IFE.UTE 16

Informativo Eletrônico – Usinas Termoelétricas nº 16 – publicado em 26 de agosto de 2020.

IFE: Informativo Eletrônico de Geração Termelétrica – GESEL-UFRJ <!–

l

IFE: nº 16 – 26 de agosto de 2020
http://gesel.ie.ufrj.br/
gesel@gesel.ie.ufrj.br

Editor: Prof. Nivalde J. de Castro

Índice

Mercado
1
Novo mercado de gás deve abrir oportunidades na Bolsa
2 Abividro: PL do gás aprovado trará competitividade
3 Nova Lei do Gás opõe governo e distribuidoras
4 Presidente exalta ‘relação’ com governadores ao inaugurar UTE
5 Mercado aumenta expectativa após confirmada a votação da PL do gás
6 Novo mercado de Gás avança no ES
7 IBP se posiciona sobre prorrogação dos contratos de concessão

Regulação
1 Bento Albuquerque defende texto da Lei do Gás
2 ANEEL participa de comitiva presidencial que inaugura maior térmica do Brasil
3 ANEEL participa do Fórum Gás do Pré-Sal
4 Aneel autoriza ampliação de UTE Laguna
5 PL do Gás: Próximos dias serão determinantes, diz Symone Araújo
6 Aneel autoriza CVU da UTE Termopernambuco
7 UTE tem operação aprovada em Rondônia
8 Aneel aprova 10,6 MW térmicos no AM

Empresas
1 Eneva é autorizada a atuar como carregadora de gás natural
2 Petrobras inicia fase vinculante para venda de 578 MW em térmicas
3 Siemens vai fabricar turbogerador de 60 MW

4 Sulgás tem mais de 60 mil clientes

5 Copel e CIBiogás assinam termo de cooperação

6 Enercom estuda mercado de gás natural

7 Nove interessadas na chamada pública da ES Gás

Internacional
1 Preço do gás natural no mercado americano
2 Erdogan anuncia maior descoberta de gás natural no Mar Negro
3 Financiamento garantido para nova UTE com turbinas GE HA
4 Os preços do GNL asiático aumentam

5 México adere ao pedido de licença de exportação de GNL da Unidade Sempra
6 Banco russo fornecerá empréstimo para o novo projeto de GNL da Gazprom
7 Chevron fechará o Trem 1 do Gorgon GNL no início de outubro e o Trem 3 em 2021

Artigos e Estudos
1 Sem acionamento de térmicas, Califórnia pode sofrer apagões no verão
2 Artigo do The New York Times: “Mais limpo, mas não limpo – Por que os cientistas dizem que o gás natural não evita o desastre climático”
3 Instituto Escolhas: Biogás na agenda da Bioeconomia da Amazônia
4 Pesquisa aponta que exploração de gás pode causar terremotos em Manaus

5 Artigo de Edmar Almeida (UFRJ) sobre a aprovação da PL do Gás
6 Artigo de Luiz Fernando Zancan (ABCM) sobre suprimentos minerais e de energia
7 Artigo de Adriano Pires: “As reformas no setor de energia”
8 ARM Consultoria: Lei do Gás não garante o direito ao livre mercado para todos os consumidores



 

 

 

Mercado

1 Novo mercado de gás deve abrir oportunidades na Bolsa

Após a aprovação do novo marco legal do saneamento básico, o próximo projeto a ser votado pela Câmara dos Deputados é o marco legal para o mercado de gás natural (PL 6407/13), já em regime de urgência na casa. Para especialistas consultados pelo E-Investidor, a aprovação do novo marco legal será muito positiva para o setor e, consequentemente, para a Bolsa. Neste cenário, é importante que os investidores fiquem atentos aos desdobramentos do caso. “Vai destravar a indústria e diversas empresas podem se aproveitar disso”, afirma Ricardo França, analista de research da Ágora Investimentos. Os especialistas pontuam que é difícil elencar quais companhias mais podem se favorecer com o novo marco legal. “Várias empresas de diferentes setores vão monitorar as oportunidades no setor de gás natural”, comenta França, destacando que desde empresas do setor elétrico até o de infraestrutura listadas na B3 devem entrar no setor. (O Estado de São Paulo – 17.08.2020)

<topo>

2 Abividro: PL do gás aprovado trará competitividade

A aprovação do PL do novo mercado de Gás também traz a expectativa de uma indústria do vidro mais competitiva, de forma a retomar postos perdidos nos últimos anos. Em entrevista à Agência CanalEnergia, o presidente-executivo da Associação Brasileira da Indústria de Vidro, Lucien Belmonte, revelou que o momento é o de consenso na indústria para a aprovação. “Está todo mundo de acordo com o PL do lado do setor produtivo”, afirmou. Os custos com gás e energia, dependendo do tipo de produção variam entre 30% e 40% do custo industrial do vidro. Belmonte argumentou que o gás mais barato levará o vidro brasileiro a recuperar a competitividade internacional perdida nos últimos anos. (Agência CanalEnergia – 17.08.2020)

<topo>

3 Nova Lei do Gás opõe governo e distribuidoras

Uma briga que envolve vários atores empresariais e políticos e já dura anos, com reviravoltas de alinhamentos nos últimos meses, pode chegar ao fim nesta semana com a votação, na Câmara, do Projeto de Lei 6407/13, que estabelece a Nova Lei do Gás. A proposta defendida pelo governo mexe em alguns pontos sensíveis para o setor de transporte e distribuição de gás natural, que tenta emplacar mudanças de última hora no texto. A proposta determina que a atividade de transporte de gás natural será exercida sob o regime de autorização em lugar do regime atual, de concessão. Esse é um dos principais pontos de oposição das distribuidoras, que alegam que não existe interesse do governo em investir na expansão do uso de gás natural, o que ficaria claro em sucessivas ações da Petrobrás e dos governos nos últimos anos. (O Estado de São Paulo – 18.08.2020)

<topo>

4 Presidente exalta ‘relação’ com governadores ao inaugurar UTE

Diante do investimento de R$ 6 bilhões para a construção do Complexo Termoelétrico Porto de Sergipe I dos acionistas da EBRASIL e da Golar Power, uma das principais empresas de logística de gás natural liquefeito no mundo, o presidente Jair Bolsonaro citou o relacionamento do governo federal com os governadores como forma de atrair investimentos privados para o País, durante a inauguração da maior usina termoelétrica a gás natural da América Latina, em Barra dos Coqueiros, município da Região Metropolitana de Aracaju (SE). (O Estado de São Paulo -17.08.2020)

<topo>

5 Mercado aumenta expectativa após confirmada a votação da PL do gás

Começou a contagem regressiva do mercado para a aprovação da Nova Lei do Gás na Câmara dos Deputados. O presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM/RJ) e o relator do projeto, Laercio Oliveira (PP-SE), confirmaram a inclusão da matéria na pauta de votações da próxima terça-feira (25). Existe muita expectativa do setor em torno do projeto, apesar das críticas que têm recebido de algumas associações. A matéria, contudo, não é unanimidade. O presidente da Abegás, Augusto Salomon, tem sido um dos críticos. Ele alega, por exemplo, o texto não traz sinais que favorecem investimentos para o transportar o gás natural desde o pré-sal até as distribuidoras. (Petronotícias – 19.08.2020)

<topo>

6 Novo mercado de Gás avança no ES

O governador do Espírito Santo destacou que, no último dia 19, foi enviado à Assembleia Legislativa do Estado , projeto de lei que estabelece o mercado livre de gás canalizado no Espírito Santo. A proposta define consumidor livre como usuário do serviço público, caso tenha volume de consumo igual ou superior a 10 mil m³/dia. “Nós vamos tomar ainda mais uma iniciativa para abrir o setor de gás natural, relacionada à política tributária de incentivo ao uso do gás no estado. No momento, estamos discutindo essa lei, que será enviada à assembleia legislativa”, afirmou o governador. (Brasil Energia – 21.08.2020)

<topo>

7 IBP se posiciona sobre prorrogação dos contratos de concessão

O IBP recebeu positivamente a notícia de que o Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) aprovou na terça-feira, 18/08, Resolução autorizando a ANP a prorrogar os prazos de vigência dos Contratos de Concessão firmados a partir da 1ª Rodada de Licitações de Blocos Exploratórios. A medida teve como objetivo a manutenção e revitalização da produção de óleo e gás natural em campos maduros, que precisam de novos investimentos para que se mantenham ativos, por representarem importante via para atração de investimentos, com consequente geração de emprego e renda nas regiões produtoras. Esta nova resolução complementa decisão do CNPE de 2016 que autorizou a extensão da vigência dos contratos da chamada Rodada Zero. Como resultado da Resolução CNPE nº 02/2016, em conjunto com a Resolução nº 17/2017, a ANP projeta que os 34 campos maduros com contratos recentemente prorrogados (21 marítimos e 13 terrestres) podem gerar até R$ 28 bilhões em novos investimentos. (IBP – 20.08.2020)

<topo>

 

 

Regulação

1 Bento Albuquerque defende texto da Lei do Gás

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, voltou a defender nesta segunda-feira (17) o texto da Lei do Gás aprovado no ano passado na Comissão de Minas e Energia da Câmara, afirmando que ele está inteiramente alinhado com as diretrizes do programa do governo para a abertura do mercado de gás no país. “Estamos muito próximos da votação do PL 6407, a nova lei do gás”, disse Albuquerque, que esteve com o presidente Jair Bolsonaro na cerimônia de inauguração da UTE Porto de Sergipe I. (Agência CanalEnergia – 17.08.2020)

<topo>

2 ANEEL participa de comitiva presidencial que inaugura maior térmica do Brasil

O diretor-geral da Aneel, André Pepitone, integrou a comitiva do presidente Jair Bolsonaro que inaugurou nesta segunda-feira (17/8) a usina Porto de Sergipe I, em Barra dos Coqueiros (SE). A cerimônia contou também com a participação do ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, e do governador de Sergipe, Belivaldo Chagas, entre outras autoridades. “Ocasiões como essa nos necessários muitos investimentos para melhorar a infraestrutura do país e, principalmente, gerar empregos e renda para nossa população. O setor elétrico está pronto para ser um dos principais vetores desse movimento. A regulação segura e transparente praticada pela ANEEL, juntamente com a política pública firme e competente oriunda do MME, são a garantia de que muitos investimentos virão em todas as etapas da cadeia do setor elétrico”, disse Pepitone após a inauguração. (Aneel – 17.08.2020)

<topo>

3 ANEEL participa do Fórum Gás do Pré-Sal

A ANEEL participou, nesta segunda-feira, 17/8, do Fórum Gás do Pré-Sal promovido pelo Estadão. O evento debateu o desenvolvimento do setor de gás no Brasil, a nova lei do gás natural (Projeto de Lei – PL nº 6407/2013) e o PL 232/2016 de modernização do setor elétrico. A Agência foi representada pelo Diretor Efrain Cruz que falou sobre como o setor elétrico pode ajudar o de gás neste momento de transição. Efrain ressaltou que “a Agência está muito atenta ao momento de transição energética por meio do setor de gás” e discorreu sobre a importância da diversificação da matriz energética brasileira pela ampliação da oferta de energia proveniente de térmicas a gás, com a construção de gasodutos. (Aneel – 17.08.2020)

<topo>

4 Aneel autoriza ampliação de UTE Laguna

Usina Laguna, localizada em Batayporã, no Mato Grosso do Sul, recebeu autorização para uma ampliação da UTE Laguna, de 2,4 MW para 21,2 MW. O prazo para operação comercial é de 36 meses após a autorização. (Brasil Energia – 18.08.2020)

<topo>

5 PL do Gás: Próximos dias serão determinantes, diz Symone Araújo

Com a votação do PL do Novo Mercado de Gás cada vez mais perto, as expectativas sobre o futuro do mercado e os avanços prometidos se intensificam. Em edição do Enase Talks realizada nesta quarta-feira, 19 de agosto, a diretora de Gás Natural do MME, Symone Araújo, classificou a abertura e reforma do setor como uma política fundamental. “Os próximos sete dias serão determinantes. É só olhar esse futuro com otimismo e esperar que possamos efetivamente contribuir para tornar o gás uma riqueza para todos os brasileiros”, afirma. Durante a conversa, a diretora do MME salientou que o texto do PL vai buscar a harmonização, reconhecendo as atribuições dos estados. Isso permitiria que eles aprimorassem as suas regulações, sendo capazes de avançar na modernização. (Agência CanalEnergia – 19.08.2020)

<topo>

6 Aneel autoriza CVU da UTE Termopernambuco

A Aneel determinou o CVU da termelétrica Termopernambuco em R$ 173,36/MWh. Segundo o órgão regulador, o novo valor é relativo a julho deste ano e depende da contabilização por parte da CCEE que, junto com o ONS, deverá aplicar o montante a partir do PMO deste mês. As informações foram publicadas no DOU da última quinta-feira, 20 de agosto, por meio do despacho nº 2.415. (Agência CanalEnergia – 21.08.2020)

<topo>

7 UTE tem operação aprovada em Rondônia

A empresa Eletrogoes recebeu parecer positivo da Aneel nesta quinta-feira, 20 de agosto, liberando a operação comercial da segunda unidade geradora da térmica Rondon II, somando 12 MW de capacidade instalada no município de Pimenta Bueno (RO) e à usina de 24 MW. (Agência CanalEnergia – 20.08.2020)

<topo>

8 Aneel aprova 10,6 MW térmicos no AM

A Aneel concedeu à companhia Oliveira Energia a autorização para início da operação comercial da termelétrica Novo Remanso – COE, envolvendo 17 unidades geradoras num total de 10,6 MW de potência instalada no município de Itacoatiara (AM). (Agência CanalEnergia – 21.08.2020)

<topo>

 

 

Empresas

1 Eneva é autorizada a atuar como carregadora de gás natural

A Eneva está autorizada a exercer a atividade de carregamento de gás natural, de acordo com publicação da ANP, no DOU nesta segunda (24). Com a autorização da Eneva, o Brasil passa a ter 55 empresas registradas na ANP como carregadoras de gás natural, aptas a participar de chamadas públicas para contratação de capacidade em gasodutos de transporte. (Agência Epbr – 24.08.2020)

<topo>

2 Petrobras inicia fase vinculante para venda de 578 MW em térmicas

A Petrobras iniciou a fase vinculante referente à venda de quatro usinas termelétricas, sendo três localizadas em Camaçari, no estado da Bahia e movidas a óleo combustível, as UTEs Polo Camaçari, e uma bicombustível (óleo diesel ou gás natural) localizada em Canoas, no estado do Rio Grande do Sul,a UTE Canoas. As UTEs Polo Camaçari são ativos da Petrobras e englobam as usinas Arembepe, Bahia 1 e Muricy, contando com potência total instalada de 329 MW. Já a usina gaúcha possui potência instalada de 249 MW e é bicombustível, utiliza-se de gás natural e óleo diesel para a geração. (Agência CanalEnergia – 17.08.2020)

<topo>

3 Siemens vai fabricar turbogerador de 60 MW

A Siemens Energy fechou contrato para fornecimento de uma turbina a vapor de extração e condensação para a usina Aguaí, que funciona através da queima de biomassa na província Obispo Santistevan, a 120 quilômetros da capital boliviana de Santa Cruz de la Sierra, e cuja operação é prevista para ser iniciada em março do ano que vem. A fabricação do componente será realizada no complexo fabril da Siemens Energy em Jundiaí (SP), contando também com a parceria de outras unidades do grupo pelo mundo. Da França virá o redutor de velocidade e da Alemanha o gerador elétrico. (Agência CanalEnergia – 18.08.2020)

<topo>

4 Sulgás tem mais de 60 mil clientes

A Sulgás ultrapassou a marca dos 60 mil clientes em julho. O segmento que mais contribuiu para esse resultado foi o residencial, que totalizou 58.516 unidades consumidoras. Cerca de 60% das contratações no mercado residencial provém do relacionamento da companhia com construtoras, que optam por projetar empreendimentos com o abastecimento a gás natural. Os outros 40% são condomínios habitados e residências unifamiliares que passam por processo de conversão das instalações e equipamentos para utilização do combustível. (Brasil Energia – 18.08.2020)

<topo>

5 Copel e CIBiogás assinam termo de cooperação

A Copel assinou um termo de cooperação com o instituto de ciência e tecnologia CIBiogás para o desenvolvimento de estratégias de atuação e modelos de negócios utilizando como fonte o gás gerado por resíduos da agroindústria e outras atividades. A parceria faz parte do Projeto GEF Biogás Brasil, implementado pela Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial com o objetivo de reduzir as emissões de Gases de Efeito Estufa e a dependência de combustíveis fósseis, e terá validade por três anos. De acordo com o superintendente de Gás, Biomassa e Inovação da Copel, Carlos Diego do Valle Pedroso, a diversidade de plantas já instaladas e o trabalho do CIBiogás, que tem a Copel como associada fundadora e mantenedora, são fatores que impulsionam o desenvolvimento de novos projetos para a geração de eletricidade, com um horizonte de grande potencial a ser explorado. (Agência CanalEnergia – 20.08.2020)

<topo>

6 Enercom estuda mercado de gás natural

A Enercom está de olho também no mercado de térmica a gás natural e está prospectando algumas áreas no Nordeste que tem potencial para desenvolvimento de projetos do tipo. Segundo Lira, a partir de 2021, esse mercado deve ser o foco da empresa. “Acreditamos que é um mercado com potencial grande de crescimento. É uma energia de base e renovável. Acho que com a quebra do monopólio do gás no Brasil vai abrir uma oportunidade muito grande para trazer diversos grupos estrangeiros para o país. Com o aumento da competitividade, o custo vai diminuir e deve ser uma matriz bem competitiva para nós”, disse o diretor executivo da Enercom Energias Renováveis, Manoel Lira. (Brasil Energia – 20.08.2020)

<topo>

7 Nove interessadas na chamada pública da ES Gás

O governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, afirmou, na sexta-feira (21/8), que já há nove empresas interessadas em fornecer gás natural para a ES Gás em 2021. Iniciada este mês, a chamada pública prevê modalidades de contratação para dois produtos, um com início de suprimento em 2021 e outro, a partir de 2022. Os participantes poderão apresentar propostas para ambos os produtos até setembro. (Brasil Energia – 21.08.2020)

<topo>

 

 

Internacional

1 Preço do gás natural no mercado americano

O preço do gás natural fechou na sexta (21/08) em $2.448/MMBtu (Dólares por milhão de Btu) no mercado americano. Em comparação a semana anterior houve uma subida de $0.092 e em comparação ao mesmo período no ano passado houve subida de $0.289. (EIA – 24.08.2020)

<topo>

2 Erdogan anuncia maior descoberta de gás natural no Mar Negro

O presidente Recep Tayyip Erdogan anunciou na sexta-feira (21) que a Turquia descobriu o maior campo de gás natural de sua história, contendo 320 bilhões de metros cúbicos de gás no Mar Negro, e que novas descobertas podem ser realizadas à medida que o país trabalhar no desenvolvimento desses recursos, cuja exploração deve começar em 2023. Se o gás puder ser extraído comercialmente, a descoberta poderia ajudar Ancara a reduzir sua atual dependência de importações –de países como a Rússia, Azerbaijão e Irã– para atender a uma parcela substancial de suas necessidades de energia. (Folha de São Paulo – 21.08.2020)

<topo>

3 Financiamento garantido para nova UTE com turbinas GE HA

O financiamento foi garantido para uma nova usina elétrica movida a gás natural de ciclo combinado em Illinois, um projeto que deverá começar a fornecer eletricidade para a área de Chicago em 2023. A Competitive Power Ventures (CPV), em parceria com a GE Energy Financial Services, Osaka Gas USA, Axium Infrastructure e Harrison Street, disse em 24 de agosto que alcançou o contrato do CPV Three Rivers Energy Center em Grundy County, sudoeste de Chicago. A CPV disse que o projeto representa mais de US $ 1,3 bilhão em investimento privado. O CPV Three Rivers está planejado como uma instalação de geração de 1.250 MW. Ele usará a mais recente tecnologia de turbina HA de alta eficiência da GE, que comprovadamente fornece eficiência superior a 64%. (Power Magazine – 18.08.2020)

<topo>

4 Os preços do GNL asiático aumentam

Os preços do GNL da Ásia subiram para uma alta de vários meses no início desta semana, embora tenham diminuído ligeiramente no final da semana devido às expectativas de mais oferta dos Estados Unidos. O preço médio do GNL para entrega em outubro no nordeste da Ásia LNG-AS foi estimado em cerca de US $ 4,10 por MMBtu nesta semana, um aumento de 40 centavos em relação à semana anterior, mas queda de cerca de 10 a 20 centavos em relação ao início desta semana. (Reuters – 21.08.2020)

<topo>

5 México adere ao pedido de licença de exportação de GNL da Unidade Sempra

O governo do México quer que a unidade local da Sempra Energy construa outra instalação de exportação para ajudar a vender o excesso de gás natural em troca da concessão de uma licença histórica de exportação à empresa de infraestrutura de energia. A Sempra, sediada em San Diego, sinalizou que sua unidade mexicana IEnova está perto de obter a licença de exportação para a instalação de liquefação de gás em seu terminal de regaseificação Energia Costa Azul (ECA), próximo ao porto de Ensenada, no Noroeste. No entanto, este mês o governo pediu à IEnova que se comprometesse com outra instalação no porto de Topolobampo, no Golfo da Califórnia, para ajudar o México a descarregar o excesso de capacidade de gás antes de emitir a licença de exportação. (The New York Times – 21.08.2020)

<topo>

6 Banco russo fornecerá empréstimo para o novo projeto de GNL da Gazprom

O banco estatal russo de desenvolvimento VEB disse na segunda-feira que concederá um empréstimo de 55 bilhões de rublos (US $ 741 milhões) para o projeto de gás natural liquefeito da Gazprom perto do porto de Ust-Luga no Mar Báltico. O projeto compreenderá a construção de um complexo de processamento de gás com capacidade anual de 45 bilhões de m³ e uma planta de GNL de 13 milhões de toneladas por ano no local. A RusKhimAlyans, uma joint venture entre a empresa estatal de gás Gazprom e seu parceiro russo RusGazDobycha, planeja usar os fundos para preparar a documentação do projeto, para pagamentos antecipados e alguns outros custos, disse o VEB. (Reuters – 24.08.2020)

<topo>

7 Chevron fechará o Trem 1 do Gorgon GNL no início de outubro e o Trem 3 em 2021

A Chevron Corp planeja fechar o Trem 1 em sua planta Gorgon LNG na Austrália no início de outubro e o Trem 3 em janeiro de 2021 para inspeções em equipamentos-chave nas unidades de processamento, disse o regulador industrial da Austrália Ocidental na sexta-feira. O regulador tem trabalhado com a Chevron desde que encomendou à empresa em 7 de agosto para inspecionar os trocadores de calor de propano nos Trens 1 e 3 na planta de GNL de três trens até 21 de agosto, depois que problemas de solda foram encontrados em chaleiras de propano no Trem 2 durante manutenção. (Reuters – 21.08.2020)

<topo>

 

 

Artigos e Estudos

1 Sem acionamento de térmicas, Califórnia pode sofrer apagões no verão

Milhões de californianos foram avisados de que podem ficar no escuro e sem ar condicionado nesta semana, num momento em que o Estado planeja apagões escalonados para administrar uma onda de calor recorde, que empurrou a rede elétrica para o limite. Embora o Estado mais populoso dos EUA tenha evitado apagões de grande escala na segunda-feira, a situação exigiu do governador Gavin Newsom o reconhecimento de que o mau planejamento deixou a Califórnia mal preparada para picos da demanda. A Califórnia ampliou muito sua capacidade de geração de energia solar e, em menor grau, de energia eólica nos últimos dez anos. Permitiu ainda que uma grande usina nuclear fechasse e reduziu a geração à base de gás natural. Estados vizinhos, que vinham sendo uma fonte confiável de compra de energia elétrica, tinham pouco excedente para vender por causa da mesma onda de calor, disseram autoridades do Independent System Operator (ISO), que gere a rede na Califórnia. (Valor Econômico – 19.08.2020)

<topo>

2 Artigo do The New York Times: “Mais limpo, mas não limpo – Por que os cientistas dizem que o gás natural não evita o desastre climático”

Em artigo publicado pelo The New York Times, jornalistas afirmam que o uso de gás natural não ajudará o mundo a cumprir as metas de redução de emissões de GEE. Os autores afirmam, “Em novembro, uma equipe de pesquisadores apoiada pela ONU descobriu que o mundo estava a caminho de produzir 70% mais gás natural em 2030 do que seria compatível com a meta de 1,5 C. “A maior parte da nova produção de gás não está suplantando o carvão – está o suplementando. Está respondendo à demanda por energia”, disse Rob Jackson, professor da Universidade de Stanford que preside o Global Carbon Project, um grupo de cientistas que monitora as emissões de gases de efeito estufa.” Para ler o estudo na íntegra clique aqui. (GESEL – IE – UFRJ – 24.08.2020)

<topo>

3 Instituto Escolhas: Biogás na agenda da Bioeconomia da Amazônia

Um texto de discussão publicado pelo Instituto Escolhas, fala sobre o papel que o biogás teria na Amazônia, alavancando desenvolvimento social e econômico para a região. Segundo o estudo, “apenas os resíduos sólidos dispostos em aterros sanitários, na região Norte, conseguiriam gerar 461,3 mil Nm³ de biogás por dia. Em um mês, considerando a equivalência entre o biogás e a geração elétrica, além de um consumo residencial médio de 150 quilowatts-hora por mês, esse volume seria o suficiente para abastecer, mensalmente, 190 mil residências.” Para ler o estudo na íntegra clique aqui. (GESEL – IE – UFRJ – 24.08.2020)

<topo>

4 Pesquisa aponta que exploração de gás pode causar terremotos em Manaus

Uma pesquisa apontou que Manaus pode sofrer terremotos no futuro devido a cidade estar em uma área onde existem falhas neotectônicas e ter atividades de exploração de gás. As circunstâncias, conforme o estudo, induzem a eventos sísmicos. O MME nega que o cenário cause terremotos na cidade. A pesquisa, realizada pela Unicamp em parceria com a Universidade de Córdoba, na Argentina, e Johns Hopkins University, em Baltimore, nos Estados Unidos, foi publicada na revista Earthquake Spectra, no dia 13 deste mês Um dos pesquisadores da Unicamp que fez parte do estudo, Luiz Vieira, informou ao Globo que os terremotos em Manaus aconteceriam pela penetração da água utilizada na extração no gás entre as falhas neotectônicas, causando os abalos sísmicos. (G1 – 21.08.2020)

<topo>

5 Artigo de Edmar Almeida (UFRJ) sobre a aprovação da PL do Gás

Em artigo publicado pela Agência Brasil Energia, Edmar Almeida, professor do Instituto de Economia da UFRJ, fala sobre a importância da aprovação da PL do gás para o desenvolvimento do setor através da política energética. O autor afirma que “assim a nova Lei do Gás não traz apenas maior segurança jurídica para aspectos já disciplinados via normas infralegais (resoluções da ANP e Aneel), mas também viabiliza a adoção de medidas regulatórias fundamentais para o avanço da reforma da indústria de gás nacional.” Para ler o texto na íntegra, clique aqui. (GESEL – IE – UFRJ – 21.08.2020)

<topo>

6 Artigo de Luiz Fernando Zancan (ABCM) sobre suprimentos minerais e de energia

Em artigo publicado pela Agência CanalEnergia, Luiz Fernando Zancan, presidente da Associação Brasileira do Carvão Mineral (ABCM), sobre os recursos minerais e de energia como geradores de riqueza para o país. O autor afirma que “a ideia simplista de transferir para o governo subsídios ou aumentar impostos ambientais e bloquear o acesso às jazidas minerais, esquece que alguém terá que pagar a conta. Onerar ainda mais o setor produtivo retira sua competitividade, prejudica a empregabilidade e enfraquece o país perante os competidores internacionais.” Para ler o texto na íntegra, clique aqui. (GESEL – IE – UFRJ – 21.08.2020)

<topo>

7 Artigo de Adriano Pires: “As reformas no setor de energia”

Em artigo publicado no jornal O Estado de São Paulo, Adriano Pires, diretor do Centro Brasileiro de Infraestrutura, analisa os projetos de lei (PLs) relativos ao setor de energia atualmente em tramitação no governo, e salienta seus pontos contraditórios entre si. Segundo o autor, “não existe a preocupação de integração e de sinergia entre os três textos em tramitação no Congresso”. Ele conclui que, para que os projetos cumpram seu objetivo de impulsionar o desenvolvimento do setor, “é essencial reconhecer a interação entre os diversos segmentos que compõem o setor energético”. Para ler o texto na íntegra, clique aqui. (GESEL-IE-UFRJ – 24.08.2020)

<topo>

8 ARM Consultoria: Lei do Gás não garante o direito ao livre mercado para todos os consumidores

Em artigo publicado pela Agência Epbr, Bruno Armbrust, sócio da ARM Consultoria, prestadora de consultoria para comercializadoras e distribuidoras de gás, questiona a expectativa de redução de preços do gás natural. O autor afirma, “No que se refere aos esperados investimentos, que muitos asseguram que o projeto trará, os mesmos estarão sempre condicionados a evolução da demanda, que por sua vez, dependerá da competitividade do preço do gás e do ritmo de crescimento do país. O investimento virá, se houver demanda, e onde fisicamente estiver essa demanda.” Para ler o texto na íntegra, clique aqui. (GESEL-IE-UFRJ – 22.08.2020)

<topo>


Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Diogo Salles, Fabiano Lacombe e Marcello Matz
Pesquisadora: Cinthia Valverde
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

As notícias divulgadas no IFE não refletem necessariamente os pontos da UFRJ. As informações que apresentam como fonte UFRJ são de responsabilidade da equipe de pesquisa sobre o Setor Elétrico, vinculada ao NUCA do Instituto de Economia da UFRJ.

Para contato: ifes@race.nuca.ie.ufrj.br

POLÍTICA DE PRIVACIDADE E SIGILO
Respeitamos sua privacidade. Caso você não deseje mais receber nossos e-mails,  Clique aqui e envie-nos uma mensagem solicitando o descadastrado do seu e-mail de nosso mailing.


Copyright UFRJ

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: