IFE.H2 20

Informativo Eletrônico – Geração de Energia com Hidrogênio nº 19 – publicado em 23 de fevereiro de 2021.

l

IFE: nº 20 – 23 de fevereiro de 2021
http://gesel.ie.ufrj.br/
gesel@gesel.ie.ufrj.br

Editor: Prof. Nivalde J. de Castro

Índice

Políticas Públicas e Financiamentos
1
CNPE propõe resolução que estabelece orientações sobre pesquisa, desenvolvimento e inovação no setor de energia
2 Estados Unidos cria novo grupo para conquistar suas metas verdes
3 Comitê aprova projeto de lei para promover veículos movidos a hidrogênio em Washington
4 Governo polonês adota política energética para 2040 e inclui o hidrogênio

Mercado
1 Enel Green Power e FNM fazem acordo para desenvolvimento de hidrogênio verde
2 Costa Rica analisa o seu potencial de produção de hidrogênio verde
3 Uniper e o Porto de Roterdã iniciam estudo de viabilidade para planta de hidrogênio verde em Maasvlakte
4 Air Liquide e Siemens Energy desenvolvem parceria para produção de hidrogênio
5 França e Escócia exploram vento flutuante e hidrogênio
6 Câmara de Comércio Brasil-Alemanha quer participação de empresas nacionais em projetos de hidrogênio verde
7 Rússia vai aumentar pesquisas para vender hidrogênio através da sua rede de gasodutos
8 Alemanha deve chegar a acordo sobre introdução gradual do transporte a hidrogênio
9 Mitsubishi Power America se torna número 1 em vendas de turbinas a gás preparadas para usar hidrogênio

10 Será construída a maior planta de eletrólise da Áustria
11 Ceará assina acordo do Hub de Hidrogênio Verde: “grande marco de mudança econômica no Ceará nos próximos anos”

Tecnologia e Inovação
1 C-Zero levanta milhões para produzir hidrogênio limpo a partir do gás natural
2 Pesquisadores do IIT Delhi concluem projeto de produção de hidrogênio com sucesso
3 Uso de IA para armazenamento de hidrogênio testado no Reino Unido

4 AVL está desenvolvendo motor interno de hidrogênio para transporte neutro em carbono

5 Lançamento da Plataforma do Vale do Hidrogênio

Mobilidade
1 Planos para o progresso das três primeiras estações de hidrogênio da República Tcheca
2 Aeroportos de Paris podem ser transformados em centros de hidrogênio
3 Mais veículos a hidrogênio e estações de apoio para a Austrália

Eventos
1 Potencial do Ceará para produção de hidrogênio verde é discutido por especialistas do setor produtivo e do Porto de Roterdã
2 Hydrogen Congress for Latin America & the Caribbean
3 Ministro do clima polonês: “É fundamental que a legislação da UE sobre hidrogênio seja daltônica”

Artigos e Estudos
1 IEEE: Hidrogênio verde, uma história de dois países
2 Hidrogênio será um vetor energético priorizado em pesquisa e desenvolvimento
3 Projetos de hidrogênio na Europa devem dobrar devido à demanda de energia limpa
4 PV Magazine: A corrida pelo hidrogênio



 

 

Políticas Públicas e Financiamentos

1 CNPE propõe resolução que estabelece orientações sobre pesquisa, desenvolvimento e inovação no setor de energia

Os marcos legais do setor elétrico como do setor de óleo e gás preveem obrigações de investimento em pesquisa e desenvolvimento por parte das empresas de energia. Considerando que estas fontes de recursos são importantes instrumentos para viabilizar o desenvolvimento tecnológico nacional, é importante buscar o alinhamento entre o uso desses recursos e a estratégia de longo prazo do setor de energia do Brasil. Neste sentido, o Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) propôs uma resolução que objetiva reforçar esse alinhamento e estabelece orientações sobre pesquisa, desenvolvimento e inovação no setor de energia no País, determinando que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) busquem priorizar investimentos regulados de pesquisa e desenvolvimento em sete temas: hidrogênio, energia nuclear, biocombustíveis, armazenamento de energia, tecnologias para a geração termelétrica sustentável, transformação digital e minerais estratégicos para o setor energético. (Ministério de Minas e Energia – 12.02.2021)

<topo>

2 Estados Unidos cria novo grupo para conquistar suas metas verdes

Joe Biden quer fazer com que os Estados Unidos tenham emissões líquidas zeradas em toda a economia até 2050. Para isso, o presidente está criando um novo Grupo de Trabalho de Projetos de Inovação Climática com a intenção de lançar uma Agência de Projetos de Pesquisa Avançada-Clima (ARPA-C). Com todo o foco para se tornar um país verde, o novo grupo ajudará a avançar diversas questões, incluindo a diminuição de custos do hidrogênio livre de carbono, fazendo com que esse tipo seja mais barato que o hidrogênio cinza. Desse modo, o Departamento de Energia dos EUA está anunciando US$ 100 milhões em financiamento para apoiar tecnologias de ponta de baixo carbono que farão o país zerar suas emissões líquidas no futuro e também criar milhões de empregos bem remunerados. (Fuel Cells Works – 14.02.2021)

<topo>

3 Comitê aprova projeto de lei para promover veículos movidos a hidrogênio em Washington

O senador de Washington, Brad Hawkins, elaborou um projeto para promover a isenção do imposto de vendas sobre um total de 650 veículos elétricos movidos a hidrogênio, com a redução de 50 por cento nos anos fiscais de 2023 a 2029. Na quinta-feira (11.02) o projeto foi aprovado pelo comitê de Meio Ambiente, Energia e Tecnologia do Senado. O hidrogênio que abastecerá os carros será proveniente de fontes renováveis, pois será produzido a partir da eletrólise da água, que será alimentado com energia proveniente da própria hidrelétrica. Com isso, Hawkins espera que Washington seja o estado líder no país no âmbito do uso do hidrogênio renovável no transporte, desde a produção, distribuição, veículos, ônibus, agricultura de curta distância e outras oportunidades locais. (Fuel Cells Works – 12.02.2021)

<topo>

4 Governo polonês adota política energética para 2040 e inclui o hidrogênio

A recente adoção da política energética polonesa de 2040 é um marco na direção da futura neutralidade climática. Ela estabelece uma visão clara da estratégia de transição energética de baixa e zero emissões. Portanto, ao tratar da inclusão do hidrogênio, para o desenvolvimento e recuperação na economia da Polônia decorrente ao COVID-19, o hidrogênio deve ser produzido a partir de todas as fontes possíveis, e com o passar do tempo, menores quantidade de combustíveis fósseis serão utilizadas. Sendo assim, é notório que o papel do hidrogênio para a Polônia vai além da descarbonização e da diversificação energética, mas também o favorecimento econômico. O hidrogênio apoiará a transição energética em três áreas prioritárias: energia e aquecimento, transporte e indústria. Além de tratar da produção e distribuição de hidrogênio, o país vê a necessidade de criar uma estrutura regulatória estável para o mercado futuro. O maior foco do país será no âmbito da mobilidade, pois precisa incentivar a recuperação econômica com uma certa urgência e a mobilidade via hidrogênio, aparentemente, trará um ganho mais rápido que as outras áreas. (Euractiv – 12.01.2021)

<topo>

 

 

Mercado

1 Enel Green Power e FNM fazem acordo para desenvolvimento de hidrogênio verde

A Enel Green Power e a FNM da Itália assinaram um Memorando de Entendimento, com o objetivo de examinar e identificar a melhor forma de fornecer hidrogênio verde – produzido exclusivamente com energia renovável – para mobilidade ferroviária na Lombardia, como parte do projeto “H2IseO”. O acordo, assinado pelo presidente da FNM, Andrea Gibelli, e pelo CEO da Enel Green Power, Salvatore Bernabei, prevê o estabelecimento de um grupo de trabalho conjunto com a tarefa de identificar as soluções mais adequadas. O projeto H2IseO, promovido pela FNM em colaboração com a Trenord, permitirá a realização do primeiro “Vale do Hidrogênio” italiano na Lombardia, especialmente em Sebino e Valcamonica. Os principais objetivos do projeto são: a compra de novos trens movidos a hidrogênio, que, a partir de 2023, passarão a operar na linha não eletrificada Brescia-Iseo-Edolo, administrada pela FERROVIENORD (empresa 100% FNM) e a construção de unidades de produção de hidrogênio movidas a energia renovável, inicialmente destinadas aos novos trens. (New Europe – 05.02.2021)

<topo>

2 Costa Rica analisa o seu potencial de produção de hidrogênio verde

O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), seu laboratório de inovação e Divisão de Energia, vai colaborar com a Fundação CRUSA a pedido do Ministério do Meio Ambiente e Energia (Minae), para realizar um estudo sobre o mercado nacional e global de hidrogênio verde, com o objetivo de explorar a eventual participação da Costa Rica nesse negócio. O estudo será realizado por uma empresa belga especializada em energia e transportes sustentáveis e de acordo com o calendário de obras, as conclusões e resultados estarão prontos durante o segundo semestre de 2021. O ministério afirmou que as expectativas de aumento da demanda por hidrogênio verde nas próximas décadas em nível mundial em conjunto com a disponibilidade de recursos para a produção de hidrogênio abrem à Costa Rica a possibilidade de se tornar um exportador. (Fuel Cell Works – 08.02.2021)

<topo>

3 Uniper e o Porto de Roterdã iniciam estudo de viabilidade para planta de hidrogênio verde em Maasvlakte

A Uniper e a autoridade do Porto de Roterdã estão investigando a possibilidade de produção em grande escala de hidrogênio verde, na área de Maasvlakte em Roterdã. As partes têm a ambição de construir uma planta de hidrogênio no local da Uniper, até 2025, com uma capacidade de 100MW e expandir essa capacidade para 500MW, futuramente. O estudo de viabilidade será concluído neste verão ”Nossa localização em Maasvlakte é o lugar perfeito para a produção em grande escala de hidrogênio verde. É aqui que tudo se junta: grandes quantidades de energia renovável, a infraestrutura necessária e clientes industriais. Um lugar melhor para a produção de hidrogênio verde é dificilmente imaginável”, disse Andreas Schierenbeck, CEO da Uniper. (Fuel Cell Works – 09.02.2021)

<topo>

4 Air Liquide e Siemens Energy desenvolvem parceria para produção de hidrogênio

A Air Liquide e a Siemens Energy assinaram um Memorando de Entendimento com o objetivo de combinar sua experiência em tecnologia de eletrólise PEM (Proton Exchange Membrane). Eles pretendem concentrar suas atividades em algumas áreas principais: cocriação de projetos de hidrogênio em grande escala industrial em colaboração com clientes, preparando o terreno para a fabricação em massa de eletrolisadores na Europa; e atividades de P&D para co-desenvolver tecnologias de eletrolisador de próxima geração. O hidrogênio deverá desempenhar um papel essencial para atingir os objetivos da União Europeia de redução das emissões de gases de efeito estufa. Para atender à demanda crescente e reduzir custos, é fundamental acelerar a produção de hidrogênio gerado de forma sustentável por meio de eletrolisadores PEM em grande escala. (Green Car Congress – 09.02.2021)

<topo>

5 França e Escócia exploram vento flutuante e hidrogênio

O governo escocês concedeu ao Centro Europeu de Energia Marinha (EMEC) um contrato para explorar oportunidades para cadeias de energia eólica offshore e hidrogênio na Escócia e na França. A EMEC fará parceria com a empresa de engenharia francesa Innosea e o Renewables Consulting Group (RCG), com sede em Londres, para realizar pesquisas sobre o status técnico da energia eólica offshore e da produção de hidrogênio na Escócia e na França. As tecnologias eólica offshore e hidrogênio são centrais para as estratégias de descarbonização de energia em ambos os países e internacionalmente. A atividade colaborativa de pesquisa e desenvolvimento pode identificar novas soluções de engenharia para aumentar a competitividade dessas tecnologias e maneiras de “para enfrentar os desafios de mútuos interesses”. (Renews – 09.02.2021)

<topo>

6 Câmara de Comércio Brasil-Alemanha quer participação de empresas nacionais em projetos de hidrogênio verde

As Câmaras de Comércio Brasil-Alemanha de São Paulo e do Rio de Janeiro, através da Aliança Brasil-Alemanha para o Hidrogênio Verde, estão buscando oportunidades para ampliar o debate sobre o tema e intermediar a compra e venda de hidrogênio entre os dois países. Com o objetivo de colocar algumas medidas em prática, as instituições realizarão reuniões com empresas interessadas, com o apoio da GIZ (Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit) e do Ministério de Minas e Energia (MME) do Brasil. O objetivo principal do encontro é apresentar o contexto do Hidrogênio Verde na Alemanha e mapear projetos de empresas brasileiras que serão apresentadas no país europeu, em face da publicação recente de sua política para o Hidrogênio Verde. (Petronotícias – 09.02.2021)

<topo>

7 Rússia vai aumentar pesquisas para vender hidrogênio através da sua rede de gasodutos

O Ministério da Energia da Rússia anunciou que a Gazprom foi encarregada de desenvolver um roteiro para produzir hidrogênio limpo até 2024. Como grande parte da economia da Rússia depende da exportação de petróleo, gás e carvão, o país está se movendo decisivamente para se reorientar em direção a um setor de energia muito mais diversificado. Para tanto, a partir deste ano, o governo pretende ampliar o mercado, entrando como fornecedor de hidrogênio, visando fazer com que as exportações do gás mais abundante do mundo representem grande parte de seu setor energético. A vasta rede de oleodutos da Rússia desempenhará um papel fundamental em trazer o hidrogênio limpo para o mercado e, como acontece com as exportações de combustíveis fósseis tradicionais, a Europa é vista como o principal mercado de exportação. (Petronotícias – 10.02.2021)

<topo>

8 Alemanha deve chegar a acordo sobre introdução gradual do transporte a hidrogênio

A Alemanha deve dar o primeiro passo em direção ao uso do hidrogênio livre de carbono no setor de transportes, com a introdução da nova fonte de energia na sua rede. O governo deve aprovar um projeto de lei em uma reunião de gabinete na quarta-feira. A agenda da reunião e a proposta de lei, mostram que o foco inicial será a troca dos dutos existentes, as redes de gás natural, para transportar hidrogênio “verde”, produzido a partir de energia eólica e solar por eletrólise. O projeto é chamado explicitamente de “acordo transitório” que permitiria uma abordagem passo a passo para colocar a troca em prática, já que os acordos atuais são, que são monopólios locais regulamentados. A integração final das redes de gás e hidrogênio permanecerá sendo “uma questão de muitos anos”. (Etenergyworld – 10.02.2021)

<topo>

9 Mitsubishi Power America se torna número 1 em vendas de turbinas a gás preparadas para usar hidrogênio

A Mitsubishi Power garantiu a maior participação de mercado de turbinas a gás pesadas nas Américas em 2020, de acordo com dados da McCoy Power Reports. Os pedidos totalizaram 3.288 megawatts, representando 54% do total de pedidos. A companhia alcançou a posição de número 1 na participação de mercado. As turbinas a gás J-Series JAC, as maiores e mais avançadas da Mitsubishi Power, lideraram o mercado. Todas estão preparadas para hidrogênio para uma futura descarbonização. Os pedidos incluem turbinas a gás de ciclo combinado com a menor intensidade de emissões de dióxido de carbono e a capacidade de hidrogênio emergindo, como principais vantagens competitivas. Mais da metade dos pedidos incluem uma garantia de desempenho de hidrogênio ou têm um acordo de desenvolvimento conjunto para hidrogênio em andamento. (Petronotícias – 12.02.2021)

<topo>

10 Será construída a maior planta de eletrólise da Áustria

Foi revelado o plano para construção da maior planta de eletrólise da Áustria, localizada na Refinaria OMV Schwechat. A planta de € 25 milhões será construída como parte de um investimento conjunto entre a empresa internacional de petróleo, gás e produtos químicos OMV e a Kommunalkredit Austria AG. Além disso, ela irá produzir até 1.500 toneladas métricas de hidrogênio verde anualmente, as quais irão ser dirigidas para hidrogenar combustíveis fósseis e de base biológica, substituindo o hidrogênio cinza na refinaria, reduzindo a pegada de carbono da OMV. (Fuel Cells Works – 15.02.2021)

<topo>

11 Ceará assina acordo do Hub de Hidrogênio Verde: “grande marco de mudança econômica no Ceará nos próximos anos”

O acordo de lançamento do Hub de Hidtrogênio Verde no Ceará foi assinado nesta sexta-feira, 19, pelo Governo do Estado. Representantes da Federação das Indústrias do Estado Ceará (Fiec), a Universidade Federal do Ceará (UFC) e o Complexo do Pecém (CIPP S/A) estiveram presentes no evento. Na assinatura do memorando, o governador Camilo Santana (PT) destacou que o acordo é um “grande marco de mudança econômica no Ceará nos próximos anos”. O empreendimento terá investimento australiano e é uma das apostas do Estado para impulsionar a economia. Serão investidos US$ 5,4 bilhões para a implementação da planta de produção do combustível.
https://ootimista.com.br/economia/ceara-assina-acordo-do-hub-hidrogenio-verde-grande-marco-de-mudanca-economica-no-ceara-nos-proximos-anos/

<topo>

 

 

Tecnologia e Inovação

1 C-Zero levanta milhões para produzir hidrogênio limpo a partir do gás natural

A Mitsubishi Heavy Industries Ltd. (MHI) anunciou hoje que investiu U$$11.5 milhoes na C-zero, uma startup de alta tecnologia localizada em Santa Barbara, Califórnia. O investimento pretende acelarar a primeira implantação em escala comercial da descarbonização drop-in da tecnologia C-Zero, que permitirá aos consumidores de gás natural industrial, evitando a produção de CO2 em aplicações como geração elétrica, aquecimento de processos e produção de commodities químicas como hidrogênio e amônia. A tecnológica C-Zero usa termocatálise inovadora para dividir o metano, a molécula primária do gás natural, em hidrogênio e carbono sólido, em um processo conhecido como pirólise do metano. Quando o gás natural renovável é usado como matéria-prima, a tecnologia do C-Zero pode até ser negativa em carbono, extraindo efetivamente o dióxido de carbono e armazenando-o permanentemente na forma de carbono sólido de alta densidade. (Green Car Congress – 11.02.2021)

<topo>

2 Pesquisadores do IIT Delhi concluem projeto de produção de hidrogênio com sucesso

Pesquisadores do IIT Delhi, em colaboração com o ONGC Energy Centre, Índia, geraram com sucesso hidrogênio limpo a partir da água a um custo baixo, para consumo industrial. O IIT Delhi compartilhou detalhes do projeto, declarando que os envolvidos conseguiram decompor a água com sucesso por um processo conhecido como ciclo de hidrogênio termoquímico de iodo-enxofre. Um dos desafios na conversão de baixo custo assumida pelos pesquisadores foi projetar um catalisador adequado para a etapa da conversão do ácido sulfúrico em dióxido de enxofre e oxigênio, corrosiva e intensiva de energia. O catalisador interno desenvolvido atendeu aos critérios e agora está patenteado. O catalisador, de óxido de ferro modificado disperso na superfície de sílica em um catalisador de suporte de carboneto de silício, não é apenas econômico, mas também estável sob alta temperatura e as condições corrosivas da reação. (H2 VIew – 09.02.2021)

<topo>

3 Uso de IA para armazenamento de hidrogênio testado no Reino Unido

A H2GO Power, em colaboração com o European Marine Energy Centre (EMEC) e o Imperial College London, está testando o uso de software de inteligência artificial (IA) juntamente com a tecnologia de hidrogênio. Financiado pela Innovate UK e pelo Sustainable Innovation Fund, o projeto HyAI (Hydrogen Artificial Intelligence) é uma demonstração piloto da tecnologia de armazenamento de hidrogênio controlada por software. O HyAI tem como objetivo mostrar como o software integrado com hardware pode tomar decisões inteligentes de gerenciamento de ativos baseadas em dados em tempo real e otimizar a integração de energia renovável na rede elétrica do Reino Unido. Liderado pela H2GO Power, com sede em Londres, desenvolvedores de armazenamento de energia de hidrogênio de baixa pressão e software de gerenciamento de ativos baseado em IA, o projeto integrou uma plataforma com uma das unidades de armazenamento de hidrogênio da empresa. (Renews – 10.02.2021)

<topo>

4 AVL está desenvolvendo motor interno de hidrogênio para transporte neutro em carbono

A AVL, maior empresa australiana de desenvolvimento, simulação e teste de sistemas de trem de força para automóveis de passageiros, caminhões e grandes motores, continua desenvolvendo um motor de combustão interna de alta geração, movido a hidrogênio. A meta do projeto é aumentar tanto o potencial de eficiência de multi-portas quanto um conceito de motor de hidrogênio injetado para propulsão direta em um veículo comercial com um trem de força padrão existente. A AVL usou um motor a gás natural de 12,8 l como base de desenvolvimento e estabeleceu sua meta de desempenho em 350 kW. Com o desenvolvimento de um motor a hidrogênio, a AVL visa reduzir as emissões de dióxido de carbono e também garantir a alta confiabilidade da interface pistão-furo. (H2 View – 15.02.2021)

<topo>

5 Lançamento da Plataforma do Vale do Hidrogênio

A Fuel Cells and Hydrogen Joint Undertaking (FCH JU) desenvolveu uma plataforma com conceito de vale de hidrogênio como uma forma de designar uma área geográfica – uma cidade, uma região, uma ilha ou um cluster industrial – onde várias aplicações de hidrogênio são combinadas em um ecossistema. Os Vales de Hidrogênio se tornaram recentemente um fenômeno global, com projetos integrados e complexos emergindo em todo o mundo em um esforço para acelerar o desenvolvimento da economia movida a hidrogênio. A plataforma apresenta e conecta os clusters regionais existentes, com 32 vales de hidrogênio de 18 países já apresentados na plataforma. Ele é voltado principalmente para desenvolvedores de projetos, mas também está aumentando a conscientização entre os legisladores. “Esta plataforma é, sem dúvida, uma iniciativa importante para levar o conceito de vale de hidrogênio para o próximo nível e uma ferramenta muito útil para desenvolvedores de projetos e não só. A plataforma aumentará a visibilidade dos Vales de Hidrogênio na indústria, entre os formuladores de políticas e entidades de financiamento e impulsionará a aceitação da economia do hidrogênio ”, disse Bart Biebuyck, Diretor Executivo da FCH JU. (FCH – 09.02.2021)

<topo>

 

 

Mobilidade

1 Planos para o progresso das três primeiras estações de hidrogênio da República Tcheca

Os planos para três novos postos de abastecimento de hidrogênio, a serem localizados na República Tcheca, deram um passo à frente. Chesterfield Special Cylinders (CSC) revelou, no último dia 9, que garantiu um contrato com o Haskel Hydrogen Group, como parte dos novos desenvolvimentos. Sob o contrato, a CSC fornecerá seus navios de aço Tipo 1 de alta pressão para integração no projeto da nova estação de abastecimento da Haskel. A Haskel Geno HRS será instalada em unidades existentes da Unipetrol na República Tcheca. O contrato da estação será implementado pelo Grupo Unipetrol e pelo Grupo Bonett, que irá gerenciar a integração. A Haskel entregará os postos de abastecimento de hidrogênio e trabalhará ao lado do Bonett. As estações serão entregues durante o verão de 2021. (H2 View – 09.02.2021)

<topo>

2 Aeroportos de Paris podem ser transformados em centros de hidrogênio

A Airbus, a Air France-KLM, a Região de Paris e o Groupe ADP querem transformar os aeroportos de Paris em centros de hidrogênio para apoiar a meta da Comissão Europeia de aeronaves com emissão zero, até 2035. O consórcio convocou, no dia 11 de fevereiro, manifestações de interesse para explorar as oportunidades geradas pelo hidrogênio nos aeroportos de Paris, para descarbonizar as atividades de transporte aéreo. Lançado com o apoio da agência Choose Paris Region, espera-se que a convocação ajude a construir um ecossistema aeroportuário único, federado em torno do hidrogênio, com grandes corporações, laboratórios, start-ups e universidades. Os temas principais foram delineados como: armazenamento, transporte e distribuição de hidrogênio, diversificação de uso de hidrogênio em aeroportos e na aeronáutica e economia circular em torno do hidrogênio.
https://www.h2-view.com/story/paris-airports-could-be-transformed-into-hydrogen-hubs/

<topo>

3 Mais veículos a hidrogênio e estações de apoio para a Austrália

Planos para mais veículos movidos a hidrogênio e a infraestrutura de apoio foram revelados para a Austrália. As soluções completas de transporte de hidrogênio turn-key serão entregues pela empresa de energia Viva Energia e pelo fornecedor de veículos comerciais movidos a célula a combustível, Hyzon Motors. O projeto partiu de uma nova parceria anunciada no dia 11 de fevereiro. Além da colaboração, a Viva Energy também se comprometeu com um pequeno investimento estratégico de US$ 4 milhões na Hyzon como parte do levantamento de capital e listagem na bolsa de valores NASDAQ, por meio de sua fusão com a Decarbonisation Plus Acquisition Corp. (H2 View – 12.02.2021)

<topo>

 

 

Eventos

1 Potencial do Ceará para produção de hidrogênio verde é discutido por especialistas do setor produtivo e do Porto de Roterdã

Especialistas do Porto de Roterdã, um dos acionistas do Complexo do Pecém (CIPP S/A), debateram nesta terça-feira, 15, com representantes do setor produtivo e do Consulado Geral dos Países Baixos no Brasil, as potencialidades existentes no Complexo do Pecém para a produção do chamado hidrogênio verde – obtido por meio de um processo químico conhecido como eletrólise. Em webinar moderado por Duna Uribe, diretora comercial do Complexo do Pecém, foi abordado, principalmente, o potencial de negócios do produto e o que já existe de planejamento na Europa. Considerado um combustível universal, o hidrogênio, em sua versão “verde”, pode ser obtido ao se utilizar uma corrente elétrica para separá-lo do oxigênio existente na água. Caso este processo seja realizado com energias renováveis, como é o caso da eólica e solar fotovoltaica – fontes abundantes no Ceará, o processo deixa de emitir dióxido de carbono (CO2) na atmosfera, algo considerado prioritário por países europeus que buscam um avanço sustentável.
https://www.ceara.gov.br/2020/12/16/potencial-do-ceara-para-producao-de-hidrogenio-verde-e-discutido-por-especialistas-do-setor-produtivo-e-do-porto-de-roterda/

<topo>

2 Hydrogen Congress for Latin America & the Caribbean

O 1º Congresso do Hidrogênio para a América Latina e o Caribe (H2LAC 2021) acontecerá de 14 a 15 de abril de 2021. Co-organizado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), compreende uma Conferência Virtual de dois dias, seguidos de uma Mesa Redonda para os responsáveis pela formulação de políticas. Esta será a reunião mais significativa do mercado nascente de hidrogênio na região, até hoje. O H2LAC reunirá partes interessadas regionais e líderes globais da indústria para abordar as questões fundamentais e servirá para acelerar o desenvolvimento de uma indústria de hidrogênio líder mundial na América Latina e no Caribe.
https://newenergyevents.com/h2lac/

<topo>

3 Ministro do clima polonês: “É fundamental que a legislação da UE sobre hidrogênio seja daltônica”

A Polónia saudou a inclusão da infraestrutura de hidrogênio no regulamento reformulado da Comissão Europeia para redes de energia transfronteiriças. “É fundamental para a nossa região que esta legislação seja daltônica e não discrimine entre os diferentes ‘tipos’ de hidrogênio”, disse Michal Kurtyka. Michal Kurtyka é Ministro do Clima e Meio Ambiente da Polônia, que atualmente ocupa a Presidência do grupo Visegrad 4 de países que compreende a República Tcheca, Hungria, Polônia e Eslováquia. Ele respondeu às perguntas da EURACTIV por escrito antes de uma conferência virtual sobre as perspectivas do hidrogênio na Europa Central e Oriental, que ocorreu na última sexta-feira, 12 de fevereiro. (Euractiv – 12.02.2021)

<topo>

 

 

Artigos e Estudos

1 IEEE: Hidrogênio verde, uma história de dois países

“No contexto da descarbonização de sistemas de energia em todo o mundo, qual é o papel do hidrogênio verde? ” No artigo, Pierluigi Mancarella, discute as diferentes abordagens que estão sendo exploradas no Reino Unido e na Austrália – dois dos países que estão liderando as discussões sobre hidrogênio – juntamente com as semelhanças, desafios e oportunidades. A “economia do hidrogênio” tem sido discutida em diferentes países em vários momentos nas últimas décadas. No entanto, só muito recentemente a maturidade da tecnologia e a escala de produção está se tornando um candidato sério para desempenhar um papel nos futuros sistemas de energia. Em particular, vários roadmaps em todo o mundo estão sendo lançados, destacando o uso de hidrogênio como um vetor de energia para apoiar a descarbonização. (IEEE Smart Grid – Fevereiro 2021)

<topo>

2 Hidrogênio será um vetor energético priorizado em pesquisa e desenvolvimento

Um olho no hoje e outro no amanhã. O Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) tem agora uma nova orientação estratégica para ações de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação no setor de energia. Entre os temas que serão priorizados por decisão do colegiado, estão a energia nuclear e os biocombustíveis, duas fontes já consagradas no país. Todavia, a lista de prioridades indica ainda itens que devem ter mais participação na matriz brasileira daqui em diante, sendo um deles o hidrogênio. Para decidir a relação de itens que seriam privilegiados, o CNPE levou em conta estudos analisados pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE) e iniciativas nacionais e internacionais das quais o conselho participa. (Petronotícias – 11.02.2021)

<topo>

3 Projetos de hidrogênio na Europa devem dobrar devido à demanda de energia limpa

O relatório da DLA Piper, The Hydrogen Revolution in EMEA, mostra que há 192 projetos de hidrogênio planejados ou anunciados na Europa em comparação com 107 projetos operacionais atuais no continente. O relatório analisa como o mercado de hidrogênio está se desenvolvendo e as diferentes abordagens que estão sendo adotadas na Europa, Oriente Médio e Norte da África. O relatório da DLA Piper argumenta que o investimento em energia limpa, como hidrogênio, será uma parte vital da recuperação econômica global pós-pandemia e construção de um futuro sustentável. (Power Engineering International – 11.02.2021)

<topo>

4 PV Magazine: A corrida pelo hidrogênio

Em artigo publicado pela PV Magazine, Blake Matich, traça uma análise geopolítica do hidrogênio verde no mundo. Segundo o autor, “à luz do potencial do hidrogênio verde e do prospecto geopolítico do século 21, surge uma pergunta: o sol teria se posto no Império Britânico se ele tivesse sido coberto por painéis solares? Isso quer dizer que, se o hidrogênio verde vai alimentar este século em diante? Que nação ou nações possuirão esse poder? Aqueles com os principais recursos de energia solar e eólica devem agora estar engajados em uma corrida geopolítica por esse poder literal, econômico e político”. O autor expõe como alguns países podem ser beneficiados devido ao potencial de recursos energéticos a localização estratégica para se tornarem exportadores de hidrogênio verde. (PV Magazine – 13.02.2021)

<topo>


Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Luiza Masseno e Sayonara Andrade Elizário
Pesquisadores: Allyson Thomas e Kalyne Silva Brito
 
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

As notícias divulgadas no IFE não refletem necessariamente os pontos da UFRJ. As informações que apresentam como fonte UFRJ são de responsabilidade da equipe de pesquisa sobre o Setor Elétrico, vinculada ao NUCA do Instituto de Economia da UFRJ.

Para contato: ifes@race.nuca.ie.ufrj.br

POLÍTICA DE PRIVACIDADE E SIGILO
Respeitamos sua privacidade. Caso você não deseje mais receber nossos e-mails,  Clique aqui e envie-nos uma mensagem solicitando o descadastrado do seu e-mail de nosso mailing.


Copyright UFRJ

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: