IFE.H2 04

Informativo Eletrônico – Geração de Energia com Hidrogênio nº 04 – publicado em 08 de outubro de 2020.

IFE: Informativo Eletrônico de Mobilidade Elétrica – GESEL-UFRJ <!–

l

IFE: nº 04 – 08 de outubro de 2020
http://gesel.ie.ufrj.br/
gesel@gesel.ie.ufrj.br

Editor: Prof. Nivalde J. de Castro

Índice

Mercado
1 Siemens vai construir uma das maiores unidades de produção de hidrogênio do mundo
2 Conversão de planta no deserto de Utah, de carvão para hidrogênio-gás natural
3 A maior planta de hidrogênio verde da Austrália está progredindo
4 Enel da Itália ajudará a construir planta de hidrogênio verde no Chile
5 Iberdrola tem mais uma mega fábrica de hidrogênio verde na manga
6 Orsted e Yara unem forças para projeto inovador de hidrogênio verde na Holanda
7 Plug Power verá o hidrogênio gerar lucro em 2024
8 Hidrogênio verde proveniente de energias renováveis solar e eólica é tido como ‘combustível transformador’

Tecnologia e Inovação
1 Ballard expande produção de eletrodos de membrana (MEA, em inglês) para atender à crescente demanda de veículos elétricos
2 Células de hidrogênio podem turbinar novas superbaterias para MacBooks e iPads
3 Pesquisadores desenvolvem tecnologia para produzir hidrogênio a partir da água do mar

4 Nexceris recebeu US$ 3 milhões para comercialização da tecnologia de células a combustível do tipo óxido sólido

Mobilidade
1 Califórnia vai banir carros a combustão a partir de 2035
2 Ulstein projeta navio movido a hidrogênio para instalação de turbina eólica
3 Conheça o sedan de luxo francês movido a hidrogênio
4 Shell apoia hidrogênio para descarbonização do transporte marítimo

5 Honda deixa Fórmula 1 e foca em carros elétricos e a hidrogênio
6 Primeiro trem a hidrogênio já completou testes no Reino Unido

Eventos
1 Aconteceu nesta segunda e terça-feira, 5 e 6/10, o Congresso Brasil-Alemanha de Hidrogênio Verde
2 IRU descreveu o panorama para o caminho do hidrogênio como combustível e tecnologia

Artigos e Estudos
1 O reavivamento verde não é suficiente. Precisamos de uma política ativa para um futuro com hidrogênio
2 A economia verde do hidrogênio – conexão setorial e cooperação internacional como fatores de sucesso
3 Brasil tem vantagem para produzir hidrogênio, a bola da vez dos combustíveis limpos
4 Publicação do nono artigo da série informativa: Estratégia Nacional Alemã para Hidrogênio (NWS)

5 Os cientistas deram um passo a mais para resolver o problema de armazenamento de hidrogênio



 

 

Mercado

1 Siemens vai construir uma das maiores unidades de produção de hidrogênio do mundo

A Siemens Smart Infrastructure e a WUN H2 GmbH assinaram um contrato para construir uma das maiores instalações de produção de hidrogênio do mundo, na Alemanha. A instalação, que será construída em Wunsiedel, no norte da Baviera, funcionará exclusivamente com energia renovável e será livre de emissões de CO2. A instalação de sistemas de eletrolise inicialmente terá capacidade para produzir mais de 900 toneladas, sendo expandida futuramente até 2000 toneladas. O projeto utilizará energia renovável produzida na região para conversão de hidrogênio que será aplicado em mobilidade e na indústria. (Petronotícias – 30.09.2020)

<topo>

2 Conversão de planta no deserto de Utah, de carvão para hidrogênio-gás natural

Um projeto para transformar uma usina elétrica pública movida a carvão em uma usina de geração a hidrogênio-gás natural, que levaria energia para Los Angeles, está sendo realizado em Delta, UT. Jack Brouwer, da Universidade da Califórnia, de Irvine, que dirige o National Fuel Cell Research Center, disse ao NGI que a instalação “é o projeto mais significativo para demonstrar o potencial do hidrogênio no Ocidente”. A usina será implantada para gerar 840 MW até 2025, inicialmente usaria uma mistura de 30% de hidrogênio, aumentando a cada ano até 2045, quando seria 100% de hidrogênio produzido a partir de energias renováveis excedentes. (Natural Gas Intelligence – 03.10.2020)

<topo>

3 A maior planta de hidrogênio verde da Austrália está progredindo

O projeto de hidrogênio verde de referência do Infinite Blue Energy Group (IBE), Arrowsmith, está um passo mais perto da entrega. Localizada ao norte de Perth, a fábrica da Arrowsmith estará em uma área com abundantes recursos de energia renovável. Uma vez concluída, a planta Arrowsmith produzirá 25 toneladas por dia de hidrogênio verde, com a capacidade de ser expandida para uma planta em escala global, apoiando a exportação de hidrogênio líquido para a Ásia-Pacífico. Em agosto, o governo da Austrália anunciou um aumento de US $ 22 milhões em financiamento para indústria de hidrogênio renovável e antecipou em uma década as metas da Estratégia de Hidrogênio Renovável da Austrália Ocidental. (Energy Magazine – 05.10.2020)

<topo>

4 Enel da Itália ajudará a construir planta de hidrogênio verde no Chile

A italiana Enel ENEI.MI planeja se associar à empresa de energia chilena AME e outras para instalar um projeto piloto para produzir hidrogênio verde no Chile, informou a concessionária na sexta-feira. A planta, que deve entrar em operação em 2022, será a primeira planta de hidrogênio verde no país e uma das maiores da América Latina. O hidrogênio verde será produzido a partir de fontes de energia renováveis, neste caso eólica, usando eletrolisadores. A Enel, uma das maiores empresas de energia renovável do mundo, está procurando lançar um novo negócio de hidrogênio verde para acelerar os planos de ser um produtor de energia livre de carbono até 2050. (Reuters – 02.10.2020)

<topo>

5 Iberdrola tem mais uma mega fábrica de hidrogênio verde na manga

O presidente da Iberdrola, Ignacio Galán, anunciou, nesta quarta-feira (30.09), que a empresa espera iniciar nos próximos meses o projeto de produção de “hidrogênio massivamente verde”, em Huelva, onde nascerá uma nova fábrica do grupo, com investimento de cerca de 1.000 milhões de euros. Galán explicou que este projeto poderá chegar ao referido montante num horizonte de tempo compreendido entre 2023 e 2027. Como indicou o presidente da energética, será a “maior fábrica de hidrogênio da Europa” e berço da produção de amônia a partir do hidrogênio, fruto de fontes renováveis, podendo ser exportada ao invés de importada. (Executive Digest – 30.09.2020)

<topo>

6 Orsted e Yara unem forças para projeto inovador de hidrogênio verde na Holanda

A Orsted, líder mundial em energia eólica offshore, e a Yara, líder mundial no ramo de fertilizantes, uniram forças no desenvolvimento de um projeto pioneiro com o objetivo de substituir o hidrogênio fóssil por hidrogênio renovável, para produção de amônia, com potencial para reduzir mais de 100000 toneladas de CO2 por ano, o equivalente a retirada de 50000 carros convencionais das estradas. (Fuel Cell Works – 05.10.2020)

<topo>

7 Plug Power verá o hidrogênio gerar lucro em 2024

Os investidores estão apostando alto na Plug Power e talvez seja finalmente o momento certo para a fabricante de células a combustível de hidrogênio. A PLUG, fornecedora de motores a hidrogênio e soluções de abastecimento, subiu cerca de 600% este ano e tem um valor de mercado de mais de US $ 5 bilhões. Mesmo assim, em mais de duas décadas de existência, ainda não gerou lucro, o que deve mudar pelo menos em 2024, quando se prevê que a maré irá virar. Do lado positivo, ao contrário do fabricante de caminhões elétricos Nikola, a Plug realmente tem um produto que funciona por conta própria e já está nas mãos de clientes como a Amazon.com. (Investing.com – 03.10.2020)

<topo>

8 Hidrogênio verde proveniente de energias renováveis solar e eólica é tido como ‘combustível transformador’

De acordo com analistas, o hidrogênio verde produzido a partir de energia solar ou eólica pode se tornar um “combustível transformador” mais barato, usando o termo denominado pelo governo australiano. O governo quer priorizar o “hidrogênio limpo” como tecnologia de baixa emissão para substituir os combustíveis fósseis no transporte, energia elétrica e indústria. Em um declaração recente o governo afirmou que, a curto prazo, o meio mais barato de produzi-lo será por meio de reforma de gás e “gaseificação de carvão”, usando captura e armazenamento de carbono (CCS). A produção a partir do uso de renováveis também terá custo menor com o aumento da demanda. (Nature Words News – 03.10.2020)

<topo>

 

 

Tecnologia e Inovação

1 Ballard expande produção de eletrodos de membrana (MEA, em inglês) para atender à crescente demanda de veículos elétricos

Na intenção de atender o crescimento na demanda de veículos elétricos de células a combustível, a Ballard Power Systems está expandindo sua capacidade de fabricação de eletrodos de membrana (MEA) em seis vezes, em sua sede Vancouver, Canadá. A empresa planeja que a produção seja de 6 milhões de MEA’s anuais, até o início de 2021. A instalação fará da Ballard a maior produtora de MEA do mundo, para veículos comerciais. Essa expansão acontecerá através de investimento em tecnologia de fabricação, bem como o uso extensivo de automoção e controle de qualidade em linha. (H2 View – 29.09.2020)

<topo>

2 Células de hidrogênio podem turbinar novas superbaterias para MacBooks e iPads

O Escritório de Patentes e Marcas dos Estados Unidos (USPTO, sigla em inglês), acaba de conceder mais uma patente à Apple. No documento “Dispositivo de Computação Portátil para Controle de Célula de Combustível Externa”, a empresa discute a possibilidade de usar células de combustível de hidrogênio para substituir as baterias de lítio usadas atualmente. No entanto, ainda existe a dificuldade de se criar um sistema de células de combustível de hidrogênio que seja portátil o suficiente para embutir em um smartphone. (Canaltech – 29.09.2020)

<topo>

3 Pesquisadores desenvolvem tecnologia para produzir hidrogênio a partir da água do mar

Uma equipe de pesquisadores da Penn State integrou a tecnologia de dessalinização de água com um novo projeto para um eletrolisador de água do mar, usando corrente elétrica para separar o hidrogênio e o oxigênio a partir das moléculas de água. Apesar de abundante, a água do mar normalmente não é utilizada para realizar eletrólise, pois os íons cloreto presentes na água se transformam em cloro gasoso tóxico, degradando o equipamento e se propagando no meio ambiente. A solução que os pesquisadores encontraram foi utilizar uma membrana semipermeável, utilizada para dessalinizar a água por da osmose reversa (OR), substituindo a membrana de troca iônica comumente utilizada nos eletrolisadores. “A ideia por trás do processo é que você coloca uma pressão muito alta na água e a empurra através da membrana e mantém os íons de cloreto para trás”, disse Bruce Logan, Professor de Engenharia Ambiental da Universidade Evan Pugh. (Penn State News – 29.09.2020)

<topo>

4 Nexceris recebeu US$ 3 milhões para comercialização da tecnologia de células a combustível do tipo óxido sólido

Nexceris recebeu US$ 3 milhões do Departamento de Energia dos Estados Unidos (DOE) para acelerar a comercialização de suas células a combustível do tipo óxido sólido reversível (RSOC). O financiamento ajuda o DOE a cumprir o objetivo de acelerar o ritmo da comercialização de sistemas híbridos de energia de pequena escala utilizando células do tipo óxido sólido para produzir hidrogênio e gerar energia limpa. O projeto utilizará um único sistema de conversão de energia para produzir hidrogênio pela eletrólise e convertê-lo em eletricidade, reduzindo o tamanho e o custo do capital das instalações industriais. (H2 View – 30.09.2020)

<topo>

 

 

Mobilidade

1 Califórnia vai banir carros a combustão a partir de 2035

O estado da Califórnia, Estados Unidos, anunciou que irá proibir a partir de 2035 a venda de automóveis novos equipados com motores a combustão. A partir dessa data, apenas modelos elétricos e a hidrogênio poderão ser vendidos nas lojas de veículos novos. A venda de carros usados com motores diesel, gasolina ou híbridos ainda irá continuar liberada, uma vez que o objetivo do governo não é retirar os carros de circulação e sim ampliar as opções de escolha incentivando o mercado dos veículos de emissão zero. (Icarros – 28.09.2020)

<topo>

2 Ulstein projeta navio movido a hidrogênio para instalação de turbina eólica

A Ulstein revelou seu segundo projeto híbrido de hidrogênio visando a indústria eólica offshore, o navio servirá para instalação de turbinas eólicas ULSTEIN J102 (WTIV). Os construtores navais afirmam que a embarcação pode operar 75% do tempo no modo de emissão zero. Usando a tecnologia disponível, o custo adicional é limitado a menos de 5% do CAPEX total. (4c Offshore – 05.10.2020)

<topo>

3 Conheça o sedan de luxo francês movido a hidrogênio

Após empresas como a Hyundai, Tesla e Rimac se lançarem na corrida pela supremacia elétrica, a empresa francesa Hopium revelou seu carro de luxo movido a hidrogênio, chamado Machina. A empresa está há 2 anos nesse projeto do sedã de luxo e somente hoje ele atingiu maturidade o suficiente para ser comunicado, mas a produção está prevista apenas para 2026. Não se sabe muito sobre os detalhes técnicos do carro, mas segundo Olivier Lombard, fundador da empresa, “Hopium pretende se tornar a marca de referência mundial em mobilidade de hidrogênio com o objetivo de atingir um faturamento de 1 bilhão de euros até 2030”. (Carbuzz – 04.10.2020)

<topo>

4 Shell apoia hidrogênio para descarbonização do transporte marítimo

O grupo de energia Shell revelou planos para apoiar a tecnologia de células a combustível de hidrogênio, como caminho para as metas de descarbonização do transporte marítimo para 2050. “Acreditamos que o hidrogênio líquido tem uma vantagem sobre outros combustíveis com emissões zero, em potencial para o transporte marítimo, dando, portanto, uma maior probabilidade de sucesso”, disse a empresa em seu último relatório. A Shell está envolvida em vários projetos importantes de hidrogênio em toda a Europa, incluindo o projeto NortH2, o maior projeto de hidrogênio verde anunciado na Europa. (Hellenic Shipping News – 05.10.2020)

<topo>

5 Honda deixa Fórmula 1 e foca em carros elétricos e a hidrogênio

A montadora japonesa Honda anunciou nesta sexta-feira que vai deixar a Fórmula 1 ao final da temporada de 2021. A empresa é a atual responsável por fornecer motores às equipes Red Bull Racing (dos pilotos Max Verstappen e Alexander Albon) e AlphaTauri (de Pierre Gasly e Daniil Kvyat). O anúncio é parte da política de sustentabilidade da Honda, que promete atingir a neutralidade nas emissões de carbono até 2050. Para isso, ela vai abandonar alguns setores tradicionais do mercado e buscar tecnologias que causam menor impacto ambiental. (TecMundo – 02.10.2020)

<topo>

6 Primeiro trem a hidrogênio já completou testes no Reino Unido

O Reino Unido iniciou, com sucesso, os testes do primeiro trem a hidrogênio, revela a “CNBC”. O teste aconteceu entre as localidades de Long Marston e Evesham, que ficam na região de West Midlands. O HydroFLEX foi desenvolvido por uma equipe da Universidade de Birmingham e Porterbrook, e combina hidrogênio, oxigênio, calor e água, para gerar eletricidade, todos os ingredientes necessários para o manter o trem em andamento. De acordo com a “CNBC”, todos os vagões estão equipados com tecnologia que inclui um tanque de hidrogênio, células a combustível e baterias de lítio para armazenamento da energia produzida. (O Jornal Econômico – 30.09.2020)

<topo>

 

 

Eventos

1 Aconteceu nesta segunda e terça-feira, 5 e 6/10, o Congresso Brasil-Alemanha de Hidrogênio Verde.

O evento, organizado pela Câmara de Comércio Brasil-Alemanha, objetivou oferecer aos participantes uma perspectiva ampla a respeito dos contextos brasileiro e alemão para o hidrogênio verde, e contou com a participação do Prof. Nivalde de Castro (GESEL) juntamente com o Ministro de Minas Ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque. Além deles, estiveram presentes representantes dos governos, setores privados e comunidades científicas do Brasil e Alemanha, como o Andreas Eisfelder (Siemens Energy – Berlin), André Clark, CEO da Siemens Energy; Heiko Thoms, Embaixador da República Federal da Alemanha no Brasil; Paulo Alvarenga, CEO da thyssenkrupp South America e Prof. Dr.-Ing. Sterner, Head of Department da Ostbayerische Technische Hochschule.

<topo>

2 IRU descreveu o panorama para o caminho do hidrogênio como combustível e tecnologia

Na última quinta-feira (1º de outubro) o diretor de advocacia da IRU, Matthias Maedge, descreveu em um webinar o panorama a longo prazo, para as empresas de transporte rodoviário, da utilização de hidrogênio como combustível alternativo. Como uma representante de mais de 3,5 milhões de operadoras de transporte, tanto de mercadorias quanto de passageiros, a IRU disse que considera o hidrogênio verde renovável como uma das melhores soluções a longo prazo para atender às metas de emissões de 2050. Uma questão fundamental são os combustíveis de transição de médio prazo que ajudarão a reduzir as emissões na próxima década e serão viáveis de forma prática, operacional e financeira, especialmente para veículos de transporte pesados de longa distância. (H2-View – 02.10.2020)

<topo>

 

 

Artigos e Estudos

1 O reavivamento verde não é suficiente. Precisamos de uma política ativa para um futuro com hidrogênio

O CEO da empresa norueguesa Agder Energi, Steffen Syvertsen, enfatizou o quanto o setor de energia renovável movimenta o capital em extensão e ritmo que não imaginávamos há três ou quatro anos. Segundo ele, no entanto, o desenvolvimento de tecnologias e oportunidades de investimento não é rápido o suficiente para nos levar em direção aos objetivos do Acordo de Paris. Mesmo em um mercado de capital verde aquecido, o capital privado não será capaz de sustentar investimentos até certo ponto, onde os retornos estão baixos. Dois pontos são necessários para realizar uma estratégia orientada para o futuro do hidrogênio: grandes incentivos com financiamento público e programas de apoio, de preferência em colaboração com a comunidade empresarial, e o segundo, é a cooperação europeia. (E24 – 05.10.2020)

<topo>

2 A economia verde do hidrogênio – conexão setorial e cooperação internacional como fatores de sucesso

O Centro Aeroespacial Alemão (Deutsches Zentrum fuer Luft- und Raumfahrt; DLR) realizou um estudo, em duas partes, para examinar o potencial do hidrogênio verde como fonte de energia que não promove mudanças climáticas. A primeira parte do estudo considera as tecnologias e as perspectivas de um suprimento de hidrogênio sustentável e econômico. Já a segunda, enfoca a questão do acoplamento setorial, apontando dois fatores para o estabelecimento bem-sucedido do hidrogênio: interligar os setores consistentes em toda a cadeia de abastecimento, desde a geração e armazenamento até o uso, e acooperação internacional na produção e distribuição deste portador de energia verde. (Evwind – 01.10.2020)

<topo>

3 Brasil tem vantagem para produzir hidrogênio, a bola da vez dos combustíveis limpos

O pesquisador Luiz Augusto Horta Nogueira, explica em entrevista publicada, porque o hidrogênio é a nova bola da vez dos combustíveis limpos e que o Brasil tem, de antemão, vantagens importantes para se tornar um produtor relevante no cenário internacional. Uma das maiores dificuldades para o desenvolvimento dessa energia é o seu armazenamento – mas o processo pode ser facilitado com o uso do álcool, que já é amplamente utilizado no país. (UOL – 02.10.2020)

<topo>

4 Publicação do nono artigo da série informativa: Estratégia Nacional Alemã para Hidrogênio (NWS)

A AHK Rio, em confluência com as tendências globais e oportunidades de geração de desenvolvimento de projetos em temas relevantes da atualidade, como Green Recovery e Hidrogênio Verde, divulgou, por meio de uma Aliança para o Hidrogênio Verde, uma Série Informativa sobre a Estratégia Nacional Alemã para o Hidrogênio. O nono artigo traça um plano de ação para a cooperação internacional, a cooperação com potenciais países pode promover a contribuição dos mesmos para a produção do clima, acelerar a introdução de novas tecnologias de hidrogênio no mercado e criar oportunidade sustentáveis de crescimento e desenvolvimento. (AHK Rio – 02.10.2020)

<topo>

5 Os cientistas deram um passo a mais para resolver o problema de armazenamento de hidrogênio

Uma equipe de cientistas da Far Eastern Federal University (FEFU) em colaboração com seus colegas da Áustria, Turquia, Eslováquia, Rússia e Reino Unido publicaram um estudo no Journal of Power Sources relatando uma maneira de hidrogenar finas camadas de vidro metálico a temperatura ambiente. Essa tecnologia pode expandir consideravelmente a gama de materiais e métodos mais baratos, energeticamente eficientes e de alta performance que podem ser usados no campo da energia do hidrogênio. A equipe desenvolveu uma nanoestrutura amorfa (vidro metálico à base de FeNi) que pode ser usada para acumular e armazenar hidrogênio, em particular, como uma substituição para baterias de íon-lítio em sistemas de pequeno porte. (EurekAlert -29.09.2020)

<topo>


Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Diogo Salles, Fabiano Lacombe e Sayonara Andrade Elizário
Pesquisadores: Allyson Thomas
e Kalyne Silva Brito 
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

As notícias divulgadas no IFE não refletem necessariamente os pontos da UFRJ. As informações que apresentam como fonte UFRJ são de responsabilidade da equipe de pesquisa sobre o Setor Elétrico, vinculada ao NUCA do Instituto de Economia da UFRJ.

Para contato: ifes@race.nuca.ie.ufrj.br

POLÍTICA DE PRIVACIDADE E SIGILO
Respeitamos sua privacidade. Caso você não deseje mais receber nossos e-mails,  Clique aqui e envie-nos uma mensagem solicitando o descadastrado do seu e-mail de nosso mailing.


Copyright UFRJ

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: