foram registrados 3,8 milhões de euros em entradas de pedidos e espera-se que os próximos meses continuem com grande ascensão. Ademais, o relatório também informa que no primeiro trimestre 150 eletrolisadores foram entregues em 17 países, o que demonstra que vários países estão investindo no hidrogênio e não há uma concentração de tecnologias e produção. (Fuel Cells Works – 09.05.2021)

<topo>

9 Especialistas do Paraná discutem estratégias para uso do hidrogênio verde

O hidrogênio tem sido discutido como um vetor energético essencial para a descarbonização. Empresas e governos estão desenvolvendo estratégias para o desenvolvimento da economia do hidrogênio. Para não ficar de fora, o Governo do Paraná reuniu especialistas da área para participarem do Programa de Treinamento do PtX Hub Berlim. Após três dias de treinamento, o curso foi finalizado com um workshop, no qual os participantes tiveram a oportunidade de apresentar e aplicar os conhecimentos adquiridos e fazer paralelos com as necessidades do Paraná. Com a conclusão do curso os participantes se tornaram qualificados para avaliar efetivamente o potencial de produção, aplicação e exportação de hidrogênio e Ptx, bem como a importância crucial dos critérios para sustentabilidade. (Superintendência Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino – 07.05.2021)

<topo>

10 Canadá: empresas produzirão H2 azul para descarbonizar setor industrial e gasodutos

Para contribuir com a descarbonização e o desenvolvimento do hidrogênio no Canadá, a Suncor Energy, uma empresa de petróleo, e a ATCO, empresa de capital aberto de engenharia, logística e energia, se uniram para desenvolver um projeto de hidrogênio. O projeto visa a construção de uma usina de hidrogênio azul, produzindo, ou seja, a partir de combustíveis fósseis -que já é uma especialidade da empresa Suncor- com um adicional de captura do carbono, visando não emitir grandes quantidades de dióxido de carbono. O projeto, assim que concluído, vai produzir 300 mil toneladas de hidrogênio limpo por ano, que terá seu uso final tanto na indústria, sendo 65% do hidrogênio produzido destinado a essa área e 20% do hidrogênio produzido destinado ao setor de transportes. (Cision- 11.05.2021)

<topo>

11 ENEOS e Toyota desenvolverão uso do hidrogênio no Japão

A ENEOS e a Toyota pretendem realizar testes e demonstração para o desenvolvimento de uma cadeia de suprimentos de hidrogênio, atuando da produção à distribuição e uso final do hidrogênio em Woven City. Woven City é o protótipo da cidade do futuro desenvolvido pela Toyota na cidade de Susono, Japão. A parceira planeja ajudar a alcançar uma sociedade neutra em carbono até 2050 e aproveita a expertise e experiência das duas empresas para explorar todo o potencial do hidrogênio. A ENEOS irá produzir hidrogênio, bem como estabelecer e operar uma estação de abastecimento de hidrogênio nas proximidades de Woven City. (Green Car Congress – 11.05.2021)

<topo>

12 Tecnologia norueguesa para desenvolvimento de infraestrutura do hidrogênio na Índia

As energias renováveis devem substituir os combustíveis fósseis para que assim não haja emissões de gases de efeito estufa (GEE) e suas consequência não se manifestem. Nesse sentido, para conseguir desenvolver a infraestrutura do hidrogênio renovável na Índia e fazer com que o país não emita GEE, duas empresas indianas, h2e Power Systems e a Greenstat Hydrogen Private Limited, irão promover a inserção das tecnologias da Noruega no seu país para produzir o hidrogênio renovável. A tecnologia da Noruega servirá para desenvolver a infraestrutura de toda uma cadeia, desde o segmento de produção até o uso final, que será especialmente na mobilidade. (H2 View – 10.05.2021)

<topo>

13 Chile: projeto utilizará H2V para produzir gasolina e GLP neutros em carbono

Visando realizar as metas elaboradas na estratégia de hidrogênio verde do Chile, que tem como objetivo ser o maior produtor de hidrogênio verde (H2V) e assim descarbonizar todos os seus setores até 2050, a AME, empresa chilena, com o apoio da italiana Enel, a gigante alemã da engenharia Siemens e a estatal de petróleo do Chile Enap está desenvolvendo um projeto denominado Highly Innovative Fuels (HIF). O projeto tem como objetivo produzir gasolina e GLP neutros em carbono a partir do hidrogênio verde, descarbonizando assim o setor residêncial e da mobilidade. A produção deve acontecer por meio de eletrolisadores alimentados por energia eólica. Além disso, a empresa pretende combinar o hidrogênio com o CO2 da atmosfera e transformar em metanol verde e, em seguida, produzirá a e-gasolina (denominação da gasolina neutra em carbono) e GLP neutro em carbono. O projeto inicial, baseado na capital regional de Punta Arenas, produzirá 350 t/ano de metanol, 130.000 l/ano de gasolina e 16 t/ano de GLP neutro em carbono. (Argus Media – 10.05.2021)

<topo>

14 GIE determina futura infraestrutura de hidrogênio da UE

A Gas Infrastructure Europe (GIE) formulou recomendações políticas para contribuir com a infraestrutura do hidrogênio e integrar o seu uso de forma eficiente, contribuindo assim para as metas do Acordo Verde da UE. Muitos dos Estados-Membros têm uma infraestrutura de gás considerada muito adequada para integrar o hidrogênio, através da adaptação e reaproveitamento de oleodutos, instalações de armazenamento e terminais de GNL. Um dos caminhos considerados para essa adaptação é misturar hidrogênio na sua infraestrutura de gás existente até um certo limite. Dentro desse contexto, o gasoduto pan-europeu com a melhor infraestrutura desenvolvida atualmente permite uma transição econômica para integrar o hidrogênio, onde um único duto de hidrogênio pode transportar de 10 a 20 vezes mais energia do que um cabo de eletricidade, com base no mesmo nível de investimentos. Além dos gasodutos, tem-se também na UE, cavernas de sal que são altamente adequadas para armazenamento de hidrogênio. (Energy Industry View- 11.05.2021)

<topo>

15 Preocupações com disponibilidade de metais na cadeia de abastecimento de hidrogênio verde

Com a África do Sul detendo 63.000 das 69.000 toneladas métricas de platina estimadas em toda a reserva do mundo, e Rússia e Zimbábue com mais 5.100 delas, a Comissão Europeia citou o metal como um exemplo de gargalo da cadeia de abastecimento que pode prejudicar seus grandes planos para a produção de hidrogênio com energia renovável. Uma potencial escassez futura de painéis solares e matérias-primas para baterias, como cobalto, lítio, alumínio, níquel, aço e cobre, materiais básicos necessários para eletrolisadores, células a combustível e armazenamento de hidrogênio, foi identificada pela comissão como uma situação problemática. O documento de dependências e capacidades estratégicas publicado pela comissão há uma semana identificou 30 matérias-primas provenientes da UE – e de rivais globais – de um número limitado de países. Destes, a comissão identificou 13 materiais como críticos para a implantação da produção de hidrogênio verde, com expectativa de 6 GW de capacidade de eletrolisador de hidrogênio renovável até 2024 e 40 GW nesta década, comparado a menos de 1 GW no ano passado. (PV Magazine- 12.05.2021)

<topo>

 

Tecnologia e Inovação

1 Agfa lança membrana de alto desempenho para a produção de hidrogênio verde

O grupo Agfa-Gevaert, empresa líder em tecnologia de imagem e membro da Hydrogen Europe, contribui mais uma vez para reduzir os custos de produção de hidrogênio verde que é produzido por meio da eletrólise, usando a água como matéria prima e energia verde. Dentro desse contexto, a empresa desenvolveu uma membrana que atua no coração dos eletrolisadores e determina em grande parte a eficiência e confiabilidade do sistema de produção de hidrogênio. A nova membrana, ZIRFON UTP 2020 de alto desempenho para eletrólise alcalina avançada, tem uma excelente durabilidade, baixa resistividade permitindo assim um maior rendimento de produção de hidrogênio. Destaca-se ainda o fato da ZIRFON UTP 2020 ser adicionada às membranas já existentes, UTP 500+ e UTP 500, no portfólio da Agfa. Segundo relatório do Instituto Fraunhofer, seu uso torna a Eletrólise Alcalina (AEL) a tecnologia mais eficiente para a produção de hidrogênio. (AGFA – 05.05.2021)

<topo>

2 GKN Powder Mettalurgy lançará novo negócio de hidrogênio

A GKN Powder Metallurgy, com sede na Alemanha, vai lançar uma unidade de solução de armazenamento de hidrogênio verde na próxima semana, como parte de um novo segmento de negócios chamado GKN Hydrogen. A tecnologia de armazenamento de H2V da empresa é baseada em hidretos metálicos e pode ser utilizada como reserva de energia de emergência e fornecimento de energia fora da rede para fins residenciais, marítimos ou industriais. (H2 Buletin – 04.05.2021)

<topo>

 

 

Mobilidade

1 Japão: Novo grupo irá desenvolver indústria naval com o H2

Um grupo de fabricantes de motores japoneses se uniu para desenvolver motores marítimos a hidrogênio para grandes navios costeiros e oceânicos até 2025. As empresas envolvidas incluem Kawaski Heavy Industries (KHI), Yanmar Power Technology e Japan Engine, que concordaram em formar um consórcio para desenvolver motores movidos a hidrogênio para grandes navios comerciais que operam em rotas domésticas e internacionais. Cada uma das empresas tem como alvo uma linha específica de produtos, mas a troca de experiência entre elas contribuirá para o conhecimento das três empresas e consequentemente para a indústria de construção naval japonesa. Ao cooperar em tecnologias fundamentais, como experimentos básicos e análises de combustão do hidrogênio, materiais, técnicas de vedação, entre outras, cada empresa tem como objetivo trazer motores movidos a hidrogênio ao mercado até 2025. (Fuel Cells Works– 06.05.2021)

<topo>

2 Westport Fuel Systems apresenta motor de combustão interna movido a hidrogênio e biogás

Em março desse ano a Westport Fuel Systems anunciou os testes iniciais de seu novíssimo motor pesado de combustão interna movido a hidrogênio. Utilizando o Sistema de Injeção Direta de Alta Pressão (HPDI) 2.0 ™, patenteado, a empresa demonstrou que o motor pode funcionar com uma série de combustíveis diferentes, incluindo hidrogênio e biogás. “Temos mais de 50 anos de experiência no fornecimento de produtos inovadores e estamos promovendo a inovação de soluções de produtos de combustível de gases limpos”, disse Anders Johansson Vice-Presidente da Westport Fuel System. (H2 View – 06.05.2021)

<topo>

3 Califórnia: Preço do quilo do hidrogênio em estação e expectativa

A utilização do hidrogênio em veículos movidos a célula a combustível e suas estações de abastecimento ainda são um marco recente, fazendo assim com que os preços do H2 sejam ainda mais elevados do que o que se espera alcançar. Dessa forma, uma nova estação de hidrogênio na Califórnia, desenvolvida pela FirstElement Fuel, cobra o hidrogênio 100% renovável a US$ 13,14 o quilo. O preço torna a sua utilização não competitiva, mesmo que em carros movidos a células a combustível 1 quilo de hidrogênio percorra uma distância maior do que 1 quilo de gasolina em um carro comum. Para baixar esse preço e tornar os veículos movidos a célula a combustível líderes no mercado da mobilidade, a empresa espera fazer com que nos próximos anos, o preço seja menor que US $10. (H2 View – 06.05.2021)

<topo>

4 NY irá financiar programa para acelerar transição da mobilidade elétrica

Para descarbonizar o setor da mobilidade, que atualmente é o maior emissor de emissões de gases de efeito estufa do estado de Nova York, melhorar o ar local e acelerar a transição para um futuro da mobilidade elétrica, o governo anunciou um financiamento de US $ 30 milhões através do programa Drive Clean Rebate. O programa irá incentivar consumidores a alugar ou comprar um carro totalmente elétrico ou um veículo elétrico híbrido plug-in, incluindo aqueles com célula a combustível. O financiamento aumentará a acessibilidade do veículo e ajudará mais residentes de Nova York a reduzir sua pegada de carbono ao dirigirem. Tal ação terá como base um progresso significativo com mais de 37.000 de descontos, totalizando mais de US$ 54 milhões. (H2 View – 06.05.2021)

<topo>

 

 

Eventos

1 Webinar GESEL – Construindo o Programa Nacional de Hidrogênio.

No dia 07/05, o GESEL realizou o webinar intitulado “Construindo o Programa Nacional de Hidrogênio”, cujo principal objetivo foi sistematizar subsídios para a elaboração da Estratégia Brasileira de Hidrogênio. O evento, moderado pelo coordenador do GESEL, Prof. Nivalde de Castro, contou com os palestrantes Giovani Machado (Diretor de Estudos Econômico-Energéticos e Ambientais da EPE), Sergio Leal Braga (ITUC – PUC Rio) e Vitor Santos (Professor da ISEG-Universidade de Lisboa e Pesquisador Associado do GESEL). O evento foi considerado um sucesso por parte da equipe do GESEL, haja vista a capacidade de promover a disseminação de conhecimento de altíssima qualidade e importância para o setor energético brasileiro. Neste sentido, vale destacar a presença dos 188 participantes, de diversas localidades do país, com variadas especialidades profissionais e de notáveis entidades do setor elétrico brasileiro.

<topo>

2 H2Tech Solutions

A H2Tech Solutions reunirá engenheiros, tecnólogos e gerentes para avançar em aplicações de combustível, químicas e industriais para hidrogênio. No dia 18 e 19 de maio de 2021, das 10 às 16h acontecerá a conferência técnica virtual, que reunirá atores do hidrogênio. A rápida expansão do interesse no hidrogênio como transportador de energia está unindo as indústrias de energia convencional e renovável com o transporte verde e outros setores. A conferência cobrirá a tecnologia de produção de hidrogênio em todos os espectros – de cinza e marrom (via reforma do metano e gaseificação do carvão) ao azul (via reforma do metano com captura de carbono) e verde (via eletrólise com energia renovável) e além. (Gulf Energy– maio de 2021)

<topo>

3 Fórum Valorização Energética de Resíduos

O grupo FRG mídias e eventos, em parceria com a Associação Brasileira de Recuperação Energética de Resíduos – ABREN e com algumas das principais entidades e empresas, se uniram para promover o Fórum valorização energética de resíduos ”Edição Especial 100% online”, nos dias 27 e 28 de Maio. O evento, que irá reunir associados e parceiros da ABREN, em um encontro anual, contará com a participação dos Principais Players, Especialistas do setor e Representantes da Academia. Discutiremos sobre os principais desafios e oportunidades que teremos para o setor de Valorização Energética de Resíduos. (ABREN – maio de 2021)

<topo>

4 Workshop Panorama atual e potenciais para hidrogênio verde no Brasil

No dia 25 de maio, a Aliança Brasil-Alemanha de Hidrogênio Verde, composta pelas Câmaras de Comércio Brasil-Alemanha do Rio de Janeiro e São Paulo, irá lançar o Portal de Hidrogênio Verde. O portal chega para se tornar referência sobre o tema, trazendo informações, eventos, projetos, financiamentos, questões regulatórias e fomentando oportunidades de negócios. No Portal as empresas terão uma área especial para estabelecer conexões e desenvolver negócios, contribuindo para a transição energética no Brasil. O evento ocorrerá de forma online. Para se inscrever, clique aqui. (AHK – maio de 2021)

<topo>

5 Webinar “Certificação de Hidrogênio”

A Empresa Comum de Células de Combustível e Hidrogênio (FCH JU) tem o prazer de convidá-lo para um webinar organizado em conjunto com a Hydrogen Europe para discutir os desafios e oportunidades em torno do futuro esquema de certificação de hidrogênio. Ao apresentar os resultados da iniciativa CertifHy apoiada pela FCH JU a partir de 2014, os legisladores europeus, representantes da indústria e ONGs terão a oportunidade de debater o que é necessário para harmonizar os esquemas de certificação de hidrogênio em toda a Europa. O evento ocorrerá de forma online no dia 21 de maio às 9h no horário de Brasília. Inscreva-se aqui. (Fuel Cell and Hydrogen Joint Undertaking – 04.05.2021)

<topo>

6 Hidrogênio em CHP movido a motor como espinha dorsal da transição de energia

O webinar será realizado no dia 19 de maio e tem como objetivo mostrar como os sistemas combinados de calor e energia (CHP) de última geração contribuem para atingir os objetivos da transição energética. Mesmo quando operados com gás natural esses sistemas contribuem significativamente para a redução das emissões de gases de efeito estufa. Hidrogênio verde em vez de gás natural será o caminho futuro para um futuro 100% sustentável para sistemas CHP. “Hoje gás natural, amanhã hidrogênio”. No webinar, emissões, custos e potenciais futuros serão discutidos. (Mission Hydrogen – maio de 2021)

<topo>

7 Nova Tecnologia de Automação para Hidrogênio

O Mission Hydrogen GmbH apresentará um webinar gratuito, que será realizado no dia 26 de maio, para explorar as demandas de automação em sistemas de hidrogênio, uma vez que precisam se tornar cada vez mais eficientes e minimizar os riscos de explosão. O evento também irá apresentar a tecnologia de controle baseada em PC que podem contribuir para superar esses desafios. (Mission Hydrogen – maio de 2021)

<topo>

8 Webinar: Hidrogênio de resíduos como solução para transporte

No dia 27 de maio de 11 as 12:30 haverá uma conversa sobre o futuro do Waste-to-Energy e geração de hidrogênio. Espera-se que o hidrogênio se torne um dos impulsionadores da Recuperação Verde da UE nos próximos anos. As células a combustível oferecem uma gama de aplicações potenciais, incluindo em setores difíceis de descarbonizar, como o transporte rodoviário. As usinas Waste-to-Energy, recuperam energia de resíduos não recicláveis e estão na linha de frente desses desenvolvimentos inovadores trabalhando em projetos que visam a produção de hidrogênio, que pode ser usado no transporte urbano pesado, como ônibus urbanos e veículos de coleta de lixo. O evento discutirá as surpreendentes sinergias trazidas por essas soluções de resíduos e as possibilidades de acoplamento do setor no futuro. (Eswet – maio de 2021)

<topo>

 

 

Artigos e Estudos

1 Clusters industriais de H2V podem impulsionar a transição energética na Europa e China

O hidrogênio verde (H2V) será utilizado para substituir os combustíveis fósseis em setores difíceis de reduzir as emissões de CO2. A cooperação de clusters industriais de hidrogênio entre a China e a Europa pode ajudar a fazer avançar a agenda de transição para energia limpa. A EU, liderando os esforços para aumentar a demanda de hidrogênio, já apresentou documentos de estratégia de hidrogênio, tendo como um dos pontos centrais a implantação do “hydrogen backbone”, projeto que pretende converter 23 mil km das redes de gasodutos atuais para transportar H2. Mas as estimativas da demanda futura de hidrogênio podem variar em quase uma ordem de magnitude, portanto, sem uma avaliação cuidadosa da demanda futura a UE corre o risco de trocar a infraestrutura de gás ocioso por ativos de hidrogênio ociosos. A China é o maior produtor e consumidor de hidrogênio do mundo, ainda não divulgou uma estratégia nacional para o hidrogênio, e poderia se beneficiar enormemente das percepções coletadas nos debates europeus (especialmente alemães). (World Economic Forum – 06.05.2021)

<topo>

2 Artigo “Hidrogênio: usos, políticas públicas e regulamentação”

O hidrogênio tem ganhado espaço no debate nacional e internacional devido ao potencial de descarbonização de setores de difícil eletrificação. Nesse contexto, o artigo publicado pelo GESEL aborda o uso atual do hidrogênio, direcionado principalmente para fins industriais, hospitalares ou na produção de fertilizantes. O artigo também analisa as vantagens competitivas para o uso energético do hidrogênio no Brasil, como a disponibilidade de matéria-prima para a sua produção e a existência de normas que são aplicadas para os atuais usos do hidrogênio. No entanto, essas normas não são suficientes para a inserção do hidrogênio na matriz energética, uma vez que deixa diversas questões em aberto, existindo, segundo o autor, um “vácuo legislativo”. Sendo assim, é necessário normas, regulações e políticas públicas específicas, os órgãos brasileiros já se movimentam nesse sentido. O Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) propôs a elaboração de diretrizes para um Programa Nacional do Hidrogênio, até junho; bem como instituiu um programa de incentivo à adoção de combustíveis sustentáveis e de baixas emissões (Combustível do Futuro). Para ler o texto na íntegra clique aqui. (GESEL – IE – UFRJ – 10.05.2021)

<topo>

3 Potsdam Institute: Potenciais e riscos para as metas climáticas

O Potsdam Institute for Climate Impact Research (PIK) publicou um artigo analisando os potenciais e riscos para as metas climáticas do hidrogênio. Segundo os pesquisadores, o uso do hidrogênio deveria ser voltado principalmente para setores difíceis de eletrificar, como aviação ou processos industriais. Esses combustíveis tem uma produção ineficiente, cara e uma disponibilidade incerta para substituir amplamente os combustíveis fósseis. Os pesquisadores explicam que depender universalmente dos combustíveis à base de hidrogênio e manter as tecnologias de combustão, ameaça aumentar ainda mais a dependência de combustíveis fósseis e emissões de gases do efeito estufa. Isso porque, os combustíveis à base de hidrogênio provavelmente serão escassos e não competitivos por pelo menos mais uma década. No entanto, acrescentam que havendo um contínuo progresso tecnológico impulsionado pela precificação de carbono, bem como subsídios e investimentos em hidrogênio e industriais, o hidrogênio poderá se tornar competitivo em termos de custos em 2040. (Potsdam Institute for Climate Impact Research – 06.05.2021)

<topo>

4 Artigo “Transição para economia de baixo carbono”

Em artigo publicado no jornal O Globo, Paulo Alvarenga, CEO da Thyssenkrupp na América do Sul e vice-presidente da Câmara Brasil-Alemanha de São Paulo, analisa o papel do hidrogênio verde no processo de transição energética no Brasil. Segundo o autor, “o Brasil é candidato a se tornar um dos maiores produtores e exportadores mundiais de hidrogênio verde. O país ainda possui uma base industrial instalada que gera um mercado interno relevante. Considerando só a demanda interna, o hidrogênio verde pode ser empregado pelo setor de óleo e gás no refino do petróleo para produção da gasolina e do diesel”. Para ler o texto na íntegra, clique aqui”. Para ler o texto na íntegra clique aqui. (GESEL-IE-UFRJ – 06.05.2021)

<topo>


Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Luiza Masseno e Sayonara Andrade Elizário
Pesquisadores: Allyson Thomas e Kalyne Silva Brito 
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

As notícias divulgadas no IFE não refletem necessariamente os pontos da UFRJ. As informações que apresentam como fonte UFRJ são de responsabilidade da equipe de pesquisa sobre o Setor Elétrico do Instituto de Economia da UFRJ.

POLÍTICA DE PRIVACIDADE E SIGILO
Respeitamos sua privacidade. Caso você não deseje mais receber nossos e-mails,  Clique aqui e envie-nos uma mensagem solicitando o descadastrado do seu e-mail de nosso mailing.


Copyright UFRJ

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: