IFE.H2 11

Informativo Eletrônico – Geração de Energia com Hidrogênio nº 11 – publicado em 25 de novembro de 2020.

IFE: Informativo Eletrônico de Mobilidade Elétrica – GESEL-UFRJ <!–

l

IFE: nº 11 – 25 de novembro de 2020
http://gesel.ie.ufrj.br/
gesel@gesel.ie.ufrj.br

Editor: Prof. Nivalde J. de Castro

Índice

Transporte de Hidrogênio
1
Hidrogênio renovável na instalação de gás do Canadá
2 Messer e HyGear firmam parceria para fornecer hidrogênio na República Tcheca
3 Reino Unido: A economia do hidrogênio começa hoje
4 E.ON acelera mudança da Alemanha de gás para hidrogênio

Mercado
1 Projeto australiano de hidrogênio renovável faz parceria com a CIP
2 Coreia do Sul pretende comercializar hidrogênio entre 2028-2030
3 Como construir uma economia de hidrogênio no oeste americano
4 Hidrogênio produzido por energia nuclear será considerado de “baixo carbono”
5 Cummins quer usar hidrogênio para expandir negócios
6 Espanha pede registro de projeto de hidrogênio
7 Snam vai comprar 33% de participação na De Nora
8 China desafia Elon Musk e avança com hidrogênio

Tecnologia e Inovação
1 Nova técnica converte amônia em hidrogênio
2 Leipzig pretende descarbonizar com transição de turbinas de gás para hidrogênio
3 Mapeando o futuro do hidrogênio na Austrália

Mobilidade
1 Vendas de FCEV, FECB e dados de estações de abastecimento de hidrogênio
2 Triton-EV lança semi-caminhão movido a hidrogênio e baterias
3 Trem de hidrogênio da Talgo ficará pronto em 2023
4 Havyard estabelece empresa de energia de hidrogênio para navios

Eventos
1 Conferência virtual Green Hydrogen Visions for the West
2 Semana Europeia do Hidrogênio: “O hidrogênio é o presente”, diz Bertrand Piccard na abertura do evento
3 Sandia premiada pela parceria Bayo Tech

Artigos e Estudos
1 ABH2 divulga o documento Hydrogen Energy in Brazil 2020
2 Consórcio Austrália-Alemanha vai analisar cadeia de abastecimento de hidrogênio em novo estudo
3 Como o hidrogênio pode impulsionar a transição energética
4 Hidrogênio “verde” para uso em processos industriais



 

 

Transporte de Hidrogênio

1 Hidrogênio renovável na instalação de gás do Canadá

A Enbridge Gas e a Cummins estão desenvolvendo um projeto para testar a mistura do hidrogênio renovável, produzido no Canadá, em uma parte da rede de gás natural existente localizada em Markham, Ontário. O projeto é o primeiro desse tipo na América do Norte, e será realizado com o apoio da Sustainable Development Technology Canada (STDC), para atender aproximadamente 3.600 clientes de Markham em 2021. Com o lançamento da Estratégia de Hidrogênio do Canadá em junho, o compromisso não poderia vir em melhor hora e representa um passo bem-sucedido na transição de Ontário para um futuro de energia limpa. (H2 View – 19.11.2020)

<topo>

2 Messer e HyGear firmam parceria para fornecer hidrogênio na República Tcheca

A empresa familiar de gás industrial Messer e a HyGear firmaram uma parceria de longo prazo, por meio da qual fornecerão, em conjunto, hidrogênio de alta pureza a dois usuários finais na República Tcheca. A Mundial Tungsten & Powders e OSRAM Danmark foram nomeados como os dois clientes que serão beneficiados com a parceria. O contrato é baseado no modelo gas-as-a-service da HyGear, no qual a empresa mantém a propriedade dos sistemas e permanece responsável pela operação e manutenção da tecnologia no local do cliente. (H2 View – 19.11.2020)

<topo>

3 Reino Unido: A economia do hidrogênio começa hoje

Em meio à pandemia, o Primeiro Ministro do Reino Unido fez um discurso sobre os compromissos do governo com a Net Zero ontem (18/11). Isso demonstra a importância que foi atribuída ao cumprimento dessa meta para o Reino Unido: a redução do carbono precisa ser incorporada em todos os aspectos da sociedade se quisermos ter sucesso e garantir um futuro verde para a próxima geração. Se uma mistura de 20% de hidrogênio fosse lançada em todo o país, ela poderia economizar cerca de 6 milhões de toneladas de emissões de dióxido de carbono a cada ano, o equivalente a retirar 2,5 milhões de carros das estradas. (H2 View – 19.11.2020)

<topo>

4 E.ON acelera mudança da Alemanha de gás para hidrogênio

A Alemanha espera que o uso de hidrogênio ajude a tingir suas metas climáticas por isso, estão tentando incluí-lo no que for possível. Sendo assim, os gasodutos não podem ficar de fora, pois são muito atrativos para o hidrogênio, visto que é uma forma de transporta-lo. Com a adição de hidrogênio, os gasodutos precisam ser apropriados, e devem ser convertidos para receber esse gás. A multinacional alemã E.ON está convertendo seu gasoduto de distribuição de gás natural na Alemanha para transportar hidrogênio puro. Além da conversão do gasoduto, isso também requer ajustes nas instalações existentes do cliente. (Power Engineering International – 17.11.2020)

<topo>

 

 

Mercado

1 Projeto australiano de hidrogênio renovável faz parceria com a CIP

Os planos para desenvolver uma nova e massiva instalação de produção de hidrogênio, com até 5.000 MW de projetos solares e eólicos combinados para abastecê-la, perto de Kalbarri, no oeste da Austrália, ganharam o apoio da Copenhagen Infrastructure Partners (CIP). O objetivo do projeto é usar a posição privilegiada para localização de projetos eólicos e solares na costa centro-oeste do estado, juntamente com a água do mar dessalinizada, para produzir hidrogênio renovável. E futuramente, exportar para os mercados asiáticos, principalmente Japão e à Coréia. (Renew Economy – 16.11.2020)

<topo>

2 Coreia do Sul pretende comercializar hidrogênio entre 2028-2030

A Coréia do Sul pretende comercializar hidrogênio, por meio de importação e exportação, entre 2028-2030. O país está construindo uma base de produção no exterior e um terminal doméstico, disse o diretor do departamento de coordenação de negócios da H2KOREA, Nak-Hyun Kwon. Durante a Conferência de Hidrogênio Australiana, Kwon disse que um estudo de viabilidade do plano de comercialização para importações de hidrogênio, livre de dióxido de carbono, será conduzido entre 2020-2021, após considerar fatores tecnológicos, econômicos e ambientais de vários países. Após o estudo de viabilidade, uma segunda fase chamada de estágio de demonstração conjunta ocorrerá entre 2022-2027, com empresas privadas assumindo a liderança, para desenvolver tecnologias para a comercialização. (S&P Global Platts – 17.11.2020)

<topo>

3 Como construir uma economia de hidrogênio no oeste americano

Em Utah, uma usina a carvão que fornece eletricidade para Los Angeles está sendo equipada com turbinas a gás natural, que serão capazes de funcionar com hidrogênio verde, que será armazenado em cavernas subterrâneas quando não tiver energia solar e eólica disponível para a rede. Este projeto, de mais de um bilhão de dólares, pode eventualmente ser expandido para mais eletrolisadores de energia renovável para atender o oeste dos Estados Unidos. Também poderá crescer incluindo uso em dutos de hidrogênio para aumentar o fornecimento ou substituir o gás natural usado para o aquecimento e indústria ou para fornecer às frotas de veículos de célula a combustível de hidrogênio em toda a região. (Fuel Cell Works – 18.11.2020)

<topo>

4 Hidrogênio produzido por energia nuclear será considerado de “baixo carbono”

A Comissão Europeia tomou uma decisão importante para o setor de energia, que pode alavancar os investimentos: ela considerará o hidrogênio produzido a partir da energia nuclear como “de baixo carbono”. A afirmação foi feita ao Parlamento Europeu por Paula Abreu Marques, chefe da unidade de energias renováveis da Comissão Europeia. Com isso, a Comissão Europeia pode adotar a estratégia de apoio à descarbonização, tanto da indústria, como dos transportes, edifícios e geração. Até 2024 a Comissão Europeia apoiará a instalação de pelo menos 6 GW de eletrolisadores de hidrogênio renovável na UE e a produção de até 1 milhão de toneladas de hidrogênio renovável. De 2025 a 2030, é necessário haver pelo menos 40 GW de eletrolisadores de hidrogênio renovável e a produção de até 10 milhões de toneladas de hidrogênio renovável. De 2030 a 2050, as tecnologias de hidrogênio renovável devem atingir a maturidade e ser implantadas em grande escala em todos os setores difíceis de descarbonizar. (Petronotícias – 19.11.2020)

<topo>

5 Cummins quer usar hidrogênio para expandir negócios

A Cummins planeja expandir seus negócios de produção de células a combustível de hidrogênio e solidificar ainda mais a empresa como uma das líderes global em energia. A empresa detalhou seus planos para investir em eletrolisador com pelo menos US$ 400 milhões em 2025. Membros da equipe de liderança da Cummins revisaram o portfólio e a estratégia de hidrogênio existente da empresa e as oportunidades de mercado específicas em uma conferência virtual realizada com a comunidade de investidores. O presidente e CEO Tom Linebarger, disse “À medida que o mundo faz a transição para um futuro de baixo carbono, a Cummins tem força financeira para investir em tecnologias de hidrogênio e bateria, bem como motores avançados a diesel e gás natural. (Petronotícias – 19.11.2020)

<topo>

6 Espanha pede registro de projeto de hidrogênio

O governo da Espanha abriu, em um intervalo de um mês, um espaço para que os desenvolvedores de projetos de hidrogênio verde registrem seu planejamento com o estado, após uma promessa de investir 1,5 bilhão de euros (1,8 bilhão de dólares) no setor até 2023. O Ministério de Transição Ecológica abriu um procedimento de “expressão de interesse” para os desenvolvedores registrarem planos e detalharem como os projetos beneficiam a cadeia de valor do hidrogênio renovável. Os desenvolvedores também devem demonstrar o alinhamento do projeto com as metas de emprego, desenvolvimento industrial e descarbonização, disse o ministério. A chamada foi feita após o anúncio feito em 19 de novembro pelo primeiro-ministro Pedro Sanchez de que a Espanha investiria uma verba do Fundo de Recuperação Europeia de 72 bilhões de euros em projetos de hidrogênio verde. (S&P Global Platts – 20.11.2020)

<topo>

7 Snam vai comprar 33% de participação na De Nora

Uma empresa italiana de infraestrutura de energia, a Snam, irá adquirir 33% da Blackstone Tactical Opportunities, no primeiro trimestre de 2021. Com base nos acordos, que serão finalizados após a conclusão da operação, a Snam poderá nomear três diretores da De Nora e estará representada nos comitês técnico e estratégico recém-formados, com possibilidade de destaque de pessoal para a empresa. Marco Alverà, CEO da Snam, disse: “A parceria estratégica com uma empresa italiana de excelência, inovadora global em tecnologias sustentáveis e com perspectivas importantes para o desenvolvimento de hidrogênio, é uma oportunidade única para fortalecer o papel da Snam na transição energética.” (H2 View – 19.11.2020)

<topo>

8 China desafia Elon Musk e avança com hidrogênio

Mesmo com todas as críticas ao hidrogênio e as células a combustível que o Elon Musk fez, a China acredita no potencial do hidrogênio e tem como meta 1 milhão de veículos com célula a combustível em operação até 2030. Além do mais, está realizando um programa de recompensas por parte da capital Pequim para quem atingir a metas de adoção de desenvolvimentos de carros, caminhões e ônibus movidos a hidrogênio. Até mesmo a Hyundai acredita que a China tem um enorme potencial para veículos comerciais movidos a hidrogênio, por isso não temem às palavras de Elon Musk. (Fuel Cells Works – 20.11.2020)

<topo>

 

 

Tecnologia e Inovação

1 Nova técnica converte amônia em hidrogênio

Pesquisadores da Universidade de Northwestern desenvolveram um método eficiente e ecológico para converter amônia em hidrogênio. A ideia é usar amônia como um transportador de hidrogênio pela facilidade de liquefazer, armazenar e transportar. A técnica converte amônia em hidrogênio utilizando eletricidade renovável no lugar de energia térmica, além disso, produz hidrogênio puro, sem a necessidade de fazer a separação da amônia ou qualquer outro produto que não tenha reagido. Outro ponto demonstrado no trabalho é que o processo possui elevada eficiência, pois converte toda a corrente elétrica fornecida ao dispositivo produz o hidrogênio, sem quaisquer perdas para reações parasitárias. (Fuel Cell Works – 20.11.2020)

<topo>

2 Leipzig pretende descarbonizar com transição de turbinas de gás para hidrogênio

A Siemens Energy está fornecendo dois pacotes de turbinas a gás para uma nova usina CHP que terá capacidade elétrica de aproximadamente 125 MW e uma capacidade térmica de cerca de 163 MW. A nova usina será construída para a concessionária Stadtwerke Leipzig, e as turbinas a gás Siemens Energy SGT-800 funcionarão inicialmente com gás natural, ao entrar em operação em 2022. No entanto, a meta a longo prazo é operar a planta com hidrogênio 100% verde, que pode ser produzida a partir da energia eólica ou solar por eletrólise. (Power Engineering International – 20.11.2020)

<topo>

3 Mapeando o futuro do hidrogênio na Austrália

A Austrália já tem muitos dos pré-requisitos necessários para ser um líder mundial na produção de hidrogênio. Além do mais, a Geoscience Australia está apoiando o aumento do uso de tecnologia de baixas emissões pela Austrália com uma ferramenta pioneira mundial que mapeia o potencial de hidrogênio limpo do país. A Ferramenta de Oportunidades de Hidrogênio da Australia (AusH2) foi projetada para ajudar os responsáveis por tomar decisões, na indústria e do governo, a identificar áreas em toda a Austrália com alto potencial para produção de hidrogênio. Antes mesmo de lançar o AusH2, a Geoscience Australia estimou que mais de 200.000 quilômetros quadrados da Austrália com potencial altamente prospectivo para a produção de hidrogênio verde ou com base em energias renováveis. (Fuel Cells Works – 23.11.2020)

<topo>

 

 

Mobilidade

1 Vendas de FCEV, FECB e dados de estações de abastecimento de hidrogênio

Todos os meses, a California Fuel Cell Partnership publica as estatísticas mais recentes sobre o número de carros vendidos, movidos a células a combustível (FCEV), o número de ônibus com células a combustível (FCEB) que estão em operação e a quantidade de estações de abastecimento de hidrogênio abertas na Califórnia. Segundo os números divulgados esse ano, em 1º de novembro, 8741 FCEVs foram vendidos e 48 FCEBs estão em operação, quanto às estações de abastecimento, tem-se 42 disponíveis na Califórnia. Os números são expressivos quando comparados ao Japão. (Ful Cell Works -21.11.2020)

<topo>

2 Triton-EV lança semi-caminhão movido a hidrogênio e baterias

A Triton-EV, nova subsidiária da Triton Solar anunciou recentemente que produziu um semi-caminhão de 18 rodas, com serviço completo e 100% elétrico. O caminhão é um híbrido de células a hidrogênio, que geram eletricidade, e baterias a bordo para armazenar esta energia. A subsidiária revolucionária da Triton Solar acreditou em sua equipe, conseguiu projetar um semi caminhão 100% elétrico, em apenas 35 dias. Além disso, os resultados são incríveis, a capacidade de reboque é igual à de qualquer caminhão a diesel, 220.000 libras. (Fuel Cells Works – 21.11.2020)

<topo>

3 Trem de hidrogênio da Talgo ficará pronto em 2023

A Talgo AS, empresa espanhola líder na fabricação e manutenção de trens leves de alta velocidade, está construindo um trem movido hidrogênio chamado Talgo Vittal-One. A empresa anunciou que o trem é movido por fontes de energia renováveis que produzem hidrogênio, que é armazenado e posteriormente usado para alimentar os sistemas de propulsão avançados baseados em células a combustível. Por isso, o sistema é complementado com baterias que aumentam a aceleração disponível nas partidas, aproveitando a frenagem do trem para recarga. Os testes de validação da tecnologia de hidrogênio em pista serão realizados em uma primeira fase em 2021 para, em seguida, ser instalada no novo trem em uma segunda. (H2 View – 20.10.2020)

<topo>

4 Havyard estabelece empresa de energia de hidrogênio para navios

O Havyard Group, empresa de tecnologia marítima sediada na Noruega, há anos tem trabalhado na pesquisa e desenvolvimento em sistemas de propulsão a hidrogênio para grandes embarcações. Agora, está estabelecendo uma empresa separada, para seus sistemas completos a hidrogênio para navios, a fim de atender à demanda do mercado. A Havyard terá o primeiro sistema pronto para aprovação no início do próximo ano, e seu know-how e experiência agora estarão reunidos na empresa recém-formada Havyard Hydrogen AS. Gunnar Larsen, CEO do Havyard Group, afirma que, para reduzir as emissões do transporte marítimo em pelo menos 50%, muitos navios terão que navegar com zero emissões. (Green Car Congress – 20.11.2020)

<topo>

 

 

Eventos

1 Conferência virtual Green Hydrogen Visions for the West

A Green Hydrogen Coalition, em colaboração com a National Association of State Energy Officials (NASEO) e o Western Interstate Energy Board (WIEB), realizou, nos dias 17 e 18 de novembro, sua 2ª reunião anual, reunindo legisladores, fornecedores de hidrogênio, líderes da indústria, serviços públicos, investidores, desenvolvedores e ONGs para acelerar o progresso do mercado de hidrogênio verde e do desenvolvimento de infraestrutura no oeste dos Estados Unidos e além. “O hidrogênio é ótimo e estamos muito animados com isso, mas não acho que vamos realizar seu potencial sem esforços colaborativos reais”, disse Daniel Simmons, secretário adjunto de Eficiência Energética e Energia Renovável do Departamento de Energia dos EUA (DOE). Na primeira palestra do dia, Simmons discutiu os esforços do departamento de hidrogênio e células a combustível, incluindo seu Plano de Programa de Hidrogênio lançado para fornecer uma estrutura estratégica para suas atividades de pesquisa, desenvolvimento e demonstração (RD&D) de hidrogênio.

<topo>

2 Semana Europeia do Hidrogênio: “O hidrogênio é o presente”, diz Bertrand Piccard na abertura do evento

Para corresponder ao interesse nas tecnologias de hidrogênio e células a combustível, e marcar a adoção da Estratégia de Hidrogênio da UE em julho, a primeira Semana Europeia do Hidrogênio está acontecendo entre 23 a 27 de novembro de 2020. O evento será dedicado ao papel essencial do hidrogênio para cumprir o compromisso da UE de atingir a neutralidade de carbono até 2050. Os destaques incluíram o Fórum Europeu do Hidrogênio, marcando o lançamento da Aliança Europeia do Hidrogênio Limpo. Na abertura, Bertrand Piccard enfatizou que o hidrogênio é o presente, já funciona, já pode dar lucro. “O que é tão fascinante no hidrogênio é o fato de trazer pioneiros e inovadores, trazer pessoas que querem mudar o mundo. É uma oportunidade única ”, disse Piccard ao público de 3.000 pessoas. (H2 View – 23.11.2020)

<topo>

3 Sandia premiada pela parceria Bayo Tech

A Sandia National Laboratories recebeu um prêmio de excelência em transferência de tecnologia do Federal Labs Consortium, pelo desenvolvimento de uma solução para produção de hidrogênio de baixo carbono para a Bayo Tech. O prêmio foi um dos seis ganhos pelos laboratórios sediados nos Estados Unidos por suas soluções durante a pandemia, desenvolvendo células solares e tecnologia de pesquisa de hidrogênio e trabalhando de forma criativa com várias empresas. Os geradores modulares, escaláveis e rapidamente implantáveis da Bayo Tech produzem hidrogênio no ponto de uso, eliminando o custo e as emissões de carbono associadas à liquefação e ao transporte. (H2 View – 20.11.2020)

<topo>

 

 

Artigos e Estudos

1 ABH2 divulga o documento Hydrogen Energy in Brazil 2020

A Associação Brasileira de Hidrogênio divulgou um documento mostrando o papel da ABH2 e destacando alguns dos projetos em desenvolvimento na área de energia do hidrogênio no Brasil. O documento apresenta um perfil dos projetos P&D desenvolvidos no Brasil, regulações, códigos e normas para o setor que estão em andamento, bem como projetos e linhas pesquisas. (ABH2 – novembro 2020)

<topo>

2 Consórcio Austrália-Alemanha vai analisar cadeia de abastecimento de hidrogênio em novo estudo

Um novo consórcio formado por acadêmicos e especialistas da indústria começará a trabalhar para identificar as barreiras e as abordagens ideais para estabelecer uma cadeia de abastecimento de hidrogênio entre a Alemanha e a Austrália. O consórcio analisará toda a cadeia de abastecimento de hidrogênio (produção, armazenamento, transporte, recuperação e uso) para estabelecer como a Austrália pode entregar hidrogênio renovável da melhor forma, para a Alemanha. O estudo também considerará oportunidades de comercialização de inovações tecnológicas que possam transformar as cadeias de valor entre os países. A University of New South Wales (UNSW), a Deloitte e a Baringa Partners foram selecionadas como parceiras australianas e trabalharão com colegas na Alemanha para entregar o ‘Estudo de Viabilidade da Cadeia de Abastecimento Alemão-Australiano de Hidrogênio produzido a partir de energias renováveis’”. (H2 View – 19.11.2020)

<topo>

3 Como o hidrogênio pode impulsionar a transição energética

A S&P Global Ratings lançou um relatório analisando como o hidrogênio pode impulsionar a transição energética. A Agência disse que para que isso aconteça é necessária uma política coordenada, menores custos de produção de hidrogênio e crescimento significativo de energias renováveis. Segundo o relatório os custos do hidrogênio verde devem cair mais de 50% kg até 2030, para que seja uma alternativa viável. Isso pode ser alcançado com os custos de produção de energia solar e eólica de US$20/MWh – US$30/MWh, ou menos, se os gastos em eletrolisadores também diminuírem em 30% – 50% à medida que as plantas são construídas em escala industrial. A ampla disponibilidade de fontes renováveis competitivas e suporte simultâneo para o hidrogênio azul (com captura e armazenamento de CO2) são pré-requisitos para que o hidrogênio tenha uma posição mais proeminente na transição energética. (S&P Global Ratings – 19.11.2020)

<topo>

4 Hidrogênio “verde” para uso em processos industriais

A Internacional Energy Agengy (IEA), em seu artigo “Hoje no Laboratório – Amanhã na Energia?”destaca projetos de pesquisa em desenvolvimento nos Programas de Colaboração em Tecnologia (TCPs), Aumentando a conscientização sobre a contribuição que as tecnologias e sistemas TCP podem fazer para atingir as metas de clima e energia. O projeto H2Future, que teve início em 2017 e começou a operar em 2019, tem como objetivo produzir hidrogênio verde, usando eletricidade gerada a partir de fontes de energia renováveis. O hidrogênio servirá para processos industriais, como a fabricação de produtos químicos, ferro e aço, alimentos, semicondutores, bem como em refinarias de petróleo e gás e na mobilidade. Sua capacidade de fornecer hidrogênio e fornecer serviços de rede de equilíbrio de eletricidade está sendo validada. O projeto deu uma contribuição notável na promoção do hidrogênio verde na agenda energética da UE. (International Energy Agency – 17.11.2020)

<topo>


Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Diogo Salles, Fabiano Lacombe e Sayonara Andrade Elizário
Pesquisadores: Allyson Thomas
e Kalyne Silva Brito 
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

As notícias divulgadas no IFE não refletem necessariamente os pontos da UFRJ. As informações que apresentam como fonte UFRJ são de responsabilidade da equipe de pesquisa sobre o Setor Elétrico, vinculada ao NUCA do Instituto de Economia da UFRJ.

Para contato: ifes@race.nuca.ie.ufrj.br

POLÍTICA DE PRIVACIDADE E SIGILO
Respeitamos sua privacidade. Caso você não deseje mais receber nossos e-mails,  Clique aqui e envie-nos uma mensagem solicitando o descadastrado do seu e-mail de nosso mailing.


Copyright UFRJ

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: