IFE.TEX 40

Informativo Eletrônico – Tecnologias Exponenciais nº 40 – publicado em 30 de abril de 2021.

IFE: Informativo Eletrônico de Tecnologias Exponenciais – GESEL-UFRJ <!–

l

IFE: nº 40 – 30 de abril de 2021
http://gesel.ie.ufrj.br/
gesel@gesel.ie.ufrj.br

Editor: Prof. Nivalde J. de Castro

Índice

Transição Energética
1
Enel Green Power: primeiro conversor de energia das ondas em escala real no Chile
2 Wilson Ferreira Jr.: “Geração de energia com resíduos pode tornar agronegócio autossuficiente”
3 Entrevista com Nivalde de Castro: transição energética deve privilegiar atração do investimento
4 Mocean Energy anuncia nova tecnologia de energia das ondas
5 UE chega a um acordo sobre lei para reduzir emissões em 55% até 2030
6 Amazon deve atingir 100% de energia renovável em 2025
7 Energia eólica offshore abasteceu 39% das residências do Reino Unido em 2020
8 Usina de gás natural que não lança gases do efeito estufa no ar é ‘aposta verde’ nos EUA
9 Energisa lança ferramenta para monitorar redução de GEE
10 CNPE propõe diretrizes para o Programa Nacional do Hidrogênio
11 Bolsonaro diz que Brasil se tornará neutro em carbono até 2030

Geração Distribuída
1 Compra da AES Inova pela EDP Grid é autorizada
2 Piauí investe R$ 1,4 mi em sistemas fotovoltaicos para agricultores familiares
3 Tim investe em off-grids solares para levar 4G a regiões remotas
4 Marcelo Ramos: projeto sobre geração distribuída foi construído sob falso pretexto de taxar Sol
5 Blue Sol projeta dobrar vendas de sistemas fotovoltaicos em 2021
6 Financiamento solar global atinge US$ 8,1 bi no primeiro trimestre
7 Mercado privado é o principal financiador de energia solar no primeiro trimestre

Armazenamento de Energia
1 Região das Américas vai liderar o mercado global de armazenamento em 2025
2 Highview traz um parceiro para fornecer armazenamento de 50 MW
3 Atlas anuncia acordo de colaboração com a Hitachi ABB Power Grids

4 Gore Street levanta investimentos em armazenamento

Mobilidade Elétrica
1 GM e LG anunciam 2ª fábrica de baterias
2 Governadores dos EUA pedem que o governo Biden apoie a mobilidade limpa
3 WEG: ônibus solar percorreu 100mil km sem combustível
4 CNPE aprova resolução que cria o Programa Combustível do Futuro

5 Eletromobilidade desafia indústria no Brasil
6 Renault: parcerias para expandir estações de recarga

Gestão e Resposta da Demanda
1 Neoenergia lança aplicativo com conteúdos sobre Eficiência Energética

Digitalização
1 CEB-D utiliza tecnologia para manutenção do sistema de distribuição
2 Startup Miio: pagamentos pontuais e sem cartão para o carregamento de VEs
3 Sensoriamento remoto reduz custos no setor elétrico

Eventos
1 GESEL/KAS: Workshop “Mobilidade Elétrica no Processo de Transição Energética”
2 GESEL: Curso Cibersegurança Para o Setor Elétrico: Formação Executiva

Artigos e Estudos
1 Artigo de André Clark: “A nova diplomacia global do carbono”
2 Artigo de Daniela Chiaretti: “Biden almeja uma revolução energética”
3 Artigo: “Autoprodutor de Energia Elétrica e Operações com Criptomoedas”
4 Artigo GESEL: Perspectivas para o Mercado Brasileiro de VEs

5 Artigo de Marisa Zampolli sobre o uso de Digital Twin nas indústrias durante a pandemia


 

 

Transição Energética

1 Enel Green Power: primeiro conversor de energia das ondas em escala real no Chile

A Enel Green Power Chile, subsidiária de energia renovável da Enel Chile, instalou o PB3 PowerBuoy, o primeiro conversor de energia das ondas em escala real na costa de Las Cruces, na região de Valparaíso. O gerador marítimo instalado pela Enel Green Power é o primeiro desse tipo na América Latina e o quinto no mundo. O sistema inovador é capaz de converter a energia das ondas em energia elétrica, que é armazenada em um sistema de bateria de 50 kWh localizado dentro do PB3 PowerBuoy, e que alimenta os diferentes sensores oceanográficos que monitoram o ambiente marinho. As informações obtidas com este dispositivo permitirão conhecer o comportamento das ondas, otimizar o recurso e assim conduzir a investigação deste tipo de energia renovável no país e no mundo. (REVE – 23.04.2021)

<topo>

2 Wilson Ferreira Jr.: “Geração de energia com resíduos pode tornar agronegócio autossuficiente”

O ex-presidente da Eletrobras e atual presidente da BR Distribuidora, Wilson Ferreira Jr., defendeu o uso de resíduos do agronegócio para geração de energia, que, segundo ele, teriam potencial para gerar por ano o dobro do volume de energia da usina hidrelétrica de Itaipu, além de evitar emissões de 200 milhões de toneladas por ano de gás carbônico (CO2) e tornar o setor autossuficiente. “Toda essa biomassa (do agronegócio) poderia gerar 160 terawatts-hora. Eu sou conselheiro de Itaipu, e Itaipu produz metade disso por ano, e é a usina que mais produz energia no mundo. Em termos de biometano, seriam 77 bilhões de metros cúbicos, uma quantia extraordinária”, disse, durante apresentação no Fórum Brasileiro do Agronegócio. No caso da energia elétrica, ele informou que o potencial é seis vezes o que o setor do agronegócio consome, enquanto o biometano é praticamente 9 vezes maior, ou 25% da demanda nacional. (Broadcast Energia – 19.04.2021)

<topo>

3 Entrevista com Nivalde de Castro: transição energética deve privilegiar atração do investimento

Em entrevista ao portal Além da Energia, Nivalde de Castro, professor do Instituto de Economia da UFRJ e coordenador do GESEL – Grupo de Estudos do Setor Elétrico, se revela otimista em relação à transição energética no Brasil. Para ele, o país tem plenas condições de enfrentar os desafios do domínio das fontes intermitentes na energia nova, devendo ficar atento à manutenção das condições para que o setor privado faça a sua parte e invista nesse segmento. “Como resultado deste processo iniciado nos anos de 1990, o modelo do setor elétrico está tendo condições de manter o processo de transição energética no caminho correto e consistente para o futuro”, afirma. Para ler a entrevista na íntegra, clique aqui. (GESEL-IE-UFRJ – 22.04.2021)

<topo>

4 Mocean Energy anuncia nova tecnologia de energia das ondas

A Mocean Energy, especialista em energia das ondas, revelou o protótipo de energia das ondas “Blue X”, que vai chegar aos mares de Orkney, Escócia, em maio de 2021. O equipamento, de 20 m de comprimento e 38 toneladas, foi totalmente fabricado na Escócia e será implantado para testes de mar, inicialmente, em Scapa Flow, no Centro Europeu de Energia Marítima (EMEC), e posteriormente implantada em Billia Croo, para testes em larga escala da EMEC no verão de 2021. Em 2022, a Mocean Energy planeja conectar o dispositivo a uma bateria submarina que será usada para alimentar um veículo subaquático autônomo operado remotamente (AUV). (Energy Global – 21.04.2021)

<topo>

5 UE chega a um acordo sobre lei para reduzir emissões em 55% até 2030

Membros da UE chegaram a um acordo para estabelecer, por lei, o compromisso do bloco de tornar-se neutro para o clima até 2050 e de reduzir as emissões de gases do efeito estufa em pelo menos 55% até 2030. Com essas negociações, que ocorreram na terça-feira, 20, a UE se adianta à Cúpula do Clima, convocada pelos Estados Unidos para a próxima quinta-feira, 22, para discutir medidas de proteção ao meio ambiente. “Nosso compromisso político de ser o primeiro continente neutro em emissões agora é também um compromisso legal”, disse, em comunicado, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, acrescentando que a lei coloca o bloco “no caminho verde para a próxima geração”. Já o ministro do Ambiente e Ação Climática de Portugal, João Pedro Matos Fernandes, afirmou que a UE está “firmemente empenhada” em cumprir compromissos ambientais nas próximas décadas. (O Estado de São Paulo – 21.04.2021)

<topo>

6 Amazon deve atingir 100% de energia renovável em 2025

A Amazon anunciou nove novos projetos de energia eólica e solar em escala de utilidade nos Estados Unidos, Canadá, Espanha, Suécia e Reino Unido. A empresa agora tem 206 projetos de energia renovável globalmente, incluindo 71 projetos eólicos e solares em escala de utilidade e 135 telhados solares em instalações e lojas em todo o mundo, que irão gerar 8,5 GW de capacidade de produção de eletricidade globalmente. Com este último anúncio, a Amazon é agora um dos maiores compradores corporativos de energia renovável na Europa, com mais de 2,5 GW de capacidade de energia renovável, o suficiente para abastecer mais de 2 milhões de lares europeus por ano. Todos esses projetos colocam a Amazon no caminho de abastecer 100% de suas atividades com energia renovável até 2025 – cinco anos antes da meta original de 2030. (Energy Global – 20.04.2021)

<topo>

7 Energia eólica offshore abasteceu 39% das residências do Reino Unido em 2020

O setor eólico offshore do Reino Unido gerou eletricidade suficiente para abastecer 39% das residências do Reino Unido (40,7 TWh) em 2020, contra 30% (32 TWh) em 2019. De acordo com o nono Relatório Operacional de Eólica Offshore do The Crown Estate, o mercado está progredindo a um ritmo acelerado para entregar um pipeline forte e sustentável em apoio às ambições de zerar as emissões líquidas do país. O estudo descobriu que 3.000 turbinas estão agora em operação (76%) ou construção (24%), uma jornada notável desde quando a primeira turbina foi instalada, há pouco mais de 20 anos. (Renews – 21.04.2021)

<topo>

8 Usina de gás natural que não lança gases do efeito estufa no ar é ‘aposta verde’ nos EUA

Um novo tipo de usina que não lança gases de efeito estufa na atmosfera está sendo construído nos Estados Unidos, fornecendo uma alternativa para as concessionárias de energia continuarem queimando gás natural sem contribuir para o aquecimento global. A Net Power pretende construir duas usinas de gás natural nos EUA que terão todas as suas emissões capturadas e enterradas no subsolo. A startup licenciou sua tecnologia para o desenvolvedor 8 Rivers Capital LLC, que trabalhará com a gigante da agricultura Archer-Daniels-Midlands Co. para substituir emissões de uma usina de carvão em Illinois. (O Globo – 21.04.2021)


<topo>

9 Energisa lança ferramenta para monitorar redução de GEE

O Grupo Energisa está lançando o Descarbonômetro, um monitor online que permite acompanhar hora a hora a redução da emissão de gases de efeito estufa decorrente do maior programa de desligamento de usinas termelétricas do país. O projeto de desativação das térmicas teve início em 2019 e tem previsão para desligar até 2025, 19 plantas. Segundo a companhia, no total será investido R$ 1,2 bilhão, retirando de operação 169 MW de plantas diesel, mais caras e poluentes, gerando uma economia anual de R$ 665 milhões. No Descarbonômetro é possível acompanhar a quantidade de CO2 evitado, as plantas desativadas, a potência descomissionada e o custo evitado, dentre outras informações, detalhadas por localidade atendida na Amazônia. (CanalEnergia – 22.04.2021)

<topo>

10 CNPE propõe diretrizes para o Programa Nacional do Hidrogênio

O Conselho Nacional de Política Energética (CNPE), em reunião realizada na terça-feira (20/4), propôs a elaboração de diretrizes para o Programa Nacional do Hidrogênio. Para a consolidação da economia do hidrogênio, pressupõe-se o desenvolvimento de uma infraestrutura de produção, armazenamento, transporte e distribuição do hidrogênio, pelo lado da oferta. Para fazer frente a esse desafio, são necessárias novas normas de segurança, novos desenhos regulatórios e todo um arcabouço que permita ao hidrogênio alcançar níveis de competitividade que abram caminho para o uso em grande escala. Portanto, essa Resolução do CNPE abre caminho para proposição de diretrizes para o Programa Nacional do Hidrogênio, a ser publicada em 60 dias, em cooperação com os Ministérios de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e Desenvolvimento Regional (MDR), com apoio da Empresa de Pesquisa Energética (EPE). (MME – 20.04.2021)

<topo>

11 Bolsonaro diz que Brasil se tornará neutro em carbono até 2030

Na Cúpula de Líderes sobre o Clima (22/04), o presidente do Brasil se comprometeu em reduzir as emissões de dióxido de carbono em 37% até 2025 e em até 43% até 2030 e destacou que o Brasil “está na vanguarda do enfrentamento do aquecimento global”. O presidente acrescentou que a neutralidade climática do país será alcançada até 2050 e entre as medidas necessárias, se comprometeu em eliminar o desmatamento ilegal até 2030. A mudança de tom no discurso do presidente é uma sinalização às cobranças internacionais e antecede a 26ª Conferência sobre o Clima, a COP-26, a ser realizada em Glasgow, na Escócia, onde o Brasil será cobrado por ações mais contundentes sobre o clima. (Agência CanalEnergia – 22.04.2021)

<topo>

 

 

Geração Distribuída

1 Compra da AES Inova pela EDP Grid é autorizada

O Cade aprovou, sem restrições, a compra da plataforma de Geração Distribuída (GD) AES Inova, pela EDP Grid. Esta operação tem valor estimado de R$ 177 milhões, sendo aproximadamente R$ 101,7 milhões referentes ao valor do ativo e o restante em investimentos para o desenvolvimento de projetos. (Broadcast Energia – 19.04.2021)

<topo>

2 Piauí investe R$ 1,4 mi em sistemas fotovoltaicos para agricultores familiares

A Secretaria de Estado da Agricultura Familiar (SAF) do governo do Piauí investiu R$ 1,44 milhão em 18 projetos de implantação de sistemas fotovoltaicos. A geração de energia reduz os custos de produção de agricultores familiares. Os principais investimentos são por meio do Projeto Viva o Semiárido (PVSA) e do Programa de Geração de Emprego e Renda no Meio Rural (Progere II). No total, mais de 1.980 famílias de agricultores já foram beneficiadas, em diversos municípios do estado. Está prevista para este ano a implantação de 910 módulos fotovoltaicos para bombeamento de água para quem tem subsídio de energia para irrigação. O recurso, no valor de R$ 11,5 milhões, será financiado pelo Fundo Estadual de Combate à Pobreza (Fecop). (Brasil Energia – 19.04.2021)

<topo>

3 Tim investe em off-grids solares para levar 4G a regiões remotas

Visando avançar com seu plano de expansão da cobertura 4G a todos municípios brasileiros até 2023, a Tim optou pela implementação de sites off-grid envolvendo painéis solares e baterias de lítio para abastecer suas novas torres e antenas, localizadas em áreas de difícil acesso e sem energia elétrica disponível. Os dois primeiros off-grids estão localizados em São Paulo e foram ativados em parceria com a Highline. Um fica em Presidente Bernardes, região Oeste do Estado, fornecendo cobertura 4G para parte da BR 374 (Rodovia Castelo Branco). O outro fica em General Salgado, Centro Oeste paulista, atendendo a SP 463. Outros 13 sistemas também estão em fase de implementação nos estados de São Paulo, Santa Catarina, Pará e Acre – os três últimos em parceria com a IHS e a Winity. (CanalEnergia – 19.04.2021)

<topo>

4 Marcelo Ramos: projeto sobre geração distribuída foi construído sob falso pretexto de taxar Sol

O vice-presidente da Câmara, Marcelo Ramos (PL-AM), disse que o projeto de lei sobre geração distribuída foi construído sob o falso pretexto de “taxar o sol”. A proposta, relatada pelo deputado Lafayette de Andrada (Republicanos-MG), mantém os subsídios cruzados embutidos nas tarifas para quem investe na tecnologia e deve ser pautada em breve no plenário. Ramos avalia que o relatório deve ser melhorado antes que a proposta seja votada em plenário. “Não sou contra a energia solar. Mas a discussão aqui é taxar pobre para conta de rico”, afirmou. O custo mínimo para instalar painéis solares sobre o telhado é de R$ 15 mil, e o desconto na conta de luz pode chegar a 90% – custo que é repassado para a conta de luz daqueles que não possuem ou não podem pagar pela geração distribuída. (Broadcast Energia – 21.04.2021)

<topo>

5 Blue Sol projeta dobrar vendas de sistemas fotovoltaicos em 2021

A Blue Sol Energia Solar, empresa criada em 2009 que desenvolve projetos, instala sistemas fotovoltaicos e capacita profissionais para o mercado, prevê forte expansão este ano. Os negócios da empresa atraíram a EDP Brasil, que em março adquiriu 40% de participação na companhia. Com relação aos sistemas fotovoltaicos de geração distribuída, a empresa planeja mais do que dobrar as vendas, de quase 1.400 unidades (21 MW) no ano passado para mais de 2.800 e pelo menos 46 MW de capacidade instalada em 2021. A companhia vinha crescendo quase 100% ao ano nos últimos cinco anos. No entanto, em 2020, com a pandemia, as vendas da empresa caíram 12% em relação a 2019. (Brasil Energia – 21.04.2021)

<topo>

6 Financiamento solar global atinge US$ 8,1 bi no primeiro trimestre

O financiamento corporativo global para o setor de energia solar no primeiro trimestre de 2021 chegou a US$ 8,1 bilhões em 36 negócios, segundo levantamento da consultoria Mercom Capital Group. Isso representa um aumento de 21% em comparação com os US$ 6,7 bilhões levantados em 43 negócios no quarto trimestre de 2020. O resultado é 4,2 vezes maior do que o registrado em igual período do ano passado, quando o mercado foi fortemente impactado pelo início da pandemia de Covid-19 e o total financiado foi de US$ 1,9 bilhão. Já com relação a aquisições de projetos solares de grande escala, a consultoria identificou 82 transações (14,6 GW) no primeiro trimestre de 2021, contra 83 (15,2 GW) no quarto trimestre de 2020. Os desenvolvedores de projetos e os produtores independentes de energia foram os adquirentes mais ativos, seguidos por firmas e fundos de investimento. (Brasil Energia – 23.04.2021)

<topo>

7 Mercado privado é o principal financiador de energia solar no primeiro trimestre

O financiamento de energia solar está crescendo cada vez mais nos últimos anos. isso é um fato perceptível, uma vez que o resultado dos primeiros meses do ano é 4,2 vezes maior do que o registrado em igual período de 2020, com um total de US$ 8,1 bilhões em 36 negócios, segundo análise da Mercom Capital Group. Portanto, apesar do aumento considerável, é válido destacar que os financiamentos estão crescendo pelo mercado privado, pois o financiamento do mercado público caiu ligeiramente, com US$ 2,8 bilhões levantados em oito negócios no primeiro trimestre, uma redução de 7% em comparação com US$ 3 bilhões levantados em 17 negócios no quarto trimestre do ano passado. (Brasil Energia – 23.04.2021)

<topo>

 

 

Armazenamento de Energia

1 Região das Américas vai liderar o mercado global de armazenamento em 2025

Uma pesquisa feita pela Wood Mackenzie mostrou que a região das Américas ultrapassará a Ásia-Pacífico até 2025 para liderar o mercado global de armazenamento, com uma capacidade total de 371 GWh em 2030. A maior parte do crescimento virá dos Estados Unidos. A China ficará em segundo lugar com 150 GWh, enquanto o Japão ficará em terceiro com 25 GWh até o final da década. A desaceleração na Ásia-Pacífico se deve em parte aos desafios de incentivos de mercado. Embora a região tenha liderado o mercado global de armazenamento no ano passado, atingindo 13 GWh, o crescimento se baseou principalmente em projetos pilotos, subsídios governamentais e requisitos de interconexão de rede na última década. O estudo aponta que sem um forte apoio político, será difícil expandir o segmento. (CanalEnergia – 20.04.2021)

<topo>

2 Highview traz um parceiro para fornecer armazenamento de 50 MW

A Highview Power escolheu a MAN Energy Solutions para fornecer equipamentos essenciais para uma planta de armazenamento de energia de ar líquido (LAES) de 50 MW, que está sendo construída na Grande Manchester, no Reino Unido. O CEO da Highview Power, Javier Cavada, disse: “A MAN é muito respeitada na indústria e tem um histórico impressionante de construção de grandes ativos de energia. Estamos orgulhosos de trabalhar com eles neste projeto significativo”. A construção da CRYOBattery começou no final de 2020, com operação comercial planejada para 2022. A Highview Power irá operar a instalação em parceria com a Carlton Power, uma desenvolvedora independente de usinas de energia do Reino Unido. (Renews – 20.04.2021)

<topo>

3 Atlas anuncia acordo de colaboração com a Hitachi ABB Power Grids

A Atlas Renewable Energy assinou um Acordo de Colaboração com a Hitachi ABB Power Grids, visando o desenvolvimento e execução em conjunto de Sistemas de Armazenamento de Energia por Bateria (BESS) de grande porte para projetos de energia renovável da empresa. A parceria permitirá à Hitachi auxiliar no desenvolvimento das melhores soluções técnicas relativas ao BESS e sua interconexão durante o desenvolvimento de um novo projeto. O principal objetivo é garantir que esses sistemas possam ser integrados com sucesso na concepção de novas iniciativas durante o estágio inicial de desenvolvimento, como um complemento para a usina, conforme as necessidades que cada ativo atenderá. A ideia da Atlas é fornecer uma solução ainda mais personalizada para os clientes com alto consumo energético, cujas necessidades podem ser diferentes e a intermitência das fontes renováveis ainda pode ser uma grande preocupação, agregando valores de confiabilidade e eficiência. (CanalEnergia – 23.04.2021)

<topo>

4 Gore Street levanta investimentos em armazenamento

O Gore Street Energy Storage Fund levantou £ 135 milhões por meio de uma emissão de ações, com os rendimentos a serem usados para financiar mais investimentos em armazenamento. Um total de 132.352.941 novas ações ordinárias foram emitidas ao preço de £ 1,02 por ação. O presidente-executivo da Gore Street Capital, O’Cinneide, disse: “Acreditamos que isso reflete a compreensão generalizada do papel cada vez maior do armazenamento de energia na segurança energética nacional e o papel da Gore Street Capital como gestor de investimentos líder neste setor único, em um momento em que nunca houve um macroambiente mais atraente para o investimento no ativo”. (Renews – 23.04.2021)

<topo>

 

 

Mobilidade Elétrica

1 GM e LG anunciam 2ª fábrica de baterias

A produção de baterias para carros elétricos vai contar com um novo reforço. A GM e a LG Chem, anunciaram oficialmente que sua joint venture Ultium Cells LLC construirá a segunda fábrica de células de bateria de íon-lítio nos Estados Unidos (a primeira está em construção em Lordstown, Ohio). O objetivo é “aumentar significativamente a capacidade da GM de liderar a produção de baterias em grande escala”. Este novo investimento, de US$ 2,3 bilhões, que já era esperado desde março, pelo menos, começará imediatamente a preparar o novo local para a produção de baterias já no final de 2023. A GM e a LG Energy Solution escolheram Spring Hill, Tennessee como o local para a fábrica de baterias. De acordo com o comunicado à imprensa, a planta produzirá células em formato ‘pack’ que a GM utilizará em kits de bateria Ultium (geralmente de 50 a 200 kWh para uma autonomia de até 720 km). (Inside EVs – 19.04.2021)

<topo>

2 Governadores dos EUA pedem que o governo Biden apoie a mobilidade limpa

Doze governadores dos EUA instaram a administração Biden a apoiar a mudança para o transporte limpo, criando impulso para veículos de emissão zero, como aqueles movidos a hidrogênio, e infraestrutura de apoio. Assinada pelos governadores da Califórnia, Connecticut, Havaí, Maine, Massachusetts, Nova Jersey, Nova York, Novo México, Carolina do Norte, Oregon, Rhode Island e Washington, a carta reconhece que a corrida para liderar a revolução da produção com emissão zero começou. Os governadores assinantes fazem pedidos à Administração Biden para estabelecer padrões e assim garantir que todos os novos carros de passageiros e caminhões leves vendidos tenham emissão zero até 2035, com marcos significativos ao longo do caminho para monitorar o progresso, além de investimentos em infraestrutura, para atingir a meta de tornar o setor 100% emissões zero até 2045. (H2 View- 21.04.2021)

<topo>

3 WEG: ônibus solar percorreu 100mil km sem combustível

O ônibus solar da WEG, em parceria com a UFSC, já percorreu mais de 100 mil quilômetros sem utilizar nenhum combustível. Isso ocorre devido a captação de energia solar, fazendo com que não seja necessário nem sequer uma gota de gasolina. O ônibus solar, também chamado de eBus, está sendo utilizado desde 2017, realizando um percurso de cerca de 50km entre o campus da UFSC e o Centro de Pesquisa e Capacitação em Energia Solar Fotovoltaica. Atualmente, mais de 30 mil passageiros foram transportados no ônibus solar, entre eles professores, alunos e também colaboradores da instituição. (Engenharia Hoje – 24.02.2021)

<topo>

4 CNPE aprova resolução que cria o Programa Combustível do Futuro

O Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) aprovou a resolução que institui o Programa Combustível do Futuro, que tem como princípio o uso de fontes alternativas de energia e o fortalecimento do desenvolvimento tecnológico nacional. O programa tem como objetivo propor medidas para incrementar o uso de combustíveis sustentáveis e de baixa intensidade de carbono, bem como a aplicação de tecnologia veicular nacional, com biocombustíveis, com vistas a maior descarbonização da nossa matriz de transporte, e propõe medidas para o desenvolvimento de todo o arcabouço legal e regulatório, hoje inexistente, para a tecnologia de captura e armazenagem de gás carbônico, seja na produção de biocombustíveis ou na de hidrogênio azul. (MME – 20.04.2021)

<topo>

5 Eletromobilidade desafia indústria no Brasil

Sob o ponto de vista do mercado de eletromobilidade, o Brasil enfrenta problemas iguais aos de outros emergentes. Os carros 100% elétricos disponíveis são importados e caros para os padrões da maioria dos consumidores. O custo elevado inviabiliza a produção local e, para piorar, falta infraestrutura para carregamento de baterias. São questões que demandam esforço conjunto, de governos e setor privado, e, principalmente, recursos. Não há planos, no curto ou médio prazos, para produção de carros 100% elétricos no país. A boa notícia é que a expansão do uso dos veículos elétricos, reforçada, agora, pelos EUA, fará o custo do carro elétrico cair, o que, consequentemente, pode favorecer sua comercialização em países como o Brasil, afirma Jaime Ardila, especialista em indústria automobilística e fundador do Hawksbill Group, consultoria internacional com sede nos EUA. (Valor Econômico – 26.04.2021)

<topo>

6 Renault: parcerias para expandir estações de recarga

As montadoras que oferecem veículos elétricos no mercado brasileiro têm buscado cada vez mais firmar parcerias com empresas ligadas ao setor elétrico, como forma de melhorar a infraestrutura para recarga de baterias. A montadora francesa Renault uniu-se à brasileira WEG, uma das maiores fabricantes de equipamentos eletroeletrônicos do mundo, e com a portuguesa EDP, empresa de transmissão e comercialização de energia. A WEG fornecerá as estações de recarga para VEs e a EDP será responsável pelas vistorias e pela instalação dos equipamentos. As estações serão colocadas em concessionárias Renault, frotistas e residências de consumidores. (Valor Econômico – 22.04.2021)

<topo>

 

 

Gestão e Resposta da Demanda

1 Neoenergia lança aplicativo com conteúdos sobre Eficiência Energética

A Neoenergia está lançando um aplicativo onde os clientes podem ter acesso simplificado aos materiais de diversos projetos dos programas de Eficiência Energética das distribuidoras Coelba (BA), Celpe (PE), Elektro (SP/MS) e Cosern (RN), regulados pela Aneel. Denominado de Publicações Neoenergia, a ferramenta, que já está disponível para download no iOS e Android, reúne em um só local diversos conteúdos informativos e educacionais sobre o uso eficiente de energia, entre publicações mensais, manuais e folhetos, incluindo materiais para o público infantil. O público também poderá visualizar as publicações trimestrais da revista de Eficiência Energética, que traz os principais destaques realizados pelo programa no período. Por fim, no aplicativo, existe o Manual de Consumo Consciente de Energia, com as principais orientações e informações que contribuem para o bom uso dos eletrodomésticos e eletrônicos, assim como orientação sobre os hábitos diários que impactam no consumo de energia. (CanalEnergia – 20.04.2021)

<topo>

 

 

Digitalização

1 CEB-D utiliza tecnologia para manutenção do sistema de distribuição

A CEB-D está utilizando tecnologia para conectar equipes que estão em campo com especialistas nas sedes das outras distribuidoras do grupo, proporcionando assim, maior agilidade nos processos. Usando uma ferramenta de realidade aumentada, técnicos da companhia utilizam um dispositivo semelhante a óculos, que possui câmera de alta resolução, visor de cristal líquido e conexão à internet, para realizar atividades de inspeção de subestações. Segundo a CEB-D, a tecnologia está sendo utilizada para as inspeções preventivas das suas 42 subestações. As imagens captadas são enviadas em tempo real para análise de engenheiros especializados que se encontram nas cidades de Salvador, na Bahia, e em Campinas, São Paulo. A mesma inovação será utilizada, ainda em 2021, também para inspeção das redes subterrâneas. (CanalEnergia – 20.04.2021)

<topo>

2 Startup Miio: pagamentos pontuais e sem cartão para o carregamento de VEs

A startup portuguesa Miio lançou uma nova funcionalidade de pagamento de carregamentos de veículos elétricos, que dispensa cartões ou contrato de adesão a um serviço de um comercializador de eletricidade para a mobilidade elétrica. Chama-se Miio Pay e coloca o pagamento pelo carregamento de um veículo elétrico em um aplicativo de smartphone. A startup portuguesa responsável pela funcionalidade, explica que dessa forma será possível fazer o pagamento no ato do carregamento do veículo, em toda a rede pública, quase como abastecer um carro em uma bomba de combustível. A Miio, que já conta com 27 mil usuários em Portugal, destaca que a aposta na nova solução tem como objetivo proporcionar uma maior “comodidade e transparência aos usuários de veículos elétricos”. Por enquanto, esta funcionalidade só está disponível para usuários beta do serviço. A partir de 30 de abril estará disponível para o público em geral. (Jornal de Negócios – 04.2021)

<topo>

3 Sensoriamento remoto reduz custos no setor elétrico

Com objetivo de reduzir custos e planejar melhor as operações de geração e distribuição de energia elétrica no Brasil, as aplicações tecnológicas de sensoriamento remoto por meio de informações de satélites e nano satélites têm sido cada vez mais procuradas por diversas empresas do setor elétrico. O sistema utiliza técnicas de armazenamento e computação na nuvem com uma interface web para visualização e consulta dos dados gerados aos clientes. Atualmente a Fundação Certi, de Santa Catarina, está trabalhando no desenvolvimento de dois projetos, um de monitoramento ambiental, incluindo a medição da qualidade da água de reservatório de usinas, e o outro de controle da vegetação para evitar danos nas redes e em linhas de distribuição e quedas de fornecimento aos consumidores finais. A mesma tecnologia também pode monitorar o nível hídrico dos reservatórios e de precipitação. (CanalEnergia – 23.04.2021)

<topo>

 

 

Eventos

1 GESEL/KAS: Workshop “Mobilidade Elétrica no Processo de Transição Energética”

O GESEL, juntamente com a Fundação Konrad Adenauer (KAS), por meio de seu Programa Regional Segurança Energética e Mudança Climática na América Latina (EKLA), convidam para o Workshop “Mobilidade Elétrica no Processo de Transição Energética”, no próximo dia 03 de maio (segunda-feira), das 11:30h às 13h. O objetivo desse evento é discutir possíveis impactos e necessidades de investimento no setor elétrico advindos da eletrificação do setor de transportes. O evento terá abertura de Anuska Soares (Coordenadora de Projetos do Programa Regional Segurança Energética e Mudanças Climáticas na América Latina – EKLA) e Nivalde José de Castro (Coordenador do GESEL). A moderação será de Heloisa Schneider (Consultora em Sustentabilidade e Mudança Climática) e os três palestrantes serão: Ricardo Raineri (Membro do Grupo de Trabalho Técnico do Diálogo de Alto Nível sobre Transição de Energia da UN DESA); Carlos Echevarría (Especialista Regional Líder em Energia do BID no Brasil); Rachel Martins Henriques (Consultora Técnica da Área de Biocombustíveis da Empresa de Pesquisa Energética – EPE). Faça a inscrição aqui. (GESEL-IE-UFRJ – 26.04.2021)

<topo>

2 GESEL: Curso Cibersegurança Para o Setor Elétrico: Formação Executiva

O curso de Cibersegurança Para o Setor Elétrico, uma parceria GESEL e Senai-Cimatec, traz uma didática inovadora para a abordagem prática sobre as responsabilidades das lideranças e da alta gestão na operação crítica dos sistemas elétricos, dados e informações, estudo dos cenários atual e futuro com ênfase em riscos e ameaças cibernéticas considerando as transformações do setor elétrico. A formação executiva proporcionará uma imersão nos meios de cooperação, prevenção e resposta a incidentes cibernéticos, com base em aspectos estratégicos, operacionais e de tecnologia da informação e tecnologia de automação. Será desenvolvido um estudo dirigido com mentoria especializada e simulação de condições reais para aplicação futura dos conhecimentos nas empresas elétricas. A primeira turma terá início em maio de 2021. Serão 16 horas, divididas em 7 encontros remotos ao vivo, ricos em debates críticos com especialistas e profissionais de renome no mercado. Para mais informações, entre em contato conosco através do ciberseguranca@fieb.org.br ou do telefone (71) 98341-2033. Faça agora sua inscrição aqui. (GESEL-IE-UFRJ – 26.04.2021)

<topo>

 

 

Artigos e Estudos

1 Artigo de André Clark: “A nova diplomacia global do carbono”

Em artigo publicado pela Agência CanalEnergia, André Clark, General Manager da Siemens Energy Brasil, analisa como os intercâmbios de carbono serão representados nas novas diplomacias internacionais. Segundo o autor, “diante da alta carga tributária brasileira, não há espaço para a criação de mais um imposto e, dessa forma, a precificação de carbono é a melhor das alternativas postas à mesa. A boa notícia é que somos um “powerhouse” nessa questão e temos a faca e o queijo na mão para adotar o modelo de precificação com integridade climática, governança transparente e participativa”. Para ler o texto na íntegra, clique aqui. (GESEL-IE-UFRJ – 20.04.2021)

<topo>

2 Artigo de Daniela Chiaretti: “Biden almeja uma revolução energética”

Em artigo publicado no Valor Econômico, Daniela Chiaretti, repórter especial de Ambiente do Valor desde 2005, trata sobre as expectativas do governo americano sobre as revoluções energéticas. Segundo a autora, “o democrata se comprometeu em descarbonizar a economia americana até 2050. Este movimento se fundamenta em dois pilares. No primeiro, promove a transformação da matriz energética a partir de recursos públicos. O setor elétrico, por exemplo, será livre em carbono até 2035. Não é um esforço trivial. A maior parte das emissões americanas vem da matriz energética baseada em petróleo e da agricultura”. Para ler o texto na íntegra, clique aqui. (GESEL-IE-UFRJ – 22.04.2021)

<topo>

3 Artigo: “Autoprodutor de Energia Elétrica e Operações com Criptomoedas”

Em artigo publicado na Agência CanalEnergia, Einar Tribuci, advogado fundador do Tribuci Advogados, Frederico Boschin, advogado especialista no mercado de energia e diretor da Noale Energia, e Fábio Azevedo, engenheiro eletricista e fundador da MERX Comercializadora e Consultoria, tratam dos autoprodutores de energia e as operações com criptomoedas. Segundo os autores, “uma ampla gama de possibilidades e novas oportunidades de negócios surgem como opção aos grandes consumidores em gerar sua própria energia como autoprodutor e transacionar seus excedentes com maior liberdade e agilidade”. Eles concluem que “em um futuro próximo, a integração com a tecnologia Blockchain além de possibilitar as moedas virtuais, em nosso caso Bitcoin, também nos permitirá a aplicação de Smart Contracts, assim considerados os contratos inteligentes baseados em Blockchain, e que codificam a negociação, liquidação e pagamento automatizados para o fornecimento de energia, enquanto recompensam os usuários da rede por seu papel no equilíbrio do sistema”. Para ler o texto na íntegra, clique aqui. (GESEL-IE-UFRJ – 22.04.2021)

<topo>

4 Artigo GESEL: Perspectivas para o Mercado Brasileiro de VEs

Em artigo publicado na Agência CanalEnergia, Luiz Ozorio (Pesquisador pleno do GESEL), Camila Ludovique (Pesquisadora do GESEL), Daniel Ferreira (Pesquisador associado do GESEL), Lillian Monteath (Pesquisadora plena do GESEL), Arthur Tavares (Pesquisador associado do GESEL) e Roberto Brandão (Pesquisador sênior do GESEL) avaliam as perspectivas para o mercado brasileiro de veículos elétricos, observando seu processo de difusão no mundo e os desafios que devem ser enfrentados para seu desenvolvimento no Brasil. Eles afirmam que “após anos de investimento e espera, diversos elementos apontam que a tecnologia dos veículos elétricos (VE) intensificou sua difusão e que, nas próximas duas décadas, será verificada a gradativa substituição dos veículos à combustão (VC) pelos eletrificados. Para ler o texto na íntegra, clique aqui. (GESEL-IE-UFRJ – 26.04.2021)

<topo>

5 Artigo de Marisa Zampolli sobre o uso de Digital Twin nas indústrias durante a pandemia

Em artigo publicada na Agência CanalEnergia, Marisa Zampolli, CEO da MM Soluções Integradas e engenheira elétrica, trata sobre o uso do Digital Twin nas indústrias durante a pandemia. Segundo a autora, no setor elétrico, soluções integradas facilitam o processo, visto que as principais tecnologias envolvidas dizem respeito à interoperabilidade de sistemas, utilização de padrões internacionais de semântica dos dados, fusão, analíticos e Inteligência Artificial. O Digital Twin possibilita a exibição de este conhecimento por dashboards e ‘interfaces’ tridimensionais e realidade virtual ou aumentada. Para ler o texto na íntegra, clique aqui. (GESEL-IE-UFRJ – 26.04.2021)

<topo>


Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Lorrane Câmara e Luiza Masseno
Pesquisadores: Monique Coimbra e
Walas Júnior
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

As notícias divulgadas no IFE não refletem necessariamente os pontos da UFRJ. As informações que apresentam como fonte UFRJ são de responsabilidade da equipe de pesquisa sobre o Setor Elétrico, vinculada ao NUCA do Instituto de Economia da UFRJ.

POLÍTICA DE PRIVACIDADE E SIGILO
Respeitamos sua privacidade. Caso você não deseje mais receber nossos e-mails,  Clique aqui e envie-nos uma mensagem solicitando o descadastrado do seu e-mail de nosso mailing.


Copyright UFRJ

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: