IFE.ME 35

Informativo Eletrônico – Mobilidade Elétrica nº 35 – publicado em 17 de novembro de 2020.

IFE: Informativo Eletrônico de Mobilidade Elétrica – GESEL-UFRJ <!–

l

IFE: nº 35 – 17 de novembro de 2020
http://gesel.ie.ufrj.br/
gesel@gesel.ie.ufrj.br

Editor: Prof. Nivalde J. de Castro

Índice

Políticas Públicas e Regulatórias
1
Artigo GESEL: Eleições presidenciais e o futuro da mobilidade elétrica nos Estados Unidos
2 GESEL: Vitória de Biden significa uma vitória para os VEs
3 ABVE: medidas para impulsionar VEs
4 ABVE: falta estímulo governamental para VEs
5 UE: incentivos governamentais impulsionam VEs
6 Biden: plano ambicioso de energia limpa
7 Promessas de Biden para impulsionar VEs
8 Biden: indústria automobilística depende da transição energética
9 Primeiro ônibus rodoviário 100% elétrico do RS

Inovação e Tecnologia
1 VEs serão menos dependentes de leveza em 2030
2 Densidade de energia de bateria aumentará 15% na próxima década
3 Itaú lançará carsharing de VEs
4 EDP Smart lança plataforma voltada a VEs
5 Volvo Cars vai desenvolver os seus próprios motores elétricos
6 Sucesso da Tesla se deve à tecnologia da marca
7 Tesla: entregas sob demanda
8 BMW iX: elétrico com mais de 600 km de autonomia

9 Iochpe-Maxion e startup vão criar plataforma para VEs

10 GM contrata 300 engenheiros destinados ao desenvolvimento de VEs

Indústria Automobilística
1 Brasil: VEs têm venda recorde
2 Brasil: vendas de VEs tendem a dobrar a cada dois anos
3 Volvo deixará de vender veículos ICE no Brasil em 2021

4 Volvo: a eletrificação de veículos no Brasil

5 Mobilidade elétrica é estratégia do Grupo EDP

6 Tesla ainda não pensa em se expandir para América do Sul

7 UE: VEs obtem 9,9% de participação de mercado

8 Mobilidade elétrica nos EUA está relativamente atrasada
9 VW: Biden se adequaria melhor à estratégia da montadora
10 Montadoras estão em consonância com planos de Biden
11 Venda de VEs cresce na Noruega
12 McDonald’s terá 200 pontos de recarga na Itália
13 Volvo: consumidores que compram VEs não voltam atrás

14 Keyton Motors: nova marca de carros chinesa no Brasil

15 Ford: mais de $250 milhões de dólares para produção de VEs

16 Ford quer produzir VEs mais barato

17 Ford se concentra na eletrificação de veículos comerciais

18 Fiat Chrysler e Engie criarão joint venture de mobilidade elétrica
19 Nissan quer vender apenas VEs na China
20 Compra de elétricos: Nissan antecipa incentivo de 2021

Meio Ambiente
1 UE rejeita pedido da indústria para adiar novos padrões de emissões de diesel
2 BMW iX: sustentabilidade para além do motor

Outros Artigos e Estudos
1 EUA: barreiras e soluções para acelerar a adoção de caminhões elétricos no setor de frete
2 Falta de infraestrutura de recarga no Brasil
3 VW firma parceria com Unidas


 

 

Políticas Públicas e Regulatórias

1 Artigo GESEL: Eleições presidenciais e o futuro da mobilidade elétrica nos Estados Unidos

Em agosto deste ano, os EUA alcançou o total de 1,6 milhão de VEs vendidos no país, entretanto o país ainda está atrasado no que diz respeito à maturação deste mercado. Um ponto fundamental que difere os EUA dos mercados chinês e europeu é o compromisso governamental com a promoção desta tecnologia. Assim, a eleição presidencial marcou a divisão em dois caminhos completamente distintos do setor energético. A vitória de Joe Biden coloca o país em consonância com outros governos ao redor do mundo, que realizam esforços para impulsionar a transição energética em prol do meio ambiente e do desenvolvimento tecnológico interno. Para ler o artigo na íntegra, clique aqui. (GESEL-UFRJ – 16.11.2020)

<topo>

2 GESEL: Vitória de Biden significa uma vitória para os VEs

Joe Biden planeja adotar uma série de medidas que prometem fortalecer o cenário dos veículos elétricos. O democrata pretende reviver o plano de crédito de US$ 7500 em abatimento de impostos pela compra de veículos elétricos pela classe média. Ele também propõe a adição de mais de 500 mil postos de recarga até o fim de 2030. Além disso, ele pretende implementar padrões de consumo ainda mais severos. Esses fatores podem não só destinar um foco ainda maior das montadoras para oferta de elétricos, como também incentivar uma maior adoção desses veículos pelos consumidores.

<topo>

3 ABVE: medidas para impulsionar VEs

A ABVE defende um conjunto de medidas que transmitam confiança aos compradores e segurança às empresas que querem investir na eletromobilidade. Entre essas medidas está equiparar as alíquotas de IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) dos VEs ao estabelecer as mesmas condições oferecidas aos automóveis convencionais. Os eletrificados pagam entre 12% e 18% de IPI, em média, enquanto um carro flex 1.0 a combustão paga apenas 7%. A ABVE propõe também incentivos a instalação de redes de recarga elétrica nas principais cidades e rodovias e isenção do IPVA cobrado sobre veículos eletrificados (hoje, menos de dez Estados brasileiros têm leis com esse objetivo). (Agência CanalEnergia – 11.11.2020)

<topo>

4 ABVE: falta estímulo governamental para VEs

A ABVE chamou a atenção para a falta de um projeto de estímulo à venda de VEs no Brasil. A entidade defende um conjunto de medidas que deem confiança aos compradores e segurança às empresas que investirem na eletromobilidade. Entre as propostas está a equiparação do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) dos VEs com o de modelos 1.0. Atualmente, os VEs pagam entre 12% e 18% de tarifa. E um veículo flex 1.0 paga só 7% referente à mesma alíquota. A ABVE propõe também incentivos à instalação de redes de recarga elétrica nas principais cidades e rodovias, e isenção do IPVA. Hoje, menos de dez Estados brasileiros têm leis com esse propósito. (O Estado de São Paulo – 11.11.2020)

<topo>

5 UE: incentivos governamentais impulsionam VEs

De julho a setembro de 2020, as matrículas de VEs plug-in mais que triplicaram (+ 211,6%) na UE. Este forte crescimento deve-se principalmente à introdução de incentivos por parte dos governos nacionais, buscando impulsionar a demanda em resposta à crise do coronavírus. Como resultado, a demanda por híbridos plug-in cresceu (+ 368,1%) durante o terceiro trimestre. O crescimento nos registros de VEs a bateria também foi forte em toda a UE (+ 132,3%), totalizando 135.461 unidades no período de três meses. Os VEs híbridos continuaram a ser o tipo de veículo com motor alternativo mais vendido na UE, apresentando um aumento de 88,8% no terceiro trimestre do ano. No total, 341.092 VEs híbridos foram vendidos de julho a setembro de 2020, representando 12,4% do mercado de automóveis da UE. (Green Car Congress – 06.11.2020)

<topo>

6 Biden: plano ambicioso de energia limpa

Biden tem um ambicioso plano de energia limpa que poderia encorajar uma nova onda de transporte sustentada por investimentos federais em VEs, infraestrutura e outras tecnologias inovadoras. Um porta-voz da campanha disse que o ex vice presidente sabe que a indústria automotiva é o coração da manufatura americana e essencial para o futuro da economia dos EUA. Ele diz ainda que, como presidente, Biden criará 1 milhão de novos empregos no setor. Um governo de Biden provavelmente adotará padrões mais elevados de eficiência de combustível, acelerando a adoção de veículos com emissões zero, disseram vários especialistas da indústria à Automotive News no mês passado. Também é improvável que seu governo continue a batalha legal de alto risco com as autoridades da Califórnia sobre a autoridade do estado para restringir as emissões do escapamento. (Automotive News Europe – 07.11.2020)

<topo>

7 Promessas de Biden para impulsionar VEs

Na campanha, as promessas de Biden incluíram o investimento em 500.000 estações de recarga de VE como parte de uma proposta de infraestrutura de US $ 2 trilhões. Ele também propôs o fornecimento de vouchers em dinheiro aos consumidores que trocassem veículos movidos a combustíveis fósseis para modelos elétricos feitos nos EUA. As ambições de Biden podem enfrentar um desafio no Congresso. A Câmara parecia estar no caminho certo para permanecer sob o controle democrata. O equilíbrio de poder no Senado, no entanto, pode ser determinado pelo segundo turno das eleições em janeiro para as duas cadeiras da Geórgia. (Automotive News Europe – 07.11.2020)

<topo>

8 Biden: indústria automobilística depende da transição energética

Biden sustenta que o futuro da indústria automobilística nos EUA depende da transição energética. Segundo ele, o país precisa assumir o protagonismo na produção de VEs — hoje liderada pela China, que faz as melhores baterias e tem a maior frota mundial desse tipo de veículo. E mais: o país asiático instala mil pontos de recarga por dia. Para estimular a indústria americana, Biden anunciou que fará um programa de renovação da frota com base na troca de carros velhos por modelos elétricos 0km made in USA. Disse também que a frota de veículos do governo dará vez aos VEs. Com estes e outros incentivos fiscais, a equipe do presidente eleito estima que 63 milhões de carros com motor a combustão serão substituídos por elétricos nos EUA nos próximos dez anos. Haverá mais verbas do governo para pesquisas, bem como estímulos para a implantação de postos de recarga. De acordo com o presidente eleito, essa transição tem o potencial de gerar um milhão de empregos na indústria automobilística americana. (O Globo – 10.11.2020)


<topo>

9 Primeiro ônibus rodoviário 100% elétrico do RS

O transporte de fretamento na região da Grande Porto Alegre (RS) entrou em uma nova fase com o início das operações do primeiro ônibus totalmente movido a eletricidade no Estado. Trata-se de um Marcopolo Viaggio 1050, montado sobre chassi da BYD, e cedido para a operadora Turis Silva. A iniciativa conta também com o apoio da EDP Smart, divisão de soluções em energia da empresa do setor elétrico EDP. De acordo com o projeto, a EDP Smart vai cuidar do modelo de negócio para o ônibus rodoviário elétrico, cuidando do fornecimento da infraestrutura de recarga do veículo. O ônibus conta com seis conjuntos de baterias, com as quais o veículo pode rodar até 300 km. (Automotive Business – 10.11.2020)

<topo>

 

 

Inovação e Tecnologia

1 VEs serão menos dependentes de leveza em 2030

Um novo relatório da Lux Research, Electric Vehicle Lightweighting 2030, analisa o futuro da redução de peso dos veículos e os fatores de sucesso do BEV necessários na próxima década. A redução de peso tem sido uma ferramenta fundamental para melhorar a economia de combustível dos veículos ICE nos últimos anos. No entanto, a transição de ICEs para BEVs muda tanto os objetivos quanto as considerações de design em torno da leveza. Os BEVs são mais eficientes e tem como principal ponto fraco o alcance. Além disso eles estão cada vez mais sendo projetados em torno de chassis ou plataformas compartilhadas. Assim, decisões sobre a redução do peso desses elementos terão um grande impacto em todos os BEVs produzidos por um OEM, aumentando a importância da colaboração nesses designs de plataforma. os BEVs têm naturalmente centros de gravidade muito baixos e sua massa é distribuída de maneira muito mais uniforme da frente para trás. A consequência, no entanto, é que a redução de peso orientada pelo desempenho é muito menos necessária. (Green Car Congress – 13.11.2020)

<topo>

2 Densidade de energia de bateria aumentará 15% na próxima década

Uma pesquisa feita pela Lux Research mostra que conforme o tamanho das baterias do veículo aumenta e sua massa diminui, o alcance aumenta. A Lux prevê que as densidades de energia da bateria aumentarão em cerca de 15% na próxima década. Essa densidade de energia aumentada pode ser usada para estender o alcance de um veículo, mantendo o tamanho da bateria, ou reduzir o custo, diminuindo o tamanho da bateria. Em sua análise, a Lux modelou ambos os cenários e calculou um benchmark leve. Assim, foi determinado que, para que a redução de peso seja uma solução econômica em relação às baterias até 2030, ela precisará custar, em média, menos de US $ 5 por kg de peso economizado. A Lux descobriu que há muito mais risco de disrupção com o aprimoramento das tecnologias de armazenamento de energia – que poderiam superar as melhorias previstas em 2030 – do que com as inovações em materiais. (Green Car Congress – 13.11.2020)

<topo>

3 Itaú lançará carsharing de VEs

Vec Itaú é o novo serviço de VE compartilhado via app no Brasil. Com testes previstos para a partir de fevereiro de 2021, o serviço fica disponível em um primeiro momento na cidade de SP, mas o Itaú afirma ter a intenção de levar a iniciativa a outros grandes centros do Brasil. A ideia é que o usuário não precise pagar uma taxa fixa mensal, e sim um valor inicial somado a um custo por minuto de uso. O Vec Itaú em desenvolvimento junto à Ucorp, que vai auxiliar nas operações do serviço. Por enquanto, foram anunciados apenas três modelos de VEs: BMW i3, JAC ev40 e Jaguar i-pace. Por meio do software, será possível reservar o veículo e, na data e horário combinados, desbloquear o carro. Também será possível acompanhar diversas informações do carro, como bateria disponível e outras condições. A expectativa do serviço é atender a demandas de “one way”, ou seja, usuários que não devem retornar à mesma base após o uso. (O Globo – 12.11.2020)

<topo>

4 EDP Smart lança plataforma voltada a VEs

A EDP Smart, subsidiária da EDP Brasil, lançou dois canais em suas plataformas digitais que calculam a relação custo x benefício, incluindo os ambientais, entre os modelos de veículos convencionais ante os elétricos e os ganhos ambientais de uma eventual troca. De acordo com o comunicado da empresa, o app EDP ev.X, esta disponível nos sistemas Android e iOS. Entre as funcionalidades, analisa o comportamento do usuário em seus deslocamentos diários, calcula e compara os custos gerados por veículos comuns e elétricos. No site da EDP Smart também terá uma página dedicada aos comparativos, gerados a partir dos dados do tipo de veículo e do consumo para fazer a simulação. (Agência CanalEnergia – 11.11.2020)

<topo>

5 Volvo Cars vai desenvolver os seus próprios motores elétricos

A Volvo Cars continua a apostar na eletrificação, desta vez com um investimento que permitirá à marca desenhar e desenvolver os seus próximos motores elétricos internamente. Recentemente, por exemplo, a marca abriu um laboratório para motores em Xangai. Esta unidade reforça a rede global de instalações para o desenvolvimento e teste de componentes de automóveis elétricos. Os investimentos da Volvo representam um passo importante na estratégia de eletrificação e plano ambiental, que consiste, entre outros objetivos, em alcançar 50% das vendas mundiais com veículos 100% elétricos até 2025, sendo a restante quota preenchida com modelos híbridos. A marca sueca quer tornar-se numa empresa ambientalmente neutra em 2040. (Razão Automóvel – 07.11.2020)

<topo>

6 Sucesso da Tesla se deve à tecnologia da marca

De acordo com Daniel Panizza Reis, sócio da DPR Trading, a principal exportadora de carros Tesla para América Latina e Caribe, o sucesso da fabricante não se deve apenas à qualidade de seus produtos, mas principalmente à tecnologia que eles possuem. Ele afirma que quem procura um Tesla hoje é a pessoa mais ligada à tecnologia, aquele consumidor que busca ter sempre o iPhone mais moderno, que tem sistemas de automação em casa. Existe a dirigibilidade do elétrico e ainda o fato de esse tipo de veículo não poluir, mas, para Panizza, a tecnologia ainda é o fator que mais influencia os compradores de um Tesla. Ele diz ainda enxergar uma oportunidade de montadoras e concessionárias aprenderem com a Tesla, especialmente em como vender esse carro tecnológico e a de como devem ser as equipes que vão vender esse veículo. (Automotive Business – 10.11.2020)

<topo>

7 Tesla: entregas sob demanda

Daniel Panizza Reis, sócio da DPR Trading, principal exportadora de carros Tesla para América Latina e Caribe, afirma que a Tesla já havia inovado ao oferecer a possibilidade de realizar todo o processo de compra do automóvel pela internet, muito antes de a pandemia obrigar as demais a adotarem processos similares. Por isso, as concessionárias da marca nos EUA possuem três veículos expostos e só, não há estoque. Todos os veículos da marca são produzidos sob encomenda e entram em produção após o cliente fechar o negócio na loja. Esse processo de produção sob demanda permite outra inovação: o cliente escolhe o tipo de bateria que melhor se adapta às suas necessidades. Se a pessoa precisa de um carro com maior autonomia ou desempenho esportivo, vai pagar mais caro do que quem optar pela bateria convencional. (Automotive Business – 10.11.2020)

<topo>

8 BMW iX: elétrico com mais de 600 km de autonomia

A BMW revelou a versão de produção do iX, um SUV elétrico que se assume como uma nova referência tecnológica da marca e que deverá chegar ao mercado no final do próximo ano. O veículo é garante um consumo de energia elétrica baixo para o seu segmento, com menos de 21 kWh por 100 Km no ciclo de teste WLTP. Um conteúdo bruto de energia de mais de 100 kWh permite que a bateria alcance mais de 600 Km no ciclo WLTP. A nova tecnologia permite um carregamento rápido até 200 kW. Desta forma, a bateria pode ser carregada de 10 a 80% da sua capacidade total em menos de 40 minutos. Além disso, em dez minutos, a bateria terá energia suficiente para aumentar o alcance do veículo em mais de 120 km. (Automonitor – 11.11.2020)

<topo>

9 Iochpe-Maxion e startup vão criar plataforma para VEs

A multinacional brasileira Iochpe-Maxion, fabricante de rodas e componentes estruturais de chassis, e a Ree Automotive, que trabalha no desenvolvimento de plataformas para veículos elétricos, anunciaram na quarta-feira, 11, uma parceria para projetar e produzir um conjunto modular com roda e chassi para os chamados “corner modules”, sobre os quais poderão ser construídos vários modelos, além do veículo elétrico da própria Ree. (Automotive Business – 11.11.2020)

<topo>

10 GM contrata 300 engenheiros destinados ao desenvolvimento de VEs

A General Motors anunciou que entre os mais de 3300 novos funcionários que devem ser contratados nos próximos 5 meses, cerca de 300 serão destinados especificamente para operações de carros elétricos. Ken Morris, vice-presidente de veículos elétricos e autônomos, afirmou que espera uma adoção acelerada de veículos elétricos no meio da década e quer garantir que terá um time de ponta para liderar a produção em massa dos 20 novos EVs planejados para lançamento até 2023. (Motor Trend – 09.11.2020)

<topo>

 

 

Indústria Automobilística

1 Brasil: VEs têm venda recorde

A Associação Brasileira de Veículos Elétricos (ABVE) prevê encerrar o ano com 19 mil VEs vendidos no Brasil, o que corresponde a um aumento de 60% em relação a 2019 e de 378% em relação a 2018. As vendas de 2020 já superam o volume total de vendas em 2019. Segundo a ABVE, de janeiro a outubro foram emplacados no país 15.565 VEs, contra 11.858 de janeiro a dezembro de 2019. Em 2018, o total foi de 3.970 unidades. Outubro também foi o segundo melhor mês da história da mobilidade elétrica no Brasil, com 2.273 unidades comercializadas, só superado por dezembro de 2019 (2.409). (Agência CanalEnergia – 11.11.2020)

<topo>

2 Brasil: vendas de VEs tendem a dobrar a cada dois anos

A frota de VEs ainda é minúscula no Brasil, porém as vendas não param de crescer. Em 2020, o total de unidades emplacadas já superou todo o volume de 2019 e registrou um novo recorde em outubro, com 15.556 modelos licenciados. Os dados são da Associação Brasileira de Veículos Elétricos (ABVE). Thiago Sugahara, vice-presidente de Veículos Leves da ABVE avalia que os resultados confirmam suas expectativas de que o mercado de eletrificados no Brasil tende a dobrar de tamanho a cada dois anos. Entre 2012 e 2018, o Brasil tinha 10.666 VEs nas ruas. De 2018 para 2019, a frota passou para 22.524 unidades. E em 2020, a ABVE prevê um total de 41.500 VEs. (O Estado de São Paulo – 11.11.2020)

<topo>

3 Volvo deixará de vender veículos ICE no Brasil em 2021

Sobre a aceitação pelo consumidor brasileiro dos produtos elétricos e híbridos, João de Oliveira, diretor de operações e inovação da Volvo Cars Brasil, destacou que é cada vez maior. Em 2019, a montadora vendia 20% em produtos eletrificados. Este ano a média deve ficar em 43% e se analisados os dois últimos meses, 60%. A projeção é que no primeiro trimestre de 2021 a migração para híbridos de toda a oferta de produtos esteja completa e a partir do segundo trimestre a Volvo já não ofereça mais no Brasil carros que sejam unicamente impulsionados por motor a combustão interna. Serão só híbridos ou elétricos, seguindo a estratégia global da fabricante. (Automotive Business – 12.11.2020)

<topo>

4 Volvo: a eletrificação de veículos no Brasil

João de Oliveira, diretor de operações e inovação da Volvo Cars Brasil, afirmou em uma live do #ABX20 que a marca está focando na expansão dos híbridos e assim será por um bom tempo até que se atinja a transição para o veículo 100% elétrico. Para veículos pesados, Alan Holzmann, diretor de estratégia de produtos da Volvo Trucks Latin America, afirma que a Volvo foi muito objetiva quando lançou sua jornada de eletrificação para os próximos anos, primeiro, em 2019 com o lançamento de caminhões elétricos médios e, agora, com a extensão da propulsão elétrica para modelos pesados. Segundo ele, os novos produtos estarão disponíveis para vendas efetivas em 2021 e em escala industrial em 2022, mas com o claro objetivo de até 2040 ter uma oferta de produtos totalmente livres de combustíveis fósseis. (Automotive Business – 12.11.2020)

<topo>

5 Mobilidade elétrica é estratégia do Grupo EDP

A eletrificação da mobilidade é um eixo da estratégia do Grupo EDP. O compromisso global é de eletrificar 100% da sua frota de carros até 2030, assim como trabalhar para o desenvolvimento de novas ofertas e soluções comerciais que promovam a transformação da matriz energética. Ao todo, a EDP possui um investimento de cerca de R$ 50 milhões em projetos de mobilidade elétrica aprovados em Chamada Pública da Aneel. O principal deles refere-se à implementação de 30 novas estações de recarga de automóveis que vão cobrir o estado de SP e conectar os principais corredores elétricos do País, interligando a capital paulista ao RJ, Vitória, Curitiba e Florianópolis. É o primeiro e maior projeto da América do Sul de instalação de carregadores ultrarrápidos (150kw e 350kw). O empreendimento terá um investimento de R$ 32,9 milhões e vai conectar 64 pontos de carregamento, formando um corredor com mais de 2.500 km de extensão. (Agência CanalEergia – 11.11.2020)

<topo>

6 Tesla ainda não pensa em se expandir para América do Sul

Sobre os planos de a Tesla expandir suas operações em direção da América do Sul, Daniel Reis, sócio da DPR Trading, principal exportadora de carros Tesla para América Latina e Caribe, acredita que isso vai demorar um pouco. Para ele, a Tesla está mais focada em se firmar na Europa e na China. O sócio acredita que a marca só vai investir na América do Sul quando tiver um novo modelo, que custe cerca de US$ 20 mil, que na visão dele seria um produto perfeito para atender o mercado. (Automotive Business – 10.11.2020)

<topo>

7 UE: VEs obtem 9,9% de participação de mercado

No terceiro trimestre de 2020, 9,9% dos automóveis de passageiros vendidos na UE eram VEs plug-in, em comparação com 3,0% no mesmo período do ano passado, de acordo com dados da Associação Europeia de Fabricantes de Automóveis (ACEA). Durante o terceiro trimestre, os carros movidos a motores convencionais de combustão interna tiveram sua participação de mercado caindo de 88,6% em julho-setembro de 2019 para 75,4% este ano. Os automóveis a diesel representaram 27,8% do total das vendas de automóveis de passageiros na UE, com os registros caindo 13,7%. As vendas de carros a gasolina registraram queda ainda mais forte (-24,3%). Isso representa uma participação de mercado de 47,5%, com a gasolina ficando abaixo da marca de 50% pela primeira vez desde 2016. (Green Car Congress – 06.11.2020)

<topo>

8 Mobilidade elétrica nos EUA está relativamente atrasada

Os EUA, em comparação com a Europa e a China, parecem estar atrasados no âmbito da mobilidade elétrica. Ao nível de infraestrutura, por exemplo, com uma rede de estações de carregamento ainda pouco difundida, ao nível das tecnologias de baterias e também ao nível da oferta de modelos verdes disponíveis no mercado. Biden quer intervir em todas as frentes, financiando pesquisas para desenvolver novas tecnologias, aumentar a infraestrutura de recarga das atuais 87.600 para 500.000 estações até 2030, apoiando os fabricantes que tentam comercializar carros limpos. O maior desafio será acompanhar a transição energética ajudando também a indústria “tradicional” que nos EUA tem um peso específico muito alto. (Inside EVs – 09.11.2020)

<topo>

9 VW: Biden se adequaria melhor à estratégia da montadora

O CEO do Grupo Volkswagen, Herbert Diess, disse na quinta-feira que uma vitória do democrata Joe Biden na corrida presidencial dos EUA seria mais adequada aos esforços da montadora alemã para produzir VEs em massa em todo o mundo. A VW está no meio de um esforço global para lançar veículos elétricos na China, nos EUA e na Europa, e está apostando em economias de escala para tornar os VEs mais acessíveis. Diess disse que a perspectiva de tensões comerciais entre os EUA e outras partes do mundo permaneceria mesmo se Biden vencesse. Os legisladores de todas as partes estão determinados a reequilibrar as relações comerciais, em um esforço para trazer investimentos e empregos de volta aos EUA, explicou Diess. Os planos da VW de construir a maior linha de VEs do mundo incluem a produção de baterias e crossovers ID4 em seu complexo de produção em expansão em Chattanooga, Tennessee. (Automotive News Europe – 05.11.2020)

<topo>

10 Montadoras estão em consonância com planos de Biden

Após as projeções da eleição apontarem Joe Biden como o 46º presidente dos EUA, a Ford e a GM se posicionaram para parabenizar o democrata. A Ford escreveu que espera unir o país e seguir políticas que encorajem a produção e a sustentabilidade dos EUA. Em nota, a GM afirma estar ansiosa para trabalhar na nova administração e com a entrada das novas políticas no Congresso que ajudem a fortalecer a presença da marca nos EUA e que avance a visão de um futuro todo elétrico de zero emissões. Em entrevista à Bloomberg na última quinta-feira, o CEO da Volkswagen, Herbert Diess, declarou que uma vitória do ex-vice presidente estaria mais alinhado com a estratégia da marca de eletrificação para combater a mudança climática. (O Estado de São Paulo – 10.11.2020)

<topo>

11 Venda de VEs cresce na Noruega

Depois de um ótimo resultado em setembro, assim como na maioria dos países europeus, outubro foi mais período de excelentes números para as vendas de VEs na Noruega. No total, foram registrados 10.242 novos VEs para passageiros, o que representa um aumento de quase 68% na comparação com o mesmo período do ano anterior, um número que representa nada menos que 79,1% do mercado de automóveis da Noruega como um todo. Pela tendência de crescimento dos últimos meses, o site de notícias Inside EVs acredita que se trata apenas de uma questão de tempo para vermos os VEs no país nórdico ultrapassarem os 90% de participação. (Inside EVs – 07.11.2020)

<topo>

12 McDonald’s terá 200 pontos de recarga na Itália

Repetindo uma estratégia de parceria que já acontece em alguns países, o McDonald’s e a Enel X unem forças para levar 200 pontos de recarga para VEs para os estacionamentos de 100 restaurantes da famosa rede de fast food norte-americana na Itália. Todas as estações de carregamento estarão funcionando até o final de 2021. Serão JuicePole e JuicePump e darão aos clientes do McDonald’s a possibilidade de recarregar a 22 kW CA ou 50 kW CC, respectivamente. Os novos pontos de recarga somam-se aos mais de 10.500 que já instalamos em todo o país e fazem parte de um projeto maior que nos prevê a participação na criação de uma rede europeia de infraestruturas”. A Enel X espera atingir um total de 28.000 pontos de carregamento no país até 2022. (Inside EVs – 07.11.2020)

<topo>

13 Volvo: consumidores que compram VEs não voltam atrás

Do ponto de vista do consumidor, uma pesquisa interna da Volvo Cars com seus clientes revela que 86% dos proprietários de híbridos não retroagirão na troca. Ou continuam com o híbrido ou tentarão uma opção 100% elétrica. João de Oliveira, diretor de operações e inovação da Volvo Cars Brasil, diz ser importante olhar o valor residual. O XC60 acabou de ser eleito o híbrido com menor desvalorização depois de um ano no país, com 9,8% de depreciação, índice muito baixo, algo que no passado era impensável com relação à aceitação do consumidor sobre o modelo. Hoje, vemos um mercado crescente de seminovos de híbridos. Tudo isso mostra qual é a atual aceitação do híbrido no Brasil. (Automotive Business – 12.11.2020)

<topo>

14 Keyton Motors: nova marca de carros chinesa no Brasil

A Keyton Motors é a mais jovem marca de carros chinesa a operar no Brasil. Em comunicado divulgado nesta semana, a novata anuncia para dezembro a pré-venda da EX7, uma minivan 100% elétrica com capacidade para sete passageiros. A Keyton EX7 é equipada com um motor elétrico de 90 cv de potência com autonomia para até 450 km (no ciclo NDEC). A bateria de íons de lítio tem capacidade de 63 kWh e pode ser recarregada em tomadas comuns. A montadora prevê o início das entregas para março de 2021. Até lá, a Keyton vai apresentar outros modelos A despeito dos planos ambiciosos, a Keyton não divulgou detalhes da operação no Brasil. A montadora não informou se vai estabelecer uma rede de concessionários no país. Do lado prático, os VEs são isentos de taxa de importação. (O Estado de São Paulo – 06.11.2020)

<topo>

15 Ford: mais de $250 milhões de dólares para produção de VEs

Recentemente a Ford anunciou o plano de investimento de $100 milhões de dólares para montar uma fábrica em Missouri para produção da versão elétrica de sua van comercial Transit e mais $150 milhões para expandir a produção de motores elétricos na sua fábrica em Detroit. Os novos investimentos devem criar mais de 300 empregos. A empresa também informou que planeja elevar em 50% a produção da versão elétrica de sua picape F-150, por conta de uma demanda acima do esperado. (Observer – 10.11.2020)

<topo>

16 Ford quer produzir VEs mais barato

No início do século passado, a Ford disponibilizou carros para americanos de classe média ao colocar o Model T na linha de montagem. E agora, ao que parece, pretende fazer algo semelhante com os VEs: em uma entrevista à Wards Auto, o novo CEO da Ford, Jim Farley, disse que a marca não tem planos de produzir VEs que custem mais de 100 mil dólares (R$ 544.000). De acordo com o executivo, os preços de todos os carros elétricos da Ford estarão na faixa de 20 mil (R$ 108.000) a 70 mil dólares (R$ 380.000). Assim, em comparação com os produtos da Tesla – para não mencionar marcas premium como Porsche ou Mercedes-Benz – os Ford elétricos serão relativamente acessíveis. (Inside EVs – 08.11.2020)

<topo>

17 Ford se concentra na eletrificação de veículos comerciais

A Ford está se concentrando na eletrificação de veículos comerciais. Ainda neste mês, a van 100% elétrica E-Transit será revelada, junto com a qual a montadora oferecerá aos representantes comerciais um pacote de serviços para carregamento e otimização da gestão da frota. Mais tarde, será a vez da picape elétrica F-150 EV chegar ao mercado. Se o preço desta última não superar os 70 mil dólares, será uma aposta séria para o sucesso. Para efeito de comparação, a versão mais acessível do GMC Hummer EV, que só irá aparecer em 2024, tem preço estimado a partir de 80 mil dólares. (Inside EVs – 08.11.2020)

<topo>

18 Fiat Chrysler e Engie criarão joint venture de mobilidade elétrica

A Fiat Chrysler e a Engie EPS, unidade da Engie, planejam formar uma joint venture para impulsionar a mobilidade elétrica, informaram as duas empresas nesta quinta-feira, 12. A divisão italiana da Fiat Chrysler e a Engie EPS, que também tem sede na Itália, assinaram um memorando de entendimento com o objetivo de criar a joint venture, disseram as companhias em comunicado. O novo empreendimento oferecerá uma gama completa de produtos e soluções, incluindo infraestrutura residencial, comercial e pública de carregamento de baterias de veículos elétricos, bem como pacotes de energia limpa para clientes de toda a Europa, disseram. A Fiat Chrysler (FCA) lançou uma versão elétrica de seu veículo 500 e vários modelos híbridos das marcas Fiat, Jeep e Maserati neste ano em uma tentativa de alcançar suas rivais na corrida pela mobilidade elétrica. (Reuters – 12.11.2020)

<topo>

19 Nissan quer vender apenas VEs na China

A Nissan Motor planeja aumentar a capacidade de produção na China em cerca de 30% e enviar equipes de desenvolvimento de veículos do Japão, mantendo o foco em um mercado em crescimento. A montadora japonesa quer que todos os novos carros que ela lance na China sejam elétricos, em linha com o apoio de Pequim aos veículos de baixa emissão, com planos eliminar gradualmente as vendas de veículos convencionais a gasolina até 2035. (Valor Econômico – 11.11.2020)

<topo>

20 Compra de elétricos: Nissan antecipa incentivo de 2021

A Nissan Portugal anunciou que irá antecipar o incentivo de 2021, no valor de 3.000 euros para os clientes particulares e 2.000 euros para empresas que optarem por comprar o Nissan LEAF em Portugal, até o final deste ano. Recentemente, todos os clientes de Nissan LEAF e e-NV200 com cartão GalpElectric/Nissan passaram a beneficiar de um desconto de 25% nos carregamentos no país, valor que pode chegar aos 33% caso os clientes tenham um contrato de fornecimento de eletricidade residencial com a Galp. A Nissan é caracterizada por poupanças significativas em custos de revisões, na isenção de imposto de circulação e em vantagens fiscais como a dedução do IVA de aquisição e manutenção. Com todas estas vantagens os utilizadores do Nissan LEAF poupam até 7.000 euros em 5 anos, quando comparado com um automóvel de combustão interna equivalente. (Automonitor – 12.11.2020)

<topo>

 

 

Meio Ambiente

1 UE rejeita pedido da indústria para adiar novos padrões de emissões de diesel

A Comissão Europeia rejeitou um pedido da indústria para atrasar a introdução em 1º de janeiro de um novo padrão de emissões que visa limitar os poluentes diesel prejudiciais em condições do mundo real. Por causa das medidas de bloqueio, a ACEA estimou na época que cerca de 600.000 carros que já foram fabricados não poderiam ser vendidos antes que o novo padrão entrasse em vigor. O grupo também alertou que a produção de alguns modelos não certificados pode não ser reiniciada, colocando em risco os empregos. Ao recusar o pedido, a Comissão Europeia disse que os planos de recuperação nacionais e da UE ajudarão a mobilizar investimentos para apoiar a indústria automotiva, bem como torná-la mais digital, reforçando sua resiliência. (Automotive News Europe – 10.11.2020)

<topo>

2 BMW iX: sustentabilidade para além do motor

O conceito e o design do novo BMW iX estão altamente conectados com uma abordagem abrangente de sustentabilidade. Isso reflete-se na sua aerodinâmica otimizada, no seu design leve e inteligente e utilização extensiva de materiais naturais e reciclados. As baterias instaladas no BMW iX são projetadas como parte de um ciclo de recursos de longo prazo e permitem uma taxa de reciclagem excecionalmente alta. A energia usada tanto para produzir as células da bateria como para a bateria de alta tensão vem exclusivamente de fontes renováveis. (Automonitor – 11.11.2020)

<topo>

 

 

Outros Artigos e Estudos

1 EUA: barreiras e soluções para acelerar a adoção de caminhões elétricos no setor de frete

A Electrification Coalition divulgou um novo relatório que identifica soluções e ações que as partes interessadas da indústria devem realizar para ajudar os EUA a acelerar a adoção de caminhões elétricos no setor de frete. O relatório, Electrifying Freight: Pathways to Acceler the Transition, descreve os benefícios que os caminhões elétricos têm em relação aos seus homólogos a diesel; explica as principais barreiras que impedem sua produção, vendas e implantação; e estabelece as próximas etapas que fabricantes, legisladores, operadores de frota, a cadeia de suprimentos de VEs e outras partes interessadas devem realizar para facilitar e acelerar a eletrificação desses veículos. (Green Car Congress – 13.11.2020)

<topo>

2 Falta de infraestrutura de recarga no Brasil

Um dos aspectos mais desafiadores para os VEs no Brasil é a infraestrutura de recarga, que ainda é muito pequena. Montadoras premium, como BMW e Volvo Cars, estão investindo pesado na abertura de novos pontos de recarga nas grandes capitais brasileiras. Também começam a surgir novas empresas no ramo. Uma das novatas é a Tupinambá, startup fundada pelos empresários Davi Bertoncello e Pedro De Conti. A empresa acaba de inaugurar sua primeira estação para recarga para VEs na Av. Paulista, em São Paulo. E até o fim deste ano, pretende abrir outros dez postos de recarga. (O Estado de São Paulo – 11.11.2020)

<topo>

3 VW firma parceria com Unidas

A Volkswagen anuncia uma parceria com a Unidas para oferecer o Golf GTE híbrido plug-in no portfólio da locadora de veículos. O modelo será inserido em três modalidades: aluguel para pessoas físicas e jurídicas nas lojas físicas de Brasília, Curitiba e SP. No Unidas Livre, serviço de assinatura, e em terceirização de frotas, o veículo estará disponível para todo o Brasil. Essa parceria é um passo importante na estratégia de mobilidade sustentável da marca Volkswagen, proporcionando aos clientes uma experiência completa com o Golf GTE, o único hatch com tecnologia híbrida plug-in do mercado. Por sua vez, Dirley Ricci, head de gestão de ativos da Unidas, comenta que o VW Golf GTE será o primeiro modelo de passeio da frota da Unidas que também pode ser recarregado na tomada. (Automotive Business – 11.11.2020)

<topo>


Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Diogo Salles e Fabiano Lacombe
Pesquisadores: Lara Moscon, Luiza Masseno, Pedro Barbosa e Victor Pinheiro
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

As notícias divulgadas no IFE não refletem necessariamente os pontos da UFRJ. As informações que apresentam como fonte UFRJ são de responsabilidade da equipe de pesquisa sobre o Setor Elétrico, vinculada ao NUCA do Instituto de Economia da UFRJ.

Para contato: ifes@race.nuca.ie.ufrj.br

POLÍTICA DE PRIVACIDADE E SIGILO
Respeitamos sua privacidade. Caso você não deseje mais receber nossos e-mails,  Clique aqui e envie-nos uma mensagem solicitando o descadastrado do seu e-mail de nosso mailing.


Copyright UFRJ

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: