IFE.H2 15

Informativo Eletrônico – Geração de Energia com Hidrogênio nº 15 – publicado em 15 de janeiro de 2021.

IFE: Informativo Eletrônico de Mobilidade Elétrica – GESEL-UFRJ <!–

l

IFE: nº 15 – 15 de janeiro de 2021
http://gesel.ie.ufrj.br/
gesel@gesel.ie.ufrj.br

Editor: Prof. Nivalde J. de Castro

Índice

Políticas Públicas e Financiamentos
1
Líderes da UE dão passo histórico sobre o hidrogênio
2 EUA: Governador da Califórnia promoverá veículos elétricos e a hidrogênio em 2021
3 Reino unido vai ter seu principal foco no hidrogênio
4 Escócia vai financiar hidrogênio verde
5 China: Guangdong assumindo a liderança em energia limpa
6 Reino Unido: Destilarias comemoram apoio para “tornar-se verde”
7 UE apoia Orsted na iniciativa de hidrogênio verde
8 DOE investirá US$ 6,4 milhões para desenvolver turbinas movidas a hidrogênio

Mercado
1 Projeto de hidrogênio verde em Maiorca
2 Nel ASA garante acordo de eletrolisador de hidrogênio verde
3 Hanwha Solutions expande negócios em energias renováveis
4 SK Group fará parceria para acelerar economia de hidrogênio na Ásia
5 Haldor Topsoe e Aker Carbon Capture são parceiros na produção de hidrogênio de baixo carbono
6 Índia planeja entrada no mercado de hidrogênio verde pós-2030
7 Preço do aço verde com hidrogênio é alto
8 Plug Power terá sua nova “gigafactory’’ em Nova York

Tecnologia e Inovação
1 Worthington quer se tornar líder em soluções de hidrogênio
2 Casas no norte da Inglaterra serão aquecidas à hidrogênio
3 Carregadores rápidos movidos a célula de combustível unem veículos elétricos e hidrogênio

Mobilidade
1 Shell, OMV e montadoras se unem para implantar frota de caminhões a hidrogênio na Europa
2 Airbus está explorando células a combustível de hidrogênio para a propulsão de aeronaves
3 O primeiro trem movido a hidrogênio da Escócia estreará este ano
4 Hy-Hybrid Energy, GOLDI e MMC focam no projeto de drones a hidrogênio

5 Hydrogen Europe dá boas-vindas à Estratégia de Mobilidade Sustentável e Inteligente da UE
6 Canadian Pacific desenvolverá locomotiva movida a hidrogênio

Artigos e Estudos
1 IRENA publica relatório sobre hidrogênio verde
2 O apoio do governo é necessário para encorajar a adoção do hidrogênio



 

 

Políticas Públicas e Financiamentos

1 Líderes da UE dão passo histórico sobre o hidrogênio

A decisão do Conselho Europeu de apoiar plenamente a Estratégia da UE para o Hidrogênio marca outro ponto alto no histórico ano de 2020, para a transição energética e para a economia do hidrogênio. O Conselho elabora agora suas conclusões sobre quais medidas tomar, para a criação de um mercado de hidrogénio para a Europa e, consequentemente, para ajudar a União Europeia a cumprir o seu compromisso em matéria de neutralidade de carbono em 2050. A Comissária da Energia, Kadri Simson, apresentou, alguns dias após esta decisão, a proposta de um novo regulamento RTE-E sobre as infraestruturas de energia que engloba duas novas categorias de produção e distribuição de hidrogênio. Nesse momento, uma Lei do Hidrogênio Limpo simplificaria as atividades a fim de cumprir a ambição da Comissão Europeia e do Conselho Europeu de tornar a Europa o principal mercado mundial de hidrogênio limpo. (New Europe – 17.12.2020)

<topo>

2 EUA: Governador da Califórnia promoverá veículos elétricos e a hidrogênio em 2021

O Governador da Califórnia, Gavin Newsom, apresentou recentemente o plano de Recuperação Equitativa para Negócios e Empregos da Califórnia, com elementos de recuperação de negócios e força de trabalho com o Orçamento Estadual de 2021-2022, que ajudarão a Califórnia durante a pandemia e promoverão uma recuperação justa e ampla. O orçamento inclui US$ 1,5 bilhão para ajudar pessoas e empresas a comprar veículos e equipamentos elétricos ou a hidrogênio e investir na construção e manutenção de infraestrutura de recarga e abastecimento, que serão necessárias para apoiar a expansão do uso desses veículos no estado. “A economia da Califórnia é conhecida em todo o mundo por nossa inovação, inclusão e resiliência”, disse Gavin Newsom. (Fuel Cell Works – 07.01.2021)

<topo>

3 Reino unido vai ter seu principal foco no hidrogênio

Sabendo que já ficaram para trás no ramo da energia eólica e baterias, o Reino unido enxerga que a única forma de ser líder no segmento de energia é por meio do hidrogênio. Com o primeiro-ministro e o ministro da Energia apoiando publicamente o hidrogênio (e a captura e armazenamento de carbono), a indústria parece estar surfando na crista de uma onda, com foco principal no hidrogênio azul. Na busca da liderança, o Ministro de Negócios, Energia e Crescimento Limpo já se comprometeu a publicar a primeira Estratégia Nacional de hidrogênio do Reino Unido na primavera de 2021. Além disso, o projeto HyNet de captura, utilização e armazenamento de carbono e hidrogênio (CCUS), com base no noroeste da Inglaterra, visa mpulsionar a descarbonização em toda a economia regional. (H2 View – 06.01.2021)

<topo>

4 Escócia vai financiar hidrogênio verde

O setor de hidrogênio receberá nos próximos cinco anos £ 100 milhões do Fundo de Tecnologias de Energia Emergentes, dentre os £ 180 milhões, para apoiar a recuperação verde e a justa transição energética da Escócia para as emissões líquidas zero de CO2. A Escócia deve se tornar uma nação líder em hidrogênio, com a ambição de gerar 5 GW de hidrogênio renovável e de baixo carbono até 2030 – o suficiente para abastecer o equivalente a 1,8 milhão de residências. A pesquisa de impacto econômico sugere que a indústria tem potencial para valer até £ 25 bilhões/ano para a economia escocesa em 2045. (Energy Global – 31.12.2020)

<topo>

5 China: Guangdong assumindo a liderança em energia limpa

Os veículos com células a combustível podem seguir o mesmo rumo de desenvolvimento que os veículos elétricos, e assim, sofrerem uma grande redução no preço. Para isso acontecer, toda uma infraestrutura deve ser montada na China e, por isso, desde 2019 são construídas estações de abastecimento de hidrogênio. Atualmente, Guangdong, uma província da República Popular da China, investe em hidrogênio para assumir a liderença na descarbonização. Para que a liderança se torne realidade, a Guangdong tem como objetivo construir 300 postos de abastecimento de hidrogênio até o final de 2022, com a ajuda de subsídios do governo chinês. (H2 View – 09.01.2021)

<topo>

6 Reino Unido: Destilarias comemoram apoio para “tornar-se verde”

As destilarias do Reino Unido estão brindando com o apoio financeiro de £ 10 milhões do governo para ajudá-las a mudar para combustíveis de baixo carbono, como o hidrogênio. O fundo será dividido entre 17 destilarias, incluindo 11 na Escócia e seis na Inglaterra. As destilarias receberão entre £ 44.000 e £ 75.000 cada uma na primeira fase de financiamento, ajudando-as a impulsionar a pesquisa e o desenvolvimento para descarbonização, com projetos que incluem o uso de caldeiras a hidrogênio e biocombustível e energia geotérmica em seus processos de produção. O financiamento Green Distilleries faz parte do portfólio de inovação zero carbono líquido de £ 1 bilhão que visa acelerar a comercialização de tecnologias, sistemas e processos inovadores de baixo carbono nos setores de energia, edifícios e industriais. (Renew.biz – 08.01.2021)

<topo>

7 UE apoia Orsted na iniciativa de hidrogênio verde

A UE está financiando uma iniciativa que inclui a Orsted e a Siemens Gamesa com o objetivo de demonstrar e investigar um sistema combinado de turbina eólica e eletrolisador para hidrogênio verde projetado para operação em ambientes marinhos. O projeto Oyster, que também inclui a ITM Power e a Element Energy, recebeu € 5 milhões da The Fuel Cells and Hydrogen Joint Undertaking (FCH2-JU), uma parceria público-privada da Comissão Europeia. O dinheiro será usado para investigar a viabilidade e o potencial de combinar uma turbina eólica offshore diretamente com um eletrolisador e o transporte de hidrogênio renovável até a costa. O projeto, com início previsto para 2021 e término até o final de 2024, será coordenado pela Element Energy. A ITM Power é responsável pelo desenvolvimento do eletrolisador e pelos testes da unidade. A Orsted irá liderar a análise de implantação offshore, o estudo de viabilidade de futuras implantações físicas de eletrolisadores offshore e apoiar a ITM Power no projeto do sistema eletrolisador para marinização e testes. (Renew.biz – 08.01.2021)

<topo>

8 DOE investirá US$ 6,4 milhões para desenvolver turbinas movidas a hidrogênio

O Escritório de Energia Fóssil (FE) do Departamento de Energia dos Estados Unidos (DOE) anunciou que investirá US$ 6,4 milhões em projetos de pesquisa e desenvolvimento de custos compartilhados sob o anúncio de oportunidade de financiamento (FOA) FE-FOA 0002397, University Turbines Systems Research (UTSR) – Foco em Combustíveis de Hidrogênio. O Programa UTSR realiza pesquisas para aumentar a eficiência e o desempenho das turbinas a gás enquanto reduz as emissões. Este FOA se concentra na pesquisa fundamental e aplicada para permitir o uso de hidrogênio como combustível da turbina a gás. Projetos selecionados apoiarão P&D em universidades para resolver desafios científicos fundamentais e questões de engenharia aplicada de turbinas de combustão alimentadas com hidrogênio puro, misturas de hidrogênio e gás natural e outros combustíveis contendo hidrogênio sem carbono. (Green Car Congress – 04.01.2021)


<topo>

 

 

Mercado

1 Projeto de hidrogênio verde em Maiorca

A Acciona e a Enagas estão avançando com um projeto piloto de hidrogênio verde na ilha espanhola de Maiorca, tendo garantido o fornecimento através de um eletrolisador da Hydrogenics. Os outros parceiros do projeto são o Instituto para la Diversificacion y Ahorro de la Energia (IDAE), uma agência do governo espanhol, e a empresa de cimento Cemex, proprietária do local. O eletrolisador será capaz de produzir mais de 330 toneladas de hidrogênio verde por ano, que serão utilizadas principalmente como fonte de energia direta e, quando isso não for possível, injetadas na rede de gás natural para reduzir as emissões de CO2 produzidas pelos usuários do combustível. (Renews – 04.01.2021)

<topo>

2 Nel ASA garante acordo de eletrolisador de hidrogênio verde

A Nel ASA celebrou um acordo com a Everfuel para o fornecimento de um eletrolisador de 20 MW, para a instalação de uma unidade de produção de hidrogênio verde adjacente à refinaria de Fredericia, na Dinamarca. A unidade de Fredericia terá capacidade de produção de até 8 tpd de hidrogênio verde, proveniente de energia eólica renovável, com 10 t de capacidade de armazenamento. O eletrolisador será entregue em 2021 e estará totalmente operacional em meados de 2022. (Energy Global – 05.01.2021)

<topo>

3 Hanwha Solutions expande negócios em energias renováveis

Hanwha Solutions, empresa sul-coreana de energias renováveis, reorganizou seus negócios com foco estratégico no investimento em recursos eólicos, solares e em hidrogênio verde. A empresa disse que está aberta à contratação de talentos locais e estrangeiros para fortalecer sua capacidade de pesquisa e desenvolvimento nessas áreas, dentro de sua divisão global Green Energy Solution (GES), que é responsável por projetos de energia renovável. A Hanwha Solutions também montou um centro de pesquisa para hidrogênio verde. (Renew.biz – 05.01.2021)

<topo>

4 SK Group fará parceria para acelerar economia de hidrogênio na Ásia

A Plug Power Inc., fornecedora líder de células a combustível de hidrogênio e soluções de abastecimento para mobilidade elétrica, e o SK Group, um dos principais grupos sul-coreanos de negócios, pretendem formar uma parceria estratégica para acelerar o hidrogênio como fonte de energia alternativa no mercado asiático. Por meio dessa parceria, a Plug Power e o SK Group pretendem fornecer sistemas de células a combustível de hidrogênio, estações de abastecimento e eletrolisadores para o mercado asiático. Em conjunto com esta parceria, as empresas também firmaram um acordo definitivo para o SK Group investir estrategicamente US$ 1,5 bilhão na Plug Power e estão anunciando um plano para formar uma joint venture na Coréia do Sul, com intenção de apoiar o mercado asiático em rápido crescimento. (Green Car Congress – 07.01.2021)

<topo>

5 Haldor Topsoe e Aker Carbon Capture são parceiros na produção de hidrogênio de baixo carbono

A Aker Carbon Capture e Haldor Topsoe uniram forças para oferecer uma solução completa para produção econômica de hidrogênio azul de baixa emissão, como parte de um esforço para descarbonizar o mercado de hidrogênio existente. Sob a assinatura de um Memorando de Entendimento (MoU), a Haldor Topsoe combinará seu processo de produção de hidrogênio com a tecnologia de captura de carbono pós-combustão da Aker Carbon Capture para atingir seus objetivos de produção de hidrogênio. “A colaboração com a Aker Carbon Capture é uma excelente oportunidade para apoiar os clientes na redução de suas emissões de produção de hidrogênio”, disse Amy Hebert, Diretor Comercial da Haldor Topsoe. (Green Car Congress – 07.01.2021)

<topo>

6 Índia planeja entrada no mercado de hidrogênio verde pós-2030

Espera-se que o hidrogênio verde comece a se tornar competitivo em termos de custos comparados aos de combustíveis fósseis até 2030, afirma um novo relatório do Instituto de Energia e Recursos (TERI), na Índia. O relatório da organização de pesquisa independente estima que até 2030 os custos de produção do hidrogênio proveniente de fontes renováveis cairão mais de 50% e começarão a competir com o hidrogênio produzido a partir de combustíveis fósseis. Além disso, com essa redução de custos e com o objetivo de descarbonizar a economia, a demanda de hidrogênio na Índia pode aumentar em pelo menos cinco vezes até 2050, com cerca de 80% desta sendo “verde”, de acordo com o relatório. (Power Engineering International – 04.01.2021)

<topo>

7 Preço do aço verde com hidrogênio é alto

Os custos de produção de aço com baixa emissão na Europa permaneceram altos em 2020, com base nos altos preços das pelotas de minério de ferro e suposições de custos do hidrogênio verde, visto como potencial combustível para o processo de redução direta de ferro, de acordo com a análise da S&P Global Platts. Os preços do carbono no mercado da UE no ano passado, em torno de EUR 24,50/mt (o equivalente a US$ 30,08/mt), não foram altos o suficiente para reduzir significativamente as diferenças de custo entre os altos-fornos e o DRI (Direct Reduced Iron), produzido a hidrogênio. Os principais insumos de matérias-primas para aço de alto-forno, responsáveis por cerca de 2,2 toneladas de carbono por tonelada de aço, foram muito mais baixos do que as pelotas de minério de ferro, baseado em energias renováveis para DRI. (S&P Global – 06.01.2021)

<topo>

8 Plug Power terá sua nova “gigafactory’’ em Nova York

Nova York terá novas bilhões de quantidade de energia elétrica com a nova “gigafactory” que lhe será implanta pela Plug Power, uma empresa que atua no desenvolvimento de sistemas de células a combustível de hidrogênio e agora estará se expandindo. Além de toda nova energia limpa para a cidade de NY, ainda haverá uma melhora na empregabilidade, contando com mais de 375 novos empregos bem remunerados, a economia e os cidadãos agradecem. Por fim, vale salientar as palavras do Senador Chuck Schumer “Argumentei para o CEO da Plug Power, Andrew Marsh que, a força de trabalho poderosa da região de Rochester junto com o excelente pacote de Nova York, era a centelha necessária para levar a sua tecnologia de ponta, de célula a combustível de hidrogênio, a novos patamares”. (Fuel Cells Works – 01.01.2021)

<topo>

 

 

Tecnologia e Inovação

1 Worthington quer se tornar líder em soluções de hidrogênio

A Worthington Industries, uma empresa global diversificada de manufatura de metais, tem como objetivo ser a maior fornecedora de soluções no âmbito do hidrogênio. Desse modo, a empresa global adquiriu a PTEC Pressure Technology, visando, principalmente, a fabricação e projeção de componentes para o hidrogênio, para assim proporcionar sistemas mais abrangentes para o armazenamento, transporte e uso final do combustível. (H2 View – 07.01.2021)

<topo>

2 Casas no norte da Inglaterra serão aquecidas à hidrogênio

Os edifícios na vila de Winlaton, perto de Gateshead, serão alguns dos primeiros no Reino Unido a testar a mistura de gás natural com hidrogênio. No total, 670 casas mais a igreja local, a escola primária e várias empresas receberão a mistura de hidrogênio por um período de cerca de 10 meses, começando no início de 2021. O projeto será liderado pelo distribuidor regional de gás, Northern Gas Networks, como parte do projeto HyDeploy North East, com a assistência da Cadent, que fornece gás para mais de 11 milhões de residências e empresas no Reino Unido. O hidrogênio responderá por até 20% da mistura de gás da rede. HyDeploy afirma que esta é a maior proporção sendo testada na Europa no momento. (Euractiv – 06.01.2021)

<topo>

3 Carregadores rápidos movidos a célula de combustível unem veículos elétricos e hidrogênio

Enquanto grande parte do mundo está em debate entre os veículos elétricos ou veículos movidos a hidrogênio, a AFC Energy e a ABB criam carregadores movidos a células a combustível e assim unem o hidrogênio aos veículos elétricos. Uma grande deficiência dos EVS é que, quando utilizados nas redes elétricas municipais, estão indiretamente contribuindo para as emissões de carbono. Portanto, a proposta dessas duas empresas é fazer com que os veículos sejam totalmente descarbonizados, e com hidrogênio verde, as viagens seriam, como quase nunca, totalmente livres de carbono. Ademais, outra grande vantagem da utilização desses carregadores movidos a célula a combustível é o fato de conseguirem carregar totalmente o veículo em apenas alguns minutos. (Fuel Cells Works – 05.01.2021)

<topo>

 

 

Mobilidade

1 Shell, OMV e montadoras se unem para implantar frota de caminhões a hidrogênio na Europa

A Shell e a OMV, ao lado montadoras Daimler Truck AG, Iveco e Volvo Group, pretendem colocar em circulação, ao menos, 10 mil caminhões movidos a hidrogênio, na Europa, com a criação de corredores de abastecimento e soluções para atender a demanda pelo combustível. Chamada de H2Accelerate, o acordo de colaboração buscará viabilizar o uso em massa de caminhões a hidrogênio na região e atender à ambição do continente de reduzir suas emissões líquidas de gases de efeito estufa (GEEs) a zero até 2050. Os investimentos serão feitos em duas fases. Na primeira, começa com a entrega de 100 veículos e a prova de conceito de até 20 estações de abastecimento de alta capacidade em polos regionais. Na segunda, as empresas querem contar com ao menos 10 mil caminhões movidos a hidrogênio, com a rede de abastecimento cobrindo as principais autoestradas do continente usadas no transporte de carga. (Epbr – 16.12.2020)

<topo>

2 Airbus está explorando células a combustível de hidrogênio para a propulsão de aeronaves

A Airbus está conduzindo estudos para determinar o quão escalonável uma configuração de “cápsula” de célula a combustível de hidrogênio, poderia ser utilizada em grandes aeronaves comerciais. A indústria de aviação desenvolveu inúmeras configurações nas últimas cinco décadas que permitiram às aeronaves voar mais alto, mais rápido e por mais tempo. Agora, os engenheiros da Airbus estão revelando uma nova configuração como parte do programa ZEROe, que pode permitir que um avião de passageiros voe mais longe do que nunca sem emissões. A abordagem inovadora consiste em seis “cápsulas” movidas a célula a combustível de hidrogênio com oito lâminas montadas sob a asa da aeronave. A configuração ‘cápsula’ é essencialmente um sistema de propulsão de célula de combustível distribuído que fornece empuxo para a aeronave por meio de seis propulsores dispostos ao longo da asa. (Green Car Congress – 03.01.2021)

<topo>

3 O primeiro trem movido a hidrogênio da Escócia estreará este ano

Com o querer de novas oportunidades para a cadeia de abastecimento ferroviária escocesa, a melhor solução encontrada foi o trem movido a hidrogênio. Com trabalho árduo, o primeiro trem movido a hidrogênio da Escócia será entregue e estará pronto para demonstração no evento COP26, que foi adiado para esse ano, por causa do Covid-19. Além do mais, ao ver o grande crescimento do hidrogênio, e querendo se tornar livre de emissões de carbono, a Escócia tem objetivo tornar as suas ferrovias de passageiros livres de emissões até 2035. (H2 View – 06.01.2021)

<topo>

4 Hy-Hybrid Energy, GOLDI e MMC focam no projeto de drones a hidrogênio

As empresas GOLDI Mobility, Hy-Hybrid Energy e Shenzhen MicroMultiCopter fizeram uma parceria no dia quatro de janeiro, com foco em projetos de drones movidos a hidrogênio. Nessa parceria, cada um terá suas respectivas funções, onde a GOLDI oferecerá serviços de reparo, manutenção e reabastecimento de hidrogênio comprimido para clientes locais, a MMC fornecerá suporte ao produto para drones a hidrogênio e, por fim, a A Hy-Hybrid Energy fornecerá suporte técnico e de gerenciamento de projeto para a equipe, seguido da configuração completa da fabricação. (H2 view – 04.01.2021)

<topo>

5 Hydrogen Europe dá boas-vindas à Estratégia de Mobilidade Sustentável e Inteligente da UE

Sabendo que a mobilidade é um dos setores que mais poluem o meio ambiente, a Comissão Europeia busca cada vez mais descarbonizar esse setor. Dessa forma, foi publicada a sua Estratégia de Mobilidade Sustentável e Smart que delineou a visão e medidas para descarbonizar o setor de transporte e cumprir os objetivos da Green Deal. A mobilidade por meio do hidrogênio terá um papel importante em todas as aplicações de transporte, especialmente em setores que não podem ser facilmente eletrificados, como transporte pesado, aviação e marítimo. (H2 View – 10.01.2021)

<topo>

6 Canadian Pacific desenvolverá locomotiva movida a hidrogênio

Desde o ano passado, a Canadian Pacific Railway (CP) tem seus planos para a aplicação do hidrogênio e células a combustível para o setor ferroviário de carga. Porém, apenas nesse ano as ações começarão a serem feitas, já que o plano de formar uma locomotiva de transporte de linha com células a combustível de hidrogênio e bateria, para acionar os motores elétricos de tração da locomotiva, só foi revelado no final do ano passado. Não é de hoje que a CP tem sucesso com a descarbonização no setor da locomoção, portanto, dessa vez, com a utilização do hidrogênio, o processo será ainda maior e eficaz. (H2 View – 05.01.2021)

<topo>

 

 

Artigos e Estudos

1 IRENA publica relatório sobre hidrogênio verde

Se o rápido aumento de escala e a implantação de eletrolisadores ocorrerem na próxima década, em combinação com custos decrescentes para energia solar e eólica e o melhor desempenho, o hidrogênio verde poderá começar a competir em custos com o hidrogênio azul até 2030 em muitos países, tornando-o mais barato do que outras alternativas de baixo carbono antes de 2040, como mostra a análise da IRENA. A redução do custo do hidrogênio verde prevê a ampliação dos eletrolisadores para atender à meta climática de 1,5 ºC e apresenta estratégias que os governos podem realizar para reduzir o custo dos eletrolisadores em 40% no curto prazo e em até 80% no longo prazo. (Energy Global – 29.12.2020)

<topo>

2 O apoio do governo é necessário para encorajar a adoção do hidrogênio

Enquanto os custos de produção em queda estão contribuindo na redução do custo do hidrogênio verde, muitas partes potencialmente viáveis do mercado não alcançarão a autossuficiência, a menos que os governos forneçam investimentos e implementem políticas que encorajem explicitamente a adoção do hidrogênio. De acordo com o novo relatório do Grupo Edison, divulgado no dia 6 de janeiro, “The Hydrogen Economy – Decarbonising the Final 20%”, o hidrogênio é essencial, mas talvez mais limitado do que se pensa atualmente. Sem apoio da indústria o hidrogênio não terá escala suficiente e os custos não cairão a ponto de os subsídios se tornarem desnecessários. O relatório ainda sugere que isso paralisaria o crescimento do mercado e algumas empresas podem não corresponder às expectativas atuais dos investidores, onde algumas podem até mesmo falhar totalmente. (H2 View – 07.01.2021)

<topo>


Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Diogo Salles, Fabiano Lacombe e Sayonara Andrade Elizário
Pesquisadores: Allyson Thomas
e Kalyne Silva Brito 
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

As notícias divulgadas no IFE não refletem necessariamente os pontos da UFRJ. As informações que apresentam como fonte UFRJ são de responsabilidade da equipe de pesquisa sobre o Setor Elétrico, vinculada ao NUCA do Instituto de Economia da UFRJ.

Para contato: ifes@race.nuca.ie.ufrj.br

POLÍTICA DE PRIVACIDADE E SIGILO
Respeitamos sua privacidade. Caso você não deseje mais receber nossos e-mails,  Clique aqui e envie-nos uma mensagem solicitando o descadastrado do seu e-mail de nosso mailing.


Copyright UFRJ

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: