IFE.TEX 05

Informativo Eletrônico – Tecnologias Exponenciais nº 05 – publicado em 01 de julho de 2020.

IFE: Informativo Eletrônico do Setor Elétrico – GESEL-UFRJ <!–

l

IFE: nº 05 – 01 de julho de 2020
http://gesel.ie.ufrj.br/
gesel@gesel.ie.ufrj.br

Editor: Prof. Nivalde J. de Castro

Índice

Transição Energética
1
Dinamarca aprova corte de emissão de 70% até 2030
2 Equinor e Galp avaliam investimentos em renováveis no Brasil
3 Irena apresenta plano de recuperação sustentável
4 Marco do saneamento favorece projetos de recuperação energética
5 Investimentos de R$ 6 bi em energia solar nos primeiros meses do ano
6 Reforma tributária pode nortear a “reconstrução verde”, segundo frente ambientalista
7 Usinas eólicas offshore atraem investidores

Geração Distribuída
1 Alsol investe R$ 70 mi em GD
2 Equatorial firma convênio para instalação de microrrede
3 Servtec amplia investimentos em GD
4 Servtec contrata desenvolvedores para projetos de GD

Armazenamento de Eletricidade
1 Startup quer vender baterias como eletrodomésticos
2 Resiliência será fundamental para GD e armazenamento de energia

Mobilidade Elétrica
1 FCA desenvolve aplicativo para recarga de elétricos e plug-ins
2 Competição para investir em VEs e start-ups de baterias
3 Nissan e Sunwoda estudam o desenvolvimento de baterias para veículos e-POWER
4 Brasil tem oportunidade com produção de baterias

5 Tesla vai mostrar novas baterias em setembro
6 Ampcera anuncia nova tecnologia para baterias de estado sólido
7 Futuro de veículos elétricos exige investimentos em todo setor

Digitalização do Setor Elétrico
1 KF Participações fecha contrato para digitalização
2 Copel abre chamada pública de P&D
3 Neoenergia avança projeto de modernização do seu centro de operação
4 WEG compra startup de IA e visão computacional

5 Governo pode decretar estrutura de governança tecnológica para o setor energético
6 ONS revisa plano diretor de desenvolvimento tecnológico
7 Empresas aceleram investimentos em segurança cibernética
8 Chesf investe em modernização

Artigos
1 Artigo GESEL: “A Interação dinâmica entre Veículos Elétricos e Infraestrutura de Carregamento”
2 Artigo da Agência Internacional de Energia: “O impacto da crise do Covid-19 no progresso da energia limpa”
3 Relatório da AIE analisa armazenamento de energia
4 Artigo de Jason Deign: “O que exatamente é o hidrogênio verde?”

Eventos
1 Webinar GESEL: “Realidade e perspectivas para mobilidade elétrica no Brasil e no mundo”
2 Webinar sobre valorização energética de resíduos entre Brasil-Portugal
3 Cepel e IBP realizam palestra técnica sobre aplicação do ultrassom phased array
4 Abren anuncia webinar “Waste-to-Energy no contexto da tecnologia”


 

 

 

Transição Energética

1 Dinamarca aprova corte de emissão de 70% até 2030

A Dinamarca aprovou um pacote climático para cumprira na próxima década a ambiciosa meta de reduzir as emissões de carbono em 70%, em relação aos níveis de 1990. Pelo acordo, que teve amplo apoio de todos os partidos no Parlamento, a Dinamarca se compromete a reduzir as emissões de carbono em 3,4 milhões de toneladas. Segundo o Ministério do Clima, o Parlamento também aprovou a construção das primeiras ilhas de energia do mundo e investimentos para os setores de captura de carbono e combustíveis mais verdes. (Valor Econômico – 23.06.2020)

<topo>

2 Equinor e Galp avaliam investimentos em renováveis no Brasil

A vice-presidente de Estratégia e Portfólio da Equinor, Letícia Andrade, e o CEO da Galp no Brasil, Miguel Pereira, informaram, durante webinar realizado na segunda-feira pela Agência EPBR, que estudam fazer novos investimentos em projetos de energias renováveis no país. “O Brasil é, sem dúvida, uma área de interesse da Equinor para projetos de eólica offshore”, afirmou a executiva da companhia norueguesa, ressaltando, porém, que ainda falta um arcabouço regulatório a atividade no país. Já o diretor da Galp disse que a companhia estuda, junto a uma universidade brasileira instalada no Rio de Janeiro, o potencial de geração solar no país. Ambas as petroleiras já atuam na área de renováveis no Brasil. (Brasil Energia – 23.04.2020)

<topo>

3 Irena apresenta plano de recuperação sustentável

Os governos podem alinhar as necessidades imediatas de estímulo econômico aos objetivos de descarbonização a médio e longo prazo e ao desenvolvimento sustentável, mirando em políticas e gastos públicos para a transformação energética, conclui a Agência Internacional de Energia Renovável (Irena) em novo relatório publicado nesta quarta-feira (24/06). Intitulado “Recuperação pós-Covid: uma agenda de resiliência, desenvolvimento e igualdade”, o relatório mostra que investimentos anuais de US$ 2 trilhões aumentariam o PIB em 1% e criariam 5,5 milhões de empregos adicionais relacionados à transição energética em três anos. Cada milhão de dólares investidos em renováveis criaria três vezes mais empregos do que em combustíveis fósseis, estima a Irena. (Brasil Energia – 24.06.2020)

<topo>

4 Marco do saneamento favorece projetos de recuperação energética

A aprovação do marco regulatório do saneamento ontem (24/6) pelo Senado Federal tem poder também para viabilizar projetos de recuperação energética de resíduos, avalia o presidente da Associação Brasileira de Recuperação Energética de Resíduos (Abren), Yuri Schmitke. Para Schmitke, o ponto mais favorável é a criação de tarifa pela prestação de serviço adequado de manejo de resíduos sólidos, de forma conjunta com a tarifa de água e esgoto ou isolada, prevista no artigo 32, do PL 4.162/2019. A regulamentação é importante porque cria uma garantia para que municípios e empresas privadas envolvidas em projetos de usinas de recuperação energética (WTE, gaseificadores ou pirólise) obtenham financiamentos junto a bancos. (Brasil Energia – 25.06.2020)

<topo>

5 Investimentos de R$ 6 bi em energia solar nos primeiros meses do ano

Os investimentos privados em energia solar fotovoltaica no país chegaram a quase R$ 6 bilhões nos primeiros cinco meses deste ano, segundo levantamento da Absolar. Esses investimentos geraram mais de R$ 2 bilhões em arrecadação para os cofres públicos. No período, o setor adicionou 1.236,6 MW em capacidade instalada, o que representa um crescimento de 27,3% frente ao histórico consolidado até o final de 2019. A solar é a fonte com a maior previsão de expansão, são 9.598 MW de potência a ser instalada até 2024 em 237 usinas, segundo dados da Aneel. Atualmente, há 5.879 MW de capacidade solar em operação, contando geração distribuída e centralizada. (Brasil Energia – 26.06.2020)

<topo>

6 Reforma tributária pode nortear a “reconstrução verde”, segundo frente ambientalista

A reforma tributária, com previsão de votação na Câmara em agosto, pode ser impulso para o “green recovery” no Brasil, acreditam deputados e especialistas. A chamada “reconstrução ou retomada verde” foi debatida por entidades acadêmicas, empresariais e socioambientais reunidas pela Frente Parlamentar Ambientalista nesta quarta-feira (24). Economia sustentável, energias limpas e baixa emissão de carbono na mobilidade urbana e na produção agropecuária e industrial têm sido um novo paradigma buscado em alguns países que já superaram o pico da pandemia do novo coronavírus. O coordenador da frente ambientalista, deputado Rodrigo Agostinho (PSB-SP), acredita que a reforma tributária é um dos caminhos para redirecionar os recursos públicos para essa mudança. “Toda crise também é uma oportunidade. A reforma tributária pode ser norteadora dessa transformação, dessa possibilidade de investimentos na área ambiental e de uma mudança na utilização dos recursos naturais como a gente vê hoje”, diz. (Agência Câmara – 24.06.2020)

<topo>

7 Usinas eólicas offshore atraem investidores

Diferentemente da maioria das tecnologias neutras em emissão de carbono, a eólica offshore não precisa de grandes subsídios e investimentos em P&D antes de tornar-se viável. A eólica offshore já está pronta e preparada para decolar. Primeiramente, as instalações permitem enormes ganhos de escala, o que facilita o investimento, e permite um crescimento potencial quase ilimitado. Além disso, no mundo inteiro governos incentivaram a energia eólica, especialmente na Europa, o que ainda se traduz em um ambiente atrativo para o capital. Contudo, é necessário investimento maciço para gerar crescimento. Espera-se que os gastos aumentem de menos de US $ 20 bilhões em 2020 para US $ 60 bilhões em 2025 e continuem aumentando. (Wood Mackenzie – 26.06.2020)

<topo>

 

 

 

Geração Distribuída

1 Alsol investe R$ 70 mi em GD

A Alsol Energias Renováveis está investindo R$ 70 milhões em quatro usinas de geração solar distribuída em Minas Gerais. Todas estarão conectadas até julho deste ano, com capacidade de geração de cerca de 20,3 MWp. Duas das usinas já estão em operação e as quatro obras geraram ou vão abrir 240 empregos diretos. No modelo adotado pela Alsol, os empreendedores podem obter descontos de aproximadamente 20% na fatura de energia. Segundo o fundador e CTO da Alsol, Gustavo Malagoli Buiatti, o investimento em energia limpa é uma dupla oportunidade para empreendedores que desejam reduzir custos, como as despesas com energia elétrica, e as suas emissões de poluentes. (Brasil Energia – 23.04.2020)

<topo>

2 Equatorial firma convênio para instalação de microrrede

A Equatorial e o Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) assinaram digitalmente na terça-feira (23/6) um convênio para viabilizar a construção e o desenvolvimento de uma microrrede de energia elétrica inteligente nas dependências do centro de lançamento aeroespacial, localizado em Alcântara (MA). O projeto tem orçamento de 10 milhões e implantará geração de energia local com fontes renováveis, sistema de armazenamento de energia e sistemas automáticos de controle, chaveamento e monitoramento da microrrede. As ações fazem parte do programa de P&D da Equatorial, de acordo com o regulado pela Aneel, e conta com a Universidade Federal do Maranhão (UFMA) como parceiro tecnológico de desenvolvimento. (Brasil Energia – 25.06.2020)

<topo>

3 Servtec amplia investimentos em GD

A Servtec Energia aumentou a aposta no segmento de geração distribuída e investirá R$ 210 milhões na construção de 22 usinas de geração solar, que somam 54 megawatts-pico (MWp) de capacidade. O aporte é o segundo do grupo na área: os primeiros passos foram dados no ano passado, com projeto de quatro unidades solares em São Paulo e na Bahia. “A plataforma de geração distribuída é o nosso principal direcionamento como grupo para os próximos dois anos. Pretendemos chegar a 250 MWp até o fim de 2021”, afirmou o CEO da empresa, Pedro Fiuza. As novas usinas serão construídas em 10 estados brasileiros, e atenderão a contratos de longo prazo com empresas de telecomunicações, varejo, bebidas e postos de combustíveis. A expectativa é de que todas estejam prontas no fim deste ano. (Valor Econômico – 29.06.2020)

<topo>

4 Servtec contrata desenvolvedores para projetos de GD

Para seus projetos de geração distribuída, a Servtec contrata desenvolvedores, o que permite ganhar escala. Os desenvolvedores são responsáveis por tarefas como a identificação da área do empreendimento, a emissão do licenciamento ambiental, e a negociação comercial dos contratos de compra e venda de energia. Em troca, viram sócios minoritários das usinas, ficando com um percentual de 8% a 15%. A Servtec, por sua vez, entra com o funding do projeto, ajuda na negociação com fornecedores e supervisiona a construção. (Valor Econômico – 29.06.2020)

<topo>

 

 

 

Armazenamento de Eletricidade

1 Startup quer vender baterias como eletrodomésticos

O armazenamento de baterias domésticas cresceu vertiginosamente nos últimos anos, mas ainda não corresponde à escala e à acessibilidade de um eletrodoméstico. A Orison está tentando mudar isso desde 2013. Agora, a startup sediada em Wyoming está se preparando para enviar seus painéis de bateria domésticos plug-in em julho para testes de campo na Austrália, Europa e Reino Unido, onde cumpriu os padrões de segurança para operação. A start-up enviará os componentes para um cliente, que poderá montá-los e conectará o sistema à parede. Uma vez instalada, a bateria e um monitor de energia doméstico conectado coordenarão a carga e a descarga em torno da produção solar e das taxas de preço-horário. Em uma interrupção, a bateria não pode automaticamente isolar a casa, mas os dispositivos conectados a ela continuarão funcionando. (Greentech Media – 29.06.2020)

<topo>

2 Resiliência será fundamental para GD e armazenamento de energia

Os geradores podem fornecer alguns serviços que a energia solar fotovoltaica sozinha não pode, como backup para interrupções de dias da rede. O armazenamento de energia – principalmente baterias de íon-lítio – também se beneficiará da necessidade de resiliência, disse Brett Simon, analista sênior de armazenamento de energia da WoodMac.A resiliência não é o único driver de baterias, observou Simon. O gerenciamento comercial de cobrança da demanda, a mudança das políticas de medição da rede, que tornam o armazenamento de energia solar mais lucrativo, e o potencial de serviços de rede também desempenharão um papel na condução do armazenamento behind-the-meter para se tornar um mercado anual de 6,2 GWh até 2025. (Greentech Media – 22.06.2020)

<topo>

 

 

 

Mobilidade Elétrica

1 FCA desenvolve aplicativo para recarga de elétricos e plug-ins

A empresa Digital Charging Solutions GmbH desenvolveu em nome da FCA um serviço integrado de recarga dedicado aos clientes que comprarem os modelos Jeep Renegade e Compass 4xe, novo Fiat 500 elétrico ou, de uma forma geral todos os futuros modelos híbridos plug-in e elétrico da marca. O aplicativo desenvolvido permitirá o acesso a mais de 130 mil estações de carregamento em 21 países europeus. Uma função central, portanto, não apenas na Itália, mas em todo o território europeu. Ao assinar o serviço, você pode acessar o site indicado ou, mais conveniente, também um aplicativo disponível para iOS e Android, com um mapeamento da rede de recarga, com serviços e tarifas disponíveis. Dessa forma, o planejamento será mais inteligente e, acima de tudo, mais natural para o usuário. (Inside EVs – 22.06.2020)

<topo>

2 Competição para investir em VEs e start-ups de baterias

A Hyundai Motor Company, a Kia Motors Corporation e a LG Chem estão patrocinando conjuntamente o “EV & Battery Challenge” (EVBC), uma competição global para identificar até 10 VEs e start-ups de bateria para um potencial investimento e colaboração. As start-ups escolhidas terão a oportunidade de trabalhar em conjunto com a Hyundai, Kia e LG Chem, para desenvolver projetos e aproveitar a experiência técnica, os recursos e os laboratórios dos patrocinadores. A competição global oferece às startups a oportunidade de mostrar suas respectivas tecnologias inovadoras e modelos de negócios exclusivos. (Green Car Congress – 23.06.2020)

<topo>

3 Nissan e Sunwoda estudam o desenvolvimento de baterias para veículos e-POWER

A Nissan Motor Co., Ltd. e a Sunwoda Electric Vehicle Battery Co., Ltd. começarão a estudar o desenvolvimento conjunto de baterias de veículos da próxima geração para os veículos e-POWER da Nissan. As duas empresas também discutirão o desenvolvimento de um sistema de produção eficiente para garantir capacidade estável de fornecimento de baterias desenvolvidas em conjunto. A Nissan e a Sunwoda pretendem concluir um acordo final até o final deste ano, com base no conteúdo e nas condições específicas do estudo. (Green Car Congress – 23.06.2020)

<topo>

4 Brasil tem oportunidade com produção de baterias

A demanda por matérias-primas usadas para produção de baterias para carros elétricos deve aumentar rapidamente, e o Brasil é um dos produtores com potencial de ganhos, aponta a Agência das Nações Unidas para o Comércio e o Desenvolvimento (Unctad). Poucos países dominam a produção de commodities estratégicas para a produção dessas baterias recarregáveis como o Brasil. Para a Unctad, as baterias recarregáveis terão papel importante na transição global para uma economia com menos carbono e para ajudar a mitigar emissões de gases de efeito estufa. A alta da demanda de materiais estratégicos abrirá oportunidades de negócios, mas é importante que os países produtores desenvolvam a capacidade para aumentar a cadeia de valor, diz a Unctad. (Valor Econômico – 25.06.2020)

<topo>

5 Tesla vai mostrar novas baterias em setembro

A Tesla marcou uma nova data para seu “dia da bateria”, que será realizado no próximo 15 de setembro. A data já foi alterada diversas vezes desde 2019, algo que piorou com a pandemia do novo coronavírus. As novas baterias da Tesla deverão ter avanços importantes. Menor custo de produção e durabilidade serão os pontos mais importantes. A Tesla tem uma forte parceria com a Panasonic, mas produz suas próprias baterias, já para reduzir custos. A equação é ponto chave para o sucesso dos carros elétricos da marca. A marca também deve detalhar a parceria com a chinesa Contemporary Amperex Technology para o fornecimento de baterias de fosfato de lítio-ferro. Elas são muito mais poderosas do que as atuais de íons de lítio e não usam cobalto. Esse modelo de baterias também deve durar cerca de um 1,6 milhão de quilômetros rodados. (O Estado de São Paulo – 24.06.2020)

<topo>

6 Ampcera anuncia nova tecnologia para baterias de estado sólido

A Ampcera, com sede em Vale do Silício, anunciou uma tecnologia de membrana de eletrólito sólido (SE) flexível de baixo custo para baterias de estado sólido (SSBs). Diferentemente das baterias convencionais de íon de lítio (LIBs) que incluem um eletrólito inflamável de polímero líquido ou em gel, os SSBs usam um SE seguro e prometem dobrar o alcance dos veículos elétricos quando carregados com a mesma carga de baterias. (Green Car Congress – 24.06.2020)

<topo>

7 Futuro de veículos elétricos exige investimentos em todo setor

Veículos elétricos (VEs) serão um grande disruptor para o setor de energia elétrica dos EUA, com o número de VEs projetados para aumentar de 1,5 milhão em 2020 para 10-35 milhões em 2030. Um novo estudo divulgado por economistas do The Brattle Group conclui que um investimento na faixa de US $ 75 a 125 bilhões será necessário em toda a cadeia de suprimentos do setor de energia elétrica até 2030 para atender a 20 milhões de veículos elétricos, incluindo a adição de 1 a 2 milhões de carregadores públicos. Embora isso crie uma grande oportunidade para o setor de eletricidade aumentar os investimentos em vendas e infraestrutura, também traz novos desafios que precisam ser enfrentados. Para ler o estudo completo, clique aqui. (The Battle Group – 24.06.2020)

<topo>

 

 

 

Digitalização do Setor Elétrico

1 KF Participações fecha contrato para digitalização

A KF Participações, holding especializada em leilões de transmissão de energia e atividades de mineração, fechou contrato com a empresa de tecnologia Engineering para implementar um processo de transformação digital em cinco novas concessões do grupo, envolvendo o investimento de R$ 12 milhões em um prazo de cinco anos. O projeto contempla o chamado sistema de gestão empresarial SAP S/4 HANA, integrado ao módulo customizado AIS, solução desenvolvida para o setor elétrico e que faz o acompanhamento de ativos regulados e imobilizados em serviço, atendendo às diretrizes regulatórias da Aneel. Além disso, o contrato envolve o BPO Fiscal baseado em uma aplicação fiscal complementar integrada ao programa. Segundo o diretor de TI da KF Participações, Éder Soares, o objetivo da iniciativa é ter um processo seguro com o máximo de digitalização possível, pouco capital humano e métodos automatizados. (Agência CanalEnergia – 22.06.2020)

<topo>

2 Copel abre chamada pública de P&D

A Copel abriu chamada pública para selecionar propostas de projetos de P&D em diversas áreas. As propostas podem ser submetidas à primeira avaliação até o dia 9 de julho. Em paralelo, a CPFL divulgou novo cronograma de edital suspenso durante pandemia. A chamada pública da Copel, parte do programa de P&D da Aneel, reúne 11 áreas de interesse com 16 linhas de pesquisa para atender demandas internas dos negócios da companhia. São temas como inteligência operacional, conectividade entre equipes de campo, redução de custos, segurança do trabalho, transformação digital, cibersegurança, novas tecnologias de cabos, smart grid e inteligência artificial. (Brasil Energia – 23.04.2020)

<topo>

3 Neoenergia avança projeto de modernização do seu centro de operação

Recentemente transferido do Rio de Janeiro, o novo Centro de Operação de Transmissão (COT) da Neoenergia em Campinas (SP) vem passando por uma reforma e modernização, com o uso previsto de novas tecnologias para monitoramento com algoritmos de inteligência artificial, simuladores de treinamento para equipe em tempo real e um sistema integrado de operação e manutenção. Entre as novidades do novo COT está o uso de sistemas com alarmes inteligentes que permitem suportar as tomadas de decisões em tempo real. Com isso, será possível identificar de forma mais eficiente interferências nas LTs, assim como a localização, facilitando a atuação do operador. As tecnologias no COT incluem ainda um cockpit de operação, onde será possível visualizar todas as ações em andamento, as executadas e as planejadas. (Agência CanalEnergia – 23.06.2020)

<topo>

4 WEG compra startup de IA e visão computacional

A WEG fechou acordo para a aquisição do controle da startup Mvisia, especializada em soluções de inteligência artificial aplicada à visão computacional para a indústria, segundo comunicado ao mercado nesta terça-feira. Com o fechamento da operação, que não teve valor divulgado, a WEG passa a ter 51% do capital social da Mvisia, com possibilidade, prevista em contrato, de aumentar sua participação nos negócios futuramente. “A aquisição faz parte da estratégia da companhia de incluir novos recursos à WEG Digital Solutions e à plataforma IoT WEGnology, lançada recentemente com o objetivo de atender as demandas da Indústria 4.0”, afirmou a companhia. (Reuters – 23.06.2020)

<topo>

5 Governo pode decretar estrutura de governança tecnológica para o setor energético

O MME deseja aprimorar a governança dos recursos de pesquisa, inovação e eficiência no setor energético criando uma estrutura de governança específica. Iniciados no final de 2019, os trabalhos foram desacelerados devido ao redirecionamento de esforços do MME para conter a crise do coronavírus. O debate surge em meio ao fantasma de um eventual contingenciamento de recursos dos fundos de P&D e do Programa de Eficiência Energética (PEE), ambos da Aneel. O objetivo final é permitir ao MME ter uma visão geral das pesquisas em andamento e com base nessas informações promover políticas públicas que incentivem a inovação no setor energético brasileiro, incluindo mineração. (Agência CanalEnergia – 24.06.2020)

<topo>

6 ONS revisa plano diretor de desenvolvimento tecnológico

O setor elétrico vem passando por grandes transformações e o ONS quer se manter na vanguarda das inovações tecnológicas e aprimorar cada vez mais a sua atuação. Dessa forma, o ONS começou neste mês de junho o processo de atualização do seu Plano Diretor de Desenvolvimento Tecnológico (PDDT). E, quatro anos depois de ser elaborado, precisou ser revisado justamente por conta da velocidade com que as evoluções tecnológicas vêm ocorrendo. No plano serão incluídas as novas tendências tecnológicas que direcionarão os projetos de inovação do Operador, se antecipando ao amanhã e dando o suporte necessário para manter o alto nível de qualidade da operação do SIN. A previsão é de que a revisão esteja concluída até o fim de 2020. (ONS – 24.06.2020)

<topo>

7 Empresas aceleram investimentos em segurança cibernética

Os meses de março, abril, maio e junho ficaram marcados pelo alto número de ataques cibernéticos aos sistemas das empresas. Empresas como Raízen, Energisa e Light tiveram suas redes atacadas durante o período. De acordo com Marcelo Branquinho, CEO da TI Safe, a adoção do home office fez com que a mão de obra das empresas fosse para as residências dos funcionários, abrindo as suas redes para acessos externos. Segundo ele, isso pode desencadear uma série de problemas, que vão desde o tipo de segurança da conexão que está sendo adotada até os computadores usados no trabalho, que podem acabar virando alvo de ataques. Essa onda de ataques as empresas do setor fez com que muitas empresas acelerassem seus investimentos em segurança cibernética. (Agência CanalEnergia – 25.06.2020

<topo>

8 Chesf investe em modernização

A Chesf anunciou na sexta-feira (26/6) que elabora pacote de modernização de suas usinas. O investimento total estimado é de R$ 1 bilhão durante este ano de 2020. Além de melhorias pontuais nas geradoras, há três grandes projetos. O primeiro deles é a modernização e digitalização da UHE Sobradinho (1.050 MW), na Bahia, que receberá R$ 258 milhões para obras. Digitalização dos sistemas de medição, proteção, controle, supervisão e regulação da usina e o aumento no número de grandezas monitoradas estão entre as entregas pactuadas. O segundo processo é para a modernização de 40 sistemas e equipamentos de elevação de carga nas usinas, com investimentos de cerca de R$ 88 milhões. E o terceiro e maior dos projetos é a modernização e digitalização da UHE Paulo Afonso IV (2.462,4 MW), na Bahia, que receberá investimentos superiores a R$ 600 milhões. (Brasil Energia – 29.06.2020)

<topo>

 

 

 

Artigos

1 Artigo GESEL: “A Interação dinâmica entre Veículos Elétricos e Infraestrutura de Carregamento”

Em artigo publicado no serviço Broadcast da Agência Estado de São Paulo, Nivalde de Castro (coordenador geral do GESEL), Mauricio Moszkowicz (coordenador executivo do GESEL) e André Alves (pesquisador do GESEL) tratam da dinâmica entre veículos elétricos e infraestrutura de carregamento. Segundo os autores, “há uma relação entre os veículos elétricos e a ampliação da rede de carregamento, criando um processo dinâmica e positiva de feedback que vai garantir a evolução e difusão crescente da mobilidade elétrica, numa lógica bem simples: quantos mais VE há necessidade de mais postos de carregamentos”. Para ler o texto na íntegra, clique aqui. (GESEL-IE-UFRJ – 26.06.2020)

<topo>

2 Artigo da Agência Internacional de Energia: “O impacto da crise do Covid-19 no progresso da energia limpa”

Em artigo da Agência Internacional de Energia, Dave Turk e George Kamiya analisam como a pandemia de Covid-19 está causando um grande impacto nos sistemas de energia em todo o mundo, restringindo os investimentos e ameaçando retardar a expansão das principais tecnologias de energia limpa. Eles analisam 10 pontos chaves dessa situação, como a redução temporária de emissões de CO2 e a resiliência dos investimentos em energias renováveis, mas salientam a importância de investimentos e incentivos governamentais para o progresso das energias limpas. Para ler o texto na íntegra, clique aqui. (GESEL-IE-UFRJ – 29.06.2020)

<topo>

3 Relatório da AIE analisa armazenamento de energia

A Agência Internacional de Energia lançou seu relatório “Recuperação Sustentável”, onde analisa diferentes aspectos do setor elétrico em um contexto de recuperação econômica. Segundo o relatório, o ritmo do crescimento da capacidade de fabricação de baterias tem sido rápido nos últimos anos e há um enorme potencial em um número crescente de setores. Segundo o estudo, o apoio público à fabricação de baterias seria reforçado se fosse coordenado com os planos para os setores de transporte e energia, para garantir um business case para as baterias e compartilhar lições da experiência na fabricação, uso, reciclagem e reaproveitamento de baterias. O relatório conclui ressaltando que o desenvolvimento da capacidade local de fabricação de baterias também pode aumentar os empregos na fabricação de veículos elétricos e no fornecimento de suporte aos sistemas de armazenamento de energia. O relatório completo pode ser lido aqui. (GESEL-IE-UFRJ – 29.06.2020)

<topo>

4 Artigo de Jason Deign: “O que exatamente é o hidrogênio verde?”

Em artigo publicado na Greentech Media, Jason Deign explica toda a atenção que o hidrogênio verde vem recebendo nos últimos meses, e o que exatamente ele pode significar para o futuro das energias limpas. Segundo o autor, o interesse pelo hidrogênio verde está subindo rapidamente entre as principais empresas de petróleo e gás, pois alguns processos industriais não podem ser eletrificados, e terão de funcionar com gás, e o hidrogênio renovável é o melhor e mais limpo entre eles. Ele analisa os custos envolvidos, os possíveis impactos nas cadeias produtivas, as oportunidades, inclusive no setor automobilístico, e quem está produzindo e investindo nesse novo gás. Para ler o texto na íntegra, clique aqui. (GESEL-IE-UFRJ – 30.06.2020)

<topo>

 

 

 

Eventos

1 Webinar GESEL: “Realidade e perspectivas para mobilidade elétrica no Brasil e no mundo”

Acontece no próximo dia 06/07, às 11h, o Webinar GESEL “Realidade e perspectivas para mobilidade elétrica no Brasil e no mundo”. O evento, que terá moderação dos pesquisadores do GESEL Raphael Guimarães e André Alves, tem como objetivo discutir o panorama atual e as perspectivas para a mobilidade elétrica no Brasil e no mundo. Desta forma, o GESEL irá reunir agentes envolvidos com o tema incluindo montadoras de veículos, empresas do setor elétrico e pesquisadores da área. As apresentações vão expor a visão de cada um desses agentes e promover debate qualificado em torno do tema. Inscreva-se aqui. (GESEL-IE-UFRJ – 23.06.2020)

<topo>

2 Webinar sobre valorização energética de resíduos entre Brasil-Portugal

A Associação Brasileira de Recuperação Energética de Resíduos (Abren) informou que irá promover um quarto webinar destinado a debater a questão da valorização energética de resíduos no âmbito de uma cooperação entre Brasil e Portugal. O evento acontecerá no dia 1º de julho, às 15 horas. Foram convidados os palestrantes Fernando Leite, membro do Board da Associação Europeia para a Reciclagem (ACR+), e representante da Associação de Entidades de Valorização Energética de Resíduos Sólidos Urbanos (Avaler) junto da Confederação Europeia Entidades Energética Resíduos (Cewep); Feliz Mil-Homens, professor no Instituto Superior de Engenharia de Lisboa, além de Sandro Conceição, Administrador delegado na Gestão Ambiental e Valorização Energética (AVE). (Agência CanalEnergia – 22.06.2020)

<topo>

3 Cepel e IBP realizam palestra técnica sobre aplicação do ultrassom phased array

A pesquisadora do Cepel Heloisa Furtado e a bolsista de doutorado do Centro Nicole Villalva apresentarão a palestra “Phased Array no setor de energia”, no dia 02 de julho, às 11 horas,, no âmbito da reunião da Comissão de Inspeção de Equipamentos do Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP). O evento, aberto ao público em geral, será realizado através da plataforma Zoom. No decorrer da palestra, estarão em pauta, dentre outros tópicos, o princípio do ultrassom, uma das principais técnicas de ensaio não destrutivo, o objetivo da inspeção phased array, suas vantagens e limitações, bem como suas adequações e aplicações no setor elétrico. Para inscrições clique aqui. (Cepel – 25.06.2020)

<topo>

4 Abren anuncia webinar “Waste-to-Energy no contexto da tecnologia”

A Associação Brasileira de Recuperação Energética (Abren) irá realizar um seminário virtual na próxima terça-feira (30), às 10 horas, sobre “Waste-to-Energy no contexto da tecnologia”. A moderação ficará a cargo do advogado Yuri Schmitke, presidente da Abren e do Waste to Energy Research and Technology Council (WtERT – Brasil) e sócio da Girardi Advogados. A transmissão será feita pelo YouTube. (Agência CanalEnergia – 26.06.2020)

<topo>


Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Diogo Salles, Fabiano Lacombe e Lorrane Câmara
Pesquisador: Matheus Amâncio
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

As notícias divulgadas no IFE não refletem necessariamente os pontos da UFRJ. As informações que apresentam como fonte UFRJ são de responsabilidade da equipe de pesquisa sobre o Setor Elétrico, vinculada ao NUCA do Instituto de Economia da UFRJ.

Para contato: ifes@race.nuca.ie.ufrj.br

POLÍTICA DE PRIVACIDADE E SIGILO
Respeitamos sua privacidade. Caso você não deseje mais receber nossos e-mails,  Clique aqui e envie-nos uma mensagem solicitando o descadastrado do seu e-mail de nosso mailing.


Copyright UFRJ

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: