IFE.TEX 38

Informativo Eletrônico – Tecnologias Exponenciais nº 38 – publicado em 09 de abril de 2021.

IFE: Informativo Eletrônico de Tecnologias Exponenciais – GESEL-UFRJ <!–

l

IFE: nº 38 – 09 de abril de 2021
http://gesel.ie.ufrj.br/
gesel@gesel.ie.ufrj.br

Editor: Prof. Nivalde J. de Castro

Índice

Transição Energética
1
Líderes prometem ação de energia limpa na Cúpula IEA-COP26 Net Zero
2 Ministros e CEOs enfatizam a necessidade de frear estagnação em eficiência energética
3 GWEC: Brasil sustentará 37% da expansão eólica na América Latina até 2025
4 IEA: Projeto para descarbonizar o transporte marítimo
5 Energia eólica e solar provocam queda na geração global a carvão
6 Casa Branca anuncia plano ambicioso para expandir parques eólicos nos EUA
7 Estudo indica que 20% das empresas públicas do mundo fixaram metas de emissões zero
8 Instalação anual global de eólica foi recorde em 2020, diz Wood Mackenzie
9 Tecnologia de balanceamento de rede lançada pela Wärtsilä
10 Representantes permanentes discutem a transição de energia acelerada de acordo com IRENA Outlook

Geração Distribuída
1 Câmara aprova doação de crédito de energia de microgeradores a atividades essenciais
2 Trina Solar comemora bons resultados obtidos em 2020
3 Renovigi mira recuperação de vendas no segundo semestre
4 Energia solar fotovoltaica conquista setor supermercadista
5 Diretor da Greener destaca a evolução do setor fotovoltáico no Brasil
6 Absolar: economia em hospitais com doação de créditos de energia
7 Zurich lança seguro para instalação e montagem de painéis solares
8 Área técnica da Aneel propõe reduzir incentivos regulatórios para geração distribuída

9 Espírito Santo incentiva GD fotovoltaica

10 Sunrun mantém o título de maior instalador solar residencial dos EUA

Armazenamento de Energia
1 Projeto híbrido de energia eólica e armazenamento é colocado em operação
2 Baterias Gore Street iniciam operações
3 Azelio: armazenamento de energia para projeto sueco

4 Bateria de diamantes e energia nuclear com duração de 28 mil anos

Mobilidade Elétrica
1 Prédios novos em São Paulo terão que instalar carregadores de VEs
2 EUA: pacote de US$ 2 tri em infraestrutura abarca mobilidade elétrica
3 EUA: cientistas pedem fortes padrões de emissões de automóveis
4 Naturgy planeja a construção de mais de 1.100 pontos de recarga renovável na Espanha

Digitalização
1 Processamento de dados em nuvem é tendência em alta no cenário mundial de energia
2 Oi Soluções lança serviço que auxilia empresas no controle do consumo de energia
3 CEB-D adota self-healing na rede
4 Grupo Safira entra na GD solar de olho na digitalização do setor

5 Amazon e ABB se juntam para revolucionar gestão de frotas elétricas
6 3E lança novas soluções digitais para indústria renovável
7 Clientes de bancos digitais podem pagar conta de luz e tributos no app

Eventos
1 GESEL: Webinar “Viabilizando investimentos em usinas hidrelétricas reversíveis no Brasil”

Artigos e Estudos
1 Artigo GESEL: “A Evolução da tecnologia 5G e o Setor Elétrico”
2 IRENA: Estatísticas de capacidade renovável 2021


 

 

Transição Energética

1 Líderes prometem ação de energia limpa na Cúpula IEA-COP26 Net Zero

Os principais líderes internacionais de energia e clima de mais de 40 países participaram da Cúpula IEA-COP26 Net Zero (31/03/2021) para identificar como colaborar para reduzir as emissões globais de gases de efeito estufa e cumprir as metas do Acordo de Paris. A Cúpula, organizada pelo Diretor Executivo da IEA, Fatih Birol, e pelo Presidente da COP26, Alok Sharma, reuniu representantes de alto nível de ministérios de energia e clima de países como Austrália, Brasil, China, Colômbia, União Europeia, França, Alemanha, Índia, Indonésia, Itália, Japão, África do Sul, Reino Unido e muitos outros. Participantes de uma ampla gama de grupos da sociedade civil, empresas privadas e instituições governamentais também participaram das discussões. Todas as sessões, assim como a agenda, estão disponíveis na página da Cúpula na Internet. Para ler o comunicado de imprensa completo, clique aqui. (GESEL – IE – UFRJ – 01.04.2021)

<topo>

2 Ministros e CEOs enfatizam a necessidade de frear estagnação em eficiência energética

No início desta semana, a 6ª Conferência Global Anual sobre Eficiência Energética reuniu palestrantes de alto nível para discutir o papel central que a eficiência energética desempenha na consecução de metas climáticas ambiciosas e como reverter sinais preocupantes de estagnação do progresso. Em seus comentários de abertura na conferência, o Diretor Executivo da IEA, Fatih Birol, destacou que as emissões globais de CO2 relacionadas à energia subiram acima dos níveis anteriores à pandemia de Covid no final de 2020 e que os ganhos do ano passado em eficiência energética foram os mais lentos em uma década. Os participantes incluíram ministros e outras personalidades governamentais de países e instituições, incluindo Canadá, China, União Europeia, Japão, Nigéria, Reino Unido, Estados Unidos e o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente. Leia um resumo do evento aqui. (IEA – 30.03.2021)

<topo>

3 GWEC: Brasil sustentará 37% da expansão eólica na América Latina até 2025

A GWEC projeta, na edição de 2021 do relatório anual sobre a fonte eólica, que o Brasil será o carro-chefe do setor eólico na América Latina, puxando ao menos 37% da expansão até 2025. O relatório mostra também que o Brasil mantém com folga a liderança latino-americana, com um acréscimo de 2,3 GW na capacidade instalada eólica no ano passado. O Brasil é o sétimo no mercado global e em 2020 perdeu apenas para China e Estados Unidos em termos de capacidade instalada. Em 2019, o país não chegou a estar na lista dos 10 primeiros. (Brasil Energia – 31.03.2021)

<topo>

4 IEA: Projeto para descarbonizar o transporte marítimo

O projeto H2ports, desenvolvido para acelerar o processo de transição energética da indústria portuária na Europa, tem como objetivo testar, avaliar e demonstrar novas tecnologias de células a combustível para descarbonizar os terminais portuários, aumentando a eficiência e segurança energética, além de realizar estudos de viabilidade para o desenvolvimento de uma cadeia de abastecimento de hidrogênio. O projeto teve início em 2019 e a previsão é que seja desenvolvido até 2022. Três iniciativas do projeto serão testadas no porto de Valência, Espanha. (IEA – 29.03.2021)

<topo>

5 Energia eólica e solar provocam queda na geração global a carvão

Um novo relatório do Ember revela que em 2020 houve uma queda recorde na geração a carvão em todo o mundo – exceto na China – impulsionada pela resiliência da energia solar e eólica. A pesquisa do think tank de energia revela que a eletricidade gerada por novas turbinas eólicas e painéis solares em 2020 (+315 TWh) contribuiu para forçar uma queda recorde na energia a carvão no mundo (-346 TWh). No entanto, Dave Jones, chefe global da Ember, adverte que devemos ir muito mais longe: “À medida que a demanda por eletricidade for retomada e aumentar, o mundo terá que fazer muito mais para garantir que o uso do carvão continue caindo”, diz ele. “O uso de carvão já está aumentando este ano na China, Índia e Estados Unidos, então o grande salto ainda está por vir.” (Energías Renovables – 29.03.2021)

<topo>

6 Casa Branca anuncia plano ambicioso para expandir parques eólicos nos EUA

A Casa Branca anunciou nesta segunda-feira (26) um plano ambicioso para expandir os parques eólicos ao longo da costa leste dos Estados Unidos e impulsionar a indústria eólica do país, como parte do grande esforço de energia limpa na luta contra as mudanças climáticas. O plano geraria 30 GW de energia eólica offshore até o fim da década – o suficiente para abastecer mais de 10 milhões de residências americanas e cortar 78 milhões de toneladas métricas de emissões de dióxido de carbono, segundo o jornal “Washington Post”. O governo Biden disse que irá acelerar a concessão de licenças para projetos na costa leste, investir em pesquisa e desenvolvimento, fornecer empréstimos a juros baixos para o setor e financiar mudanças nos portos dos EUA, sob o plano. (Valor Econômico – 29.03.2021)

<topo>

7 Estudo indica que 20% das empresas públicas do mundo fixaram metas de emissões zero

Um estudo desenvolvido pela organização Energy and Climate Intelligence Unit (ECIU) e pela Oxford Net Zero, iniciativa da Universidade de Oxford, indica que 21% das 2 mil maiores empresas públicas do mundo assumiram compromissos de zerar emissões de gases de efeito estufa, especialmente o CO2. No entanto, as entidades alertam para o risco de greenwashing, o descasamento entre o discurso verde e as práticas reais. (Brasil Energia – 30.03.2021)

<topo>

8 Instalação anual global de eólica foi recorde em 2020, diz Wood Mackenzie

Pesquisa da Wood Mackenzie indica que os 114 GW eólicos adicionados no mundo em 2020 representaram um aumento de 82% ano a ano. O montante foi a maior instalação anual global já registrada. A Administração Nacional de Energia da China informou a instalação de 72 GW de capacidade instalada em 2020 no país, o que, de acordo com a Wood Mackenzie, já seria a maior capacidade adicionada globalmente em um único ano. O total inclui projetos parcialmente concluídos, já que os desenvolvedores reivindicaram capacidade total para capitalizar o subsídio da energia eólica onshore antes de expirar no final do ano passado. O relatório mostra que fora a China, o resto do mundo adicionou quase 43 GW em 2020, um aumento de 15% em relação ao ano anterior. (Agência CanalEnergia – 30.03.2021)


<topo>

9 Tecnologia de balanceamento de rede lançada pela Wärtsilä

O grupo Wärtsilä lançou uma tecnologia de balanceamento de rede capaz de aumentar até 10 MW em 2 minutos para conectar as concessionárias a um futuro de energia 100% renovável com um menor custo. O lançamento ocorre enquanto a empresa destaca a necessidade de aumentar a flexibilidade dos ativos em todo o mundo, para permitir que seus sistemas de energia funcionem com eletricidade 100% renovável. A capacidade necessária para equilibrar a mudança do G20 para redes alimentadas por energias renováveis intermitentes deve vir de duas tecnologias principais: 2594 GW de armazenamento de energia e 933 GW de capacidade de energia flexível a gás, capaz de funcionar com combustíveis futuros. (Energy Global – 31.03.2021)

<topo>

10 Representantes permanentes discutem a transição de energia acelerada de acordo com IRENA Outlook

“O IRENA Outlook deixa claro que a janela de oportunidade é estreita”, disse o Diretor Geral da IRENA, Francesco La Camera , apresentando os resultados do World Energy Transitions Outlook aos Representantes Permanentes da Agência no terceiro “Renewables Talk”. A reunião, co-patrocinada pelos Emirados Árabes Unidos e moderada pela Representante Permanente do país na IRENA, Dra. Nawal Al Hosany , apresentou uma oportunidade para os Representantes Permanentes da IRENA compartilharem exemplos e experiências únicos de seus países em suas jornadas rumo à neutralidade de carbono. “O cenário de energia limpa permite a entrada de tecnologias de energia altamente eficientes, veículos elétricos e melhorias na eficiência energética em todos os setores”, disse a Sra. Hjayceelyn M. Quintana, Representante Permanente das Filipinas na IRENA. “As Filipinas estão comprometidas com ações antecipadas para colocar o país em uma trajetória de desenvolvimento de baixo carbono para evitar emissões futuras”. Para ver mais, clique aqui. (IRENA – 29.03.2021)

<topo>

 

 

Geração Distribuída

1 Câmara aprova doação de crédito de energia de microgeradores a atividades essenciais

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (31), um projeto que permite que micro e minigeradores de energia doem créditos de excesso de energia elétrica gerada para atividades essenciais por até 12 meses, após o fim do período de emergência de saúde pública motivada pela pandemia. Durante a análise da proposta, os deputados aprovaram uma emenda apresentada pelo Partido Novo que estabeleceu que todas as atividades essenciais poderiam ser contempladas com o benefício. O texto original previa que a medida seria destinada apenas a hospitais, asilos de idosos e outras entidades filantrópicas envolvidas no combate ao novo coronavírus. A partir da aprovação do destaque do Novo, a duração da medida foi estendida para até um ano após o fim da pandemia. (Valor Econômico – 31.03.2021)

<topo>

2 Trina Solar comemora bons resultados obtidos em 2020

A Trina Solar aumentou suas vendas no Brasil em 2020, atingindo mais de 850 MWp em painéis solares mesmo em um ano afetado pela pandemia do coronavírus. Em comparação com 2019, o aumento foi de cerca de 60%. O diretor-geral para a América Latina e Região do Caribe da Trina Solar, Álvaro García-Maltrás, disse que “O crescimento da empresa no Brasil deve-se ao resultado dos investimentos em tecnologia, à confiabilidade de nossos produtos certificados pelos mais importantes centros de Certificação do mundo e à nossa rede de parceiros locais. Estamos sempre buscando trazer para o mercado soluções que permitam gerar mais energia, de forma segura e sustentável para os mais diferentes desafios”. Para 2021, García-Maltrás aponta para o lançamento de novos produtos e tem a expectativa de crescer ainda mais dado seu enorme potencial. Outro produto destacado por ele são os trackers (rastreadores), que trazem um avanço tecnológico que tem sido avaliado de forma positiva pelo mercado, segundo a empresa. (Petronotícias – 31.03.2021)

<topo>

3 Renovigi mira recuperação de vendas no segundo semestre

Com o agravamento da pandemia em todo o país nesse final de primeiro trimestre, a Renovigi Energia Solar fez suas projeções e espera uma retração entre 10% a 15% no faturamento com as vendas de sistemas fotovoltaicos a partir de abril, refletindo um menor número de pedidos e instalações na comparação com o início do ano, mas mirando sua recuperação para o segundo semestre de 2021, em função do mercado estar aquecido para Geração Distribuída e haver uma demanda reprimida ainda do ano passado. (Agência CanalEnergia – 31.03.2021)

<topo>

4 Energia solar fotovoltaica conquista setor supermercadista

De acordo com a Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS), a conta de energia no setor já supera o valor do aluguel e só fica atrás da folha de pagamentos. Somente a conta de energia elétrica pode representar um gasto de R$ 3,5 bilhões no varejo supermercadista. Esses valores onerosos, segundo a ABRAS, acontecem principalmente se o estabelecimento possuir açougue e padaria próprios, devido ao uso de refrigeradores e fornos elétricos. Por possuírem grandes áreas livres nos telhados das lojas e nos estacionamentos, os supermercados são estabelecimentos ideais para a adoção de energia solar fotovoltaica, por meio de painéis solares. Além disso, pesquisas apontam que os consumidores dão preferência para empresas sustentáveis e a tendência é que o público as valorize cada vez mais. (G1– 01.04.2021)

<topo>

5 Diretor da Greener destaca a evolução do setor fotovoltáico no Brasil

Marcio Takata, diretor da Greener, destaca que a evolução do mercado deste setor, vem se dando com base na evolução tecnológica dos módulos fotovoltaicos, ampliando a eficiência e a competitividade da fonte no País. Esses são ingredientes fundamentais para o desenvolvimento da cadeia e para que a energia solar seja cada vez mais presente nas mais diversas aplicações por aqui. (Petronotícias – 31.03.2021)

<topo>

6 Absolar: economia em hospitais com doação de créditos de energia

A Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar) prevê que a aprovação do projeto de lei que permite a doação de créditos de energia distribuída às instituições que atuam diretamente no combate à pandemia de covid-19 pode gerar uma economia de R$ 17,48 milhões por mês a centros médicos e hospitais. O valor leva em consideração a transferência de até 5% dos créditos que são criados quando a quantidade de energia gerada por um usuário de energia distribuída em determinado mês é superior à energia consumida por ele. No caso da doação de 1% dos créditos, a economia mensal estimada para as instituições é de R$ 3,5 milhões. (Valor Econômico – 31.03.2021)

<topo>

7 Zurich lança seguro para instalação e montagem de painéis solares

A seguradora suíça Zurich lançou o Zurich4Power, seguro para instalação e montagem de painéis solares destinado tanto aos mercados de geração distribuída quanto aos de centralizada. O seguro cobre riscos relacionados à instalação, montagem e operação de painéis solares, seja para pessoas físicas ou empresas, de qualquer porte ou área de atuação. Para os clientes pessoa física, há cobertura para equipamentos e riscos de engenharia. Já para as empresas com projetos de geração centralizada, a apólice cobre os riscos de engenharia e responsabilidade civil e transporte. (Brasil Energia – 31.03.2021)

<topo>

8 Área técnica da Aneel propõe reduzir incentivos regulatórios para geração distribuída

A Superintendência de Regulação dos Serviços de Distribuição (SRD) da Aneel concluiu o resultado da Consulta Pública nº 25/20. O objetivo é propor uma revisão das regras do mercado de GD. Cinco cenários foram inicialmente apresentados para discussão, que vão desde deixar tudo como está até adotar a opção 5 como a nova regra de compensação dos créditos de energia. Na visão dos técnicos, a opção cinco é a única com potencial de neutralizar os efeitos da política de subsídios e da diferenciação tarifária existente. A “Nota Técnica n° 0030/2021-SRD/SGT/SRM/SRG/SCG/SMA/ANEEL”, datada de 30 de março de 2021, é assinada por 14 especialistas da Aneel e seis diferentes superintendências da Aneel, inclusive, com o “de acordo” dos seis superintendentes das áreas de distribuição, gestão tarifária, economia e estudos de mercado, geração e mediação administrativa. (Broadcast Energia – 01.04.2021)

<topo>

9 Espírito Santo incentiva GD fotovoltaica

Através do Programa de Geração de Energias Renováveis (Gerar), o estado do Espírito Santo irá incentivar a geração solar distribuída. Como sinal de que o estado mira o setor solar, os deputados estaduais aprovaram a isenção de ICMS para unidades consumidoras que aderiram ao sistema de compensação com microgeração ou minigeração distribuída de energia solar fotovoltaica com capacidade instalada de até 5 MW. “Os critérios para solicitação do incentivo estarão relacionados no decreto regulamentador”, afirmou o governo do estado, em comunicado. O programa Gerar será coordenado pela Secretaria da Ciência, Tecnologia, Inovação, Educação Profissional e Desenvolvimento Econômico (Sectides). (Brasil Energia – 01.04.2021)

<topo>

10 Sunrun mantém o título de maior instalador solar residencial dos EUA

Instaladores residenciais de energia solar sofreram com o ano de 2020, fortemente influenciados pela pandemia de Covid-19. O cenário competitivo mudou, e os principais instaladores não se recuperaram uniformemente em 2021. A Wood Mackenzie rastreou os principais instaladores e fornecedores de equipamentos comerciais e residenciais no mercado solar no Quadro de Classificação de PV dos EUA. Começando no topo do ranking, a Sunrun, de capital aberto, novamente terminou o ano como o maior instalador residencial em termos de capacidade instalada direta, capturando 14% de participação de mercado anual. O líder de mercado anunciou a aquisição da Vivint Solar – a segunda maior instaladora solar residencial – em julho de 2020 e fechou oficialmente o negócio em outubro. Após cinco anos consecutivos de queda de volumes e participação de mercado no segmento residencial, a Tesla se recuperou para alcançar crescimento e ganhos de participação de mercado em 2020. A empresa instalou 73 MW no quarto trimestre, marcando sua maior produção trimestral desde o terceiro trimestre de 2017. Para ver mais clique aqui. (Wood Mackenzie – 31.03.2021)

<topo>

 

 

Armazenamento de Energia

1 Projeto híbrido de energia eólica e armazenamento é colocado em operação

Em dezembro de 2020, o primeiro projeto híbrido de energia eólica e sistema de armazenamento de energia da Goldwind – O Projeto Lingbi na província de Anhui na China – foi concluído e colocado em operação. A capacidade de energia eólica aprovada para o Projeto Lingbi é de 50 MW. A subsidiária da Goldwind, Etechwin, fornece ao projeto o sistema de armazenamento de energia de 10 MW / 10 MWh, incluindo sistema de controle combinado de armazenamento de vento, 5 conjuntos de contêineres de bateria LFP de 40 pés e 5 cabines pré-fabricadas de controle elétrico integrado para armazenamento de energia, conversão de energia e aumento de pressão. (REVE – 01.04.2021)

<topo>

2 Baterias Gore Street iniciam operações

Um par de baterias de rede de 50 MW na Irlanda do Norte, de propriedade da Gore Street, iniciou suas operações, elevando o portfólio de ativos operacionais do investidor para 210 MW. Os ativos Mullavilly e Drumkee foram concluídos dentro do orçamento e a tempo para começar a obter receitas com os contratos DS3 da Irlanda do Norte, afirmou a empresa. Conforme orientado anteriormente em 17 de novembro de 2020, os contratos DS3 disponíveis para as baterias Mullavilly e Drumkee têm perfis de retorno atraentes, provavelmente “consideravelmente mais altos” do que a meta de taxa interna de retorno desalavancada de 10% da Empresa para ativos de portfólio. (Renews – 30.03.2021)

<topo>

3 Azelio: armazenamento de energia para projeto sueco

A empresa sueca de armazenamento de energia Azelio AB anunciou na segunda-feira um contrato para entregar duas de unidades de armazenamento de energia ao compatriota Industrisupport i Amal AB, uma empresa imobiliária industrial. As duas unidades TES.POD serão usadas para armazenamento de energia excedente de uma instalação solar de 446 kW no telhado das instalações do cliente. As unidades de armazenamento ajudarão a aumentar a parcela do fornecimento de energia renovável em 24% e reduzir as emissões de CO2 em 168 toneladas anuais. Além de ajudar a Industrisupport i Amal AB a utilizar a energia produzida pela matriz solar, as unidades de armazenamento também fornecerão aquecimento à empresa, tornando-a menos dependente da rede de aquecimento local. (Renewables Now – 30.03.2021)

<topo>

4 Bateria de diamantes e energia nuclear com duração de 28 mil anos

A NDB, uma startup americana, está prometendo colocar no mercado uma bateria de diamante alimentada por energia nuclear com tempo de duração de 28.000 anos. A NDB, que significa Nano Diamond Battery, criou e está aperfeiçoando uma “bateria voltaica de nêutrons alfa, beta e de nêutrons de alta potência”.. Para construir a bateria, a NDB combina isótopos radioativos de resíduos nucleares com camadas de diamantes nano em painéis. No entanto, cada célula da bateria produzirá uma quantidade minúscula de energia, então as células devem ser combinadas em grandes números para alimentar dispositivos regulares e maiores, segundo informam os cientistas. Existem também algumas questões simples sobre logística, segurança e preço. (Petronotícias – 31.03.2021)

<topo>

 

 

Mobilidade Elétrica

1 Prédios novos em São Paulo terão que instalar carregadores de VEs

Vai entrar em vigor em São Paulo (SP) a lei municipal que determina que os prédios novos a serem construídos na cidade terão que ser equipados com infraestrutura de recarga. A Lei municipal n° 17.336/2020 começa a valer a partir da próxima quarta-feira (31) e determina que todos os prédios em construção em São Paulo terão que disponibilizar estações de carregamento para VEs. A nova regra vale tanto para prédios comerciais quanto residenciais registrados na prefeitura a partir da referida data – construções que já estão em andamento não precisam fazer a adaptação. Ainda de acordo com a lei municipal, a medição do consumo de energia elétrica deve ser individualizada. No entanto, a legislação não determina de que forma deve ser realizada essa cobrança, uma tarefa que pode ficar à cargo da empresa que fornecer o serviço ou do próprio condomínio. (Inside EVs – 29.03.2021)

<topo>

2 EUA: pacote de US$ 2 tri em infraestrutura abarca mobilidade elétrica

O pacote americano de investimentos de US$ 2 trilhões em infraestrutura, que será detalhado no fim da tarde desta quarta-feira, 31, pelo presidente dos EUA, Joe Biden, prevê esse montante distribuído em investimentos ao longo de oito anos. Dentre as ações previstas, está a criação de linhas de financiamento a VEs. Na contrapartida das receitas, além do aumento da alíquota empresarial, está prevista a taxação de lucros no exterior de companhias americanas. E é no ponto do financiamento que as resistências surgem, além da óbvia oposição republicana, de perfil mais fiscalista. (O Estado de São Paulo – 31.03.2021)

<topo>

3 EUA: cientistas pedem fortes padrões de emissões de automóveis

Mais de mil cientistas assinaram uma carta pedindo ao presidente dos EUA, Joe Biden, para se comprometer com um corte de pelo menos 50% na emissão de GEE em 2030 em relação aos níveis de 2005. Os cientistas sugerem um caminho fundamentado em alguns passos. O primeiro é assumir o compromisso de tornar o setor de energia dos EUA 100% livre de carbono até 2035. Outro ponto sugerido é estabelecer fortes padrões de longo prazo para reduzir as emissões de automóveis e caminhões em pelo menos 60% e que garantam que ao menos 50% das vendas de novos veículos sejam de VEs até 2030. Os cientistas pedem que o governo americano adote medidas para que todos os novos caminhões e ônibus tenham emissão zero até 2040. (Valor Econômico – 30.03.2021)

<topo>

4 Naturgy planeja a construção de mais de 1.100 pontos de recarga renovável na Espanha

A Naturgy fez uma apresentação ao Ministério da Transição Ecológica e do Desafio Demográfico; ao Ministério da Indústria, Comércio e Turismo e ao Ministério da Ciência e Inovação do Governo da Espanha, de um plano para construir uma rede de mais de 1.100 pontos de recarga para comercializar energias renováveis em mobilidade e assim avançar na transição energética, uma vez que irá evitar a emissão de 760 kTn de CO2 por ano. Especificamente, a empresa, presidida por Francisco Reynés, pretende desenvolver uma infraestrutura pública de carregadores rápidos e semirrápidos em ambientes urbanos, regiões com populações de mais de 50.000 habitantes obrigadas a ter zonas de baixa emissão, e interurbanos nas principais vias de comunicação a cada 200 km, com o objetivo de democratizar o veículo elétrico para fornecer uma alternativa de infraestrutura de carregamento a todos os clientes que não a possuem em casa. (REVE – 30.03.2021)

<topo>

 

 

Digitalização

1 Processamento de dados em nuvem é tendência em alta no cenário mundial de energia

Contar com um centro de processamento de dados próprio deixou de ser um fator crítico para muitas empresas de larga visão. Elas estão preferindo redirecionar investimentos, que seriam imobilizados em ativos de TI, para alavancar seu foco central de negócios. Essa tendência, bastante consolidada em termos globais, está em crescimento no Brasil e já tem o setor elétrico emergindo como um dos seus principais impulsionadores. (Agência CanalEnergia – 30.03.2021)

<topo>

2 Oi Soluções lança serviço que auxilia empresas no controle do consumo de energia

A Oi Soluções está lançando a plataforma Facilities Eficiência Energética, produto de internet (IoT) que auxilia clientes corporativos na redução do consumo de energia. A iniciativa faz parte da estratégia da companhia de prover soluções de IoT para as empresas, impulsionando a economia de custos e a sustentabilidade. Além de auxiliar no controle da quantidade de energia consumida, a solução Facilities Eficiência Energética apresenta o padrão de gasto, possibilitando a gestão e a otimização do consumo. Outra vantagem da plataforma é a possibilidade de tomada de ações corretivas ainda no mês vigente, evitando que as empresas tenham consumo excedente aos seus contratos. (Agência CanalEnergia – 30.03.2021)

<topo>

3 CEB-D adota self-healing na rede

A CEB Distribuição colocou em operação uma tecnologia de ponta em automação da rede elétrica ainda inédita no Distrito Federal. Denominado self-healing, o sistema de reconfiguração permite isolar um eventual defeito na rede de distribuição de energia e recompor o fornecimento automaticamente para a maior parte da área afetada. Segundo a distribuidora, o primeiro sistema foi instalado no Recanto das Emas, beneficiando mais de 8,8 mil habitantes da região. Até o fim do ano, a empresa tem a previsão de expandir a solução para outras regiões do Distrito Federal. A CEB – D destacou que esse tipo de inovação possibilita o restabelecimento da energia de forma mais rápida que o modelo convencional e amplia as opções de manobras. (Agência CanalEnergia – 31.03.2021)

<topo>

4 Grupo Safira entra na GD solar de olho na digitalização do setor

O Grupo Safira anunciou a criação da Safira Solar, empresa focada no desenvolvimento da energia fotovoltaica no país e em fomentar a abertura, modernização e digitalização do setor. Serão investidos, inicialmente, R$ 30 milhões em plantas de até 5 MW para Geração Distribuída Compartilhada em Minas Gerais, e a comercialização para consumidores residenciais será feita por meio de um aplicativo, sem que tenham que desembolsar recursos com a instalação de painéis solares. De acordo com o diretor executivo do Grupo Safira, Mikio Kawai Junior, este modelo representa uma espécie de ‘uberização’ do setor de energia elétrica, pois o consumidor residencial consegue contratar eletricidade baixando um aplicativo pelo celular, adicionando um cartão de crédito para faturamento, da mesma forma como ele solicita um carro no aplicativo de transporte. (Agência CanalEnergia – 31.03.2021)

<topo>

5 Amazon e ABB se juntam para revolucionar gestão de frotas elétricas

A plataforma que vai nascer da colaboração anunciada entre dois gigantes: ABB e Amazon (especificamente Amazon Web Services), terá um objetivo ambicioso e preciso: revolucionar o mundo dos transportes com pegada verde através de uma gestão cada vez mais pontual das frotas de veículos elétricos, da recarga à manutenção. A plataforma irá adquirir todas as informações relativas aos veículos elétricos de uma frota, tornando possível monitorar os veículos e planejar da forma mais eficiente, também, o carregamento. Será baseada na nuvem e lançada no segundo semestre deste ano. (Inside EVs – 03.04.2021)

<topo>

6 3E lança novas soluções digitais para indústria renovável

A 3E compartilhou alguns insights sobre seu novo posicionamento e sua gama crescente de soluções digitais. A empresa pretende digitalizar ativos de energia renovável com sua plataforma digital (SynaptiQ) e seus novos aplicativos, Solar Analytics e Wind Analytics (uma co-criação com LivLiner), bem como uma interface de usuário totalmente nova para o aplicativo Asset Operations. O SynaptiQ combina todas as soluções SaaS da 3E e pode apoiar projetos de energia renovável desde o conceito até o fim da vida útil. Ele utiliza inteligência artificial para centralizar todos os dados disponíveis, estabelecendo novos padrões de eficiência e rendimento de energia ao mesmo tempo que reduz significativamente os custos da planta. Ele também apresenta uma arquitetura de software e dados abertos construída por especialistas em energia solar e eólica, ajudando a minimizar os riscos de investimento enquanto maximiza o desempenho do ativo. (Energy Global – 01.04.2021)

<topo>

7 Clientes de bancos digitais podem pagar conta de luz e tributos no app

Antes restrito a clientes dos bancões, o pagamento de contas de concessionárias, como as de água e luz, já pode ser feito por meio dos bancos digitais e das chamadas instituições de pagamentos, modalidade que permite a uma empresa intermediar a movimentação de recursos. A solução que viabiliza as transações também alcança a arrecadação de tributos e foi feita por uma parceria entre a Câmara Interbancária de Pagamentos (CIP), a Febraban (Federação Brasileira dos Bancos) e a ABBC (Associação Brasileira de Bancos). Um levantamento feito pelo UBS mostrou que, com a pandemia, os downloads de aplicativos de bancos digitais superaram os de instituições tradicionais no ano passado. A estimativa é de que o País tenha hoje mais de 60 milhões de contas digitais, número que não considera os usuários do Caixa Tem. (O Estado de São Paulo – 02.04.2021)

<topo>

 

 

Eventos

1 GESEL: Webinar “Viabilizando investimentos em usinas hidrelétricas reversíveis no Brasil”

Acontece no próximo dia 09/04, às 10h, o Webinar “Viabilizando investimentos em usinas hidrelétricas reversíveis no Brasil”. O evento tem como objetivo apresentar alternativas de contratação que viabilizem investimentos em usinas hidrelétricas reversíveis no Brasil, à luz da experiência internacional recente e da modelagem da expansão do SIN ao mínimo custo desenvolvida no projeto. Participarão como debatedores Hélvio Neves Guerra (diretor da Aneel) e Rui Altieri (presidente do Conselho de Administração da CCEE). Roberto Brandão (GESEL) será o palestrante e a moderação será de Nelson Hubner (GESEL). O Webinar será realizado no âmbito do projeto de P&D da Aneel “Viabilidade Econômica das Usinas Hidrelétricas Reversíveis no Sistema Interligado Nacional”, que está sendo desenvolvido por Enercan, Baesa, Ceran, Foz do Chapecó Energia e Paulista Lajeado Energia e executado pelo Gesel-UFRJ, MCPAR, Hedaidi e GPTech. Para se inscrever no evento, clique aqui. (GESEL – IE – UFRJ – 30.03.2021)

<topo>

 

 

Artigos e Estudos

1 Artigo GESEL: “A Evolução da tecnologia 5G e o Setor Elétrico”

Em artigo publicado pelo Broadcast Energia, Nivalde de Castro, professor do Instituto de Economia da UFRJ e coordenador do Grupo de Estudos do Setor Elétrico (GESEL), e Sidnei Martini, professor da Escola Politécnica da USP e pesquisador associado do GESEL, analisam as perspectivas e impactos da tecnologia 5G sobre o Setor Elétrico Brasileiro. Segundo os autores, “diante deste cenário de tecnologia disruptiva e exponencial, o Setor Elétrico Brasileiro (SEB), bem como o setor elétrico internacional, será impactado e estimulado a reagir, pois a mesma população que se beneficia com as inovações da 5G no lazer, nos serviços pessoais e nas redes sociais, também é a consumidora dos serviços relacionados à energia elétrica.” Para ler o texto na íntegra, clique aqui. (GESEL-IE-UFRJ – 05.04.2021)

<topo>

2 IRENA: Estatísticas de capacidade renovável 2021

A IRENA produziu estatísticas abrangentes sobre uma variedade de tópicos relacionados à energia renovável. Esta publicação apresenta estatísticas de capacidade de geração de energia renovável para a última década (2011-2020) em tabelas. A capacidade de geração de energia renovável é medida como a capacidade máxima de geração líquida de usinas e outras instalações que usam fontes de energia renováveis para produzir eletricidade. Os dados foram obtidos de uma variedade de fontes, incluindo um questionário IRENA, estatísticas nacionais oficiais, relatórios de associações da indústria, outros relatórios e artigos de notícias. Para ver mais clique aqui. (IRENA – 31.03.2021)

<topo>


Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Lorrane Câmara e Luiza Masseno
Pesquisadores: Monique Coimbra e
Walas Júnior
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

As notícias divulgadas no IFE não refletem necessariamente os pontos da UFRJ. As informações que apresentam como fonte UFRJ são de responsabilidade da equipe de pesquisa sobre o Setor Elétrico, vinculada ao NUCA do Instituto de Economia da UFRJ.

Para contato: ifes@race.nuca.ie.ufrj.br

POLÍTICA DE PRIVACIDADE E SIGILO
Respeitamos sua privacidade. Caso você não deseje mais receber nossos e-mails,  Clique aqui e envie-nos uma mensagem solicitando o descadastrado do seu e-mail de nosso mailing.


Copyright UFRJ

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: